Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Osteoclasto  Voltar

Osteoclasto

TECIDO ÓSSEO

O tecido ósseo possui um alto grau de rigidez e resistência à pressão. Por isso, suas principais funções estão relacionadas à proteção e à sustentação. Também funciona como alavanca e apoio para os músculos, aumentando a coordenação e a força do movimento proporcionado pela contração do tecido muscular. Os ossos ainda são grandes armazenadores de substâncias, sobretudo de íons de cálcio e fosfato. Com o envelhecimento, tecido adiposo também vai se acumulando dentro dos ossos longos, substituindo a medula óssea vermelha que ali existia previamente. A extrema rigidez do tecido ósseo é resultado da interação entre o componente orgânico e o componente mineral da matriz. A nutrição das células que se localizam dentro é feita por canais.

No tecido ósseo, destacam-se estes tipos celulares típicos :

Osteócitos: os osteócitos estão localizados em cavidades ou lacunas dentro da matriz óssea. Desta lacuna formam-se canalículos que se dirigem para outras lacunas, tornando assim a difusão de nutrientes possível graças à comunicação entre os osteócitos. Os osteócitos têm um papel fundamental na manutenção da integridade da matriz óssea.

Osteoblastos: os osteoblastos sintetizam a parte orgânica da matriz óssea, composta por colágeno tipo I, glicoproteínas e proteoglicanas. Também concentram fosfato de cálcio, participando da mineralização da matriz. Durante a alta atividade sintética, os osteoblastos destacam-se por apresentar muita basofilia. Possuem sistema de comunicação intercelular ao existente entre os osteócitos. Os osteócitos inclusive origina-se os osteoblastos, quando estes são matriz óssea, composta por colágeno tipo I, glicoproteínas, proteoglicanas.

Osteoclastos: os osteoclastos participam dos processos de absorção e remodelação do tecido ósseo. São células gigantes e multinucleadas, extensamente ramificadas, derivadas da fusão de monócitos que atravessam os capilares sangüíneos. Nos osteoclastos jovens, o citoplasma apresenta uma leve basofilia que vai progressivamente diminuindo com o amadurecimento da célula, até que o citoplasma finalmente se torna acidófilo. Dilatação dos osteoclastos, através da sua ação enzimática, escavam a matriz óssea, formando depressões conhecidas como lacunas de Howship.

Matriz Óssea: a matriz óssea é composta por uma parte orgânica ( já mencionada anteriormente ) e uma parte inorgânica cuja composição é dada basicamente por íons de fosfato e cálcio formando cristas de hidroxiapatita. A matriz orgânica, quando o osso se apresenta descalcificado, cora-se com os corantes específicos do colágeno ( pois ela é composta por 95% de colágeno tipo I )

Os osteócitos ocupam cavidades na matriz óssea, as laculas, e se ligam por seus prolongamentos

Os osteócitos são as células encontradas no interior da matriz óssea, ocupando as lacunas das quais partem canalículos. Cada lacuna contém apenas um osteócito. Dentro dos canalículos os prolongamentos de osteócitos vizinhos estabelecem contatos através de junções comunicantes que permitem o fluxo intercelular de íons e pequenas moléculas, como hormônios que controlam o crescimento e desenvolvimento dos ossos. O pequeno espaço entre os prolongamentos e as paredes dos canalículos estabelece vias de transporte de nutrientes e metabólicos entre os vasos sangüíneos e os osteócitos situados na profundidade de tecido ósseo. Os osteócitos são células achatadas, com forma de amêndoa, que exibem pequena quantidade de retículo endoplasmático granular, aparelho de Golgi pequeno e núcleo com cromatina condensada. Embora estas características ultra-estruturais indiquem pequena atividadesintética, os osteócitos são essenciais para a manutenção da matriz óssea. Sua morte é seguida por reabsorção da matriz.

Os osteoblastos produzem colágeno tipo I proteoglicanas e gliciproteinas

São as células que sintetizam a parte orgânica (colágeno tipo I, proteoglicanas e glicoproteínas) da matriz óssea. São capazes de concentrar fosfato de cálcio, participando da mineralização da matriz. Dispõem-se sempre nas superfícies ósseas, lado a lado, num arranjo que lembra um epitélio simples. Quando em intensa atividade sintética, são cubóides, com citoplasma muito basófilo; porém, em estado pouco ativo, tornan-se achatados e a basofilia citoplasmática diminui.

Possuem prolongamentos citoplasmáticos que se prendem aos dos osteoblastos vizinhos. Esses prolongamentos se tornam mais evidentes quando um osteoblasto é envolvido pela matriz, pois são responsáveis pela formação dos canalículos que se irradiam das lacunas. Uma vez aprisionado pela matriz recém-sintetizada, o osteoblasto passa a ser chamado de osteócito. A matriz se deposita ao redor do corpo da célula e de seus prolongamentos, formando assim as lacunas e os canalículos. Os osteoblastos em fase de síntese mostram as características ultra-estruturais das células produtoras de proteínas. A matriz óssea, recém formada, adjacente aos osteoblastos ativos, e que não está ainda calcificada, recebe o nome de osteóide.

Os osteoclastos são formados pela fusão de monócitos, sua função é destruir o tecido ósseo

Os osteoclastos são células móveis, gigantes, extensamente ramificadas, com partes dilatadas que contêm 06 a 50 ou mais núcleos. As ramificações são muito irregulares, com forma e espessura variáveis. Os osteoclastos, por inteiro ou através de algumas de suas partes, muitas vezes aparecem elevados e separados da matriz, podendo se colocar sobre os osteoblastos e sobre outros osteoclastos. Como os cortes histológicos revelam apenas pequenas porções dos osteoclastos, a morfologia destas células só recentemente foi esclarecida, através do microscópio eletrônico de varredura.

Freqüentemente, nas áreas de reabsorção de tecido ósseo encontram-se porções dilatadas dos osteoclastos, colocadas em depressões da matriz escavadas pela ação enzimática e conhecidas como lacunas de Howship. Freqüentemente observa-se que um mesmo osteoclasto mostra porções ativas na absorção óssea e porções quiescentes.

Os osteoclastos derivam dos monócitos do sangue circulante. Após atravessar a parede dos capilares do osso, os monócitos fundem-se para formar osteoclastos. Os osteoclastos têm citoplasma granuloso, algumas vezes com vacúolos, fracamente basófilo nos osteoclastos jovens e acidófilo nos maduros. As micrografias eletrônicas mostram que a superfície ativa dos osteoclastos em contato com a matriz óssea apresenta prolongamentos vilosos irregulares.

A maioria desses prolongamentos tem a forma de folhas ou pregas que se subdividem. Os osteoclastos secretam ácido (H+), colagenase e outras enzimas que atacam a matriz e liberam Ca++. Os osteoclastos também participam da eliminação dos restos de tecido ósseo que se formam durante a reabsorção do osso.

Fonte: Universidade São Francisco

Osteoclasto

Osteoclasto

Significado

Os osteoclastos participam dos processos de absorção e remodelação do tecido ósseo. São células gigantes e multinucleadas, extensamente ramificadas, derivadas de monócitos que atravessam os capilares sangüíneos.

Nos osteoclastos jovens, o citoplasma apresenta uma leve basofilia que vai progressivamente diminuindo com o amadurecimento da célula, até que o citoplasma finalmente se torna acidófilo (com afinidade por corantes ácidos). Dilatações dos osteoclastos, através da sua ação enzimática, escavam a matriz óssea, formando depressões conhecidas como lacunas de Howship.

Os Osteoclastos são células originárias do tecido hematopoiético, sendo derivadas de colônias de células formadoras de macrófagos.

Sua função básica é a de reabsorção óssea. É o Osteoclasto uma célula que apresenta uma borda irregular que aumenta a sua superfície de contato, aderindo-se assim à área em que será realizada a reabsorção óssea.

O que é

Os Osteoclasto são células móveis, gigantes, ramificadas, com partes dilatas que contém seis a 50 ou mais núcleos.

Possuem citoplasma granuloso, algumas vezes com vacúolos, fracamente basófilo quando jovens e acidófilo nos maduros.

A superfície ativa dos osteoclastos, voltada para a matriz óssea, apresenta prolongamentos vilosos irregulares, circundado pela zona clara ( pobre em organelas e rica em actina), que é o local de adesão do osteoclasto com a matriz óssea, onde tem lugar a reabsorção óssea.

Secretam ácido, colagenase e outras hidrolases que digerem a matriz orgânica, dissolvendo os cristais de sais de cálcio.

A atividade do osteoclasto é coordenada por citocinas e por hormônios como a calcitonina e o paratormônio.

Definição

O Osteoclasto é a célula do tecido ósseo responsável pela remodelação e absorção.

O que significa osteoclasto?

Célula cuja função é a reabsorção da matriz óssea, além da regeneração e da remodelação do tecido ósseo.

Etimologia

Do grego antigo, osteon ("osso") + klastos ("quebrado").

Fonte: www.tripod.com

Descrição

Osteoclastos é um tipo de célula óssea, que remove o tecido ósseo, eliminando a sua matriz mineralizada e quebrando o osso orgânico. Este processo é conhecido como reabsorção óssea. Um dos osteoclastos é uma grande célula que contém 15-20 pròxima embaladas núcleos ovais. Eles são encontrados em covas na superfície do osso que são chamados Howships lacunas. Osteoclastos são caracterizados por um citoplasma com homogênea, aspecto "espumoso".

Esta aparência é devido a uma elevada concentração de vesículas e vacúolos. Em um local de reabsorção óssea ativa, o osteoclasto forma uma membrana de células especializadas, a fronteira com babados que toca a superfície do tecido ósseo. A fronteira de babados, o que facilita a remoção da matriz óssea, é uma característica morfológica de um dos osteoclastos que está ativamente reabsorção óssea. Os babados fronteira aumenta interface superfície de reabsorção óssea.

Osteoclasto

A morfogênese e a remodelação óssea são processos fisiologicamente controlados que envolvem a síntese de matriz óssea pelos osteoblastos e reabsorção óssea pelos osteoclastos. Os osteoclastos são células multinucleadas (células móveis) que têm origem comum com a linhagem de células sangüíneas e, em princípio, a hematopoiese e a osteoclastogênese podem estar sob as mesmas influências de substâncias moduladoras chamadas citocinas, as interleucinas (IL-1 e 11) e outros fatores. A descoberta do sistema de RANK/RANKL, membros da superfamilia de moléculas do TNF (Fator de Necrose Tumoral), revelou sua importância na regulação da diferenciação do osteoclasto e em sua ativação.

Os osteoclastos promovem erosão óssea, pelo que formam uma cavidade, ao longo de duas a três semanas, conhecida no osso trabécular como “lacuna de Howship“, reabsorvendo um volume de osso aparentemente determinado geneticamente. Tendo completado esta tarefa, desaparecem, sendo seu destino incerto.

Os mecanismos de recrutamento, diferenciação e ativação dos osteoclastos não são totalmente conhecidos.Novas descobertas têm contribuído para uma melhor compreensão destes mecanismos e de sua sequencia de eventos. A osteoprotegerina (OPG) , uma proteína homologa aos membros da superfamília de receptores do TNF, que atua como um inibidor solúvel da maturaçnao e ativação dos osteoclastos. A ativação da OPG pode ser influenciada pela vitamina D3, os íons Ca2+, e Fator ß de Transformação do Crescimento (TGFß); e inibida pelas prostaglandinas E2 (PGE2) e os glicocorticoides.

Recentemente, descobriu-se um ligante para o OPG (OPGL – oseoprotegerin-ligand). O complexo OPGL ativa os osteoclastos e estimula a osteoclastogenese.

O receptor para o OPGL é o RANK (membro da superfamília de receptores TNF-R), que é expresso nos progenitores hematopoiéticos. Assim a ligação do complexo OPGL com o receptor RANK ativa a osteoclastogenese e promove a ativação dos osteoclastos maturos.

Referência:

Yasuda H, Shima N, Nakagawa N et al – Osteoclast differentiation factor is a ligand for osteoprotegerin/osteoclastogenesis-inhibitory factor and is identical to TRANCE/RANKL. Proc Natl Acad Sci USA, 95:3597, 1998.

Fonte: www.medicinageriatrica.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal