Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Odontologia  Voltar

Odontologia

O que é a Odontologia

A Odontologia é a ciência de estudo, conhecimento e tratamento que abrange além da boca, a cabeça e o pescoço.

Principal foco em boca abrange os dentes, os lábios, a língua e todas as demais estruturas presentes nessa região, não adentrando no campo do otorrinolaringologista ou outras especialidades medicas.

Nos países europeus, a odontologia está incluída na Medicina.

Já nos Estados Unidos, a Odontologia é uma ciência independente e autônoma, como no Brasil.

A duração do curso varia de 4 a 6 anos na maioria das faculdades brasileiras.

A atuação do profissional compreende a clínica geral e/ou a especialização, atividades acadêmicas em faculdades ou cursos, pesquisas e perícias.

Na Odontologia, para ser um clínico, é importante gostar de trabalhos manuais, de trabalhar com pessoas e ter contato direto com pacientes. Vale lembrar, com exceção de algumas especialidades, geralmente o paciente procura o profissional porque está com algum problema, muitas vezes com dor. Apesar de hoje enfatizarmos a importância da PREVENÇÃO (o famosos "visite seu dentista regularmente"), ainda não é a maioria que tem esse hábito, pelo menos não espontaneamente.

Por outro lado, é gratificante poder ajudar o paciente e muitas vezes ajuda-lo a superar o medo que muitos têm do dentista (não só crianças, mas principalmente adultos com experiências prévias ruins). É uma profissão desgastante, mas, ao mesmo tempo, apaixonante.

Há vários perfis de profissionais. Existem os que se formam e se dedicam exclusivamente ao consultório; destes, há os que procuram se atualizar através de cursos e literatura específica, e há os que se limitam ao que aprenderam na faculdade (o que não é muito favorável); concursados, professores, pesquisadores e os que fazem um pouco de cada coisa.

Mas é necessário acompanhar constantemente a evolução da profissão, tanto de materiais como das técnicas. Os profissionais brasileiros são bem capacitados e criativos, além de realizar pesquisas (apesar dos recursos restritos) possuem uma boa qualificação.

Saúde Bucal

O dentista cuida da saúde e da estética bucal, estudando formas de tratamento e preservação de problemas dos dentes, da boca e dos ossos da face.

Ele é um profissional habilitado para tratar, corrigir, restaurar, extrair e implantar próteses dentárias, e cuidar dos problemas da boca, incluindo dentes, gengivas, bochechas, lábios e língua. Na área de estética bucal procura clarear e corrigir a aparência dos dentes. O trabalho desse profissional é fundamental para a manutenção da saúde e beleza dos nossos dentes.

Independente da especialização, também há opções fora de um consultório: magistério, administração de planos de saúde, planejamento de saúde oral no setor público, consultoria na indústria odontológica e na farmacêutica.

Muito mais do que um especialista, o dentista é hoje um profissional atento à saúde geral do paciente. Feridas na mucosa e mau hálito podem ser sinais de que outras partes do organismo não vão bem. Além disso, doenças importantes como a aids podem ser descobertas na cadeira de um dentista.

Montar o próprio consultório é uma opção que tem um alto custo, para compra de equipamentos. Mas dinheiro não basta. É preciso ter também boa noção do custo operacional de um consultório – formação que na maioria das vezes não se obtém nas faculdades. O desafio é conquistar os primeiros clientes. O estabelecimento de convênios com planos odontológicos pode ser uma saída. Muitos analistas apontam para a queda nos ganhos dos dentistas seguindo uma tendência da Medicina em função da diminuição dos honorários pagos pelos convênios, que ampliam a cobertura para a população, mas pagam menos aos profissionais.

O Dentista

O Dentista diagnostica e trata afecções da boca, dentes e região maxilofacial, utilizando processos clínicos ou cirúrgicos, no sentido de promover e recuperar a saúde bucal e geral das pessoas.

Pode atuar junto aos Médicos Oncologista e Neurologista. É a área da Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial.

Na área da Dentística Restauradora, orienta, faz a prevenção e o tratamento pra preservar e devolver aos dentes suas características anatômicas, funcionais e estéticas.

Realiza implantes de próteses para a reabilitação anatômica, facial e estética de maxilares, mandíbulas, ossos da face e dentes.

Na área da Odontologia Legal, realiza exames e perícias em pessoas vivas ou mortais, identifica cadáveres pela arcada dentária, elabora laudos técnicos e pareceres.

Faz o tratamento das doenças da gengiva (Periodontia).

Faz o diagnóstico das oclusões imperfeitas de arcada e disfunções neuromusculares, indicando e controlando o uso de aparelhos dentários (Ortodontia).

Faz a prevenção, diagnóstico e tratamento dos problemas da polpa e raiz dos dentes.(Endodontia).

Utiliza imagens (Radiologia) para diagnosticar problemas da boca, face e maxilares.

Principais Atividades

Os dentistas possuem várias atividades dentre as quais:

Informar os pacientes sobre a importância da prevenção da saúde bucal, obtida através de correta limpeza, equilíbrio na dieta alimentar, aplicação de flúor e freqüência das consultas dentárias;
Identificar e tratar as patologias da língua, bochechas, lábios e gengivas;
Tirar e examinar radiografias;
Explicar ao paciente o diagnóstico detalhado e a função do tratamento;
Preparar massas e outros produtos colocados nos dentes;
Remover partes deterioradas dos dentes e obturar cavidades;
Reparar ou extrair dentes danificados;
Fazer pequenas cirurgias;
Aplicar anestesias quando necessário;
Colocar pontes e outras próteses.

O Dentista ou Odontólogo

O Dentista ou Odontólogo é o profissional responsável pelo tratamento e diagnóstico dos problemas bucais. O dentista estuda dentes, gengivas, bochechas, lábios, língua e as diversas doenças que podem acontecer na arcada dentária.

Cabe a ele também extrair ( arrancar ) dentes, restaurar dentes, planejar, diagnosticar, ajudar a contruir e instalar aparelhos dentários, além de fazer limpeza profissional de dentes e gengiva, usando aparelhos específicos e substancias tais como fluor e bicarbonato de sódio.

Uma curiosidade do curso de odontologia que muita gente não sabe, é que além das suas atribuições tradicionais e bem conhecidas os dentistas também podem ajudar outros profissionais de saude identificando através do exame das bocas dos pacientes doenças do sistema digestivo e doenças tais como a AIDS que costumam abrir feridas características e deixar mau hálito.

O Curso

O curso de graduação em Odontologia colabora para a formação de cirurgiões-dentistas capazes de promover mudanças no processo saúde-doença, através de seus conhecimentos científicos, habilidades e atitudes relacionadas à consciência da sua responsabilidade profissional e social.

O Curso de Graduação em Odontologia destina-se à formação de odontólogos com competência para aplicar princípios científicos, técnicos e éticos, na solução de problemas de saúde bucal da população em geral, não se limitando à prática curativa, mas dedicando-se especialmente ao diagnóstico, à promoção e manutenção da saúde bucal, através de aplicação de medidas preventivas.

A parte básica do curso, durante os dois primeiros anos, oferece conteúdos como Anatomia Geral, Bioquímica, Citologia, Antropologia Social, Psicologia Aplicada, Genética e Evolução, Histologia e Embriologia, Parasitologia, Microbiologia Geral, Fisiologia Geral, Farmacologia, Materiais Dentários e outros.

A partir do terceiro ano, o aluno inicia a formação profissionalizante através de disciplinas como Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, Odontopediatria, Periodontia, Endodontia, Odontologia Preventiva, Ortodontia, Prótese entre várias outras.

O Profissional

O profissional da odontologia é o cirurgião-dentista, conhecido como odontólogo ou mais popularmente como dentista, é o profissional de saúde cuja área de ação é o sistema estomatognático.

Atua na prevenção de doenças dentárias e sistêmicas principalmente pela manifestação oral destas como câncer, leucemia, disfunções da articulação temporo-mandibular, entre outras.

Atua em diversas áreas da saúde, como por exemplo a estética (dentística) e reabilitação oral como a implantodontia.

Atualmente exerce suas atividades por especialidades como Prótese Dental( Fixa e Removível ), Endodontia ( Canal ), Periodontia ( gengivas ), Ortodontia(Aparelhos ) Implantodontia, Cirurgia Buco-Maxilo-Facial, Disfunção Temporo-Mandibular, Odontogeriatria (idosos), Dentística (restaurações), Prevenção e Odontopediatria (crianças).

A ciência que se refere propriamente a boca é a estomatologia. No Brasil a estomatologia é uma especialização da Odontologia.

Existem diversas outras especializações como:

Endodontia — canais
Saúde Coletiva — prevenção
Ortodontia — relações dento-maxilo-faciais
Ortopedia Facial
Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial — Traumas Faciais
Dentística
Periodontia
Prótese Buco-Maxilo-Facial
Implantodontia — Implantes
Disfunção Têmporo-Mandibulares e Dores Oro-Faciais — Más oclusões, Bruxismo
Estética
Oclusão
Odontopediatria — Tratamento de pacientes de 0 a 14 anos.
Odontogeriatria — Tratamento de pacientes idosos
Pacientes Especiais — Tratamento de pacientes portadores de necessidades especiais

Mercado de Trabalho

O Odontólogo poderá atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com ênfase na promoção da saúde, prevenção de agravos, reabilitação e manutenção da saúde bucal, promovendo a melhoria da qualidade de vida, por meio da assistência odontológica à população, em caráter individual e coletivo.

A Odontologia é um campo de trabalho que passa por um processo de reformulação nos últimos anos em virtude das exigências do mercado. O aumento do poder aquisitivo da população impulsionou a procura por serviços antes considerados inatingíveis. Pessoas de todas as classes sociais e econômicas buscam atualmente o auxílio dos cirurgiões-dentistas não só para cuidar da saúde bucal, mas também por questões estéticas. E com isso cresce o número de clínicas odontológicas especializadas nesses serviços. Áreas como Implantodontia, Estética, Ortodontia, Odontogeriatria, Odontopediatria, Estomatologia e Saúde Coletiva estão em franca expansão.

Carreira de Dentista: Aspectos Favoráveis

As melhores oportunidades para os dentistas hoje no Brasil, são as cidades pequenas e médias do interior, nelas há um bom espaço para se montar consultórios odontológicos e também bons empregos em hospitais e prefeituras.

Nas grandes cidades o mercado está saturado.

Carreira de Dentista: Aspectos Desfavoráveis

O ponto negativo da carreira é a competição, Odontologia é o curso que mais forma profissionais anualmente no Brasil.

Titulação: Cirurgião-dentista.

Regulamentação

Lei 5081 de 24/08/1966. Para exercer a profissão é obrigatório o registro no Conselho Regional de Odontologia (CRO).

Duração média do curso: 05 anos.

Odontologia - Profissão

A saúde passa pela boca, já dizia o dito popular. E, para se ter uma boca saudável, precisamos do profissional em odontologia, que é a ciência que estuda a prevenção e a cura dos males da boca, dos dentes e dos ossos faciais.

Problemas nos dentes podem acarretar diversos males como dores de cabeça, problemas respiratórios e digestivos. As cáries podem funcionar como portas de entrada para agentes bacteriológicos que causam problemas no coração e diversas outras infecções.

O dentista conhece todas essas particularidades da saúde bucal, da mastigação dos alimentos à articulação da mandíbula, passando pela estrutura dos dentes e gengivas.

Cabe a esse profissional a responsabilidade da saúde e da estética da boca das pessoas, para isso ele pode se habilitar em áreas específicas como a periodontia, que cuida das gengivas, ou a ortodontia, que trata do posicionamento dos dentes e da funcionalidade dos ossos faciais.

Além dessas atividades, o dentista pode desempenhar funções em outras diversas áreas, dentre elas: dentística restauradora, endodontia, implantodontia, odontopediatria, prótese, radiologia, traumatologia e cirurgia bucomaxilofacial.

A prática da clínica geral atende aos casos mais comuns como tratamento de cáries, restauração, implante de próteses e extração de dentes.

Em geral, os dentistas trabalham em consultórios particulares de clínica geral ou em clínicas multidisciplinares em associação com profissionais especializados. Para exercer a profissão é preciso, além do diploma universitário, de registro no Conselho Regional de Odontologia.

Tipos de Curso

a) Nível Superior

Bacharelado

Média de duração de 5 anos. A grade curricular básica do curso de Odontologia traz disciplinas da área de saúde como anatomia, patologia, ciências biológicas, histologia, microbiologia, fisiologia, imunologia e bioquímica. As matérias práticas que preparam o aluno para a profissão são de cirurgia, traumatologia, prótese, dentística, endodontia, traumatologia, implantodontia, ortodontia e odontopediatria. No segundo ano de curso o aluno já começa com aulas práticas em modelos, já no terceiro, essas aulas passam a ser ministradas com pacientes humanos, na clínica escola.

b) Nível Superior

Tecnológico

Não existem cursos tecnológicos de odontologia, mas os interessados em seguir a carreira podem optar pela prótese odontológica, veja a profissão de Protético.

c) Nível Médio

Curso Técnico

Existem cursos técnicos na área de prótese dentária, veja a profissão de Protético.

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho é bastante competitivo nas regiões Sul e Sudeste, principalmente pelo excesso de profissionais que se formam nas faculdades todos os anos. Por isso as maiores chances de emprego se encontram no interior e em estados como Norte, Nordeste e Centro Oeste.

Ainda que a competição seja grande, está em crescimento também o interesse das pessoas pela saúde bucal. Com o barateamento de alguns tratamentos, como os ortodônticos, mais pessoas procuram esses profissionais, melhorando o mercado de trabalho.

No entanto, o custo para montagem de um consultório próprio é muito alto e de retorno bastante demorado, logo é mais comum que o jovem formado procure emprego na rede pública ou como funcionário de clínicas especializadas ou escolas particulares.

Ofertas de Emprego

Os grandes centros industrializados da região Sul e Sudeste e as principais capitais do país estão super saturadas de dentistas, por isso o interior e os estados do Norte, Nordeste e Centro Oeste são as melhores promessas para o recém formado. O Estado é o maior empregador do dentista clínico geral. Já quem se especializou e pode montar um consultório próprio, ainda encontra clientes nas cidades mais ricas como São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba.

O dentista pode trabalhar no serviço público em postos de saúde, clínicas especializadas, escolas e em programas sociais de apoio à população mais carente.

Esse profissional também pode participar da elaboração de políticas públicas para a saúde bucal.

As empresas particulares que mais contratam são as escolas privadas e clínicas especializadas. Para dar aula nas universidades o dentista precisa ter o diploma de pós-graduação, que serve também para habilitar o profissional em áreas mais específicas da saúde bucal.

História da Odontologia no Brasil

A Odontologia aportou no Brasil, a partir da descoberta do Brasil por Pedro Álvares Cabral em 22 de abril de 1500. Naquela época o que existia eram as extrações dentárias. As técnicas eram quase primitivas, o instrumental impróprio e não havia nenhuma forma de higiene. Anestesia, nem pensar. A odontologia era praticada pelo barbeiro ou sangrador,desinformados. As técnicas de "curar de cirurgia, sangrar e tirar dentes" eram passadas sem qualquer teoria.

Com tantos riscos para os pacientes, o exercício da odontologia era evitado pelos médicos e cirurgiões da época, que temiam se responsabilizar pela presente possibilidade de morte por hemorragias e inevitáveis infecções.

A odontologia era vista como uma prática que tornava as mãos dos profissionais de medicina pesadas, diminuindo a destreza para intervenções consideradas delicadas.

Para exercer a odontologia da época os barbeiros ou Tiradentes necessitavam da licença especial conferida pelo "cirurgião-mor mestre Gil". Quem não possuía essa licença poderia ser preso e multado. A reforma do regimento em 12 de dezembro de 1631 determinava a multa de dois mil réis às pessoas que "tirassem dentes" sem licença. Os oficios de Tiradentes e sangrador eram acumulados pelos barbeiros. O sangrador também podia tirar dentes, pois nos exames de habilitação tinham de provar que durante dois anos "sangraram" e fizeram as demais atividades de barbeiro.

Em 1728, na França, o livro Le Chirugien Dentiste au Traité des Dents, de Piérre Fauchard, revolucionou a odontologia, ao trazer novos conhecimentos, criando técnicas e aparelhos. Por isso, Fauchard é chamado sendo juntamente de "o pai de Odontologia Moderna".

Com o início do ciclo do ouro no Estado de Minas Gerais, a Casa Real Portuguesa nomeia o primeiro cirurgião-mór deste Estado, regulamentando os práticos da arte dentária. A Lei 17 de junho de 1782 cria a Real Junta de Proto-Medicato, formada por sete deputados, médicos ou cirurgiões, para um período de três anos. A essa junta caberia a estes o exame e a expedição de cartas e licenciamento das pessoas que tirassem dentes.

Nas últimas décadas deste século, Joaquim José da Silva Xavier praticou a Odontologia que aprendera com seu padrinho, Sebastião Ferreira Leitão.

Seu confessor, Frei Raymundo de Pennaforte disse sobre ele: "Tirava com efeito dentes com a mais sutil ligeireza e ornava a boca de novos dentes, feitos por ele mesmo, que pareciam naturais".

Nessa época os dentes eram extraídos com alavancas rudimentares, e o pelicano. Não havia tratamento de canais e as obturações eram de chumbo, sobre tecido cariado e polpas afetadas. As conseqüências eram desastrosas. A prótese era bem simples, esculpindo dentes em osso ou marfim, que eram amarrados com fios aos dentes que haviam sobrado.

Dentaduras eram esculpidas em marfim ou osso. Dentes humanos e de animais eram utilizados e retidos na boca por molas, sistemas também usados na Europa. Os barbeiros e sangradores aprendiam o ofício com um mais experiente e tinham que provar uma prática de dois anos, depois de pagar a taxa.

Em 23 de maio de 1800, foi criado o "plano de exames", um aperfeiçoamento das formalidades e dos exames. Nesse ano é encontrado pela primeira vez em documentos do Reino, o vocábulo "dentista". Porém, o termo foi criado pelo cirurgião francês Guy Chauliac e apareceu pela primeira vez em seu livro "Chirurgia Magna" publicado em 1363.

Em março de 1808, fugindo das forças francesas, o príncipe regente D. João VI, sua corte, totalizando cerca de 15 mil pessoas chegaram a Salvador, tornando-se o Brasil por esta contigência sede do reino.

No hospital de São José, na Bahia, foi criada a Escola de Cirurgia.

Os ditados populares da época: "ou casa, ou dente" - ou "ou dente, ou queixo, ou língua, ou beiço" indicavam que devido ao pouco conhecimento e inabilidade dos "tira-dentes" ocorria freqüentemente traumatismos nestas regiões.

Para moralizar esta atividade ante as inúmeras queixas contra os profissionais, o cirurgião-mór determinava em suas "cartas", que o barbeiro poderia exercer a sua arte com restrições, "não sangrando sem ordem de médico ou cirurgião aprovado e não tirando dentes sem ser examinado".

Antes do final de 1808, D. João VI transfere-se de Salvador para o Rio de Janeiro. Em 07 de outubro de 1809 é abolida a Real Junta do Proto-Medicato. Todas as responsabilidades ficaram ao encargo do físico-mór do Reino era Manoel Vieira da Silva, encarregado do controle do exercício de Medicina e Farmácia e o cirurgião-mór dos exércitos, José Correa Picanço tinha poderes análogos em relação à cirurgia, controlando o exercício das funções realizadas pelos sangradores, dentistas, parteiras e algebristas.

Nesta época o mestre Domingos, "barbeiro" popular no bairro da Saúde, Rio de Janeiro, se tornou famoso. O negro exercia sua atividade também na casa de clientes. Sob o braço levava uma esteira de taboa, que servia de cadeira e uma enferrujada chave de Garangeot. Dado a manobras intempestivas, algumas vezes extraía também o dente vizinho, mas cobrava apenas um.

Às crianças, sugeriu que o dente extraído fosse jogado no telhado, dizendo antes e por três vezes: "Mourão, toma teu dente podre e dá cá o meu são".

Em 1820, o cirurgião mór concedeu ao francês Doutor Eugênio Frederico Guertin a "carta" para exercer sua profissão no Rio de Janeiro. Era diplomado pela Faculdade de Odontologia de Paris e aqui atingiu elevado conceito, atendendo a maior parte da nobreza, inclusive D. Pedro II e familiares. Publicou em 1819, 'Avisos Tendentes à Conservação dos Dentes e sua Substituição', a primeira obra de odontologia feita no Brasil.

Outros dentistas franceses vieram a seguir trazendo o que havia de melhor na Odontologia mundial.

As dentaduras eram constituídas de duas fileiras de dentes, esculpidas em marfim ou adaptadas em base metálica, e as arcadas ligadas por molas elásticas. Em 01 de junho de 1824, Gregório Raphael Silva, do Rio de Janeiro, recebeu a primeira "carta de dentista" após a Independência do Brasil.

No dia 30 de agosto de 1828, D Pedro I (1798-1834) suprime o cargo de cirurgião-mór, cujas funções passaram a ser exercidas pelas Câmaras Municipais e Justiças Ordinárias. Mais ou menos nesta época, graças ao francês Jean-Baptiste Debret (1768-1848) que viveu no Brasil de 1816 a 1831, reproduzindo em gravura a vida brasileira durante o Primeiro Império.

Há uma única obra iconográfica do século passado relacionada a atividade de profissionais que exercita a Odontologia.

Denomina-se "Boutiques de Barbieri" e retrata dizeres: "barbeiro, cabellereiro, sangrador, dentista e deitão bichas".

Em 1839, é criada por Chaplin A. Harris, em Baltimore, Estados Unidos, a primeira Escola de Odontologia do mundo: Colégio de Cirurgia Dentária.

Um dentista português, Luiz Antunes de Carvalho, obteve notoriedade e riqueza, sendo um dos pioneiros na cirurgia buco-maxilar no Brasil. Em 18 de janeiro de 1832 havia obtido em Buenos Aires o direito de exercer a profissão. Mudou-se para o Rio de Janeiro em 1836, sendo o primeiro dentista a registrar sua "carta" na secretaria da Câmara Municipal. Ficou famoso na Argentina pela propaganda em forma de versos e depois em prosa. Já se fazia marketing.

No Brasil foi mais comedido, mas demonstrando sempre ser profissional conhecedor e atualizado, publicou no Almanak Administrativo Mercantil e Comercial: "Luiz Antunes de Carvalho enxerta outros dentes nas raízes dos podres, firma dentes e dentaduras inteiras, firma quexos, céus da boca, narizes artificiais e cura moléstias da boca, rua Larga de São Joaquim,125".

Foi aprovado também na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e o primeiro a se registrar na Junta de Higiene, criada em 1850, em substituição à fiscalização exercida pela Câmara Municipal. A partir de 1840 começaram chegar dentistas dos Estados Unidos e pouco a pouco suplantam os colegas franceses.

Luiz Burdell foi o pioneiro, seguindo-se Clintin Van Tuyl, o primeiro a utilizar clorofórmio(só em casos excepcionais) para anestesia, conforme cita em seu livro: "Guia dos Dentes Sãos publicado em 1849.

O Doutor Whittemore, que tornou-se mais tarde o dentista da Corte Imperial, propalava em 1850 ter recebido "uma porção de clorofómio puro para tirar dentes sem dor". Nenrique C. Bosworth também se destacou.

Em 1850, pelodecreto lei 598 é criada a Junta de Higiene Pública, que possibilitou a Medicina uma enorme evolução, principalmente pelas medidas saneadoras.

Os três primeiros dentistas que se registraram: Luiz Antunes Carvalho (1852), Emilio Salvador Ascagne (1859) e Theotônio Borges Diniz (1860). Mentes mais lúcidas procuravam a melhoria do ensino e normas um pouco mais criteriosas e moralizadoras àqueles que desejassem praticar o Medicina e Odontologia.

Através do decreto de 15 de agosto de 1851, os novos estatutos da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro foram aprovados em 28 de abril de 1854, por proposta de seu diretor, Doutor José Martins de Cruz Jobim. A nomeação contribuiu para o desenvolvimento da profissão, principalmente no Rio de Janeiro e São Paulo.

Em setembro de 1869, graças a João Borges Diniz, surge a primeira revista odontológica: "Arte Dentária".

Mais dentistas chegam dos Estados Unidos, alguns fugindo da Guerra da Secessão (1861-1865): Samuel I. Rambo, Carlos Koth, Witt Clinton Green, Preston A.Rambo, Jonh William Coachman, William B. Keys, Carlos Keys, etc.. Estes três últimos pertencentes à mesma família, constituindo-se até hoje no maior contigente de cirurgiões-dentistas no Brasil (cerca de 120 profissionais de uma só árvore genealógica).

Com os Estados Unidos liderando a evolução técnica e científica mundial, era compreensível que muitos brasileiros para lá se dirigissem afim de se aperfeiçoar. O primeiro foi Carlos Alonso Hastings, natural do Rio Grande, que estudou no Philadélfia Dental College, radicou-se no Rio de Janeiro e modificou o motor Weber-Ferry, que ficou conhecido como motor de Hastings. A seguir viajaram Fio Alves, Também do Rio Grande, os irmãos Gastal, de Pelotas, Francisco Pereira, Alberto Lopes de Oliveira (Universidade de Maryland) e outros.

O decreto nº 8024 de 12 de março de 1881, art. 94 do Regulamento para os exames das Faculdades de Medicina diz: "Os cirurgiões-dentistas que quisserem se habilitar para o exercício de sua profissão passarão por duas séries de exames: - O primeiro de anatomia, histologia e higiene, em suas aplicações à arte dentária. O outro de operações e próteses dentárias.

Ante os fatos narrados, faltava apenas um líder e visionários para instituir o ensino da Odontologia no Brasil. Vem na pessoa de Vicente Cândido Sabóoia (1835- ), mais tarde Visconde de Sabóia que, assumindo a direção da Faculdade de Medicina em 23 de fevereiro de 1880, resolveu inicialmente atualizar o ensino, tanto material como cientificamente. Logo a seguir cria o laboratório de cirurgia dentária, encomendando aparelhos e instrumentos dos Estados Unidos. Com crédito especial obtido na lei 3141 de 30 de outubro de 1882, monta também o laboratório de prótese dentária.

Pelos decretos 8850 e 8851 de 13 de janeiro de 1883, o cirurgião-dentista Thomas Gomes dos Santos Filho presta provas em concurso realizado em 22 de maio de 1883 e é aprovado em primeiro lugar como preparador. De personalidade marcante, a odontologia nacional muito deve a ele, principalmente por ter descoberto a fórmula de vulcanite e em seguida produzi-la. Conseguiu dessa forma suprir a falta de material e combater os preços abusivos.

Graças ao empenho de Vicente C. F. de Sabóia e Thomas Gomes dos Santos Filho, houve um novo texto nos Estatutos das Faculdades de Medicina do Império, denominada Reforma Sabóias, apresentado dia 25 de outubro de 1884 através do Decreto nº 9311 com seguinte enunciado: "Dá novos Estatutos às Faculdades de Medicina".

Usando da autorização concedida pelo art. 2º, Paragrafo 7º, da lei 3141 de 30 de outubro de 1882: Hei por bem que nas Faculdades de Medicina do Império se observem os novos estatutos que com este baixam, assinados por Filippe Franco de Sá; do Meu Conselho, Senador do Império que assim o tenha entendido e faça executar. Palácio do Rio de Janeiro, em 25 de outubro de 1884, 63º da Independência e do Império. Com a rubrica de sua Majestade o Imperador Filippe Franco de Sá.

Pela primeira vez, no art. 1º, vinha consignado que a odontologia formaria um curso anexo.

Assim:

Art. 1º - Cada uma das Faculdades de Medicina do Império se designará pelo nome da cidade em que tiver assento; seja regida por um diretor e pela Congregação dos Lentes, e as comporá de um curso de ciências médicas e cirúrgicas e de três cursos anexos: o de Farmácia, o de Obstetrícia e Ginacologia e o de Odontologia. N.B.-

a) Havia apenas as Faculdades de Medicina do Rio de Janeiro e de Salvador.

b) Compreende-se porque a primeira Escola de Odontologia de São Paulo , criada em 07 de dezembro de 1900, denominou-se nos primeiros anos , Escola de Farmácia, Odontologia e Obstetrícia de São Paulo.

No capítulo II, a Sessão IV tem o título: "Do curso de Odontologia" - Art. 9º.

Das matérias deste curso Haverá três séries:

1ª série - Física, química mineral, anatomia descritiva e topografia da cabeça.

2ª série - Histologia dentária, fisiologia dentária, patologia dentária e higiene da boca.

3ª série - Terapêutica dentária, cirurgia e prótese dentárias.

Os três primeiros mestres no Rio de Janeiro foram: Thomas Gomes dos Santos Filho ( ), Aristides Benício de Sá (1854-1910) e Antônio Gonçalves Pereira da Silva (1851-1916) que prestaram relevantes serviços à Odontologia.

Fonte: www.aonp.org.br/www.scielosp.org/www.cdof.com.br/www.cursocerto.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal