Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  estrutura das palavras  Voltar

Estrutura das Palavras



A análise da estrutura das palavras revela-nos a existência de vários elementos mórficos chamados de morfemas. Os elementos que contêm  o significado básico da palavra chamam-se morfemas lexicais, e os que indicam a flexão das palavras, ou seja, as variações para indicar gênero, número, pessoa, modo, tempo recebem o nome de morfemas gramaticais.

Em meninas, por exemplo, menin- é morfema lexical, a é morfema gramatical de gênero e s é morfema gramatical de número.

Os elementos mórficos são os seguintes:

Radical

É o elemento comum de palavras cognatas também chamadas de palavras da mesma família. É responsável pelo significado básico da palavra.

Exemplos

Nas palavras acima, o elemento terr é o radical, já que não pode ser decomposto em unidade menores  e nele se concentra o significado básico da palavra.

 

Observação

 

As palavras que apresentam o mesmo morfema lexical, isto é, o mesmo radical, são chamadas de cognatas.

 

Assim, são cognatas as palavras:

ferro, ferreiro, ferragem, ferrugem, ferrado, ferrador, ferradura, etc.

 

Afixos

São partículas que se anexam ao radical para formar outras palavras.

Existem dois tipos de afixos:

Prefixos

Colocados antes do radical.

Exemplos

Sufixos

Colocados depois do radical.

Exemplos

São vogais ou consoantes de ligação que entram na formação das palavras para facilitar a pronúncia. Existem em algumas palavras por necessidade fonética.

Os infixos não são significativos, não sendo considerados morfemas.

Exemplos

Vogal Temática

Vogal Temática (VT) se junta ao radical para receber outros elementos. Fica entre dois morfemas.

Existe vogal temática em verbos e nomes.

Exemplos

Nos verbos, a VT indica a conjugação a que pertencem ( 1ª , 2ª ou 3ª ). 

Exemplo

Há formas verbais e nomes sem VT.

Exemplos

Tema

Tema = radical + vogal temática

Exemplos

Desinências

São morfemas colocados no final das palavras para indicar flexões verbais ou nominais.

Podem ser:

Nominais

Indicam gênero e número de nomes ( substantivos, adjetivos, pronomes, numerais ).

Exemplos

Verbais

Indicam número, pessoa, tempo e modo dos verbos.

Existem dois tipos de desinências verbais:

Exemplos

Algumas formas verbais não têm desinências como

Verbo-nominais

Indicam as formas nominais dos verbos (infinitivo, gerúndio e particípio).

Exemplos

Principais desinências

NOMINAIS

Gênero

masculino (-o)  feminino (-a)

Número 

singular (não há) plural (-s) 

VERBAIS 

de tempo e modo 

-va,-ve: imperfeito do indicativo, 1ª conjugação 

-ia, -ie: imperfeito do indicativo, 2ª e 3ª conjugações 

-ra, -re: mais-que-perfeito do indicativo (átono) 

-sse: imperfeito do subjuntivo 

-ra, -re: futuro do presente do indicativo (tônico) 

-ria, -rie: futuro do pretérito do indicativo 

-r: futuro do subjuntivo 

-e: presente do subjuntivo, 1º conjugação 

-a: presente do subjuntivo, 2º e 3º conjugações 

de pessoa e número 

-o: 1ª pessoa do singular, presente do indicativo 

-s: 2ª pessoa do singular 

-mos: 1ª pessoa do plural 

-is-, -des: 2ª pessoa do plural 

-m: 3ª pessoa do plural

VERBO-NOMINAIS

-r: infinitivo  -ndo: gerúndio  -do: particípio regular

Fonte: www.coladaweb.com

ESTRUTURA DAS PALAVRAS

Estudar a estrutura das palavras é estudar os elementos que formam a palavra, denominados de morfemas.

São os seguintes os morfemas da Língua Portuguesa.

Radical

O que contém o sentido básico do vocábulo. Aquilo que permanecer intacto, quando a palavra for modificada.

Exemplos

Observação

Em se tratando de verbos, descobre-se o radical, retirando-se a terminação AR, ER ou IR.

Vogal Temática

Nos verbos, são as vogais A, E e I, presentes à terminação verbal.

Elas indicam a que conjugação o verbo pertence:

Observação

O verbo pôr pertence à 2ª conjugação, já que proveio do antigo verbo poer.

Nos substantivos e adjetivos, são as vogais A, E, I, O e U, no final da palavra, evitando que ela termine em consoante.

Por exemplo, nas palavras:

Cuidado para não confundir vogal temática de substantivo e adjetivo com desinência nominal de gênero, que estudaremos mais à frente.

Tema

É a junção do radical com a vogal temática. Se não existir a vogal temática, o tema e o radical serão o mesmo elemento; o mesmo acontecerá, quando o radical for terminado em vogal.

Por exemplo, em se tratando de verbo, o tema sempre será a soma do radical com a vogal temática - estuda, come, parti; em se tratando de substantivos e adjetivos, nem sempre isso acontecerá. Vejamos alguns exemplos: No substantivo pasta, past é o radical, a, a vogal temática, e pasta o tema; já na palavra leal, o radical e o tema são o mesmo elemento - leal, pois não há vogal temática; e na palavra tatu também, mas agora, porque o radical é terminado pela vogal temática.

Desinências

É a terminação das palavras, flexionadas ou variáveis, posposta ao radical, com o intuito de modificá-las. Modificamos os verbos, conjugando-os; modificamos os substantivos e os adjetivos em gênero e número.

Existem dois tipos de desinências:

Desinências verbais

Modo-temporais = indicam o tempo e o modo.

São quatro as desinências modo-temporais:

-va- e -ia-, para o Pretérito Imperfeito do Indicativo = estudava, vendia, partia. -ra-, para o Pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo = estudara, vendera, partira. -ria-, para o Futuro do Pretérito do Indicativo = estudaria, venderia, partiria. -sse-, para o Pretérito Imperfeito do Subjuntivo = estudasse, vendesse, partisse.

Número-pessoais = indicam a pessoa e o número.

São três os grupos das desinências númeropessoais.

Grupo I: i, ste, u, mos, stes, ram, para o Pretérito Perfeito do Indicativo = eu cantei, tu cantaste, ele cantou, nós cantamos, vós cantastes, eles cantaram.

Grupo II: -, es, -, mos, des, em, para o Infinitivo Pessoal e para o Futuro do Subjuntivo = Era para eu cantar, tu cantares, ele cantar, nós cantarmos, vós cantardes, eles cantarem. Quando eu puser, tu puseres, ele puser, nós pusermos, vós puserdes, eles puserem.

Grupo III: -, s, -, mos, is, m, para todos os outros tempos = eu canto, tu cantas, ele canta, nós cantamos, vós cantais, eles cantam.

Desinências nominais

De gênero

Indica o gênero da palavra. A palavra terá desinência nominal de gênero, quando houver a oposição masculino - feminino. Por exemplo: cabeleireiro - cabeleireira. A vogal a será desinência nominal de gênero sempre que indicar o feminino de uma palavra, mesmo que o masculino não seja terminado em o.

Por exemplo

De número

Indica o plural da palavra. É a letra s, somente quando indicar o plural da palavra.

Por exemplo

Afixos

São elementos que se juntam a radicais para formar novas palavras.

São eles:

Prefixo

É o afixo que aparece antes do radical.

Por exemplo:

Sufixo

É o afixo que aparece depois do radical, do tema ou do infinitivo.

Por exemplo:

Vogais e consoantes de ligação

São vogais e consoantes que surgem entre dois morfemas, para tornar mais fácil e agradável a pronúncia de certas palavras.

Por exemplo:

Fonte: www.algosobre.com.br

ESTRUTURA DAS PALAVRAS

A análise da estrutura das palavras revela-nos a existência de vários elementos mórficos chamados de morfemas.

Os elementos que contêm o significado básico da palavra chamam-se morfemas lexicais, e os que indicam a flexão das palavras, ou seja, as variações para indicar gênero, número, pessoa, modo, tempo recebem o nome de morfemas gramaticais. Em meninas, por exemplo, menin- é morfema lexical, a é morfema gramatical de gênero e s é morfema gramatical de número.

Os elementos mórficos são os seguintes:

Radical

É o elemento comum de palavras cognatas também chamadas de palavras da mesma família. É responsável pelo significado básico da palavra.

Exemplos

Nas palavras acima, o elemento terr é o radical, já que não pode ser decomposto em unidade menores e nele se concentra o significado básico da palavra.

Observação

As palavras que apresentam o mesmo morfema lexical, isto é, o mesmo radical, são chamadas de cognatas.

Assim, são cognatas as palavras:

Afixos

São partículas que se anexam ao radical para formar outras palavras.

Existem dois tipos de afixos:

Prefixos

Colocados antes do radical.

Exemplos

Sufixos

Colocados depois do radical.

Exemplos

Infixos

São vogais ou consoantes de ligação que entram na formação das palavras para facilitar a pronúncia. Existem em algumas palavras por necessidade fonética.

Os infixos não são significativos, não sendo considerados morfemas.

Exemplos

Vogal Temática

Vogal Temática (VT) se junta ao radical para receber outros elementos. Fica entre dois morfemas. Existe vogal temática em verbos e nomes.

Exemplos

Nos verbos, a VT indica a conjugação a que pertencem ( 1ª , 2ª ou 3ª ).

Exemplos

Há formas verbais e nomes sem VT.

Exemplos

Tema

Tema = radical + vogal temática

Exemplos

Desinências

São morfemas colocados no final das palavras para indicar flexões verbais ou nominais.

Podem ser:

Nominais

Indicam gênero e número de nomes ( substantivos, adjetivos, pronomes, numerais ).

Exemplos

Verbais

Indicam número, pessoa, tempo e modo dos verbos.

Existem dois tipos de desinências verbais:

Exemplos

A divisão verbal em morfemas será melhor explicada na matéria verbo.

Algumas formas verbais não têm desinências como

Verbo-nominais

Indicam as formas nominais dos verbos (infinitivo, gerúndio e particípio).

Exemplos

Principais desinências NOMINAIS

Gênero masculino (-o) feminino (-a)

Número singular (não há) plural (-s)

VERBAIS

De tempo e modo

De pessoa e número

VERBO-NOMINAIS

Fonte: www.mundovestibular.com.br

ESTRUTURA DAS PALAVRAS

Os elementos mórficos (morfemas) da estrutura das palavras são:

Radical

É o elemento principal da palavra, a base de seu significado.

Os radicais são elementos comuns às palavras da mesma família etimológica (da mesma origem).

Palavras cognatas

Chamam-se cognatas as palavras que conservam o mesmo radical.

Cuidado com os falsos cognatas - palavras semelhantes em sua forma gráfica, mas que diferem quanto ao significado.

Desinência

É o elemento que se acrescenta ao radical para indicar flexão . A desinência pode ser: nominal (gênero e número) ou verbal (modotemporal - quando indica o modo e o tempo dos verbos e número pessoal quando indica a pessoa e o número).

Afixos

São os elementos significativos secundários, juntados ao radical para formar palavras novas. Quando o afixo vem antes do radical, chama-se prefixo, e quando vem depois, sufixo.

Vogal temática e Tema

Vogal temática é a vogal que sucede o radical dos verbos ou dos nomes. Em verbos, indica a conjugação, a que eles pertencem.

Tema é o radical acrescido da vogal temática, isto é, pronto para receber as desinências.

Exemplo

Vogal e consoante de ligação

É a vogal ou a consoante cuja função é unicamente ligar dois morfemas. Trata-se de elementos sem significação própria que apenas facilitam a pronúncia das palavras.

Exemplos

Bibliografia

Cunha, Celso. Nova gramática do português contemporâneo / Celso Cunha e Luis F Lindle Cintra.

Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Sacconi, Luiz Antônio

Nossa Gramática: Teoria e Prática – NGTP/Luiz Antônio Sacconi. – 18. ed. reform. e atual. –

São Paulo: Atual, 1994.

Cipro Neto, Pasquale Gramática da Língua Portuguesa / Pasquale e Ulisses. – São Paulo: Scipione, 1998.

Fonte: www.cdb.br

voltar 12avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal