Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Namíbia - Página 4  Voltar

Namíbia

Um Safari na Namíbia, proporciona uma experiência única, pelo aspecto cultural e pelo contato com o reino animal.

A Namíbia é sem duvida alguma um Pais de África que merece ser visitado. Cerca de 13,6 pct da superfície da Namíbia, está sob regime de proteção especial, por forma a defender a natureza e o seu reino animal.

No ano de 1486 , Diogo Cão, navegador português, ergueu um Padrão em Cape Cross , situado a cerca de 130 Km de Swakopmund. Dois anos mais tarde em 1488 Bartolomeu Dias, também navegador português atracou na Baia de Angra Pequena ( Little Bay) atual cidade de Luderitz.

Em 1884 a Namíbia foi proclamada por Bismarck, protetorado da Alemanha. Após o fim da primeira guerra mundial, a Namíbia passou a ser um protetorado da África do Sul.

Em 1989, através da implementação da resolução 435 das Nações Unidas, que levou á realização das primeira eleições livres, a SWAPO alcançou o poder legislativo. Em 21 de março de 1990, após 106 anos de ocupação estrangeira a Namíbia, tornou-se um estado independente. O regime político é democrático e multipartidário. A população da Namíbia, estima-se em cerca de 1 850 000 habitantes, sendo o pais do mundo com menor densidade populacional ( 2 pessoas por Km quadrado). A moeda nacional é o Dólar Namibiano e tem a mesma equivalência do Rand Sul Africano.

As facilidades de alojamento, são óptimas. A oferta vai desde guest houses, pequenos hotéis aos grandes Hotéis de luxo. Por toda a Namíbia pode encontrar desde o luxuoso Lodge até ao confortável Lodge, mas sempre presente a hospitalidade Namibiana. Existe uma variedade de restaurantes, pastelarias, pubs, discotecas. Cartas de crédito são aceites, sendo a Visa a preferida.

A cozinha Namibiana é rica e variada, pela sua oferta em especialidades de carne de caça (Avestruz, Orix, Veado,etc), pela qualidade da carne de vaca derivada dos seus ricos pastos, ao peixe fresco ( Kabeljou) e ao seu marisco (Lagostas e Ostras ). Dada a influência Alemã, cozinha tradicional Alemã é servida na maioria dos restaurantes. Cozinha Portuguesa e Angolana é igualmente servida em alguns restaurantes.

A arte de bem receber dos Namibianos é muito apreciada pelos seus vizinhos, mas ano após ano, de todos os cantos do mundo, chegam novos turistas, fazendo da industria do turismo, a terceira maior fonte de receitas da economia Namibiana.

A Namíbia é potencialmente rica em recursos naturais, nomeadamente pela industria mineira ( Diamantes e Urânio ), pela industria pesqueira e pela agricultura , pilares base da economia Namibiana.

Os principais grupos étnicos são: Wambo 46%, Kawango 95%, Herero e Damara ambos com 7%, Brancos 6% , Mestiços 4%, Caprivianos 3% Basyers 2%,Tswana 1%.

A língua oficial é o Inglês, mas o Afrikaans e o Alemão são usualmente falados.

Os dialetos africanos estão divididos em dois grupos: Bantu, pelos Owambos, Hereros, Kavangos, Caprivianos, e Tswanas e Khoisan pelos Bushmen (San) e Nama/Damara.

O clima na Namíbia é Semi-Deserto, com dias quentes e noites frescas.

Duas estações preponderantes: Verão ( meados de Outubro a meados de Maio ) com temperaturas a variarem entre os 27º aos 42 º, Inverno ( meados de Maio a meados de Outubro ) com temperaturas a variarem entre os 10 º aos 23º. As noites no Invernos são frias, podendo atingir temperaturas na ordem dos 0º.

O norte da Namíbia, apresenta um clima tropical, com chuvas abundantes e a sul um clima árido e seco. A Namíbia, sofre a influência da corrente fria de Benguela, e esta é um dos fatores determinantes do seu tipo de clima, reduzindo o tempo chuvoso e ocasionando nevoeiros.

Cerca de 120 espécies de arvores florescem. Welwitschia Mirabilis é a planta mais célebre do deserto da Namíbia, considerada das plantas mais antigas, conhecidas pelo homem.

A condução na Namíbia, efetua-se pelo lado esquerdo. A rede rodoviária é composta por estradas alcatroadas, cerca de 5 450 Km e em terra batida ou salinizadas cerca de 37 000 Km , em bom estado de conservação. O limite de velocidade fora dos circuitos urbanos é de 80 km/h.

A Namíbia oferece boa assistência médic+-*

Nas cidades pequenas a rede hospitalar é assegurada pelo Ministério da Saúde e Serviços Sociais.

Windhoek

Namíbia
Windhoek

Capital da Namíbia, sendo a maior cidade do pais, com uma população estimada em 150 mil habitantes. Uma cidade moderna, esmerada, jardinda , agradável sob o ponto de vista urbanistico e com uma construção tipo que vai desde os modernos edifícios até ao estilo colonial Alemão. O Aeroporto Internacional fica situado a 40 Km.

Windhoek oferece uma variedade de Hotéis, Guest Houses, Bancos Comercias, Agencias de Viagens, Agencias de Aluguer de Viaturas, Operadores turísticos, Restaurantes, Bares, Discotecas, etc.

Existem 3 unidades hospitalares privadas de elevada qualidade (Medi Clinic, Roman Catholic e Rhino Park Private).

Sossusvlei

Namíbia
Sossusvlei

As monumentais dunas de Sossusvlei são geralmente diferenciadas pela sua cõr avermelhada e por serem consideradas as mais altas do mundo. É sem duvida alguma, das paisagens mais belas de África. Situado em Naukluft Parque, a maior área protegida de África e a quarta maior do mundo.

A sua maior atração, além do contato com a natureza é a visita ao Dead Pan, passeios pelas montanhas do deserto em viatura 4+4 ou em Moto Bike e até um passeio em balão. Sossusvlei razão suficiente para visitar a Namíbia.

Walvis Bay

Namíbia
Walvis Bay

Walvis Bay, cidade banhada pelo oceano atlântico, fica situada a cerca de 30 km de Swakopmund.

A paisagem magnifica que liga Walvis Bay a Swakopmund é deslumbrante: de um lado a vista do Oceano Atlântico e do outro lado a vista do Deserto e as suas dunas.

Com uma população estimada em cerca de 50 mil habitantes, desenvolve a sua atividade na industria pesqueira. O moderno porto comercial de Walvis Bay, liga via marítima a Namíbia ao resto do mundo. Outra principal atividade desenvolvida em Walvis Bay é a produção de sal. As salinas de Walvis Bay ocupam uma área de 3 500 hectares e produzem anualmente cerca de 400 mil toneladas de sal. Possui uma unidade hospitalar Welwtschia hospital.

Swakopmund

Namíbia
Swakopmund

Swakopmund, cidade pitoresca, é o principal centro de lazer dos Namibianos. Uma invariável oferta de passeios, são proporcionados pelos mais diversos operadores turísticos, para o Deserto em viatura ou em avionetas. Bons restaurantes, hotéis, Guest Houses e Apart-hoteis fazem parte do tipo de alojamento oferecido. Dispõe de duas unidades hospitalares, Cottage hospital e Bismark Medical Centre.

Escala obrigatória, a meio de um passeio pela Namíbia.

Etosha

Namíbia
Etosha

O Parque Nacional do Etosha é formado por uma extensa placa de sal rodeada por uma imensa savana. Uma das suas características, são os vastos bebedouros disponíveis e que são a base da sobrevivência do reino animal ali existente. Estar perto de um leaõ, de um elefante, de uma girafa ou de uma zebra, ou de toda a espécie de animais, são a amostra real desta reserva natural, com uma superfície aproximada de 22 000 quilómetros quadrados.

O Parque Nacional do Etosha, possui três entradas principais, Namutoni, Halali e Okakuejo. Uma vasta oferta de alojamento é oferecida, quer dentro do Parque, quer na sua periferia.

Damaraland

Namíbia
Damaraland

Damaraland, ponto obrigatório de passagem! Encontramos as mais belas paisagens da Namíbia. Cursos de agua pré históricos estendem-se para além das planícies e das montanhas envoltas sobre rochas de granito, tornam a Damaraland, um dos pontos mais paisagísticos da Namíbia.

Quilómetros de caminhos desérticos, verdadeiras miragens, pinturas rupestres, todas as espécies de animais, incluído o elefante do deserto, o rinoceronte preto, as avestruzes e os veados, acompanham a nossa visita.

Kalahari

Namíbia
Kalahari

O deserto do Kalahari, uma área que se estende desde o rio Orange até á fronteira de Angola, desenvolvendo- se a West para a Namíbia e a Este para o Zimbabwe. A sua formação tem origem pela erosão das pedras.

As dunas do deserto de Kalahari diferenciam-se, pela sua estabilidade e principalmente porque ao seu redor na primavera, os campos são cobertos de flores e erva.

Kalahari ponto de encontro obrigatório com os Bushmen.

Fish River Canyon

Namíbia
Fish River Canyon

Uma das maiores fendas do mundo. Imagine o grande Canyon em África e não estaremos muito longe da verdade. Situado a sul da Namíbia espetacular sob o ponto de vista de paisagem, mas uma imagem que nos retém para toda vida.

Kalkfeld

Namíbia
Kalkfeld

Kalkfeld, tem de tudo o que é menos usual.

É aqui que encontramos as celebres pegadas de dinossauros, monumento nacional, que se julgam existirem há cerca de 180 milhões de anos.

Cape Cross / Skeleton Coast

Cape Cross é a maior reserva de focas da Costa Sul Africana e da Namíbia. Nos meses de novembro e dezembro estima-se que cerca de 340 000 focas habitem nesta reserva. Situada a cerca de 130 Km de Swakopmund. O acesso é fácil, por estrada não alcatroada.

Foi em Cape Cross que o Navegador Português, Diogo Cão, um dos maiores propulsores das descobertas além mar, em 1486 , ergueu um Padrão, sinalizando a primeira presença Europeia na Namíbia. O acesso é fácil, por estrada não alcatroada.

Fonte: www.dunas-safari.com

Namíbia

Continente: África

Nome Completo: República da Namíbia

Localização: Sudoeste da África

Coordenadas: 22 00 S, 17 00 E

Limites: Países limítrofes: Angola, Botsuana, África do Sul, Zâmbia

Capital: Windhoek

Governo: República Mista

Moeda: Dólar Namibiano

Área: 825.418 km2

Nacionalidade: Namíbia

População: 1.820.916 (julho/2002)

Mortalidade: 72,43 mortes a cada 1.000 nascidos vivos (2002)

Vida: 38,97 anos

Ponto Culminante: Pico Konigstein, 2.606 m

Religiões: Cristianismo 93%, Crenças Tradicionais 6%, Outras 1%

Idiomas: Inglês (oficial), Africâner, Alemão, Oshivambo, Herero, Nama

Analfabetismo: 62%

Renda: US$ 1.890 (2001)

Fonte: www.libreria.com.br

Namíbia

O mais antigo pedaço de evidência de vida humana adiantada na Namíbia é um osso da mandíbula do namibiensis Otavipithecus encontrado nas montanhas de Otavi. Este hominide viveu entre 12 e 15 milhões de anos atrás. Então Namíbia pode se qualificar como um dos berços da humanidade. Sinais claros da existência de seres humanos são, principalmente, representações de animais e seres humanos em superfícies rochosas, que foram descobertos em uma caverna na Hunsberge.

Sua idade é estimada em 28,000 anos. No século 15 pode-se falar de movimentos consideráveis de sedimentação dos Bantu tribos pastorais - principalmente Herero e Ovambo, vindo da África central e do leste - para o norte da Namíbia em busca de pastagens. Nama tribos da área de Cape seguido e se estabeleceram no sul da Namíbia. Missionários chegaram ao final do século 18. Eles fizeram uma grande contribuição para a educação da população e também no estabelecimento da paz entre as tribos que estavam em inimizade. E devemos a historiografia dos tempos pré-coloniais aos missionários.

Namíbia foi colonizada por europeus, alemães, neste caso, como um dos últimos países da África. No ano de 1883 o comerciante e aventureiro Adolf Luederitz de Bremen, no norte da Alemanha comprou a baía de Angra Pequeña - hoje Luederitz Bay - eo terreno de 20 quilômetros ao redor da baía do Chefe Nama Joseph Fredericks de Bethanien.

No ano seguinte, o Império Alemão assumiu a proteção das propriedades Luederitz. Um corpo pequeno da Marinha Imperial desembarcou na baía e hastearam a bandeira alemã na baía. De 1884 a 1914 foi Namíbia era um chamado "protetorado alemão" e foi batizada de "German South West Africa". O Império Alemão enviou tropas de proteção, o "Deutsche Schutztruppe". Ele tinha a tarefa de transformar a área entre os rios Orange e Kunene em uma colônia alemã. Colonos provenientes da Alemanha devem comprar terras e trabalhá-lo sem impedimentos. As pessoas que viveram na terra, teve que ser trazido em sujeição ..

Namíbia
Guerra de Herero

A colonização foi feita por meios mais ou menos pacífica. Contratos foram negociados entre representantes do Namas e os Hereros. Nestes "contratos de proteção" os alemães concedida proteção militar para o Herero e Nama. Por sua vez, os dois grupos concordaram em tolerar colonos alemães de usar e ocupar suas terras.

Eventualmente, a Herero e Nama percebeu que a colonização alemã ameaçada a sua subsistência e de sua forma de vida tradicional como gado livres e pastores de cabra, assim ambos os grupos de população aumentou em rebelião armada. Estes conflitos militares durou até 1908 e resultou na derrota total da população negra.

No início da Primeira Guerra Mundial, a África do Sul ocupou Sul-África Ocidental e, em 1920, recebeu um mandato da Liga das Nações para governar o país.

Quando isso foi abolido em 1966 pela ONU, a África do Sul se recusou a aceitar isso eo resultado foi muitos anos de luta militar entre África do Sul e da Namíbia movimento de libertação da SWAPO, que foi apoiado pelas Nações Unidas. Em 21 de março de 1990, o da independência política da Namíbia foi finalmente concedido e uma constituição democrática elaborado. SWAPO ganhou as primeiras eleições livres e tornou-se o partido mais forte. Seu líder Dr. Sam Nujoma foi eleito o primeiro presidente da Namíbia. Namíbia tornou-se membro da Comunidade Britânica de Nações.

Tempos pré-históricos

Fontes são poucos sobre os primeiros sinais da existência humana, na Namíbia. O mais antigo paleontológico encontrar, descoberto na Mina Kombat em Otavi, é um osso da mandíbula do namibiensis Otavipithecus com uma idade estimada de 12 a 15 milhões de anos. O fóssil indica que a Namíbia pode ser visto como um dos berços da humanidade.

As pinturas rupestres mais antigas foram encontradas na caverna Apollo-11 na cova Hunsberg montanhas no sul da Namíbia. Sua idade é estimada em 26,000 antes de Cristo.

Namíbia
Gravuras nas rocha de Twyfelfontein

As gravuras rupestres e outras pinturas rupestres na Namíbia, por exemplo, os mais próximos Twyfelfontein, são mais jovens. Mas é certo que as pessoas San (bosquímanos) viveu na Namíbia desde 3000 aC. Nas tribos do século 15 Bantu pastorais da área leste Africano liquidadas no norte e noroeste da Namíbia. Die Himba esteve no Kaokoveld, die Herero mudou-se para o sul, onde se encontraram com o Nama caminhando para o norte da Oranje.

História pré-colonial

Os tempos de pré-coloniais até ao início do século 19 é caracterizado por o trabalho dos missionários. Em particular da Sociedade Missionária Rhenish estava muito envolvido no sul da Namíbia.

Em 1811, o missionário Heinrich Schmelen tinha uma igreja erguida em Bethanien. Ele foi o primeiro edifício da Namíbia feito de pedra. Muitas estações de missão mais e igrejas foram fundadas, por exemplo, em Otjimbingwe, Okahandja e Gobabis. Os missionários foram seguidos por comerciantes, cientistas e aventureiros.

Na década de 1840 o ano Nama Chief Jan Jonker Afrikaner fundou uma colônia em Klein-Windhoek, uma área com água forte, e por isso foram lançadas as bases para o que mais tarde viria a se tornar a capital, Windhoek. Os missionários da Missão Rhenish sob Carl Hugo Hahn também se estabeleceram aqui um pouco mais tarde.

Namíbia
Jan Jonker Afrikaner, Pintura de Cobus van Bosch

A segunda metade do século 19 foi repleto de batalhas ferozes entre os Nama e os Herero, que lutou por terra para a caça e pastoreio que se tornou escassa devido a longos períodos de seca. Em 1880, o Herero sob sua Maharero chefe, conquistou Windhoek do Nama. A última guerra grande entre Nama e Herero seguiu por dez anos.

Fonte: www.namibia-travel.net

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal