Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Culinária Alemã  Voltar

Culinária Alemã

A comida do meio dia é a mais importante do dia. Um Weinkellerou Bierkeller, seria bom para uma comida leve e um Gaststätte é menos formal que um restaurante.

Em um Ratskeller se servem pratos tradicionais a preços razoáveis. Os desjejuns são fartos e os jantares leves. Além das salchichas e os hamburgues há outros suculentos pratos na Alemanha. Entre o mais típico destacamos o molho Wurst, em suas mil formas, é o mais popular. Entre as variedades regionais está o Bratwurst, molho com especiarias, Weisswurst, molho de carne; e Blutwurst. Outros pratos também muito típicos são o Eisbein, Rippeenspeer, Rotwurst, Rostbrätl e Schnitzel. Uma sobremesa muito popular é o Schwardzwälder Kirschtorte um pastel feito a base de frutas do bosque.

Bebidas

As bebidas mais escolhidas são a água mineral e os refrigerantes. A cerveja sem álcool é muito popular. Na Alemanha se consome muita cerveja e o país produz as melhores marcas. Os vinhos alemães também são exportados para o mundo todo.

COMPRAS

Os produtos alemães destacam-se pela a sua boa qualidade, tanto os industriais como o cristal de Bavária e a porcelana de Meissen, até a artesanato. Os objetos típicos que poderá levar o visitante variam segundo a região. Birkennstock, produz bons calçados. Reproduções de arte, livros, vinhos e cervejas para levar do país.

Fonte: www.rumbo.com.br

Culinária Alemã

Os cafés e tabernas alemães servem sopas, sanduíches, saladas e bolos. Uma Gasthaus ou Gasthof costuma oferecer os pratos típicos da região. Os bares são os preferidos pelos alemães que querem comer uma comida caseira acompanhada com cerveja ou vinho. O café da manhã se compõe de pão com presunto, mel, rodelas de carne cozida, queijo e um ovo cozido. É comum que nos domingos à tarde se tome um Kaffee und Kuchen (café com bolos).

Os alemães são orgulhosos de seus queijos e as salsichas e presuntos de Alemanha alcançaram fama internacional, em particular a Frankfurter e o presunto de Vestefália, mas existem dezenas de variedades regionais igualmente saborosas embora não sejam tão conhecidas. O melhor lugar para encontrar todo tipo de salsichas e queijos é nas feiras livres de cada cidade.

Schweinehax'n é o pé de porco e geralmente é servido com Blaukraut (repolho roxo) e Knödel (bolinho), todas comidas muito típicas nas cervejarias alemãs.

Fonte: www.garschagen.com.br

Culinária Alemã

Acozinha alemãvaria muito de uma região para outra. Lá, aculináriaé associada a pratos substanciosos, com muita salsicha, carne de porco - a mais popular-, além de tortas e bolos tentadores. Mas, com a apresentação de pratos mais leves e refinados, há duas décadas que esta imagem vem sendo mudada, o que não abafa o cardápio e os ingredientes tradicionais, com uma produção de 1500 tipos de salsicha, além de uma variedade enorme de queijos e presuntos.

As regiões sudoeste, Bavária e Suabia, compartilham muitos pratos da suaculináriacom os países vizinhos ao sul, Suíça e Áustria. Ao oeste, a culinária francesa tem influência maior, enquanto que as regiões ao leste da Alemanha têm em comum com a comida do Leste Europeu, onde há influência escandinava nas regiões costeiras do nordeste.

Carnes na comida alemã

Porco, bife e aves são as principais variedades de carnes consumidas naculinária alemã.

Entre as aves, está a carne de galinha, embora pato, ganso e peru estejam bem estabelecidos naculinária alemã.

Carne da caça, especialmente de javali, coelho e veado, são disponíveis no ano todo.

Peixe na comida alemã

A truta é o peixe de água doce mais comum naculináriado país, embora lúcio, carpa e perca também sejam. Frutos do mar eram tradicionalmente restritos às áreas costeira no nordeste - exceto pelo arenque. Hoje em dia, muitos peixes como o arenque, sardinha, atum, cavalinha e salmão têm sido bastante aceitos na culinária de todo o país.

Vegetais na culinária alemã

Os vegetais são geralmente consumidos em ensopados ou sopas, mas também podem ser servidos como pratos complementares. São comuns na comida alemã a cenoura, nabo, espinafre, ervilha, feijão e vários tipos de repolho. Cebolas fritas são uma adição comum a vários pratos de carne, exceto naculináriada Bavária.

Aspargos, especialmente o branco, são bastante apreciados como um prato complementar ou principal.

Temperos e condimentos na culinária alemã

Mostarda é um acompanhamento bastante comum às salsichas. Nas partes ao nordeste da Alemanha, há uma variedade doce da mostarda, a qual é quase exclusivamente servida com especialidades da Bavária, como Weißwurst e Leberkäse. Geralmente, com exceção da mostrada para salsichas, os pratos daculinária alemãraramente contém temperos e condimentos.

Sobremesas na culinária alemã

Uma grande variedade de tortas e bolos está presente por todo o país e normalmente são feitos com fruta fresca, como maçã, ameixa, morango e cereja. Sorvetes também são bastante populares.

Fonte: www.americanadigital.com.br

Culinária Alemã

Acozinha da Alemanhaé muito variada e possui uma marca especial, dependendo
de cada região do país. As pessoas associam aculinária alemãa pratos substanciosos, com muita salsicha, carne de porco, além de tortas e bolos tentadores.

Culinária Alemã
Nhoque alemão

Esta imagem está sendo um pouco mudada, pelo menos nos restaurantes mais sofisticados do país, que conquistaram o segundo lugar no respeitado Guia Michelin de Gastronomia, ficando somente atrás da França.

A mudança vem ocorrendo há duas décadas, na apresentação de pratos mais leves e refinados, mas certamente não abafa o cardápio e os ingredientes tradicionais, que podem ser encontrados nos cafés, bares e feiras livres do país.

Os alemães produzem 1500 tipos de salsicha, além de uma variedade enorme de queijos e presuntos, famosos no mundo inteiro.

Fonte: www.ccba.com.br

Culinária Alemã

Einsbein. Sauerkraut. Kassler. Apfelstrudel. Knödels, talvez. Apesar de encravada no meio do caminho entre a França e a Itália - donas das gastronomias mais importantes do continente -, aculinária alemãé pouco conhecida entre os brasileiros, exceto entre descendentes. A idéia geral é a de que se trata de uma cozinha "substanciosa" e "generosa" e que valoriza carnes de porco, repolho e cozidos.

Esta idéia geral não está totalmente incorreta, mas ao resumir a cozinha germânica a este conceito perdemos uma dezena de detalhes e variaçõesculinárias, que, como em qualquer país, mudam de região para região.

Ao norte, por exemplo, onde as influências holandesas, escandinavas e polonesas misturam-se às tradições alemãs, encontramos sopas grossas, peixes e carnes defumadas. A Alemanha Central é conhecida por fazer uso de ingredientes como cerveja, pão e presunto, além de ragouts, vegetais frescos e doces folhados eslavos. No sul (em especial nas províncias de Baden e Rhineland, a terra do vinho), a carne de caça predomina. Na Bavária, por sua vez, os carros-chefes são as carnes e a pâtisserie.

Uma característica marcante da comida alemã é a mistura de frutas às comidas salgadas, como a sopa de cerejas e a sopa de enguias (com cenouras, ervilhas, aspargos, ameixas e damascos secos) especialidades de Hamburgo. Na região da Floresta Negra, há o lombo de veado servido com maçãs e recheado com frutas vermelhas. O tradicional Himmel und Erde ("Céu e Terra") é feito de purê de batatas e maçãs e servido com lingüiças grelhadas.

Foi a charcutaria, aliás, que deu fama aos alemães. A variedade é imensa e está na mesa de famílias do país todo. Há salsichas para grelhar/fritar (bratwurst) ou pochear (kochwurst), feitas com um ou diversos tipos de carne e acrescidas de especiarias.

A weisswurst, por exemplo, é branca e leva vitelo, carne de boi e salsinha. Deve ser consumida de preferência fresca. A crocante bockwurst, mais conhecida aqui como salsichão de alho, pode ser pocheada ou grelhada. A frankfurter, uma das mais conhecidas, também é bastante crocante, mas mais fina e feita 100% de carne suína, diferentemente da wiener, a versão da frankfurter que permite carne bovina em sua composição. Ambas devem ser pocheadas, de preferência. A nurenberger, de carne de porco, ervas aromáticas e também branca, deve ser frita.

Adriano Olmeda, do frigorífico Eder, esteve em Munique aprendendo técnicas de charcutaria com um mestre alemão. Ele ensina a maneira correta de pochear as salsichas: "Primeiro ferva a água. Quando atingir o ponto de fervura, jogue as salsichas na panela e deixe o fogo ligado por somente trinta segundos. Desligue e mantenha a panela tampada por mais cinco minutos. Coma imediatamente para aproveitar a textura da salsicha". Na grelha o tempo de cozimento também é rápido. Basta que dourem. Faça cortes nas salsichas para que não estourem. Na frigideira nem isso é preciso. Segundo ele, as salsichas podem ser consumidas puras ou acrescentadas a chucrutes e sopas.

Outros componentes típicos da cozinha alemã são os pães de todas as cores e formatos, como os integrais, de centeio e trigo ou ainda temperados gergelim e cominho (knackebrot e pumpernickel). Dentre os queijos, destaca-se o Quark, mole e normalmente misturado a cebolas, páprica e ervas. Variedades de carnes, peixes, frutos do mar e aves são encontradas em todo o país. Sim, alemães apreciam muito as ostras e mexilhões, assim como galinha e ganso. A carne moída típica de Berlim e Hamburgo virou o hamburger americano.

Dentre os vegetais, claro, o repolho de todas as cores lidera a preferência. Mas a batata, como em muitos países europeus, também é muitíssimo usada. Dentre as frutas, as mais típicas são as maçãs e cerejas, geralmente transformadas em conservas, geléias e eaux-de-vie (como o kirsch). Como sobremesa, há doces folhados, biscoitos, perfumados bolos de especiarias, além do típico e gigante bolo de natal, o baumkuchen, em formato de árvore. O marzipã é um dos chamarizes da cidade de Lübeck, que clama para si a responsabilidade de ter inventado a especialidade confeiteira.

Apesar de não ter a melhor reputação vinícola, especialmente no Brasil, a Alemanha possui vinhos preciosos. A bebida por excelência para acompanhar as refeições, no entanto, é a cerveja, claro.

Fonte: www.primus.com.br

Culinária Alemã

Um das receitas típicas que o chef Diethelm Maidlinger indica é a Panqueca de Batata com Compota de Maçã, excelente para servir de sobremesa neste clima de outono, principalmente enquanto você assiste aos jogos e torce pela nossa seleção.

O clima também é ideal para reunir os amigos em casa e fazer aquela fondue. Esta semana temos duas opções. Uma delas é a Fondue de Carne que pode ser feita com carne de boi ou cordeiro. O importante é que ela seja de textura delicada e sem gordura. Uma boa pedida pode ser o filé mignon.

Para deixar a carne ainda mais saborosa, o ideal é colocá-la em uma tigela forrada com cebolas, azeite de oliva, manjericão e pimenta-do-reino em grãos, e deixar apurar por 12 horas coberta por uma camada de cebolas em rodelas. Depois disso, ela já estará pronta para a fondue.

Na hora de saborear só tempere a carne depois de frita. Sirva com cinco molhos diferentes: Molho Tartare Especial, Chutney de Manga, Molho de Alho, Molho Dourado e Molho Rosé.

Mas para quem está com vontade de saborear a Fondue de Chocolate, não esqueça de incluir na mesa uma boa variedade de frutas, entre elas, o morango, a banana, a maçã, o acabaxi, o kiwi e a uva Itália.

Fonte: cybercook.uol.com.br

Culinária Alemã

Em nenhum outro lugar do mundo, há tamanha variedade de pães como na Alemanha.

Mas aculinária alemãvai bem além disso. Além das famosas salsichas, chefes de cozinha do país fazem parte da exclusiva elite mundial. Clique abaixo para ler sobre bolos, tortas e outras tradições gastronômicas alemãs.

A salsicha alemã tem até sua própria realeza

Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: A salsicha está entre os dez pratos mais consumidos na Alemanha.

Ao todo, são mais de 1500 tipos diferentes de salsichas. Cada região tem sua típica ou elege sua favorita. Não restam dúvidas sobre o porquê de o mundo inteiro classificar o prato como uma especialidade alemã.

Quando se pensa emculinária alemã, a salsicha é um dos pratos sempre lembrados. Branca, vermelha, crua, cozida ou assada, diversas regiões da Alemanha preparam a especiaria de forma diferente, adaptando-a a seu gosto ou seguindo a receita de seus antepassados.

São quatro os principais tipos de salsicha:Rohwurst, Kochwurst, Brühwurst e Bratwurst. A carne das Rohwurst é deixada crua e é conservada salgada, curada ou defumada. A Kochwurst é cozida, já a Brühwurst é aferventada em água ou sopa e o aroma é atribuído à carne por meio de um longo processo de defumação. Uma das mais populares, a Bratwurst é degustada frita ou grelhada.

São, ao todo, mais de 1500 qualidades de embutidos. Na Baviera, a favorita é a salsicha branca (Weisswurst), que é aferventada e servida com mostarda doce picante e Bretzeln, uma qualidade de pão. Os suábios, no sudoeste do país, preferem a salsicha escura, temperada com tomilho, cravo e noz-moscada.

Culinária Alemã
Salsicha

Outros tipos são tão específicos de determinada região que chegam a receber seu nome. A salsicha vermelha da Turíngia (Thüringer Rostbratwurst) tem gosto picante e é servida assada com orégano. Em Berlim, come-se a Berliner Wurst com ketchup e muito curry. Em Frankfurt, as Frankfurter são feitas de sal, bacon, diversos tipos de temperos e têm um tom amarelado, em conseqüência do processo de defumação. A Francônia também tem sua Frankenwurst. Existe até a Käseknacker, com recheio de queijo derretido.

A rainha das salsichas da Turíngia

Culinária Alemã
Gabriele Jahn

Gabriele Jahn, eleita rainha da salsicha em 2004 e 2005. O Estado da Turíngia promove anualmente um concurso para eleger sua rainha das salsichas, cuja tarefa é promover o produto nas feiras e exposições do ramo por todo país. A fim de tornar a publicidade ainda mais eficaz, a rainha canta músicas que têm a salsicha como tema, a exemplo da Thüringer Fleischerlied e da Bratwurstlied. Há, inclusive, um CD à venda com as músicas na voz da própria rainha da salsicha.

Alemães são loucos por pão

Culinária Alemã
Alemães são loucos por pão

Großansicht des Bildes mit der Bildunterschrift: O que seria dos alemães sem o pão?

A Alemanha tem mais tipos de pães do que qualquer outro país. E, todos os anos, novas variedades são criadas para atender o mercado. Os alemães chamam o pão de o alimento para a vida. E, realmente, a vida dos alemães seria muito difícil sem ele.

Em muitos países, a padaria local ou as prateleiras do supermercado têm alguns tipos diferentes de pão: o pãozinho branco, o integral, e, com sorte, acha-se uma baguete.

Mas se um estrangeiro entrar numa padaria alemã, encontrará uma oferta infinita do produto. Tem pão de centeio escuro e claro, pão branco, preto, com flocos de cereais, pão de legumes, de batata, etc. A variedade é imensa, do leve e macio pão branco, passando pelas nuanças das misturas de grãos, ao pesado pão preto com consistência de tijolo(pumpernickel).

"Para completar, ainda tem os pães da moda. Este ano, o de baixo carboidrato é a estrela da temporada", disse Bernhard Rott, presidente da Associação dos Panificadores de Bonn. "Na Alemanha, tudo vira pão, nós temos produtos como pão de cenoura e pão de ervas. Você encontra de tudo aqui."

Abundância de padarias

Padeiros alemães exibem seus produtos Todos esses pães precisam ser assados e vendidos e na Alemanha não falta quem faça isso. Existem no país mais de 18 mil empresas no setor. Há ofertas do produto em cada esquina alemã.

As padarias alternativas têm se destacado neste segmento, pois a procura por produtos naturais e saudáveis cresceu nos últimos anos no país.

"Os alemães têm uma grande afinidade com os produtos naturais e padarias são tipicamente alemãs", disse Andrew Murphy, proprietário de um padaria alternativa. "Se existe um lugar bom no mundo para se abrir uma padaria alternativa, é na Alemanha."

Tradição medieval

Por que os alemães são loucos por pão? Existe até um programa infantil que tem como astro um pão falante chamado Bernd. Bernd é feio e irritante, mas faz sucesso até entre os adultos.

Especialistas dizem que o mistério não é fácil de solucionar, pois está escondido nas neblinas da Idade Média. No entanto, os historiadores acreditam que associações medievais de panificadores desempenharam um papel importante na fabricação do alimento tão cobiçado.

Bernd, o pão. Sucesso entre crianças e adultos"As associações não somente controlavam o preço, mas também a qualidade dos pães", explica Andrea Fadani, diretora do Museu do Pão em Ulm – e talvez a associação alemã fosse mais exigentes que as demais. "Depois disso, o gosto pela coisa foi desenvolvido e o pão ganhou o mundo."

Centeio, o néctar dos deuses

Apesar de os alemães comerem quase todos os tipo de pão, as variedades do preto são as mais procuradas. Turistas podem torcer o nariz ao ver pães tão escuros lotando as prateleiras das padarias. Mas, para os alemães, quanto mais preto, melhor. Centeio é considerado o néctar dos deuses, e os padeiros alemães são virtuosos com os grãos.

"Nós temos uma relação especial com o pão preto," esclarece Fadani: "Centeio é fácil de cultivar e não precisa de solos de qualidade".

De acordo com Bernhard Rott, da Associação de Panificadores, não é fácil assar com centeio, mas por outro lado os padeiros da Alemanha são celebrados ao redor do mundo e seus talentos de fermentação são muito procurados.

"É interessante o que se pode realizar com apenas um pouco de trigo e centeio", conclui.

Padarias: uma tradição ameaçada de extinção

Pães para todos os gostos: a incrível variedade dos fornos alemães.

Há mais de mil anos parte da paisagem urbana alemã, as padarias de esquina ameaçam ser engolidas pelas grandes cadeias e supermercados.

Os padeiros são talvez os mais simpáticos embaixadores da Alemanha no exterior. Em Cingapura, Namíbia, Estados Unidos ou no Brasil, estão sempre prontos a levar um pouco da rica "cultura de massas" germânica, quer na forma de pumpernickel, pão de chucrute ou bretzel. Seu sucesso é garantido e os faturamentos, respeitáveis.

Embora a população local também consuma avidamente o produto – por semana, em média, sete pãezinhos, quase 30 fatias de pão e uma boa porção de bolos e biscoitos –, na Alemanha a situação anda difícil para as padarias, em especial para as de pequeno porte.

Tradição e monopólio

A Padaria Zimmermann existe desde 1875. Bem situada no centro da cidade de Colônia, ela atrai os passantes com mais de 70 variedades de pães e bolos. Mesmo assim o proprietário, Markus Zimmermann, preocupa-se, pois negócios de família como o seu tornaram-se raros.

Na Alemanha o ofício já conta mais de mil anos de história, e a pequena padaria da esquina é parte da paisagem urbana. Porém, de mais de 30 mil pequenos negócios há 15 anos, restam atualmente cerca de 18 mil. Seu lugar é gradativamente tomado pelas grandes cadeias, com 20 a 30 filiais, ou, no caso extremo da Kamps, até com mil.

Segundo Peter Susbauer, da Associação das Padarias Alemãs, a atual tendência é o fechamento de 700 a 800 negócios independentes por ano. Quem resiste, como é o caso de Dieter Sürth, dono de uma padaria num subúrbio de Colônia, teve que contar no ano passado com uma queda de faturamento de 30% e prejuízos de dezenas de milhares de euros.

Congelados e computador na guerra do pão

O que está causando o fim das pequenas padarias? Por um lado, as pressões econômicas levam o consumidor a abdicar de luxos como biscoitos e bolos artesanais. No tocante aos pães, a concorrência é brutal: enquanto o trabalho do pequeno padeiro ainda é basicamente manual, as grandes cadeias de supermercados e de padarias trabalham com produtos semiprontos. O pessoal das lojas tem apenas que colocar a massa em fornos controlados por computador e em poucos minutos os pãezinhos estão prontos para venda.

Embora implicando uma certa uniformidade, este recurso reduz sensivelmente os custos de pessoal e permite preços até 75% abaixo dos oferecidos pelos padeiros artesanais. Para estes resta um único trunfo: seu contato direto com o cliente e um serviço atencioso. Infelizmente, esta é uma arte em que os comerciantes alemães ainda carecem de muita prática, além de ter cotação baixa em tempos de crise.

A culinária alemã de Natal

Culinária Alemã
Culinária alemã de Natal

A árvore decorada faz parte do ambiente natalino

Muitas famílias alemãs comem na ceia de Natal ganso recheado. Típicos da época natalina são também vários tipos de bolachas e biscoitos.

Com a vida agitada na sociedade moderna, não serão todas as alemãs que fazem as deliciosas plätzchen, bolachinhas dos mais variados formatos e enfeitadas com todo capricho. Mas dona de casa que se preze sempre passa algumas horas na cozinha em dezembro, assando suas próprias bolachas e biscoitos.

Principalmente se tem filhos, que não perdem a oportunidade de ajudar a cortá-los com as forminhas e, depois, decorá-los.

Culinária Alemã
Crianças curtem cortar e decorar as bolachinhas

Crianças curtem cortar e decorar as bolachinhas.

As bolachinhas, aliás, servem para consumo próprio, para oferecer às visitas ou então, embaladas com bom gosto e imaginação, para se dar de presente. Uma receita básica para a massa você pode consultar no link abaixo.

Em vez de peru, ganso assado

Culinária Alemã
Ganso assado

Ganso assado não é somente um prato festivo para a noite de Natal na Alemanha. Todos os anos, ele faz parte do cardápio da nação desde 11 de novembro, dia de São Martinho. Conta-se que o santo que não queria ser bispo se escondeu entre os gansos, quando foram buscá-lo, mas as aves delataram o seu esconderijo com seu alarido.

Castanhas e maçãs fazem parte do recheioIngredientes: 1 ganso de aproximadamente 4 quilos com seus miúdos, sal e pimenta, 440 gramas de castanhas cozidas e descascadas, 3 maçãs vermelhas grandes, 1 pão francês, 1 colher de chá de manjericão seco (no Brasil pode-se usar folhas de manjericão fresco), 1 colher de chá de artemísia (se não achar, use estragão), meio litro de caldo de galinha, 2 colheres de manteiga, 1 colher de açúcar, 250 ml de vinho tinto, 3 colheres de creme (ou leite) e maizena para engrossar o molho.

Preparo:Lavar e secar o ganso, inclusive por dentro, retirar toda gordura solta no seu interior. Esfregar sal e pimenta por dentro e por fora. Preparar primeiramente o recheio. Descascar as cebolas, cortá-las em pedacinhos e refogá-las no óleo. Acrescentar os miúdos cortados, uma maçã descascada e picada em pedacinhos, as castanhas e o pão francês esmigalhado (pode ser substituído por 6 colheres de farinha de rosca). Temperar com sal, pimenta, manjericão e estragão. Os miúdos não precisam estar totalmente cozidos. Rechear o ganso e fechá-lo com agulha e linha ou pequenos espetinhos de metal.

Assadura:Ele deve ser assado em 175 graus, demorando entre 3 horas e meia e 4 horas. O recipiente ideal tem a forma de uma panela. Derramar o caldo aos poucos, para não secá-lo. Se o caldo acabar logo, continuar regando com salmoura. Algumas receitas recomendam temperaturas mais fortes durante meia hora (240 graus), e que se diminua o fogo depois para 140 graus. Isso garante um ganso mais macio. Para dourá-lo pode-se elevar o fogo no final. Nos últimos dez minutos, acrescentar as maçãs partidas ao meio (mas com casca) e com um pouco de açúcar. Para fazer o molho, tirar o excesso de gordura do caldo.

Molho:Retirado o ganso, o molho pode ser preparado na própria forma, acrescentando-se água e o vinho. Dissolver a maizena no leite para engrossar, temperar com sal e pimenta. O ganso é servido com repolho rouxo e kartoffelklösse, uma espécie de bola de massa de batata, cozida em água. Batatas cozidas são outra alternativa.

As receitas de cuca, toss e eierschmier estão aqui:

Cuca colonial

meio quilo de farinha de trigo,
um tablete de fermento para pão
150 gramas de açúcar
65 gramas de manteiga mole
65 gramas de banha
três ovos
uma pitada de sal
casca ralada de um limão
uma pitada de noz moscada ralada
Modo de preparo:

Fazer um buraco no meio da farinha, dissolver ali dentro o fermento com uma colher de açúcar e um pouco de água morna. Deixar levedar por 20 minutos.

Misturar muito bem os ovos com o açúcar e o resto dos ingredientes. Sovar na batedeira por pelo menos oito minutos e deixar crescer até dobrar de volume.

Colocar em uma forma grande ou duas pequenas e deixar crescer mais uma vez.

Antes de levar ao forno, pincelar com uma gema e uma colher de leite e colocar por cima o seguinte Streusel:

1 xícara de farinha de trigo
4 colheres de açúcar
1 colher de canela em pó
2 colheres de manteiga
Com os dedos, fazer uma farofa com todos os ingredientes.

Mehltoss (bolacha de farinha)

seis ovos,
30 colheres de açúcar
uma xícara de leite bem quente,
uma xícara de nata,
duas colheres de manteiga,
40 gramas de sal amoníaco (uma peculiaridade das bolachas do interior do RS)
farinha o quanto baste
Dissolver o sal amoníaco no leite quente e misturar todos os ingredientes, sovar e estender a massa, para recortá-la. Assar as bolachinhas, para depois decorá-las a gosto.

Eierschmier

cinco ovos
uma pitada de sal,
100 gramas de farinha de trigo
¼ de litro de leite,
1 colher de sopa de manteiga ou banha

Bater os ovos, juntar a farinha e o leite, misturando até formar uma massa de panqueca. Juntar o sal e deixar a massa descansar um pouco. Enquanto isso, aquecer a gordura numa frigideira e colocar a massa toda de uma só vez, mexendo até ficar consistente. Pode-se passá-la no pão enquanto quente ou fria.

A sociedade do café com bolo

Culinária Alemã
Bolos e tortas alegram os olhos de quem vai a uma confeitaria alemã

Dizem que os alemães são bons em tecnologia, mas quem conhece a Alemanha sabe que bom mesmo são as conversas regadas a café com bolo nas tardes de domingo.

Sérios, pensativos, organizados, racionais, mas onde está a sensibilidade dos alemães? O fato de serem tão bons na técnica poderia sugerir que não sobraria espaço para tal, o que não é absolutamente verdade. Entretanto, se toda ela tivesse sido usada nos doces e bolos que aqui se fazem, eu lhes asseguro que já seria suficiente.

Ao vir à Alemanha e observar pessoas de todos os sexos e idades carregando um embrulho nas mãos nas tardes de domingo, não pense que estão escondendo algo, pois nada há de proibido no que levam, com exceção de algumas deliciosas calorias.

Alemães errantes ao caminho de casa com um embrulho nas mãos é sinal de conversa.

Culinária Alemã
Uma boa mesa preparada para uma boa conversa

Quem não come não conversa

Paradoxalmente, se é em torno da cerveja que se joga conversa fora no Brasil, é em torno de uma mesa de café com bolo que o mesmo acontece na Alemanha, e esta tradição tem um nome: kaffeeklatsch ou conversa de café.

Cozinha alemã perde pontos com a crise

O guia gastronômico Gault Millau publicou a sua lista anual dos melhores cozinheiros da Alemanha. Oito mestres-cucas alemães fazem parte da exclusiva elite mundial, composta de 35 "chefs de cuisine" que receberam pelo menos 19 do máximo de 20 pontos atribuídos pelos rigorosos críticos.

O cozinheiro Hans Stefan Steinheuer, de Bad Neuenahr, está agora entre os melhores do mundo, segundo o guia gastronômico Gault Millau. Na sua edição de 2004, o guia apresentará Steinheuer, de 44 anos de idade, como um dos mais novos integrantes da lista dos 35 melhores do mundo.

Na Alemanha, oito chefs de cuisine constam desta lista. Isto, contudo, não significa uma tendência positiva de maneira geral: pela primeira vez em 20 anos, a maioria dos templos gourmets alemães perdeu pontos na classificação. Segundo Manfred Kohnke, redator-chefe da edição alemã do guia, "os melhores cozinheiros da Alemanha mantêm o seu nível, mas os demais estão decaindo".

Crise de consumo

Na avaliação dos restaurantes alemães para a sua edição de 2004, o guia Gault Millau deu notas melhores que no ano anterior a 126 cozinheiros. Mas outros 147 caíram na sua classificação. Isto é visto, de certa forma, como uma conseqüência da crise de consumo na Alemanha. Também os gourmets reduziram seus gastos em restaurantes, o que teria refletido negativamente na qualidade dos menus.

De acordo com Manfred Kohnke, há indícios claros de que os hábitos de consumo estão sendo retomados pouco a pouco. Entretanto, só poderão lucrar com isto os restaurantes que mantiverem um programa constante do mais alto nível, advertiu o redator-chefe do Gault Millau.

O melhor do ano

O "cozinheiro do ano", segundo o Gault Millau, é Sven Elverfeld do restaurante Acqua, no Hotel Ritz-Carlton em Wolfsburg. Suas criações exóticas – Fígado de Ganso em Manto de Cacau e Amêndoa ou, por exemplo, Salada de Lavagante com Feijão Preto – são "uma explosão artística, e nunca artificial, de sabor", segundo a justificativa da escolha.

O restaurante Zur alten Post, em Bad Neuenahr – uma pitoresca cidadezinha próxima a Bonn, também foi motivo de elogios, graças ao seu proprietário e chef de cuisine Hans Stefan Steinheuer, classificado como um "virtuose das variações".

Para Manfred Kohnke, porém, o melhor cozinheiro alemão continua sendo Harald Wohlfahrt, do restaurante Schwarzwaldstube, em Baiersbronn: "Ele é insuperável na Alemanha."

Vinicultor do ano

O Gault Millau também coroou o "vinicultor do ano" na Alemanha. A honraria coube Werner Näkel, da cidade de Dernau no vale do Rio Ahr (Estado da Renânia-Palatinado).

Segundo a justificativa da escolha, ninguém influenciou tanto a produção de vinhos tintos de alta qualidade na Alemanha como Werner Näkel. O vinicultor homenageado também produz vinhos em Portugal e na África do Sul.

Löwensenf

Sabor de Düsseldorf ganha o mercado mundial

O sabor característico da mostarda ganhou o mundo

Alguns dizem que a mostarda está para o cachorro quente, assim como o feijão está para o arroz. Com o tempo, passou de simples acompanhamento, para ingrediente principal de diversos pratos. Mudança que se deve muito à empresa alemã.

A mostarda pode ser picante, adocicada, forte ou agridoce, dependendo dos seus grãos. A versão preta é mais forte e aromática do que a branca (que na verdade é de coloração ocre). Informações como estas são conhecidas somente entre os verdadeiros apreciadores. Para a maioria das pessoas, mostarda é mostarda. Conceito que a Löwensenf conseguiu, aos poucos, mudar.

História de aroma e sabor

As sementes de origem asiática conquistaram espaço na mesa do alemãoMais de 100 anos já se passaram desde que o primeiro vidro de mostarda foi colocado à venda. A cidade natal da Löwensenf é Metz, em Lorraine, na França. Em 1903, o casal Otto e Frieda Frenzel decidiu fundar a primeira fábrica de vinagre e mostarda da região.

A mudança da sede da empresa para o Estado alemão da Renânia do Norte-Vestfália, onde está a sede nos dias atuais, ocorreu como conseqüência do fim da Primeira Guerra Mundial. Com o país derrotado, os alemães que viviam na cidade precisaram deixar Metz.

Mas por que Düsseldorf? A metrópole do Reno era, na época, a "cidade da mostarda" do Império. Lá encontrariam os principais e sobretudo experientes concorrentes.

Prova de fogo

Para se sobressair no mercado consumidor, o casal precisava apresentar um diferencial. Várias noites insones se passaram até que a composição da Löwensenf fosse desenvolvida. Receita (de sucesso) guardada a sete chaves e que pode ser apreciada até hoje.

A mistura de Otto e Frieda é um segredo. "Utilizamos ingredientes de melhor qualidade e tomamos cuidados para que a preparação seja a mais natural possível, evitando todos os ingredientes artificiais", explica um texto no site oficial da empresa.

Nascimento da Extra

A Löwensenf produziu a primeira mostarda Dijon da AlemanhaDesavisados que colocam um pouco de uma mostarda específica, de rótulo vermelho no pão, conhecem as conseqüências: lágrimas nos olhos, calor e perda do fôlego. Responsáveis por isso foram Otto e Frieda que, em 1920, produziram a pimeira mostarda Dijon da Alemanha.

Originária da cidade que dá nome à pasta, na França, é preparada a partir de sementes de mostarda moídas e trituradas em vinho branco, vinagre e ácido cítrico.

E graças ao nome que remete ao sabor único, se tornou um verdadeiro clássico. Diferente das demais concorrentes "extra-fortes", um processo especial faz com que a cor marrom típica dê lugar a uma tonalidade amarela.

E as novidades não pararam por aí. Para poder manter o aroma e garantir o paladar picante típicos, sem uso de conservantes, a Löwensenf também foi a primeira empresa alemã a introduzir o acondicionamento do produto em vidro a vácuo. A embalagem com tampa de rosca e o característico som ao abrir são garantia absoluta de frescor.

Tradição com futuro

A empresa de Düsseldorf tem um museu que conta a história da produção da mostardaA exigência por novidades cresceu com o passar do tempo, tanto na cozinha moderna, como também no paladar dos apreciadores da mostarda. Por isso, diferentes versões foram criadas.

Em 1999, com o nome de Löwensenf Rouladen Traum (Sonho para bife rolê), a firma produziu um recheio pronto para o prato tradicional alemão. Quatro anos mais tarde, foi a vez da carne moída. Com o nome de Hackfleisch Traum, a mostarda era apresentada aos cozinheiros amadores, numa preparação perfeita.

Já para paladares mais refinados, a Löwensenf desenvolveu mostardas combinadas com pimenta, mel, aneto, xerez – vinho enriquecido com brandy e a versão rotisseur-vin blanc.

Fonte: www.dw-world.de

Culinária Alemã

Torta alema (Torte)

Ingredientes

200 gramas de manteiga
3 gemas
1½ xícara de chá de açúcar
1½ pacote de biscoito de maisena
200 gramas de chocolate meio amargo
1 caixa de creme de leite

Modo de Preparar

Preparo do creme

Bata as gemas com a manteiga e o açúcar por 10 minutos na batedeira em velocidade média, acrescente a lata de creme de leite sem o soro e continue a bater até ficar um creme firme.

Montagem

Em uma forma de torta disponha os biscoitos no fundo e em volta da forma ligeiramente passados no leite. Coloque uma camada de creme, outra de biscoito, mais uma de creme e termine com outra camada de biscoito. Cubra a forma com papel alumínio e leve a geladeira por 2 horas.

Cobertura

Em uma panela, esquente o creme de leite e acrescente o chocolate meio amargo picado até dissolver e virar um creme. Desenforme a torta e cubra-a com o creme de chocolate.

Chucrute

Ingredientes

1 repolho grande
2 xícaras (chá) de água
1 colher (chá) de sal
3 colheres (sopa) de óleo
1 ou 2 dentes de alho
2 cebolas médias
1 colher (café) de pimenta-do-reino
2 folhas de louro
12 cravos
1/4 de xícara (chá) de açúcar
1 gengibre pequeno esmagado
2 xícaras (chá) de vinho branco seco ou vinagre
1/4 de xícara (chá) de farinha de trigo
1 xícara (chá) de creme ácido

Modo de Preparar

Cortar o repolho em tirinhas. Numa panela a água e o sal e aferventar o repolho picado. À parte, fazer o refogado com o óleo, o alho esmagado, e as cebolas picadas. Quando as cebolas começarem a dourar, acrescentar a pimenta-do-reino, o louro, os cravos, o açúcar e o gengibre. Juntar o vinho (ou vinagre), a farinha de trigo e o creme ácido. Misturar com o repolho aferventado e escorrido.

Na Alemanha, o Sauerkraut acompanha salsichas ou costeletas de porco.

Omelete de Ludwig III da Baviera

Ingredientes

10 ovos
1 pitada de sal
4 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de creme-de-leite
licor a gosto
2 colheres (sopa) de manteiga
2 cálices de rum

Modo de Preparar

Bater as claras em neve. Juntar as gemas, o sal e a metade do açúcar. Acrescentar o creme de leite e perfumar com o licor. Levar ao fogo duas frigideiras iguais. Colocar a manteiga e deixar aquecer bem. Dividir a mistura de ovos nas duas frigideiras. Enrolar como omelete. Depois de prontas colocar numa travessa. Polvilhar com o açúcar restante, regar com o rum e acender um fósforo para flambar.

Rendimento

4 pessoas

Torta de Ricota Especial (Quark Torte)

Ingredientes

Massa

2 xícaras de farinha de trigo
2 ovos
1 xícara de açúcar
1 colher de margarina (cheia)

Preparação da Massa

Peneire a farinha, abra uma cavidade, coloque os ovos, o açúcar e a margarina, amassando tudo bem. Forre uma forma de abrir com a massa, no fundo e no lado. Coloque o recheio e polvilhe com açúcar ee canela. Leve ao forno para assar, mais ou menos por 40 minutos.

Recheio

½ kg de ricota seca
¼ xícara de leite
9 gemas
300 g de açúcar
1 colherinha de canela em pó
casca de limão ralado
9 claras em neve.

Preparação do Recheio

Passe a ricota pela peneira. Junte o leite. Em separado, bata as gemas com o açúcar; junte a canela, o limão e as claras em neve. Reúna as duas partes e derrame dentro da forma, já forrada com massa.

Cuca colonial/Kolonie Kuchen

Ingredientes

½ kg de farinha de trigo
65 g de margarina
65 g de banha
150 g de açúcar
3 ovos
1 pitada de sal
1 tablete de fermento de pão (Fleischmann)
casca ralada de limão.

Preparação

1º Dissolva o fermento com um pouco de água morna e uma colher de açúcar; deixe levedar.
2º Misture os ovos e o açúcar; bata bem.
3º Peneire a farinha e abra uma cavidade no cnetro; coloque o fermento e a mistura dos ovos, a casca ralada do limão e o sal; misture tudo bem e sove bem a massa; deixe crescer pelo dobro. Coloque nas formas e deixa crescer de novo.
4º Pincele, antes de levar ao forno, com uma gema desmanchada com uma colher de leite e, por fim, polvilhe com o Streusel, que se faz da seguinte forma:

Streusel

1 xícara de farinha de trigo
4 colheres de açúcar
1 colher de canela em pós
2 colheres de margarina.

Misturar tudo e esfarelar bem.

Canapés de Nozes e Queijo

Ingredientes

300 gramas de queijo Prato ou Clab
1 colher de sopa de molho inglês
1 colher de sopa de azeite
250 gramas de nozes
sal a gosto

Modo de Preparar

Cortar o queijo em quadradinhos, colocar numa travessa e regar com o molho inglês e o azeite. Ao lado, colocar as nozes cortadas ao meio, salpicadas com um pouquinho de sal. Servir.

Rendimento

6 a 8 pessoas

Sopa de frutas

Ingredientes

3 pêras
2 tabletes de carne dissolvidos me 1 litro de água
3 xícaras (chá) de água
folhas de agrião a gosto
suco de 1 limão
1 xícara (chá) de vinho branco
1 lata de creme de leite

Modo de Preparar

Lavar, descascar e cortar as pêras em quartos, tirando o miolo. Reservar a casca e o miolo. Desengordurar* o caldo de carne e juntar os pedaços de pêras. Deixar macerar 20 minutos. Fazer um purê. À parte cozinhar as cascas e os miolos das pêras na água. Coar e juntar o agrião picado. Ferver ligeiramente e misturar ao purê. Acrescentar o suco de limão e o vinho branco. Antes de servir, acrescentar o creme de leite.

Esta sopa pode ser feita com outras frutas, comopêssegos, morangos, melões, damascos e ameixas.

Para desegordurar o caldo, coloque-o para gelar. A gordura ficará por cima. Retire-a, então, com uma colher ou faca.

Rendimento

12 unidades

Kassler ou Eisbein com chucrute

Ingredientes

02 Kassler (carré de porco defumado) ou 01 Eisbein (joelho de porco defumado)
01 lata ou vidro de chucrute (cerca de 500 g)
02 folhas de louro
03 fatias de abacaxi em calda doce
A gosto pode se utilizar pimenta em bolas ou zimbro.

Junte todos os ingredientes em uma panela com um pouco de água, tampe, leve ao fogo médio por aproximadamente uma hora ou até que a carne se desprenda do osso.

Sirva com batatas inteiras, cozidas com pele e só descascadas na hora de servir, ainda quentes. Acrescente uma boa mostarda e uma cerveja bem brasileira.

Bauernfrühstück

100 g de bacon em cubinhos
250 g de lingüiça em rodelas finas
1 cebola em cubinhos
500 g de batatas cozidas em rodelas de 0,5 cm
4 ovos ligeiramente batidos
sal

Doure os cubinhos de bacon na própria gordura em uma frigideira grande, depois acrescente a lingüiça, mexa e deixe murchar e começar a dourar. Adicione cebola, espere murchar e misture a batata. Quando a batata começar a dourar, ajuste o sal, junte os ovos, mexa com delicadeza, deixe no fogo por mais um minuto, até que estejam cozidos, mas ainda bem úmidos e sirva.

Torta de chocolate com avelãs

Massa

120 g de açúcar de confeiteiro
250 g de farinha de trigo peneirada
uma pitada de sal
125 g de manteiga sem sal
1 ovo

Recheio

200 g de avelãs torradas e sem pele
40 g de chocolate ao leite picado
30 g de mel

Creme fresco

70 g de açúcar
25 g de glicose de milho
90 g de creme fresco
uma pitada de sal

Ganache de chocolate

250 g de chocolate picado
150 g de creme de leite

Chantilly de chocolate

140 g de chocolate ao leite derretido
250 g de creme fresco
1/4 de xícara de açúcar

Massa

1 Misture numa batedeira os três primeiros ingredientes, a seguir a manteiga levemente amolecida e o ovo, não bata demais. 2 Retire a massa da batedeira e cubra com filme plástico, leve à geladeira por 2 horas. 3 Retire a massa e abra com um rolo para forrar uma forma de torta. 4 Fure a massa com um garfo e leve ao forno pré aquecido a 180º até dourar. 5 Reserve.

Recheio

Separe estes ingredientes num recipiente, exceto as avelãs. Reserve.

Creme fresco

Coloque numa panela os três primeiros ingredientes. Quando formar uma calda rala, despeje o creme, e forme um caramelo. Despeje essa calda quente sobre a mistura de chocolate e mel. Misture bem até dissolver o chocolate. Quando estiver frio, coloque as avelãs torradas. Acrescente a esse creme uma ganache de chocolate.

Ganache de chocolate

Derreta os ingredientes em banho-maria. Coloque o creme pronto sobre a massa pré assada e decore com o chantilly de chocolate e raspas de chocolate.

Chantilly de chocolate

140 g de chocolate ao leite, derretido
250 g de creme fresco; 1/4 de xícara de açúcar

Derreta o chocolate em banho-maria e reserve. Bata o creme fresco com o açúcar até obter picos firmes. Misture delicadamente o chocolate já frio ao creme batido

Rösti de Batata (típico da Suíça)

800 g de batata, de preferência holandesa, mas pode ser outro tipo de batata mais firme
2 colheres (sopa) de óleo de girassol ou milho
2 colheres (sopa) de manteiga
sal a gosto

Modo de Preparar

As batatas devem ser cozidas com casca um dia antes de fazer o prato. Mergulhe as batatas em uma panela com água e sal. Deixe cozinhar por uns 15 minutos. Fica um pouco dura, ao dente.

Deixe descansar por no mínimo 12 horas na geladeira, sem tirar a casca. Só depois disso descasque as batatas ainda geladas. Elas devem estar firmes para não virar um purê.

Rale as batatas passando cada uma pelo ralador sempre na mesma direção, de cima para baixo. Assim, as lascas ficam iguais e mais longas.

Na frigideira, ponha a manteiga e o óleo. Deixe derreter bem. Espalhe a batata ralada na frigideira. Coloque sal a gosto e deixe fritar bem até formar uma crosta douradinha. Vire aos poucos e várias vezes.

Quando a batata começa a ficar marronzinha, é hora de mexer. Faça isso umas 3 vezes. E por fim deixe formar uma crosta bem durinha e tostada.

Dica da chef Rosalie: se necessário, passe um pouco de manteiga nas bordas para dar um tostado mais bonito.

Para finalizar, encaixe um prato na frigideira e vire. O prato pode ser incrementado com tiras de bacon, queijo e cebola. Pode também ser enriquecido com linguicinhas defumadas e rodelas de alho poró. Ou ainda ser servido com ovo frito sobre um pedaço de bolo de carne.

Todas as sugestões acompanham muito bem saladas verdes. É só escolher uma e aproveitar.

Kartoffelpuffer (Panqueca de Batata com Compota de Maçã)

Massa

400 gr de batata ralada(s)
40 gr de cenoura ralada(s)
40 gr de cebola picada(s)
1 unidade(s) de ovo
quanto baste de noz-moscada
20 gr de farinha de trigo
quanto baste de sal
quanto baste de pimenta-do-reino preta

Molho

500 gr de maçã
100 gr de uva passa
quanto baste de raspas de limão
100 gr de açúcar

Massa

Misture todos os ingredientes e frite em óleo quente. Fazendo 8 mini panquecas.

Molho

Descasque e retire o caroço das maçãs e corte em pedaços, misture com todos os ingredientes, ferva e deixe em fogo baixo de 15 a 20 minutos, até que as maçãs se desmanchem. Sirva morno ou frio.

Sopa de Lentilhas

Ingredientes

1,2 Litro de água quente
300 g de lentilhas
1 colher (sopa) de azeite
50 g de fatias finas de bacon
3 dentes de alho picados finamente
1 cebola picada
1 tomate grande cortado em cubinhos
1/2 colher (chá) de pimenta moída
1/2 colher (chá) de cominho
sal

Modo de Preparar

Colocar as lentilhas de molho por algumas horas em água fria. Lavar muito bem em água corrente, eliminando as eventuais pedrinhas. Escorrer e reservar.

Cortar as fatias de bacon em tiras. Fritar ligeiramente as tiras de bacon no azeite. Juntar a cebola e o alho. Refogar até dourar um pouco.

Adicionar os cubinhos de tomate. Temperar com a pimenta, o cominho e um pouco de sal. Regar com a água quente e deixar ferver.

Acrescentar as lentilhas. Cobrir com uma tampa e cozinhar em fogo brando por 25-30 minutos. Verificar o sal e servir em seguida.

Torta de maçã | (Apfeltorte)

Ingredientes

Massa

180 g de farinha de trigo
90 g de manteiga
60 g de açúcar
1 ovo
1 pitada de sal

Como fazer

Junte todos os ingredientes e amasse-os bem numa superfície lisa. Leve a massa à geladeira por 30 minutos. Depois, use um rolo para abri-la e coloque em uma assadeira (30 centímetros de diâmetro) de aro removível.

Recheio

1,5 kg de maçãs
100 g de nata ou creme de leite
65 g de açúcar
200 ml de vinho branco
3 colheres (sopa) de suco de limão
2 gemas
Farinha de rosca
Canela em pó
Geléia de laranja ou de pêssego

Descasque 600 gramas de maçãs. Ferva-as com 50 gramas de açúcar, vinho e canela por 15 minutos. Assim que cozidas, bata-as no liquidificador ou passe no processador, transfira para um recipiente e deixe esfriar. Depois, junte a nata (ou o creme de leite), as gemas e mexa bem. Para rechear a torta, coloque um pouco de farinha de rosca e despeje o creme. Corte o restante das maçãs em fatias finas e passe-as no suco de limão para não escurecer. Espalhe sobre a torta e polvilhe sobre elas um pouco de açúcar e de canela. Asse em forno médio (180ºC), pré aquecido, de 20 a 25 minutos. Para dar um gosto especial, antes de servir, adicione geléia quente de pêssego ou de laranja. Se for congelar, asse a torta, mas não acrescente a geléia.

Nhoque alemão | Kartoffelklösse

Ingredientes

600 g de batatas cozidas e amassadas
150 g de manteiga ou margarina
150 g de farinha de trigo
150 g de farinha de semolina
2 ovos
Noz-moscada
Salsa picada
Sal

Acompanhamento

4 a 6 bifes de contrafilé
Caldo de carne
Cebolas fritas

Modo de Preparar

Coloque todos os ingredientes do nhoque num recipiente e misture até formar uma massa lisa. Na hora de fazer as bolinhas, passe farinha de trigo nas mãos para não grudar. Reserve. Em uma panela, coloque água com sal e deixe ferver. Adicione os nhoques e retire-os com uma escumadeira assim que subirem à superfície. Para o acompanhamento, frite os bifes levemente salgados. Coloque água no molho que se formou, adicione um tablete de caldo de carne e engrosse com um pouco de farinha de trigo ou amido de milho. Corte uma cebola grande em rodelas, passe-as na farinha de trigo e frite. Monte o prato, individual, da seguinte forma: o caldo de carne, as cebolas sobre o bife e os nhoques ao lado. SA semolina é opcional. Se não utilizá-la, aumente para 300 gramas a farinha de trigo. Para congelar, cozinhe os nhoques.

Almôndegas alemãs

Ingredientes

2 colheres (sopa) de salsinha
1 colher (sopa) de vinagre
1 xícara de água
400 gramas de carne moída
200 gramas de lombo moído
50 gramas de bacon picado
4 fatias de pão de centeio
1 dente de alho picado
sal e pimenta do reino
óleo para fritura
1 cebola picada
1 ovo

Modo de Preparar

Colocar o bacon em uma frigideira e levar ao fogo baixo até o bacon estar crocante, acrescentar a cebola e o alho bem picados e refogar até a cebola estar macia. Retirar do fogo, escorrer o excesso de gordura e deixar esfriar. Colocar em uma tigela o vinagre e a água, acrescentar as fatias de pão. Em uma tigela, misturar os dois tipos de carne, a cebola e o bacon refogados, a salsinha, o ovo levemente batido e misturar bem, acrescentar sal e pimenta do reino. Escorrer as fatias de pão e espremer bem, misturar à massa de carne e amassar até obter uma mistura bem homogênea. Fazer bolinhas do tamanho de ping pong e fritar em abundante óleo quente. Escorrer em papel absorvente e servir com salada de batatas e mostarda.

Apfelkuchen

Ingredientes

Massa

2 colheres (sopa) de água (se necessário)
4 colheres (sopa) de açúcar
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
Raspas de casca de laranja
1 tablete de manteiga
1 gema

Recheio e Cobertura

1 colher (sopa) de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de manteiga
3 colheres (sopa) de açúcar
1 ovo batido para pincelar
1 quilo de maçã sem casca

Modo de Preparar

Massa

Misturar com a ponta dos dedos a farinha com a manteiga até obter uma farofa. Juntar as raspas, o açúcar, as gemas e a água se for necessário. Trabalhar bem para que a massa fique lisa e homogênea. Fazer uma bola e envolver com filme plástico. Levar à geladeira por 30 minutos. Abrir a massa em uma superfície enfarinhada. Forrar o fundo e laterais de uma forma refratária redonda de 20cm de diâmetro.

Recheio

Cortar as maçãs em gomos grossos e retirar as sementes. Aquecer a manteiga e juntar as maçãs. Deixar cozinhar por 5 minutos. Mexer bem. Deixar esfriar um pouco. Rechear a torta com as maçãs. Misturar bem o açúcar com a farinha e polvilhar sobre as maçãs. Pincelar toda a borda da torta com água. Abrir o restante da massa em superfície enfarinhada e cobrir a torta, pressionando bem as laterais. Retirar o excesso de massa, juntar tudo e aproveitar para decorar a torta. Pincelar com o ovo e com uma faca de ponta afiada faça uma cruz no centro da torta. Levar ao forno médio (180ºC) preaquecido por 30 minutos. Servir morna.

Apfelstrudel

Ingredientes

Massa

2 colheres (sopa) de manteiga
1 xícara (sopa) de água
½ quilo de farinha de trigo
1 pitada de sal

Recheio

8 a 10 maçãs descascadas e fatiadas bem finas
200 gramas de uvas passas sem sementes
2 colheres (sopa) de canela em pó
2 xícaras (chá) de açúcar
farinha de rosca o suficiente
ovo batido para pincelar
manteiga o suficiente
açúcar para polvilhar

Modo de Preparar

Misturar bem todos os ingredientes da massa até ela ficar bem trabalhada e lisa. Deixar descansar por ½ hora. Depois, com um rolo, abrir a massa bem fina e estender sobre uma mesa polvilhada com farinha de trigo. Sobre o lençol de massa, fazer uma camada de fatias de maçã e, por cima, espalhar as passas sem sementes. Polvilhar com açúcar e canela em pó. Finalizar polvilhando com um punhado de farinha de rosca bem fina e pedacinhos de manteiga. Enrolar com muito cuidado, como se fosse um rocambole. Dobrar as pontas, pincelar com ovo batido e polvilhar com açúcar. Levar para assar em forno médio (180ºC), preaquecido, por cerca de 40 minutos.

Batatas com Manjerona

Ingredientes

2 tabletes de caldo de carne dissolvidos em 2 xícara (chá) de água
1 colher (chá) de manjerona seca em pó
1 colher (café) de sal se necessário
4 colher (sopa) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de vinagre branco
4 colher (sopa) de manteiga
1 quilo de batata média

Modo de Preparar

Cozinhar as batatas com cascas. Descascar e cortar em rodelas. Numa panela, derreter a manteiga, juntar a farinha e deixar dourar. Acrescentar aos poucos o caldo de carne, mexendo sempre até obter um creme grosso e ligado. Juntar o sal, o vinagre, a manjerona e cozinhar por mais 10 minutos. Na hora de servir, juntar as batatas.

Bolo Alemão

Ingredientes

7 colheres (sopa) de vinho tinto seco
1 colher (sopa) de fermento em pó
5 colheres (sopa) de margarina
2 ½ xícara (chá) de farinha de trigo
2 xícara (chá) de açúcar
1 tablete (200 gramas) de chocolate amargo ralado ou bem picadinho
1 maçã grande sem casca picada

Modo de Preparar

Numa tigela, misturar o açúcar, a margarina, as gemas e bater até ficar cremoso. Acrescentar o vinho e bater mais um pouco. Desligar a batedeira e misturar levemente a farinha, o fermento e as claras em neve. Juntar o chocolate e a maçã. Misturar bem e colocar em forma untada e enfarinhada. Leve para assar em forno médio (180ºC), preaquecido. Pode-se substituir o vinho por vinho do porto, rose ou vermute.

Canapés de Figos

Ingredientes

2 pacotes de 300 gramas de figo seco inteiro
250 gramas de queijo Camembert ou Roquefort

Modo de Preparar

Tirar os talos dos figos com cuidado, deixando formar um buraquinho. Apertar para que fiquem chatos e redondos. Colocar nos buraquinhos pedaços de queijo. Na hora de servir, levar ao forno só para aquecer um pouco.

Einsbein

Ingredientes

4 joelhos de suíno com courinho
5 morcelas brancas
5 morcelas pretas
5 salsichões
½kg de batata
½kg de chucrute
Temperos verdes
Crem (raiz forte)
Pimenta
Cravo
Canela
Mostarda
Sal

Modo de Preparar

Cozinhar os joelhos de suíno com os temperos e água até ficarem moles, mas não deixando desmanchar. Cozinhar as batatas com água e sal. Cozinhar o chucrute com um pouco de água do cozimento dos joelhos de suíno e 3 cravos. Cozinhar as morcelas e os salsichões em água fria até ferver. Retirar as carnes da água e servir bem quentes com as batatas, chucrute, crem (raiz forte) e mostarda.

Gugelhupf

Ingredientes

1 colher (chá) de casca de limão ralado
½ colher (chá) de sal
2 xícaras e ½ (chá) de farinha de trigo
¼ xícara (chá) de manteiga
½ xícara (chá) de açúcar
½ xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de água morna
200 gramas de ameixa sem caroço
200 gramas de passa sem caroço
1 tablete de fermento para pães
16 amêndoas sem pele
2 ovos

Modo de Preparar

Ferver o leite. Juntar o açúcar, o sal e a manteiga. Deixar esfriar até ficar morno. Reservar. À parte dissolver o fermento na água morna. Juntar à mistura de leite. Adicionar os ovos, a casca de limão ralada e a farinha peneirada. Bater bem por 5 minutos. Cobrir. Deixar descansar e crescer em lugar abrigado e quente, livre de correntes de ar, durante mais ou menos 1 hora e meia. Untar com margarina e polvilhar com farinha uma forma lisa, ou de gomos, com buraco no meio. Cobrir o fundo com ameixas e as amêndoas. Sobre estas, despejar a massa. Misturar as passas. Mexer na própria forma e deixar crescer novamente em lugar abrigado, até dobrar o volume, durante mais ou menos 1 hora. Assar em forno regular, durante 50 minutos.

Knodel

Ingredientes

1 colher (sopa) de cebolinha picada
2 colheres (sopa) de salsa picada
150 a 200 gramas de frios variados
100 gramas de farinha de trigo
caldo de carne (opcional)
8 pães amanhecidos
2 ovos batidos
250 ml de leite
sal

Modo de Preparar

Cortar em cubinhos 8 pãezinhos amanhecidos. Colocar em uma bacia junto com dois ovos batidos, 250 ml de leite e sal. Misturar bem, e deixar descansar 1 hora (pode ser feito de um dia para outro neste caso colocar na geladeira) depois acrescentar de 150 a 200 gramas de frios cortado em pedacinhos, pode ser resto de mortadela ou quaisquer outros frios, 2 colheres de salsa picada, 1 de cebolinha picada e 100 gramas de farinha de trigo, misturar tudo bem, e fazer com esta massa várias bolinhas, depois cozinhar em água fervente salgada ou caldo de carne, servir como molho de macarronada ou como acompanhamento de carne assada ou ensopada, ou como sopa junto com caldo de carne.

Panqueca de Batata

Ingredientes

2 colheres (sopa) de farinha de trigo
4 colheres (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de leite
1 colher (café) de sal
4 batatas descascadas e raladas
2 ovos

Modo de Preparar

Numa tigela, colocar os ovos e bater ligeiramente. Juntar a metade da manteiga, a farinha e o leite. Mexer bem. Juntar as batatas e o sal. Numa frigideira, colocar o restante da manteiga, acrescentar a massa de batatas e deixar no fogo brando até dourar. Virar e dourar o outro lado.

Salada de Pepinos

Ingredientes

2 xícaras de creme de leite fresco
4 pepinos descascados, cortados em rodelas
vinagre de vinho branco
sal e pimenta-do-reino
estragão fresco

Modo de Preparar

Bater o creme de leite até ficar um pouco espesso. Acrescentar os pepinos e temperar com sal, pimenta, vinagre e estragão.

Schlachtplatte

Ingredientes

2 bistecas de porco defumada
200 gramas de chucrute
2 joelhos de porco
1 salsichão vermelho
1 salsichão branco
1 morcilha escura
1 morcilha branca

Modo de Preparar

Os joelhos de porco devem ser cozidos em água com temperos como louro, cheiro verde e um pouco de cebola. Também devem ser cozidos (somente na água) os salsichões. As morcilhas são assadas no forno, e as bistecas de porco grelhadas. Sirva junto com o chucrute, e, para acompanhar, nada melhor do que um purê de batatas (cozidas e amassadas com manteiga, sal e leite) e um purê de ervilhas secas com um pouco de bacon frito por cima.

Strudel de Amêndoas

Ingredientes

Massa

250 gramas de farinha de trigo
3 colheres (sopa) de água morna
2 colheres (sopa) de manteiga
1 colher (chá) de açúcar
½ colher (chá) de sal

Recheio

1 colher (chá) de baunilha
150 gramas de amêndoa
250 gramas de açúcar
raspas de 1 limão
3 claras em neve
3 gemas

Modo de Preparar

Massa

Colocar a farinha de trigo sobre uma tábua ou numa superfície de mármore. Fazer um buraco no centro e colocar o sal, o açúcar, as gemas e a manteiga. Misturar com as mãos, juntar a água morna e amassar até obter uma massa lisa e branda. Fazer uma bola, dividir em três pedaços, juntar novamente, formando outra vez a bola. Polvilhar com farinha e deixar repousar 1 hora dentro de um pano. Abrir com o rolo e rechear. Enrolar como rocambole com o recheio dentro e colocar numa assadeira untada. Assar em forno quente por mais ou menos 45 minutos.

Recheio

Bater as gemas com o açúcar. Acrescentar os demais ingredientes e, por último, as claras em neve. Misturar bem e espalhar sobre a massa.

Fonte: saborosas.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal