Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Flexão dos Substantivos  Voltar

Flexão dos Substantivos

 

Flexão dos Substantivos - Gênero

Flexão dos Substantivos é a propriedade que as palavras têm, para indicar o sexo real ou fictício dos seres.

Não existe uma regra geral de formação do feminino, os exemplos abaixo, mostram que é o uso que nos ensina a empregar corretamente o feminino e masculino.

Masculinos Femininos
O ágape A aguardante
O antílope A alface
O clã A abusão
O caudal A aluvião
O champanha A análise
O contralto A cólera
O diabete A cal
O diadema A dinamite
O dogma A elipse
O eclipse A faringe
O lança-perfume A foto
O milhar A libido
O sanduíche A omoplata
O saca-rolhas A ordenança
O soprano A personagem
O suéter A sentinela
O telefonema A síndrome
O formicida A vertigem
  A tíbia

 

Epicenos

São os substantivos designativos de animais, tendo um só gênero, quer se refiram ao macho ou a fêmea.

Exemplos

O sapo. A águia. A mosca.
A pulga. O polvo. A borboleta.
A onça. A baleia. O crocodilo.

Obs.: Quando desejamos distinguir o sexo do animal, usa-se macho ou fêmea.

Exemplos

Águia Macho - Águia Fêmea ou O macho da águia - A fêmea da águia.

Sobrecomuns

São substantivos designativos de pessoas, tendo um só gênero, quer se refiram a pessoas do sexo masculino ou a feminino.

Exemplos

A criatura. A testemunha.
A criança. A vítima.
O cônjuge. O carrasco.
A criatura. O indivíduo.

Comuns de dois Gêneros

São substantivos que possuem uma só forma genérica para expressar os dois sexos. São masculinos quando designam homens e femininos quando designam mulheres. A diferenciação ocorre pelo artigo ou adjetivo que os acompanham.

Exemplos

O artista. A artista.
O colega. A colega.
O pianista. A pianista.
O jovem. A jovem.
O mártir. A mártir.
O fã. A fã.

 

Masculino Feminino Masculino Feminino
Abegão Abegoa Jogral Jogralesa
Alazão Alazã Juiz Juiza
Ateu Atéia Ladrão Ladra
Ancião Anciã Leão Leoa
Avô Avó Maestro Maestrina
Bode Cabra Mandarim Mandarina
Bugre Bugra Marques Marquesa
Cão Cadela Pato Pata
Capiau Capioa Papa Papisa
Cavalheiro Dama Pai Mãe
Carneiro Ovelha Perdigão Perdiz
Charlatão Charlatona Padrasto Madrasta
Coelho Coelha Parente Parenta
Compadre Comadre Pigmeu Pigméia
Conde Condessa Píton Pitonisa
Czar Czarina Poeta Poetisa
Consul Consulesa Prior Priora
Deputado Deputada Professor Professora
Diácono Diaconisa Profeta Profetisa
Duque Duquesa Rapaz Rapariga
Elefante Elefanta Réu
Frade Freira Sacerdote Sacerdotisa
Frei Sóror Sandeu Sandia
Embaixador Embaixatriz Sultão Sultana
Etiope Etiopisa Varão Matrona
Genro Nora Veado Corça
General Generala Vilão Vilã
Herói Heroína Zangão Abelha
Irmão Irmã    

 

A lguns substantivos mudam de senti do quando mudam de gênero. Tome cuidado!

Masculino Feminino
O cabeça ( chefe ) A cabeça ( parte do corpo )
O capital ( dinheiro ) A capital ( cidade principal )
O lotação ( veículo ) A lotação ( capacidade de um
veículo , elevador , sala ... )
O moral ( ânimo ) A moral ( disciplina filosófica )
O grama ( unidade de massa ) A grama ( capim )
O cabra ( sujeito valente ) A cabra ( animal )
O rádio ( aparelho receptor ou
elemento químico )
A rádio ( estação emissora )
O lente ( professor ) A lente ( instrumento óptico )

NÚMERO DOS SUBSTANTIVOS

1 ) A língua portuguesa admite dois números gramaticais, o singular e o plural. De um modo geral, a característica do plural é a letra s no final da palavra.

2 ) A formação do plural ocorre de diferentes maneiras, conforme a terminação do singular.

a ) Os substantivos terminados em s , r e z , fazem o plural em es, como em:

adeus - adeuses ator - atores faquir - faquires
juiz - juízes luz - luzes mar - mares
mês - meses nariz - narizes país - países

b ) Nos substantivos terminados em n o s é anexado diretamente, ou mediante o e , como em

abdômen - abdomens ou abdomenes

hífem - hifens ou hifenes

espécimen - espécimens ou especímenes

c ) Nos substantivos terminados em ão , ocorrem três tipos de plural

i ) Uns formam plural acrescentando s: mão - mãos irmão - irmãos cidadão - cidadãos chão - chãos grão - grãos

ii ) Outros mais numerosos, mudam de ão para ões: limão - limões sertão - sertões caminhão - caminhões anão - anões vulcão - vulcões

iii ) Outros, os mesmos numerosos, mudam de ão para ães: cão - cães capelão - capelães escrivão - escrivães pão - pães

Alguns substantivos terminados em ão admitem dois ou três tipos de plural

ão ões ães ãos
aldeão aldeões aldeões aldeãos
ancião anciões anciães anciãos
charlatão charlatões charlatães  
corrimão corrimões   corrimãos
refrão   refrães refrãos

d ) Os substantivos terminados em al, ol, ul, admitem plural trocando-se o l por is , como em:

carnaval - carnavais

curral - currais

farol - faróis

Exceções

cônsul - cônsules

cal - cales

mal - males

real - réis ( moeda antiga )

Atualmente, o plural de real ( moeda ) é reais ( moeda )

Exemplo: Recebi dois reais de troco.

Antigamente diríamos: Recebi dois réis de troco.

e ) Os substantivos terminados em il pluralizam-se assim:

i ) Se a palavra for oxítona, troca-se l por s:

barril - barris

ii ) Se a palavra não for oxítona, troca-se il por eis:

fóssil - fósseis

As palavras projétil e réptil , apesar de serem paróxitonas, também, podem ser pronunciadas como oxítonas e portanto admitem dois plurais:

projétil - projéteis - projetis

réptil - répteis - reptis

f ) Os substantivos terminados em el admitem os seguintes casos:

i ) Mudam de el para eis , se a palavra for oxítona:

quartel - quartéis

papel - papéis

ii ) Mudam de el para eis , se a palavra não for oxítona:

móvel - móveis

Casos Especiais:

1 ) Os substantivos terminados em x e os terminados em s, ficam invariáveis no plural.

o pires - os pires

o lápis - os lápis

o tórax - os tórax

2 ) Existem substantivos em que o ô ( fechado ) do singular se transforma em ó (aberto) no plural. Neste caso, dizemos que ocorreu metafonia ( que corresponde a mudança de timbre de uma vogal por influência de outra )

Singular Plural
ô ( fechado ) ó ( aberto )
abrolho abrolhos
coro coros
corvo corvos
caroço caroços
forno fornos
fosso fossos

No entanto, os substantivos que seguem, permanecem com o o ( fechado ) no plural.

Singular Plural
acordo acordos
almoço almoços
arroto arrotos
esposo esposos
globo globos
gosto gostos
gozo gozos
forro forros

3 ) Existem substantivos que só admitem plural.

afazeres

férias ( descanso ) núpcias trevas

víveres

4 ) Existem substantivos que ao passarem para o plural deslocam o acento tônico.

Singular Sílaba Tônica Plural Sílaba Tônica

caráter

caracteres

te

júnior

juniores

o

Lúcifer

Lucíferes

senior

se

seniores

o

Flexão dos substantivos (gênero e número)

Flexão

Varia em:

gênero

número

Variam em gênero

Cardinais: um, dois e os duzentos a novecentos; todos os ordinais; os multiplicativos e fracionários, quando expressam uma idéia adjetiva em relação ao substantivo

Variam em número

Cardinais terminados em -ão; todos os ordinais; os multiplicativos, quando têm função adjetiva; os fracionários, dependendo do cardinal que os antecede Os cardinais, quando substantivos, vão para o plural se terminarem por som vocálico (Tirei dois dez e três quatros)

Gênero (masculino x feminino)

Biformes: uma forma para masculino e outra para feminino. (gato x gata, príncipe x princesa). São heterônimos aqueles que fazem distinção de gênero não pela desinência mas através do radical. (bode x cabra, homem x mulher)

Uniformes: uma única forma para ambos os gêneros.

Dividem-se em:

epicenos – usados para animais de ambos os sexos (macho e fêmea)
comum de dois gêneros – designam pessoas, fazendo a distinção dos sexos através de palavras determinantes
sobrecomuns – um só gênero gramatical para designar pessoas de ambos os sexos.

Observação: alguns substantivos, quando mudam de gênero, mudam de sentido. (o cabeça x a cabeça)

Número (singular x plural)

Nos substantivos simples, forma-se o plural em função do final da palavra.

vogal ou ditongo (exceto -ÃO): acréscimo de -S (porta x portas, troféu x troféus)
ditongo -ÃO: -ÕES/-ÃES/-ÃOS, variando em cada palavra (anãos, balões, alemães, cristãos).

Apresentam múltiplos plurais: alão- alões, alãos, alães / alazão- alazões, alazães / aldeão- aldeões, aldeãos, aldeães / vilão- vilões, vilãos / ancião- anciões, anciãos, anciães / verão- verões, verãos / castelão- castelões, castelãos / rufião- rufiões, rufiães / ermitão- ermitões, ermitãos, ermitães / sultão- sultões, sultães, sultãos.

-R, -S ou -Z: -ES (mar x mares, país x países, raiz x raízes). As não-oxítonas terminadas em -S são invariáveis, marcando o número pelo artigo (os atlas, os lápis, os ônibus)
-N: -S ou -ES, sendo a última menos comum (hífen x hifens ou hífenes)
-X: invariável, usando o artigo para o plural (tórax x os tórax)
-AL, EL, OL, UL: troca-se -L por -IS (animal x animais, barril x barris)
IL: se oxítono, trocar -L por -S. Se não oxítonos, trocar -L por -EIS. (til x tis, míssil x mísseis)
sufixo diminutivo -ZINHO(A)/-ZITO(A): colocar a palavra primitiva no plural, retirar o -S e acrescentar o sufixo com -S (caezitos, coroneizinhos, mulherezinhas)
metafonia: -O tônico fechado no singular muda para o timbre aberto no plural, também variando em função da palavra. (ovo x ovos, mas bolo x bolos)

Apresentam metafonia: abrolho, contorno, caroço, corcovo, corvo, coro, despojo, destroço, escolho, esforço, estorvo, forno, foro, fosso, imposto, jogo, miolo, olho, osso, ovo, poço, porco, posto, povo, reforço, socorro, tijolo, toco, torto, troco.

Grau

Os substantivos podem apresentar diferentes graus, porém grau não é uma flexão nominal.

São três: normal, aumentativo e diminutivo e podem ser formados através de dois processos:

analítico – associando os adjetivos (grande x pequeno) ao substantivo
sintético – anexando-se ao substantivo sufixos indicadores de grau (meninão x menininho)

Observações:

o grau nos substantivos também pode denotar sentido afetivo e carinhoso ou pejorativo, irônico. (Ele é um velhinho legal / Que mulherzinha implicante)
certos substantivos, apesar da forma, não expressam a noção aumentativa ou diminutiva. (cartão, cartilha)

 

a)- Gênero:

Masculino: homem, aluno, gato...
Feminino: mulher, aluna, gata...

Quanto à formação do feminino, os substantivos podem ser:

A)- Epicenos: Têm apenas um gênero: o tigre, a cobra. Para designar o sexo usam-se as palavras (macho/fêmea)

B)- Comum de dois: Têm uma única forma para ambos os gêneros, distinguidos pelo artigo: artista, mártir, regente, pianista...

C)- Sobrecomuns: Têm apenas um gênero, designando ambos os sexos: a testemunha, o cônjuge, a criança, a vítima...

D)- Heterônimos: Apresentam palavras diferentes para o masculino e o feminino: bode/cabra, boi/vaca, cão/cadela, homem/mulher...

E)- Gênero duvidoso: A gramática ainda não se definiu sobre o gênero: laringe, faringe, hélice, tapa..

b)- Número:

Singular: livro, mesa. homem...

Plural: livros, mesas, homens...

c)- Grau:

I- Normal: casa, mesa, livro...

II- Aumentativo:

Analítico: casa grande, mesa grande, livro grande...
Sintético:
casarão, mesona, livrão...

III- Diminutivo:

Analítico: casa pequena, mesa pequena, livro pequeno...
Sintético: casinha, mesinha, livrinho...

Flexão de gênero

Diz-se que o substantivo é uma palavra variável, já que apresenta flexões gramaticais.

No português, há dois gêneros: masculino e feminino.

Se eles se diferenciarem por meio de permuta de desinência, acréscimo de sufixo ou mudança de radical, os substantivos serão classificados como biformes.

Exemplos: menino e menina; poeta e poetisa; homem e mulher.

Se, todavia, não houver mudança alguma no substantivo, ele será considerado uniforme, podendo ser:

a) comum-de-dois: o gênero pode ser determinado por artigo, pronome, numeral ou adjetivo. Exemplos: o dentista, a dentista; meu gerente, minha gerente;

b) sobrecomum: o gênero é único, e até as palavras que acompanham o substantivo são invariáveis. Exemplos: a vítima, uma criança;

c) epiceno: o gênero é determinado pelos adjetivos "macho" ou "fêmea". Exemplos: borboleta macho, jacaré fêmea.

Observação: consoante o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, nomes que designam profissões ou funções que eram tipicamente masculinas são sobrecomuns. Exemplos: Joana é um bom soldado; Maria é ótimo piloto; O sargento Lúcia chegou. Todavia, não se pode ignorar a inegável tendência de tratar tais nomes como comuns-de-dois: a soldado Joana, a sargento Lúcia, a piloto Maria.

Gênero vacilante

Muitas vezes, o gênero prescrito pelas gramáticas normativas não é assimilado pelos utentes do idioma. Vejamos agora duas pequenas listas de palavras que, segundo a norma-padrão, devem ser tratadas como masculinas e femininas.

Masculinas: o dó, o champanha (ou champanhe), o anátema (excomunhão), o caudal, o cataclismo, o diadema, o eclipse, o guaraná, o herpes, o xerox, o milhar,

Femininas: a cal, a alface, a acne, a couve, a mascote, a nuança, a agravante, a echarpe, a entorse, a libido, a própolis, a usucapião, a soja, a pipa, a bacanal.

Observação: as palavras "diabetes" e "personagem" podem ser usadas como masculinas ou femininas.

Mudança de gênero e de sentido

São muitas as palavras que têm o sentido alterado com a flexão de gênero.

Observem-se algumas:

O coma (sono mórbido)
A coma (cabeleira)
O cabeça (líder)
A cabeça (parte do corpo)
O criança (pessoa infantil)
A criança (pessoa de pouca idade)
O cólera (doença)
A cólera (ira ou doença)
O guia (cicerone)
A guia (documento ou meio-fio)
O caixa (livro-caixa)
A caixa (recipiente)
O moral (ânimo)
A moral (bons costumes)

Fonte: www.colegiosoafrancisco.com.br/www.graudez.com.br/www.cursoderedacao.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal