Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Pronomes Demonstrativos  Voltar

Pronomes Demonstrativos

 

Pronomes Demonstrativos - O que é

Os Pronomes Demonstrativos são aqueles que retomam um substantivo (ou um pronome) anterior a eles, substituindo-o no início da oração seguinte.

Pronomes demonstrativos são palavras que indicam, no espaço ou no tempo, a posição de um ser em relação às pessoas do discurso

Nome repetido

Exemplo: 

O jogo será no domingo. O jogo decidirá o campeonato. 

Reunindo as duas orações em um só período composto, temos:

Pronome relativo

(retoma “o jogo”) 

O jogo que decidirá o campeonato será no domingo

2ª oração
1ª oração 

Observe que nesse exemplo, a segunda oração se intercala na primeira.

O quadro a seguir apresenta todos os pronomes relativos:

Variáveis Invariáveis
o/a qual; os/as quais Que
Cujo(s), cuja(s) Quem
Quanto(s), quanta(s) Onde/aonde

Para que saber

Conhecer o papel desempenhado pelos relativos é importante porque:

Esses pronomes exercem um papel fundamental nas relações de vínculo e coesão entre as partes da frase;

Sua identificação na estrutura da frase é um pré-requisisto para o estudo das orações subordinadas adjetivas.

Características e empregos dos pronomes relativos 

A dupla função dos pronomes relativos 

Os relativos caracterizam-se pelo duplo papel que, simultaneamente, desempenham na estrutura da frase:

Substituem um termo antecedente (nome ou pronome)

Iniciam sempre uma nova oração.

Pronome relativo precedido de preposição

Em certos casos, é necessário introduzir uma preposição antes do pronome relativo. A preposição a ser empregada é, geralmente, exigida por um verbo ou por um nome presente na oração iniciada pelo relativo.

Veja nestas frases:

Não é este o lugar a que eles se referem?

A – preposição

Que – pronome relativo

Referem – Verbo Transitivo Indireto.

(a preposição a é exigida pelo verbo referir-se a alguma coisa.) 

Só contamos a verdade às pessoas em quem temos plena confiança.

Em – preposição

Quem – pronome relativo

Confiança – verbo transitivo indireto

(O nome confiança exige a preposição em: confiança em alguém) 

Relativo que

Quanto a esse pronome, deve-se observar o seguinte:

Pode ser empregado para retomar palavra que designa pessoa ou coisa e é substituível por o qual, a qual, os quais, as quais.

Exemplo:

Conheço a cidade que você visitou ontem. (Observe: “Conheço a cidade a qual você visitou ontem”)

Pode ser empregado nos casos em que não há exigência de preposição (como no exemplo anterior), ou depois de preposição de uma única sílaba (a, com, de, em, por etc).

Exemplo:

É muito valiosa a amizade das pessoas em que confiamos. ( Também seria correto: “É muito valiosa a amizade das pessoas nas quais confiamos) 

Se a preposição tiver mais de uma sílaba (perante, sobre etc), o relativo que deve ser substituído por o/a qual, os/as quais.

Compare: 

A notícia segundo que ele havia viajado é falsa (forma inadequada) 

A notícia segundo a qual ele havia viajado é falsa (forma adequada) 

O relativo que pode ter como antecedente (termo retomado) os pronomes demonstrativos o, a, os, as.

Veja estes exemplos:

Dentre as pessoas escolhi as que mais interessavam à escola.

As – pronome demonstrativo (as = aquelas)

Que – pronome relativo 

Quando esta nervoso, ninguém entende o que ele fala.

O – pronome demonstrativo = aquilo

Que – pronome relativo 

Relativo quem

Só pode ser empregado quando o antecedente nomeia uma pessoa (ou um ser personificado)

Exemplos

Estes são os atletas a quem entregaremos os prêmios.

Desejo esclarecer que não foi ela quem nos prejudicou.

O jaguar, a quem alguns povos andinos temiam, era considerado um deus. 

Relativo cujo(s), cuja(s)

Esse pronome sempre estabelece uma relação de posse e é empregado entre dois substantivos.

Exemplo:

Serão atendidas as pessoas cujos nomes constem na lista.

Pessoas – substantivo

Nomes – substantivo

(pessoas cujos nomes = nomes das pessoas – idéia de posse) 

Relativos onde/ aonde

Essas duas formas de pronomes relativos só podem ser empregadas para indicar lugar e têm usos diferentes.

Veja:

Onde indica “lugar em que”.

Exemplo: Visitarei a cidade onde nasci.

(onde=em que)

Aonde indica “lugar a que.

Exemplo:  Conheço a cidade aonde você irá.

(aonde = a que) 

Relativos quanto(s), quanta(s)

A palavra quanto (e suas variações) funciona como relativo quando é empregada depois dos indefinidos tudo, todo(s), toda(s), tanto(s) e tanta(s).

Exemplos:

Você fará o exercício tantas vezes quantas forem necessárias

Ele já comprou tudo quanto precisará durante a viagem. 

Pronomes Demonstrativos - Pessoas

Os Pronomes Demonstrativos são aqueles que situam os seres no tempo e no espaço, em relação às pessoas do discurso.

São os seguintes:

01) Este, esta, isto

São usados para o que está próximo da pessoa que fala e para o tempo presente.

Exemplo:

Este chapéu que estou usando é de couro.

Este ano está sendo cheio de surpresas.

02) Esse, essa, isso

São usados para o que está próximo da pessoa com quem se fala, para o tempo passado recente e para o futuro.

Exemplo:

Esse chapéu que você está usando é de couro?

2003. Esse ano será envolto em mistérios.

Em novembro de 2001, inauguramos a loja. Até esse mês, nada sabíamos sobre comércio.

03) Aquele, aquela, aquilo

São usados para o que está distante da pessoa que fala e da pessoa com quem se fala e para o tempo passado remoto.

Exemplo:

Aquele chapéu que ele está usando é de couro?

Em 1974, eu tinha 15 anos. Naquela época, Londrina era uma cidade pequena.

Outros usos dos demonstrativos

01) Em uma citação oral ou escrita, usa-se este, esta, isto para o que ainda vai ser dito ou escrito, e esse, essa, isso para o que já foi dito ou escrito.

Exemplo:

Esta é a verdade: existe a violência, porque a sociedade a permitiu.

Existe a violência, porque a sociedade a permitiu. A verdade é essa.

02) Usa-se este, esta, isto em referência a um termo imediatamente anterior.

Exemplo:

O fumo é prejudicial à saúde, e esta deve ser preservada.

Quando interpelei Roberval, este assustou-se inexplicavelmente.

03) Para estabelecer-se a distinção entre dois elementos anteriormente citados, usa-se este, esta, isto em relação ao que foi mencionado por último e aquele, aquela, aquilo, em relação ao que foi nomeado em primeiro lugar.

Exemplo:

Sabemos que a relação entre o Brasil e os Estados Unidos é de domínio destes sobre aquele.

Os filmes brasileiros não são tão respeitados quanto as novelas, mas eu prefiro aqueles a estas.

04) O, a, os, as são pronomes demonstrativos, quando equivalem a isto, isso, aquilo ou aquele(s), aquela(s).

Exemplo:

Não concordo com o que ele falou. (aquilo que ele falou)

Tudo o que aconteceu foi um equívoco. (aquilo que aconteceu)

Pronomes Demonstrativos - Este, Esse ou Aquele

Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número e invariáveis [isto, isso, aquilo].

Eles assinalam a posição do objeto designado relativamente às pessoas do discurso (falante/ouvinte) e ao assunto do discurso (o ser de que se fala).

Há uma estreita relação entre os pronomes pessoais, os possessivos e os demonstrativos:

1ª pessoa - meu - este, esta, isto

2ª pessoa - teu - esse, essa, isso

3ª pessoa - seu - aquele, aquela, aquilo

Apesar de existirem regras para os pronomes demonstrativos, não se constata muita rigidez no seu uso, principalmente na fala – quando se observa uma assimilação do t pelo s (parece que tudo é isso, essa, esse) – e sobretudo no tocante ao seu emprego para lembrar ao leitor ou ouvinte o que já foi mencionado ou se vai mencionar.

Vejamos então um esquema de bom emprego dos pronomes demonstrativos:

Em relação ao lugar:

O lugar onde estou: este

O lugar onde você está: esse

O lugar distante do falante e do ouvinte: aquele

Há neste ponto uma natural correlação com os advérbios de lugar: isto aqui – isso aí - aquilo ali / lá [jamais de diz aquilo aqui; pode-se até ouvir isso aqui, mas por causa da assimilação da letra t , já mencionada].

Exemplos corretos:

Neste capítulo [o capítulo que V. está descrevendo] apresentamos os objetivos.

Veja (aqui) esta borboleta, que linda!

Que país é este ? perguntam-se os brasileiros. [referindo-se ao Brasil e no Brasil]

Pegue aqui: relacione todos os nomes citados neste livrete.

Em atenção a pedido dessa instituição, estamos remetendo a V. Sa. o boletim ECO.

Traga-me esses livros que estão com você.

Logo que puder, despacharei os pacotes para essa cidade.

Emprego em relação ao tempo:

Tempo presente: este

Passado ou futuro próximo: esse

Passado distante: aquele

Exemplos:

Neste ano [trata-se de 2000] pouco se fez em favor dos sem-teto.

Não há ocorrência de acidentes nesta data. [hoje]

O avião a jato, a televisão e o computador são as maiores invenções deste século.

Nestes últimos vinte anos a mulher tem ocupado mais espaços.

A década de 20 marcou a conquista do voto pela mulher. Nesses dez anos ela travou grandes lutas pela liberdade.

Marina vai estar na cidade por esses dias...

Quando éramos crianças brincávamos mais, pois naquela época não havia pré-escola, nem aulas de natação, de balé, de inglês... Bons tempos aqueles! - diz vovó, nostálgica.

Emprego em relação ao discurso:

O que vai ser mencionado: este

É isto que eu digo sempre: cultura é fundamental. [o pronome está antes dos dois-pontos]

Nosso vizinho vive repetindo este provérbio: "Casa de ferreiro, espeto de pau".

O que se mencionou antes: esse

A segunda parte do trabalho dispõe sobre a marginalidade social. É nesse capítulo / nessa parte / nesse ponto que se discutem os desvios verificados nas instituições pesquisadas.

É possível comer manga e tomar leite junto? Melancia com vinho faz mal? Disso tratam os autores no final do artigo.

Emprego dos pronomes demonstrativos em relação ao discurso:

Entre dois ou três fatos citados:

O primeiro que foi citado: aquele

O do meio: esse

O último citado: este

Exemplos:

Houve uma guerra no mar entre corsários de França e Inglaterra: estes [desnecessário dizer que são os corsários ingleses] venceram aqueles.

Música de câmara e ópera são as suas preferidas: esta, porque mexe com seus sentimentos; aquela, pelos efeitos relaxantes.

Uma questão de clareza

É bastante comum o uso de este/esta no lugar do pronome pessoal ele/ela como referência à coisa mais presente, mais à mão, mais próxima (embora já apresentada), quando na oração anterior aparecem outros substantivos que poderiam ser referidos pelo mesmo pronome pessoal, o que poderia confundir o leitor.

Exemplos:

Quando o rei D. João V faleceu e D. José ocupou o trono, este recorreu a Sebastião José para ser Ministro da Guerra e dos Negócios Estrangeiros.

Dois antecedentes masculinos. Com ‘ele’ no lugar de ‘este’, à primeira vista poderíamos pensar ter D. João V, e não D. José, nomeado Sebastião José (o Marquês de Pombal) ministro.

Macpherson dirige sua crítica a Rawls quando este admite serem os princípios éticos da justiça econômica capazes de regular o mercado.

Pelo demonstrativo, fica claro que Rawls é o sujeito de ‘admite’, não Macpherson.

Há necessidade de romper com o conhecimento do passado e, em conseqüência dessa ruptura, torna-se inevitável a retificação da linguagem para que esta se torne adequada à nova ciência.

O pronome ‘ela’ no lugar de ‘esta’ não nos permitiria saber se o autor estava fazendo referência a ‘linguagem’, ‘retificação’ ou ‘ruptura’.

Quando os substantivos antecedentes pertencerem a número e gênero diversos ou quando não houver ambigüidade na frase, é melhor, mais adequado e correto usar o pronome pessoal ele(s) ou ela(s) em vez do demonstrativo:

Bachelard, no que se refere à necessidade de superação de obstáculos, alerta que eles não têm origem externa ao ato de conhecer. [e não ‘estes’]

Essa concepção de ensino não constitui novidade, a ponto de certos autores aludirem a ela como um aforismo. [desnecessário dizer ‘esta’]

O metal, aquecendo-se progressivamente com o aumento da corrente, deve derreter quando ela ultrapassar 10% de um valor prescrito.

Mais um detalhe: ao se referirem a elemento anterior mais próximo, os pronomes este(s) / esta(s) são encontrados também em combinação com o termo ‘último’:

Preocupa-se o autor com a escrita como processo, e não como literatura ou como texto a ser lingüisticamente analisado. Aliás, neste último caso não se leva em consideração o tipo de processo..."

Cabe mencionar ainda que no Brasil as editoras, principalmente, não estão sendo demasiadamente rigorosas com o uso dos demonstrativos (a não ser na questão de lugar e tempo), porque no aspecto de ‘localização do discurso’ muitas vezes a distinção entre o que é ‘mencionado anteriormente’ e o que é ‘lugar/tempo’ é pouco perceptível. Por exemplo, num texto em que vários artigos de lei estão sendo citados, o autor pode preferir dizer este artigo ao se referir a um já citado (quando então usaria esse artigo) porque ele está justamente tratando "deste último", do mais próximo (lugar), do que está presente naquele momento (tempo).

Também no caso de uma tese em que se fala de uma empresa ou pessoas pesquisadas, pode-se escrever "esta empresa" ou "estas alunas" mesmo tendo sido elas mencionadas antes - no parágrafo anterior, digamos -, desde que se pense nelas como "as alunas tratadas aqui, nesta pesquisa", ou "a empresa de que se fala neste trabalho, aqui e agora". São casos em que a escolha depende do ponto de vista de quem escreve.

Pronomes Demonstrativos - Palavras

As palavras que servem para mostrar ou designar as pessoas, as coisas ou os animais chamam-se pronomes demonstrativos:

Este homem viu esse carneiro tosquiado e aquele que ainda tem a lã.

Isto é uma libélula.

Isso não presta, mas aquilo é bom.

Têm a mesma idade.

Não queira estes pêssegos: escolha os outros.

As formas do pronome demonstrativo são as seguintes:

SINGULAR PLURAL  
Masculino Feminino Masculino Feminino Invariável
este esse aquele mesmo outro o tanto tal   esta essa aquela mesma outra a tanta tal   estes esses aqueles mesmos outros os tantos tais   estas essas aquelas mesmas outras as tantas tais   isto isso aquilo    

Há mais alguns pronomes demonstrativos, formados pela combinação dos pronomes este, esse e aquele com o pronome outro: estoutro, essoutro, essoutra, aqueloutro, essoutros, estoutros.

Os pronomes demonstrativos, quando se ligam a substantivos, exercem a função de adjetivos:

Este canteiro é mais florido do que aquele.

Esta casa é mais soalheira que essoutra.

Pronomes Demonstrativos - Substantivo

Os pronomes demonstrativos possibilitam localizar o substantivo em relação às pessoas, ao tempo, e sua posição no interior de um discurso.

Pronomes Espaço Tempo Ao dito Enumeração
este, esta, isto, estes, estas Perto de quem fala (1ª pessoa). Presente Referente aquilo que ainda não foi dito. Referente ao último elemento citado em uma enumeração.
Ex.: Não gostei deste livro aqui. Ex.: Neste ano, tenho realizado bons negócios. Ex.: Esta afirmação me deixou surpresa: gostava de química. Ex.: O homem e a mulher são massacrados pela cultura atual, mas esta é mais oprimida.
esse, essa, esses, essas Perto de quem ouve (2ª pessoa). Passado ou futuro próximos Referente aquilo que já foi dito.  
Ex.: Não gostei desse livro que está em tuas mãos. Ex.: Nesse último ano, realizei bons negócios Ex.: Gostava de química. Essa afirmação me deixou surpresa  
aquele, aquela, aquilo, aqueles, aquelas Perto da 3ª pessoa, distante dos interlocutores. Passado ou futuro remotos   Referente ao primeiro elemento citado em uma enumeração.
Ex.: Não gostei daquele livro que a Roberta trouxe. Ex.: Tenho boas recordações de 1960, pois naquele ano realizei bons negócios.   Ex.: O homem e a mulher são massacrados pela cultura atual, mas esta é mais oprimida que aquele.

Pronomes Demonstrativos - Formas

Pronomes Demonstrativos são subclasse de palavras que, substituindo os nomes, indicam a posição dos seres e das coisas no espaço e no tempo em relação às pessoas gramaticais.

Formas simples
Variáveis Invariáveis
Singular Plural
Masculino Feminino Masculino Feminino
este esta estes estas isto

isso

aquilo

esse essa esses essas
aquele aquela aqueles aquelas
o mesmo a mesma os mesmos as mesmas
o outro a outra os outros as outras
o a os as
tal tais

 

Formas Combinadas (Contrações)
Preposições Pronomes Demonstrativos
  este(s)  esta(s) esse(s) essa(s) aquele(s) aquela(s) isto isso aquilo
de deste(s)  desta(s) desse(s) dessa(s) daquele(s) daquela(s) disto disso daquilo
em neste(s)  nesta(s) nesse(s) nessa(s) naquele(s) naquela(s) nisto nisso naquilo
a         àquele(s) àquela(s)      

A crase e os pronomes demonstrativos

A crase não deve ser empregada junto a alguns pronomes demonstrativos.

Os pronomes demonstrativos não admitem determinantes (artigo, por exemplo). Dessa forma, não é apresentada na oração a contração entre artigo e preposição, mas tão somente a preposição.

Exemplos

Os estudos apontados levaram-nos à estas conclusões. [Inadequado] Os estudos apontados levaram-nos a estas conclusões. [Adequado]

Era exatamente à isso que a gente se referia. [Inadequado] Era exatamente a isso que a gente se referia. [Adequado]

Outros demonstrativos (aquele – e suas flexões –, mesmo, tal e, próprio) admitem a crase quando o termo regido pela preposição "a" é uma palavra feminina determinada por esses pronomes.

Exemplos

Voltei, então, aquela estalagem dos sonhos de abril! [Inadequado] Voltei, então, àquela estalagem dos sonhos de abril! [Adequado]

Ttermo regente: voltar a

Termo regido: (a) estalagem

Estalagem: palavra feminina

As glórias dos garimpeiros vinculavam-se a tal mobilização do governo. [Inadequado]

As glórias dos garimpeiros vinculavam-se à tal mobilização do governo. [Adequado]

Termo regente: vincular-se a

Termo regido: (a) mobilização

Mobilização: palavra feminina

Fonte: kplus.cosmo.com.br/www.cdb.br/www.nilc.icmc.usp.br/www.graudez.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal