Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Conjunção  Voltar

Conjunção

 

Conjunção - O que é

Chama-se conjunção a palavra invariável que serve para ligar (relacionar, unir) duas orações ou dois termos semelhantes da mesma oração.

Podemos ainda dizer que conjunção é o conectivo oracional, isto é, é a palavra que liga orações

Exemplos

Estudo porque preciso.

O ignorante vê que o céu é azul

Estudo, mas trabalho

Nesses períodos, os vocábulos porque, que, mas são conjunções porque são os conectivos das orações.

As conjunções que relacionam termos ou orações de idêntica função gramatical têm o nome de COORDENATIVAS

VEJAM:

o tempo e a maré não esperam por ninguém

ouvi primeiro e falei depois

Atenção

As conjunções que ligam duas orações, uma das quais determina ou completa o sentido da outra, chamam-se subordinativas.

Exemplos

Eram três da tarde quando cheguei à casa da namorada
É necessário que estudem mais.

As conjunções: quando, que ligam orações, logo que percebe que as orações não são de idênticas funções gramaticais.

OBSERVAÇÃO

Poderemos compreender facilmente a diferença entre as conjunções COORDENATIVAS e SUBORDINATIVAS quando se comparam construções de orações a construções de nomes.

Observemos os enunciados.
Estudar e trabalhar
Estudar ou trabalhar
O estudo e o trabalho
O estudo ou o trabalho.

NOTA

A conjunção coordenativa não se altera com a mudança de construção, pois liga elementos independentes estabelecendo, entre eles, relação de adição no primeiro caso e de igualdade ou alternância, no segundo.

Observe o seguinte enunciado:

Depois que tiveres trabalhado, podes brincar
Após o trabalho, o descanso

Verifica-se a dependência do primeiro elemento no segundo.

Já no último exemplo em lugar de conjunção

Subordinativa (depois que) aparece uma preposição (após), indicando dependência de um termo da oração a outro.

As conjunções podem ser

Coordenativas
Subordinativas

Dá-se o nome de COORDENATIVAS às conjunções que relacionam termos ou orações de idêntica função gramatical.

Dá-se o nome de SUBORDINATIVAS às que ligam orações, uma das quais determina ou completa o sentido da outra e então concluímos que a conjunção é a palavra que liga uma oração a outra a fim de mostrar a relação existente entre elas

Conjunção - Palavra

É a palavra invariável que liga duas orações entre si, ou que, dentro da mesma oração, liga dois termos entre si independentes.

CONJUNÇÕES COORDENATIVAS

Conjunções coordenativas são as que ligam duas orações ou dois termos (dentro da mesma oração), sendo que ambos os elementos ligados permanecem independentes entre si. Exs.: [Maria estuda] e [Pedro trabalha].

As conjunções coordenativas subdividem-se em:

1. Aditivas que ligam pensamentos similares ou equivalentes: e, nem, (não só)... mas também, (não somente)... senão ainda, etc.

Exemplo

"O médico não veio nem me telefonou."

2. Adversativas que ligam pensamentos que contrastam entre si: mas, porém, todavia, contudo, entretanto, não obstante, etc.

Exemplo

"Serve aos opulentos com altivez, mas aos indigentes com carinho."

3. Alternativas que ligam pensamentos que se excluem ou se alternam: ou, ou...ou, ora...ora, já...já, quer...quer, etc.

Exemplo

"Já atravessa as florestas, já chega aos campos do Ipu."

4. Conclusivas, que ligam duas orações, sendo que a Segunda encerra a conclusão ou dedução de um raciocínio: logo, portanto, por conseguinte, por conseqüência, pois (após o verbo da oração), etc.

Exemplo

Pedro aprendeu as lições, portanto pode fazer os exames.

5. Explicativas, que ligam duas orações sendo que a segunda se apresenta justificando a anterior: pois, porque, que, porquanto, etc.

Exemplo

Essa desculpa não serve, porque, afinal de contas, teus negócios vão bem.

CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS

Conjunções subordinativas são as que ligam duas orações, sendo que a segunda é sujeito, complemento ou adjunto da primeira. A primeira é oração principal da Segunda, e esta é subordinada à primeira.

As conjunções subordinativas subdividem-se em integrantes e adverbiais.

A. CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS INTEGRANTES

São as que ligam duas orações, sendo que a Segunda é sujeito ou complemento da primeira: que, se.

Exemplo

"O Brasil espera que cada um cumpra com o seu dever."

B. CONJUNÇÕES SUBORDINATIVAS ADVERBIAIS

São as que ligam duas orações, sendo que a segunda é adjunto adverbial da primeira, ou seja, a segunda expressa circunstância de finalidade, modo, comparação, proporção, tempo, condição, concessão, causa ou conseqüência.

As conjunções subordinativas adverbiais subdividem-se em:

1. Finais, que ligam duas orações, sendo que a segunda expressa circunstância de finalidade: para que, a fim de que, que, porque.

Exemplo

É necessário que lutemos, a fim de que possamos triunfar.

2. Conformativas que ligam duas orações, sendo que a segunda expressa circunstância de conformidade ou modo: como, segundo, conforme, etc.

Exemplo

Tudo se realizou, conforme havia previsto o astrólogo.

3. Comparativas, que ligam duas orações, sendo que a segunda contém o segundo termo de uma comparação: como, (tal)...tal, (menos)...do que, (mais)...do que, (tal)...qual, etc.

Exemplo

"Os sonhos, um por um, céleres voam, como voam as pombas dos pombais."

4. Proporcionais, que ligam duas orações, sendo que a segunda expressa fato que decorre ao mesmo tempo que outro: à medida que, à proporção que, (quanto mais)...tanto mais, (tanto menos)...quanto mais, etc.

Exemplo

À proporção que remávamos, eu lhe ia contando a história.

5. Temporais, que ligam duas orações, sendo que a segunda expressa circunstância de tempo: quando, enquanto, apenas, mal, logo que, depois que, antes que, até que, que, etc.

Exemplo

Quando a vejo, bate-me o coração mais forte.

6. Condicionais, que ligam duas orações, sendo que a segunda expressa uma hipótese ou condição: se, caso, salvo se, desde que, a menos que, sem que, contanto que, etc.

Exemplo

Se o pai consentisse , Manuel continuaria namorando a Isabel.

7. Concessivas, que ligam duas orações, sendo que a segunda contém um fato que não impede a realização da idéia expressa na oração principal, embora seja contrário àquela idéia: embora, ainda que, mesmo que, conquanto, posto que, se bem que, por mais que, por menos que, suposto que, etc.

Exemplo

Não consigo ouvir a voz do astronauta, por mais que me esforce.

8. Causais, que ligam duas orações, sendo que a segunda contém a causa e a primeira, o efeito: porque, visto que, porquanto, já que, como, etc.

Exemplo

Como não estudou, foi reprovado.

9. Consecutivas, que ligam duas orações, sendo que a segunda diz a conseqüência de uma intensidade expressa na primeira: (tão)...que, (tal)...que, (tamanho)...que, (tanto)...que, etc.

Exemplo

"Tão temerosa vinha e carregada, que pôs nos corações um grande medo."

Conjunção - Exemplos

Conjunção é uma palavra invariável que liga orações ou palavras da mesma oração.

Examinemos estes exemplos:

a) Tristeza e alegria não moram juntas.

b) Os livros ensinam e divertem.

c) Saímos de casa quando amanhecia.

No primeiro exemplo, a palavra "e" liga duas palavras da mesma oração: é uma Conjunção.

No segundo e terceiro exemplos, as palavras e e quando estão ligando orações: são também Conjunções.

No exemplo b, a Conjunção liga as orações sem fazer que uma dependa da outra, sem que a segunda complete o sentido da primeira: por isso, a Conjunção "e" é Coordenativa.

No exemplo c, a Conjunção liga duas orações que se completam uma à outra e faz que a segunda dependa da primeira: por isso, a Conjunção "quando" é Subordinativa. As conjunções, portanto, dividem-se em Coordenativas e Subordinativas.

Conjunção Coordenativa

Aditivas São aquelas que dão idéia de adição, acrescentamento:

e, nem, mas também, mas ainda, senão também, como também, bem como.

Exemplos

O agricultor colheu o trigo e o vendeu.
Não aprovo nem permitirei essas coisas.
Os livros não só instruem mas também divertem.
As abelhas não apenas produzem mel e cera mas ainda polinizam as flores.

Adversativas

São aquelas que exprimem oposição, contraste, ressaltava, compensação:

mas
porém
todavia
contudo
entretanto
senão
ao passo que
antes (=pelo contrário)
no entanto
não obstante
apesar disso
em todo caso

Exemplos

Querem ter dinheiro, mas não trabalham.
Ela não era bonita, contudo cativava pela simpatia.
Não vemos a planta crescer, no entanto ela cresce.
A culpa não a atribuo a vós, senão a ele.
O professor não proíbe, antes estimula as perguntas em aula.
O exército do rei parecia invencível, não obstante foi derrotado.
Você já sabe bastante, porém deve estudar mais.
Eu sou pobre, ao passo que ele é rico.
Hoje não atendo, em todo caso, entre.

Alternativas

São aquelas que exprimem alternativa, alternância:

ou
ou...ou
ora...ora
já...já
quer...quer

Exemplos

Os seqüestradores deviam render-se ou seriam mortos.
Ou você estuda ou arruma um emprego.
Ora triste, ora alegre, a vida segue o seu ritmo.
Quer reagisse, quer se calasse, sempre acabava apanhando.

Conclusivas

São aquelas que iniciam uma conclusão:

logo
portanto
por conseguinte
pois (posposto ao verbo)
por isso

Exemplos

As árvores balançam, logo está ventando.
Você é o proprietário do carro, portanto é o responsável.
O mal é irremediável; deves, pois, conformar-te.

Explicativas

São aquelas que precedem uma explicação, um motivo:

que
porque
porquanto
pois (anteposto ao verbo)

Exemplos

Não solte balões, que (ou porque, ou pois, ou porquanto) podem causar incêndios.
Choveu durante a noite, porque as ruas estão molhadas.

Observação

...! A Conjunção "e" pode apresentar-se com sentido adversativo:

Exemplos

Sofrem duras privações e [= mas] não se queixam.
"Quis dizer mais alguma coisa e não pôde." (Jorge Amado)

Classificação das Conjunções

As conjunções podem ser:

Coordenativas

Subordinativas

As conjunções coordenativas ligam palavras ou orações de mesmo valor ou função, ou seja, ligam orações independentes.

As conjunções subordinativas inserem uma oração na outra, estabelecendo entre elas uma relação de dependência, ou seja, ligam orações dependentes.

Valores semânticos das conjunções coordenativas

As conjunções coordenativas podem ser:

Aditivas

Servem para ligar dois termos ou duas orações de mesmo valor sintático, estabelecendo entre eles uma idéia de adição, soma. São as conjunções e, nem (e não), que, não só... mas também. Ex.: Ele não respondeu às minhas cartas nem me telefonou.

Adversativas

Ligam dois termos ou orações, estabelecendo entre eles uma relação de oposição, contraste, ressalva. São elas: mas, porém, todavia, contudo, no entanto, entretanto, e (com valor de mas).

Exemplo

A mulher chamou imediatamente o médico, porém não foi atendida.

Alternativas

ligam palavras ou orações, estabelecendo entre elas uma relação de separação ou exclusão.

São as conjunções

ou,ou...
ou, já ...
já, ora ...
ora, quer ...
quer, seja ...seja

Exemplo

O mecânico ora desparafusava o motor do carro, ora juntava outras peças espalhadas pelo chão.

Conclusivas

Introduzem uma oração que exprime conclusão em relação ao que se afirmou anteriormente.

São elas:

logo
pois (no meio ou no fim da oração)
portanto
por conseguinte
por isso
assim

Exemplo

Meu irmão estudou muito o ano inteiro; logo, deve ir bem nos exames.

Explicativas

Ligam duas orações de modo que a segunda justifica ou explica o que se afirmou na primeira.

São as conjunções:

que
porque
porquanto
pois (no início da oração)

Exemplo

Vá rápido, pois já está começando a chover.

Valores semânticos das conjunções subordinativas

As conjunções subordinativas ligam duas orações, sendo uma a principal e a outra subordinada, de modo que a subordinada completa gramaticalmente a principal.

Observe

Alugou apenas uma fita de vídeo

oração principal

porque as demais não lhe interessaram.

oração subordinada

As conjunções subordinativas compreendem as integrantes e as adverbiais.

As integrantes são as conjunções que e se quando ligam (integram) orações que completam gramaticalmente um termo da oração anterior.

Exemplo

Acredito que ele terá sucesso em Paris.

or. principal or. subordinada

As adverbiais iniciam orações que exprimem circunstâncias adverbiais de tempo, de causa, de conseqüência, etc. relacionadas à oração principal.

Exemplos

Já estava em casa

or. principal

quando o temporal desabou.

or. subordinada

As conjunções adverbiais podem ser: causais, comparativas, concessivas, condicionais, conformativas, consecutivas, finais, proporcionais e temporais.

Causais

Iniciam oração que indica a causa, o motivo, a razão do efeito expresso na oração principal:

que (= porque)
porque
como
visto que
já que
uma vez que
desde que

Exemplo

Foi bem-sucedido no vestibular, porque estudou bastante.

Comparativas

Iniciam oração que estabelece uma comparação em relação a um elemento da oração principal:

como
que
do que (depois de mais, menos, maior, menor, melhor, pior)
qual (depois de tal)
quanto (depois de tanto ou tão)
assim como
bem como

Exemplo

Maria é tão inteligente quanto Ana.

Concessivas

Iniciam oração que indica uma concessão relativamente ao fato expresso na oração principal, ou seja, indica um fato contrário ao expresso na oração principal, mas insuficiente para impedir sua realização:

embora
conquanto
ainda que
mesmo que
se bem que
por mais que

Exemplo

Ele não concordará com isso, por mais que você insista.

Condicionais

Iniciam orações que expressa uma condição para que ocorra o fato expresso na oração principal:

se
caso
contanto que
salvo que
a menos que
a não ser que

Exemplo

Conformativas

Iniciam oração que estabelece uma idéia de conformidade em relação ao fato expresso na oração principal:

conforme
como
segundo

Exemplo

Fizemos a pesquisa, conforme a orientação do professor de Ciências.

Consecutivas

Iniciam a oração que indica uma conseqüência, um efeito do fato expresso na oração principal:

que (precedido dos advérbios de intensidade tal, tão, tanto, tamanho)
de forma que
de modo que

Exemplo

Trabalhei tanto hoje que estou morto de cansaço.

Finais

Iniciam oração que apresenta uma finalidade em relação ao fato expresso na oração principal:

para que
a fim de que
porque ( = para que)
que

Exemplo

Chegue mais cedo a fim de que possamos preparar a pauta da reunião.

Proporcionais

Iniciam oração que indica concomitância, simultaneamente ou proporção em relação a outro fato:

à proporção que
à medida que
enquanto

Exemplo

O medo das pessoas crescia, à medida que o temporal aumentava.

Temporais

Iniciam a oração que indica o momento, a época da ocorrência de certo fato:

quando
antes que
depois que
até que
logo que
desde que

Exemplo

Enquanto a mãe preparava o lanche, o filho arrumava a mesa.

Fonte: www.brazilianportugues.com/www.sitedoescritor.com.br/www.enaol.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal