Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Mescalina  Voltar

Mescalina

Mescalina
Mescalina

A mescalina, conhecido como peyote, é uma alcalóide extraído do cacto (Lophophora williamsii).

É nativa de uma pequena área da fronteira entre os EUA e o México, nas margens do rio Grande, é uma das mais curiosas e mais bem estudadas plantas alucinogênicas.

Ainda nos dias atuais é objeto de uma espécie de culto, não obstante a pressão contrária das autoridades governamentais dos dois países, por tribos de indígenas americanos e mexicanos. Foi isolado em 1896, e sua semelhança estrutural com a adrenalina ficou estabelecida em 1919.

É preparada por extração e purificação, ou seja, o caule do cacto é cortado em fatias transversais, que, uma vez secas, constituem os 'botões de mescal'.

Cada participante masca certo número de botões, secos ou mesmo frescos, até o amolecimento, engolindo-os depois em pequenos pedaços.

Em seguida, atinge um estado de intensa excitação cerebral, ou transe, sucedido por perturbações visuais, marcadas por alucinações do tipo caleidoscópio, com uma seqüência de imagens coloridas de grande beleza.

Doses demasiadamente fortes resultam, por vezes, na produção de alucinações de caráter desagradável.

Uma longa série de alcalóides foi isolada do peiote, entre eles a mescalina, apontada como responsável pelas alucinações visuais, a analamina, excitante, a lofoforina, a pelotina e muitos outros.

A mescalina cristalina é solúvel em álcool e água.

Sua fórmula química é C11h67NO3.

Aldous Huxley dedicou um livro à mescalina, The Doors of perception (1954), em que descreve o que sentiu sobre os efeitos da droga.

Huxley viu-se transportado ao limiar de dois mundo, o real e o irreal, sem que tivesse perdido a consciência, com grande aumento da sua capacidade sensorial.

Teve, por assim dizer, uma visão 'sacramental' da realidade.

É, aliás, o depoimento de pintores que se submeteram a testes com a mescalina: o efeito mais extraordinário que sentiram refere-se a cores e formas.

Parece existir grande semelhança entre a mescalina, a adrenalina e o ácido lisérgico.

Administrada em doses adequadas, a mescalina modifica mais profundamente que qualquer outra droga a percepção, além de ser menos tóxica que as demais.

O que é Mescalina

A Mescalina é uma substancia natural encontrada no peiote ou mescal que é um cacto que possui pequenas protusões ou botões, este cacto é originário dos EUA e México.

No entanto, esta substância pode ser produzida sinteticamente. Através do sulfato de mescalina – uma substância branca e cristalina que é a forma pura da mescalina.

Esta droga pode ser encontrada nas formas citadas logo abaixo:

Em forma de pó
Em forma líquida
Em forma de comprimidos brancos
Em forma de cápsulas gelatinosas

Com a finalidade de causar catalepsia e distúrbios mentais artificiais para fins experimentais e terapêuticos, a Mescalina foi utilizada na psiquiatria. O procedimento era feito via oral, injetado ou aspirado.

Quando esta substancia é utilizada para fins indevidos costuma-se fazer isto via oral.

Os efeitos da Mescalina são:

Físico – aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial, dilatação da pupila, aumento da glicemia sanguínea, da temperatura corporal, sudorese e náuseas, quando consumidas em doses elevadas pode levar à queda da glicemia levando a uma diarréia hemorrágica e inconsciência. Doses letais podem levar a convulsão, parada respiratória, arritmias cardíacas e a morte por falência respiratória.

Além desses efeitos, existem os psicológicos que incluem:

Alucinações visuais
Sensação de “novos” pensamentos
Cenários com qualidade de sonhos
Euforia
Experiências místicas
Ansiedade
Medo de morrer
Medo de perder o controle ou não voltar ao estado normal de consciência
Irracionalidade
Dissociação temporária

Estes efeitos podem durar cerca de 5 a 12 horas.

Fonte: underpop.free.fr

Mescalina

O que é

A mescalina é um alucinogéneo forte extraído do cacto Peyote (Lophophora Williamsii).

A mescalina é um alucinógeno sintetizado a partir de um cactus, peiote, natural do México.

O cacto era usado há séculos em cerimônias religiosas.

Ele ganhou maior importância há alguns anos atrás. Ela tem estrutura semelhante aos neurotransmissores do cérebro, a dopamina e a noradrenalina.

Portanto ela age nessas substâncias para produzir os efeitos de alucinações. A mescalina é quase inexistente no Brasil.

Apresenta-se sob a forma de pó branco, que é geralmente consumido por via oral (mastigado ou por infusão) ou, ocasionalmente, injetado.

Esta substância tem propriedades antibióticas e analgésicas. Instala-se em receptores cerebrais provocando alterações de consciência e percepção, principalmente a nível visual.

Origem

Mescalina

Mescalina - Peyote

O Peyote, cacto de onde é extraída a mescalina e que se desenvolve nas zonas desérticas do norte do México, era uma planta sagrada para os Huichols mexicanos. Era usada em rituais pelos chamanes de várias tribos na época pré-hispânica, contudo a conquista e a coversão ao catolicismo limitou o seu uso a setores marginais de Huicholes e Yakis.

No final do século XIX, as migrações para as reservas índias e o movimento de revitalização religiosa, conhecida como Igreja Nativa Americana (que surge, parcialmente, como reação aos problemas causados pelo álcool), faz com que o uso de rebentos de mescalina volte a verificar-se em rituais.

A mescalina foi isolada em 1896 e sintetizada em 1919, mas só mais tarde, em 1927, é que foram descritos os seus efeitos na mente humana.

Nos anos 60, a mescalina torna-se popular com a obra de Carlos Castañeda sobre D. Juan, um bruxo Yaki. A partir desta altura, torna-se num dos sinais de identidade do movimento da contra-cultura, estando associada a misticismo. "As portas da percepção", obra de Aldous Huxley foi baseada neste alucinogéneo.

Efeitos

A mescalina tem efeitos psicadélicos semelhantes aos do LSD mas menos intensos. Pode provocar a intensificação da percepção, sinestesias, distorções da imagem corporal e da percepção do espaço e do tempo, alucinações, intensificação e instabilidade emocional, aumento da capacidade sugestiva, sintomas de despersonalização e ideias paranóides.

Estes efeitos podem ser acompanhados de tremores, taquicardia, hipertensão, hipertermia, transpiração, visão enevoada e dilatação da pupila.

Esta substância alcança a sua concentração máxima no Sistema Nervoso 30 a 120 minutos após o seu consumo e os seus efeitos podem durar até 10 horas.

Tolerância e Dependência

A tolerância é praticamente nula e a dependência é semelhante à do LSD, isto é, reduzida.

Fonte: www.psicologia.com.pt

Mescalina

O que é a mescalina?

A mescalina é um alucinógeno obtido a partir da uma pequena palma forrageira Peyote (Lophophora williamsi).

Mescalina também é encontrada em alguns membros da família Fabaceae (família feijão).

Desde a mais tenra tempo registrado, peyote tem sido usado por nativos do norte do México e sudoeste dos Estados Unidos, como parte dos ritos religiosos tradicionais.

A parte superior do cacto acima do solo, também referida como a coroa, consiste de botões em forma de disco que são cortadas a partir das raízes e secas.

Estes botões são geralmente mastigados ou embebido em água para produzir um líquido inebriante. A dose por alucinogénios mescalina é de cerca de 0,3 a 0,5 gramas (equivalente a cerca de 5 gramas de peiote seco) e dura cerca de 12 horas. Enquanto mescalina produzido ricos alucinações visuais que eram importantes para os cultos de peiote nativas, todo o espectro de efeitos serviu de modelo induzido quimicamente de doença mental.

A mescalina é usado principalmente como droga recreativa e também é usado para completar vários tipos de meditação e terapia psicodélica.

Efeitos da mescalina

Os usuários normalmente experimentam alucinações visuais e estados radicalmente alterados de consciência, muitas vezes sentida como prazerosa e esclarecedora, mas ocasionalmente é acompanhada por sentimentos de ansiedade ou repulsa.

Outros efeitos incluem: visualização abertos e fechados os olhos, euforia, estado de sonho, risos e uma experiência psicodélica

Fonte: www.drugs.com

Mescalina

O que é

A Mescalina é uma substância natural extraída do peiote, chamada também de mescal.

Trata-se igualmente de um pequeno cacto nativo no norte do México e no sudoeste dos Estados Unidos.

Forma

A mescalina é vendida nas seguintes formas:

Em pó
Em líquido
Em pequenos comprimidos brancos
Em cápsulas gelatinosas

Uso

A droga é utilizada em psiquiatria para provocar catalepsia e distúrbios mentais artificiais com fins experimentais e terapêuticos.

O alucinógeno pode ser injetado, aspirado ou ingerido.

O uso indevido é feito por via oral. O gosto é amargo e o experimentador toma a droga com uma bebida qualquer, numa dosagem de 200 a 500mg

Efeitos

Agindo sobre o cérebro, a dose de 200 a 500mg de mescalina pode produzir alucinações auditivas e visuais oníricas, com transformações dos sons em cores, e outros efeitos psicodélicos iguais aos provocados pela psilocobona ou pelo LSD, durando a "viagem" de 5 a 12 horas.

Fonte: www.angelfire.com

Mescalina

A mescalina é o principal alcalóide do cacto “peyotl”, que é encontrado no norte do méxico, e que provoca seus efeitos mais fortes e muito semelhantes aos do LSD-25.

Há milhares de anos já era costume dos indígenas mexicanos fazerem a mastigação de rodelas secas do “peyotl”, em cerimônias religiosas.

Em 1918, nos Estados Unidos, foi fundada a Igreja Nativa Americana, onde o cacto, em rodelas, faz o papel da hóstia católica, e para isso, há uma licença especial do governo.

Os espanhóis, ao conquistarem a nova terra, tentaram fazer com que os indígenas deixassem o hábito milenar de mastigar o cacto sagrado, usando, para isso, a palavra de seus missionários.

No início do século XIX, os apaches e comanches levaram para os Estados Unidos o culto do “peyotl”, e daí se expandiu, chegando até o Canadá, apesar da oposição do governo americano, que lhe atribuía efeitos perniciosos.

A mescalina, atuando sobre o sistema nervoso central, é cerca de 4 mil vezes mais fraca do que o LSD, mas assim mesmo tem efeito muito semelhante ao do LSD-25, causando visões com muitas cores e grande êxtase íntimo, alterações no tempo e no espaço e sinestesias.

Para algumas pessoas seus efeitos tem um aspecto místico, o que as faz pensar estarem em contato direto com Deus. Mas também, como o LSD-25, pode provocar uma viagem sem volta, pela loucura ou pela morte.

Alguns médicos têm usado a mescalina para tratamento mentais graves, como a esquizofrenia, mas sem muito sucesso.

Fonte: www.cruzazul.org.br

Mescalina

A Mescalina é encontrado em diversas espécies de cactos, como Peyote e San Pedro.

Geralmente fumada em tubo, semelhante à maconha.

A mescalina e LSD provoca alucinações alguns destes podem ser negativos e pode causar psicose para aqueles que a usam.

A mescalina tem um relativamente baixo potencial de dependência.

Efeitos farmacológicos

Os efeitos da mescalina são fortemente dose-dependentes e observa-se atividade psicadélica a partir da dose de 100mg. Os primeiros efeitos tendem a aparecer 1-2 horas após a ingestão e podem permanecer durante 12 horas ou mais.

A mescalina é um potente alucinogeno que causa alterações da funcionalidade sensorial ( visual e auditiva, em particular) e cujos efeitos podem subdividir-se em 3 fases:

Fase 1 – Efeitos físicos:

A cerca de meia hora após a ingestão podem surgir náuseas, acompanhadas de vertigens que podem causar o vómito. Estes sintomas tendem a desaparecer ao fim de 45 min – 1h.

Com o terminar da náusea, verifica-se um 2º efeito físico relevante: uma forte salivação e tensão muscular do pescoço e da mandíbula. Fome, sede e fadiga desaparecem completamente.

Mescalina

Fase 2 – Efeitos psíquicos:

1 a 2 horas após a ingestão da dose de mescalina, inicia-se a atividade psicadélica característica e própria, que faz lembrar os efeitos do LSD; o indivíduo é sujeito a um grande aumento de energia física e da euforia; produzem-se alterações visuais e auditivas, acompanhadas de uma marcada intensificação da percepção das cores.

As pupilas dilatam a visões de fenómenos luminosos que se movimentam à sua volta, assistindo a um verdadeiro espetáculo de luz e som.

Mescalina

Fase 3 – Efeitos enteogénicos:

Na terceira e última fase instala-se uma sensação de grande paz interior e com a diminuição da energia passa-se a um estado de maior contemplação, sente respeito em relação ao mundo que o envolve e ao seu mundo interior.

Desenvolve um contato empático com as coisas e formas da vida que o rodeiam.

A mescalina causa uma potente experiência de exploração interior, que o pode colocar em confronto com parte de si mesmo, podendo não estar, contudo, pronto a encarar essa mesma experiência, deixando sempre uma lembrança boa ou má.

Fonte: www.ff.up.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal