Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  verbo  Voltar

Verbo



 

Conceito

Palavra variável (pessoa, tempo, número e modo) que exprime uma ação, um estado, um fenômeno.

a) O policial prendeu o assassino. b) Maria foi atropelada pelo veículo. c) O assassino estava doente. d) No Nordeste quase não chove.

a) O policial praticou uma ação; b) Maria sofreu uma ação; c) O assassino encontrava-se num certo estado; d) Quase não ocorre um dado fenômeno da natureza no Nordeste.

Conjugações

Os verbos da língua portuguesa se agrupam em três conjugações, de conformidade com a terminação do infinitivo:

Infinitivo em AR - verbos de primeira conjugação (cantar, amar, procurar, etc.) Infinitivo em ER - verbos de segunda conjugação (correr, bater, ceder, etc.) Infinitivo em IR - verbos de terceira conjugação (ir, possuir, agir, etc.)

Estrutura do verbo (radical + terminação)

O verbo possui uma base comum de significação que é chamada de RADICAL.

A esse radical se junta, em cada forma verbal, uma TERMINAÇÃO, da qual participa pelo menos um dos seguintes elementos:

Vogal temática ( -a- , -e-, -i- , respectivamente para verbos de 1ª, 2ª e 3ª conjugação)

Exemplos

Desinência temporal (ou modo temporal) - indica o tempo e o modo:

canta (ausência de sufixo), cant-a-va, cant-a-ra

Desinência número-pessoal - identifica a pessoa e o número:

canta (ausência de desinência), cant-a-va-s (2ª pessoa singular), cant-á-ra- mos (1ª pessoa plural)

Todo o mecanismo da formação dos tempos simples repousa na combinação harmônica desses elementos flexivos com um determinado radical verbal. Muitas vezes, falta um deles, como, por exemplo:

VOGAL TEMÁTICA, no presente do subjuntivo e, em decorrência, nas formas do imperativo dele derivadas:

Exemplos

DESINÊNCIA TEMPORAL, no presente e no pretérito perfeito do indicativo, bem como nas formas do imperativo derivadas do presente do indicativo:

canto, cantas, canta, etc.; cantei, cantaste, cantou, etc.; canta (tu), cantai (vós);

DESINÊNCIA PESSOAL

a) na 3ª pessoa do singular do presente do indicativo (canta);

b) na 1ª e na 3ª pessoa do singular do imperfeito (cantava), do mais-que-perfeito (cantara) e do futuro do pretérito (cantaria) do indicativo;

c) na 1ª e na 3ª pessoa do singular do presente do subjuntivo (cante), do imperfeito do subjuntivo (cantasse) e do futuro do subjuntivo (cantar);

d) na 1ª e na 3ª pessoa do infinitivo pessoal (cantar).

Flexões do Verbo

O verbo apresenta variações de número, pessoa, modo, tempo e voz.

Número e Pessoa

O verbo admite dois números: singular (quando se refere a uma só pessoa ou coisa) e plural (quando se refere a mais de uma pessoa ou coisa).

A primeira pessoa é aquela que fala e corresponde aos pronomes pessoais eu (singular) e nós (plural):

1ª pessoa singular: eu falo 1ª pessoa plural: nós falamos

A segunda pessoa é aquela a quem se fala e corresponde aos pronomes pessoais tu (singular) e vós (plural):

2ª pessoa singular: tu falas 2ª pessoa plural: vós falais

A terceira pessoa é aquela de quem se fala e corresponde aos pronomes pessoais ele, ela (singular) e eles, elas (plural):

3ª pessoa singular: ele fala 3ª pessoa plural: eles falam

Modos

Os modos indicam as diferentes atitudes da pessoa que fala em relação ao fato que enuncia e são três:

a) Indicativo

Apresenta o fato como sendo real, certo, positivo.

Exemplo: Voltei ao colégio.

b) Subjuntivo

Apresenta o fato como sendo uma possibilidade, uma dúvida, um desejo.

Exemplo: Se tivesse voltado ao colégio, teria encontrado o livro.

c) Imperativo

Apresenta o fato como objeto de uma ordem, conselho, exortação ou súplica.

Exemplo: Volta ao colégio.

Formas nominais do verbo

São chamadas formas nominais, porque podem desempenhar as funções próprias dos nomes (substantivos, adjetivos ou advérbio) e caracterizam-se por não indicarem nem o tempo nem o modo.

São elas: o INFINITIVO, o GERÚNDIO e o PARTICÍPIO.

Infinitivo- exprime a idéia de ação e seu valor aproxima-se do substantivo:

"Navegar é preciso Viver não é preciso" (Fernando Pessoa)

Os verbos navegar e viver ocupam a função de um sujeito gramatical e por isso equivalem a um substantivo.

O infinitivo pode ser

Pessoal

Quando tem sujeito: É preciso vencermos esta etapa (sujeito: nós)

Impessoal

Quando não tem sujeito: Viver é aproveitar cada momento. (não há sujeito)

Gerúndio

Exprime um fato em desenvolvimento e exerce funções próprias do advérbio e do adjetivo:

O menino estava chorando. (função de adjetivo)

Pensando, encontra-se uma solução. (função de advérbio)

Particípio

Exerce as funções próprias de um adjetivo e por isso pode, em certos casos, flexionar-se em número e em gênero:

Terminado o ano letivo, os alunos viajaram.

Terminados os estudos, os alunos viajaram.

Tempo

O tempo verbal indica o momento em que acontece o fato expresso pelo verbo.

São três os tempos básicos: presente, passado (pretérito) e futuro, que designam, respectivamente, um fato ocorrido no momento em que se fala, antes do momento em que se fala e que poderá ocorrer após o momento em que se fala.

O presente é indivisível, mas o pretérito e o futuro subdividem-se no modo indicativo e no subjuntivo.

Indicativo

Presente : estudo

Pretéritos

Pretérito Imperfeito: estudava Pretérito Perfeito simples: estudei Pretérito Perfeito composto: tenho estudado Pretérito Mais-que-perfeito simples: estudara Pretérito Mais-que-perfeito composto: tinha (ou havia) estudado

Futuros

Futuro do presente simples: estudarei Futuro do presente composto: terei (ou haverei) estudado Futuro do pretérito simples: estudaria Futuro do pretérito composto: teria (ou haveria) estudado

Subjuntivo

Presente: estude

Pretéritos

Pretérito Imperfeito: estudasse Pretérito Perfeito composto: tenha (ou haja) estudado Pretérito mais-que-perfeito: tivesse (ou houvesse) estudado

Futuros

Futuro simples: estudar Futuro composto: tiver (ou houver) estudado

Imperativo

Presente: estuda (tu)

Formação dos tempos simples (Primitivos e derivados)

Quanto à formação dos tempos, estes dividem-se em primitivos e derivados.

Primitivos

a) presente do indicativo b) pretérito perfeito do indicativo c) infinitivo impessoal

Derivados do Presente do Indicativo

Derivados do Pretérito Perfeito do Indicativo

Derivados do Infinitivo Impessoal

Tempos derivados do presente do indicativo

Presente do subjuntivo

Para se formar o presente do subjuntivo, substitui-se a desinência -o da primeira pessoa do singular do presente do indicativo pela desinência -E (nos verbos de 1ª conjugação) ou pela desinência -A (nos verbos de 2ª e 3ª conjugação)

1ª conjugação

2ª conjugação

3ª conjugação

Des. temporal

Des. temporal

Desinência pessoal

1ª conj.

2ª/3ª conj.

CANTAR VENDER PARTIR      
cant  E vend  A part    A E A Ø
cant  Es vend  AS part    As E A s
cant  E vend  A part    A E A Ø
cant  Emos vend  Amos part    Amos E A mos
cant  Eis vend  Ais part    Ais E A is
cant  Em vend  Am part    Am E A m

IMPERATIVO

Imperativo afirmativo ou positivo

Para se formar o imperativo afirmativo, toma-se do presente do indicativo a 2ª pessoa do singular (tu) e a segunda pessoa do plural (vós) eliminando-se o S final. As demais pessoas vêm, sem alteração, do presente do subjuntivo.

Imperativo negativo

Para se formar o imperativo negativo, basta antecipar a negação às formas do presente do subjuntivo.

Presente Indicativo

Imperativo Afirmativo

Presente Subjuntivo

Imperativo Negativo

cant  o     -     cant e             -
cant  as  (- s)   > cant  a     cant es     > não cant  es
cant  a cant  e <  cant e      > não cant  e
cant  amos cant  emos <  cant emos   > não cant  emos
cant ais  (-s)   > cant  ai     cant eis       > não cant  eis
cant am cant  em <  cant em       > não cant  em

Tempos derivados do pretérito perfeito do indicativo

Pretérito mais que perfeito

Para formar o pretérito mais-que-perfeito do indicativo elimina-se a desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito. Acrescenta-se a esse tema a desinência temporal -RA mais a desinência de número e pessoa correspondente.

Outros gramáticos, como por exemplo Napoleão Mendes de Almeida, afirmam que este tempo origina-se da terceira pessoa do pretérito perfeito (cantaram/venderam/partiram), mediante a supressão do m final e acréscimo da desinência de número e pessoa.

1ª conjugação

2ª conjugação

 3ª conjugação

Des. temporal

Desinência pessoal

1ª /2ª e 3ª conj.
CANTAR VENDER PARTIR    
canta  RA vende  RA  parti   RA RA Ø
canta  RAs vende  RAs  parti   RAs RA s
canta  RA vende  RA  parti   RA RA Ø
cantá  RAmos vendê  RAmos  partí   RAmos RA mos
cantá  REis vendê  REis  partí   REis RE is
canta  RAm vende  RAm  parti   RAm RA

m

Pretérito imperfeito do subjuntivo

Para formar o imperfeito do subjuntivo, elimina-se a desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, obtendo-se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse tema a desinência temporal -SSE mais a desinência de número e pessoa correspondente.

Outros gramáticos afirmam que este tempo origina-se da terceira pessoa do pretérito perfeito (cantaram/venderam/partiram) mediante a supressão do -ram final e acréscimo da desinência modo-temporal -SSE e da desinência de número e pessoa.

1ª conjugação 2ª conjugação 3ª conjugação Des. temporal Desinência pessoal
1ª /2ª e 3ª conj.
CANTAR VENDER PARTIR    
canta  SSE vende  SSE  parti   SSE SSE Ø
canta  SSEs vende  SSEs  parti   SSEs SSE s
canta  SSE vende  SSE  parti   SSE SSE Ø
cantá SSEmos vendê SSEmos  partí   SSEmos SSE mos
cantá  SSEis vendê  SSEis  partí   SSEis SSE is
canta  SSEM vende  SSEm  parti   SSEm SSE

m

Futuro do subjuntivo

Para formar o futuro do subjuntivo elimina-se a desinência -STE da 2ª pessoa do singular do pretérito perfeito, obtendo-se, assim, o tema desse tempo. Acrescenta-se a esse tema a desinência temporal -R mais a desinência de número e pessoa correspondente.

Outros gramáticos afirmam que este tempo origina-se da terceira pessoa do pretérito perfeito (cantaram/venderam/partiram) mediante a supressão do -am final e acréscimo da desinência de número e pessoa.

1ª conjugação

2ª conjugação

3ª conjugação

Des. temporal

Desinência pessoal

1ª /2ª e 3ª conj.
CANTAR VENDER PARTIR    
canta  R vende  R  parti   R R Ø
canta  Res vende  Res  parti   Res R es
canta  R vende  R  parti   R R Ø
canta  Rmos vende  Rmos  parti   Rmos R mos
canta  Rdes vende  Rdes  parti   Rdes R des
canta  Rem vende  Rem  parti   Rem R em

Ao contrário de outros autores, Napoleão Mendes de Almeida faz a seguinte menção quanto à origem do futuro do subjuntivo:

" Sempre que tivermos dúvidas sobre a conjugação do futuro do subjuntivo, bastar-nos-á verificar a 3ª p.p. do pretérito perfeito. Se formos confrontar o futuro do subjuntivo com o infinitivo pessoal, notaremos haver igualdade de forma para muitos verbos, não dando o mesmo para uns tantos outros. Fazer, por exemplo, conjuga-se no infinitivo pessoal: fazer, fazeres, fazer, fazermos, fazerdes, fazerem; mas no futuro do subjuntivo veremos as formas: quando eu fizer, fizeres, fizer, fizermos, fizerdes, fizerem, porquanto este tempo se origina da 3ª p.p. do pretérito perfeito do indicativo.

voltar 123avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal