Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  arrumando o guarda-roupas página 2  Voltar

Arrumando o Guarda-Roupas

Como arrumar o closet

Arrumar um guarda-roupa, ou um closet, não é tão simples quanto parece. Ordená-lo de forma inteligente pode poupar atrasos e muita frustração na hora de procurar “aquela roupa” e não encontrar. A personal stylist Flávia Jordão tem um armário cheio de dicas para seus clientes e ela compartilha conosco algumas delas.

Pode ser uma boa idéia armazenar as peças primeiramente por modelos e depois por cores. Por exemplo: todas as camisetas regatas de malha na cor branca depois pastel ou, ainda, todas as calças jeans com lavagem azul, depois preta e assim por diante. Os vestidos e/ou trajes de festa podem ocupar um espaço menos acessível no armário, pois sabemos que não são usados com freqüência. No entanto, é bom agrupá-los por cores ou tonalidades semelhantes para facilitar na hora da escolha.

As roupas do dia-a-dia precisam estar visualmente acessíveis para que se possa fazer uma escolha adequada de combinação de peças. As roupas e acessórios de banho podem ser guardados numa gaveta ou caixa específica como também as roupas de ginástica.

Fonte: www2.uol.com.br

Arrumando o Guarda-Roupas

Para deixar a rotina mais organizada

A papelada, a casa, os armários estão numa verdadeira bagunça e você também se sente um tanto desarrumado por dentro. É isso mesmo: a organização externa muitas vezes revela a ordem interna.Avaliar, distinguir, classificar e arranjar as coisas e as emoções de maneira pessoal são métodos que a gente descobre desde a infância ­ e continua a aprender pela vida afora. Então, vamos começar a arrumação geral.

O equilibrista gira ao mesmo tempo vários pratos sobre varetas, e nenhum espatifa no chão. Essa imagem poderia muito bem ilustrar a vida moderna. Você trabalha, estuda, cuida dos filhos, arruma a casa e ainda quer namorar e se divertir porque ninguém é de ferro. Às vezes, há atividades demais para dar conta. Mas repare: existem os que conseguem lidar com mil variáveis, enquanto outros se atrapalham no caminho. A diferença pode estar nesta palavra mágica: organização.

“Ocorre que os espaços interno e o espaço do indivíduo muitas vezes não se separam”, diz a psicóloga Carmen Lúcia Albuquerque de Santana. Por isso, quando a pessoa não se encontra bem consigo, tende a se perder também do lado de fora. Mas, por favor, sem exageros: nem sempre deixar coisas fora do lugar indica algo errado acontecendo, pois cada um se organiza de um jeito próprio. Tanto que, vira e mexe, ouve-se a seguinte frase: “Eu me encontro em minha bagunça”. O que é realmente possível.

Hora de mudar

O alerta vem quando alguém não acha nada do que procura e freqüentemente se esquece das tarefas. Isso significa não saber onde guardou o termo de garantia da TV que pifou, perder a consulta com o especialista agendada há um tempão, não se lembrar de pagar a conta do telefone. Epa! Se esse é o caso, então talvez seja hora de refletir um pouquinho, organizar a vida e se abrir para uma nova maneira de ser.

Um bom começo pode ser se dedicar a pequenas atitudes, como arrumar as roupas do armário, as gavetas, atualizar os telefones da agenda. Afinal, a gente interfere no espaço tanto quanto o espaço interfere na gente. E essa relação não é racional ­ ela passa pelas sensações. “Parece pouco, mas isso tranqüiliza e ajuda a organizar as coisas de fora para dentro porque nos reconhecemos no que está à volta”, diz a psicóloga Audrey Fetton Lopes de Souza. É que dar uma nova ordem ao contexto externo acaba mexendo em nossa lógica interna. A arrumação interna funciona assim: você se responsabiliza por determinada tare fa, pensa aonde quer chegar, como vai obter o resultado esperado e se entrega à atividade. De repente, vem um clique, uma percepção de que ficou bom. “Como em qualquer criação, é o sinal de que um processo se concluiu”, comenta Carmen, para quem esse jeito de fazer as coisas atende a uma necessidade interna.

Às vezes nem é preciso pôr a mão na massa. Só o fato de buscar a ajuda de um profissional especializado para se organizar é benéfico, pois revela a intenção de mudança. “Trabalho para gente que adoraria fazer as coisas, mas não tem tempo”, diz Heloisa Lúcia Sundfeld, da Help Home Assistant, especializada na organização da casa.

Seja como for, ao se apropriar das situações, pode-se pouco a pouco desenhar uma rotina mais saudável, com menos ansiedade. Acredite: organizar-se é uma forma de encontrar tempo livre para curtir o lado bom da vida. Mas cuidado para não se tornar inflexível e radicalizar. Exemplo? O mundo não acaba se você dormir sem lavar um copo que ficou na pia. “Organizar-se deve ser prazeroso, e não chato”, resume Carmen.

O que dizem os orientais

Organização é um dos pilares do milenar feng shui. A técnica chinesa de harmonização de ambientes busca sintonizá-los com as forças da natureza, privilegiando o fluxo da energia vital (ch’i) em detrimento da nociva (sha). “Isso ajuda a criar emoções benéficas em quem usa o local”, explica Roberto B. O. Goldkorn, autor do livro Feng Shui para Brasileiros (ed. Campus). Manter os espaços limpos, arejados e iluminados é essencial. “Uma casa desarrumada sempre será sinônimo de negatividade. Mas uma casa aparentemente arrumada nem sempre traz o que é positivo”, analisa. É que, segundo Goldkorn, além da ordem visível é preciso buscar a ordem arquetípica dos espaços. Ela é obtida levando em conta a distribuição do mobiliário, o emprego das cores, a localização e os detalhes arquitetônicos, entre outros fatores. Para o consultor, uma coisa é certa: livrar-se de objetos velhos e sem função ajuda a combater a estagnação da energia.

Trabalhar sem atropelos

“Quem se organiza poupa tempo. O que é importante na vida profissional de hoje”, considera a psicóloga Ana Paula Dias, do Grupo Catho, especializado em consultoria de RH. Ela dá dicas para ter um dia-a-dia melhor durante a labuta.

Eleja a prioridade. Embora possa haver uma pilha de coisas para dar conta e tudo pareça igualmente urgente, sempre existe o que é mais importante. Estabelecer o que vem primeiro e o que pode ficar para depois ajuda.

Mantenha o foco. Antes de se dedicar a outra tarefa, procure centrar-se na que está desenvolvendo até concluí-la. Caso contrário, você poderá encerrar o dia sem terminar nenhuma delas.

Determine prazos. Calcular o período necessário para uma determinada atividade auxilia a gestão do tempo. Essa noção funcionará como parâmetro para você verificar, durante a execução, se está obedecendo ao que pré-fixou.

Deixe a mesa livre. É bom evitar excesso de papéis, o que tende a fazer você se perder. Muitos objetos também não ajudam, pois podem desviar sua atenção.

Prepare-se para o dia seguinte. Se for preciso, escreva lembretes elencando as pendências que ficaram para o dia seguinte.

Em casa, a arte dos bons hábitos

Veja os truques da consultora Heloisa Lúcia Sundfeld para deixar seu território em ordem.

Instituir um lugar certo para cada coisa ainda é o melhor remédio. Assim, fica fácil localizar tudo o que você e sua família precisam.

Sabe aquela gaveta da bagunça... Ela pode ser uma saída para deixar itens que, na hora, não se pode guardar no devido local. Ao menos, você saberá onde estão. Quando tiver tempo, limpe-a.

Arquive as contas pagas em uma única pasta, separando-as por categoria com clipes. O mesmo vale para notas fiscais, termos de garantia e manuais. Faça revisões periódicas. Uma pasta do tipo follow-up, que tem divisões com os dias do mês, pode ser usada para organizar pagamentos e evitar atrasos. Se preferir, deixe as contas no débito automático.

Faça um menu para a semana. Ele vai nortear o que precisa ser comprado. Antes, verifique quais ingredientes há na despensa e na geladeira e suas datas de validade.

Na cozinha, as panelas devem ficar próximas do fogão e ter acesso fácil. Também procure lavar a louça assim que for usada. É mais rápido e evita o acúmulo na pia.

Ao arrumar o guarda-roupa, separe peças que não usa há tempos e doe. Você ajuda quem precisa e ganha espaço.

Roupa espalhada no quarto, nem pensar. Ao chegar em casa, procure pendurar em um cabideiro as peças a serem repassadas e guardadas. As que devem ser lavadas vão para o cesto no banheiro.

Escolha na noite anterior a roupa que irá usar no dia seguinte e separe livros, papéis e documentos que irá precisar. Com isso você dorme tranqüilo, pode ficar uns minutos a mais na cama e evita o estresse pela manhã.

Fonte: bonsfluidos.abril.com.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal