Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Culinária Argentina  Voltar

Culinária Argentina

Riqueza de influências

As cozinhas do Velho e do Novo Mundo convivem nos lares argentinos, perpetuando uma proposta forjada a partir do encontro entre cozinhas indígenas e os novos produtos e fórmulasculinárias, trazidos pelos primeiros colonizadores. Alguns séculos depois chegariam novas fontes de inspiração, nascidas na Itália e nas comunidades judaicas do centro e do leste da Europa.

O guanaco, a vicunha, o dourado, a traíra a abóbora, o milho, a mandioca, os feijões, o aif ou as batatas são apenas uma parte do legado alimentar dos antigos habitantes destas terras. As massas, as pizzas, os sabores da culinária italiana, alguns pratos de origem sefardita (judeus ibéricos) e outros baseados nos preceitos kosher (hebraicos), dão nova vida àculinárialocal.

O noroeste do país recolhe boa parte do legado culinário das culturas pré-coloniais. A alfarroba, o milho, o pimentão ou a batata mantêm viva o gosto por grãos, frutos e raízes que se mostram com orgulho nas humitas, nos tamales, na empanada ou na mazamorra. Esta última, umas singelas papas de milho, leite e açúcar que se converteram numa das sobremesas mais populares do país.

A influência guarani deixa-se notar na presença de produtos como o mamão, a abóbora ou a mandioca nas cozinhas fronteiriças com o Uruguai e Paraguai, no nordeste da Argentina. Estas terras também são o berço da erva-mate, que marcou de modo definitivo a vida dos argentinos.

A abóbora é a protagonista nas grandes planícies do centro do país. A carbonada (prato preparado e servido em uma cabaça) ou o cozido de abóbora dão uma idéia do papel que este legume representa, numa cozinha que luta por preservar sua identidade. Também encontraremos a chanfana, prato popular preparado à base dos miúdos de cordeiro, ou caldo de pata.

Já as carnes são muito mais do que as que conhecemos. Na Patagônia, encontramos a carne do guanaco e a do cordeiro. É o berço das chanfanas, que combinam os sangues e os miúdos do cordeiro, e que podem incluir passas de uva. Há também javalis (cozidos ou assados). As terras do centro do país alojam perdizes, emas, lebres e espetaculares manadas de gado bovino.

Os argentinos têm diferentes técnicas de churrasco. A tradicional do Pampa coloca as brasas sobre o chão, ao ar livre, e a grelha sobre elas. Em outras regiões, assa-se na grelha tradicional. Também se assa à grade ou numa estrutura metálica com forma de cruz, que serve de suporte para um cordeiro inteiro --aberto ao meio-- ou para uma peça de boi. Na Argentina, quase tudo é assado: o frango, o porco, os embutidos, os miúdos e outros produtos de origem animal.

Culinária Argentina
Charque

Mas, nestas terras, a carne não é somente assada. Também se prepara observando velhas tradições como o charque (carne secada ao sol, herdada da cultura quíchua, antigo povo do império inca) e alguns derivados como a chatasca ou satasca (em Corrientes e Entre Ríos a carne é cortada em tiras, trançada e frita na sua própria gordura) ou do charquicán ou charquisillo.

Quanto aos peixes, é surpreendente que um país com 4 mil quilômetros de litoral tenha virado as costas ao mar e preste mais atenção a espécies de água doce, como o dourado ou a truta, que aos peixes e mariscos que vivem nas águas da plataforma continental.

O vestígio da cozinha espanhola também se deixa notar entre os pratos doces. Por detrás do doce de leite, surge um panorama extraordinário e rico. As cozinhas do nordeste refletem uma particular exuberância nos doces preparados com ovos (pudins, ovos quimbo ou ambrosias). O sul oferece os produtos dos frutos silvestres, como as groselhas, framboesas e morangos de bosque. Do noroeste chegam sobremesas como a mazamorra ou os alfajores.

A culinária da Argentina se caracteriza por uma grande importância das carnes, vinhos e empanadas.

A gastronomia desse país diferencia-se do resto da América Latina devido aos grandes aportes europeus: o italiano e o espanhol, que são duas importantíssimas influências, seguidos por derivados de etnias aborígenes.

Quando se fala em gastronomia argentina, imediatamente pensa-se em carne, em efeito a fertilidade do solo, somado ao fato de ser um dos principais produtores de grãos do mundo, permite a esta contar com um gado de altíssima qualidade. Isso explica por que a carne é um dos principais ingredientes desta culinária.

As carnes normalmente vêm acompanhadas por batatas fritas, saladas, provolone ou provoleta (provolone defumado). Porém parece disseminar nos restaurantes argentinos a tendência a divulgar os pratos tradicionais do que os pratos típicos dos primeiros habitantes da região.

O puchero criolo é uma modificação do cozido espanhol, porem feito com mais carne e menos grão de bico. A carbonada ( o nome vem do inglês carbonade ou do francês carbone, que siguinifica carvão.), podendo adquirir tons adocicados se ao final da cocção for acrescentado pêssegos, pêras ou frutas secas. As famosas empadas, uma leve massa recheadas com carne,cebola,ovos azeitonas e temperos,tem origem nas empadas galegas que é a base de peixe.

Culinária Argentina
"A carne é um dos principais ingredientes da culinária argentina "

História da Culinária Argentina

A historia da gastronomia argentina, tem sua origem nos Pampas, pratos a base de milho como locro, tamales e humitas. Estes pratos constituíam a dieta comum dos primeiros habitantes dos Pampas Argentinos; tais pratos ainda são servidos no norte do país.

Com a colonização começou a mudar o habito alimentar dos argentinos, italianos e espanhóis trouxeram as massas,depois novas influencias com a chegada dos judeus, ingleses, árabes e alemães.

Culinária Argentina
"O mate é tão importante na vida social dos argentinos que dele se deriva o verbo matear"

Não se pode esquecer da erva mate e os pasteizinhos chamados de fatura; o mate é tão importante na vida social dos argentinos que dele se deriva o verbo matear. O mate já se tornou um símbolo nacional e com propriedades digestivas e revigorantes é tomado a qualquer hora do dia.
Também de grande fama internacional está a adega argentina, que tem em Mendoza a de maior prestigio. Com um relevo de altitude, influenciou na anti-oxidação e o clima na produção dos vinhos, especialmente o Malbec, considerado a melhor adaptação em solo Portenho.
Influências

A culinária argentina é distinta do resto da América Latina pelo influxo de duas grandes tradições européias: a comida italiana e espanhola. Além disso, há a influência da comida nativo-americana. Entre as influências nativas estão as de origem andina e guarani.

Devido à influência espanhola e italiana, a culinária argentina é uma continuação do que é geralmente chamada de dieta mediterrânea.

Argentina é famosa por sua comida rica em proteínas. A parrilhada, carne grelhada, é bastante popular na culinária argentina. Na Patagônia, as carnes de cordeiro e de bode são mais utilizadas que a de boi na comida.

Vegetais e saladas também são importantes na culinária argentina. Tomate, cebola, alface e berinjela são acompanhamentos comuns. Tanto quanto a carne são também saboreados pratos italianos como pizza e massas. Diz-se que Buenos Aires tem mais pizzarias do que Roma.

Delícias da Carne

Além da fama de melhor carne do mundo, a Argentina ainda conserva pratos que fazem parte de sua história.

Quando se fala em Argentina, pensa-se logo na melhor carne do mundo. Os grandes pratos nacionais são à base das maravilhosas carnes argentinas. O expoente máximo da culinária nacional é o asado criolo: asado de tira (tiras de costela), vacío (fraldão), morcilla (linguiça de sangue), chorizos (linguiças) e miúdos, como mollejas (timo), riñones (rins), chinchulines (tripas) e criadilla (testículos). Assados em uma grelha (daí o nome parrilla para o churrasco argentino), sob um colchão de brasas de madeira dura ou carvão, tais cortes e miúdos constituem o cartão-postal da culinária do país.

As carnes geralmente vêm acompanhadas de batatas (papas fritas), saladas (ensaladas) e provolone grelhado e temperado (provoletta). Porém, parece disseminar nos restaurantes argentinos a tendência de divulgar mais os pratos tradicionais do que os pratos típicos dos primeiros habitantes da região. Entre os primeiros, estão embutidas várias influências estrangeiras vindas dos imigrantes, como espanhóis e italianos.

Culinária Argentina
Bife argentino

Outros pratos típicos

O tradicional puchero criolo é uma modificação do cozido espanhol; é feito com mais carne (entre elas vitela, chouriço, toucinho, frango e paio) e menos grão-de-bico, como dizem os espanhóis.

A carbonada (o nome vem do inglês carbonade ou do francês charbonne) — que significa carvão—, outro prato típico portenho, deve ter sua origem nas carbonnades francesas, que são carnes cozidas em panela sobre brasas de carvão ou diretamente nas chamas.

Mas há mais a conhecer na culinária dos Pampas. As famosas empanadas, uma leve massa recheada com pedacinhos de carne, cebola, ovos, azeitonas e temperos, têm origem na "empanada galega", à base de peixe.

Além das parrillas, a maioria dos restaurantes portenhos serve massas —- como o popular nhoque —-, guisados, cozidos, peixes e frutos do mar.

História dos Pampas

Pratos à base de milho como locro (carne guisada variadas, como a de porco e boi, com batatas e milho), tamales (folhas de milho recheadas com carne de boi, porco e frango) e humitas (creme de milho cozido e temperado, espécie de pamonha salgada, servido em folhas de milho), constituíram a dieta comum dos primeiros habitantes dos Pampas. Tais pratos ainda persistem no Norte.

Mas a chegada dos colonizadores espanhóis no século 16 começou a modificar os hábitos alimentares dos argentinos. E as migrações espanholas e italianas em massa, entre os séculos 19 e 20, alteraram ainda mais o perfil gastronômico do território da Nova República Americana.

Imigrantes galeses e ingleses ocuparam a Patagônia.

Árabes, alemães e judeus se instalaram no nordeste do país. Todos esses povos contribuíram para caracterizar a culinária argentina atual.

A carne de vaca é por excelência a base alimentar dos argentinos. O churrasco (asado) é a forma mais típica de prepará-la e constitui um verdadeiro ritual quando família e amigos se reunem nos fins de semana. Além dos bifes costumam comer salsicha (chorizo), rins (riñones), timo (molleja) e dobradinha (chinchulines): a famosa parillada mixta. Como acompanhamento, pão e salada. No dia-a-dia preferem bifes à milanesa por sua praticidade.

De presença tão acentuada quanto as carnes, a cozinha italiana e suas tradicionais massas (pasta) se destacam. A variedade é grande, sendo que os mais populares são o espaguete (fideos), nhoques e as deliciosas massas recheadas como sorrentinos, canelones e lasanhas. Sem esquecer a sempre salvadora pizza, que também conta uma grande variedade de sabores.

A cozinha tipicamente argentina (criolla) está representada nas empanadas - pastéis de massa leve que podem ser recheados com carne, frango, presunto e queijo, etc. Outro dos pratos mais típicos é o matambre, uma espécie de rocambole de carne recheado com pimentas, ovos e vegetais que pode ser servido frio ou quente. A cozinha regional também conta com variedades como o locro (refogado de milho e carne de porco) e a carbonada (ensopado de carne, legumes e arroz).

Culinária Argentina
Pode-se afirmar que os vinhos são tão populares na Argentina quanto o chopp é no Brasil

Em relação às bebidas, pode-se afirmar que os vinhos são tão populares na Argentina quanto o chopp é no Brasil. Por isso, há desde os chamados vinhos de mesa (versão econômica em Tetra Brick) até aqueles que consagram o país como um dos melhores produtores vinícolas do mundo.

No entanto, o mate - feito com uma erva verde que se toma como infusão - é a bebida mais típica. Para prepará-lo deve-se encher 2/3 da cuia com erva mate, colocar o cilindro (bombilla) e logo derramar água quente até a borda formando uma cobertura de espuma. Pode-se beber com ou sem açúcar.

Um drink característico do país é o clericó (conhecido como sangria no Brasil), uma espécie de salada de frutas em jarra, banhada em muito vinho e soda. É ideal para compartilhar com amigos.

Como sobremesa, o sorvete (helado) é o favorito. Boa parte das sorveterias mantêm uma preparação artesanal, à moda italiana, o que lhe confere um sabor distintivo.

O alfajor é um doce tradicional e muito popular na Argentina, que consiste em dois discos redondos de massa, com uma forma que lembra a um iô-iô, recheados geralmente com doce de leite e envolvidos por chocolate branco ou ao leite. Os mais famosos são os produzidos na cidade de Mar del Plata.

O café-da-manhã ou o lanchinho de fim de tarde típico dos argentinos são as chamadas facturas, nome genérico usado para designar os croissants (medialunas) e uma variedade de pãezinhos doces, alguns recheados de doce de leite ou marmelada.

Culinária Argentina
"O alfajor é um doce tradicional e muito popular na Argentina"
Na foto alfajor Havanna

Conheça outros vocábulos da gastronomia argentina

Bife de chorizo= contrafilé, em corte alto
Chimichurri= molho de ervas utilizado na cozinha argentina para acompanhar as carnes (parrillas). Leva azeite de oliva, vinagre, orégano, salsa, cebola e alho picados, além de pimenta.
Dulce de leche= doce de leite, sobremesa nacional
Helado= sorvete
Milanesas= filés empanados
Minutas= pratos rápidos, como sanduíches
Papas fritas= batatas fritas
Parrilada= misto de carne e miúdos assados na grelha
Pollo= frango
Postres =sobremesa
Tapa de cuadril= picanha

Fonte: www.emporiovillaborghese.com.br

Culinária Argentina

A carne argentina é o ingrediente mais importante na dieta local, e goza de um reconhecido prestígio mundial. Centos de restaurantes típicos e churracos oferecem suaves e sabrosas carnes asadas (asados de tira, bifes de chorizo), e é que não pode-se esquecer que a preparação do assado é parte integrante e esencial do ceremonial da cultura gadeira do Pampa.

O assado argentino é o alimento fundamental da região pampeana pela sua grande número de reses, a seleção de pastos e a melhora das raças. Antiguamente as reses se asavam enteiras em um rito que podia durar dos dias. Sobrevive o "assado com coro" com enterramento de uma vitela dividida em trozos em uma zanja encendida durante algumas horas. Com o coro apoiado na terra, se cobre a carne com chapa de cinc e acima se colocam as brasas que se mantém m vivas umas horas más. Outros sistemas são o assado à cruzou à reja, típico do campo, e à parrilla. Em qualquer caso o segredo de um bom assado está no corte da carne e a sabia administração do fogo. O corte vacuno é importante (asado de tiraou costillar entero, vacío, cuadril, matambre), e as achuras (chinchulines, mollejas, tripa gorda, criadillas, ubre). Achuras, morcillas e choriços ao churrasco costumam servir-se como entradas. A carne se come solaou aderezada com diversas salsas, como o "chimichurri".

A cozinha argentina é rica e variada. Os pratos de influência internacional e os preparados da denominada Nueva cozinha Argentina, se intercalam com as mais tradicionais recetas elaboradas a base de maíz principalmente. Restaurantes vegetarianos de tenedor livre expoem infinidade de pastas e vegetais de diferentes tipos. As pizzas argentinas são algo tão sabroso que não o poderá creer, as pizzas e a pasta foram especialidades importadas pelos inmigrantes italianos. De os espanhois conservam-se o pulpo à gallega e os arroces. Para um tente em pé le recomendamos os sandwichitos de miga, rellenos de o que sea.

Poderá degustar comidas alemãs em vila General Belgrano e embutidos e queijos de Friuli na colônia agrícola de Caroya em Córdoba.

Em muitas casas argentinas, nas cozinhas das casas, se são amplas, há uma grande mesa de madeira no centro para amassar tanto a base das pizzas, como o pão artesão e inclusive a massa da pasta. Nos terrenos quase sempre há um forno de barro ou pedra onde se faz pratos.

Em Missões e Formosa é cozido de carne ou locro Nortenho com, milho, abóbora (abóbora) e mandioca; o mbeyúou torta frita de amido de mandioca dos Guaranis que se consume com leite, sal e queijo; o chipá, torta com os mesmos ingredientes e ovo; e a sopa paraguaya a base de pão de farinha de milho branco com queijo, cebola e especiarias.

A cozinha regional é algo picante, mas maravilhosa, com ingredientes como o milho verde, as pimentas, o charque (bovina, cordeiro, porco), lavada e secada ao sol. Quando se prepara com sal chama-se tasajo. Não se perda os queijos do vale inferior do rio Chubut.

Na Patagônia andina sobressaem os patês e defumados, carnes de veado, javaliu, trutas, salmão de viveiro e mariscos. Prove com carangueijo.

Nos restaurantes de Ushuaia (ao sul da Argentina) poderá saborear o famoso cordeiro e os carangueijos dos mares de Terra do Fogo.

Sobremesas

Pode degustar as delicias típicas de cada região. As deliciosas tortas gaisas constituem toda uma curiosidade para o visitante. Os chocolates artesanais (130 variedades) e as geléias de Bariloche e São Martim de Os Andes são capazes de tirar o sentido a quém os provem. Podemos garantir que não se partirá sem repetir. Os alfajores, biscoito de duplo recheio de doce de leite e recobertas de açúcar, chocolate, as massinhas finas, os doces de frutas, o chocolate em rama, sim esquecer-nos do delicioso doce de leite, e si não perguntam as crianças argentinos.

Bebidas

O vinho possui as características próprias do sabor, cor e graduação que lhe proporciona a terra e o magnífico sol que calienta toda a região. Tudo a um preço razoável. O champagne e a cerveja são Também bons companheiros da tarde, da noite e do bolso. Mas nada como o mate, bebida nacional, muito popular na Argentina e Também em outros países de Suldamérica. Em torno a esta bebida têm-se criado, inclusive, um linguagem especial: cada forma de preparar-lo tem um significado diferente (el mate com canela quiere dizer "ocupas mis pensamentos").

A argentina é o principal país consumidor de mate, erva que se toma em infusião, cujo cultivo realiza-se em Corrientes e Missões. Uma vez secadas e procesadas as folhas se colocam em uma cáscara de calabaza chamada mate, que pode ser Também de outros materiais e se vierte água caliente. A infusão se sorbe por um tubito (lâmpada -geralmente com lâmpada de prata). Em Missões e norte de Corrientes se toma frio com ervas aromáticas e se conhece então como "tererê". Quando a infusão se ingere em grupo nos encontramos perante um "mate corrido" ou "roda do mate". Também existe mate cocido em bolsinhas individuais. compartilhar um mate neste país é a melhor maneira de acortar distâncias e relacionar-se com a gente. Não se vaia sem provarlo.

Fonte: www.rumbo.com.br

Culinária Argentina

A culinária argentina é o resultado de uma síntese das comidas que os inmigrantes europeus trouxeram consigo e dos alimentos típico das culturas indígenas.

Um bom churrasco crioulo; uma salada gourmet; um prato de massas, com um excelente vinho Malbec, são coisas que ninguém pode rejeitar. A argentina tem sabores variados; aromas que são um verdadeiro convite para percorrê-la. Os climas do país deixam sua marca em cada gole e em cada comida; tradição e modernidade se unem em cada um de seus melhores restaurantes.

Um caminho gastronômico

Na cidade de Buenos Aires, encontram-se comidas de diferentes regiões. Por zonas, a Costanera Norte e Puerto Madero são famosos por seus churrascos; a Avenida de Mayo é o ponto central da comida espanhola; as pizzas mais tradicionais estão na avenida Corrientes; e as zonas da praça Cortázar, Palermo, Recoleta e Las Cañitas oferecem pratos mais elaborados, refinados e exóticos.

Todas as coletividades latino-americanas e européias que moram em Buenos Aires estão representadas por seus restaurantes: bolivianos, peruanos, armênios, espanhóis, italianos, ou uruguaios. Mas existem também estabelecimentos especializados em comida hindu, tailandesa, vegetariana, japonesa, chinesa e mexicana, entre outras.

Em grande parte das províncias de Santa Fe e Córdoba e no norte da província de Buenos Aires, onde se estabeleceram muitos italianos, são comuns as preparações de salames, copas e diferentes tipos de salaminhos, bem como a bagna cauda. Este último é um prato da região do Piemonte Italiano, e é uma comida feita num recipiente de barro com uma salsa à base de óleo, nozes e alho triturados e anchovas salgadas, que se esquenta sem chegar a ferver, e com a qual se untam diferentes tipos de vegetais crus e cozidos.

A culinária do norte e parte do oeste da Argentina tem a influência dos índios americanos. Nas províncias de Jujuy, Salta, Catamarca, Tucumán, Santiago del Estero, Mendoza, San Juan e San Luís seus habitantes comem alimentos de origem andina como o milho, a batata, os pimentões e as pimentas, e outros de origem européia. As “empanadas” (uma espécie de pastel) desta região são famosas em todo o país. Destacam-se as de Salta, Tucumán ou Santiago del Estero, especialmente as de carne. Também se preparam outros pratos típicos, como a “humita” ou o “tamal” (uma espécie de pamonha), e um delicioso ensopado preparado principalmente com grãos de milho ou feijão branco: o “locro”. Nas zonas mais úmidas cultiva-se feijão branco, tomate, abóbora, pimentão e abacate e as espécies introduzidas preponderantes são as videiras, as oliveiras e diferentes tipos de frutas como pêssegos, peras, damascos, ameixas e maçãs.

Na zona compreendida pelas províncias de Corrientes, Chaco, Misiones e Formosa, bem como parte de Entre Ríos, Santa Fe e Santiago del Estero, a comida mais habitual tem entre seus ingredientes a mandioca, o arroz, os peixes de rio e a erva-mate, usada para preparar chimarrão que nesta zona também se toma frio. Com relação aos peixes, são muito saborosos o pacu, o dourado, surubim, boga, pati e o peixe-rei. Normalmente são preparados assados, embora às vezes são preparados com suco de limão e outros temperos.

Na zona austral da Patagônia, é evidente a influência da Europa do Norte e Central. A imigração galesa introduziu em Chubut a torta preta e o chamado queijo Chubut, enquanto que a centro-européia difundiu a preparação de certas sobremesas e doces, chocolates, bem como as carnes defumadas de javali, cervos e salmões. Dos povos pré-hispânicos herdaram a cultura dos pães e tortas de farinha de semente de pehuén, o tempero chamado merken e os doces de frutos.

O litoral oceânico e os lagos desta região fornecem peixes para patês e cazuelas. São famosos os ensopados de lula, polvo, abadejo, salmões, trutas, centoula, congro, ostras e lagostins. Na região dos Andes são produzidas cervejas artesanais, tanto do tipo irlandês como do tipo centro-europeu. Nos vales de Río Negro e Neuquén (e inclusive no noroeste de Chubut) são produzidos vinhos brancos finos do tipo Riesling, sendo estes os vinhedos mais austrais do planeta.

Fonte: www.pt.argentina.ar

Culinária Argentina

Os hermanos argentinos não são bons apenas no Tango e no futebol, eles também batem um bolão na cozinha. É impossível não se apaixonar pelas carnes, alfajores e vinhos dessa culinária maravilhosa...

Culinária Argentina
Parrillada

Influenciada especialmente pela culinária italiana e européia em geral, a culinária argentina leva à mesa variedades de massas e muita carne. Os assados argentinos são os alimentos fundamentais da região, consequência de seus ótimos pastos planos e o aperfeiçoamento constante das raças de gado.

As pizzas argentinas são saborosas e, assim como a pizza paulistana, foram trazidas pelos imigrantes italianos. Dos espanhóis herdou-se o pulpo à gallega (polvo) e o arroz. Comem-se lanches rápidos como os sandwichitos de miga (sanduíches de migalhas) - feito com muito presunto em uma massa preparada com migalhas de pão.

Os alemães levaram os embutidos para a Argentina, sem dúvida o presunto (jamon) é o mais popular, também se aprecia muito os queijos.

Se há algo que enche os olhos dos turistas em Bariloche e San Martin, são os doces. Uma variedade de chocolates artesanais são preparados e comercializados, há também saborosas tortas, geléias, chocolates em ramas, doces de leite e a receita especial que encanta os brasileiros: os alfajores - biscoito de duplo recheio de doce de leite e cobertos de açúcar e chocolate.

O vinho argentino está conquistando o mundo. O solo próprio para os vinhedos e o sol na medida, desenvolvem uvas saborosas e permitem comercializar o vinho a preços razoáveis. Bebe-se muita cerveja e champagne. Mas a bebida mais popular é o mate.

A argentina é o principal país consumidor de mate, erva que se toma em infusão, cujo cultivo realiza-se em Corrientes e Missões. Uma vez secas e processadas, as folhas são colocadas em uma cuia e se acrescenta água fervente.

Em Missões e norte de Corrientes se toma Mate frio com ervas aromáticas conhecido como "tererê". Quando a infusão se ingere em grupo recebe o nome de "mate corrido" ou "roda do mate". Também existe mate preparado em bolsinhas individuais. Compartilhar um mate neste país é a melhor maneira de se relacionar com as pessoas.

Mas a grande vedete gastronômica é mesmo o churrasco - a diferença básica entre o churrasco argentino e o brasileiro está na distância da carne em relação à fonte de calor. O brasileiro prefere deixar a brasa afastada da carne, já os argentinos preferem churrasqueiras rasas.

A churrasqueira - ou "parrilla" - é uma grelha com diferentes alturas, de acordo com as necessidades. O fogo é feito ao lado, e só quando a brasa está bem " vermelha", ela é colocada em baixo da parrilla. E aí reside o grande - e saudável - diferencial, porque desta forma, os gases tóxicos do carbono não ficam depositados na carne.

Para conseguir um bom assado - que deve ser crocante, dourado e suculento - a grelha precisa estar bem aquecida, a uma temperatura elevada, coloca-se a gordura voltada para baixo, para ir derretendo e, consequentemente, desengordurando e produzindo um humo que é o que irá conferir um sabor especial e único às carnes assadas.O churrasco argentino é famoso e saboroso. A espessura da carne é generosa e os temperos são diferenciados. O melhor acompanhamento para a carne são as papas fritas (batatas fritas).

Lú Bacheschi

Fonte: www.latinoamericano.jor.br

Culinária Argentina

Culinária Argentina
Assados

A gastronomia do país vizinho diferencia-se da do resto da América Latina devido à grande influência européia, principalmente italiana e espanhola, seguida daquela proveniente das etnias aborígines.

Culinária Argentina
Facturas

Quando se fala em gastronomia argentina, a carne vem imediatamente à mente. A fertilidade do solo, aliada ao fato de ser um dos principais produtores de grãos do mundo, permite ao país contar com um gado de altíssima qualidade. Isso explica a adoção da carne como um dos seus principais ingredientes. Na gastronomia aproveita-se a qualidade de todos os derivados do animal: carne, leite, queijos e iogurtes.

Culinária Argentina
Empanadas

A história da gastronomia argentina tem sua origem nos Pampas e nos pratos à base de milho como locro, tamales e humitas. Esses pratos constituíam a dieta rotineira dos primeiros habitantes dos Pampas argentinos, sendo ainda servidos no norte do país.

Não podemos esquecer a erva-mate e as facturas (nome que se dá a diversos tipos de pãezinhos recheados ou não, geralmente doces e feitos no forno). O mate (chimarrão) é tão importante na vida social dos argentinos que dele surgiu o verbo matear (tomar chimarrão). O mate já se tornou um símbolo nacional, sendo tomado a qualquer hora do dia por possuir propriedades digestivas e revigorantes. Outro costume argentino é frequentar os tradicionais cafés, destacando-se alguns pelo seu requinte e sofisticação.

Culinária Argentina
Locro

Um produto muito consumido e com grande variedade de sabores e marcas é o tradicional alfajor, sendo o de doce de leite o mais famoso, importante e saboreado. No interior do país (Córdoba e Santa Fe) os mais tradicionais são os de frutas como laranja, pêssego e marmelo.

Fonte: www.aquiargentina.com.br

Culinária Argentina

Cozinha Argentina

Locro criollo

Ingredientes

1 kg de milho-branco (canjica)
1 kg de feijão-branco
300 g de pancetta fatiada (toucinho fresco)
2 kg de costelinha de porco fresca
3 kg de fraldinha em cubos
600 g de linguiça tipo toscana em rodelas
1 cebola grande picada
10 dentes de alho picados
1 alho-poró picado (só a parte branca)
1 talo de salsão picado
3 litros de caldo de carne
1 repolho médio fatiado
10 batatas pequenas, em cubos grandes
1 abóbora japonesa (kabochá), em cubos médios
4 pimentões vermelhos em tiras
Vinho tinto
Azeite e sal a gosto

Modo de Preparar

Deixe o milho-branco e o feijão-branco de molho na véspera. Cozinhe o milho em água e sal até ficar macio. Escorra e reserve. Em uma panela, aqueça um pouco de azeite e doure separadamente as carnes (reservando-as em uma vasilha à parte). Comece pela pancetta (que solta gordura). Depois doure a costela, a fraldinha e, por último, a linguiça. Conforme for fritando cada carne, regue com um pouco de vinho tinto e raspe o fundo da panela, para soltar as crostas que se formam e enriquecer o sabor do cozido. Na gordura que sobrou na panela, doure a cebola, o alho, o alho-poró e o salsão. Acrescente o caldo de carne (reserve um pouco para repor ao longo do cozimento) e o feijão-branco. Cozinhe por 20 minutos. Adicione as carnes e cozinhe por cerca de 40 minutos. Misture o repolho, as batatas e o milho-branco pré-cozido. Leve ao fogo por mais 20 minutos. Acrescente a abóbora e os pimentões e deixe cozinhar até amaciarem. Na hora de servir, distribua o cozido em pratos fundos e espalhe um fio de azeite por cima.

Tempo de Preparo

3 Horas

Rendimento

30 Porções

Empadas da Argentina

Ingredientes

Para o recheio

500 g de alcatra picada, limpa e sem gordura
1/2 kg de cebola
50 g de manteiga sem sal
1 caldo de carne
Temperos a gosto (cebolinha verde, pimenta, cominhos, sal e pimenta do reino)
1 chávena (chá) de azeitonas verdes picadas
1/2 chávena (chá) de uvas passas pretas sem semente
Cebolinha verde picada a gosto
4 ovos cozidos

Para a massa

500 g de farinha de trigo
1 colher (sobremesa) de sal fino
100 g de margarina
180 ml de água morna
Farinha de trigo para polvilhar

Preparação

Preparação do recheio: Comece por dourar o 1/2 kg de cebola, previamente cortada em tiras, na manteiga. Acrescente a alcatra e deixe cozinhar, durante 5 minutos, em lume alto, mexendo sempre para não queimar a cebola. Junte depois o caldo de carne esfarelado e os temperos a gosto. Misture muito bem e cozinhe, em lume alto, durante mais ou menos 5 minutos.

Findo este tempo, junte as azeitonas verdes, as uvas passas e a cebolinha verde picada a gosto. Deixe arrefecer, transfira para outro recipiente e leve ao frigorífico.

Retire da geladeira e junte 4 ovos cozidos e picados. Misture bem. Reserve.

Preparação da massa

Coloque num recipiente os 500 g de farinha de trigo, misturada com o sal fino. Acrescente a margarina e faça uma farofa. Aos poucos, junte a água morna, até obter uma massa lisa. Trabalhe bem a massa com as mãos e divida-a em cerca de 16 bolas de 50g cada.

Abra a massa com um rolo, até obter uma espessura de mais ou menos 2 mm de altura. Corte discos de 13 cm de diâmetro cada. Reserve cada disco separado um do outro com papel de prata.

Montagem das empadas

Coloque uma colher (sopa) do recheio no centro de cada disco. Humedeça a borda do disco com água e feche como se de um pastel se tratasse. Dobre a borda formando pregas. Coloque em forma enfarinhada. Pincele as empanadas com gema e asse em forno pré-aquecido a 180ºc durante 15 minutos.

Carbonada Argentina

Ingredientes

1 abóbora
manteiga
sal
pimenta
molho de tomate
azeite
cebola
louro
alho
tomate
chouriço
carne de vaca
maçarocas de milho
batata doce
vinho branco
cebola de verdeo
queijo (de pizza)

Modo de Preparar

Obter uma abóbora (amarela por dentro), com uma faca corta-se a parte superior para assim formar um género de tampa.

Depois limpa-se das sementes e unta-se a parte interior e exterior da abóbora com manteiga (a parte exterior é para que brilhe depois de ir ao forno). Coloca-se no interior da abóbora um pouco de sal e pimenta e leva-se ao forno a cozinhar (deve levar cerca de uma hora).

Num tacho se prepara molho de tomate, aceite, cebola, louro, alho e tomate. Num outro tacho coloca-se um pouco de azeite, choriço em rodelas. Uma vez dourado se coloca carne de vaca cortada em pedaços pequenos (da nalga), se deixa cozinhar um pouco e se vai agregando maçarocas de milho cortadas ás rodelas de 2cm, batata doce, em cubos, batatas, um pouco de vinho branco, sal, pimenta e se deixa a cozinhar um pouco sem tapar o tacho.

Quando está tudo cozinhado, se lhe junta cebola de verdeo picada fina. A cebola de verdeo só se junta já no final para não perder o sabor. Tira-se a abóbora do forno e se vai deitando dentro o cozinhado, mas alternando com queijo (das pizzas) se lhe coloca a tampa e se leva á mesa a servir.

Bom apetite.

Puchero

Culinária Argentina

Culinária Argentina

Culinária Argentina

Ingredientes

1 pacote de grão de bico(500grs)
600grs de linguiça calabresa em rodelas
400grs de paio em rodelas
300grs. de costelinha suína(usei a defumada)
500grs.de lombo suíno salgado
250grs de bacon de lombo defumado
2 ou 3 mandioquinhas picadas
4 batatas médias cortadas em quatro
2 cenouras grandes em rodelas
2 cebolas médias picadas
2 colheres de sopa de alho espremido
2 colheres de sopa de extrato de tomate
salsinha
2 folhinhas de louro

Modo de Preparar

Cozinhe o grão de bico(deixe ainda um pouco durinho para terminar de cozinhar com as carnes)Afervente as carnes salgadas(já deixadas de molho)Em uma panela,refogue em óleo 1 colher do alho e as cebolas,junte as carnes(menos linguiça e paio),a mandioquinha ,adicione o grão de bico com a água do cozimento,coloque o louro e cozinhe até as carnes e grãos até ficarem macios e a mandioquinha desmanchar.Junte as linguiças e paio,as batatas , cenouras e o extrato de tomate.Refogue a outra colher de alho em um pouco de azeite até dourar e despeje na panela,deixe apurar um pouco,polvilhe salsinha .Sirva com arroz branco e couve refogada.

Puchero

Ingredientes

250g de grão de bico (cru)
1,5 litros de água
250g de linguiça calabresa fatiada em rodelas
1 repolho bem pequeno fatiado ou metade de um médio
1 pimentão verde cortado em cubos (eu não usei)
2 cenouras pequenas fatiadas
1 batata doce grande cortada mais ou menos em cubos (2,5 cm)
2 cebolas pequenas picadas
1/2 xícara (chá) de molho de tomate
2 cubinhos de caldo de galinha (eu usei 2 envelopes 0% de gordura)
2 colheres de (chá) de alho picado ou a gosto. Sal a gosto (não coloquei)
1/2 colher (chá) de cominho em pó

Modo de Preparar

Deixe o grão de bico de molho por 8 horas ou de um dia para o outro. Depois cozinhe em panela de pressão por aproximadamente 20 minutos. Acrescente os demais ingredientes e cozinhe com a panela destampada por mais 30 minutos ou até encorpar o caldo e ficar saboroso.

Após desligar, salpique salsinha fresca.

Puchero

Ingredientes

1/2kg de patinho em cubos
2 colheres de sopa de azeite
2 dentes de alho amassado
2 cebolas picadas
2 paios em rodelas
1 linguiça defumada em rodelas
1 peito de frango em pedaços
2 coxas com sobrecoxas de frango em pedaços
4 tomates sem pele e sementes picados
1 xícara de chá de ervilha
200g de vagem manteiga cortadas ao meio
2 batatas picadas
1 batata-doce cortada em quatro
2 cenouras em rodelas grandes
1 colher de sopa de extrato de tomate
Sal
Pimenta-do-reino
1 1/2 litro de água
1/2 copo de vinho branco seco
1 xícara de chá de abóbora picada
1 xícara de chá de repolho picado

Modo de Preparar

Doure a carne no azeite com o alho e a cebola. Junte o paio, a linguiça e o frango. Adicione o tomate, a ervilha, a vagem, a batata, a batata-doce,a cenoura, o extrato, o sal, a pimenta, a água e o vinho. Ferver durante 30 minutos. Coloque a abóbora e o repolho, deixe cozinhar por mais 10 minutos. Sirva quente acompanhando de arroz.

Curiosidade

O puchero é uma preparação à base de carnes e embutidos, legumes, verduras, ovos cozidos e, às vezes, banana, que são cozidos juntos, e com temperos, na mesma panela. É uma preparação característica de vários países. Na Espanha, é chamado puchero ou cocido, sendo o mais conhecido o cocido madrileño. O Puchero é a versão espanhola para o cozido português.

Tempo de Preparo

1 Hora

Rendimento

6 porções

Puchero

Ingredientes

meio quilo de grão-de-bico
4 colheres (sopa) de óleo
1 cebola grande , ralada
meio quilo de coxão mole cortado em cubos
100 g de toucinho picado
1 paio picado
1 linguiça calabresa
2 tomates sem pele e sementes, picados
3 cenouras cortadas em cubos pequenos
2 tabletes de Caldo Maggi de Carne

Modo de Preparar

Caldo Maggi de Carne

Deixe o grão-de-bico de molho em água de um dia para o outro. Cozinhe-o em panela de pressão por aproximadamente 30 minutos e reserve. Frite a cebola no óleo até dourar. Acrescente aos poucos a carne, o toucinho, o paio, a linguiça, os tomates e deixe refogar. Em seguida coloque a cenoura, os tabletes de Caldo Maggi e deixe cozinhar, coloque água fervente se necessário. Quando a carne estiver cozida acrescente o grão-de-bico escorrido e deixe-o cozinhar por cerca de 15 minutos. Sirva quente como prato único.

Congelamento

Se desejar, congele o puchero cozido e frio. Embale, etiquete e leve ao freezer ou duplex por até 2 meses. Para descongelar, deixe-o de véspera em geladeira.

Microondas

Por não apresentar benefícios, não indicamos o preparo desta receita em microondas.

Rendimento

6 porções

Puchero a Brasileirinha

Ingredientes

250g grão de bico (deixados na água por 1 noite)
100g bacon fatiado fino
1 gomo de calabresa em rodelas finas
1 cebola média em rodelas
4 dentes de alho picado
1/2 quilo músculo picado (em cubos pequenos)
2 tabletes de tempero (1 de legumes e 1 de carne)
1 maço de salsinha
1 repolho médio fatiado bem fininho
sal a gosto
azeite para fritar os ingredientes

Modo de Preparar

Coloque o azeite na panela de pressão, acresente o bacon e a calabresa (frite). Acresente a cebola, coloque a carne os temperos e o sal (refogue). Coloque o repolho aos poucos e vá refogando até ele murchar. Coloque o grão de bico e 1/2 maço da salsinha, cubra de água passando 2 dedos, coloque na pressão por 30 minutos. Depois de pronto, salpique o resto da salsinha picada e está pronto para servir.

Pulo do Gato

Esta receita eu conheco a pouco tempo, mas já conquistou o paladar da minha família. Meu marido não costuma comer sopas e nada que tenha muito caldo, mas quando comeu este prato se deliciou e repetiu!

Por isso fiz questão de mandar esta receita, pois sei que vai agradar o paladar de todos, inclusive ao da Ana.

MASSA PARA EMPANADAS

Ingredientes

500 gr de farinha de trigo
150 gr de manteiga
200 ml de água
sal a gosto
1 gema de ovo para pincelar

Modo de Preparar

Misturar todos os ingredientes. Trabalhe a massa com as mãos até ficar com consistência lisa. Estique-a com o rolo, dando o formato de um retângulo de 5mm de espessura. Polvilhe farinha de trigo por cima e dobre no meio. Repita a operacão de esticar; polvilhar e dobrar mais duas vezes, e deixe a massa em descanso por 30 minutos. Em seguida, abra a massa novamente ate atingir 3mm de espessura e corte os discos, usando um cortador com 14 cm de diâmetro (na falta deste, utilize um prato, cortando as bordas com faca ou cortador de massa). Depois de montar as empanadas, pincele-as com a gema de ovo batida. Seja qual for o recheio, asse por 10 minutos em forno pré-aquecido (180 gr).

RECHEIOS PARA EMPANADAS

FRANGO

Ingredientes

1 receita de massa
80 gr de manteiga
350 gr de cebola
100 gr de pimentão
500 gr de peito de frango em pedaços
125 gr de polpa de tomate
100 gr de cebolinha
Sal, orégano e páprica a gosto
1 pitada de cominho (opcional)

CARNE

Ingredientes

1 receita de massa
80 gr de manteiga
400 gr de cebola
100 gr de pimentão
500 gr de carne moída
100 gr de cebolinha
Sal, orégano e páprica a gosto
1 pitada de cominho (opcional)
Ovos cozidos picados a gosto
Azeitonas verdes a gosto

PRESUNTO E QUEIJO

Ingredientes

1 receita de massa
600 gr de presunto
600 gr de mussarela
Farinha de trigo p/ polvilhar
300 g de tomates picados sem semente
Orégano a gosto

Preparo

Corte bem pequeno ou moa o presunto e a mussarela. Polvilhe um pouco de farinha de trigo por cima e misture, para dar uma consistência de massa.
Adicione os tomates e misture bem. Coloque uma bolinha de recheio em cada disco de massa, salpique com um pouco de orégano e feche a empanada (deixe aberta em cima - fechar tipo trouxinhas).

4 SEGREDOS DAS EMPANADAS.

1. Use recheio sempre frio ou morno, para não prejudicar a massa.
2. Feche bem para não estourar.
3. Asse em forno bem quente, pré-aquecido a 180c. O choque térmico faz a massa ficar mais crocante e gostosa.
4. Aqueça a assadeira sem untar no forno por 2 minutos antes de colocar as empanadas, para evitar que fiquem grudadas depois de prontas.

Empanada de Frango

Ingredientes

Massa

2 xícaras de farinha de trigo
1/2 xícara de gordura vegetal
1 ovo pequeno
1 colher (chá) de sal
água morna

Recheio

2 peitos de frango
4 colheres (sopa) de óleo
1 cebola pequena picada
3 tomates maduros sem sementes picados
1 pimentão verde pequeno
1 dente de alho
2 colheres (sopa) de salsinha picada
1/2 colher (chá) de orégano
1/2 colher (chá) de cominho
1/2 colher (chá) de páprica doce
2 colheres (sopa) de uva passa
sal e pimenta-do-reino

Modo de Preparar

Para o preparo da massa, coloque a farinha de trigo, sal, e gordura vegetal em um processador. Pulse até obter uma textura de areia grossa, acrescente o ovo e pulse novamente. Adicione a água morna aos poucos, cerca de 4 colheres de sopa e processe até a massa unir bem. Retire do processador e deixe descansar por 30 minutos. Caso não tenha um processador, prepare a massa utilizando a ponta dos dedos para incorporar os ingredientes. Cozinhe os peitos de frango em um pouco de água fervente até estarem macios. Deixe esfriar e desfie bem. Reserve. Pique a cebola, alho e pimentão, coloque o óleo em uma panela e acrescente estes ingredientes. Refogue em fogo baixo por cerca de 5 minutos e acrescente o peito de frango desfiado. Refogue por mais um ou dois minutos e adicione os tomates picados. Refogue por mais 10 minutos, coloque o orégano, páprica doce, cominho, sal e pimenta-do-reino. Acrescente as uvas passas reidratadas retire do fogo e deixe esfriar. Pré-aqueça o forno em quente. Abra a massa com um rolo com a espessura de ¼ cm. Corte discos de 15 cm de diâmetro, coloque 2 ou 3 colheres (sopa) de recheio em cada disco, umedeça as bordas e feche como pastel. Aperte bem as bordas com a ponta de um garfo. Asse por cerca de 20 minutos ou até estarem douradas e crocantes. Sirva quente.

Empanadas criollas

Ingredientes

Massa

1/2 kg de farinha de trigo + um pouco para polvilhar a assadeira
1 colher (sobremesa) de sal
100 g de manteiga sem sal em temperatura ambiente

Recheio

1/2 kg de contrafilé limpo cortado em bifes finos
1/2 kg de cebola cortada em cubinhos
50 g de manteiga sem sal
1/2 xícara (chá) de cebolinha verde cortada em rodelinhas
1 colher (sobremesa) de sal
1 colher (café) de cominho em pó
1 colher (café) de páprica
1 colher (café) de pimenta-do-reino
100 ml de caldo de carne
4 ovos cozidos picados
18 azeitonas verdes sem caroço
36 uvas passas pretas sem semente e demolhadas

Modo de Preparar

Recheio: corte os bifes em tiras e, em seguida, em quadradinhos. Numa panela, doure a cebola na manteiga e junte a carne. Acrescente a cebolinha verde, o sal, o cominho, a páprica, a pimenta-do-reino e o caldo de carne e mexa cuidadosamente. Retire do fogo, deixe esfriar e coloque na geladeira por, no mínimo, 2 horas (é necessário para manter a umidade do recheio). Massa: misture a farinha e o sal e despeje numa superfície lisa. Abra um buraco no meio e coloque a manteiga. Misture bem e acrescente água morna, aos poucos, até obter uma massa flexível (cerca de 200 ml, o suficiente para dar liga na massa). Trabalhe bem a massa e divida-a em bolas. A seguir, estique as bolas com um cilindro, até conseguir uma espessura de 2 mm. Com a ajuda de um cortador ou um recipiente circular, corte círculos de aproximadamente 10 cm cada um. Enfarinhe 2 a 3 assadeiras e reserve. Retire o recheio da geladeira e adicione cuidadosamente os ovos cozidos. Coloque 1 colher (sopa) do recheio no meio dos círculos, deixando uma borda de massa de cerca de 2 cm por toda a volta. Por fim, acrescente 1 azeitona e 2 uvas passas em cada círculo. Umedeça a borda com água e feche os círculos, apertando bem as bordas. Com a ajuda dos dedos, faça voltinhas na borda, como se fosse uma bainha (se achar muito trabalhoso, faça pressão com um garfo em toda a extensão). Coloque as empanadas nas assadeiras enfarinhadas e asse em forno médio (200ºC), preaquecido, por 8 a 10 minutos, ou até dourar levemente.

Empanadas de carne

Ingredientes

recheio

3 colheres de sopa de cebola picada

massa

1 colher de chá de sal
recheio
sal a gosto
massa
1 e 1/2 xícara de chá de creme de leite

recheio

2 colheres de sopa de manteiga
1 maçã verde média sem casca e sem sementes, picadas
1/2 xícara de chá de azeitonas pretas picadas
massa
4 xícaras de chá de farinha de trigo

recheio

200 g de carne moída
1 colher de sopa de açúcar mascavo
1/2 xícara de chá de uvas passas brancas
1 pimenta dedo-de-moça média picada
massa
2 gemas

recheio

1 gema batida
1 colher de sopa de salsinha picada

Modo de Preparar

Massa: coloque em uma tigela o creme de leite, a farinha de trigo, as gemas e o sal. Misture com as pontas dos dedos até a massa ficar homogênea. Em seguida, sove a massa por 10 minutos, ou até ficar compacta. Embrulhe-a em filme plástico e deixe descansar na geladeira por 15 minutos. Recheio: derreta em uma panela a manteiga (reserve 1 colher de sopa) e frite a carne por 10 minutos, ou até dourar. Em seguida, junte a cebola e deixe fritar. Acrescente a maçã, as uvas passas, a pimenta, as azeitonas, o açúcar mascavo e 6 colheres (sopa) de água. Misture e deixe cozinhar por mais 5 minutos, ou até secar. Acerte o sal, acrescente a salsinha, retire e deixe esfriar. Abra a massa em uma superfície enfarinhada e corte 9 círculos de 10 cm de diâmetro cada um, distribua o recheio e feche os círculos como uma meia-lua. Aperte as bordas com um garfo ou com as pontas dos dedos. Coloque as empanadas em uma assadeira untada com a manteiga reservada e enfarinhada. Pincele a gema e leve para assar em forno médio por 35 minutos, ou até dourarem.

Empanadas de Carne

Culinária Argentina

Ingredientes

recheio

3 colheres de sopa de cebola picada

massa

1 colher de chá de sal
recheio
sal a gosto

massa

1 e 1/2 xícara de chá de creme de leite

recheio

2 colheres de sopa de manteiga
1 maçã verde média sem casca e sem sementes, picadas
1/2 xícara de chá de azeitonas pretas picadas

massa

4 xícaras de chá de farinha de trigo

recheio

200 g de carne moída
1 colher de sopa de açúcar mascavo
1/2 xícara de chá de uvas passas brancas
1 pimenta dedo-de-moça média picada

massas

2 gemas

recheio

1 gema batida
1 colher de sopa de salsinha picada

Modo de Preparar

Massa: coloque em uma tigela o creme de leite, a farinha de trigo, as gemas e o sal. Misture com as pontas dos dedos até a massa ficar homogênea. Em seguida, sove a massa por 10 minutos, ou até ficar compacta. Embrulhe-a em filme plástico e deixe descansar na geladeira por 15 minutos. Recheio: derreta em uma panela a manteiga (reserve 1 colher de sopa) e frite a carne por 10 minutos, ou até dourar. Em seguida, junte a cebola e deixe fritar. Acrescente a maçã, as uvas passas, a pimenta, as azeitonas, o açúcar mascavo e 6 colheres (sopa) de água. Misture e deixe cozinhar por mais 5 minutos, ou até secar. Acerte o sal, acrescente a salsinha, retire e deixe esfriar. Abra a massa em uma superfície enfarinhada e corte 9 círculos de 10 cm de diâmetro cada um, distribua o recheio e feche os círculos como uma meia-lua. Aperte as bordas com um garfo ou com as pontas dos dedos. Coloque as empanadas em uma assadeira untada com a manteiga reservada e enfarinhada. Pincele a gema e leve para assar em forno médio por 35 minutos, ou até dourarem.

Empanadas de espinafre

Ingredientes

1 cebola
1 colher (sopa) de azeite de oliva
1/2 maço de espinafre
sal a gosto
1/2 colher (chá) de noz-moscada
1/2 colher (chá) de páprica doce
100 g de ricota
1 gema de ovo
2 colheres (sopa) de semente de gergelim

Modo de Preparar

Refogar a cebola picada no azeite. Juntar as folhas de espinafre lavadas e picadas. Cozinhar em fogo baixo no próprio caldo. Temperar com o sal, noz-moscada e a páprica. Acrescentar a ricota e misturar bem. Esfriar. Retirar a massa folhada da geladeira. Abrir e cortar círculos. Rechear com o espinafre e a ricota, umedecer as bordas com água e fechar, apertando bem as beiradas. Dissolver a gema com um pouquinho de água fria e pincelar os pastéis, polvilhando com gergelim. Colocar num tabuleiro apenas umedecido com água. Levar ao forno pré-aquecido e assar durante 15 min.

Empanadas de peixe e camarão

Ingredientes

1 xícara (chá) de fubá
1 xícara (chá) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
7 colheres (sopa) de manteiga em pedaços
1 gema
1 ovo batido levemente

recheio

1 colher (sopa) de óleo
1 cebola média picada
2 dentes de alho amassados
1/2 kg de camarões pequenos e limpos
200 g de pescada branca picada
3 pimentas jalapeño, sem pele e sem sementes, picadas
1 colher (chá) de pimenta-da-jamaica em pó
1 colher (chá) de orégano desidratado
1 lata de tomates pelados (400 g), picados em pedaços pequenos
1 colher (sopa) de alcaparras em conserva picadas
1 colher (sopa) de óleo

massa

1 xícara (chá) de fubá
1 xícara (chá) de farinha de trigo
2 colheres (chá) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
7 colheres (sopa) de manteiga em pedaços
1 gema
1 ovo batido levemente

Modo de Preparar

Massa: peneire em uma tigela o fubá, a farinha, o fermento e o sal. Junte a manteiga e misture com as pontas dos dedos até obter uma farofa. Misture a gema e 4 colheres (sopa) de água gelada e transfira a massa para uma superfície enfarinhada. Sove até ficar macia e lisa. Divida-a em 6 porções. Recheio: aqueça o óleo em uma panela e refogue a cebola e o alho, sem parar de mexer. Junte o camarão e o peixe e cozinhe, mexendo de vez em quando, até o peixe ficar macio. Retire o camarão e o peixe da panela e reserve. Na mesma panela coloque as pimentas, o orégano, o tomate e as alcaparras. Cozinhe em fogo baixo e com a panela destampada até o molho se reduzir aproximadamente a 1 xícara de chá. Retire do fogo e misture o peixe e o camarão. Acerte o sal e reserve. Montagem: abra a massa em uma superfície enfarinhada em 6 círculos de 16 cm de diâmetro e pincele as bordas com um pouco do ovo batido. Distribua o recheio e feche a massa, na forma de meia-lua, apertando as bordas com as pontas de um garfo. Disponha as empanadas em uma assadeira untada e enfarinhada e pincele com o ovo batido restante. Com uma faca, faça dois cortes na parte central das empanadas para sair o ar. Asse em forno médio, preaquecido, por 30 minutos, ou até dourar.

Empanadas salteñas

Ingredientes

Massa

1/2 kg de farinha de trigo + um pouco para polvilhar a assadeira
1 colher (sobremesa) de sal
250 g de manteiga sem sal derretida
2 gemas batidas para pincelar

Recheio

100 g de manteiga sem sal
1 xícara (chá) de cebolinha verde cortada em rodelinhas
1/2 kg de peito de frango cozido e desfiado
1 colher (sobremesa) de sal
1 colher (café) de cominho em pó
1 colher (café) de páprica
1 colher (café) de pimenta vermelha seca e moída
100 ml de caldo de frango
1/2 xícara (chá) de azeitonas pretas picadas
2 batatas médias cozidas e cortadas em cubos pequenos
4 ovos cozidos picados

Modo de Preparar

Recheio: numa frigideira grande derreta a manteiga, junte a cebolinha e refogue por cerca de 3 minutos em fogo médio. Acrescente o frango, o sal, cominho, a páprica, a pimenta vermelha, o caldo de frango e mexa cuidadosamente. Retire do fogo, deixe esfriar e coloque na geladeira por, no mínimo, 2 horas (é necessário para manter a umidade do recheio). Antes da finalização, acrescente as azeitonas, as batatas e os ovos. Massa: proceda como na empanada criolla. Apenas o tamanho será diferente: usando um prato de sobremesa, como se fosse um molde, faça círculos cortando com uma faca. Pincele com as gemas, antes de assar. Finalize como na empanada criolla. Se desejar, faça o fechamento com a borda no centro, como é típico na região.

Empanadas salteñas

Ingredientes

massa

1/2 kg de farinha de trigo + um pouco para polvilhar a assadeira
1 colher (sobremesa) de sal
250 g de manteiga sem sal derretida
2 gemas batidas para pincelar

recheio

100 g de manteiga sem sal
1 xícara (chá) de cebolinha verde cortada em rodelinhas
1/2 kg de peito de frango cozido e desfiado
1 colher (sobremesa) de sal
1 colher (café) de cominho em pó
1 colher (café) de páprica
1 colher (café) de pimenta vermelha seca e moída
100 ml de caldo de frango
1/2 xícara (chá) de azeitonas pretas picadas
2 batatas médias cozidas e cortadas em cubos pequenos
4 ovos cozidos picados

Modo de Preparar

Recheio

Numa frigideira grande derreta a manteiga, junte a cebolinha e refogue por cerca de 3 minutos em fogo médio. Acrescente o frango, o sal, cominho, a páprica, a pimenta vermelha, o caldo de frango e mexa cuidadosamente. Retire do fogo, deixe esfriar e coloque na geladeira por, no mínimo, 2 horas (é necessário para manter a umidade do recheio). Antes da finalização, acrescente as azeitonas, as batatas e os ovos.

Massa

Proceda como na empanada criolla. Apenas o tamanho será diferente: usando um prato de sobremesa, como se fosse um molde, faça círculos cortando com uma faca. Pincele com as gemas, antes de assar. Finalize como na empanada criolla. Se desejar, faça o fechamento com a borda no centro, como é típico na região.

Alfajor

Ingredientes

1 e ½ xícara (chá) de farinha de trigo sem fermento
1 e ½ xícara de fubá
1 e ½ xícara de açúcar
1 colher (chá) de bicarbonato
2 colheres (sopa) de conhaque
1 colher (café) de sal
100 gramas de margarina
2 gemas
1 ovo

Recheio

coco para decorar ou brigadeiro
doce de Leite

Modo de Preparar

Misturar todos os ingredientes e amassar. Cortar com um cortador e assar. Rechear a seu gosto.

Almôndegas com recheio de laranja - Albondigas a la naranja

Ingredientes

Carne

½ xícara de alho-poró picadinho
1 e ½ colher (chá) de sal
½ colher (chá) de pimenta
½ quilo de carne moída (pode ser de porco)
2 batatas cozidas picadas
2 a 3 fatias de pão
1 ovo

Recheio

3 colheres (chá) de raiz-forte
Queijo cremoso
1 a 2 laranjas
Manteiga

Molho

1 a 2 colheres (chá) de licor Grand Marnier ou Triple Sec
Casca ralada de laranja
Creme de leite
Salsa picada

Modo de Preparar

Umedecer o miolo do pão, com água. Misturar com a carne, as batatas, o ovo, o alho-poró, o sal e a pimenta, até obter uma massa homogênea. Juntar mais água, se for necessário. Estender sobre uma superfície lisa e cortar em 12 quadrados. Misturar, à parte, o queijo com a raiz forte e um pouco de manteiga. Colocar um pouco de recheio sobre cada quadrado de massa, mais um pedaço de laranja descascada. Fechar formando almôndegas e fritar na manteiga restante, até, dourar. Colocar numa frigideira, juntar o creme de leite, uma colherada de água e a casca de laranja. Cozinhar em fogo baixo, por 5 a 8 minutos. Salpicar com a salsa.

Ambrosia

Ingredientes

½ colher (chá) de baunilha
1 copo de água fria
1 quilo de açúcar
1 litro de leite
3 gemas
5 ovos

Modo de Preparar

Levar ao fogo baixo a água com o leite, o açúcar e a baunilha. Juntar os ovos, ligeiramente batidos com as gemas, e mexer sem parar. Quando começar a ferver, e se notar que os ovos estão cozidos, aumente o fogo e deixar até ficar no ponto, cuidando para não queimar. Mexer então com 1 colher de pau. Retirar, colocar numa travessa e servir frio.

Arroz portenho

Ingredientes

6 colheres (de sopa) de queijo parmezon ou provolone ralado
2 colheres (de sopa) de manteiga
1 xícara de aroz (cru)
200 gramas de mussarela fatiada e picada
150 gramas de presunto fatiado e picado
1 e ½ lata de molho de tomate
1 e ½ caldo de galinha
1 litro de leite

Modo de Preparar

Iniciar o cozimento do arroz com água (como se fosse para arroz doce) e termine o cozimento com o leite. Depois de cozido, temperar com o caldo de galinha, a manteiga e 3 colheres de queijo ralado.

Num pirex monte em camadas:

1ª-uma camada fina de molho de tomate
2ª-a metade do arroz cozido
3ª-o presunto
4ª-a mussarela
5ª-molho de tomate
5ª-a outra metade do arroz cozido
6ª-o molho de tomate e colocar as outras 3 colheres de sopa de queijo ralado por cima para para gratinar no forno quente.

Camarão à Creole

Ingredientes

1 colher (sopa) de pimentão em flocos
1 colher (sopa) de aipo em flocos
1 colher (chá) de molho inglês
1 colher (chá) de cajun
½ xícara (chá) de purê de tomates
1 xícara (chá) de água
500 gramas de camarões grandes
salsa a gosto

Modo de Preparar

Numa panela, juntar o pimentão, o aipo, a água e o purê de tomate. Levar ao fogo e esperar ferver, mexendo. Acrescentar o cajun e o molho inglês. Misturar e deixar apurar. Temperar com sal a gosto. Quando o molho estiver encorpado, adicionar os camarões e deixar cozinhar (eles ficam rosados). Servir em seguida, polvilhando com salsa a gosto. O Cajun é um tempero para peixe e frango. Composto por páprica, sal, estragão, alho, cebola, pimenta do reino, salsa, canela, tomilho e pimenta calabresa. Típico da cozinha Creola.

Carreteiro Argentino

Ingredientes

massa da preferência de quem for fazer, pode ser tipo espaguete, de preferência as lisas e finas
carne de gado picada, ou peças de frango inteiras ou desfiadas, tais como coxas, sobrecoxas ou peito
caldo de frango ou carne
tomates para o molho
cebola picada
alho picado
sal
óleo

Modo de Preparar

Fritar o alho e a cebola no óleo. Após fritar a carne de frango ou de gado, colocar os tomates quando a carne já estiver cozida. Se quiser colocar molho de tomate pronto pode ser. Depois de ficar pronto o molho, colocar a massa de sua preferência na panela com o molho e a carne. A massa deve estar crua. Colocar bastante água até cobrir a massa, pois ela irá cozinhar no próprio molho. Estará pronto quando a massa ficar al dente e parte do molho tiver evaporado. Colocar queijo ralado por cima e servir.

Chicarrones

Ingredientes

Os chicharrones são feitos com carne de porco de partes diversas (mas sempre com bastante gordura). Uma vez feitos têm a aparência de uma carne muito pequena ou desfiada misturada com algo de gordura e de cor café com leite. Podem ser conservados perfeitamente por vários dias em lugar fresco (refrigerador). Só, em empanada ou simplesmente em sanduíches, eles são deliciosos... e temperados, melhor... passando um pouco antes pela panela. Eles requerem uma certa experiência, mas está ao alcance de qualquer um prepará-los.

Modo de Preparar

Em uma panela grande colocar a carne cortada em pequenos pedaços e um pouco de água (não muito, pouco mais que só o fundo). São feitos em fogo baixo, mexendo sempre e muito lentamente, e os apertando com a espátula de forma que eles vão soltando a gordura deles. Uma vez dourado, deixar escorrendo de forma que eles soltem a maioria da gordura e devem ser salgados a gosto. Você os pode deixar deste modo, partidos em pequenos pedaços, ou se quiser pode desfiar ou picar mais... e então, colocar em uma tigela ou recipiente, apertandoum pouco, como preferir. A gordura que ficou na panela e a que escoou dos chicharrones, ao solidificar-se toma um aspecto branco que é o que é conhecido como manteiga ou gordura de porco (cerdo, em espanhol).

Crepes de Doce de Leite Banhados em Chocolates

Ingredientes

500 gramas de doce de leite (espesso, usado em recheios)
100 gramas de chocolate derretido
250 gramas de farinha
50 gramas de açúcar
500 ml de leite
10 ml de óleo
2 ovos

Modo de Preparar

Colocar em uma tigela o leite, óleo, açúcar, ovos e misturar. Por último incorporar a farinha, misturando com misturador de arame de forma que não forme grumos. Permitir descansar ½ hora na geladeira. Preparar os crepes em uma panela, frigideira ou uma panquequeira.

Montagem Final

Rechear os crepes com uma colherada de doce de leite na metade do círculo, dobrar ao meio e novamente ao meio, em forma de lenço. Acomodar os crepes em uma tigela e banhar com o chocolate derretido com ajuda de um garfo formando linhas nos lenços.

Molho Chimichurri

Ingredientes

150ml de azeite
150ml de vinagre de vinho branco
80ml de água
4 dentes de alho
1 pimenta dedo-de-moça
1 ½ colher (chá) de orégano seco
1 colher (chá) de tomilho seco
1 colher (chá) de sal

Modo de Preparar

Pique o alho bem batidinho. Com a ponta de uma faca, abra a pimenta ao meio, no sentido do comprimento e retire as sementes. Pique em pedaços mínimos;

Em uma panela pequena, ferva o vinagre, o azeite e a água com o sal por 3 minutos. Retire do fogo. Acrescente ao líquido bem quente todos os outros ingredientes. Misture e deixe esfriar. Guarde em um vidro tampado durante ao menos 2 dias antes de utilizar para que os sabores se misturem e completem;

Sirva com carnes grelhadas

A culinária argentina tem como principais características a carne bovina e os vinhos, acém de uma variedade de outros ingredientes de origem indígena e européia. Dos índios, as principais contribuições vêm das civilizações andinas e da guarani, entre os europeus, as maiores influências sobre a cozinha da Argentina vêm da Espanha e da Itália.

Pela grande fertilidade dos pampas, vários dos pratos mais conhecidos da gastronomia nacional são derivados da carne bovina. Pasteis, churrascos e um sanduíche sempre levam carne em sua composição. O sanduíche mais tradicional do país é o chorípan, feito com pão e recheio de chouiço (a nossa picanha). Não é a toa que a Argentina é o maior consumidor de carne vermelha no mundo. Mas, diversos outros pratos, principalmente os de origem indígena, tem como base o milho e outros vegetais.

Também por causa da fartura dos pampas, a culinária Argentina usa bastante o leite. O doce de leite argentino é famoso mundialmente, e os argentinos têm o hábito de consumir diversos dos derivados do leite. A média de consumo de leite na Argentina é de 240 litros anuais por pessoa.

A bebida mais tradicional do país é de origem indígena. Feito pela infusão de ervas em água quente, o mate é consumido por toda a região da bacia do rio Paraná, sendo comum o seu consumo, inclusive, no sul do Brasil. A colonização espanhola deixou o hábito do consumo de café, e fez dos cafés um ponto de encontro nas cidades. Já a influência britânica deixou como legado o “té”, uma espécie de chá, que na Argentina é feito de folhas digestivas, como o boldo. Também nas bebidas, a gastronomia Argentina se destaca pelos vinhos. O País é o quinto maior produtor mundial da bebida, e a cidade de Mendonça é a capital nacional do vinho. O tipo de vinho mais importante da Argentina é o Malbeck.

A culinária Argentina é bastante rica, se destacando pelo variedade e sempre deixando à mostra a herança deixada pelos diversos povos que formaram o país. Seja pelas bebidas indígenas ou pelas comidas européias, a cozinha do país é um mosaico incrivelmente rico de gostos, aromas e cores.

Fonte: meviolao.googlepages.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal