Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Próteses De Panturrilha  Voltar

Próteses de Panturrilha

A cirurgia de implante de prótese nas pernas chegou ao Brasil em meados da década de 80. Inicialmente era realizada para corrigir defeitos ocasionados pela paralisia infantil. Atualmente é uma das cirurgias plásticas mais procuradas por quem tem pernas finas com panturrilhas pequenas em relação ao resto da perna, situação que é difícil de corrigir com exercícios ou musculação.

Considerações Técnicas

Na operação é colocada uma prótese de silicone na panturrilha. A prótese fica alojada sobre o músculo, o que proporciona um volume natural. A cicatriz é bem discreta porque a incisão é feita na parte posterior do joelho, perto das "dobrinhas". A recomendação após a cirurgia é que os pacientes utilizem meias elásticas e ande com calçados com salto tipo médio. Assim, a prótese fixa-se no local correto.

Os pacientes devem ainda repousar durante três dias. Depois de quinze dias podem retomar as suas atividades normais e dois meses após a cirurgia podem praticar exercícios físicos.

Tipo de Anestesia

A anestesia peridural ou a anestesia local com sedação são recomendadas para a maioria dos pacientes. Atualmente, com a evolução da medicina, os riscos inerentes a anestesia são relativamente pequenos. Desde que o paciente se encontre em bom estado de saúde, pode se submeter com tranqüilidade à qualquer tipo de anestesia.

Orientações pré-operatórias

Com a intenção de esclarecer algumas dúvidas, queremos passar orientações que julgamos importantes sobre a intervenção cirúrgica.

Período prévio à cirurgia

Discuta detalhadamente com o cirurgião as possibilidade reais de resultado.

Esclareça o tipo de incisão que vai ser utilizada e a anestesia.

Pergunte que tipo de meia elástica você vai usar.

Sempre que houver algum impedimento para a realização da cirurgia já marcada avise imediatamente ao cirurgião ou a clínica.

Programe suas atividades sociais, domésticas ou escolares, de modo a não se tornar indispensável a terceiros, por um período de aproximadamente 2 semanas.

Recomenda-se

Evite tomar aspirina ou remédios contendo AAS (ácido acetil salicílico) e vitamina E, pelo menos nas duas semanas que antecedem à cirurgia, pois poderá interferir no processo de coagulação. Isto inclui Ginko-Biloba.

Evite todo e qualquer medicamento para emagrecer, que eventualmente esteja fazendo uso, por um período de 10 dias do ato cirúrgico. Isto inclui também certos diuréticos.

Evite tomar ou usar substâncias tóxicas ou drogas nas duas semanas antecedentes a cirurgia.

Não fume nos 15 dias que antecedem a cirurgia e nas duas semanas de pós-operatório, pois poderá haver retardo da cicatrização.

Providencie acompanhante para contato e para a alta da clínica (nome e telefone).

Comunique ao médico se tiver episódio de erupção de qualquer tipo de herpes.

Não se exceda em exercícios físicos, alimentos e não tome bebidas alcoólicas.

A menstruação não é impedimento à sua cirurgia, mas de preferência programe-a para fora do período menstrual.

Recomendamos usar roupa de algodão no dia da cirurgia.

Comunique qualquer sinal de resfriado, conjuntivite, herpes ou infecções que surgirem na semana anterior à cirurgia. Nestes casos, o procedimento cirúrgico deverá ser transferido até a resolução do processo infeccioso.

Na Noite Véspera da Cirurgia

Tome banho geral usando sabonete anti-séptico (Sabofen ou similar). Lave com especial atenção as regiões que vão ser operadas.

Depile as pernas com cuidado, evitando ferimentos ou arranhões.

Alimentação leve até meia-noite.

Evitar bebidas alcoólicas ou refeições muito fartas na véspera da cirurgia.

Observar jejum total de 8 horas antes da cirurgia, inclusive água, cafezinho, balas e refrigerantes.

No Dia da Cirurgia

Tome banho geral usando sabonete anti-séptico (Sabofen ou similar), com atenção especial para as regiões que irão ser operadas.

Chegue à Clínica ou Hospital no horário marcado.

Não esqueça de levar para a clínica ou hospital os seus exames pré-operatórios e a meia elástica recomendada pelo cirurgião.

Traga sapatos de salto

Tome somente a medicação prescrita.

Não use cremes ou maquiagem e deixe pelo menos uma unha sem esmalte ou base.

Venha com roupas confortáveis e folgadas, pois serão usadas por ocasião da alta.

Traga uma pequena bolsa com objetos de uso pessoal.

Não traga jóias ou objetos de valor.

Ao chegar à Clínica ou Hospital, comunique na recepção o nome e o telefone do familiar ou acompanhante que virá buscá-la(o).

Orientações pós-operatórias

Mantenha repouso relativo nos 3 primeiros dias.

Não tire a meia elástica ou molhe o curativo neste período.

Recomenda-se o uso de sapatos de salto médio para não forçar a panturrilha.

Evite esforços por 14 dias.

Siga rigorosamente a prescrição médica.

Não utilize outros analgésicos além dos recomendados.
Salvo em casos especiais, alimentação livre a partir do segundo dia, principalmente à base de proteínas (carnes, leite, ovos ) e vitaminas (frutas).

Volte ao consultório para curativos subseqüentes e controle pós-operatório nos dias e horários estipulados.

Após a retirada dos pontos, permaneça com o curativo de micropore por mais duas semanas.

Uma vez retirado o curativo, faça massagem nas cicatrizes com o creme receitado pelo médico durante 3 meses.

Não dirija antes de 3 semanas.

A exposição ao sol pode ser feita após 30 dias gradativamente.

Os exercícios físicos moderados podem ser iniciados após 60 dias.

Natação, volei e musculação após 90 dias.

Aguarde para fazer sua “dieta ou regime de emagrecimento”, após a liberação médica. A antecipação desta conduta por conta própria, poderá determinar conseqüências difíceis de serem sanadas.

Fonte: www.reviver.med.br

Próteses de Panturrilha

Próteses de coxa, panturrilha e tornozelo

PERNAS TURBINADAS

Como estar em forma e aproveitar a estação mais quente do ano? Dieta, ginástica, somos capazes de tudo para ter o corpo perfeito, pois é nesta época que todas as atenções estão voltadas para a barriga, bumbum e pernas, sendo que estas últimas ganham destaque especial. Mas o que fazer quando as suas não são tão bonitas e torneadas como gostaria?

A solução pode ser a prótese de silicone.

Origem

Próteses de PanturrilhaCriada há cerca de 30 anos, na França, as próteses para pernas eram feitas de enxerto de gordura e tinham como principal objetivo a reconstituição de membros danificados por acidentes. As próteses, já feitas de silicone, para fins estéticos, começaram a ser utilizadas na década de 80. As primeiras cirurgias, no Brasil, tiveram como objetivo melhorar o aspecto das seqüelas de poliomielite (doença já erradicada no país, causada por um vírus que penetra no corpo do homem através da garganta ou intestino, fruto, na maioria das vezes, de condições inadequadas de higiene).

Atualmente, a prótese de silicone é indicada para quem ter pernas finas ou tortuosas, que podem ou não formar um vão entre elas. Para a correção desses casos, o silicone é colocado na parte interna das coxas, panturrilha e tornozelo. O cirurgião plástico, Nicola Menichelli Netto, especialista neste tipo de cirurgia há mais de 25 anos, afirma que o silicone não é necessariamente colocado só numa dessas partes, mas na perna como um todo, para corrigir as imperfeições. Segundo ele, a cirurgia dos membros inferiores é dividida em glúteo, perna (abaixo do joelho) e coxa. A separação tornozelo, panturrilha e coxa é mais comum nos Estados Unidos, onde as próteses são mais usadas para fazer Body Building (reconstrução do corpo), cujo principal objetivo é ter o corpo musculoso e não apenas bem torneado. Os "falsos músculos" são alcançados com a prótese. No Brasil, a finalidade dos pacientes não é ficar com a perna musculosa, mas sim corrigir imperfeições e deixar a perna torneada.

Tipos de silicone

A prótese de silicone nas pernas é uma das cirurgias mais procuradas, perde apenas para as da mama, ficando, inclusive, à frente da de glúteo, criada anteriormente. A cirurgia de coxa, a mais recente de todas, é a menos solicitada e indicada quando se usa o silicone. A grande procura faz com que os especialistas aperfeiçoem cada vez mais suas técnicas e os resultados alcançados sejam cada vez melhores. Isso é feito através do surgimento de próteses menores, mais resistentes e que apresentam, menos riscos para a paciente.

O silicone usado é o texturizado ou o de poliuretano na parte externa e gel na parte interna, desenvolvido para suportar uma pressão de até 500 quilos. São tão resistentes, que o Dr. Nicola, recomenda que novos exames, como ressonância ou tomografia computadorizada, por exemplo, sejam feitos após dez anos. Ele afirma que a troca só é feita se a prótese apresentar problemas como desgaste ou encapsulamento, senão, dura a vida toda, já que o risco de rejeição é praticamente nulo.

Como é a cirurgia

A cirurgia é considerada simples, no mesmo dia a paciente recebe alta. Para colocação de prótese nas pernas, a incisão é feita na parte superior do joelho e nas coxas na região próxima à virilha, com anestesia geral, peridural ou local, dependendo do caso . Para correção de pernas finas e arqueadas, o silicone é colocado sempre na parte interna do membro. A recuperação também é rápida. O repouso total é recomendado por três dias. Uma semana depois, a paciente volta ao especialista para uma nova consulta, na qual é feita a retirada dos pontos. Recomenda-se o uso de meia calça elástica por dois meses e uso de salto médio para não forçar a panturrilha. Um mês depois, você já realiza suas atividades normais, podendo, inclusive, praticar atividade física. O resultado é bastante natural e a cicatriz fica praticamente imperceptível. Pode tomar sol, mas a exposição da cicatriz aos raios solares deve ser evitada. Se a paciente quiser aproveitar e colocar prótese no glúteo, também pode, o que, segundo o Dr. Nicola, é o mais comum no Brasil. O tempo de recuperação é o mesmo.

Quem pode fazer

Próteses de PanturrilhaQuestionado sobre o perfil dos pacientes, o cirurgião afirma que as idades são as mais variadas, são mulheres dos 18 aos 70 anos, com as mais diferentes expectativas e objetivos. Homens, em menor proporção, também se interessam pela cirurgia, principalmente os adeptos da musculação que desenvolvem os membros os superiores bem mais rápido que os inferiores. Não há nenhuma relação entre a cirurgia nas pernas e o surgimento de varizes ou outro problema circulatório, também não aumenta nem diminui a flacidez.

Decidida a fazer a mudança? O primeiro passo é procurar um especialista, este vai examiná-la e checar quais são as principais necessidades. A prótese escolhida depende da correção a ser feita. Todas têm a mesmas características, são transparentes e feitas de um gel bem coeso, mas os tamanhos são diferentes. As maiores (menos usadas) acentuam mais as formas, as menores corrigem pernas tortas e arqueadas. Todas são colocadas entre os músculos das pernas, numa camada imperceptível ao toque.

O importante é não ter dúvidas sobre a escolha e a mudança que o corpo irá sofrer. Esclareça com seu médico o resultado que você pode esperar. Não adianta querer ter as pernas de uma atriz ou modelo famosa, quando existe a limitação genética para isso. Seja realista, mas saiba que as modernas técnicas de colocação de prótese tem tudo para deixar você ainda mais bonita. O que vale é melhorar a auto-estima, o bem estar e sentir-se linda e bela com seu corpo. Para isso, crie coragem para encarar o bisturi, diga adeus à calça comprida e aproveite não só este verão como os próximos.

Fonte: plasticaebeleza.terra.com.br

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal