Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Nicolau Copérnico  Voltar

Nicolau Copérnico

 

Nascimento: 19 de fevereiro de 1473, Torun, Polônia.

Falecimento: 24 de maio de 1543, Frombork, Polônia.

Nicolau Copérnico - Vida

Nicolau Copérnico
Nicolau Copérnico

O astrônomo Nicolau Copérnico identificou o conceito de um sistema solar heliocéntrica, na qual o sol, em vez do que a terra, é o centro do sistema solar.

Nicolau Copérnico nasceu em 19 de fevereiro de 1473, em Torun, na Polônia.

Por volta de 1508, Copérnico desenvolveu seu próprio modelo celestial de um sistema planetário heliocêntrico. Ao fazê-lo, ele começou a revolução científica.

Por volta de 1514, ele compartilhou suas descobertas nas Commentariolus.

Copérnico foi um astrônomo polonês, mais conhecido por sua teoria de que o Sol e não a Terra é o centro do universo.

Seu segundo livro sobre o tema, De Revolutionibus Orbium Coelestium, foi proibido pela Igreja Católica Romana não muito tempo em 24 de maio de 1543 ocorreu sua morte em Frauenburg, na Polônia.

O fim

Nicolau Copérnico morreu de um acidente vascular cerebral, com a idade de 70, em 24 de maio de 1543. Ele não havia se casado e não tinha filhos. Ele dedicou sua vida à ciência, a igreja, e ao governo.

Ele foi enterrado na catedral de Frombork, Polônia.

Seu túmulo foi perdido durante séculos, mas encontrou novamente em 2005.

Seus restos mortais foram enterrados na catedral de Frombork em 2010. Sua nova lápide mostra um sol dourado com seis planetas orbitando-lo.

Nicolau Copérnico - Biografia

Nicolau Copérnico
Nicolau Copérnico

Nicolau Copérnico foi um polonês do Renascimento matemático e astrônomo que formulou uma teoria abrangente heliocêntrica modelo que colocou o Sol, em vez da Terra, no centro do universo.

A publicação do livro de época de Copérnico, De revolutionibus orbium coelestium ( Sobre as Revoluções das Esferas Celestes ), pouco antes de sua morte, em 1543, é considerado um evento importante na história da ciência. Começou a revolução copernicana e contribuiu de forma importante para o crescimento da consequente Revolução Científica.

A teoria heliocêntrica de Copérnico colocou o Sol no centro do sistema solar e descreveu a mecânica desse sistema em matemática, em vez de termos aristotélicas.

Uma das grandes polímatas do Renascimento, Copérnico foi um matemático, astrônomo, jurista com um doutorado em direito, médico, poliglota, clássico estudioso, tradutor, artista, padre católico, governador, diplomata e economista.

Vida

Nicolau Copérnico nasceu em 19 fevereiro de 1473, na cidade de Torun (Espinho), na província de Prússia Real, na Coroa do Reino da Polônia. Seu pai era um comerciante de Cracóvia e sua mãe era a filha de um comerciante rico de Torun.

Nicolaus era o caçula de quatro filhos. Seu irmão Andreas (André) se tornou um agostiniano cânone em Frombork (Frauenburg).

Sua irmã Barbara, em homenagem a sua mãe, tornou-se freira. Sua irmã Katharina casou com o empresário e vereador Barthel Gertner e deixou cinco filhos, que Copérnico cuidou até o fim de sua vida. Copérnico nunca se casou ou teve filhos.

Família do pai

Família do pai pode ser atribuída a uma aldeia em Silésia perto de Nysa. No século 14, os membros da família começaram a se mover para várias outras cidades da Silésia, a capital polonesa, Cracóvia (Cracóvia, 1367), e para Torun (1400).

Nicolau foi nomeado depois de seu pai, que aparece em registros pela primeira vez como um comerciante que negociava com o cobre, vendendo principalmente em Danzig (Gdansk). Ele se mudou de Cracóvia para Torun volta 1458. Torun, situada no rio Vístula, era naquele tempo envolvido na Guerra Treze Anos (1454-1466), em que o Reino da Polônia e da Confederação Prussiana, uma aliança de prussiano, nobreza e do clero, lutou contra a Ordem Teutônica sobre o controle da região.Nesta guerra hanseáticas cidades como Danzig e Torun, cidade natal de Nicolau Copérnico, optou por apoiar o rei polonês, que prometeu respeitar a independência das cidades, que a Ordem Teutônica havia desafiado.

O pai de Nicolaus estava ativamente envolvido na política da época e apoiado Polônia e as cidades contra a Ordem Teutônica.

Em 1454, ele mediado as negociações entre Polônia Cardeal Zbigniew Olesnicki e as cidades prussianas de reembolso de empréstimos de guerra. Na Paz Segunda Thorn (1466), a Ordem Teutônica formalmente renunciou todas as reivindicações de suas províncias ocidentais, que, como Prússia Real permaneceram uma região da Polônia para os próximos 300 anos.

O pai se casou com Barbara Watzenrode, mãe do astrônomo, entre 1461 e 1464. Ele morreu em algum momento entre 1483 e 1485. Após a morte do pai, tio materno, Lucas Watzenrode, o Jovem (1447-1512), levou o menino sob sua proteção e viu a sua educação e carreira.

Idiomas

Copérnico é postulado ter falado a língua Latina, alemão e polonês com igual fluência. Ele também falou grego e italiano. A grande maioria das obras remanescentes de Copérnico são em latim, que em sua vida foi a linguagem da academia na Europa. O latim era a língua oficial da Igreja Católica Romana e da corte real da Polônia, e, portanto, toda a correspondência de Copérnico com a Igreja e com os líderes poloneses foi em latim.

Há alguns documentos escritos por Copérnico em alemão. Transportadora Martin menciona isso como uma razão para considerar língua nativa de Copérnico ter sido alemão.

Outros argumentos são de que Copérnico nasceu em uma cidade predominantemente de língua alemã e que, enquanto estudava Direito na Bolonha em 1496, ele assinou na Alemão Natio ( Natio Germanorum ) uma organização estudantil que, de acordo com o seu estatuto 1497, foi aberto a estudantes de todos os reinos e estados, cuja língua-mãe (" Muttersprache ") era alemão.

No entanto, de acordo com o filósofo francês Alexandre Koyré, isso por si só não implica que Copérnico se considerava alemão, já que os estudantes da Prússia e da Silésia foram rotineiramente colocados nessa categoria, o que levou certos privilégios que fizeram dele uma escolha natural para os estudantes de língua alemã, independentemente de sua etnia ou auto-identificação.

Nome

Com o tempo de Copérnico, as pessoas foram muitas vezes chamadas após os lugares onde viviam. Como a aldeia Silésia que o inspirou, o sobrenome de Copérnico foi escrito de várias maneiras. O mundo da fala Inglês conhece o astrônomo principalmente pelo nome latinizada, "Nicolau Copérnico". O sobrenome provavelmente tinha algo a ver com o local da Silésia de mineração de cobre- indústria, embora alguns estudiosos afirmam que ela pode ter sido inspirado no endro planta (em polonês, " koperek "ou" Kopernik ") que cresce na selvagem Silésia.

Como foi o caso com William Shakespeare um século mais tarde, inúmeras variantes ortográficas do nome são documentadas para o astrônomo e seus parentes.

O nome apareceu pela primeira vez como o nome da cidade na Silésia, no século 13, onde foi escrito diversos em documentos latinos. Copérnico "foi bastante indiferente sobre ortografia ". Durante sua infância, o nome de seu pai (e, portanto, do astrônomo futuro) foi gravado em Espinho como Niclas Koppernigk por volta de 1480, em Cracóvia ele assinou seu nome "Nicolaus Nicolai de Torunia".

Em Pádua, Copérnico assinou seu nome "Nicolaus Copernik", depois como "Coppernicus".

Ele assinou um auto-retrato, uma cópia da qual está agora na Universidade Jagiellonian, "N Copernic". O astrônomo latinizado seu nome para Coppernicus, geralmente com dois "p" s (em 23 dos 31 documentos analisados), mas mais tarde na vida ele usou um único "p". Na página de título de De revolutionibus, Rheticus publicado o nome como (no genitivo ou caso possessivo), "Nicolai Copernici".

Heliocentrismo

Em 1532 Copérnico completou seu trabalho no manuscrito de De revolutionibus orbium coelestium, mas apesar de pedidos por seus amigos mais próximos, ele resistiu a publicar abertamente suas opiniões, não querendo, como ele confessou-se arriscar o desprezo "a que teria se expor por conta da novidade e incompreensibilidade de suas teses ".

Em 1533, Johann Albrecht Widmannstetter entregue uma série de palestras em Roma delineando a teoria de Copérnico. Papa Clemente VII e vários cardeais católicos ouviram as palestras e estavam interessados na teoria.

Em 1 de Novembro de 1536, o Cardeal Nikolaus von Schönberg, Arcebispo de Cápua, escreveu a Copérnico de Roma: Alguns anos atrás, a notícia chegou-me a respeito de sua competência, de que todo mundo sempre falou. Naquela época, eu comecei a ter uma grande consideração por você... Por que eu tinha aprendido que não se limitou a dominar as descobertas dos astrônomos antigos extraordinariamente bem, mas também formulou uma nova cosmologia. Nele sustentam que a terra se move, para que o sol ocupa o mais baixo, e, assim, o local, central no universo...

Até então o trabalho de Copérnico estava se aproximando de sua forma definitiva, e os boatos sobre sua teoria havia chegado a pessoas intelectuais de toda a Europa. Apesar de apelos de vários quadrantes, Copérnico atrasou a publicação de seu livro, talvez por medo de crítica, expresso na posterior dedicação de sua obra para o Papa Paulo III. Estudiosos discordam sobre se a preocupação de Copérnico foi limitada a possíveis objeções astronômicas e filosóficas, ou se ele também estava preocupado com objeções religiosas.

Morte

Para o fim de 1542, Copérnico foi apreendido com apoplexia e paralisia, e morreu aos 70 anos em 24 de Maio 1543. Diz a lenda que ele foi presenteado com uma cópia antecipada do seu De revolutionibus orbium coelestium no mesmo dia em que ele morreu, o que lhe permite a despedida do trabalho de sua vida.

Ele tem a fama de ter acordado de um coma induzido por acidente vascular cerebral, olhou para o seu livro, e depois morreu em paz.

Copérnico teria sido enterrado em Frombork Catedral, onde os arqueólogos há mais de dois séculos, procuraram em vão por seus restos mortais.

Esforços para localizar os restos mortais em 1802, 1909, 1939 e 2004, tinham chegado a nada. Em agosto de 2005, no entanto, uma equipe liderada por Jerzy Gassowski, chefe de uma arqueologia e antropologia instituto em Pultusk, após a digitalização sob o piso da catedral, descobriu o que eles acreditavam ser restos de Copérnico.

A descoberta veio depois de um ano de buscas, e a descoberta foi anunciada apenas depois de mais pesquisas, em 3 de novembro de 2008.

Gassowski disse que tinha quase certeza que os restos mortais fossem de Copérnico.

Especialista capitão Dariusz Zajdel do Laboratório polonês Central de Polícia Forense, usou o crânio para reconstruir um rosto que se assemelhava muito a características, incluindo um nariz quebrado e uma cicatriz acima do olho esquerdo, em um auto-retrato de Copérnico.

O especialista também determinou que o crânio pertencia a um homem que havia morrido em torno de 70 anos, Copérnico, no momento de sua morte.

A sepultura estava em más condições, e nem todos os restos do esqueleto foram encontrados. Faltava, entre outras coisas, o maxilar inferior.

Em 22 de maio de 2010 foi dado a Copérnico um funeral seguido de uma missa conduzida por Józef Kowalczyk, ex- núncio apostólico na Polônia e recém-nomeado primaz da Polônia. Restos de Copérnico foram enterrados no mesmo local em Catedral de Frombork, onde parte de seu crânio e outros ossos foram encontrados.

Uma lápide de granito preto agora o identifica como o fundador da teoria heliocêntrica e também uma igreja cânone. A lápide tem uma representação do modelo de Copérnico do sistema solar, um sol dourado cercado por seis dos planetas.

Veneração

Copérnico é homenageado, juntamente com Johannes Kepler, no calendário litúrgico da Igreja Episcopal (EUA), com um dia de festa em 23 de maio.

Nicolau Copérnico - Astrônomo

Nicolau Copérnico
Nicolau Copérnico

Nicolau Copérnico, médico e astrônomo polonês, revolucionou as idéias sobre a posição da Terra no Universo. Em seu trabalho "De revolutionibus orbium coelestium", apresentou a teoria Heliocentrista, que colocava o Sol no centro do universo, e demonstrava que a Terra completa uma volta em torno de seu próprio eixo a cada 24 horas e uma órbita em volta do Sol no período de um ano. A teoria oficial da época, patrocinada pela Igreja Católica, o Geocentrismo, dizia que o Universo girava em torno da Terra. Copérnico também estabeleceu métodos para calcular o tamanho do Sistema Solar e os movimentos dos planetas. Suas idéias só seriam comprovadas e aceitas pela ciência, porém, mais de um século depois.

Mikolaj Kopernik (em latim Nicolaus Copernicus) nasceu no dia 19 de fevereiro de 1473 em Torum, Polônia, onde freqüentou o Colégio de São João. Estudou matemática e óptica na Universidade de Cracóvia, na Polônia, de 1491 a 1494. Estudou religião e astronomia na Universidade de Bolonha, na Itália, em 1496.

Em 1497 tornou-se cônego da catedral de Frauenburg, na Áustria, posto que conservou pelo resto de sua vida. De 1501 a 1505 estudou grego, direito e medicina na Universidade de Pádua, na Itália.

Em 1512 começou a trabalhar no Heliocentrismo, em oposição total ao Geocentrismo apoiado pela Igreja Católica. O trabalho foi terminado em 1530, mas somente foi publicado em 1543, ano da sua morte, provavelmente por medo da Inquisição. Um pouco antes de morrer, recebeu uma cópia de seu trabalho, "De revolutionibus orbium coelestium", que foi proibido pela Igreja Católica. A proibição só foi retirada em 1835!

Nicolau Copérnico - Matemático

Nicolau Copérnico
Nicolau Copérnico

Matemático e astrônomo polonês, autor da Teoria Heliocêntrica, segundo a qual o sol é o verdadeiro centro do sol é o verdadeiro centro do sistema solar, devendo-se a sucessão de dias e noites, ao movimento da rotação da Terra sobre seu próprio eixo.

Copérnico nasceu em Tourun, na Posnâmia (região polonesa as margens do Vístula) na fronteira com a Alemanha, à 19/02/1453, era filho de um comerciante que o deixou órfão, aos 10 anos. Sua tutela ficou à cargo de seu tio Lucius Waczenrade, Bispo de Erimland. E ele cresceu em meio ao período Renascentista, no qual o saber, bem como a cultura avançaram revulucionariamente. Também serviu a Igreja Católica, o que de certa forma foi positivo, pois lhe dava acesso ao saber entesourado da igreja.

Propriedades planetárias

Em 1491, ingressou na Universidade de Cracóvia, onde estudou, principalmente, matemática. Depois na Universidade de Bolonha estudou grego e em Pádua Medicina.

Em 1500 voltou a Polônia, e já como monge, assumiu as funções de cônego em Frauenburg, exercendo a medicina.

Como sua verdadeira paixão era a astronomia, teve sua atenção despertada pelo planeta Marte, e de suas observações, veio-lhe as perguntas:

Por que os planetas se tornavam cada vez maiores, mais brilhantes, ao longo de sua trajetória?
Ou cresciam, o que parecia absurdo?
Ou ficavam tão mais perto da Terra? O que certamente, os levava a sair dos epiciclos, onde deveriam permanecer...

Diante de suas dúvidas, Copérnico, com sua tranquilidade característica, passou a estudar os pensadores antigos, que ousaram dar um movimento à Terra, e colocar o Sol como centro do Universo.

Depois de minuciosos cálculos matemáticos, ele deduziu: A Terra executa um movimento completo em torno de seu eixo. Isso explicaria o movimento do Sol e das Estrelas, produzindo o dia e a noite. Novos cálculos o levaram a atribuir ao Sol o movimento anual, que na verdade é executado pela Terra.

Suas afirmações eram contrárias a Teoria Geocêntrica, que afirmava ser a Terra fixa, e que todos os demais astros, giravam em torno dela. A igreja fundamentava-se na Teoria Geocêntrica, e agia de modo bravio, contra qualquer conceito contrário a esta teoria.

A Teoria Geocêntrica, também chamada de Teoria Ptolemaica, por ter sido elaborada por Cláudio Ptolomeu, astrônomo e geógrafo grego do séc. II, dizia que a Terra era imóvel e ao seu redor giravam a Lua, o Sol, os Planetas e as Estrelas. Durante 30 anos, Copérnico, analisando e meditando suas próprias observações, concluiu sua Teoria. Como uma de suas maiores características era ser prudente, de início, apresentou sua teoria como mera hipótese, já que naquela época eram comuns, as condenações por heresia.

As revelações

Copérnico, era eclesiástico, respeitava e temia as autoridades religiosas, para estas, a teoria de Ptolomeu era mais adequada para confirmar, as citações bíblicas, de modo conveniente para a igreja. Temendo contradizê-la, Copérnico, em 1530, apresentou sua teoria apenas entre os astrônomos, num manuscrito chamado Pequenos comentários de Nicolau Copérnico em torno de suas hipóteses sobre os movimentos celestes. Somente em 1540, permitiu que George Joaquim Rhäticus, seu discípulo, publicasse suas idéias, na obra Narrativa acerca das obras de Copérnico sobre revoluções.

Sua obra

Finalmente em 1543, esse mesmo discípulo, fez circular, em Nuremberg, a obra completa de Copérnico - Sobre a revolução das orbes celestes, onde a Teoria Heliocêntrica, era colocada de forma científica, e não como hipótese. Isto se deu sem o conhecimento de Copérnico, que teve exemplar nas mãos, já pronto, às portas de sua morte, em Frauenburg, à 24/05/1543, mesma data em que veio a falecer. Esta publicação, que tinha prefácio dedicado ao papa Paulo III, fora substituído por outro, anônimo, atribuído a Andreas Osiander, que insistia sobre o carater hipotético do novo sistema.

Só após 20 anos da divulgação da pesquisa de Copérnico, o frade dominicano Giordani Bruno acrescentou a Teoria, a idéia do Universo infinito, levantando novamente a polêmica. Por isso, a Inquisição, o condenou a morte. Justo nessa mesma época, iniciava como professor de Universidade Galileu Galilei, que finalmente fez solidificar a Teoria.

A obra de Copérnico foi comprovada por grandes astrônomos e matemáticos como Galileu, Kepler e Newton, mas até 1835, a Igreja a manteve em sua lista negra. Mas sua obra, considerada valiosa e pioneira lhe garantiu a posição de Pai da Astronomia Moderna.

Nicolau Copérnico
Nicolau Copérnico

A fronteira entre a astronomia antiga e a moderna foi marcada pela hipótese Coperniciana.

Nicolau Copérnico foi um astrônomo polaco com vários nomes, como Nikolaj Kopernik, ou Nicolai Copernici, nascido em Torun, a 19 de Fevereiro de 1473, morreu em Frauenburg a 24 de Maio de 1543.

Sabe-se que Nicolau Copérnico recebeu as suas ordens sacras em 1496 indo depois estudar nas Universidades de Cracóvia, de Bolonha e de Pádua conseguindo a sua doutoração em Ferrara, em Maio de 1502.

Mais tarde, em Bolonha, começou a dedicar-se à observação astronómica na companhia de Domingos Maria Navarra alargando os seus poucos conhecimentos de matemática.

Para variar estudou Medicina e entre 1500 e 1510 traçou as linhas do seu chamado Sistema Copernicicano.

Então na próxima década, demonstrou a superioridade do sistema heliocêntrico (em que o Sol estaria no centro do Universo, imóvel, e todos os outros planetas a girarem à sua volta, considerando a Lua como um satélite da Terra) comparando-o ao sistema até à data utilizado que era o sistema geocêntrico, com a Terra imóvel no centro do Universo.

Sem muita pressa e sem instrumentos aperfeiçoados seguiu os planetas e suas trajetórias durante um longo período, em que as inexatidões mais pequenas não contavam tentando provar a sua teoria do Sistema Copernicicano, construiu as tábuas astronómicas de acordo com cálculos e as suas observações astronómicas.

Ao terminar a sua obra, em 1530, passou o Comentariolus a colegas seus que o encorajaram a imprimir a sua obra, mas não teve pressa nenhuma de publicá-la devido, por alguns, com medo da Igreja, e por outros, medo da reação do público, tendo guardado mais de dez anos a obra para si.

O primeiro exemplar de seu livro chegou às suas mãos no dia da sua morte. Poucas horas antes de falecer, teve a satisfação de ver a sua obra publicada, que apenas em 1616 foi proibido o seu ensino, mas já demasiado tarde para parar a revolução do sistema heliocêntrico.

Nicolau Copérnico - Teorias

Nicolau Copérnico
Nicolau Copérnico

Ao abrir mão da idéia de que a Terra era o centro do Universo, o astrônomo Nicolau Copérnico arriscou ser acusado de heresia ao demonstrar matematicamente que a Terra gira em torno do Sol.

Antigos astrônomos, incluindo Ptolomeu (100-170 d.C.), haviam concluído corretamente que os planetas e as estrelas eram corpos celestes distantes, em vez de deuses ou animais mágicos, mas, mesmo assim, durante muito tempo, continuou-se a acreditar que a Terra, sendo o local mais importante do Universo, tinha de estar em seu centro.

Nascido em Thorn, na Polônia, Copérnico estudou nas universidades de Cracóvia e em Pádua e Bolonha, Itália.

Em 1499, ele foi indicado como professor de matemática em Roma.

Mais tarde, tornou-se padre, mas prosseguiu seus estudos sobre astronomia.

Em 1507, começou a trabalhar em um tratado, De Revolutionibus Orbium Celestium, obra concluída em 1530, mas só publicada no ano de sua morte.

Embora Copérnico acreditasse que a órbita dos planetas era perfeitamente circular (o que não é verdade), ele conseguiu demonstrar que o Sol era o centro das órbitas da Terra e dos outros planetas, e que a Lua girava em torno da Terra.

Como conseqüência, ele concluiu também, dessa vez corretamente, que a Terra girava em torno do próprio eixo. Embora, pelo fato de a atmosfera girar junto com a superfície sólida da Terra, não haja movimento aparente de rotação, a não ser pelo nascer e pôr do Sol.

As teorias de Copérnico foram fundamentais para que mais tarde tanto Galileu Galilei como Isaac Newton pudessem construir a estrutura da astronomia moderna e do nosso conhecimento sobre o Universo.

Fonte: www.biography.com/www.famousscientists.org/www.meusestudos.com/en.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal