Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Nutrição - Curso  Voltar

Nutrição - Curso

Nutrição - O que é

Nutrição - Curso
Nutrição

Nutrição é o estudo de hábitos e necessidades alimentares do homem e a busca de sua saúde, por meio do planejamento e do controle da alimentação.

Nutrição é a ciência que estuda as necessidades e os hábitos alimentares do corpo humano.

O nutricionista planeja, organiza, controla regimes, administra a preparação e o consumo dos alimentos. É o responsável por coordenar e supervisionar os programas de nutrição, de educação alimentar e as de atividades de readaptação alimentar.

Apesar das diversidades de seu campo de atuação, as principais áreas de atuação do profissional nutricionista têm sido o hospital, a indústria e a saúde pública.

Cabe a cada profissional, egresso de um curso superior, saber explorar todas as potencialidades que lhe permite o conhecimento profissional.

Hospital

Em um hospital o nutricionista atua nos seguintes setores:

a) Nutrição clínica e cirúrgica: Serviço de nutrição nas enfermarias, organização (estrutura, instalações, impressos, pessoal); interpretação e adequação das prescrições médicas; elaboração e análise de dietas; visitas aos pacientes internados; anamnese alimentar, avaliação e orientação nutricional; controle de ingesta hídrica e calórica; controle de rotina no pré e pós-operatório; participação em grupos de estudos; solicitação de exames laboratoriais.

b) Ambulatórios: Rotina, impressos, pessoal; anamnese alimentar e avaliação nutricional; elaboração da dieta individual, considerando as condições sócio-econômicas e hábitos alimentares; atendimento grupal, solicitação de exames laboratoriais.

c) Nutrição materno-infantil: Gestante, puérpera e nutris; serviço de nutrição na maternidade e rotina; supervisão e controle do serviço, atualização de mapas; anamnese alimentar; avaliação e orientação nutricional; elaboração e análise da dieta.

Pediatria: Serviço de nutrição na enfermaria de pediatria, supervisão e controle; interpretação e adequação das prescrições médicas; atualização de mapas; anamnese alimentar;avaliação e orientação nutricional; elaboração e análise da dieta.

Lactário: Serviço de nutrição no lactário; localização, planejamento, equipamentos, higienização, pessoal; armazenamento e distribuição de mamadeiras; métodos de esterilização; controle bacteriológico; cálculo e técnicas de preparo das fórmulas lácteas e não-lácteas; supervisão e controle; atualização de mapas.

Banco de leite humano: Rotina, planejamento, localização, ventilação e iluminação; área de atuação técnica de colheita do leite humano e métodos de conservação; impressos; atualização e controle das estatísticas; supervisão e controle.

d) Produção: Planejamento do serviço de nutrição (localização, utensílios, máquinas e equipamentos); tipos de serviço; elaboração de cardápios (per capita, custos); sistema de distribuição para pacientes e servidores; controle de qualidade e aceitabilidade dos alimentos; impressos; treinamento e seleção de pessoal; supervisão, coordenação e controle de atividades desenvolvidas.

Saúde Pública

Na área de Saúde Pública a atividade é desenvolvida, principalmente, junto aos órgãos de governo. Deve sempre estar pronto para prestar informações ao público através dos veículos de comunicação de massa; deve conscientizar a sociedade e mobilizar o governo para a busca de soluções definitivas, objetivando amenizar a gravidade da questão alimentar brasileira.

a) Planejamento: Realizado em qualquer nível de atuação: local, regional e central, elaborando e coordenando programas de suplementação alimentar e de merenda escolar, na tentativa de reduzir as carências nutricionais.

b) Assistência alimentar: Serviços de nutrição em instituições que comportam coletividade sadia (estrutura, instalações, impressos, pessoal; elaboração de cardápios diários: requisição, produção e distribuição); observação do per capita e da aceitabilidade da alimentação distribuída.

c) Educação nutricional: Organização e planejamento de atividades; palestras para a clientela; pesquisas para avaliação nutricional da clientela; atendimento ambulatorial (anamnese alimentar, avaliação e orientação nutricional); elaboração e prescrição de dietas.

d) Alimentação do pré-escolar e escolar: Atividades desenvolvidas em diversas instituições da comunidade, verificando aspectos nutricionais na avaliação da alimentação e do estado nutricional, por serem os membros da comunidade oriundos dos mais diferentes níveis sócio-econômicos e culturas.

Centro de saúde: Planejamento e ministração de palestras e cursos sobre temas de nutrição e saúde, para os usuários que integram os programas e para a comunidade; atendimento no ambulatório de puericultura e orientação alimentar para mães e crianças.

Escolas: Serviço de nutrição (instalações; confecção e distribuição de refeições); planejamento e elaboração de cardápios; avaliação da aceitabilidade da alimentação distribuída; supervisão da distribuição da merenda escolar; observação do per capita ingerido, utilizando medidas caseiras; anotação da frequência à merenda escolar; impressos e rotina.

Creches: Planejamento e ministração de palestras e cursos sobre alimentação e saúde, dirgidos aos responsáveis pelas crianças e membros da comunidade, com demonstrações práticas e técnicas para a conservação do valor nutritivo dos alimentos; avaliação nutricional do pré-escolar; impressos e elaboração de pesquisas.

Restaurante Tipo Industrial: O nutricionista trabalha conscientizando o empregador para a importância do serviço de nutrição em sua empresa, obtendo os recursos necessários para desenvolvê-lo.

Atividades semelhantes às descritas para a produção de alimentos em um hospital.

O cardápio serve como um verdadeiro instrumento para a educação nutricional: deve orientar o comensal para os processos tecnológicos da fabricação, valor nutricional e preparo do produto; deve elaborar informes científicos e técnicas referentes à alimentação em geral, ampliando a consciência crítica relativa à propaganda pelos meios de comunicação de massa. Atuando em empresas, deve seguir, rigorosamente, o Código Brasileiro de Alimentos.

Consultório Dietético: Cabe ao nutricionista dar atendimento nutricional personalizado a indivíduos sadios que necessitam adequar seu comportamento alimentar ou a indivíduos doentes que necessitam de aconselhamento dietoterápico, mediante diagnóstico médico; atua em clínicas de recuperação médico-nutricional, clínicas de ginástica/estética; como também, em escritórios de planejamento e assessoria de serviços alimentares.

Laboratório Bromatológico: O nutricionista participa da equipe de Vigilância Sanitária na identificação do estado higiênico sanitário do alimento, quanto ao controle de qualidade e legislação sanitária vigente.

Desenvolve suas atividades em laboratórios bromatológicos, físico-químicos e microbiológicos: identifica os alimentos quanto a sua estrutura e composição; controle sanitário de alimento de origem animal; inspeção sanitária e comercial; provas de esterilidade nos produtos alimentares enlatados e embutidos; determinação de alterações diversas e identificação de micro-organismos; aplicação da legislação bromatológica vigente e elaboração de relatórios.

Pesquisa: Trabalha na indústria de alimentos pesquisando processos de confecção, enriquecimento e conservação de alimentos industrializados. Nas instituições de ensino, elabora pesquisas acadêmicas nas diferentes áreas da alimentação, nutrição e saúde.

Ensino: A atividade primordial do nutricionista é ade educador, podendo desenvolver atividades de ensino em quaisquer dos níveis de formação humana, formal ou informal, de simples palestras na comunidade ao ensino superior.

Administração: Pode assumir qualquer atividade funcional na sua área de formação: sendo exclusiva dela a direção de escolas e cursos de nutrição e restaurantes industriais.

Outras: Marketing.

O Nutricionista

Planeja, organiza, supervisiona e avalia os serviços de alimentação e nutrição em cozinhas industriais. É o responsável pela compra, estocagem, preparo, distribuição, higienização e controle dos alimentos. Treina e supervisiona o trabalho do pessoal da cozinha em restaurantes, escolas, hospitais ou firmas especializadas em alimentação.

Na área Clínica, prescreve, avalia e supervisiona dietas para pacientes, planejando programas de reeducação alimentar específicos para cada tratamento.

Dá suporte ao setor de Marketing das indústrias de alimentos. Coordena as pesquisas de produtos, os testes de receitas e o atendimento ao consumidor.

Na área de Pesquisa, faz estudos em laboratórios de pesquisas alimentares, universidades e centros científicos para investigar os nutrientes e as propriedades dos alimentos.

Na área da Saúde Pública, elabora programas de merenda escolar e centros de saúde. Participa da inspeção sanitária e análise do processamento de alimentos, dos equipamentos utilizados e a qualidade do produto.

Pode planejar cozinhas, treinar funcionários e montar dietas específicas para esportistas ou doentes que precisam de regimes especiais (Assessoria e Consultoria).

O profissional

O nutricionista trabalha com o homem e o alimento. A nutrição tem como função básica a manutenção e a recuperação da saúde, por isso o nutricionista estuda as necessidades e os hábitos alimentares, além de promover a reeducação alimentar, melhorando a qualidade de vida.

Esse profissional, planeja, coordena e supervisiona dietas alimentares e programas alimentares.

Ele cuida da escolha, confecção e distribuição dos alimentos.

Orienta no preparo, selecionando o melhor para cada dieta: obesidades, enfermidades; pois esse profissional é quem sabe como cada nutriente atua no equilíbrio do organismo.

Juntamente com a atividade física, uma boa alimentação é o que garante a manutenção da nossa saúde. Apesar da quantidade de informação disponível, os erros nutricionais são cada vez mais constantes na população.

Um nutricionista está apto a auxiliar na reeducação alimentar, na recuperação de doenças, no desenvolvimento e crescimento das crianças e na suplementação nutricional de atletas.

Perfil do profissional

Profissional da saúde pronto para atender as áreas de interesse do mundo moderno, como a geriatria, a prática de exercício físico e o marketing como estratégia de comunicação. Capaz de diagnosticar e monitorar o estado nutricional de indivíduos e coletividades e realizar prescrição, planejamento, execução e avaliação de dietas para diferentes faixas etárias, gestantes, nutrizes e para práticas desportivas.

Competência para formular políticas e programas de educação, assistência e vigilância nutricional, alimentar e sanitária, e desenvolver novas fontes alimentares e de controle de qualidade, objetivando sua utilização na alimentação e na nutrição humana. Pode, ainda, dedicar-se a pesquisas em nível experimental e em humanos.

A profissão

A profissão de Nutricionista teve seu embrião no ensino de economia doméstica pelas irmãs da Ordem das Ursulinas, no Canadá, por volta do ano de 1670.

O primeiro curso universitário para Dietistas foi criado em 1902, em Toronto / Canadá, onde também ocorreu a nomeação da primeira dietista profissional, em 1907, no Hospital da Criança Doente.

Outra linha da História aponta a enfermeira Florence Nightingale como fundadora da profissão de Dietista, durante a Guerra da Criméia (1854) em Scutari, quando instalou cozinhas funcionais para atendimento dos feridos.

Entretanto, qualquer que seja a vertente histórica aceita, não há dúvidas de que o início da profissão de Nutricionista está calcado na assistência alimentar a enfermos e à coletividade.

Até a década de 70 os cursos de nutrição cresceram de forma relativamente lenta e regular, principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste.

Em 1974 já se anunciava o início da crise, que, no seio do capitalismo, veio ampliando os problemas especialmente nos últimos anos da década, resolvendo as pressões por mais vagas nas universidades.

Outra justificativa de tal explosão, além da reforma universitária de 1968, foi a criação do Instituto Nacional de Nutrição – INAN, em 1972 e o lançamento do mulados até então.

No campo da política educacional surgiu a reforma universitária e pôde-se observar um amplo alargamento da rede privada do terceiro grau, Programa Nacional de Alimentação e Nutrição – PRONAN, em 1976.

No bojo destes contexto social pós- 70, algumas tendências vêm sendo apontadas para o conjunto de força de trabalho do Nutricionista e para o perfil profissional desejado, porém poucos estudos foram desenvolvidos.

Atualmente, as formas de trabalho adquirem novas feições e o emprego passa por redefinições profundas.

No futuro, a grande maioria dos trabalhadores não terá mais um único empregador, mas prestará serviços para vários, necessitando portanto reciclar-se periodicamente.

Aspectos Favoráveis da Carreira de Nutrição

Os nutricionistas hoje em dia tem encontrado boas oportunidades de trabalho em diversos setores tais como hotelaria, fast-food, academias de ginástica e clínicas de estética.

Hoje em dia há também boas oportunidades de trabalho em empresas que investem na qualidade de vida dos empregados montando restaurantes internos, estes sempre dirigidos por nutricionistas.

Aspectos Desfavoráveis da Carreira de Nutrição

Apesar da quantidade de vagas para profissionais de nutrição estar crescendo, a competição ainda está grande.

O Curso

O Curso de Nutrição forma profissionais para atuar em todas as áreas nas quais a nutrição e a alimentação constituam fatores de promoção, manutenção ou recuperação da saúde, desempenhando suas atividades tanto no âmbito privado como no público.

O aluno recebe toda a base técnica nos dois primeiros anos, através de disciplinas como: Biologia, Estatística, Anatomia, Bioquímica Celular, Sociologia, Bioquímica Animal, Fisiologia, Microbiologia e Imunologia, Patologia Animal, Fisiologia da Nutrição, Vetores Biológicos e Endemias Rurais, Higiene dos Alimentos, Bromatologia e Tecnologia dos Alimentos entre várias outras.

A partir daí, são ofertadas disciplinas, profissionalizantes e o aluno tem a possibilidade de começar a trabalhar com Nutrição Clínica em Hospitais, Creches e Instituições da Secretaria de Saúde, de acordo com os convênios firmados pela sua faculdade.

Nesta fase, são ofertados conteúdos como Técnica Dietética, Nutrição Normal, Dietoterapia, Administração de Serviços de Alimentação, Educação Nutricional, Administração em Saúde Pública, Nutrição Materno-Infantil, Patologia da Nutrição, Ética Profissional e outras.

Perfil do curso

Formar profissionais aptos a atuar nas áreas de nutrição clínica, alimentação coletiva, nutrição em saúde coletiva e ciências dos alimentos.

Perfil do Egresso

O Nutricionista prescreve dietas para situações especiais (enfermidades, atletas, emagrecimento, dentre outros), identifica problemas nutricionais em grupos de indivíduos e propõe ações para resolvê-los, planeja programas e políticas públicas de saúde, administra a produção de refeições para grupos de indivíduos, desenvolve novos produtos alimentícios, fiscaliza as condições de higiene de produtos alimentícios oferecidos ao consumidor, educa as pessoas para que adquiram bons hábitos alimentares, desenvolve pesquisas relacionadas à alimentação e à nutrição, entre outras atividades.

Mercado de Trabalho

A importância da alimentação para a saúde parece ser uma descoberta recente, por isso o profissional está conquistando cada vez mais o mercado que lhe é de direito.

A procura por Nutricionistas tem aumentado e as perspectivas estão cada vez mais promissoras.

Há oportunidades em diversas áreas como: restaurantes comerciais e industriais; hospitais; clínicas especializadas, clínicas estéticas, ambulatórios; creches, escolas e demais instituições de ensino; órgãos governamentais e não-governamentais; spas, hotéis, navios, pousadas e resorts; clubes esportivos, academias e similares; indústrias alimentícias, nas áreas de desenvolvimentos de produtos, controle de qualidade, marketing, serviço de atendimento ao consumidor; bancos de leite humano e bancos de alimentos; vigilância sanitária; serviços de buffet e de alimentos congelados, entre outras.

Duração média do curso: 04 anos.

Nutrição - Profissão

Nutrição - Curso
Nutrição

É a ciência que estuda os alimentos e sua relação com nossa qualidade de vida. O nutricionista pesquisa e avalia o que ingerimos, determinando dietas apropriadas para a prevenção de distúrbios orgânicos ou ainda para a cura de doenças.

É da responsabilidade desse profissional planejar e administrar programas alimentares personalizados ou para grupos, como em escolas, empresas, hotéis, spas, e restaurantes. É o nutricionista também quem orienta as dietas de emagrecimento e de restabelecimento, determinando complementações nutricionais ou mudanças de hábitos alimentares.

Esse profissional conhece todas as necessidades nutricionais do nosso organismo, por isso ele é a pessoas indicada para determinar como deve ser a rotina de alimentação, elaborando cardápios. Atua também na área de saúde, orientando a escolha de alimentos para pacientes com diabetes, doenças renais, doenças hepáticas, hipertensos ou pessoas com qualquer outro problema que exija cuidados especiais com a alimentação.

Mas nem só os doentes precisam de cuidados à mesa. Para garantir a saúde de quem está em dia com seu corpo também é preciso atenção com o que se come.

Por isso os nutricionistas também atuam no controle de qualidade de alimentos, supervisionam a preparação de refeições e selecionam a matéria prima dos pratos.

Tipos de Curso

a) Nível Superior

Bacharelado

Duração média de 4 anos. A grade curricular básica dos cursos de nutrição se articula principalmente por disciplinas da área médica como fisiologia, anatomia, química, microbiologia, patologia e farmacologia. As disciplinas voltadas para a formação profissional são sobre qualidade nutricional, educação alimentar, higiene, técnicas de preparo de alimentos, conservação, dietoterapia e tecnologia de alimentos. Em geral se exige o estágio.

b) Nível superior

Licenciatura

Duração média de 4 anos. O conselho Nacional de Educação Superior prevê um curso de nutrição com licenciatura. A grade curricular seria semelhante à do bacharelado, incluindo-se as disciplinas pedagógicas que preparam o profissional para dar aulas na educação profissional de nutrição.

c) Nível Médio

Curso técnico

Média de duração de 2 anos. Os cursos técnicos de nutrição têm a incumbência de preparar profissionais para atuação em hospitais, escolas, empresas, restaurantes. No entanto, não é permitido a esse profissional a elaboração de cardápios nem a clínica médica, fica sob sua incumbência o transporte e distribuição dos alimentos, a supervisão do controle higiênico das cozinhas e a pesquisa na cozinha experimental. O técnico em nutrição trabalha como uma espécie de auxiliar do nutricionista. As disciplinas do curso contemplam a química, a conservação e transporte de alimentos, técnicas de produção, higiene, microbiologia, nutrição e dietética.

d) Cursos Livres

Duração variada

Existem diversos cursos livres que complementam a formação dos técnicos e dos nutricionistas, destaque para os cursos de Alimentação a Baixo Custo e Nutrição e Saúde Pública.

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho para os nutricionistas vem crescendo no país. A preocupação com a saúde e com o sobrepeso trouxe uma revolução para o setor. Cada escola, restaurante, hotel ou indústria alimentícia precisa de um nutricionista em seus quadros de funcionários.

Pesquisas do IBGE indicam a obesidade como um problema de saúde pública. Cerca de 40% da nossa população está acima do peso e os obesos somam 10% dos brasileiros. Perceber essa perigosa tendência fez com que governo e sociedade civil refletissem sobre a alimentação nacional.

Esse novo comportamento responsável com os alimentos fez crescer a oferta de empregos para os nutricionistas. Determinações do governo quanto à alimentação escolar, como o Programa Nacional de Alimentação Escolar, também ajudaram na abertura de novos postos de trabalho, já que obrigam as prefeituras a contratar profissionais para a elaboração dos cardápios em todas as escolas públicas.

Ofertas de Emprego

O nutricionista com formação superior pode administrar e supervisionar a produção industrial de alimentos, trabalhar na elaboração de cardápios para grandes empresas que fornecem refeições a seus funcionários, criar cardápios balanceados para restaurantes industriais, trabalhar no desenvolvimento de novos produtos para alimentação, controlar a qualidade das cozinhas e o controle higiênico de restaurantes. Ele também está habilitado para prescrever dietas especiais para pacientes em recuperação e para portadores de disfunções crônicas. Pode trabalhar na elaboração de cardápios específicos para esportistas e também operar no planejamento de políticas públicas de nutrição.

Para os profissionais de nível técnico as melhores ofertas de trabalho estão nos hospitais, restaurantes, spa’s e indústrias alimentícias. Geralmente o profissional técnico auxilia o nutricionista em suas atividades.

As ofertas de trabalho se espalham pelas diversas regiões do país, principalmente nos centros industrializados, com maior concentração de pessoas. As regiões Sul e Sudeste concentram a maioria das ofertas de emprego, no entanto o Nordeste tem se especializado na hotelaria, que também emprega nutricionistas.

Fonte: www.ufpa.br/ufsc.br/www.metodista.br/www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal