Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Música  Voltar

Música

O Curso

Música
Músico

Fazem parte do currículo disciplinas de formação básica como Introdução à Filosofia, Métodos e Técnicas de Pesquisa, Antropologia, Estética, História da Arte, Fundamentos da Expressão e Comunicação Humanas, Folclore Brasileiro, Formas de Expressão e Comunicação Artísticas, e outras.

O aluno passará, então, para disciplinas de formação profissional como Evolução da Música, Técnicas de Expressão Vocal, Linguagem e Estruturação Musical, Canto, Coral, Técnicas de Musicalização, Instrumentação e Orquestração, Regência, Prática Instrumental, Psicologia da Educação, Didática, Estrutura e Funcionamento de Ensino de 1.º e 2.º graus, Prática de Ensino de Música entre outras.

Embora ter uma banda de garagem seja bem diferente de seguir a carreira acadêmica de músico, saber tocar três acordes como os Ramones já ajuda.

Dificilmente alguém chega sem saber absolutamente nada na faculdade, afinal, antes mesmo de prestar vestibular, o estudante já tem de encarar um teste de aptidão em diversas universidades. Muitos candidatos acreditam no mito do talento, do gênio, da espontaneidade e da intuição e se esquecem de que - como diria Debussy - para o músico é necessário 85% de transpiração e 15% de inspiração.

Os cursos costumam ser divididos por instrumentos, além das ênfases em composição, regência, canto e a licenciatura.

O Profissional

A opção pela música deve ser feita bem antes da época do vestibular, pois não há como ingressar numa universidade sem uma formação prévia de boa qualidade.

Não é possível manejar um instrumento em alto nível se a pessoa não iniciar seus estudos antes da adolescência.

O vestibular é o filtro do curso, pois há um exame de aptidão sempre muito difícil que exige conhecimento superior a oito anos de conservatório. É preciso saber ler partituras e tocar bem um instrumento.

Criação, composição, interpretação e execução de melodias fazem parte da vida desse profissional.

O músico popular pode atuar como instrumentista, arranjador, em atividades diversas. Está capacitado a avaliar tanto os aspectos práticos quanto teóricos da atividade musical.

O músico erudito atua nas áreas de composição, regência e instrumento. Poderá compor e interpretar música com variadas funções, dirigir ou executar música coral e/ou orquestral; estudar música em seu aspecto teórico e histórico, assim como sua aplicação aos meios tecnológicos de comunicação.

O Músico

Estuda e faz o trabalho de modulação da voz. Pode atuar como solista, integrar grupos vocais e corais (Canto).

Cria partituras para diferentes instrumentos, conjuntos, bandas e orquestras ou grupos vocais. Pode também, compor trilhas sonoras para teatro, cinema e televisão, além de “jingles” publicitários. (Composição).

Estuda e executa peças musicais. Pode atuar como solista ou em conjuntos musicais e orquestras (Instrumentos).

Prepara, ensaia e faz a direção de apresentações de orquestras e corais. Orienta cantores e instrumentalistas sobre a forma de execução das obras. (Regência).

Dá aulas de Educação Musical em escolas de 1.º e 2.º graus ou em escolas de música.

Ajuda na edificação de auditórios de música.

Emite pareceres sobre questões musicais de interesse geral.

O que é Música?

É a arte e a técnica de criar melodias combinando ritmos e sons vocais, instrumentais, acústicos ou eletrônicos. Esse bacharel pode compor, reger e interpretar obras eruditas e populares. Como compositor, cria peças e anota-as em partituras para ser executadas por instrumentistas e cantores. Como arranjador, faz versões de uma peça musical. Como maestro, dirige orquestras, bandas, conjuntos instrumentais e vocais. Já como intérprete, pode se especializar na execução de determinado instrumento ou dedicar-se ao canto. Atua em concertos, espetáculos, gravações de trilhas sonoras e de CDs, cria jingles para filmes comerciais e publicitários e dá aulas. Pode trabalhar em estúdios de gravação, produzindo música com aparelhos eletrônicos, ou trabalhar com a sonorização de espetáculos musicais e teatrais.

Seja qual for sua área de atuação, é necessário que ele tenha domínio de programas de computação que controlam o registro e a edição de arranjos musicais em equipamentos digitais de reprodução e gravação.

A profissão

Este bacharel pode compor, interpretar ou reger obras eruditas e populares, de acordo com sua especialização. O compositor cria peças e anota-as em partituras para serem executadas por instrumentistas e cantores. O maestro coordena ensaios e dirige orquestras, bandas, conjuntos instrumentais e vocais. O músico pode ser especializado na execução de um determinado instrumento ou dedicar-se ao canto. Atua em concertos, espetáculos, cria jingles para filmes comerciais e publicitários e dá aulas. Cada vez mais tem de estar inteirado dos sofisticados programas de computação que controlam a gravação e a edição de arranjos musicais em equipamentos digitais de reprodução e gravação. É obrigatória a inscrição na Ordem dos Músicos do Brasil.

Características que ajudam na profissão

Sensibilidade, criatividade, habilidade musical, ouvido apurado, imaginação, flexibilidade, persistência, curiosidade.

O Mercado de Trabalho

Trata-se de um mercado dos mais exigentes, é sempre um desafio.

O músico com formação popular pode trabalhar em rádio, televisão, cinema, shows e espetáculos e agên-cias de publicidade. A área de jingles para publicidade e trilhas sonoras para o cinema são as que mais cresceram nos últimos anos.

O músico erudito atua na regência de orquestras e/ou coros: na composição instrumental ou vocal, camerística e orquestral; na elaboração de trilhas sonoras.

Também pode lecionar em escolas de música ou instituição de ensino superior. Um campo em expansão é a pesquisa da linguagem musical por meio de computadores.

A profissão foi regulamentada pelo decreto 3857, de 22/12/1966.

Duração média do curso: 04 anos.

Música - Profissão

Música
Músico

É a profissão de quem trabalha com a música, com a criação de melodias, com a composição de trilhas sonoras, na regência de orquestras, no arranjo de peças musicais e no manejo dos instrumentos.

No entanto, o músico é muito mais que um instrumentista, esse profissional domina a teoria musical, esse intrincado arranjo matemático lógico de notas musicais, que produz as melodias que tanto nos encantam.

Como compositor, combina as notas musicais em acordes, criando melodias, também compõe música para letras de outros autores. Como arranjador, o profissional trabalha com o planejamento da integração harmônica dos vários instrumentos de uma execução musical, é ele quem faz com que a música se realize em conjunto, determinando cada entrada. A regência também é uma das atribuições do músico, o maestro coordena a execução de peças musicais das orquestras, corais e conjuntos.

O músico também pode trabalhar como intérprete, executando obras de outros artistas, realizando novas versões e mixagens de sons. A criação de jingles e trilhas sonoras para publicidade também é tarefa desse profissional. Atualmente, é muito importante para o músico o conhecimento da tecnologia aplicada. O tratamento digital dos sons, a produção eletrônica e as mixagens estão em alta no mercado.

Tipos de Curso

a) Nível Superior

Bacharelado

Em geral os cursos para canto e instrumentos têm duração de 4 anos, já os de regência e composição são de 6 anos. A maioria das escolas oferece habilitação em um instrumento específico, em canto ou em regência. É imprescindível para o aluno que se tenha talento e bom ouvido musical, requisitos testados na prova de aptidão. O currículo inicial básico dos cursos tem disciplinas de história da música, história da arte, harmonia, percepção musical e teoria musical. Normalmente as faculdades oferecem disciplinas específicas na habilitação escolhida já no primeiro ano de curso. Em alguns casos a música pode aparecer como uma habilitação do curso de Artes. Esse tipo de faculdade habilita o profissional para o trabalho musical.

b) Nível Superior

Licenciatura

Duração média de 4 anos. Os cursos de licenciatura seguem o mesmo padrão curricular dos cursos de bacharelado, diferenciando-se nas disciplinas pedagógicas, que habilitam esse profissional a dar aulas em escolas, para o ensino fundamental e médio e em conservatórios e academias musicais.

c) Nível Superior

Tecnológico

Duração média de 2 anos. Os cursos de graduação tecnológica, diferentemente dos tradicionais, têm maior foco no ensino prático da música comercial e popular.

Disciplinas como percepção musical, gravação e digitalização de áudio e recursos digitais para o tratamento do som, preparam o aluno para atuar no mercado de gravadoras e agências publicitárias, tanto na mixagem e tratamento de som, quanto na criação de jingles e trilhas sonoras. Em geral a prática de estúdio é bem desenvolvida nesse tipo de curso. Além dos cursos de música existem cursos tecnológicos de produção fonográfica, que também podem ser interessantes para quem se interessa pela área.

d) Nível Médio

Curso Técnico

Duração média de 3 anos. Os cursos técnicos em música geralmente oferecem habilitações em um instrumento específico ou em canto, em algumas escolas o aluno pode optar por musica popular ou erudita. Formam profissionais para execução e produção musical. As disciplinas são mais técnicas, com bastante tecnologia digital aplicada, o que não quer dizer que não estudem história da música e teoria musical, harmonia popular e tradicional, percepção, improvisação e arranjo.

e) Cursos livres

Ampla variação de duração. Existem diversos cursos livres que capacitam profissionais para a execução dos mais variados instrumentos, para o canto e para a produção musical.

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho é sempre movimentado para a área de música, uma das expressões artísticas mais populares da nossa sociedade.

Os trabalhos de execução de instrumentos de música popular são mais disputados, principalmente porque não existe exigência de diploma para a atividade. No entanto, os músicos com preparação acadêmica têm um maior arcabouço teórico, capacitando-os melhor para a composição, regência, arranjo e criação de trilhas sonoras. Nos concursos públicos para orquestras, exige-se o diploma, assim como para a docência. Para dar aulas em faculdades os músicos precisam da pós-graduação, que os habilita para o ensino superior.

A expansão do mercado fonográfico trouxe boas oportunidades para os profissionais da área, gravadoras e produtoras absorvem boa parte dos recém formados.

A área de restauração de partituras antigas também requisita os conhecimentos desse profissional. Outro novo nicho que surgiu para os profissionais é a produção de trilhas sonoras exclusivas para websites e cd-rom’s.

A região mais emprega é a do Sudeste, principalmente entre as cidades do Rio de Janeiro e São Paulo, grandes centros de concentração de gravadoras, eventos e produtoras do ramo. No entanto, as outras capitais e cidades de médio e grande porte do interior também oferecem boas oportunidades de emprego.

Ofertas de Emprego

A área que mais emprega é a do ensino, para aulas em escolas públicas e privadas, conservatórios e universidades. As produtoras fonográficas também são grandes empregadoras, requerem um profissional qualificado e com bons conhecimentos em informática aplicada.

Empresas que mantém institutos culturais também absorvem parte desses profissionais, como o projeto "Tim Música nas Escolas". Ong's e Oscip's ligadas à difusão e preservação cultural da música necessitam das habilidades desse profissional e também são empregadoras.

A pesquisa acadêmica também é uma atividade para os formados em música. Institutos de fomento, universidades e fundações culturais aplicam recursos para o desenvolvimento de pesquisas e acolhem os trabalhos do musico profissional graduado.

Fonte: www.cfh.ufsc.br/www.cfh.ufsc.br/www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal