Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Melão - Página 7  Voltar

Melão

Cucumis melo

Melão

O melão, originário da Ásia, é a fruta do meloeiro, planta rasteira e herbácea, da família da abóbora e da melancia. Tem formato variável (redondo, oval ou alongado), entre 20 e 25 cm de diâmetro, casca lisa, enrugada ou apresentando nervuras em forma de rede, e cor da casca variando do verde ao amarelo. Sua polpa também varia segundo o tipo, havendo melões amarelados, esverdeados e esbranquiçados.

Em geral, o melão é uma fruta bem aromática, de gosto definido, mas também é possível encontrar melões insípidos, sem gosto particular, ou mesmo amargos.

A planta do melão é rasteira, tem folhas grandes, com cinco pontas salientes e suas flôres são brancas, algumas vezes amareladas ou alaranjadas, pequenas e frágeis. Geralmente é servido ao natural.

Alimento funcional, além de ser nutritivo produz benefícios para a saúde. Repõe o potássio, necessário para o bom funcionamento do organismo, além de conter glicose, altamente antioxidante, rico em: Vitamina C, E, A, ácido fólico, ácidos orgânicos, além de alguns sais minerais como cálcio, fósforo e ferro. Portanto é desintoxicante, evita o acúmulo de plaquetas, é diurético e reduz riscos de câncer e doenças do coração.

A sabedoria popular costuma utilizá-lo para a recuperação de pessoas debilitadas ou em fase de
convalescença. Ao natural ou em compotas, o melão é um alimento excelente.

O melão tem propriedades refrescantes e hidratantes pois a fruta compõe-se de 90% de água, por isso mesmo, é ideal para as épocas de muito calor. É uma fruta ótima para regimes de emagrecimento.

A compra do melão requer alguns cuidados para se ter certeza que a fruta está em boas condições de consumo.

Um melão maduro apresenta as seguintes características: quando comprimido nas extremidades, ceder levemente; suas sementes devem estar soltas (sacuda a fruta e veja se faz ruído); a casca precisa estar bem firme, ter cor forte e não apresentar rachaduras, partes moles ou perfurações de insetos; o perfume da fruta deve estar suave e agradável.

O melão deve ser conservado em lugar fresco e arejado. Assim, ele se mantém em bom estado por uma semana. Se a fruta já estiver madura, convém guardá-la na geladeira. Caso ela esteja aberta, cubra com plástico ou papel de alumínio para que não absorva os odores de outros alimentos.

Para apressar o amadurecimento do melão, envolva a fruta em uma folha de jornal por 1 ou 2 dias.

Na cozinha, o mais comum é servir o melão ao natural como entrada ou como sobremesa.

Como entrada, ele é preparado com sal ou com gengibre em pó. Um prato conhecido e considerado de paladar sofisticado é o melão com fatias de presunto cru. Como sobremesa, pode ser adoçado com açúcar ou com mel.

DICAS CULINÁRIAS

Aproveite as sementes do melão. Lave-as em água corrente e coloque num tabuleiro para secar. Leve ao fogo numa frigideira para que tostem ligeiramente. Depois, polvilhe com sal.

Ficam ótimas para acompanhar caipirinha ou uma cerveja bem gelada.

Se o melão estiver muito aguado ou pouco doce, polvilhe com sal. Ele melhora muito.

O melão fica delicioso quando é regado com um pouco de suco de limão.

CURIOSIDADES

Nos Estados Unidos foi cultivado o maior melão do mundo. Ele pesava 90,7 kg.

Partes utilizadas: Fruto

Propriedades medicinais do melão

O melão é produzido por uma planta da família das Cucurbitáceas, originária da Ásia e aclimatada no Brasil. Pertence à mesma família da melancia.

Ajuda a tratar de: Anemias, cansaço físico e mental, contusões, debilidade orgânica, eliminaçao de toxinas, inflamações nas pálpebras, intestino preguiçoso, ressecamento da pele.

É calmante e diurético.

Utilidades Medicinais

Disenteria

Triturar as sementes em água e um pouco de mel. Coar. Tomar morno e bem diluído, 3 xícaras por dia.

Doenças do Estômago

Tomar esporadicamente o suco de melão. Substituir refeições por este suco. Triturar as sementes em água e mel; coar e tomar morno e bem diluído, 3 xícaras por dia.

Febre

Proceder como indicado em disenteria, com a diferença de que o liquido ali indicado deve ser tomado fresco em caso de febre.

Insuficiência Hepática

Proceder como indicado em estômago.

Inapetência

Triturar as sementes em água e mel (no liquidificador). Coar e tomar bem diluído, duas horas e meia antes da refeição.

Reumatismo

Fazer refeições só de melão, esporadicamente. Passar um ou dois dias por semana só com melão, quando se deve manter repouso.

Fonte: www.frutas.radar-rs.com.br

Melão

Melão

DESCRIÇÃO

Planta herbácea, anual, com sistema radicular aprumado. O fruto é um pepónio de forma variável (redondo, oval ou alongado), com cerca de 20 e 25 cm de diâmetro, a casca pode ser lisa, enrugada ou apresentando nervuras em forma de rede, e a cor varia desde o verde ao amarelo. A sua polpa também varia segundo o tipo de cultivar, havendo melões amarelados, esverdeados e esbranquiçados.

Melão

SEMENTEIRA

Geralmente, em Portugal, os meloeiros devem semear-se de Março a Maio em valeiras ou covachos onde, com certa antecedência, se enterrou estrume em grande abundância.

CRESCIMENTO

Rápido.

Melão

TRANSPLANTAÇÃO

O Meloeiro é uma planta sensível à crise de transplantação, pelo que deve ser transplantada com raíz protegida. Deve ser efectuada quando a planta apresenta 2 folhas verdadeiras e com a 3.ª folha a começar a despontar.

LUZ

Necessita de boa luminosidade.

Melão

TEMPERATURA

Cultura megatérmica. As temperaturas óptimas para o seu desenvolvimento vegetativo situam-se entre os 18-24 Cº.

HUMIDADE

A humidade relativa durante o crescimento deve ser de 65 a 75%.

SOLOS

O melão prefere solos profundos, ricos em matéria orgânica, bem estruturados, arejados e bem drenados.

RESISTÊNCIAS

Cultura sensível às geadas.

REGA

Cultura relativamente resistente à seca, mas necessita, para uma boa produção e de qualidade, de regas
regulares.

ADUBAÇÃO

A cultura de melões é exigente em azoto, potássio e cálcio. É uma cultura sensível à carência de cálcio, magnésio e molibdénio, em solos ácidos.

PRAGAS E DOENÇAS

Ácaros, afídeos, alfinete, larvas mineiras, mosca branca, nóctuas, roscas, tripes, nematodes, etc.

MULTIPLICAÇÃO

Semente.

COLHEITA E PÓS-COLHEITA

Colher quando os frutos estiverem maduros, verificando a maturação pela alteração da cor, aroma, aparecimento de uma ferida na região peduncular, pelo aumento da elasticidade dos tecidos da zona pistilar ou em certas cultivares pela secagem da folha proxima do fruto.

Fonte: www.cm-guimaraes.pt

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal