Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Adjetivos - Página 5  Voltar

Adjetivos



Adjetivo é palavra que modifica o substantivo, atribuindo-lhe um estado, qualidade ou característica. Portanto, o adjetivo também se refere aos seres; daí que a distinção feita entre o substantivo e o adjetivo não é semântica (de significado), e sim funcional (de função).

Exemplos

homem bom

pessoa doente

mulher honesta

dia chuvoso

CLASSIFICAÇÃO

O adjetivo pode ser primitivo, derivado, simples e pátrio.

I - Adjetivo Primitivo

É aquele que não deriva de outra palavra em português:

marido fiel

dinheiro falso

vestido novo

II - Adjetivo Derivado

É o adjetivo que deriva de um substantivo, de um verbo ou de outro adjetivo:

salto mortal > morte - mortal

subst. adj. derivado

coisa lamentável > lamentar - lamentável

verbo adj. derivado

III - Adjetivo Simples

É o adjetivo que tem um único elemento:

blusa verde

produto brasileiro

IV - Adjetivo Composto

É o adjetivo formado por dois ou mais elementos:

blusa verde-clara

produto anglo-brasileiro

V - Adjetivo Pátrio ou Gentílico

É o adjetivo que se refere a nacionalidade ou a lugar de origem:

selo holandês

comida baiana

LOCUÇÕES ADJETIVAS

Em Gramática, chama-se locução à reunião de duas ou mais palavras com valor de uma só. Locução adjetiva é portanto, a reunião de duas ou mais palavras equivalente a um único adjetivo.

Geralmente, as locuções adjetivas são formadas por uma Preposição e um substantivo, como nos exemplos:

dente de cão = (canino)

agua de chuva = (pluvial)

Ou por uma preposição e um advérbio, como no exemplos:

Pneus de trás = (traseiros)

jornal de ontem

É bom atentar para o fato de que nem toda locução adjetiva possui um adjetivo correspondente, como em:

mulher sem graça

herói sem nenhum caráter

Em que as locuções destacadas são evidentemente adjetivas, apesar de não possuírem um adjetivo aquivalente:

sem graça não é o mesmo que desgraçada!

sem nenhum caráter não é o mesmo que descaracterizado!

FLEXÃO

O adjetivo pode variar em gênero, número e grau.

I - Flexão de Gênero

Quanto ao gênero, os adjetivos classificam-se em uniformes e biformes.

1 - Adjetivos biformes

São adjetivos que têm duas formas diferentes: uma para o masculino e outra para o feminino. Veja os exemplos:

copo vazio > panela vazia

sapatos sujos > meias sujas

2 - Adjetivos uniformes

São adjetivos que têm uma só forma para indicar tanto o masculino quanto o feminino:

cheiro suave > cor suave

gato selvagem > gata selvagem

Formação de feminino

1 - Feminino dos adjetivos simples

a - Regra geral: troca-se o o por a:

belo - bela

alto - alta

b - Acrescenta-se a aos adjetivos terminados em u, ês e or:

nu - nua

francês - francesa

c - Adjetivos terminados em ão fazem o feminino em:

ã: homem cristão / mulher cristã

ona: professor brincalhão / professora bincalhona

d - Adjetivos terminados em eu fazem o feminino em éia:

governo europeu / revista européia

Exceção: judeu > judia

2 - Feminino dos Adjetivos Compostos

Nos adjetivos compostos só o último elemento vai para o feminino:

calção amarelo-claro / camisa amarelo-clara

instrumento médico-cirurgico / máscara médico-cirurgica

II - Flexão de Número

Formação do plural

1 - Plural dos adjetivos simples

O adjetivo simples fica no singular ou vai para o plural, concordando com o substantivo a que se refere:

rua larga / ruas largas

criança feliz / crianças felizes

Os adjetivos que indicam nome de cor seguem também essa regra.

No entanto, se o nome da cor for um substantivo adjetivado, ele não sofre variação:

camisa cinza / Camisas cinza

gravata abóbora / gravatas abóbora

As palavras cinza e abóbora sào substantivos que podem ser empregados como adjetivos. Portanto, não variam.

2 - Plural dos adjetivos compostos

No adjetivo composto, só o último elemento vai para o plural:

cantor norte-americano / cantores norte-americanos

Alguns adjetivos compostos não seguem essa regra.

a- São invariáveis azul-marinho e azul-celeste:

sapato azul-marinho / sapatos azul-marinho

camisa azul-celeste / camisas azul-celeste

b- São invariáveis os adjetivos compostos referentes a cores, quando o segundo elemento da composição for um substantivo:

tecido verde-abacate / tecidos verde-abacate

c- Para formar o plural de sudo-mudo flexiona-se os dois elementos:

menino sudo-mudo / menina surda-muda

III - Flexào de Grau

Observe:

Ela ficou irritada com a notícia.

Ela ficou irritadíssima com a notícia.

Os dois adjetivos indicam a mesma característica, mas na segunda frase ocorre uma variaçào na intensidade. Isso significa que o adjetivo pode expressar graus diferentes de intensidade de uma característica que se atribui a um determinado ser.

Grau normal

Em geral , o adjetivo aparece em seu grau normal, como na primeira frase:

Ela ficou irritada com a notícia.

Para expressar as variações de intensidade, o adjetivo apresenta-se em dois graus diferentes:

Grau comparativo

Ele ficou mais irritado que você.

Ele ficou tão irritado quanto você.

Grau superlativo:

Ela ficou muito irritada.

Ela ficou irritadíssima

1 - Grau comparativo

O grau comparativo expressa os seguintes tipos de comparação:

a- Duas qualidades diferentes do mesmo ser:

João é gordo e alto.

Podemos comparar a intensidade destas duas características em João:

João é mais gordo do que alto. (o adjetivo gordo está no comparativo de superioridade)

João é tão gordo quanto alto. (o adjetivo gordo está no comparativo de igualdade)

João é menos gordo que alto. (o adjetivo gordo está no comparativo de inferioridade)

b- A mesma característica em dois ou mais seres:

Alberto é alto. Luís é alto.

Alberto é mais alto que Luis. (comparativo de superioridade)

Alberto é tão alto quanto Luis. (comparativo de igualdade)

Alberto é menos alto que Luis.(comparativo de inferioridade)

Fica fácil perceber que, para expressar o grau comparativo, não temos que mudar a forma do adjetivo.

Utilizamos as seguintes construções:

Para o comparativo de superioridade:

mais ... que > Ele é mais alto que ela.

Mais ... do que > Ele é mais alto do que ela.

...quero deixar bem claro que os gestos são mais importantes que os discursos.

Para o comparativo de igualdade:

tão ... quanto > Ele é tão alto quanto ela.

Tão ... como > Ele é tão alto como ela.

... como > Ele é alto como ela.

São muito comuns também, na língua falada do Brasil, as expressões que nem e feito para indicar o comparativo de igualdade.

Ele é alto que nem um gigante.

Ela ficou vermelha feito um pimentão.

Para o comparativo de inferioridade:

menos ... que > Ele é menos alto que ela.

menos ... do que > Ele é menos alto do que ela.

2 - Grau superlativo

Compare:

muito nervoso - nervosíssimo

As formas muito nervoso e nervosíssimo expressam uma característica intensificada no seu grau máximo. O adjetivo nervoso, nesses casos, está no grau superlativo.

Veja outros exemplos de adjetivo no grau superlativo:

Sônia está se mostrando um mulher muito forte, mas está muito abalada.

O superlativo pode ser absoluto ou raltivo.

a- Superlativo absoluto

A qualidade apresenta-se no seu grau mais intenso. Quando se utiliza o superlativo absoluto, o ser de que se fala não aparece relacionado a outro.

Músculos muito fortes.

Músculos fortíssimos.

Conforme se vê os dois adjetivos têm o mesmo valor.

Portanto, o superlativo absoluto admite duas formas de expressão:

Forma analítica:

Ela é muito forte.

Ela é extremamente feliz.

Aquele pacote está muito pesado.

O adjetivo não foi flexionado. Para indicar a intensidade do grau, podemos empregar palavras como muito, extremamente, grandemente etc.

Forma sintética:

Ela é fortíssima

Ela é felicíssima.

Aquele pacote está pesadíssimo.

Neste caso, o adjetivo foi flexionado. Utilizou-se o sufixo íssimo para indicar intensidade.

b- Superlativo relativo

No superlativo relativo, a qualidade apresenta-se no seu grau mais intenso, em relação a outros seres do mesmo grupo. Vejamos.

O corredor se diz o mais veloz em relação aos demais corredores da Fórmula Indy.

O superlativo relativo pode ser:

de superioridade: Ela é a mais bonita da classe.

de inferioridade: Ele é o menos bonito da classe.

Esse superlativo resulta de uma espécie de comparação.

Comparando uma característica de todos - a altura - teremos:

Rolando é o mais alto do time. ( superlativo relativo de superioridade)

Marcel é o menos alto do time. (superlativo relativo de inferioridade)

Como se vê, intensificamos a característica, mas em relaçào a um determinado grupo (o time). Por isso, este grau chama-se superlativo relativo.

Superlativo Absoluto Sintético

Esse superlativo merece um estudo mais aprofundado.

Para compor essa forma, seguimos determinadas regras:

1 - Acrescenta-se o sufixo -íssimo ao adjetivo:

normal > normalíssimo

fraco > fraquíssimo

2 - Os adjetivos terminados em -vel formam o superlativo absoluto sintético em -bílissimo:

terrível > terribilíssimo

confortável > confortabilíssimo

3 - Os adjetivos terminados em -z formam o superlativo absoluto sintético em -císsimo:

feliz > felicíssimo

feroz . ferocíssimo

4 - Os adjetivos terminados em -m formam o superlativo absoluto sintético em -níssimo:

comum > comuníssimo

MORFOSSINTAXE

A função adjetiva básica é pois, a de adjunto adnominal.

tranqüilos

inseguros

Os homens maus

bons

convictos

É facil perceber que o adjetivo pode ser adjunto adnominal de um substantivo em qualquer função sintática. Repare que o adjunto adnominal é um termo acessório da oração, pois sua ausênsia não compromete a significação da mesma.

delicada.

difícil.

A existência é frágil.

sutil.

criativa.

Fonte: www.vestibular1.com.br

Adjetivos

ADJETIVOS

Adjetivo é a palavra que qualifica os seres em termos de:

- expressão de uma qualidade

Exemplos:

(a) chocolate quente/gostoso/amargo

...[chocolate: substantivo]

- expressão da aparência ou aspecto

Exemplos:

(b) mesa quadrada/preta/quebrada

...[mesa: substantivo]

- apresentação do estado do ser

Exemplos:

(c) ventilador ligado/quebrado/emprestado

...[ventilador: substantivo]

Na perspectiva funcional, considera-se adjetivo o termo que modifica um substantivo (ou qualquer palavra que exerça a função de substantivo) no sentido de lhe atribuir uma característica. Sob esse ponto de vista, qualquer palavra ou oração que funcione como um modificador deste tipo terá valor de adjetivo. Assim são, por exemplo, os pronomes que indicam propriedade (meu, dele, etc.) ou as orações subordinadas do tipo:

"Era ela mesma uma estrela que ofuscava a própria luz"

Há de se considerar, portanto, o contexto em que as palavras estão inseridas para se prosseguir na análise. As diversas situações da linguagem revelam que uma palavra, em princípio considerada adjetivo, pode funcionar como um substantivo.
Observe:


1. "Os parentes vegetarianos nunca tinham vez em casa!"

...[parentes: substantivo]
...[vegetarianos: adjetivo]

2. "Os vegetarianos nunca tinham vez em casa!"

...[vegetarianos: substantivo]

Em termos sintáticos, os adjetivos, assim como qualquer outro termo determinante, devem estabelecer uma relação de concordância com o substantivo ao qual se referem. Desse modo, a grande maioria dos adjetivos sofre flexão em gênero (masculino ou feminino) e número (singular ou plural) de acordo com o termo ao qual está ligada.

Exemplos:

[o] teatro reformado [a] encomenda atrasada

É importante conhecer as particularidades dos adjetivos:

Adjetivo x advérbio
Uso dos Adjetivos diante de Particípio
O grau dos advérbios e os adjetivos particípios
A formação do grau e os adjetivos e advérbios anômalos
Formas analíticas dos adjetivos anômalos

Fonte: www.colegiocascavelense.com.br

voltar 123456avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal