Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Espermicidas  Voltar

Espermicidas

 

O que é Espermicida?

Espermicidas
Espermicida

Espermicidas são produtos químicos em forma de geléia, cremes, espumas, comprimidos e filmes, que são colocados na órgão genital feminino com objetivo de matar e/ou imobilizar os espermatozóides.

Cabe ao/à profissional de saúde informar e orientar sobre os critérios médicos de elegibilidade, que irá dizer se a pessoa pode ou não usar este método anticoncepcional, caso tenha sido escolhido.

Como se usa o Espermicida?

Os espermicidas devem ser colocados no fundo do órgão genital feminino utilizando o aplicador, antes de cada relação sexual. A espuma, geléia ou creme podem ser colocados imediatamente antes das relações sexuais. Outros tipos, como o filme e/ou o comprimido, precisam de mais tempo, pelo menos 10 minutos antes.

Por se tratar de um método hormonal, para iniciar o seu uso, a mulher deve procurar um serviço de saúde e receber orientações de um/a profissional de saúde capacitado para uma melhor orientação e esclarecimento de dúvidas.

Qual a eficácia do Espermicida?

Sua eficácia apresenta taxa de falha de 06 a 26%, ou seja, de cada 100 mulheres (adolescentes, jovens e adultas) que usam  o espermicida em suas relações sexuais durante o período de um ano, de 06 (seis) a 26 (vinte e seis) mulheres, podem vir a engravidar.

Os espermicidas apresentam uma eficácia maior quando usados com a camisinha masculina, a camisinha feminina ou com o diafragma.

Quais são os efeitos colaterais?

Durante o seu uso o espermicida pode causar algum desconforto pelo aumento da ocorrência de feridas, coceira e queimaduras na região genital especialmente se usado várias vezes ao dia.

Quais são os beneficios para a saúde da mulher?

Até o momento não tem se demostrado que o uso dos espermicidas protegem ou contribui na preveção das DST/HIV-Aids.

Pode aumentar a lubrificação vaginal.

Espermicidas

IMPORTANTE

Até o momento os espermicidas NÃO tem demonstrado proteção / prevenção as DST HIV-Aids, porém podem aumentar a lubrificação vaginal.

Fonte: www.adolescencia.org.br

Espermicidas

GELÉIAS OU ÓVULOS

São produtos em forma de creme ou óvulos (como supositórios vaginais) que a própria mulher coloca no fundo do órgão reprodutor feminino, antes de cada relação sexual. Estes produtos contêm substâncias químicas que matam os espermatozóides.

Importante:

Por não ter muita eficácia contra a gravidez, deve ser usado junto com outros métodos de barreira: diafragma ou camisinha.

Como utilizar

Introduzir no órgão genital feminino a cada relação sexual.
Pode ser colocado na hora ou, no máximo, até 2 horas antes da relação sexual.

Vantagens:

Não precisa ser usado todos os dias.
Não prejudica a saúde e nem interfere no ciclo menstrual.

Desvantagens:

O tempo de ação  dos espermicidas é de 2 hs e necessita reaplicação em relações sexuais prolongadas ou repetidas. 
Em algumas pessoas pode provoca alergias. (Nesse caso recomendamos a suspensão do uso e o uso de métodos de camisinhas com lubrificantes a base de água)

Fonte: redece.org

Espermicidas

O espermicida é um líquido utilizado para aniquilar os espermatozóides.

Os espermicidas são cremes, supositórios, espumas ou cremes especiais colocados dentro do órgão genital feminino antes da relação.

Eles contêm substâncias químicas que matam os espermatozóides, impedindo assim que estes fertilizem o óvulo.

Devem ser colocados no órgão genital feminino antes de cada relação sexual, como o preservativo masculino, o preservativo feminino ou o diafragma.

Os espermicidas têm poucas contra-indicações: devem ser evitados por mulheres que tenham alguma alergia a eles.

Espermicidas

Espermicidas

Vantagens:

É de simples utilização
Não necessitam de prescrição médica
Protege contra algumas doenças ginecológicas
Aumenta a lubrificação do órgão reprodutor feminino
Pode ser utilizado como coadjuvante de outros métodos contraceptivos.

Desvantagens:

Dão muito pouca proteção em relação às DTS’s
Podem causar reações alérgicas ou irritativas na mulher ou no homem
Aumentam os riscos de infecções urinárias.

Modo de Utilização:

Os cremes e espumas trazem um aplicador que depois de cheio, deve ser introduzido até ao fundo do órgão genital feminino (em posição de deitada) de forma a que o produto, fique a tapar a entrada do colo do útero
Cones, velas, comprimidos ou tabletes vaginais devem ser introduzidos com o dedo cerca de 10 minutos antes da relação sexual, pois só depois de derretidos começam a atuar
As esponjas e os cremes têm um início de ação mais rápido, pelo que podem ser colocados imediatamente antes do ato sexual
O espaço de tempo entre a aplicação do espermicida e a relação sexual deve ser cerca de 30 minutos, porque vai perdendo a sua ação
A mulher só se deve lavar 6 a 8 horas após a relação sexual, porque os sabões neutralizam a ação do espermicida
Para uma maior segurança aconselha-se que a mulher se mantenha deitada durante esse período ou, no caso de ter que se levantar, aplique um tampão vaginal
Se tiver nova relação ou se a relação demorar mais de uma hora, colocar nova dose de espermicida.

Fonte: sexualidadejovens.do.sapo.pt

Espermicidas

Características

1. Tipos e Composição

Espermicidas químicos: nonoxinol-9, menfegol e cloreto de benzalcônio.
Base inerte: creme, geléia, espuma, supositório, comprimido ou filme.

Importante:

Os dados comparativos sobre a efetividade dos diferentes espermicidas em diferentes meios são esparsos.
A maioria dos estudos utiliza o nonoxinol-9, que é o espermicida mais amplamente utilizado em todo o mundo.

Mecanismo de Ação

Os espermicidas matam os espermatozóides ou impedem seu movimento até o óvulo.

Eficácia

Importante ! A eficácia depende do uso do espermicida de forma correta, todas as vezes em que a mulher tenha uma relação sexual.

Em uso rotineiro:

São pouco eficazes: a taxa de gravidez é de 26 para cada 100 mulheres no primeiro ano de uso (uma em cada quatro mulheres).

Usados correta e consistentemente:

São eficazes: a taxa de gravidez é de 6 para cada 100 mulheres no primeiro ano de uso (uma em cada 17).

O espermicida pode contribuir para prevenir algumas doenças sexualmente transmissíveis (DST): os resultados "in vitro" mostram que o nonoxinol-9, o menfegol e o cloreto de benzalcônio inativam de modo efetivo treponemas, gonococos, clamídias, o vírus do herpes e organismos causadores da vaginose bacteriana.

Também vêm demonstrando, em testes laboratoriais, capacidade de desativar o HIV-4.

Estudos epidemiológicos têm demonstrado, de forma consistente, que os espermicidas, usados isoladamente ou combinados com outros métodos de barreira, reduzem a incidência de gonorréia, infecção por clamídia, tricomoníase e vaginose bacteriana. Todavia, a relação entre o uso do nonoxinol-9 e a incidência do HIV permanece obscura e, até o momento, inconclusiva.

Outros estudos têm relatado a ocorrência de irritação genital e de erosões no epitélio vaginal e do colo uterino, que seriam mais elevados com o uso mais freqüente (várias vezes ao dias) e em dosagem mais elevada. Essas alterações do epitélio poderiam aumentar o risco para transmissão do HIV.

Desempenho Clínico

Não há dados que permitam definir qual é a taxa de continuação destes métodos usados isoladamente.

Efeitos Secundários

O espermicida pode causar desconforto pelo aumento da ocorrência de úlceras e erosões genitais, prurido e queimaduras, especialmente se usado várias vezes ao dia.
O espermicida pode causar reação alérgica local (raramente) na mulher ou no parceiro.
Podem ser desagradáveis pela lubrificação excessiva.
Comprimidos efervescentes podem causar uma sensação térmica morna.

Outras Características:

Para garantir a eficácia, é necessário ter o método sempre à mão e executar as instruções corretamente antes de cada relação sexual.
Pode causar interrupção do coito, se não for inserido antes do início da relação sexual.
Deve ser inserido no órgão genital feminino pelo menos 10 minutos antes da ejaculação, mas não mais do que uma hora antes.
Requer que a mulher ou o parceiro coloque os dedos ou o dispositivo de inserção no órgão reprodutor feminino.
Alguns tipos podem derreter em ambiente quente.

Riscos e Benefícios

Riscos

Teoricamente, a irritação causada pelo uso do espermicida várias vezes ao dia pode aumentar o risco de HIV/AIDS.
Pode aumentar o risco para candidíase genital, vaginose bacteriana e infecções do trato urinário na mulher.

Benefícios

Seguro, é método controlado pela mulher, sendo que quase todas as mulheres podem usar.
Contribui para prevenir algumas DST e complicações por ela causadas - doença inflamatória pélvica (DIP), infertilidade, gravidez ectópica e, possivelmente, câncer de colo uterino. É possível que ofereça alguma proteção contra o HIV/AIDS, mas isso ainda não foi demonstrado.
Previne efetivamente a gravidez se utilizado corretamente em todas as relações sexuais.
Sem efeitos hormonais.
Sem efeitos no leite materno.
Pode ser interrompido a qualquer momento.
Fácil de usar, em mulheres corretamente orientadas e motivadas.
Pode ser inserido até uma hora antes da relação sexual para evitar interrupções no coito.
Pode aumentar a lubrificação vaginal.
Pode ser usado imediatamente após o parto.

Duração

Prazo de Validade

O espermicida pode ser estocado por até 5 anos, sem perda da efetividade. A data de fabricação e a data de validade estão impressas na embalagem. O profissional de saúde, ao fornecer o espermicida, deve entregar primeiro aquele mais próximos do prazo de vencimento. Deve, também, orientar a mulher para verificar o prazo de validade ao adquirir o produto. O espermicida pode ser danificado se estocado em ambiente excessivamente quente.

Duração de Uso

O espermicida, se usado correta e consistentemente, oferece proteção anticoncepcional já no primeiro ciclo de uso.A efetividade do método se mantém durante todo o período de uso. Para o máximo de efetividade, deve ser usado com outro método de barreira, como o condom ou o diafragma. Pode ser usado desde a adolescência até a menopausa.

Fonte: www.anticoncepcao.org.br

Espermicidas

Espermicida Vaginal

O objetivo do espermicida vaginal é imobilizar e destruir os espermatozóides, dificultando ou impedindo a penetração desses no canal cervical.

Geralmente, as geléias, pomadas e cremes espermicidas são utilizados em associações ao diafragma.

Os espermicidas devem ser colocados bem no fundo do órgão reprodutor feminino, no máximo, meio hora antes da relação sexual, com auxílio de um aplicador que vem junto com o produto. A mulher deve colocar o espermicida já deitada, e não se levantar mais, para evitar que ele escorra.

Observações:

Os espermicidas devem ser colocados de novo, se houver mais de uma ejaculação na mesma relação sexual
Se a ejaculação não ocorrer dentro do período de segurança garantido pelo espermicida (ver instruções de uso), deve ser feita nova aplicação.

Fonte: www.dstaids.pmcg.ms.gov.br

Espermicidas

Vaginal espermicida é um tipo de contraceptivo que deve ser inserido no órgão reprodutor feminino. Ela funciona por danificar o esperma no órgão genital feminino e como resultado, o esperma não é capaz de penetrar no ovo e adubação é evitado.

Para tornar mais espermicida eficaz na prevenção a gravidez é melhor usá-lo com alguma outra forma de controle de natalidade porque espermicida, por si só não é um método muito eficaz para controle de natalidade.

Todos os espermicidas só são eficazes até uma hora após a sua inclusão e se o sexo é tido após uma hora de inserir espermicida, uma gravidez também pode ocorrer.

Existem muitas formas de espermicidas.

Enquanto alguns espermicidas são feitas especificamente para uso com diafragmas, tampas cervical, e IUDs, outros são usados isoladamente.

Nonoxynol-9 é a mais ativa substância química utilizada em espermicidas de todas as formas, a saber, a nata, filme, espuma, gel, geléia e supositórios. Há outros produtos químicos que são também utilizados em espermicidas incluir o cloreto e octoxynol-9.

O mais comumente conhecidas marcas de espermicidas Advantage estão disponíveis 24, Conceptrol Gel, Crinone, Delfen, Mirena, Emko, Encare, Prochieve, Prometrium, KY, acrescido, Semicid, Shur-Seal, e FCR.

Estes espermicidas são muito fáceis de obter, dado que podem ser comprados sem receita médica e estão disponíveis em qualquer farmácia de balcão. Eles também estão disponíveis nos supermercados.

Espermicidas pode ser usado para a proteção extra, mas não pode ser invocada para impedir a gravidez, por si só, uma vez que o sucesso do controle de natalidade por métodos diferentes indivíduos depende de várias coisas que não seja o método de controle de natalidade em si. É melhor para discutir com o médico e então decidir o melhor método adequado controle de natalidade.

Fonte: www.scumdoctor.com

Espermicidas

Espermicidas
Espermicida

O QUE SÃO?

Os espermicidas podem apresentar-se sob a forma de cremes, espumas, etc.

Como atua?

Os espermicidas destroem e imobilizam os espermatozóides impedindo a sua entrada no útero. 

Vantagens

É de utilização fácil.
Não interfere no ciclo menstrual.
Protege contra algumas infecções vaginais. 

Desvantagens

Pode causar alergias e irritações no órgão genital feminino e no órgão genital masculino. 
Exige disciplina na sua utilização.
Depois de introduzido a mulher não se deve levantar para evitar que escorra.

Não protege contra as DST´s

 Eficácia

Este método contraceptivo apresenta uma eficácia reduzida, pelo que deve ser utilizada em conjunto com outro método contraceptivo: preservativo ou diafragma.  

Fonte: members.fortunecity.com

Espermicidas

Método

Químicos (p. ex. nonoxinol 9) que inativam ou matam os espermatozóide.

Tipos

Aerosol em espuma, cremes, pomadas, geléias, supositórios vaginais, tabeletes vaginais.

Mecanismos de ação

Causa ruptura da membrana celular do espermatozóide, que afeta sua mobilidade e a habilidade de fertilizar o óvulo.

Vantagens

Eficaz imediatamente,uso simples, disponível sem receita médica,não apresenta efeitos sistêmicos colaterais, aumenta a umidade(lubrificação) durante as relações sexuais. Alguma proteção contra ITG e outras DST (p. ex. HBV, HIV/AIDS).

Desvantagens

Alta incidência de falha (taxa de gravidez 10-30 por 100 mulheres durante o primeiro ano de uso). Necessita estar disponível antes das relações sexuais. Precisa esperar 7 a 10 minutos após aplicação antes do ato (tabletes, supositórios). Efetivo somente por 1-2 horas(verifique as instruções de cada espermicida)

Fonte: www.meac.ufc.br

Espermicidas

O que é

Espermaticida ou espermicida é uma substância química que imobiliza e destrói os espermatozoides durante o ato sexual.

Os espermicidas podem ser em creme, géis, supositórios, sprays e espumas.

Esses tipos de espermicidas devem ser introduzidos dentro do órgão reprodutor feminino antes da relação. É possível encontrar o agente espermaticida também em comprimido, que deve ser ingerido 10 minutos antes da relação.

Esse método pode ser utilizado juntamente com o DIU, a camisinha ou o diafragma. O tempo de ação do produto é de 2 horas e é necessária a reaplicação para relações mais longas.

É um método contraceptivo pouco recomendado, pois sua eficiência é menor do que a da camisinha e não protege das DSTs, caso seja utilizado sozinho. Além de apresentar um alto índice de falha, pode causar irritação, ulceração cérvico-vaginal e peniana.

Para muitas pessoas, o uso dessa contracepção prejudica a espontaneidade. Por um lado, o escoamento do produto pelo órgão reprodutor feminino após o término do contato sexual pode ser motivo de constrangimento. Outro desconforto apresentado é o sabor medicinal, que pode comprometer o sexo oral.

Atualmente, as camisinhas já possuem espermicidas para aumentar a prevenção da gravidez. Por se tratar de um método químico, a mulher deve primeiramente consultar seu médico para tirar dúvidas e obter mais esclarecimentos.

Fontes

Dr. Sergio dos Passos Ramos CRM17.178 – SP
Lopes, Sônia. Rosso, Sérgio. Biologia Volume Único.1.ed.Editora Saraiva. São Paulo, 2005.
Monteoliva, José Maria. A sexualidade. In: Contracepção. 1996. P – 26. Editora Loyola. São Paulo- SP. 

Fonte: www.gineco.com.br

 

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal