Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Conjunção - Página 2  Voltar

Conjunção



As conjunções são vocábulos de função estritamente gramatical utilizado para o estabelecimento da relação entre duas orações, ou ainda a relação dois termos que se assemelham gramaticalmente dentro da mesma oração. As conjunções podem ser de dois tipos principais: conjunções coordenativas ou conjunções subordinativas.

CONJUNÇÕES COORDENATIVAS

Conjunções coordenativas são os vocábulos gramaticais que estabelecem relações entre dois termos ou duas orações independentes entre si, que possuem as mesmas funções gramaticais.

As conjunções coordenativas podem ser dos seguintes tipos:

aditivas,

adversativas,

alternativas,

conclusivas,

explicativas.

Conjunções Coordenativas Aditivas

As conjunções coordenativas aditivas possuem a função de adicionar um termo a outro de mesma função gramatical, ou ainda adicionar uma oração à outra de mesma função gramatical. As conjunções coordenativas gramaticais são: e, nem.

Exemplos:

Todos aqui estão contentes e despreocupados;

João apeou e deu bons-dias a todos;

O acontecimento não foi bom nem ruim.

Conjunções Coordenativas Adversativas

As conjunções coordenativas adversativas possuem a função de estabelecer uma relação de contraste entre os sentidos de dois termos ou duas orações de mesma função gramatical. As conjunções coordenativas adversativas são: mas, contudo, no entanto, entretanto, porém,todavia.

Exemplos:

Não negou nada, mas também não afirmou coisa nenhuma;

A moça deu a ele o dinheiro: porém, o fez receosa.

Conjunções Coordenativas Alternativas

Conjunções coordenativas alternativas são as conjunções coordenativas que unem orações independentes, indicando sucessão de fatos que se negam entre si ou ainda indicando que, com a ocorrência de um dos fatos de uma oração, a exclusão do fato da outra oração. As conjunções coordenativas alternativas são: ou (repetido ou não), ora, nem, quer, seja, etc.

Exemplos:

Tudo para ele era vencer ou perder;

Ou namoro a garota ou me vou para longe;

Ora filosofava, ora contava piadas.

Conjunções Coordenativas Conclusivas

As conjunções coordenativas conclusivas são utilizadas para unir, a uma oração anterior, outra oração que exprime conclusão o consequência. As conjunções coordenativas são:assim, logo, portanto, por isso etc...

Exemplos:

Estudou muito, portanto irá bem no exame;

O rapaz é bastante inteligente e, logo, será um privilegiado na entrevista.

Conjunções Coordenativas Explicativas

Conjunções coordenativas explicativas são aquelas que unem duas orações, das quais a segunda explica o conteúdo da primeira. As conjunções coordenativas explicativas são:porque, que, pois, porquanto.

Exemplos:

Não entrou no teatro porque esqueceu os bilhetes;

Entre, que está muito frio.

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

As conjunções subordinativas possuem a função de estabelecer uma relação entre duas orações, relação esta que se caracteriza pela dependência do sentido de uma oração com relação a outra. Uma das orações completa ou determina o sentido da outra. As conjunções subordinativas são classificadas em: causais, concessivas, condicionais, comparativas, conformativas, consecutivas, proporcionais, finais e integrantes.

Conjunções Subordinativas Causais

Conjunções subordinativas causais são as conjunções que subordinam uma oração a outra, iniciando uma oração que exprime causa de outra oração, a qual se subordina. As conjunções subordinativas causais são: porque, pois, que, uma vez que, já que, como, desde que, visto que, por isso que, etc.

Exemplo:

Os balões sobem porque são mais leves que o ar.

Conjunções Subordinativas Comparativas

Conjunções subordinativas comparativas são as conjunções que, iniciando uma oração, subordinam-na a outra por meio da comparação ou confronto de ideias de uma oração com relação a outra. As conjunções subordinativas comparativas são: que, do que (quando iniciadas ou antecedidas por noções comparativas como menos, mais, maior, menor, melhor,pior), qual (quando iniciada ou antecedida por tal), como (também apresentada nas formas assim como, bem como).

Exemplos:

Aquilo é pior que isso;

Tudo passou como as nuvens do céu;

Existem deveres mais urgentes que outros.


Conjunções Subordinativas Concessivas

Conjunções subordinativas concessivas são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada, se referem a uma ocorrência oposta à ocorrência da oração principal, não implicando essa oposição em impedimento de uma das ocorrências (expressão das oposições coexistentes). As conjunções subordinativas concessivas são: embora, mesmo que, ainda que, posto que, por mais que, apesar de, mesmo quando, etc.

Exemplos:

Acompanhou a multidão, embora o tenha feito contra sua vontade;

A harmonia do ambiente daquela sala, de súbito, rompeu-se, ainda que houvesse silêncio.

Conjunções Subordinativas Condicionais

Conjunções subordinativas condicionais são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada a outra, exprimem uma condição sem a qual o fato da oração principal se realiza (ou exprimem hipótese com a qual o fato principal não se realiza). As conjunções subordinativas condicionais são: se, caso, contanto que, a não ser que, desde que, salvo se, etc.

Exemplos:

Se você não vier, a reunião não se realizará;

Caso ocorra um imprevisto, a viagem será cancelada;

Chegaremos a tempo, contanto que nos apressemos.

Conjunções Subordinativas Conformativas

Conjunções subordinativas conformativas são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada a outra, expressam sua conformidade em relação ao fato da oração principal. As conjunções subordinativas conformativas são: conforme, segundo, consoante, como (utilizada no mesmo sentido da conjunção conforme).

Exemplos:

O debate se desenrolou conforme foi planejado;

Segundo o que disseram, não haverá aulas.

Conjunções Subordinativas Finais

Conjunções subordinativas finais são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada a outra, expressam a finalidade dos atos contidos na oração principal. As conjunções subordinativas finais são: a fim de que, para que, porque (com mesmo sentido da conjunção para que), que.

Exemplos:

Tudo foi planejado para que não houvesse falhas;

Cheguei cedo a fim deadiantar o serviço;

Fez sinal que todos se aproximassem em silêncio.


Conjunções Subordinativas Integrantes

Conjunções subordinativas integrantes são as conjunções que, iniciando orações subordinadas, introduzem essas orações como termos da oração principal (sujeitos, objetos diretos ou indiretos, complementos nominais, predicativos ou apostos). As conjunções integrantes são que e se (empregado esta última em caso de dúvida).

Exemplos:

João disse que não havia o que temer (a oração subordinada funciona, neste caso, como objeto direto da oração principal);

A criança perguntou ao pai se Deus existia de verdade (a oração subordinada funciona, neste caso, como objeto direto da oração principal).

Conjunções Subordinativas Proporcionais

Conjunções subordinativas proporcionais são as conjunções que expressam a simultaneidade e a proporcionalidade da evolução dos fatos contidos na oração subordinada com relação aos fatos da oração principal. As conjunções subordinativas proporcionais são:à proporção que, à medida que, quanto mais... (tanto) mais, quanto mais... (tanto) menos,quanto menos... (tanto) menos, quanto menos... (tanto) mais etc.

Exemplos:

Seu espírito se elevava à medida que compunha o poema;

Quanto mais correres,mais cansado ficarás;

Quanto menos as pessoas nos incomodam, tanto mais realizamos nossas tarefas.


Conjunções Subordinativas Temporais

Conjunções subordinativas temporais são as conjunções que, iniciando uma oração subordinada, tornam essa oração um índice da circunstância do tempo em que o fato da oração principal ocorre. As conjunções subordinativas temporais são: quando, enquanto,logo que, agora que, tão logo, apenas (com mesmo sentido da conjunção tão logo), toda vez que, mal (equivalente a tão logo), sempre que, etc.

Exemplos:

Quando chegar de viagem, me avise;

Enquanto todos estavam fora, nada fez de útil.

Fonte: www.algosobre.com.br

Conjunção

Conjunção é a palavra invariável que liga duas orações ou dois termos semelhantes de uma mesma oração.

CLASSIFICAÇÃO

Conjunções Coordenativas

Conjunções Subordinativas

CONJUNÇÕES COORDENATIVAS

Dividem-se em:

ADITIVAS: expressam a idéia de adição, soma.

Observe os exemplos:

Ela foi ao cinema e ao teatro.

Minha amiga é dona-de-casa e professora.

Eu reuni a família e preparei uma surpresa.

Ele não só emprestou o joguinho como também me ensinou a jogar.

Principais conjunções aditivas: e, nem, não só…mas também, não só…como também.


ADVERSATIVAS

Expressam idéias contrárias, de oposição, de compensação.

Exemplos:

Tentei chegar na hora, porém me atrasei.

Ela trabalha muito mas ganha pouco.

Não ganhei o prêmio, no entanto dei o melhor de mim.

Não vi meu sobrinho crescer, no entanto está um homem.

Principais conjunções adversativas: mas, porém, contudo, todavia, no entanto, entretanto.

ALTERNATIVAS

Expressam ideia de alternância.

Ou você sai do telefone ou eu vendo o aparelho.

Minha cachorra ora late ora dorme.

Vou ao cinema quer faça sol quer chova.

Principais conjunções alternativas: Ou…ou, ora…ora, quer…quer, já…já.

CONCLUSIVAS

Servem para dar conclusões às orações.

Exemplos:

Estudei muito por isso mereço passar.

Estava preparada para a prova, portanto não fiquei nervosa.

Você me ajudou muito; terá, pois sempre a minha gratidão.

Principais conjunções conclusivas: logo, por isso, pois (depois do verbo), portanto, por conseguinte, assim.

EXPLICATIVAS

Explicam, dão um motivo ou razão:

É melhor colocar o casaco porque está fazendo muito frio lá fora.

Não demore, que o seu programa favorito vai começar.

Principais conjunções explicativas: que, porque, pois (antes do verbo), porquanto.


CLASSIFICAÇÃO DAS CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS CAUSAIS

Principais conjunções causais: porque, visto que, já que, uma vez que, como (= porque). Exemplos:

Não pude comprar o CD porque estava em falta.

Ele não fez o trabalho porque não tem livro.

Como não sabe dirigir, vendeu o carro que ganhou no sorteio.


COMPARATIVAS

Principais conjunções comparativas: que, do que, tão…como, mais…do que, menos…do que.

Ela fala mais que um papagaio.

CONCESSIVAS

Principais conjunções concessivas: embora, ainda que, mesmo que, apesar de, se bem que.
Indicam uma concessão, admitem uma contradição, um fato inesperado.Traz em si uma idéia de “apesar de”.

Embora estivesse cansada, fui ao shopping. (= apesar de estar cansada)

Apesar de ter chovido fui ao cinema.


CONFORMATIVAS

Principais conjunções conformativas: como, segundo, conforme, consoante

Cada um colhe conforme semeia.

Segundo me disseram a casa é esta.

Expressam uma idéia de acordo, concordância, conformidade.

CONSECUTIVAS

Expressam uma idéia de conseqüência.

Principais conjunções consecutivas: que ( após “tal”, “tanto”, “tão”, “tamanho”).

Falou tanto que ficou rouco.

Estava tão feliz que desmaiou.

FINAIS

Expressa ideia de finalidade, objetivo.

Todos trabalham para que possam sobreviver.

Viemos aqui para que vocês ficassem felizes.

Principais conjunções finais: para que, a fim de que, porque (=para que),

PROPORCIONAIS

Principais conjunções proporcionais: à medida que, quanto mais, ao passo que, à proporção que.

À medida que as horas passavam, mais sono ele tinha.

Quanto mais ela estudava, mais feliz seus pais ficavam.

TEMPORAIS

Principais conjunções temporais: quando, enquanto, logo que.

Quando eu sair, vou passar na locadora.

Chegamos em casa assim que começou a chover.

Mal chegamos e a chuva desabou.

Obs: Mal é conjunção subordinativa temporal quando equivale a “logo que”.

O conjunto de duas ou mais palavras com valor de conjunção chama-se locução conjuntiva.

Exemplos:

ainda que,

se bem que,

visto que,

contanto que,

à proporção que.

Algumas pessoas confundem as circunstâncias de causa e consequência. Realmente, às vezes, fica difícil diferenciá-las.

Observe os exemplos:

Correram tanto, que ficaram cansados.

“Que ficaram cansados” aconteceu depois deles terem corrido, logo é uma consequência.

Ficaram cansados porque correram muito.

“Porque correram muito” aconteceu antes deles ficarem cansados, logo é uma causa.

Fonte: www.infoescola.com

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal