Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Morango  Voltar

Morango

 

Nome popular: Morangueiro
Nome científico: Fragaria vesca L
Família botânica: Rosaceae
Origem: Europa

Morango
Morango

"Em grande quantidade, os morangos são oferecidos numa cesta de prata ou tigela de cristal, forrados com folhasverdes. Em qualquer destes casos, toma-se porém o cuidado de lava - los com antecedência e cortar-lhes o pedúnculo.Uma vez no prato, deita-se açúcar em pó, comendo-os um a um, com a colher ou o garfo. Mas não se deve amassaras frutas no prato. Alguns povos adotam servir os morangos apenas lavados e sem cortar os pedúnculos, para comê-lossegurando-os, um a um, com os dedos. Evitemos, porém, essas excentricidades." BOAS MANEIRAS - Manual de Civilidade Carmen D'Ávila (1936)

Características da planta

Planta rasteira de pequeno porte. Folhas com-postas por 3 folíolos. Flores brancas ou róseas.

Fruto

Formato de coração, vestido com a intensidade do vermelho, textura macia, e aroma silvestre que transmite ao paladar um tanto de agridoce, o morango, considerado a fruta símbolo de Vénus, é com certeza a fruta dos românticos.

Tem poucas calorias, e é uma excelente fonte de vitamina C e potássio, além de possuir muitas fibras e poder prevenir certos tipos de cancro.

Por ser fruto rasteiro, convém lavá-los cuidadosamente para eliminar eventuais impurezas. Deve-se limpá-los em água corrente e se possível deixá-los de molho em água acidificada (limão ou vinagre) durante 15 minutos.

Pequenos, agrupados em uma haste carnosa, de coloração vermelha quando maduros.

Os pequenos pontos pretos e duros são na verdade os frutos do morangueiro, conhecidos popularmente como sementes.

Frutifica de abril a agosto.

Cultivo

Necessita de sol e pouca umidade e solo silicoso, rico em matéria orgânica. Se multiplica através de moda vegetativa, pela divisão de estolhos que nascem ao redor da planta-mãe. Possui muitas variedades.

Em 1936, como faz crer o texto de Carmen D'Avila acima, os morangos ainda eram frutos considerados um pouco exóticos deste lado do mundo. Na verdade, morangos grandes, doces e suculentos, como os que se encontram hoje em dia à venda nas feiras e mercados foram, por muito tempo, apenas um sonho bom acalentado pelos horticultores de todo o mundo, de todas as épocas.

O morangueiro é planta da família das Rosáceas, a mesma à qual pertencem as maças, as pêras, os marmelos, as ameixas, os damascos, os pêssegos, as nêsperas, as cerejas, as ginjas (cassis, em francês), várias entre as incontáveis berries, e, ainda, a amêndoa.

Fruta bonita e de aspecto bastante ornamental, a coloração vermelha do morango atua como forte excitante do desejo e dos prazeres do paladar.

Por seu suave, delicado e sedutor sabor agridoce e por sua consistência sucosa e macia, os morangos são imbatíveis: como frutas, não há quem não os aprecie.

Os morangos, como diz Eurico Teixeira, são um verdadeiro "manjar de sobremesa" apenas lavados e puros, com açúcar, com crome de leite, com crome chantilly, com leite e açúcar, espargidos com suco de limão, com suco de laranja, com licores variados ou com água de rosas, mergulhados no vinho do Porto puro ou misturado com açucar ou, até mesmo, no vinagre doce.

Além disso, com os morangos, especialmen-te com aqueles muito maduros e considera-dos passados para o consumo in natura, fazem-se deliciosos cromes, geléias, purês e caldas que, além de serem consumidos pura e simplesmente como sobromesas, podem participar como ingrediente no preparo de outros pratos doces e sobremesas: tortas, bolos, pudins, mousses, charlotes, sorvetes, merengues, etc.

A história do morango pode ser considerada uma longa trajetória em busca do aprimoramento do sabor e do prazer. Segundo conta Pio Corrêa, embora existam espécies de morangos nativas na maioria das regiões temperadas, os frutos cultivados atualmente provêm do cruzamento e da união de várias espécies, entre as quais algumas encontradas apenas sob a forma silvestre nas Américas.

Embora, por toda a Europa, existam registros de que diferentes espécies de morangos silvestres já eram conhecidos e apreciados desde os tempos mais antigos, presume-se que essas frutas tenham sido levadas para cultivo em hortas caseiras apenas por volta do século XV. No entanto, apesar de fornecerem frutos de excelente qualidade e notável aroma, os morangos de então eram pequenos e sua produção era bastante irregular.

Este morango silvestre prosseguiu ainda por algum tempo deliciando e, ao mesmo tempo, frustrando aqueles que gostariam de poder prová-los em abundância, até que os colonizadores europeus chegaram à América do Norte. Ali encontraram uma espécie de morangueiro nativo extraordinariamente vigoroso e produtivo (Fragaria virginiana), que, logo no início do século XVII, foi levado para o continente europeu.

Um século depois, um novo e feliz encontro: mais ao sul, nas terras que hoje pertencem ao Chile, os colonizadores se depararam com uma outra espécie nativa, de maior tamanho, que há muito tempo já era cultivada pelos indígenas da terra (Fragaria chiloensis), que foi também levada para a Europa.

Pio Corrêa acredita que o cruzamento casual entre estas diferentes espécies de Fragaria nos viveiros europeus originou as matrizes das inúmeras variedades de morangos que se conhecem hoje em dia.

Estes morangos, melhorados, voltaram mais tarde para a América para participar, na metade do século x x, nos Estados Unidos, dos primeiros estu-dos e experimentos objetivando a melhoria genética de espécies fruteiras de que se tem notícia na América. Ainda para o mesmo au-tor, não se tratava simplesmente de um äperfeiçoamento sensacional dos morangos', mas sim do verdadeiro "resultado de um esforço definitivo de genética".

Atualmente, no Brasil como em quase todo o mundo, existem inúmeras variedades diferentes de morangos sendo cultivadas e, em geral, utilizam-se as mais adaptadas localmente. O Estado de São Paulo destaca-se como o maior produtor de morangos do país, sendo o extremo sul de Minas Gerais também um pólo considerável de cultivo da fruta.

Fonte: : www.bibvirt.futuro.usp.br

Morango

O morango é rico em água e tem baixos níveis de hidratos de carbono.

 Tem também um elevado conteúdo de potássio, responsável pela transmissão de impulsos nervosos e pelo bom funcionamento dos músculos.

O fruto conta ainda com àcido fólico, que intervém na produção de glóbulos vermelhos e brancos e na síntese de anticorpos, o que ajuda a reforçar as defesas naturais, sendo muito recomendado às mulheres grávidas na prevenção da espinha fíbida do feto e de anemias. Além disto o morango tem ainda um efeito diurético, que favorece a eliminação do ácido úrico e sais.

Os morangos são uma deliciosa forma de proteger o seu organismo. Conheça as suas propriedades nutricionais e os cuidados que algumas pessoas devem ter.

Apesar de existirem inúmeras variedades, é fácil distinguir o morango pela vivacidade da sua cor vermelha com as sementes à superfície e uma coroa de folhas no topo do fruto. O seu nome científico é Fragaria vesca var. hortensis.

Antes de ser cultivado, o morango crescia apenas de forma selvagem nos bosques.

As variedades atuais são híbridas de culturas antepassadas e têm agora um tamanho grande mantendo um sabor irresistível.

A Fruta

Além de ser uma fruta muito saborosa, o morango ainda é fonte de vitamina C, contribuindo para evitar a hemorragia, infecções, ajudando a cicatrizar ferimentos, dando resistência aos nossos tecidos musculares, contribuindo para evitar problemas de pele, doenças do aparelho digestivo, doenças do sistema nervoso e reumatismo.

O morango também auxilia nos tratamentos de beleza, podendo ser ingerido ou então usado externamente, como no caso das máscaras.

Vários tratamentos faciais são realizados com o uso de morangos, sendo importante levar em conta que essa fruta proporciona diversos benefícios para a pele.

O morango é um fruto carnoso e suculento, de sabor levemente ácido. Contendo várias substâncias essenciais para o organismo, como potássio e sódio, responsáveis pelo metabolismo e pelo movimento da musculatura cardíaca.

É uma fruta que possui poucas calorias, portanto, pode ser consumida tranquilamente. Sendo que o único cuidado que se deve ter com relação a essa fruta são os agrotóxicos, os quais são bastante usados nas plantações de morango. Então, compre essa fruta em locais onde você tem a certeza de que o fruto é de qualidade.

O morango

O morango é uma fruta que contém grande quantidade de vitamina C, que evita a fragilidade dos ossos, má formação dos dentes, dá resistência aos tecidos, age contra infecções, ajuda a cicatrizar ferimentos e evita hemorragias.

Ele possui também, em menor quantidade, vitamina B5 (Niacina) e Ferro. A Niacina tem como função evitar problemas de pele, aparelho digestivo, sistema nervoso e reumatismo; e o mineral Ferro é importante porque faz parte da formação do sangue.

Natural ou em sucos, o morango é recomendado como auxiliar do tratamento da gota e reumatismo. É ainda eficiente contra infecções do fígado, garganta e vias urinárias.

O morango amassado com mel é um bom remédio para os males dos rins; e sua folha em forma de chá purifica o sangue, fortalece e alcaliniza o sistema nervoso, além de ser excelente diurético.

Por ser fruto rasteiro, convém lavá-los cuidadosamente para eliminar eventuais impurezas. Deve-se limpá-los em água corrente e se possível deixá-los de molho em água acidificada (limão ou vinagre) durante 15 minutos.

Altamente sensíveis, os morangos não podem ser guardados por muito tempo, no máximo por três dias, na geladeira, sem serem lavados, pois a água favorece o apodrecimento.

Seu período de safra é de julho a novembro.

Fonte: : www.geocities.com/atualizem.net

Morango

Morango
Morango

Você sabia?

O termo morango deriva do latim “moru”, que significa “amora”.

O morango é atualmente uma fruta conhecida mundialmente, saudável devido a sua grande quantia de vitamina C, essa pequena fruta vermelha ainda colabora consideravelmente na resistência dos ossos, na formação dos dentes, dá resistência aos tecidos, ajuda a cicatrizar ferimentos, evita hemorragias e atua eficazmente contra infecções.

Poucas são as pessoas que conhecem sua origem histórica. Alguns registros datam de do século VV (1400), quando o morango era apenas uma frutinha que nascia espontaneamente nas montanhas Européias.

A partir deste século acredita-se que horticultores franceses e depois os ingleses, alemães e italianos iniciaram o plantio e cultivo do Morango; já nessas primeiras experiências de plantio o morango melhorou sua qualidade e teve seu tamanho aumentando, sem, no entanto, retirar suas características naturais.

Todavia não foi na Europa que o Morango conquistou prestígio entre agricultores e consumidores, mas sim a partir do descobrimento da América é que o morango passou a freqüentar os mais elegantes cardápios e livros de receitas.

No início do século passado, o morango despertou grande interesse comercial. Os primeiros pesquisadores experimentaram vários cruzamentos e obtendo diversas variedades interessantes, consolidando o Morango como um produto mundial.

Não há informações precisas sobre o início do cultivo no Brasil, mas os principais produtores são os mineiros (Sul Mineiros), paulistas, catarinenses e gaúchos.

Alguns registros datam que em Porto Alegre, no Mercado Praia de Belas o Morango já era cultivado desde de 1956/57.

Você sabia?

O Morango possui também, em menor quantidade, vitamina B5 (Niacina) e Ferro.

A Niacina tem como função evitar problemas de pele, aparelho digestivo, sistema nervoso e reumatismo; e o mineral Ferro é importante porque faz parte da formação do sangue.

Algumas aplicações do Morango:

1. Natural ou em sucos, o morango é recomendado como auxiliar do tratamento da gota e reumatismo.
2.
É ainda eficiente contra infecções do fígado, garganta e vias urinárias.
3.
O morango amassado com mel é um bom remédio para os males dos rins; e sua folha em forma de chá purifica o sangue, fortalece e alcaliniza o sistema nervoso, além de ser excelente diurético.
4.
Também possui muitas fibras e pode prevenir diversos tipos de câncer.

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE MORANGOS

O morangueiro é uma cultura peculiar de climas mais amenos, não suportando temperaturas elevadas. No Brasil o morango tem se adaptado melhor do Sul de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, entretanto existem experiências de seu cultivo até mesmo no cerrado. Por tratar-se de um fruto rasteiro, convém lavá-los com atenção para eliminar eventuais impurezas.

Deve-se limpá-los em água corrente e se possível deixá-los de molho em água acidificada (limão ou vinagre) durante o prazo de até 15 minutos. Sensíveis a mudanças climáticas, os morangos não podem ser guardados por muito tempo, no máximo por três dias, na geladeira, sem serem lavados, pois a água favorece o apodrecimento. Sendo botanicamente classificado como uma hortaliça da família das rosáceas, o Morango apresenta a vantagem econômica de ir para o mercado na primavera, quando há poucas frutas concorrentes à venda, alcançando bons preços. Seu uso freqüente em produção de sucos, geléias, sorvetes, iogurtes e leites aromatizados tem espaço garantido na indústria. Na mesa, a combinação morango com chantilly é a preferida de diversas pessoas.

Morango
Morango

A CULTURA

O morangueiro é uma cultura exigente em condições nutricionais e físicas do solo. Produz melhor em solos areno-argilosos, bem drenados, ricos em matéria orgânica e de boa constituição física. Sabe-se que a planta do morangueiro é muito delicada, especialmente em relação ao seu sistema radicular, exigindo canteiros muito bem preparados, visto que a maior parte das raízes concentra-se na camada superficial do leito de plantio.

A escolha da variedade deve levar em conta a produtividade, a precocidade, a conservação, o sabor e a resistência contra pragas e doenças. Outro ponto importante no sistema orgânico é a adaptação da planta às condições regionais.

O morangueiro é uma planta originária de bosque, sendo assim, procura naturalmente os solos úmidos e ricos em matéria orgânica. Nos cultivos comerciais há necessidade de utilização de matéria orgânica de boa qualidade, que não traga plantas invasoras que possam competir com a cultura, pois o morangueiro é afetado com a concorrência.

O principal período de safra do Morango vai de julho a novembro.

DICAS PARA COMPRAR E MANTER FRESCOS:

Compre morangos de bom aspecto: tamanho médio, vermelhos vivos e com talos bem verdes.
Os morangos podem ser estocados inteiros na geladeira por poucos dias (quando fatiados perdem gradativamente a vitamina C).
Lave a fruta pouco antes de servir para evitar o mofo.

Fonte: www.estiva.mg.gov.br

Morango

O morango é um fruto originário da Europa e típico de países de clima frio. Pertence à mesma família das rosáceas, assim como a maçã, pêra, pêssego e cereja.

O morango é um fruto carnoso, suculento, de sabor levemente ácido, contém várias substâncias essenciais para o organismo, como o potássio, o sódio e o cloro, responsáveis pelo metabolismo e pelo movimento da musculatura cardíaca. É rico em vitamina C, que ajuda a prevenir gripes, proporciona resistência ao organismo contra infecções, auxilia na cicatrização de feridas e na absorção do ferro. Possui também em quantidades menores, vitamina B5 (Niacina) e ferro. A niacina evita problemas de pele, aparelho digestivo, sistema nervoso. O ferro, por sua vez é um mineral que participa da formação do sangue.

É consumido in natura, e muito utilizado no preparo de tortas, mousses, geléias, iogurtes, sucos, bolos, etc. Por se tratar de uma fruta sensível, o morango não pode ser guardado por muito tempo, no máximo três dias em geladeira.  

IOGURTE DE MORANGO

Ingredientes: 2 litro(s) de leite » 1 lata(s) de leite condensado » 1 copo(s) de iogurte natural » 1 caixinha(s) de gelatina sabor morango  

Modo de Fazer:

Ferva o leite e deixe amornar. Misture o iogurte e deixe de um dia para o outro até coalhar. Depois de coalhado, tire bem o soro e bata no liquidificador com o leite condensado e a gelatina já fria (esta deve ser dissolvida em água fervente). Ponha em taçinhas e coloque na geladeira. Se desejar disponha frutas de sua preferência. 

Rendimento: 15 porções  

TORTA DE MORANGO

Ingredientes: 1/2 xícara (chá) de manteiga » 2 gemas de ovo » 4 colheres (sopa) de açúcar » 2 xícaras (chá) de farinha de trigo recheio » 1 lata de leite condensado » 2 latas de leite » 2 colheres (sopa) de amido de milho » Quanto baste de morango picado para cobertura » Quanto baste de gelatina sabor morango » Quanto baste de morango  

Modo de fazer: Misture a manteiga, as gemas e o açúcar. Vá juntando a farinha aos poucos, até formar uma massa que não grude. Forre uma forma untada e fure-a com um garfo. Leve para assar, deixe esfriar e recheie. Recheio: Junte os três primeiros ingredientes e leve ao fogo, mexendo sempre até engrossar. Quando ferver acrescente os morangos picados, deixe ferver mais um pouco. Coloque o creme frio na massa já assada. Decore com fatias de morango. Por fim espalhe a gelatina. Leve a geladeira. Sirva gelada. 

Rendimento: 6 porções  

PANQUECA DE MORANGO  

Ingredientes: 1/2 copos de leite » 2 unidades de ovo » 1 xícaras (chá) de farinha de trigo Recheio » 1 lata de leite condensado » 2 latas de leite » 1 unidades de gema de ovo » 3 colheres (sopa) de amido de milho Calda » 500 gr de morango » 200 gr de açúcar União » Chantilly a gosto  

Modo de Fazer: Massa: Bater todos os ingredientes no liquidificador e fazer as panquecas com a ajuda de uma panela tipo "panquequeira".  

Recheio: Bater todos os ingredientes no liquidificador, levar ao fogo para engrossar. Gelar e rechear as panquecas.  

Calda: Bater os morangos no liquidificador (não esqueça de reservar alguns para decorar). Depois de batidos, acrescentar o açúcar. Derrame sobre as panquecas e cubra com chantilly e morangos inteiros.

SORVETE DE MORANGO  

Ingredientes: 1 lata de leite condensado sabor morango » 1 lata de creme de leite » 2 colheres (sopa) de suco de limão  

Modo de Fazer: Bata todos os ingredientes no liquidificador durante 5 minutos. Coloque em recipiente tampado e leve ao freezer. Sirva em taças enfeitadas com morangos e hortelã. 

Fonte: : www.colegiokerygma.com.br

Morango

Como fruta, raramente há quem não aprecie o morango, seja no seu estado natural, seja preparado em conserva.

Antes de ser usado, o morango precisa ser cuidadosamente lavado, o que é indispensável de vários pontos de vista.

Os horticultores combatem as pragas dos morangueiros com auxílio de compostos de cobre e outros fungicidas e inseticidas venenosos.

E pode haver horticultores não esclarecidos ou inescrupulosos, que reguem suas plantações com água poluída. Dai o grande perigo de tifo, paratifo e outras moléstias contagiosas.Se o morango é de procedência duvidosa, deve ser banhado em sumo de limão, que minimiza o perigo de que estamos falando.

Quando necessário guardar o morango por um ou dois dias, pode-se colocá-lo em ligeiras camadas sobre uma peneira e guardá-lo em lugar suficientemente fresco.

Utilidades Medicinais

Ácido úrico - Recomenda-se substituir esporadicamente algumas refeições por morango, exclusivamente. Além disso, convém passar um ou dois dias por semana, na época desta fruta, só com morangos, quando é indicado repouso.
Bexiga, cálculos da
- Tomar de manhã em jejum uma colher de sopa de suco de morango puro.
Catarros pulmonares
- Proceder como indicado em ácido úrico. Tomar o xarope de morango: cozinhar o suco de morango com mel (metade de cada um) por aproximadamente uma hora. Tomar uma colher de chá de hora em hora.
Diarréia crônica -
Tomar o chá das folhas. 
Diurese
- O decocto da raiz é diurético.
Febre
- Tomar suco de morango.
Reumatismo
- Substituir refeições pelo uso exclusivo de morango. Passar um ou dois dias por semana só com morango, quando se deve manter repouso.
Rins, doenças dos -
Proceder como indicado em ácido úrico . Pode-se fazer refeições exclusivas de morango amassado com mel.
Verminoses -
Proceder como indicado em ácido úrico.

Fonte: : www.agrobyte.com.br

Morango

É popularmente conhecida como, morangueiro.

Tem na ciência o nome de, Fragaria vesca L.

Faz parte da família botânica, Rosaceae.

Sua origem é Européia.

É uma planta rasteira de pequeno porte. Folhas compostas por 3 folíolos. Flores brancas ou róseas.

Atualmente, no Brasil como em quase todo o mundo, existem inúmeras variedades diferentes de morangos sendo cultivadas e, em geral, utilizam-se as mais adaptadas localmente. O Estado de São Paulo destaca-se como o maior produtor de morangos do país, sendo o extremo sul de Minas Gerais também um pólo considerável de cultivo da fruta.

A polpa de morango, além de encorpada e saborosa, tem ação antí-térmica, diurética, antí-artrítica, mineralizante, antí-cancerígena e anti-viral.

Contém fósforo, potássio, sódio, carboidratos, Cálcio, ferro e vitaminas A, B e C.

Quantidade por Porção % VD (*)
Valor Energético 25,5 Kcal = 106,9 Kj 1
Carboidratos 4,7 g 2
Proteínas 0,7 g 1
Gorduras Totais 0,4 g 1
Gorduras Satur. 0,0 g 0
Gorduras Trans. 0,0 g 0
Fibra Alimentar nd 0
Cálcio 14,7 mg 1
Ferro 6,0 mg 43
Sódio nd 0
Fósforo 14,7 mg 2
Vitamina A nd 0
Vitamina B1 nd 0
Vitamina B2 nd 0
Niacina nd 0
Vitamina C nd 0
Valores Diários com base em uma dieta de 2.500 Kcal ou 8.400 Kj seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.
*ND = Não Disponivel

Fonte: : www.docemel.com.br

Morango

Morangueiro é a denominação de um vasto conjunto de espécies que produz o morango, fruto com grande aceitação pelos consumidores.

Nome popular da fruta: Morango

Nome científico: Fragaria x ananassa Duch.

Origem: Europa

Morango
Morango

Fruto

Os morangos são frutos falsos (pseudofrutos), sobre os quais se encontram os aquênios, que são os frutos verdadeiros, conhecidos popularmente como as pequenas “sementes” aderidas ao fruto. É resultante do desenvolvimento do receptáculo que, após a fecundação dos pistilos, fica proeminente e se transforma no fruto de coloração vermelha.

100 gramas contem 30 calorias

Planta

Morangueiro é a denominação de um conjunto de espécies, com seus híbridos e cultivares, do gênero Fragaria, que produz o morango, incluindo um conjunto grande de espécies e variedades silvestres. A espécie mais cultivada comercialmente é um híbrido (Fragaria x ananassa).

O morangueiro é uma planta herbácea e estolonífera, perene e rasteira, da família Rosaceae. Possui caule curto e fibroso, denominado coroa, de onde se desenvolve, no topo, as folhas e as gemas axilares.

As gemas permanecem dormentes ou transformam-se em botões florais ou perfilhos (estolões), dependendo das condições climáticas, nutricionais e da planta.

Dias curtos e temperaturas baixas induzem a produção de botões, enquanto dias longo e temperaturas altas induzem estolões.

Cultivo

Nas condições brasileiras, a cultura do morango é conduzida como cultura anual, com novos plantios a cada ano-safra. A produção de mudas é efetuada do final da primavera ao início do outono; a colheita dos frutos inicia-se dois meses após o transplante e estende-se do final do outono à primavera seguinte.

Estão à disposição dos agricultores diversas variedades de morangueiros para cultivo, com indicações de usos e adaptação aos diversos climas do país. Apesar de ser uma planta de origem temperada e subtropical, já existem pesquisas buscando a sua adaptação a regiões de clima mais quente, como a região semi-árida do Estado de Minas Gerais.

A definição da variedade depende do mercado de destino (consumo “in natura” ou industrialização), da suscetibilidade às pragas e doenças e da adaptabilidade à região de cultivo.

O morango figura entre as espécies cultivadas com maior sensibilidade a pragas e doenças e alta perecibilidade. Esta condição exige do produtor um contínuo esforço de manejo, especialmente fitossanitário, para que a fruta seja produzida com a aparência e a produtividade capazes de lhe proporcionar lucro. Entretanto, o uso indiscriminado e sem critérios plenamente definidos dos agrotóxicos pode originar problemas ainda mais sérios, reduzindo a qualidade e o acesso aos mercados.

A polinização é crítica para a produção econômica do morangueiro, pois depende do transporte do pólen pelo vento ou por insetos. Em condições naturais, geralmente, a polinização é deficiente. Problemas na polinização originam frutos deformados e de menor valor. O pólen é liberado durante dois ou três dias, entre 9 e 17 horas. Para que ocorra a polinização, a temperatura mínima deve ser de 12°C e a umidade relativa inferior a 94%.

Recomenda-se colocar conjuntos de caixas de abelhas próximos a área de plantio. Utiliza-se, como atrativo para as abelhas, principalmente no início da floração, mel, água e açúcar, visto que essa prática será realizada em períodos desfavoráveis para atividade dos insetos (temperatura baixa).

A produtividade é bastante variável. Produtores tecnificados obtêm, em média, 35 a 50 t/ha.

Usos

O interesse pelo cultivo do morango é justificado pela alta rentabilidade da cultura, o amplo conhecimento e aceitação da fruta pelo consumidor e pela diversidade de opções de comercialização e processamento do morango. O fruto é processado na forma de polpa, sorvetes, geléia, compotas e sucos.

Mercado

Devido a sazonalidade natural da produção, com grande concentração de oferta no segundo semestre, os produtores devem ser cautelosos quanto aos custos de produção. A organização de produtores, tanto para a compra de insumos como para a comercialização é fundamental para assegurar a rentabilidade da lavoura.

A maior parte da produção brasileira se destina ao consumo fresco, mas o consumo industrial, nas mais diversas formas, cresce continuamente.

O congelamento e armazenamento dos frutos podem ser uma estratégia para comercialização de parte da safra, avançando além do período de maior oferta. A vantagem desse produto é a sua grande flexibilidade para a comercialização. Suprem as necessidades de fabricantes de iogurtes, sorvetes, geléias, de recheios e coberturas para a indústria de panificação, além dos fabricantes de sucos e néctares. Como desvantagem, têm-se os custos de congelamento, estocagem e transporte congelado.

Salienta-se que nenhum método de conservação disponível, economicamente viável, preserva a qualidade da fruta fresca, o que resulta na perda de suas características peculiares de textura, aroma, cor e sabor.

Fonte: : www.sebrae.com.br

Morango

Como fruta, raramente há quem não aprecie o morango, seja no seu estado natural, seja preparado em conserva.

Antes de ser usado, o morango precisa ser cuidadosamente lavado, o que é indispensável de vários pontos de vista. Os horticultores combatem as pragas dos morangueiros com auxílio de compostos de cobre e outros fungicidas e inseticidas venenosos. E pode haver horticultores não esclarecidos ou inescrupulosos, que reguem suas plantações com água poluída. Daí o grande perigo de tifo, paratifo e outras moléstias contagiosas.

Se o morango é de procedência duvidosa, deve ser banhado em sumo de limão, que minimiza o perigo de que estamos falando.

Quando necessário guardar o morango por um ou dois dias, pode-se coloca-lo em ligeiras camadas sobre uma peneira e guardá-lo em lugar suficientemente fresco.

Uso Medicinal

O morango, bem como o morangueiro, são proclamados soberanos na arte de curar. Fruto, folha e raiz são empregados, na medicina doméstica, para combater várias enfermidades.

A raiz, em cozimento, é prodigiosa para combater a diarréia crônica.

O maior valor medicinal do morangueiro encontra-se no fruto, que é uma dádiva do Céu.

Alguns médicos já receitaram morango como uma das formas de combate aos cálculos. No tratamento das pedras da bexiga, o suco de morangos espremidos, tomado de manhã, na dose de uma colher das de sopa, alivia as dores e previne a formação de novos cálculos.

Numerosos clínicos diziam sobre a eficácia do morango no combate à gota.

O reumatismo sob suas diversas formas, mesmo o reumatismo articular, encontra, sem dúvida, um bom remédio no morango.

O morango amassado com mel é um bom remédio para os males dos rins.

No tratamento do catarro pulmonar o morango opera milagres. As pessoas biliosas obtêm, igualmente, bons resultados.

O morango é digestivo, pelo que seu uso se recomenda nos casos de dispepsia.

O cozimento da raiz e das folhas é diurético e adstringente.

O morango é razoavelmente rico em ferro, sendo indicada no combate à anemia.

Valor Alimentício

O morango, só ou em combinações apropriadas, presta-se para uma refeição saudável e nutritiva.

A adição de coalhada ou creme fresco, diz um médico, favorece a digestão do morango, facilita o metabolismo dos seus ácidos e é altamente apreciada. Mas não deve usar açúcar.

Médicos recomendam, para uma refeição matinal, meia xícara de morango em mistura com meia xícara de iogurte, com um pouco de mel ou melado.

No desjejum, em vez de dar café às crianças, não há coisa melhor do que lhes oferecer uma “vitamina” – um suco preparado instantaneamente, com frutas passadas no liquidificador – e para este fim é muito bom o morango, puro ou misturado com outras frutas, como o mamão, laranja, etc.

Sempre que possível, deve-se preferir o morango, como aliás, qualquer outra fruta, ao natural. O alimento cru é, muitas vezes, incomparavelmente melhor do que o cozido. Entretanto, o morango também é muito bom para bolos, tortas, pudins, geléias, cremes, caldas, etc.

Entre os europeus, é muito comum preparar morangos em conserva, o que também se faz com pêssego, a ameixa, a pêra, etc. O morango é fonte razoável de cálcio e ferro. Contém apreciável teor de vitamina C, o que favorece a absorção de seu próprio ferro. Para surpresa de muitos, o morango é mais abundante em vitamina C que o próprio limão. Cozido ou processado, perde, contudo, grande parte desta vitamina.

Resumo das Utilidades Medicinais

Ácido úrico, distúrbios do metabolismo do: Recomenda-se substituir esporadicamente algumas refeições por morango, exclusivamente. Além disso, convém passar um ou dois dias por semana, na época desta fruta, só com morangos, quando é indicado repouso.
Adstringente:
Recomenda-se o decoto da raiz.
Artritismo:
Proceder como indicado em reumatismo.
Cálculos da Bexiga:
Tomar de manhã em jejum uma colher de sopa de suco de morango puro.
Cálculos biliares:
Ver cálculos em geral.
Cálculos em geral:
Proceder à cura de morango, como indicado acima.
Catarros pulmonares:
Proceder como indicado em ácido úrico. Tomar o xarope de morango: cozinhar o suco de morango com mel (metade de cada um) por aproximadamente uma hora. Tomar uma colher de chá de hora em hora.
Diarréia crônica:
Tomar o chá das folhas.
Diátese úrica:
Ver a cura de morango acima.
Diistúrbios da Digestão / Dispepsia:
Proceder como indicado em reumatismo.
Diurese:
O decoto da raiz é diurético.
Febre:
Tomar suco de morango.
Doenças do Fígado:
Proceder como indicado em reumatismo.
Gota:
Proceder como indicado em reumatismo.
Icterícia:
Proceder como indicado em reumatismo.
Reumatismo:
Substituir refeições pelo uso exclusivo de morango. Passar um ou dois dias por semana só com morango, quando se deve manter repouso.
Doenças dos Rins:
Proceder como indicado em ácido úrico. Pode-se fazer refeições exclusivas de morango amassado com mel.
Solitárias:
Ver verminoses.
Verminoses:
Proceder como indicado em ácido úrico.

Referência

Balbach, A, Boarim, D. As Frutas na Medicina Natural. Ed. Missionária, 1992.

Fonte: : www.portalnatural.com.br

Morango

Vermelho, pequeno, saboroso e típico do verão de temperaturas amenas na Europa, o morango é uma das frutas mais conhecidas no mundo.

A fruta é utilizada na produção de sucos, geléias, sorvetes, iogurtes e leites aromatizados.

Na mesa, a combinação morango com chantilly é a preferida de diversas pessoas.

Poucas calorias, do tipo selvagem ou híbrido, essa doce fruta é uma excelente fonte de vitamina C, folato e potássio. Também possui muitas fibras e pode prevenir diversos tipos de câncer. Encontrado nos mercados o ano inteiro, a melhor época para consumir os moranguinhos é de junho a outubro, quando a produção no Brasil está no auge.

Propriedades Medicinais do Morango

Médicos naturistas consideram os frutos do morango de inquestionável valor no tratamento dos males dos rins, especialmente por suas propriedades no combate ao ácido úrico.

O morango é bom digestivo e por isso recomendado nos casos de dispepsia (dificuldade de digerir).

Rico em ferro e de fácil assimilação, é um alimento precioso nos estados de anemia.

Possui uma boa dose de uma substância chamada queraitina, que é capaz de neutralizar a ação dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento das células.

Atenção

Para uso como nutracêutico e especialmente como remédio, é absolutamente necessário que os morangos sejam de lavouras orgânicas, sem nenhum resíduo agroquímico.

Fruta também é remédio

O morango é reconhecido pelo seu sabor doce, exótico e perfume inconfundível. A planta, com suas características únicas, embora a grande quantidade de variedades, está espalhada por zonas de clima temperado no mundo inteiro.

Como planta medicinal, a espécie de reconhecido valor fitoterapêutico é o morango silvestre, que nasce espontaneamente nos bosques. Porém, os morangos tradicionalmente produzidos e consumidos também têm um grande valor medicinal. O moranguinho é rico em sais minerais e em vitaminas, com ênfase para a vitamina C

Fonte: : www.itofrutas.com.br

Morango

Morango
Morango

Época de plantio

Fevereiro - março: regiões frescas, isto, acima de 700m de altitude
Abril: regiões quentes, variando de 600 a 700m
Maio: abaixo de 500m.

Espaçamento: 30 x 30cm.

Mudas necessárias: Nove a dez/metro quadrado, Usar mudas isentas de vírus e de outros patógenos.

Combate à erosão: Canteiros em nível ou camalhões com ligeiro desnível para escoamento da água.

Adubação: (para solo de mediana fertilidade): Um mês antes do plantio, por metro quadrado: 8kg de esterco curtido de curral ; 400g de superfosfato simples e 50g de cloreto de potássio; em cobertura por metro quadrado, a cada 30 dias : 20g de Nitrocálcio; fazer quatro pulverizações com solução de uréia a 0,5% (50g do produto para 10 litros de água) no primeiro mês após o plantio. Aconselha-se também o uso de adubo foliar, alternando um rico em nitrogênio com um rico em fósforo.

Tratos culturais: Aplicar cobertura, seja de plástico preto , principalmente em locais sujeitos a geadas, ou de fitas de madeira picadas, palha ou casca de arroz.

Irrigação: Por aspesão ou infiltração sempre que necessária

Combate à moléstias e pragas

Mancha-das-folhas: Benlate, Dithane M-22, Manzate, Difolatan, Antracol e Bravonil alternados;
Ácaros: Tedion, Phosdrin e Kelthane E.C,
Afídios: Malation e Phosdrin.

Época de colheita: Maio a dezembro (60 a 80 dias após o plantio).

Produção normal: 15 a 30t/ha de frutos.

Melhor rotação: Adubo verde, cereais e ervilha.

Observações

Em baixadas, drenar bem o terreno. Os frutos são mais firmes e de melhor sabor quando colhidos em terreno de meia encosta.
Preferior solos com pH entre 5,5 e 6,5.
Não fazer a cultura no mesmo local por mais de dois anos seguidos, nem voltar ao mesmo terreno, antes de dois anos.
Durante a colheita, tomar as precauções recomendadas, relativamente à toxidade dos produtos utilizados para combater pragas e moléstias.
A irrigação por aspersão em forma de esguicho diminui visivelmente o ataque de ácaros nas folhas.

Fonte: : www.agrov.com

Morango

Morango
Morango

Cultivado no sistema convencional o morangueiro pode receber em média 45 pulverizações com agrotóxicos, motivo pelo qual já encontra-se na lista negra dos alimentos campeões de resíduos químicos. Entretanto, a prática de alguns produtores orgânicos tem mostrado que existe viabilidade técnica, econômica, social e ecológica da produção orgânica de morango, como veremos neste artigo baseado no relato de experiência de dois produtores do sul do Brasil.

O morangueiro (Fragaria x ananassa) é uma cultura típica de climas mais amenos, não sendo muito tolerante a temperaturas elevadas. No Brasil o morango tem se adaptado melhor do sul de Minas Gerais até o Rio Grande do Sul, porém existem experiências até mesmo no cerrado.

Sendo botanicamente classificado como uma hortaliça da família das rosáceas, o morango ainda é mais conhecido como um delicioso frutinho rasteiro, tendo a vantagem de ir para o mercado, na primavera, quando há poucas frutas à venda, alcançando bons preços. Ademais, na indústria é conhecido pelo uso freqüente em iogurtes e sorvetes.

Variedades

Seleção deve aliar produtividade, resistência e sabor

A escolha da variedade deve levar em conta a produtividade, a precocidade, a conservação, o sabor e a resistência contra pragas e doenças. Outro ponto importante no sistema orgânico é a adaptação da planta às condições regionais. A experiência do produtor gaúcho Gilson Teixeira - que nos últimos 5 anos vem selecionando mudas de uma das primeiras variedades comerciais lançadas no país - a Campinas, confirma que no sistema orgânico é possível reduzir custos produzindo mudas próprias (Figura 1).

Este procedimento possibilita maior controle sobre o planejamento de produção e melhor adaptação da cultura às condições locais. Apesar de as mudas importadas, basicamente do Chile, apresentarem ótima qualidade comercial, o custo inicial da lavoura aumenta demasiadamente, ficando o produtor altamente dependente de recursos externos ao sistema.

Uma boa opção é o plantio de duas variedades ao mesmo tempo – uma de maior produtividade e resistência e outra de produção mais precoce. Com a primeira obtém-se grande quantidade, com a segunda, bons preços.

Solo e local de plantio

O morangueiro é uma cultura especialmente exigente em condições físicas e nutricionais do solo. Produz melhor em solos areno-argilosos, bem drenados, ricos em matéria orgânica e de boa constituição física. A faixa de pH preferido fica entre 5,5 e 6,0. Em solos mais ácidos é recomendável uma calagem.

Sabe-se que a planta do morangueiro é muito delicada, especialmente em relação ao seu sistema radicular, exigindo canteiros muito bem preparados, visto que a maior parte das raízes concentra-se na camada superficial do leito de plantio.

Outro ponto importante é a nutrição do morangueiro. A adubação orgânica traz uma série de benefícios que resultam em melhoria de produtividade e resistência das plantas. Por isso, inicialmente pode-se proceder a adubação orgânica em toda área e, em seguida, realiza-se a preparação de canteiros. Após o levantamento de canteiros, ainda pode-se utilizar o húmus que pode ser espalhado homogeneamente e incorporado com enxada rotativa.

O plantio realizado de março a julho na região Sul, pode ser feito em canteiros com 15 a 20 cm de altura e 0,80 a 1,20 m de largura, num espaçamento entre plantas de 30 x 30 cm, preferentemente no final da tarde para facilitar o pegamento. Outra sugestão interessante é plantar as mudas em “ziguezague”, semelhante aos cultivos da Califórnia, fator que proporciona melhor aproveitamento do espaço útil. Isso permite maior vigor do sistema radicular o que favorece a nutrição e autodefesa das plantas.

Mudas

Multiplicação própria diminui custos

As mudas orgânicas podem ser produzidas na própria propriedade, a partir dos morangueiros que produziram no ano anterior. Este método vem sendo empregado nos últimos 5 anos com excelentes resultados pelo produtor gaúcho Gilson Teixeira que faz a preparação das mudas da variedade “Campinas” por meio do arrancamento dos morangueiros que produziram no ano anterior, fazendo uma seleção criteriosa. Após é realizado uma limpeza e preparação da muda, que consiste na retirada de parte das folhas e do excesso de raízes.

Adubação Orgânica

Conteúdo ruminal e húmus são opções complementares

Um dos materiais que vem sendo utilizado com sucesso como suprimento de matéria orgânica para o solo é o conteúdo ruminal descartado nas operações de frigorífico. Este subproduto já possui um determinado grau de decomposição e também serve de alimento para as minhocas, possibilitando produção de húmus na própria propriedade.

Além disso, como adubação foliar, os produtores orgânicos têm utilizado preparados a base de biofertilizantes como o supermagro, biogel, extratos de algas marinhas e microorganismos eficientes (EM) que servem para reforçar a resistência das plantas.

Tratos Culturais

Cobertura de casca de arroz é boa alternativa ao plástico

O controle de invasoras é essencial, pois o morangueiro sofre muito com a concorrência. A primeira capina é realizada cerca de um mês depois do plantio quando as mudas já estão com brotação nova e bem enraizadas. Como a raiz do morangueiro nasce da parte superior, bem junto ao solo, deve se utilizar uma enxada de lâmina estreita para evitar danos às raízes. Posteriormente, após a colocação da cobertura morta é realizada mais uma ou duas operações de limpeza. Estas consistem no arrancamento das invasoras que persistiram ou que brotaram sobre a cobertura morta.

Como cobertura morta utiliza-se a casca de arroz em substituição ao plástico preto, espalhando-se uma camada de cerca de 3 a 5 centímetros sobre a superfície do canteiro (Figura 2). Esse material, pela sua coloração espanta a maioria dos insetos praga, além de favorecer as condições ambientais locais. Entre os canteiros pode-se utilizar também acículas de pinus.

Na época de plantio e em plena produção o morangueiro exige grande umidade do solo com irrigações freqüentes (duas a três vezes ao dia). Diferentemente da maioria dos produtores de morango que utilizam a irrigação por gotejamento, induzindo a planta a um enraizamento mais localizado, na propriedade de Gilson Teixeira a irrigação por aspersão tem mostrado bons resultados permitindo um desenvolvimento radicular mais expressivo.

Pragas e doenças

Prevenir é fundamental

O ácaro e os pulgões são as principais pragas do morangueiro. A umidade e a temperatura elevadas facilitam o seu aparecimento. Se as pragas atingirem poucas plantas recomenda-se a eliminação das mesmas. O ácaro ataca a face inferior das folhas, causando amarelecimento, secamento ou uma tonalidade pardo-avermelhada. Um sinal típico da presença dos ácaros é um entrelaçamento de fios de seda, sobre o qual eles vivem. Para o controle existem alguns produtos de uso restrito que devem ser consultados junto às certificadoras. O controle dos pulgões é mais fácil, pode-se utilizar desde preparados a base de plantas e minerais até o controle biológico com joaninhas.

As doenças são mais acentuadas em climas quentes e úmidos. O mais grave e disseminado problema fitossanitário é a “mancha das folhas”, causada pelo fungo Mycosphaerella fragariae.

O controle pode ser obtido seguindo alguns cuidados: plantio de variedades resistentes; escolha de um local bem arejado e sem excesso de umidade; além de uso de mudas sadias. Em caso de ataque a morangueiros deve-se descartar o material afetado. Se o ataque for às folhas sugere-se a retirada das atingidas.

Outro ponto importante para evitar problemas fitossanitários é a rotação de culturas, pois o morangueiro deve ser retirado do terreno após seu ciclo anual. Não se recomenda o replantio em seguida no mesmo local, nem o uso de plantas da família das solanáceas (tomate, batata, pimentão, berinjela) que podem transmitir viroses e fungos que atacam as raízes do morango. Neste caso, o ideal seria utilizar na rotação um adubo verde ou outra cultura comercial.

Colheita

Maior parte é comercializada “in natura”

Nas principais regiões produtoras do Sul do Brasil a colheita é realizada de agosto a dezembro (Figura 3). Após colheita e seleção os morangos são colocados em embalagens plásticas (PET) com capacidade variável dependendo do mercado (200 ou 350 gramas). Neste relato, os morangos orgânicos selecionados para consumo “in natura” representavam cerca de 70 % da quantidade colhida. Os frutos menores ou com pequenas imperfeições que não comprometam sua qualidade, são destinados a produção de polpa ou a venda para industrialização.

Segundo o produtor paranaense Anderson de Almeida, o morango orgânico é vendido em média a 33% acima do similar convencional.

O mesmo produtor aponta algumas diferenças marcantes em relação ao convencional: melhor aparência, maior durabilidade e resistência, melhor sabor e maior aproveitamento final.

Em síntese, os produtores orgânicos têm obtido produções competitivas comparadas ao sistema convencional. No Paraná, a média de produtividade dos últimos anos tem ficado entre 300 a 500 gramas por planta. Nos Estados Unidos, estudos de GLIESSMAN et. al. (1996), mostraram uma superioridade de produção no sistema convencional. Entretanto, neste mesmo estudo os custos foram significativamente menores no sistema orgânico, fazendo com que o retorno econômico final fosse superior no orgânico, sem contar a melhoria das características biológicas do sistema. As experiências práticas não deixam dúvidas que o sistema de produção de morango orgânico tem sido competitivo em termos técnicos, econômicos e ecológicos, sendo uma alternativa viável para pequenas propriedades familiares.

Moacir Roberto Darolt

Bibliografia

DAROLT, M.R. As Dimensões da Sustentabilidade: Um estudo da agricultura orgânica na região metropolitana de Curitiba-PR. Curitiba, 2000. Tese de Doutorado em Meio Ambiente e Desenvolvimento, Universidade Federal do Paraná/ParisVII. 310 p.
GLIESSMAN, S. R.; WERNER, M.R.; SWEZEY, S.L.; CASWELL, E. COCHRAN, J.; ROSADO-MAY, F. Conversion to organic strawberry management changes ecological processes. California Agriculture, Vol. 50, number 1: pp 24-31, 1996.

Fonte: : www.planetaorganico.com.br

Morango

Basta sentir o aroma adocicado e a boca se enche de água. À primeira mordida, uma mescla de sabores levemente ácidos desperta ainda mais o paladar. É raro alguém não gostar de morango...

Mais do que deliciosa, a fruta tem uma porção de compostos benéficos. Alguns trabalhos colocam o morango como um dos alimentos mais ricos em substâncias antioxidantes, importantíssimas contra os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce.

Benefícios:

Excelente fonte de vitamina C. Boa fonte de folato e potássio. Poucas calorias e muitas fibras. Possui bioflavonóides anticancerígenos.

Há cerca de duas décadas, o morango era uma frutas rara em nosso país, extremamente cara e de consumo pouco difundido. Com o passar do tempo, os agricultores brasileiros fizeram grandes progressos na aclimatação do seu cultivo e hoje, do final do outono ao final do inverno, as caixinhas de morango podem facilmente ser encontradas em feiras e supermercados. Além disso sorvetes e sucos feitos com polpa do morango são consumidos o ano inteiro.

Os morangos são deliciosos, têm baixas calorias (cerca de 40 por xícara) e muita vitamina C (nas devidas proporções, em maior quantidade do que as laranjas), que melhora sistema imunológico protegendo o organismo contra gripes e resfriados.

As sementes de morango contêm fibras insolúveis, que ajudam a evitar prisão de ventre.

O morango é rico em pectina e outras fibras solúveis que ajudam a baixar o colesterol e manter a glicemia. Contém bioflavonóides, como a antocianina (de coloração avermelhada) e o ácido elágico, substâncias que podem ajudar a evitar alguns tipos de câncer, por isso é considerado Funcional. A fruta se destaca pela mistura de minerais. O morango contribui com fósforo, magnésio e potássio. O trio de nutrientes é fundamental para o sistema nervoso e ainda ajuda a manter por muito tempo a saúde muscular.

Compre morangos de bom aspecto: tamanho médio, vermelhos vivos e com talos verdes.Os morangos podem ser estocados inteiros na geladeira por poucos dias (quando fatiados perdem gradativamente a vitamina C).

Lave a fruta pouco antes de servir para evitar o mofo e prevenir surtos de diarréia infecciosa. Ledo engano pensar que o fruto vai bem apenas em pratos doces. O morango é perfeito em saladas de folhas. Também pode entrar na receita de risotos e em molhos para massas, misturado a ervas, cebola, alho e afins. Para aqueles que só comem morango com chantilly, cuidado... com a dose de calorias a mais e o excesso de gorduras!

Como nem tudo é perfeito, o morango muitas vezes carrega resíduos de agrotóxicos. Ele é sensível ao ataque de pragas. Por isso o uso de defensivos agrícolas é corriqueiro. A maneira mais eficaz de driblar as substâncias tóxicas é optar pelo produto orgânico. No mínimo, na hora da compra, prefira o produto com selo de certificação que garante a origem e os cuidados no cultivo.

Observe também a cor. Quanto mais vermelho, melhor. Isso indica que está maduro e os pesticidas, se foram usados, já perderam parte do efeito. Depois de lavar os morangos, deixe-os em uma solução de água com um punhado de bicarbonato, que atenua essas substâncias nocivas.

Estas dicas ajudam a preservar toda a riqueza do morango:

Tente não picar: Quanto mais cortado o morango for, maior o contato com o oxigênio. Isso fará com que parte das substâncias antioxidantes se percam. Que desperdício!
Atenção no Liquidificador:
Se a receita pede esse eletrodoméstico, aí não tem jeito. Procure, ao menos, não bater o fruto por muito tempo para tentar segurar uma parte dos compostos benéficos.
Beba Depressa:
Se optou por fazer um suco, tomeo imediatamente. Ou de nada adiantará ter usado o liquidificador por pouco tempo. As boas substâncias do morango passam depressa por uma metamorfose quando a fruta vira bebida.
Evite Levar ao fogo: Lembre-se:
boa parte da vitamina C some quando uma fruta é cozida. A sugestão é só colocá-la na panela no finalzinho da preparação ou usá-la em receitas feitas no vapor.

Márcia Sebadin Mendes de Souza

Fonte: : www.nutrifam.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal