Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Nado de Costas  Voltar

Nado de Costas

Introdução

• A natação está presente em todos os Jogos Olímpicos.

• O nado de costas foi o segundo estilo a ser nadado em competições, depois do nado livre.

• O nado livre foi introduzido nos Jogos pela primeira vez em Paris, em 1900. Esses Jogos incluíram uma competição de nado de costas de 200 metros.

• O nado de costas é também, quase sempre, nadado com os braços dobrados debaixo da água.

• É o segundo nado mais lento, depois do nado de peito.

• O estilo é semelhante a um nado de crawl ao contrário.

• Nesse estilo os nadadores têm a vantagem de respirar com facilidade, mas a desvantagem de não poderem ver para onde estão indo.

• Também é a única competição de natação que começa dentro da água. O nadador olha para a parede e se segura em parte do bloco inicial ou da parede. As pernas ficam dobradas para frente na altura do ombro com os dois calcanhares um pouco afastados da parede. Pouco antes do início, o nadador empurra a cabeça mais perto do bloco de partida, enquanto mantém os joelhos dobrados num ângulo de 90º. Para a largada, o nadador empurra as mãos do bloco e move os braços para frente O nadador se empurra e se afasta da parede com os pés. O ideal é que as costas do nadador estejam arqueadas durante a fase inicial em que o nadador está fora da água, para que somente os pés e as mãos toquem a água enquanto o corpo está acima da linha da água. Isso reduz o arrasto e permite que o nadador comece mais rápido.

• A aproximação da parede é um problema porque o nadador não consegue ver onde está indo. Ao se aproximar da parede, o nadador pode virar de bruços e puxar/empurrar a água com um braço. Depois, o nadador dá meia cambalhota para frente, descansando os pés na parede. Nesse momento, os braços ficam para frente e o nadador se empurra e se afasta da parede. Igual ao início, o nadador pode ficar até 15 metros debaixo d’água. A maioria dos nadadores dá uma pernada de borboleta para obter mais velocidade.

• Nos Jogos Olímpicos, as provas de nado de costas são disputadas nos 100 e nos 200 metros masculino e feminino.

Nado de Costas
Imagem cedida pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos
Crédito: Satiro Sodré

Regras

• Antes do sinal de largada, os nadadores devem ficar em fila na água, virados para a largada, com as duas mãos segurando na borda. Os pés, inclusive os dedos, devem encontrar-se embaixo d’água.

• Ao sinal de partida e após as viradas, o nadador deverá sair da parede e nadar na posição de costas durante toda a prova, exceto ao executar uma virada. A posição normal de costas pode incluir um movimento de rotação do corpo até, mas não incluindo, os 90º em relação à horizontal. A posição da cabeça é irrelevante.

• Ao executar a virada, o nadador deve tocar a parede com alguma parte do corpo. Durante a virada, os ombros poderão rodar para além da vertical em direção ao peito. Uma braçada contínua ou uma dupla braçada simultânea podem ser usadas para iniciar a volta. O nadador tem que retornar a posição de costas após deixar a parede.

• O árbitro deve ter total controle e autoridade sobre todos os oficiais. Ele deve aprovar suas indicações e instruí-los sobre todas as regras e questões especiais relacionadas às competições. Deve reforçar todas as regras e decisões da FINA e também deve decidir todos os problemas sobre a conduta do evento ou da competição, a decisão final de algo que não esteja coberto pelas regras.

• O melhor tempo de todos os participantes nos doze meses que antecedem o limite de inscrição dos Jogos deve ser inscrito nos formulários e listados em ordem de tempo pelo Comitê de Organização. Os nadadores que não enviarem as marcas oficiais deverão ser considerados os mais lentos e colocados no final da lista sem nenhum tempo. A colocação dos nadadores com tempos idênticos ou de mais de um nadador sem tempo deve ser determinada por sorteio.

• Caso nadadores de eliminatórias iguais ou diferentes tenham registrado o mesmo tempo para 1/100 segundo, seja para o 8º como para o 16º lugar, deve haver uma prova de apuramento para determinar se o nadador deve passar à fase seguinte. Essa prova de apuramento não pode acontecer em menos de uma hora depois que todos os nadadores envolvidos tenham terminado a sua classificação. Se houver novo empate, nova prova de apuramento deverá ser realizada.

Nado de Costas
Imagem cedida pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos
Crédito: Satiro Sodré

Provas disputadas

• 100 metros masculino
• 100 metros feminino
• 200 metros masculino
• 200 metros feminino

Medalhas nos Jogos Olímpicos de 2008 (Pequim)

Masculino

Prova Ouro Prata Bronze
100 metros Aaron Peirsol, EUA GREVERS Matt, EUA  VYATCHANIN Arkady, RUS
200 metros LOCHTE Ryan, EUA PEIRSOL Aaron, EUA VYATCHANIN Arkady, RUS

Feminino

Prova Ouro Prata Bronze
100 metros COUGHLIN Natalie, EUA COVENTRY Kirsty, ZIM HOELZER Margaret, EUA
200 metros COVENTRY Kirsty, ZIM HOELZER Margaret, EUA NAKAMURA Reiko, JAP

Nado de Costas
Imagem cedida pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos
Crédito: Satiro Sodré

Recordistas mundiais

Masculino
• 100 m - Aaron Peirsol, EUA, 52.54 - 12 de agosto de 2008
• 200 m - Ryan Lochte, EUA, 1:53.94 - 15 de agosto de 2008

Feminino

• 100 m - Natalie Coughlin, EUA, 58.97 - 01 de julho de 2008
• 200 m - Kirsty Coventry, ZIM, 2:05.24 - 16 de agosto de 2008

Recordistas olímpicos

Masculino

• 100 m - Aaron Peirsol, EUA, 52.54 - 12 de agosto de 2008
• 200 m - Ryan Lochte, EUA 1:53.94, 15 de agosto de 2008

Feminino

• 100 m - Natalie Coughlin, EUA, 59.68 - 21 de agosto de 2004
- 200 m - Kirsty Coventry, ZIM, 2:05.24 - 16 de agosto de 2008

Fonte: esporte.hsw.uol.com.br

Nado de Costas

Nado Costas/ Crawl Costas

Nado costas, também conhecido como crawl costas, é provavelmente o mais fácil de todos os estilos competitivos de se ensinar e aprender, já que o nadador tem sua cabeça para fora da água, ao contrário do nado livre onde o rosto está na água e a coordenação de respiração e braços deve ser dominada.

Alguns alunos preferem nado costas pois seus rostos estão para fora da água e a respiração não é um problema. Crawl costas e frontal têm semelhanças. Estas semelhanças são úteis quando nadadores iniciantes são lembrados de uma habilidade ou parte de uma habilidade que podem ser familiares a eles.

Postura corporal

Pontos Principais

Supino, horizontal e alongado.
Orelhas são submersas logo abaixo da superfície da água.
A cabeça permanece parada, olhos voltados para cima ou levemente para baixo na direção dos dedos do pé.
O queixo está encolhido para assegurar que as pernas sejam mantidas na água.
Quadris são mantidos próximos à superfície.
Ombros rolam junto com a braçada.
Para manter as pernas na água, há uma leve inclinação da cabeça até os quadris.

Pernada

A ação da perna ajuda a manter uma posição corporal horizontal e a equilibrar a ação do braço. Isto minimizará o balanço das pernas de um lado a outro. Também pode contribuir com alguma propulsão.

Pontos Principais

A ação contínua alternada para cima e para baixo começa nos quadris.
As pernas estão bem juntas.
As pernas são mantidas quase retas, com joelhos permanecendo abaixo da superfície.
Tornozelos relaxados permitem que os dedos apontem.
Os pés rompem a superfície ao final da batida, tentando não espirrar.

Ação do Braço

A ação do braço é contínua e alternada. A ação do braço proporciona propulsão constante. Ação de braço dobrado é mais eficiente do que ação de braço reto. A ação de braço reto pode ser preferida nos estágios iniciais de desenvolvimento.

Pontos Principais — Entrada

O dedo mindinho deve entrar na água primeiro, braço reto e junto à linha do ombro.

Pontos Principais — Movimento Inicial para Baixo

O braço se move para baixo e para fora para a pegada. Isto é acompanhado por uma rolagem natural do ombro.
A mão é lançada para baixo e para fora pela palma.

Pontos Principais — Movimento para Cima

O lançamento da mão muda para movimento dentro e para cima.
Os braços são dobrados a um ângulo de 90-graus no cotovelo.

Pontos Principais — Movimento Final para Baixo

O braço empurra até a coxa.
Dedos apontam para os lados e as palmas estão para baixo.

Pontos Principais — Retorno

A mão sai começando pelos dedões.
O braço gira gradualmente para assegurar que o mindinho esteja pronto para entrar.
O braço permanece reto e relaxado enquanto isso.

Pontos Principais — Respiração

A respiração é natural. Como regra, respire a cada ciclo de braçada.

Pontos Principais — Cronometragem

Seis pernadas a cada ciclo de braçada.

Fonte: specialolympics.org

voltar 12avançar