Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Musicoterapia  Voltar

Musicoterapia

O que é Musicoterapia?

A musicoterapia é uma técnica da medicina complementar que usa a música prescrito de forma qualificada por terapeutas treinados. Os programas são projetados para ajudar os pacientes a superar desafios físicos, emocionais, intelectuais e sociais.

As aplicações vão desde a melhoria do bem-estar dos pacientes geriátricos em casas de repouso para reduzir o nível de estresse e dor das mulheres em trabalho de parto.

A musicoterapia é utilizada em muitos ambientes, incluindo escolas, centros de reabilitação, hospitais, asilos, lares de idosos, centros comunitários, e às vezes até em casa.

A música influencia o comportamento humano ao afetar o cérebro e, posteriormente, outras estruturas corporais de maneiras que são observáveis, identificáveis, mensuráveis e previsíveis, proporcionando assim a base necessária para aplicações terapêuticas.

Musicoterapia é a utilização clínica baseada em evidências de intervenções de música para atingir objetivos individualizados dentro de um relacionamento terapêutico por um profissional credenciado que tenha completado um programa de musicoterapia aprovado.

Musicoterapia é uma profissão de saúde estabelecido em que a música é usada dentro de um relacionamento terapêutico para atender às necessidades físicas, emocionais, cognitivas e sociais dos indivíduos. Depois de avaliar os pontos fortes e necessidades de cada cliente, o musicoterapeuta qualificado fornece o tratamento indicado incluindo a criação, cantando, movendo-se, e / ou ouvindo música. Através do envolvimento musical no contexto terapêutico, habilidades dos clientes são fortalecidos e transferidos para outras áreas de suas vidas. A musicoterapia também fornece caminhos para a comunicação que pode ser útil para aqueles que acham difícil se expressar em palavras.

Pesquisa em terapia de música suporta a sua eficácia em muitas áreas, tais como: reabilitação física em geral e facilitar o movimento, aumentando a motivação das pessoas para se engajar em seu tratamento, proporcionando apoio emocional para os clientes e suas famílias, e fornecendo uma saída para a expressão de sentimentos.

O Musicoterapêuta

Pesquisa a relação do homem com as diversas espécies de ruídos para criar métodos terapêuticos específicos para cada tipo de problema ou necessidade.

Procura a melhor forma de utilizar a música para diminuir o nível de stress das pessoas, utilizando a sonorização ambiental em indústrias, grandes escritórios, centros cirúrgicos, consultórios, unidade de terapia intensiva e até mesmo restaurantes.

Dispõe de variado material sonoro: discos e fitas de vários estilos musicais, instrumentos, gravadores e até objetos artesanais, como garrafas cheias de água.

Na área Clínica, aplica técnicas sonoras, instrumentais e musicais para reabilitar pessoas com distúrbios sensoriais, físicos, mentais e emocionais.

Na área Educacional, utiliza métodos musicais adequados para prevenir e tratar distúrbios de aprendizagem e dificuldades na leitura e escrita.

Na área Social, desenvolve atividades musicais com crianças e idosos. Participa de programas de assistência a menores abandonados, infratores ou envolvidos com drogas.

O Profissional

A musicoterapia é a terapia que utiliza a música como elemento mobilizador. Música no seu sentido mais amplo, até os sons não estruturados, sons de todos os tipos são utilizados para ajudar pacientes com deficiências físicas, mentais, distúrbios da personalidade ou problemas psicológicos.

O musicoterapeuta através do som e do movimento restabelece o equilíbrio, tanto físico quanto emocional, do paciente. Ele é o maior estudioso e pesquisador da relação desenvolvida entre o homem e o som, e deste estudo, surgem métodos e técnicas de trabalho.

O Musicoterapeuta é o profissional que trabalha com a musicoterapia, que é a utilização da música e de seus elementos constituintes como ritmo, melodia e harmonia, com o objetivo de facilitar e promover comunicação, relacionamento, aprendizado, mobilização, expressão, etc.

A musicoterapia é a ciência que visa melhorar a qualidade de vida, e desenvolver potenciais ou restabelecer funções físicas, mentais ou sociais.

Esse profissional trabalha com diversos tipos de pacientes, principalmente pessoas com dificuldades motoras, autistas, pacientes com deficiência mental, paralisia cerebral, dificuldades emocionais, pacientes psiquiátricos, gestantes, crianças, pessoas sob stress e idosos.

Esse trabalho pode ser desenvolvido em conjunto com outras ciências como com a fonoaudiologia, fisioterapia, terapia ocupacional, etc, de forma multidisciplinar, fazendo com que o tratamento seja mais eficaz.

O Curso

É um curso que exige do aluno, além das Provas de Matérias do 2.º grau, o Teste de Habilidade Específica (THE) que consta de uma prova teórica sobre Teoria Musical e de um teste sobre Percepção Auditiva, Memória Auditiva, Solfejo e Prática Musical de Instrumento ou Canto.

A musicoterapia não tem nada a ver com tocar um instrumento, nem com técnicas de relaxamento. É necessário enfatizar que é grande a diferença entre usar o som em terapia (como no relaxamento), e usar o som como terapia — aplicação científica de sons, ritmos, expressão, movimento e música estruturada para atingir fins terapêuticos. Dessa maneira, o currículo abrange disciplinas da área da Saúde como Neurologia, Psicopatologia, Fonoaudiologia, Anatomia, Fisioterapia, Psicologia, Anatomofisiologia e outras.

Complementando, a carga horária de disciplinas ligadas à Música é intensa e oferta: Folclore, História da Música, Expressão Corporal, Psicoacústica, Musicoterapia, Prática Musical, Desenvolvimento do Senso Rítmico, Técnicas de Coros e Conjuntos entre várias outras.

No curso você terá matérias de duas grandes áreas: música e medicina.

Na parte de música, aprenderá a tocar e cantar, terá aulas de harmonia, ritmo, percepção e musicalização. A científica lhe dará conhecimentos teóricos de neurologia, psicologia e psiquiatria. Boa parte do curso é dedicada à sensibilização física específica à musicoterapia, que trabalha com expressão corporal, atividades criativas e dinâmicas de grupo. O estágio é feito em instituições de saúde e educacionais.

Este curso oferece subsídios sobre o uso da música e de seus elementos: o som, o ritmo, a melodia e a harmonia para os profissionais da área que desejam atuar competentemente nos processos destinados a facilitar e promover a comunicação, relacionamento, aprendizado, mobilização, expressão e a organização.

A musicoterapia auxilia o indivíduo a restaurar suas funções e desenvolver seus potenciais para alcançar uma melhor organização intra e interpessoal, ampliando sua qualidade de vida através da prenvenção, reabilitação ou tratamento.

A carreira

A influência dos sons sobre o corpo humano começou a ser percebida na Grécia, no século V a.C., quando o filósofo Pitágoras passou a tratar dementes com sessões musicais.

Mas só em 1950 a música se tornou oficialmente um instrumento terapêutico.

A musicoterapia tem-se mostrado eficaz para prevenir males causados pelo stress, como fadiga, gastrite e dores musculares.

As técnicas da profissão servem também para controlar o ritmo respiratório e cardíaco, estimular a percepção, a memória e a capacidade de fixação visual e táctil.

Não pense que, para seguir essa profissão, você precisa ser um músico de primeira grandeza. É necessário ter noção de música, de sua evolução, de teoria cultural e conhecer os sons que regem o universo.

Ao contrário dos países desenvolvidos, que recorrem a técnicas de musicoterapia para melhorar até mesmo o desempenho no trabalho, o Brasil engatinha na requisição desses profissionais.

Seu campo ainda está restrito a clínicas de reabilitação e hospitais, onde o musicoterapeuta trabalha no atendimento a crianças, adultos e gestantes.

O Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho é amplo, pois a profissão é nova e existem poucas escolas. Aqui, em Ribeirão Preto, nossos estudantes começam a estagiar e trabalhar com muita facilidade. Desenvolvemos trabalho em sanatórios; em hospitais, com doentes crônicos; em clinicas, com drogados. Também trabalhamos com deficientes auditivos, através da vibração sonora.

O trabalho do musicoterapeuta é longo, não obtemos resultados a curto prazo. Por isso, o profissional deve ser dedicado, atencioso, muita facilidade de relacionamento interpessoal.

São boas as perspectivas de trabalho para esse bacharel.

Grande parte dos formados atua na área clínica, atendendo em consultório, muitas vezes em conjunto com outros profissionais do setor de saúde. Especialistas em reabilitação e prevenção encontram boas chances nas alas de pediatria, geriatria e oncologia de hospitais e clínicas.

Crescem as vagas também em maternidades e em centros de diagnóstico.

Nas escolas públicas e privadas, ele é solicitado para auxiliar alunos com problemas de aprendizagem. Começam a surgir oportunidades em empresas, nas quais o profissional incorpora-se à equipe de Recursos Humanos para atuar em programas de integração e qualidade de vida.

Concursos públicos têm sido abertos para o musicoterapeuta, sobretudo na área de saúde mental e nos Centros de Apoio Psicossocial (CAPS).

Duração média do curso: 04 anos

Musicoterapia - Profissão

O musicoterapeuta é o profissional que utiliza os sons na melhoria da qualidade de vida das pessoas. Esse profissional pesquisa o uso da música e dos ruídos na reabilitação física, mental e social dos indivíduos.

O potencial do uso terapêutico da música foi descoberto nos anos 40, no pós-guerra na Europa, e se tornou uma ciência e uma profissão em muitos países. No Brasil, a categoria ainda luta pela regulamentação da profissão.

O musicoterapeuta não é um artista que se apresenta para as pessoas, ele é um estudioso que conhece os fundamentos teóricos da utilização clínica dos sons, sua influência sobre a saúde física e sobre a disposição psicológica das pessoas.

A musicoterapia estuda todos os métodos terapêuticos que buscam, através da utilização dos sons, o restabelecimento do equilíbrio físico, emocional, psicológico e social de pessoas em situação de crise ou de risco. Portadores de doenças terminais, pacientes em períodos de longa internação, pessoas estressadas ou com depressão, indivíduos com distúrbios mentais ou sociais, como os detentos e menores infratores, se beneficiam da atividade do musicoterapeuta.

Esse profissional também tem se destacado nos programa de reabilitação de dependentes químicos e nos centros de geriatria.

Tipos de Curso

a) Nível superior

Bacharelado

Duração média de 4 anos. Não existe a necessidade da formação musical para ingressar na faculdade. A grade curricular dos cursos de musicoterapia oferece disciplinas da área de humanas como história da arte, percepção musical, psicologia e instrumentos musicais, da área clínica como fisiologia, anatomia e neurologia. As disciplinas específicas abordam temas como fundamentos da musicoterapia, técnica e processos terapêuticos. Para diplomar o profissional as escolas exigem o estágio, que pode ser realizado em hospitais, clínicas e institutos de reabilitação. As grandes universidades mantêm seus próprios hospitais-escola, onde o aluno pode completar sua formação. Em alguns casos a musicoterapia pode ser uma habilitação do curso de música.

b) Cursos Livres

Existem cursos livres que podem complementar a formação do profissional, atualizando seus conhecimentos, no entanto não formam musicoterapeutas.

Mercado de Trabalho

A profissão ainda é pouco difundida no Brasil, não tendo sido regulamentada por lei. No entanto, a Associação de Musicoterapia do Rio Grande do Sul está em atividade desde 1968, apoiando e orientando os profissionais da área há mais de 30 anos.

Atualmente, a procura pelos profissionais vem crescendo, principalmente em função dos estudos e pesquisas que comprovam a influência dos sons e nossa saúde e comportamento e, como não temos muitos profissionais na área, o mercado ainda é promissor.

As grandes capitais são as regiões que mais oferecem oportunidades de emprego, mas cidades de médio e grande porte no interior dos estados do Sul e Sudeste já estão abrindo as portas para o musicoterapeuta.

Ofertas de Emprego

As empresas que mais contratam esse profissional são os hospitais, clínicas geriátricas, instituições de reeducação social, clínicas de reabilitação para dependentes químicos, clínicas de repouso e consultórios médicos, onde geralmente o profissional trabalha em conjunto com médicos, fonoaudiólogos, terapeutas, psicólogos.

Algumas escolas já procuram o musicoterapeuta para auxiliar alunos com dificuldade de aprendizagem ou com dislexia. E cada vez mais empresas contratam profissionais para trabalhar na área de psicoprofilaxia, prevenindo estados de estress, auxiliando no desempenho dos funcionários, incentivando melhorias nos relacionamentos de liderança.

Os profissionais com pós-graduação encontram oportunidades de emprego como professores no ensino superior.

Fonte: www.encyclopedia.com/www.musictherapy.org/www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal