Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Modelo Atômico de Dalton  Voltar

Modelo Atômico de Dalton

 

Modelo Atômico de Dalton
Modelo Atômico de Dalton

Modelo Atômico de Dalton - O que é

A teoria atômica - ou seja, a crença de que toda a matéria é composta de minúsculos, elementos indivisíveis - tem raízes muito profundas. Inicialmente, a teoria apareceu em milhares de anos atrás, em textos gregos e indianos como uma ideia filosófica. No entanto, não foi abraçado cientificamente até o século 19, quando uma abordagem baseada em evidências começou a revelar o que o modelo atômico parecia.

Foi nessa época que John Dalton, um químico Inglês, meteorologista e físico, começou uma série de experimentos que culminaria nele propor a teoria de composições atômicas - o que posteriormente seria conhecido como teoria atômica de Dalton - que se tornaria um dos pilares da física moderna e química.

Além da criação de um modelo para interações atômicas, John Dalton é creditado igualmente com o desenvolvimento de leis para compreendem os gases.

Com o tempo, isso levaria a concluir coisas sobre como os átomos interagem, o peso dos átomos, e conceber leis que estabelecem a teoria atômica como disciplina científica.

Teoria atômica de Dalton

1) Toda a matéria é feita de átomos. Os átomos são indivisíveis e indestrutíveis.
2) Todos os átomos de um dado elemento são idênticos em massa e propriedades.
3) Os compostos são formados por uma combinação de dois ou mais tipos diferentes de átomos.
4) Uma reação química é um rearranjo de átomos.

A teoria atômica moderna é, naturalmente, um pouco mais atrativo que a teoria de Dalton, mas a essência da teoria de Dalton permanece válida.

Hoje sabemos que os átomos podem ser destruídos através de reações nucleares, mas não por reações químicas. Além disso, existem diferentes tipos de átomos (diferentes pelas suas massas) dentro de um elemento que são conhecidos como "isótopos", mas os isótopos de um elemento tem as mesmas propriedades químicas.

Muitos até então inexplicáveis fenômenos químicos foram rapidamente explicados por Dalton com a sua teoria.

A teoria de Dalton rapidamente tornou-se o fundamento teórico em química.

Modelo do Átomo de Dalton

John Dalton propôs que toda a matéria é composta de coisas muito pequenas que ele chamou de átomos.

Este não era um conceito completamente novo, como os gregos antigos (nomeadamente Demócrito) propôs que a matéria é composta de objetos pequenos, indivisíveis (não pode ser dividido).

Quando Dalton propôs seu modelo os elétrons e o núcleo eram desconhecidos.

Modelo Atômico de Dalton
Modelo Atômico de Dalton

Em 1808, John Dalton, um professor inglês, propôs a idéia de que as propriedades da matéria podem ser explicadas em termos de comportamento de partículas finitas, unitárias. Dalton acreditou que o átomo seria a partícula elementar, a menor unidade de matéria.

Surgiu assim o modelo de Dalton: átomos vistos como esferas minúsculas, rígidas e indestrutíveis. Todos os átomos de um elemento são idênticos.

Modelo Atômico de Dalton
Modelo Atômico de Dalton

John Dalton (1766-1844) é considerado o fundador da teoria atômica moderna.

Nasceu em Eaglesfield, Inglaterra.

Menino prodígio, aos 12 anos de idade substituiu seu professor na Quaker's School de Eaglesfield.

Dedicou toda sua vida ao ensino e à pesquisa.

Lecionou em Kendal e Manchester.

Desenvolveu trabalhos significativos em vários campos: meteorologia, química, física, gramática e lingüística.

Seu nome passou à história da ciência tanto por suas teorias químicas quanto pela descoberta e descrição de uma anomalia da visão das cores: o daltonismo.

Observador atento, Dalton percebeu, ainda jovem, sua cegueira para algumas cores.

Pesquisou o fenômeno em outras pessoas e observa que a anomalia mais comum é a impossibilidade de distinguir o vermelho e o verde. Em alguns casos, a cegueira cromática é mais acentuada para o campo do vermelho (protanopsia). Em outros, para o campo do verde (deuteranopsia). Certas pessoas sofrem de daltonismo apenas em circunstâncias especiais, e poucas são cegas para todas as cores.

Modelo atômico de Dalton

John Dalton apresentou sua teoria atômica em uma série de conferências realizadas na Royal Institution de Londres, entre 1803 e 1807.

Para ele, toda matéria é constituída por partículas indivisíveis os – átomos.

Retomando as definições dos antigos atomistas gregos, considera os átomos como partículas maciças, indestrutíveis e intransformáveis, ou seja, não seriam alterados pelas reações químicas. Associa cada tipo de átomo a um determinado elemento químico.

Os átomos de um mesmo elemento seriam todos iguais na massa, tamanho e demais qualidades.

Essa idéia prevaleceu até 1921, quando são descobertos os isótopos átomos de um mesmo elemento com massas diferentes.

Dalton explicou as reações químicas como resultado da separação ou da união entre átomos e usa o termo "átomos compostos" para designar as ligações entre essas partículas. O peso (massa) de um composto seria igual à soma dos pesos de cada átomo que o constitui.

Os principais postulados da Teoria Atômica de Dalton são:

A matéria é formada por partículas extremamente pequenas chamadas átomos;
Os átomos são esferas maciças, indestrutíveis e intransformáveis;
Átomos que apresentam mesmas propriedades (tamanho, massa e forma) constituem um elemento químico;
Átomos de elementos diferentes possuem propriedades diferentes;
Os átomos podem se unir entre si formando "átomos compostos";
Uma reação química nada mais é do que a união e separação de átomos.

Fonte: www.universetoday.com/www.colegiosaofrancisco.com.br/www.iun.edu/educar.sc.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal