Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Medicina Ortomolecular  Voltar

Medicina Ortomolecular

Medicina Ortomolecular
Medicina Ortomolecular

O que é

A Medicina Ortomolecular, como foi conceituado por vezes o vencedor do Prêmio Nobel e biólogo molecular, Linus Pauling, PhD, tem o objetivo de restaurar o ambiente ideal do corpo, corrigindo os desequilíbrios ou deficiências com base na bioquímica indivíduo, utilizando substâncias naturais para o corpo, como vitaminas, minerais, aminoácidos, oligoelementos e ácidos graxos.

O termo "ortomolecular" foi usado pela primeira vez por Linus Pauling em um artigo que ele escreveu na revista Science em 1968.

A Medicina Ortomolecular descreve a prática de prevenir e tratar doenças, fornecendo o corpo com quantidades óptimas de substâncias que são naturais para o corpo.

A ideia fundamental na medicina ortomolecular é que fatores genéticos afetam não só as características físicas dos indivíduos, mas também para o seu meio bioquímico. Vias bioquímicas do corpo têm variabilidade genética significativa e doenças como a aterosclerose, câncer, esquizofrenia ou depressão estão associados com anormalidades bioquímicas específicas que são fatores causais ou contribuintes da doença.

Ortomolecular é um termo que vem de orto, que em grego significa "corrigir" ou "direita" e "molécula", que representa a estrutura mais simples que mostra as características de um composto. Por isso, significa literalmente a "molécula certa.".

A terapia ortomolecular

Medicina Ortomolecular
Medicina Ortomolecular

A terapia ortomolecular é um tratamento que consiste em proteger o organismo contra a agressão dos " radicais livres ", que dão origem a problemas de saúde como doenças degenerativas (artrites, câncer...), ao mal que afringe a grande parte da população - o stress - e a outros tipos de doenças, além de proporcionar o envelhecimento precoce e diversas alterações a nível orgânico, fisiológico e estético, tornando-se assim a terapia ortomolecular uma excelente maneira de se previnir também contra as doenças da 3 idade.

Para promover este bem estar que a terapia ortomolecular proporciona, é necessário fazer periodicamente o exame da gôta de sangue (teste do hlb) no qual se detecta o nível de destruição sanguínea causada pelos radicais livres, (substâncias produzidas pelo oxigênio, pelo stress, fumaça de cigarro, por metais tóxicos), e que através deste controle dos radicais livres, realizado com o uso de antioxidantes, o médico ortomolecular consegue melhorar o padrão de vida dos pacientes, e em certos casos previnindo contra futuros males.

Através do mineralograma do cabelo (exame do cabelo) realizado nos estados unidos, é possível detectar deficiências minerais essencias do nosso corpo precocemente, como por exemplo o cálcio (osteosporose), o lítio (depressão), o selênio (poderoso destruidor dos radicais livres), e também se há a presença de metais tóxicos causadores de sintomas e doenças, como por exemplo o alumínio (diminuição da memória), o chumbo (enxanquecas, tonturas), mercúrio (alteração do humor), níquel (queda dos cabelos).

Desta forma a terapia ortomolecular procura previnir através:

Do mineralograma do cabelo,
Exame do cromossomo para detectar infarte em pessoas jovens,
Exames de marcadores de canceres de mama, próstata, útero, fígado, intestino;

E auxiliar no tratamento de doenças como:

Stress
Diabetes
T.p.m
Menopausa;
Artrites;
Osteoporose
E diversas outras doenças.

Com isso, a reposição dos minerais essencias e a retirada dos tóxicos, a terapia ortomolecular consegue um equilíbrio do nosso corpo.

A Ortomolecular ou Biomolecula

Medicina Ortomolecular
Medicina Ortomolecular

A Ortomolecular ou Biomolecular é o ramo da ciência médica ou área de aplicabilidade da bioquímica à nutrição humana cujo objetivo primordial é restabelecer o equilíbrio químico do organismo. Significa conservar a saúde ótima e tratar as enfermidades variando as concentrações das substâncias que normalmente estão presentes no organismo e que são necessárias para uma boa saúde, conceito este, dado inicialmente por Linus Pauling, Prêmio Nobel de Química e da Paz e iniciador desta área de atuação.

Dedica-se à compreensão dos mecanismos bioquímicos, por exemplo:

Como são assimilados os nutrientes indispensáveis à vida, aminoácidos, ácidos graxos, vitaminas, minerais, presentes na alimentação.
Como são metabolizados,
Como são transformados quimicamente para utilização celular e,
Estudar as carências geradoras de desordens fisiológicas manifestadas por sintomas.

A utilização médica de substâncias do próprio organismo para o tratamento de forma única ou em conjunto com outras terapias de diferentes doenças, nutrientes,enzimas, etc. Utilizando-se destas substâncias para fins preventivos e otimizando a obtenção de condições ótimas de saúde para compensar as carências provocadas pela alimentação e forma de vida.

Ortomolecular (do grego ortho= justo), significa presença, em proporções adequadas das moléculas que são convenientes ao organismo, portanto, a Medicina Ortomolecular é a medicina da nutrição.

A medicina Biomolecular, reúne a ortomolecular e seus conceitos, mais a sua aplicabilidade nos estados funcionais, como o desgaste físico e psíquico, estresse, disbioses, estados disabsortivos,etc., associando os conhecimentos de biofarmacologia e de todas as ciências que estudam o organismo e o psiquismo.

A Medicina Biomolecular norteia-se por estratégias:

Dieta Inteligente baseada na reeducação alimentar
Exercício Aeróbio Moderado
Trabalhar o psiquismo
Eliminar dos metais pesados
Retirar os metais pesados ou impedir sua absorção
Conscientizar sobre hábitos perigosos à saúde (álcool-drogas-fumo, obesidade, etc)
Cuidar para um sono reparador
E, se necessário, antioxidantes.

O que significa

Medicina Ortomolecular
Medicina Ortomolecular

O termo ORTOMOLECULAR vem do grego ETHOS que significa normal, direito, correto, e a denominação Medicina Ortomolecular foi proposta por LINUS PAULING, (Prêmio Nobel de Química em 1954 e da Paz em 1962), conhecido mundialmente por seus trabalhos e pela ênfase com que recomenda o uso diário de vitaminas (principalmente a vitamina C) e minerais.

Objetivo

O objetivo da Terapia (Medicina) Ortomolecular é compreender as inter-relações que ocorrem ao nível bioquímico do organismo e assim poder atuar em conformidade com esses próprios mecanismos, harmonizando de maneira global a bioquímic

A Medicina Ortomolecular tem como objetivo principal restabelecer o equilíbrio químico do organismo. Para que isso ocorra são utilizadas substâncias e elementos naturais, sejam vitaminas, minerais, e/ou aminoácidos.

Além de ajudar a manter o equilíbrio de nosso organismo, também é possível corrigir algumas falhas que possam ocorrer em consequência do excesso de radicais livres que são formados constantemente em nosso organismo por causas diversas como: alimentação inadequada, estresse demasiado, poluição ambiental, irradiações solares, excesso de agrotóxicos, o próprio envelhecimento do nosso sistema de defesas naturais, acúmulo de metais tóxicos, entre outros. É possível concluir então que a terapia ortomolecular é um tratamento que visa o equilíbrio da saúde, através de uma alimentação adequada e reposição de nutrientes.

A Medicina Ortomolecular enxerga o paciente como um todo, um conjunto que deve funcionar em harmonia. Dessa forma é possível encontrar a origem dos problemas, a verdadeira raiz a partir da qual todo o processo patológico se desenvolve.

Dieta Ortomolecular

A dieta ortomolecular foi desenvolvida a partir dos princípios da Medicina Ortomolecular .

O tratamento possui três pontos principais: atividade física, alimentação saudável (com suplementação, se preciso), mudança comportamental e emoções. Se o indivíduo já consome uma alimentação balanceada, não é necessário fazer a suplementação com vitaminas e minerais. O consumo de alimentos funcionais é incentivado nessa dieta. A suplementação de vitaminas e minerais deve ser feita com cautela, pois já são bem conhecidas as interações entre os mesmos, seja aumentando ou diminuindo a eficácia de cada um.

A suplementação pode ser oferecida em pó, comprimidos ou injeções. A escolha depende da preferência pessoal. Há quem tome uma média de 30 cápsulas diariamente. O tempo de emagrecimento varia. Os melhores resultados são acompanhados da prática de exercícios, outra recomendação do método. Existes fórmulas que prometem aumentar a saciedade ou diminuir o desejo por alguns alimentos, como por exemplo a garcínia, conhecida por ajudar a reduzir a compulsão por doce.

Veja as mudanças que a dieta ortomolecular promete:

Mais disposição
Melhora na função sexual
Cabelos com melhor crescimento
Melhora da memória
Melhora da função cardiovascular
Perda de peso
Melhora o aspecto da pele.

Atualmente alguns minerais têm se destacado pelos benefícios que eles trazem ao organismo:

Cromo:Participa da digestão de carboidratos e gorduras, além de estimular o organismo aumentar a produção de serotonina, o que ajuda a diminuir o desejo por doces e outros carboidratos.
Magnésio:
Também atua no metabolismo dos carboidratos. Participa na formação da seronotina a partir do triptofano.
Selênio:
O selênio é um antioxidante. É um dos componentes de uma enzima chamada glutationa peroxidase, que age contra os radicais livres.
Vanádio:
Participa da digestão de gorduras, na absorção do cálcio e no metabolismo da insulina. Na sua falta, pode ocorrer desequilíbrio nos níveis de açúcar do sangue, aumentando os depósitos de gordura e a produção de insulina.
Zinco:
É um antioxidante. Exerce papel fundamental na maturação das células de defesa do organismo. Regula a ação da insulina, evitando o depósito de gordura na região do abdômen. É também um dos componentes de uma proteína chamada gustina, relacionada à percepção do sabor e participa da biossíntese de proteínas e ácidos nucléicos.
Potássio:
atua no equilíbrio hidro-eletrolítico do organismo, além de contribuir para o controle da pressão arterial.

Exames

Antes de iniciar o tratamento ortomolecular, é necessário que sejam feitos diversos exames: fio de cabelo, sangue, urina ou saliva, com o objetivo de avaliar a concentração de vitaminas e minerais no organismo. De acordo com resultados o profissional elabora uma dieta personalizada e caso seja necessário, prescreve suplementos, para equilibrar todos os sistemas do organismo.

O principal exame solicitado antes do início do tratamento é o mineralograma (exame do fio de cabelo), pode mostrar aos especialistas se há excesso de minerais pesados, como o chumbo e o alumínio, no organismo do paciente.

Controversas

De acordo com a Associação Brasileira para Estudo da Obesidade (ABESO), não existe a especialidade Medicina Ortomolecular , pois não existem evidências científicas de que dietas à base de tratamento ortomolecular sejam eficazes a curto ou a longo prazo.

Além disso a resolução do Conselho Federal de Medicina 1500/98 em seu artigo 13 proibe a utilização de algumas práticas da Medicina Ortomolecular , como megadoses de vitaminas; utilização de antioxidantes para melhorar o prognóstico de pacientes com doenças agudas ou em estado crítico e análise de fios de cabelo para caracterizar desequilíbrios bioquímicos; pois são métodos destituídos de comprovação científica suficiente quanto ao benefício para o ser humano sadio ou doente.

Além disso, é clara a necessidade de ensaios clínicos para embasar condutas clínicas preventivas de saúde. O atual conceito de medicina baseada em evidências indica que as recomendações para os pacientes precisam estar provadas sobre o seu real benefício.

Finalmente, convém lembrar-se das diversas alterações conhecidas entre os minerais e dos limites superiores (UL) já estabelecidos para evitar intoxicações por vitaminas e minerais.

Em que se baseia?

Uma das bases da Terapia Ortomolecular é o combate aos radicais livres (RL), que são quaisquer átomos, moléculas ou íons que possuam um ou mais elétrons livres na sua órbita externa. Estes elétrons têm grande instabilidade química e, mesmo tendo meia vida de frações de segundos, são altamente reativos com qualquer composto próximo, a fim de retirar deste o elétron necessário para sua estabilização, produzindo reações de dano celular em cadeia, e sendo assim chamado de oxidantes.

Embora existam os RL de íons metálicos e de carbono, os principais são os de OXIGÊNIO.

Podemos entender a formação de Radicais Livres pelo nosso organismo em condições normais, pois são necessários no processo de respiração celular que ocorre nas mitocôndrias, a fim de gerar o ATP. Estes também podem ser produzidos pelos macrófagos e neutrófilos contra bactérias e fungos invasores do nosso organismo.

O efeito prejudicial dos RL ocorre quando estão em quantidade excessiva, ultrapassando a capacidade de neutralização dos sistemas enzimáticos do organismo.

Como são neutralizados os RL?

Existem dois sistemas naturais de eliminação de Radicais Livres, que são os chamados “Varredores” (scavengers) de RL, que atuam eliminando-os ou então impedindo sua transformação em produtos mais tóxicos. Esses sistemas podem ser divididos em Enzimáticos e em Não Enzimáticos.

Os sistemas enzimáticos são compostos pelas seguintes enzimas: Glutation-Peroxidase, Catalase, Metionina-Redutase e Superóxido-Dismutase, os quais combatem os seguintes RL: Peróxido de Hidrogênio, Superóxido, Oxigênio Singlet, Ion Hidroxila, Oxido Nítrico e Oxido Nitroso.

Os Antioxidantes Não Enzimáticos, em sua maioria são exógenos, ou seja, necessitam ser absorvidos pela alimentação diária, ou como complementos nutricionais.

Os principais podem ser divididos em: Vitamina A, Vitamina E, Beta-caroteno, Vitamina C, Vitaminas do complexo B, os oligoelementos (Zinco, Cobre, Selênio, Magnésio), os bioflavonóides (derivados de plantas).

O método da Medicina Ortomolecular

Na Medicina Ortomolecular assume-se que as doenças tenham origem de múltiplas causas não-específicas congênitas e adquiridas. Essas causas dão origem a distúrbios bioquímicos, cuja acumulação resulta em sintomas e sinais que dão a percepção do estado de doença. Seria vantajoso para o médico ortomolecular reconhecer e corrigir cedo as anomalias bioquímicas dos pacientes antes que a suas expansões resultem em doenças reconhecíveis.

Na prática, o médico ortomolecular basea-se muito em testes laboratoriais. Em adição ao químicos da clínica padrão, os médicos ortomoleculares agora empregam um amplo espectro de análises laboratoriais sofisticadas incluindo para aminoácidos, ácidos orgânicos, vitaminas, minerais, situação funcional das vitaminas, hormônios, imunologia, microbiologia e função gastrintestinal. Muitos desses testes novos não são aceitos pelas medicina convencional.

A terapia ortomolecular consiste em prover quantidades ótimas de substâncias normais ao organismo, geralmente pela administração oral. No começo da Medicina Ortomolecular isso geralmente significava terapia com altas doses de um único nutriente. Hoje em dia os praticantes da Medicina Ortomolecular costumam utilizar várias substâncias (aminoácidos, enzimas, nutrientes não-essenciais, hormônios, vitaminas, minerais, etc) em um esforço terapêutico para restaurar seus níveis ao estatisticamente normal para pessoas jovens e saudáveis.

Geralmente a suplementação com relativamente altas doses de vitaminas recebe o nome de terapia de mega doses de vitaminas, a qual foi popularmente associada à Medicina Ortomolecular

Origem do medicamento ortomolecular

Produtos Sintéticos: Produzidos pela indústria químico-farmacêutica. Exemplos: vitaminas, hormônios, aminoácidos, enzimas etc.
Origem Animal:
Extrato de órgãos - timo, pineal etc.
Origem Mineral:
Minerais quelados e outros oligo-elementos e sais minerais manipulados pela indústria farmacêutica e fornecidos pela indústria química.

História

A Terapia ortomolecular data do início da década de 1950 quando alguns psiquiatras começaram a adicionar doses altas de nutrientes aos seus tratamentos de problemas mentais graves.

A substância original era a vitamina B3 (ácido nicotínico ou nicotinamida) e a terapia era denominada "terapia de megavitamina".

Mais tarde o regime do tratamento foi expandido para incluir outras vitaminas, minerais, hormônios e dietas, qualquer uma delas pode ser combinada com a terapia medicamentosa convencional e com os tratamentos de eletrochoque.

Atualmente cerca de uma centena de médicos norte-americanos usam esta abordagem para tratar uma variedade de distúrbios, tanto mentais como físico.

Fonte: www.orthomed.org/www.orthomolecular.org/www.medicinaortomolecular.com.br/www.portalvilas.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal