Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Injeção Anticoncepcional  Voltar

Injeção Anticoncepcional

 

 

O que são?

Injeção Anticoncepcional
Injeção mensal

Injeção Anticoncepcional
Injeção Trimestral

São injeções intramusculares feitas com hormônios parecidos com os que a mulher tem em seu corpo.

Existem dois tipos de injeção: a mensal e a trimestral.

Como se usa?

Por se tratar de um Método Hormonal, para iniciar o seu uso é muito importante que você procure um serviço de saúde.

Como funcionam?

Elas impedem a ovulação.

Quais as chances de que a injeção falhe?

A taxa de falha na injeção mensal varia de 0.1% a 0.6% ou seja, de cada mil mulheres que usam durante um ano, de uma a seis podem engravidar. A taxa de falha da injeção trimestral é de 0,3% ou seja, de cada mil mulheres que usam durante um ano, apenas três mulheres podem engravidar.

A injeção pode fazer mal para a saúde?

Alterações do ciclo menstrual: pequeno sangramento nos intervalos entre as menstruações, sangramento prolongado, e amenorréia (ausência de menstruação)
Ganho de peso
Dor de cabeça leve
Vertigens

Quais os efeitos não anticonceptivos?

Injeção Mensal

Diminuem a freqüência e a intensidade das cólicas menstruais
A fertilidade retorna em tempo mais curto do que com os injetáveis trimestrais
Podem prevenir anemia
Ajudam a prevenir problemas como: gravidez ectópica, câncer de endométrio, câncer de ovário, cistos de ovário, doença inflamatória pélvica, doenças mamárias benignas e miomas uterinos

Injeção Trimestral

Pode ser usado durante a amamentação após seis semanas do parto
Não provoca os efeitos colaterais do estrogênio, como naúseas e vômitos
Não aumenta o risco de complicações relacionadas ao uso do estrogênio
Diminui a incidência de: gravidez ectópica, câncer de endométrio, doença inflamatória pélvica e mioma uterino
Pode ajudar a prevenir câncer de ovário
Para algumas mulheres: pode ajudar a prevenir anemia, a freqüência de crises convulsivas em portadoras de epilepsia, e a dor e freqüência de crises falciformes
Ajuda a reduzir os sintomas de endometriose

IMPORTANTE

Para usar a injeção, deve-se procurar um serviço de saúde, para se ter uma orientação e avaliação mais detalhada.

Fonte: www.adolescencia.org.br

Injeção Anticoncepcional

ANTICONCEPÇÃO INJETÁVEL

São injeções com hormônios mensais (estrogênios e progesterona) ou trimensais (somente progesterona com suspensão da menstruação). Em sua composição podemos ter apenas o progestagênio ou em associação de estrogênio.

Mensais

Este método apresenta alta eficácia, não havendo o risco de esquecer tomadas, além de sua absorção não depender do trato gastrintestinal.

Podem ocorrer alterações na periodicidade do sangramento, particularmente o encurtamento dos intervalos. Aliás, estas alterações são responsáveis pela descontinuação do método.

Além da irregularidade menstrual, podem ocorrer queixas de cefaléias, náuseas e irritabilidade.

Suas principais indicações são para mulheres que se esquecem de tomar pílula, doenças psiquiátricas ou quando há intolerância gastrintestinal ao AHCO.

Também podem ser indicados para mulheres com anemia falciforme, pois previne a anemia e o aparecimento de hemácias anormais.

É aconselhável que se espere um bom tempo após a suspensão do uso para se engravidar.

Trimensais

Seu principal mecanismo de ação baseia-se na supressão do pico de LH, impedindo a maturação folicular e a ovulação. Além desse efeito não ovulatório principal, o muco cervical torna-se espesso, passando a ser hostil aos espermatozóides.

O endométrio também é afetado, tornando-se hipotrófico pela menor vascularização.

Apesar de altamente eficaz, este método deve ser evitado na adolescência, pois a reversibilidade é demorada, além do mais causa irregularidade menstrual e, é comum, um ganho de peso de 2, 3 Kg durante o primeiro ano de uso. Poderia ser indicado para adolescentes com deficiência mental, freqüência alvo de relações sexuais forçadas (estupro).

Eventualmente outra indicação na adolescência seria para aquelas com anemia falciforme.

Da mesma forma que para os injetáveis mensais, não se deve massagear ou colocar bolsa d'água quente no local da injeção.

A primeira dose deve ser administrada até o 7º dia do ciclo; se feita a partir do 8º dia, um método complementar deve ser recomendado durante sete dias após a injeção, até que o AMP-D exerça seu efeito contraceptivo.

Suas eficácias são de 99,5% se usada corretamente.

Fonte: www.unioeste.br

Injeção Anticoncepcional

As injeções anticoncepcionais devem ser injetadas na região glútea ou nádegas.

Deve ser usada uma agulha 30 x 8 e a injeção deve ser profunda e o local não deve ser massageado.

Existem três tipos de anticoncepcionais injetáveis: Uno-Ciclo e Perlutan, Mesigyna e Cyclofemina, e Depo-Provera 150.

Para o Uno-Ciclo e Perlutan a injeção deve ser feita no 8º dia da menstruação. Sempre considerar o início da menstruação como o primeiro dia.

Para a Mesigyna e Cyclofemina, a primeira injeção deve ser feita no 1º dia da menstruação e dai em diante a cada 30 dias.

Para a Depo-Provera 150 ou Tricilon a data ideal é o mais próximo possível da menstruação e dai em diante a cada três meses.

Para Uno-Ciclo, Perlutan, Mesigyna e Cyclofemina as vantagens e desvantagens são as mesmas da pílula anticoncepcional.

Para a Depo-Provera 150 oferece a vantagem de ser aplicada a cada 3 meses, mas a desvantagem de provocar ausência de menstruação e a fertilidade demorar um pouco para voltar.

As principais indicações das injeções são para as mulheres que esquecem a pílula, que não podem tomar a pílula via oral, e para as mulheres que tem de esconder o anticoncepcional.

Somente o seu médico pode receitar injeções anticoncepcionais para você.

Fonte: www.clinicacam.com.br

Injeção Anticoncepcional

Injeções anticoncepcionais

São feitas de hormônios parecidos com os hormônios produzidos pelos ovários da mulher, o estrogênio e a progesterona.

Agem impedindo a ovulação.Também atuam didicultando a passagem dos espermatozóides para o interior do útero.

Existem dois tipos de injeção anticoncepcional: a injeção aplicada uma vez por mês, que é a injeção mensal, e a injeção aplicada de três em três meses, que é a injeção trimestral.

São muito eficazes quando usadas corretamente.

Com a interrupção da injeção mensal, a fertilidade da mulher, que é a capacidade de engravidar, logo retorna.

Com a injeção trimestral, pode haver um atraso no retorno da fertilidade da mulher. Em média, o retorno da fertilidade pode demorar quatro meses após o término do efeito da injeção.

Quando uma mulher começa a usar a injeção, seu organismo precisa de um tempo para se adaptar.

A mulher pode apresentar enjôos, vômitos, sangramento ou manchas de sangue entre as menstruações, falta da menstruação, aumento de peso, dor de cabeça leve, tonteira, dor nas mamas, mudanças de humor.

Esses efeitos não são perigosos e, na maioria das vezes, desaparecem. Por isso, a mulher não deve interromper o uso da injeção. Se eles continuarem por mais de três meses, a mulher deve procurar o serviço de saúde.

A injeção trimestral pode ser usada durante a amamentação. Nesse caso, seu uso deve ser iniciado seis semanas após o parto.

Com o uso da injeção trimestral, é muito freqüente a mulher ficar sem menstruar.

A mulher deve informar o uso da injeção sempre que for a qualquer consulta, mesmo que isso não lhe seja perguntado.

As injeções não protegem de DST/HIV/AIDS. Use sempre camisinha.

Fonte: portal.saude.gov.br

Injeção Anticoncepcional

Anticoncepcional Injetável

Anticoncepcional Injetável é uma injeção intramuscular de hormônios semelhantes aos produzidos pelo ovário feminino, aplicada a cada 30 dias.

O anticoncepcional injetável evita a gravidez impedindo a ovulação. A primeira aplicação deverá ocorrer entre o 1º e o 5º dia do ciclo menstrual e as demais em 30 dias após a 1ª aplicação, independente da menstruação, com uma margem de segurança de 3 dias antes ou depois.

Quais as vantagens?

As vantagens é que o anticoncepcional injetável é um método hormonal seguro, pois o risco de esquecimento é menor. Protege a mulher de uma gravidez não desejada logo após a primeira aplicação e permite engravidar após alguns meses de interrupção do método.

Os hormônios injetáveis possuem baixa incidência de efeitos colaterais, como aumento de peso, náuseas ou vômitos. Previnem o câncer do endométrio e dos ovários e reduzem os riscos de miomas.

Quais as desvantagens?

A desvantagem é que este método pode alterar o ciclo menstrual.

Fonte: www.gestantes.net

Injeção Anticoncepcional

Injeção Anticoncepcional

As injeções anticoncepcionais devem sempre ser injetadas na região glútea, ou nádegas.

Deve ser usada uma agulha 30x8 e a injeção deve ser profunda. Não massagear o local da injeção.

Informações sobre a injeção anticoncepcional só podem ser fornecidas pelo seu médico pessoal de acordo com as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária no Brasil (Anvisa).

Atenção para a data da injeção. Solicite ao seu médico pessoal informações sobre a data correta da aplicação da injeção. Injeções têm de ser aplicadas nas datas corretas sob pena de não funcionarem.

Existe uma injeção anticoncepcional que pode ser aplicada a cada três meses. Informe-se com seu médico pessoal.

Para os anticoncepcionais mensais, as vantagens e desvantagens são as mesmas da pílula anticoncepcional.

Para os anticoncepcionais injetáveis trimestrais, existe a vantagem de ser aplicada a cada três meses, mas a desvantagem de provocar ausência de menstruação e a fertilidade (capacidade de engravidar) demorar um pouco para voltar.

As principais indicações das injeções são para as mulheres que esquecem a pílula, para aquelas que não podem tomar a pílula via oral e para as mulheres que tem de esconder o anticoncepcional.

Somente o seu médico pode receitar injeções anticoncepcionais para você. A automedicação com hormônios é muito perigosa!!!

Nunca, mas nunca mesmo, use um anticoncepcional ou qualquer outro medicamento com tarja vermelha sem orientação médica pessoal.

Não use medicamento de maneira diferente da prevista na receita, a não ser que tenha sido orientada pessoalmente pelo seu médico.

Anticoncepcionais foram feitos para serem tomados da maneira prevista na receita e na bula, não devendo ser tomados de maneira diferente, por exemplo, sem pausa, a não ser que tenha sido orientada pessoalmente pelo seu médico.

Anticoncepcionais orais ou injetáveis tomados de maneira errada perdem sua eficácia ocasionando riscos de gravidez e de efeitos colaterais que podem ser graves.

Sérgio dos Passos Ramos

Fonte: www.gineco.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal