Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Palau  Voltar

Palau

 

O PARAÍSO DA MICRONÉSIA

Se alguma coisa diferencia Palau do resto dos países da Micronésia, são suas belas paisagens submarinas. Basta realizar um passeio de bote ou em avião pequeno pelas Rock Island, para descobrir um paraíso nunca antes imaginado.

Palau é em uma palavra, o Edém do Pacífico.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Precisa-se de passaporte vigente, passagem de ida e volta e preencher um formulário de entrada. Se a duração da estadia vai ser superior aos 30 dias, deverá solicitar uma extensão de permanência. Todas as pessoas devem preencher uma declaração da alfândega. Se a quantidade à introduzir excede os 10.000 dólares tem que declarar, para evitar problemas.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Imprescindível capa de chuva, roupas leves de algodão, sandálias, óculos de sol e protetor solar.

IDIOMA

O idioma oficial é o inglês. Também fala-se diversos dialetos.

RELIGIÃO

A maioria da população é cristã: católicos 40%, protestantes 25%. O resto professa crenças tradicionais.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 110/120 volts a 60 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o dólar norte-americano (USD). 1 USD é igual a 100 centavos. moedas de 1 centavo (pennies), 5 (nickel), 10 (dime) e 25 (quarter) centavos. Notas de 1, 5, 10, 20, 50 e 100 dólares. Trocas podem serem feitas no Banco do Hawai ou no banco de Guam, os quais encontram-se em Koror.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

Não precisa nenhuma certidão de vacinas para entrar em Palau. O número telefônico de emergência é o 911. A ligação é gratuita. Em casos de urgências médicas pode-se acercar ao hospital da cidade de Koror.

CORREIOS E TELEFONIA

O escritório central de correios de Palau encontra-se em Koror. Abre das 8.00 às 16.00 horas. Ligações pode serem feitas desde os hotéis ou desde a Oficina de Comunicações de Palau (PNNC) no centro da capital. Para ligar a Palau disque 00-680 e o número do assinante (não existem prefixos de cidades).

FOTOGRAFIA

Pode encontrar material na capital, mas o aconselhável é viajar com todo o material necessário.

HORÁRIO COMERCIAL

A maioria dos locais funcionam de manhã e a tarde. Os domingos são dias de descanso.

GORJETAS

Gorjetas dependem da consideração do freguês. Em alguns estabelecimentos e hotéis acrescentam uma porcentagem ao total da fatura.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de saída.

FLORA E FAUNA

A fauna e flora das ilhas é de natureza tropical, encontrará vegetação abundante cobrindo as colinas, árvores frutíferas tropicais e fauna marinha também tropical nas lagoas e costas. Distinguem-se os crocodilos, em meio de uma abundante fauna marítima.

GASTRONOMIA

A cozinha de Palau tem sua base nos alimentos do mar, especialmente o peixe e os mariscos. Os mais atrevidos e que desfruta de novos sabores, pode solicitar um prato de carne de crocodilo, de amêijoas gigantes ou de frutos tropicais e exóticos. Porém, a maioria dos restaurantes oferecem pratos do estilo japonês e ocidental.

BEBIDAS

Quanto à bebida lhe aconselhamos não privar-se dos sucos tropicais (gostaríamos de dizer-lhes, que é o único que aconselhamos beber, não porque se encontrem outras bebidas do tipo ocidental, mas para aproveitar a oportunidade). Tem que beber água engarrafada, a venda nas lojas.

COMPRAS

O mais representativo das compras de Palau são as chamadas "storyboards", breves historinhas talhadas em graciosas tábuas de madeira. Os preços variam consideravelmente, de 25 a 500 dólares. Em Palau encontrará, também, camisetas, fitas de música tradicional, artigos de cestaria, peças feitas com coco e livros.

Lembre-se que produtos feitos com casco de tartaruga estão proibidos.

ENTRETENIMENTO

Além dos esportes aquáticos, especialmente o submarinismo e as emersões em apnéa, em Palau pode-se desfrutar de algumas gratificantes noitadas nos bares, restaurantes e cafés, assim como, de espetáculos de danças e cantos tradicionais. Porém, o forte é o submarinismo. Se viajar a Palau, encontrará um mundo submarino nunca antes imaginado.

FESTIVIDADES

Os dias festivos oficiais são o 1 de Janeiro Ano Novo, 15 de Março Dia da Juventude, 5 de Maio Dia do Cidadão, 1 de Junho Dia do Presidente, 9 de Julho Dia da Constituição, primeira segunda-feira de Setembro Dia do Trabalho, 1 de Outubro Dia da Independência, a quarta quinta-feira de Novembro o Dia de Ação de Graças e o dia 25 de Dezembro o Natal.

TRANSPORTES

Avião

O aeroporto Internacional de Palau encontra-se muito perto de Koror, na ilha de Babeldoab. Continental Micronésia é a única linha aérea que voa para Palau. Existe uma empresa privada, Paradise Air, que voa com pequenos aviões a Peleliu e Angur, além de realizar vôos sobre as Rock Island.

Barco

Em Koror, centro comercial e econômico de Palau, encontrará uma boa rede de serviços de bote que comunicam as ilhas entre si.

Transporte Terrestre

Alguns ônibus turísticos e dos hotéis cobrem o trajeto entre o aeroporto e Koror. É possível alugar um veículo 4 x 4 em Koror e em Peleliu. Babeldoab conta com caminhos de terra, a maioria desenhados na época da ocupação japonesa.

Os táxis não dispõem de taxímetro pelo que é conveniente acertar o preço, antes de iniciar o trajeto. Para corridas curtas, o preço oscila entre 2 dólares. Em Peleliu pode-se alugar bicicletas.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

O Arquipélago do Palau encontra-se no Oceano Pacífico, sendo o grupo de ilhas mais ocidentais da região conhecida como Micronésia. Ocupa uma superfície de 488 quilômetros quadrados e conta com 1.519 quilômetros de costas. As principais ilhas são a Ilha de Babeldoab, Peleliu, Koror e Angur e os pequenos atolões de coral de Ngeruangel e Kayangel, aos que deve-se somar mais de 200 pequeníssimas ilhas.

HISTÓRIA

O Arquipélago de Palau foi descoberto no século XVI pelos espanhóis, que a ocuparam. No século XIX passou as mãos dos alemães e posteriormente, do Japão. Estes últimos foram os que construiram uma base aero-naval.

Desde o ano 1947 constituiu-se como uma administração fiduciária dos Estados Unidos da América. Já na década dos oitenta obtém uma "semi-independência".

ARTE E CULTURA

Os habitantes de Palau distinguem-se por serem bons construtores de canoas. Destacam-se na arte do tecido, onde utilizam elementos naturais, e na escultura.

Artesanato local encontrará nas lojas e nos objetos da vida cotidiana do país. A dança é uma das expressões típicas tradicionais, aliás, quanto à música, ela conta com um menor número de instrumentos musicais. Destacam-se a flauta e o búzio marinho. Lembre-se que as manifestações culturais em Palau são mais "singelas", talvez pelo pequeno território ou pelo fato de constituir uma encruzilhada de caminhos. Embora sua simplicidade não deixa de ser interessante para o turista.

LOCAIS TURÍSTICOS

Começaremos o nosso percurso pela Ilha de Koror, para continuar depois pela Ilha de Bebeldoab e pelo grupo de Ilhas Rochosas, assim como, por outras ilhas.

ILHA DE KOROR

Koror constitui o centro econômico, além de ser a capital de Palau. Ela aglutina perto de 60% da população total do país.

Entre os lugares de interesse encontra-se o Museu Nacional Belau, onde pode-se apreciar de perto a história e cultura do país.

No centro da cidade aglutinam-se diversas instituições públicas e privadas, assim como, centros de estudos para os habitantes da ilha. Após percorrer suas ruas aconselhamos chegar ao Santuário Shinto, uma reconstrução de um templo japonês. Se desejar ver de perto os crocodilos, nada melhor que o Centro de Conservação de Crocodilos de Palau, aberto de segundas-feiras aos sábados das 8.00 às 16.00 horas.

ILHA DE MALAKAL

Esta pequena ilha, situada ao oeste de Koror, está comunicada por um caminho. Além da tranquilidade, distingue-se pelo Centro de Demostração da Cultura Micronésia. Trata-se de um centro de investigação e reserva marítima, dedicado especialmente à conservação das grandes amêijoas marinhas. Para obter uma bela panorâmica há que subir à Colina de Malakai, que costuma durar uns 20 minutos.

ILHA DE BABELDOAB

Esta é a maior ilha de Palau e a segunda em tamanho de toda Micronésia. É nela onde pretende-se construir a nova capital do país, além de acolher há muito tempo o aeroporto Internacional. Está unida à ilha de Koror por impressionante ponte.

A ilha de Babeldoab, de origem vulcânica, conta com algumas belas colinas e estações que tornam-se inesquecíveis. Os povoados estão comunicados por engraçadas trilhas.

No extremo norte da ilha, na Província de Ngarchelong encontra-se o maior monolito de basalto da região.

Para descobrir a ilha é aconselhável contratar um circuito turístico em algumas das agências dedicadas.

ILHAS ROCHOSAS

Este impressionante grupo de ilhas está composto por perto de 200 ilhotas, colinas, cobertas de vegetação. Como se fosse um imenso mangue, estas colinas emergem de forma inacreditável. Sem dúvida é um dos principais atrativos de Palau. As ilhas contam com uma rica flora e fauna, especialmente aves e crocodilos.

As Rochosas são o melhor lugar para os amantes do submarinismo e o snorkelling. Os lugares prediletos são a chamada Parede de Ngemelis, a Esquina Azul ou o Lago Jellysfish. Equipamento para mergulho, onde pode-se alugar ou adquirir em Koror.

É possível acampar nas Ilhas Rochosas ou bem, pernoitar em algumas das Casas de Hóspedes.

PELELIU

A Ilha de Peleliu encontra-se no extremo sul do Arquipélago de Palau. E sua característica é ter sido o cenário de cruéis batalhas, durante a Segunda Guerra Mundial.

A principal população é Klouklubed, uma vila pacífica com pontos de interesse, como o modesto Museu da Guerra, o Centro de Comunicações Japonesa ou o Monumento aos Soldados Americanos. No extremo norte da ilha pode-se visitar diversas ruinas da Segunda Guerra Mundial, assim como, a tranquila praia de Orange, enquanto o sul distingue-se por acolher belas e sossegadas praias, como a de Honeymoon ou A Praia do Sangue (Bloody Beach).

OUTRAS ILHAS DE PALAU

Além das ilhas descritas, Palau conta com outras de certa importância como são Angaur, o melhor lugar para os viajantes independentes, Kayangel, ao norte de Babeldoab, com preciosas praias de areias protegidas por uma lagoa de um belo azul, e as Ilhas do Sudoeste, conhecidas como as Ilhas de Sonsorol, quase desabitadas.

Fonte: www.rumbo.com.br

Palau

Capital: Oreor

Idioma: inglês e palauano

Moeda: dólar americano

Clima: tropical úmido

Fuso horário (UTC): +9

Pontos turísticos

Ilhas Rock

Mais de duzentas torres de arenito encimadas por vegetação se distribuem ao longo de 35 km de litoral ao sul da ilha.

Suas bases, devido à ação de maré e dos animais incrustantes são mais estreitas que o topo, formando uma paisagem indiscritível.

Além disso, suas águas são consideradas as melhores do arquipélago para o mergulho.

Há vários pontos de interesse, entre eles o Lago de Medusas, onde milhares de minúsculas medusas flutuam compassadamente.

Babeldaob

É uma ilha vulcânica com praias de areia branca e manguezais.

Muitas das colinas foram transformadas em terraços e pirâmides, e os estudos arqueológicos sugerem que eles forma criados em 100 d.C. Seu propósito é um mistério.

Em Ngarchelong há um campo aberto com vários monolitos basálticos conhecidos como Badrulchau, que segundo a lenda, foram colocados lá pelos deuses.

Fonte: www.geomade.com.br

Palau

Perspectiva histórica

A evidência arqueológica indica que Palau foi habitada tão cedo quanto 1000 aC e acredita-se que os primeiros habitantes vieram do leste da Indonésia.

Navegadores espanhóis e Português primeiro avistado Palau, no século XVI.

Em 1783 Inglês capitão Henry Wilson naufragou em um recife e se tornou o primeiro ocidental a visitar o Palau. Wilson e sua tripulação permaneceu por três meses e reconstruíram sua embarcação com ajuda local. Príncipe Palau Lebuu depois foi para a Inglaterra com Wilson, onde ele caiu de varíola logo após a sua chegada. O encontro precipitou um link de negociação. Contatos europeus crescer e Grã-Bretanha tornou-se parceiro comercial do Palau até Espanha reivindicou a posse da ilha em 1885.

Espanha e Alemanha disputavam a posse das Ilhas Carolinas, incluindo Palau, até Espanha transferiu esses territórios para a Alemanha em 1899.

Durante a I Guerra Mundial Palau foi ocupada pelos japoneses e tornou-se o centro administrativo do território do Japão Micronésia. Ele foi usado como base militar japonês durante a Segunda Guerra Mundial.

Após a conclusão de que a guerra, Palau foi administrado pelos Estados Unidos como parte do Território Fiduciário das Nações Unidas das ilhas do Pacífico.

Palau tornou-se independente em livre associação com os Estados Unidos em 1 de Outubro de 1994.

Independência só foi conseguida depois de mais de 15 anos de debate sobre os aspectos do 1979 Palau Constituição, que procurou estabelecer mecanismos para a proteção da cultura de Palau e meio ambiente, incluindo a restrição a posse de terra Palauans, limitando o uso de Palau para o benefício de uma nação estrangeira e proibição de materiais nucleares e tóxicos. Finalmente, em 1993, Palauans votou para suspender as disposições anti-nucleares da Constituição. Este Palau habilitado para ratificar o Pacto havia assinado, em 1982, e abriu o caminho para a independência. Sob o Compato 50 anos, os Estados Unidos mantém a responsabilidade para a defesa de Palau e de segurança e fornece um financiamento substancial.

Enquanto a calma nos últimos anos, Palau testemunhou vários casos de violência política na década de 1980. Primeiro presidente da república, Haruo I. Remeliik, foi assassinado em 1985, com o Ministro de Estado, eventualmente encontrado para ser cúmplice no crime. Terceiro presidente de Palau, Lázaro Salii, cometeu suicídio em setembro de 1988 em meio a denúncias de suborno. Assistente pessoal Salii havia sido preso há vários meses após ser condenado por disparar tiros dentro da casa do presidente da Câmara de Representantes.

Palau tornou-se o décimo sexto membro do Fórum das Ilhas do Pacífico na reunião Madang em setembro de 1995. Palau sediou o Fórum, em outubro de 1999.

Economia

Situação econômica

Palau por habitante torna-o um dos mais ricos Estados insulares do Pacífico, que é maior que a das Filipinas e a Micronésia. Isto é em parte o resultado de assistência estrangeira, nomeadamente a que recebeu dos Estados Unidos sob o Pacto de Livre Associação. Sob os termos do Pacto, Palau recebeu mais de US $ 450 milhões em apoio orçamental e de desenvolvimento de infra-estrutura entre 1994 - 2008. Um fundo de investimentos foi criado para fornecer apoio orçamental perene após o fim da assistência dos EUA direta. Palau abordou a gestão de seus recursos Compato prudência e do valor do fundo de garantia em 2005 foi de aproximadamente US $ 150 milhões. No entanto, o principal desafio econômico confrontando Palau é assegurar a viabilidade a longo prazo da economia, reduzindo a sua dependência da ajuda externa.

Palau tem recursos haliêuticos ricos que são críticos para o abastecimento alimentar interno. De base local atum companhias de transporte marítimo de exportação grade atum sashimi, principalmente para o Japão. A indústria local é na crise no presente, mas o licenciamento de embarcações de Estados Unidos, Japão, Taiwan e República Popular da China ainda é uma importante fonte de divisas. Depois de um longo atraso por razões ambientais Congresso aprovou um projeto de lei no final de 2004 para permitir a exploração de petróleo para começar em Kayangel.

Turismo (e suas mudanças de infra-estrutura de atendimento) é a principal indústria de Palau. Sua chama principais são o seu ambiente diversificado e intocada marinha, tornando-o um centro de mergulho de primeira categoria, e sua beleza acima da água ilha tropical. O número de visitantes, 75% dos quais oriundos de Taiwan, Japão e os EUA, ultrapassou 86.000 em 2005. Continental Airlines, do Extremo Oriente Transporte (FAT), e Espírito asiático têm vôos diretos para Palau de Taiwan, Filipinas e Guam. Japan Airlines opera vôos fretados a partir de Tóquio. Em 2002, último ano para o qual há dados disponíveis, as despesas dos turistas em Palau foi de US $ 66 milhões.

O setor de serviços domina a economia Palauan, contribuindo com mais de 50% do PIB e empregando mais de metade da força de trabalho. O governo sozinho emprega quase 25% dos trabalhadores e é responsável por 23% do PIB.

A construção é uma atividade importante, contribuindo com mais de 15% do PIB. Vários grandes projetos de infraestrutura, incluindo a Estrada compacto, mudança da capital novo, e novos hotéis, têm impulsionado recente contribuição deste setor para o PIB.

A agricultura é principalmente em um nível de subsistência, sendo as principais culturas do coco, inhame e banana. Receita da indústria de pesca são principalmente de taxas de licença de embarcações de pesca.

Geografia

A República de Palau é composto por oito ilhas principais e mais de 300 outras menores deitado cerca de 500 km ao sudeste das Filipinas. As ilhas de Palau fazem parte da cadeia de ilhas Caroline. Cerca de 70% dos Palauans viver na cidade de Koror em Koror Island. A capital, no entanto, mudou em 2006 de Koror a um complexo recém-construído no Estado Melekeok na ilha maior, mas menos desenvolvida do Babeldaob - a segunda maior ilha de toda a Micronésia após Guam.

Política

Sistema político

Palau tem um governo constitucional em livre associação com os Estados Unidos sob o Pacto de Livre Associação que entrou em vigor em 1 de Outubro de 1994. Autoridade legislativa repousa com o Nacional bicameral do Congresso, o Olbiil era Kelulau, composto de um Senado e uma Câmara dos delegados eleitos a cada quatro anos. O presidente, que é ao mesmo tempo Chefe de Governo e Chefe de Estado é eleito pelo povo para um mandato de quatro anos e pode servir como presidente não mais do que duas vezes.

As eleições presidenciais foram realizadas como parte das eleições gerais Palauan em 4 de Novembro de 2008. O presidente Johnson Toribiong e Vice-Presidente Kerai Mariur foram instalados em 15 de Janeiro de 2009, juntamente com os membros do Congresso Nacional Palau. Pres. Toribiong, um advogado, é um ex-embaixador da República da China.

De acordo com as constituições estaduais, cada um dos 16 estados de Palau tem um governador. Alguns reguladores são eleitos enquanto outros são escolhidos com base no seu estado tradicional. Há também um Conselho de 16 membros dos chefes que assessora o presidente em matérias de direito personalizado e tradicional. Existem dois Chiefs elevadas, com base em Koror e Melekeok.

Direitos humanos

Palau geralmente respeita os direitos humanos de seus cidadãos. No entanto, as áreas de interesse incluem a corrupção do governo, o que o governo está tomando algumas medidas para resolver. Houve também casos de violência doméstica, tráfico de pessoas, prostituição e discriminação / abuso de trabalhadores estrangeiros.

Fonte: www.fco.gov.uk

Palau

Nome oficial: República de Palau (Republic of Palau).

Nacionalidade: palauense.

Data nacional: 1º de outubro (Independência).

Capital: Koror (ilha Koror).

Cidade principal: Koror (12.000) (1995).

Idioma: inglês e palauense (oficiais), línguas regionais.

Religião: cristianismo 63,1% (católicos 38,4%, protestantes 24,7%), crenças tradicionais 26,5%, outras 10,4% (1995).

GEOGRAFIA

Localização: oeste da Oceania, oceano Pacífico.
Hora local:
+11h.
Área:
487 km2.

POPULAÇÃO

Total: 20 mil (1998), sendo palauenses 83,2%, filipinos 9,8%, micronésios 2%, chineses 1,2%, europeus meridionais 0,8%, outros 3% (1990). Densidade: 39,01 hab./km2.
População urbana:
72% (1998).
População rural:
28% (1998).
Crescimento demográfico:
2% ao ano (1998).
Fecundidade:
2,5 filhos por mulher (1999).
Expectativa de vida M/F:
64,5/70 anos (1999).
Mortalidade infantil:
28 por mil nascimentos (1998).
Analfabetismo:
2,4% (1990).

POLÍTICA

Forma de governo: República presidencialista.
Divisão administrativa:
16 estados.
Principais partidos:
Ta Belau, Nacionalista de Palau.
Legislativo:
bicameral; Senado, com 14 membros; Casa dos Delegados, com 16 membros, eleitos por voto direto para mandato de 4 anos.
Constituição em vigor:
1981.

ECONOMIA

Moeda: dólar americano.
PIB:
US$ 129 milhões (1998).
PIB agropecuária:
8% (1998).
PIB indústria:
14% (1998).
PIB serviços:
78% (1996).
Força de trabalho:
8 mil (1995).
Agricultura:
coco, banana, raízes e tubérculos.
Pesca:
1,5 mil t (1997).
Indústria:
vestuário.
Exportações:
US$ 14 milhões (1996).
Importações:
US$ 72 milhões (1996).
Principal parceiro comercial:
EUA.

Fonte: www.portalbrasil.net

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal