Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  História do Paraquedismo  Voltar

História do Paraquedismo

O paraquedismo, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é um esporte criado há pouco tempo. Na verdade ele vem do eterno sonho do ser humano, destinado a viver no chão, o sonho de VOAR! Voar livremente utilizando somente seu próprio corpo, assim como fazem os pássaros!

O sonho tem início registrado ainda na mitologia, que mostra DEDALO e seu filho ÍCARO na busca de alçar vôo com asas de penas de pássaro ligadas por cera.

Em 1306, aparecem registros de acrobatas chineses que se atiravam de muralhas e torres empunhando um dispositivo semelhante a um grande guardachuva que amortecia a chegada ao solo.

Em 1495, LEONARDO DA VINCI escreveria em suas notas: "Se um homem dispuser de uma peça de pano impermeabilizado, tendo seus poros bem tapados com massa de amido e que tenha dez braças de lado, pode atirar-se de qualquer altura, sem danos para si". DA VINCI é considerado também o precursor como projetista de um pára-quedas.

Em 1617, o italiano FAUSTO VERANZIO salta com um "paraquedas" da torre da catedral de Veneza, aterrando ileso diante dos espectadores.

Em 1783, SEBASTIAN LENORMAND constrói e patenteia um paraquedas com que repetidamente executa saltos.

Em 1785, JEAN PIERRE BLANCHARD constrói e salta com um paraquedas feito de seda, sem a armação fixa que ate então era utilizada para manter o velame aberto.

Em 1797, ANDRE-JACQUES GARNERIN, em Paris, salta de um balão a uma altura aproximada de 2000 pés. GARNERIN prossegue saltando regularmente e a ele a história deu a honra de ser considerado o PRIMEIRO PARAQUEDISTA DO MUNDO. Em 1802, em Londres, GARNERIN salta a 8000 pés, um recorde para a época.

Em 1808, pela primeira vez o paraquedas foi usado como salva-vidas quando o polonês KUPARENKO o utiliza para saltar de um balão em chamas.

Em 1837, acontece o primeiro acidente fatal com um paraquedista, quando ROBERT COCKING falece em razão do impacto contra o solo. COCKING saltava com um paraquedas com o desenho de um cone invertido que se mostrou inadequado, não resistiu à pressão e fechou.

Em 1887, o Capitão americano THOMAS BALDWIN inventa o equipamento que se ajusta ao corpo do paraquedista, substituindo os cestos até então utilizados. Este invento foi um novo e importante passo para o desenvolvimento do paraquedismo.

Em 1901, CHARLES BROADWICK inventa o paraquedas dorsal, fechado dentro de um invólucro, como os que hoje são utilizados pelos pilotos de aviões militares. O sistema de abertura do paraquedas era um cabo amarrado ao balão.

Em 1911, GRANT NORTON realiza o primeiro salto utilizando um avião. NORTON decolou levando o paraquedas nos braços e na hora do salto arremessou-o para fora sendo por ele extraído da aeronave.

Em 1919, LESLIE IRVIN executa o primeiro salto livre, abrindo o paraquedas, por ação muscular voluntária durante a queda livre.

Em 1930, os russos organizam o primeiro Festival Desportivo de Paraquedismo.

Em 1941, o exército alemão emprega o paraquedas como equipamento de guerra, lançando pára-quedistas militares para conquistar a Ilha de Creta.

Dai em diante o pára-quedismo se desenvolve numa velocidade vertiginosa, seja quanto aos equipamentos, técnicas de salto e tipos de competição.

A História da CBPq

No BRASIL o paraquedismo tem inicio com CHARLES ASTOR, em 1931, no Aeroclube de São Paulo. Atuou sozinho formando alunos pelo BRASIL e foi sem sombra de dúvida o maior incentivador do esporte em nosso País.

Em 1941, no Campo dos Afonsos - RJ acontece o primeiro salto coletivo na América do Sul, realizado por 12 alunos de CHARLES ASTOR.

De 1941 a 1943 funcionaram duas escolas de pára-quedismo no Rio Grande do Sul, uma no Aeroclube e outra na VARIG.

Em 1944, o Capitão ROBERTO DE PESSOA é o primeiro militar brasileiro a realizar um curso de paraquedismo, tendo que fazê-lo no exterior. O Capitão DE PESSOA foi "brevetado" nos EUA e em 1945 o Exército Brasileiro envia aos EUA mais 34 militares, que ao retornarem passam a integrar a recém criada Escola de Pára-quedistas do Exercito Brasileiro, atual Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil, organização militar integrante da Brigada de Infantaria Pára-quedista, com sede no Rio de Janeiro, RJ.

No meio civil apenas eram realizadas, esporadicamente, algumas demonstrações.
Em 1958 é criada no Rio de Janeiro a equipe ÍCAROS MORDERNOS que, em 1961, se tornaria um dos primeiros clubes brasileiros de paraquedismo.

No final dos anos 50 o paraquedismo deixou de ser vinculado ao DAC (Departamento de Aeronáutica Civil) e então um grupo de jovens de São Paulo e do Rio de Janeiro resolveu reorganizá-lo e dar-lhe um cunho moderno.

Em São Paulo os principais atuantes eram Miguel Pacheco Chaves, Carlos Tender Guimarães, Decio Faria de Almeida e João Augusto MacDowell entre outros e no Rio, Francisco Clayton Lemos do Rego e Nelson Palma.

Com o inicio desse movimento agregaram-se muitos apoiadores que ajudaram na organização e na parte jurídica.

Quem regia o esporte na época era o Ministério da Educação e Cultura através do CND (Conselho Nacional de Desportos). Era necessário ter pelo menos 3 federações para se ter uma confederação e assim ser reconhecido pelo CND.

Em 1962 foi fundada a Federação Brasileira de Pára-quedismo e que por meio de uma Assembléia Geral foi dissolvida em 30/03/1963 e criada a Comissão de Organização da UBP (União Brasileira de Pára-quedismo) com o intuito de definir objetivos da nova entidade, sua estrutura e sua filiação aos órgãos máximos do esporte nacional e internacional.

Os clubes eram filiados diretamente à UBP que funcionava como órgão gestor nacional.

Reconhecida pelo CND, a UBP realizou o primeiro campeonato brasileiro de paraquedismo em 1964 na cidade de Campina Grande - PB em que se sagrou campeão Luiz Olintho Teixeira Schirmer.

A partir daí surgiram inúmeros clubes e equipes por todo o Brasil.

Paralelamente também no meio militar o paraquedismo se desenvolvia como esporte tendo as competições com os civis contribuído muito para o seu crescimento.

A União Brasileira de Pára-Quedismo atingiu os objetivos para os quais foi criada: estruturar o pára-quedismo como esporte dando condições para sua filiação ao Conselho Nacional de Desportes (CND) e a Federação Aeronáutica Internacional (FAI).

Essas atividades desenvolvidas nos anos 1963 e 1964 culminaram com o envio da primeira delegação brasileira de pára-quedismo ao 7° Campeonato Mundial organizado pela FAI em 1964 na Alemanha Ocidental (RFA) e permitiram a perpetuação do pára-quedismo esportivo brasileiro superando definitivamente as barreiras oficiais e burocráticas até então existentes.

Essa delegação era composta por Carlos Alberto Tender Guimarães, Miguel Francisco Pacheco Chaves, Nelson José Pereira e João Augusto MacDowell.

Foram criadas as 3 primeiras federações (Paraná, São Paulo e Rio de Janeirol) e assim em 1975 a UBP transforma-se em CBPq (Confederação Brasileira de Pára-quedismo).

Fonte: www.cbpq.org.br

História do Paraquedismo

O pára-quedismo, ao contrário do que muitas pessoas pensam, não é um esporte criado há pouco tempo. Na verdade ele vem do eterno sonho do ser humano, miseravelmente destinado a viver no chão, o sonho de VOAR! Voar livremente utilizando somente seu próprio corpo, assim como fazem os pássaros!

O sonho tem início registrado ainda na mitologia, que mostra DEDALO e seu filho ÍCARO na busca de alçar vôo com asas de penas de pássaro ligadas por cera.

Em 1306, aparecem registros de acrobatas chineses que se atiravam de muralhas e torres empunhando um dispositivo semelhante a um grande guarda-chuva que amortecia a chegada ao solo.

Em 1495, o grande LEONARDO DA VINCI escreveria em suas notas: "Se um homem dispuser de uma peça de pano impermeabilizado, tendo seus poros bem tapados com massa de amido e que tenha dez braças de lado, pode atirar-se de qualquer altura, sem danos para si". DA VINCI é considerado também o precursor como projetista de um pára-quedas.

Em 1617, o italiano FAUSTO VERANZIO salta com um "pára-quedas" da torre da catedral de Veneza, aterrando ileso diante dos espectadores.

Em 1783, SEBASTIAN LENORMAND constrói e patenteia um pára-quedas com que repetidamente executa saltos.

Em 1785, JEAN PIERRE BLANCHARD constrói e salta com um pára-quedas feito de seda, sem a armação fixa que ate então era utilizada para manter o velame aberto.

Em 1797, ANDRE-JACQUES GARNERIN, em Paris, salta de um balão a uma altura aproximada de 2000 pés. GARNERIN prossegue saltando regularmente e a ele a história deu a honra de ser considerado o PRIMEIRO PÁRA-QUEDISTA DO MUNDO. Em 1802, em Londres, GARNERIN salta a 8000 pés, um recorde para a época.

Em 1808, pela primeira vez o pára-quedas foi usado como salva-vidas quando o polonês KUPARENKO o utiliza para saltar de um balão em chamas.

Em 1837, acontece o primeiro acidente fatal com um pára-quedista, quando ROBERT COCKING falece em razão do impacto contra o solo. COCKING saltava com um pára-quedas com o desenho de um cone invertido que se mostrou inadequado, não resistiu à pressão e fechou.

Em 1887, o Capitão americano THOMAS BALDWIN inventa o equipamento que se ajusta ao corpo do pára-quedista, substituindo os cestos até então utilizados. Este invento foi um novo e importante passo para o desenvolvimento do pára-quedismo.

Em 1901, CHARLES BROADWICK inventa o pára-quedas dorsal, fechado dentro de um invólucro, como os que hoje são utilizados pelos pilotos de aviões militares. O sistema de abertura do pára-quedas era um cabo amarrado ao balão.

Em 1911, GRANT NORTON realiza o primeiro salto utilizando um avião. NORTON decolou levando o pára-quedas nos braços e na hora do salto arremessou-o para fora sendo por ele extraído da aeronave.

Em 1919, LESLIE IRVIN executa o primeiro salto livre, abrindo o pára-quedas, por ação muscular voluntária durante a queda livre.

Em 1930, os russos organizam o primeiro Festival Desportivo de Pára-quedismo.

Em 1941, o exército alemão emprega o pára-quedas como equipamento de guerra, lançando pára-quedistas militares para conquistar a Ilha de Creta.

Dai em diante o pára-quedismo se desenvolve numa velocidade vertiginosa, seja quanto aos equipamentos, técnicas de salto e tipos de competição.

No BRASIL o pára-quedismo tem inicio com CHARLES ASTOR, em 1931, no Aeroclube de São Paulo. Atuou sozinho formando alunos pelo BRASIL e foi sem sombra de dúvida o maior incentivador do esporte em nosso País.

Em 1941, no Campo dos Afonsos - RJ acontece o primeiro salto coletivo na América do Sul, realizado por 12 alunos de CHARLES ASTOR.

De 1941 a 1943 funcionaram duas escolas de pára-quedismo no Rio Grande do Sul, uma no Aeroclube e outra na VARIG.

Em 1944, o Capitão ROBERTO DE PESSOA é o primeiro militar brasileiro a realizar um curso de pára-quedismo, tendo que fazê-lo no exterior. O Capitão DE PESSOA foi "brevetado" nos EUA e em 1945 o Exército Brasileiro envia aos EUA mais 34 militares, que ao retornarem passam a integrar a recém criada Escola de Pára-quedistas do Exercito Brasileiro, atual Centro de Instrução Pára-quedista General Penha Brasil, organização militar integrante da Brigada de Infantaria Pára-quedista, com sede no Rio de Janeiro, RJ.

No meio civil apenas eram realizadas, esporadicamente, algumas demonstrações.
Em 1958 é criada no Rio de Janeiro a equipe ÍCAROS MORDERNOS que, em 1961, se tornaria um dos primeiros clubes brasileiros de pára-quedismo.

Daí em diante, os clubes proliferaram, criando-se Federações estaduais que se uniram para criar a UNIÃO BRASILEIRA DE PÁRA-QUEDISMO (UBP).

A partir de 1975, a UBP, ajustando-se aos dispositivos esportivos legais em vigor, muda sua denominação para CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE PÁRA-QUEDISMO - CBPq, enquadrando-se no sistema desportivo nacional.

O pára-quedismo brasileiro vem crescendo muito nos últimos anos, com diversos pára-quedistas buscando especializações e melhores resultados técnicos, particularmente em centros de treinamento nos EUA. Atletas brasileiros, tanto homens quanto mulheres, por suas performances, têm sido convidados a participar dos recordes mundiais.

Fonte: www.flysite.com.br

História do Paraquedismo

Alguns documentos históricos retratam que os chineses foram os primeiros a conceberem a idéia do paraquedas. A primeira tentativa foi a construção de um tipo de guarda-chuva que usavam para pular de torres e penhascos.

Em 852 a.c. em Córdoba, Espanha, um mulçumano chamado Armen Firman, construiu asas para planar, pulando de uma torre. Armen pousou com pequenos ferimentos, graças a sustentação de sua asa.


Logo após em 875 a.c. Ibn Firnas, desenhou e construiu um glider capaz de levar um homem. Para celebrar, convidou a população de Córdoba para vê-lo voar. Firnas teve um ótimo vôo, numa distância de mais ou menos dois campos de futebol, entretanto sua aterrissagem foi desastrosa, deixando-o com um problema na coluna que o impediu de continuar seus testes.

No século XV, temos o famoso Leonardo da Vinci, que estudou o vôo dos pássaros e tirou conclusões básicas sobre a aerodinâmica, além de ter construído diversas máquinas voadoras, sem portanto testa-lás. É considerado por muitos o pai do paraquedas, qual inventou com o intuito de resgatar pessoas presas em prédios em chamas.

História do Paraquedismo

Em 1616 outro italiano Fausto de Veranzio publicou um livro chamado “Machinae Novae” no qual aparece um homem pulando de uma torre, com um paraquedas quadrado, preso ao tronco do homem por quatro linhas. Esse desenho é muito similar aos paraquedas atuais usados no esporte. Em 1779 o físico francês Sebastian Le Normand estudou o paraquedas usando animais. Devido aos seus estudos ele é considerado o primeiro construtor sistemático do paraquedas.

História do Paraquedismo

Foi em 1785 que o balonista francês Jean Pierre Blanchard desenhou e construiu o primeiro paraquedas de seda qual também podia ser dobrado e guardado dentro de uma bolsa. Antes todos os paraquedas tinham uma armação rígida. Em 1793 ele fez um salto de emergência de um balão e quebrou as duas pernas.

História do Paraquedismo

O nome que mais aparece como o primeiro homem a saltar com um paraquedas é Andrew Jacques Garnerin. Data de 27 de outubro de 1797, o primeiro salto de exibição feito de um balão. Ou seja, o Base Jump começou bem antes que o paraquedismo. Sua esposa, Genevieve Labrosse foi a primeira mulher a saltar em 1798. Sua sobrinha Elisa saltou umas 40 vezes entre 1815 e 1836.

Quanto ao salto de paraquedas de um avião existem contradições. Alguns dizem que foi Grant Morton e outros o Capitão do Exército Americano Albert Berry em primeiro de março de 1912.

Em 16 de agosto de 1960, o capitão da força aérea americana Joseph Kittinger saltou de um balão sobre o Novo México de uma altura de mais ou menos 102.800 pés (30.840 mts) , alcançando a velocidade terminal aos 90.000 pés a mais ou menos 1000 km/h, quase a velocidade supersônica. Sua queda livre durou quatro minutos e meio.

Fonte: www.saopauloparaquedismo.com.br

História do Paraquedismo

O sonho de voar sempre fez parte da alma humana. Conforme encontramos na literatura, os primórdios do pára-quedismo deram-se no início do século XIV na China. Os chineses já realizavam saltos de altas torres para abrilhantar festas imperiais. Estes acrobatas utilizavam imensos guarda sóis para segurar a queda.

Algum tempo depois, outro registro de pára-quedismo surgiu no século XV, através de Leonardo da Vinci. Ele desenhou e projetou o primeiro pára-quedas em forma de pirâmide.

História do Paraquedismo

Até o século XVIII muito se estudou sobre pára-quedismo. Mas historicamente, ficou registrado como sendo o primeiro salto de pára-quedas o salto realizado por Andrew Jacques Garnerin, no dia 22 de outubro de 1797, saltando a partir de um balão. Considerado o primeiro pára-quedista, Garnerin realizou seu feito histórico na cidade de Paris, a 2000 pés de altura. Porém, para certificar-se que a engenhoca iria funcionar, Garnerin lançou seu cachorro como cobaia e depois lançou-se com sucesso.

Assim deu-se início o desenvolvimento do pára-quedismo. Mas foi no século XX que realmente se impulsionou o conhecimento e aperfeiçoamento desse esporte.

O pára-quedas foi a solução que a maioria dos países encontrou para proteger seus tripulantes de aviões militares durante a Primeira Guerra Mundial (1914-1918).

O pára-quedismo teve sua maior evolução quando foi utilizado como meio de transporte na Segunda Guerra Mundial (1939-1945) para o desembarque de tropas na retaguarda da linha de defesa do inimigo. Após a Guerra, como os pára-quedas eram utilizados somente para o lançamento de tropas e suprimentos, os militares perceberam a possibilidade de fazer saltos por esporte e diversão.

A partir do desenvolvimento de um sistema de acionamento manual, foram realizadas as primeiras quedas livres com os pára-quedas redondos conhecidos como T-10, os mesmos utilizados para o lançamento de tropas.

Sem dirigibilidade e muito pesados, os pára-quedas, na época, eram muito perigosos, já que uma vez aberto o velame, os pára-quedas pousavam onde o vento os levasse, sem conseguir que o impacto fosse amenizado.

Foi necessário o desenvolvimento de um velame com fendas direcionais traseiras para possibilitar a navegação. Porém, o forte impacto de aterragem ainda não estava resolvido.

A partir dos pára-quedas redondos, o T-10 e T-U, foram desenvolvidos os velames conhecidos como Papillon de fabricação francesa e o Pára-Commander de origem norte-americana. Estes pára-quedas tinham uma boa dirigibilidade, mas ainda os seus recursos eram muito restritos quanto à precisão da chegada ao alvo.

Nestes equipamentos o velame reserva era instalado na região ventral. Esse reserva era conhecido como reserva ventral.

Nos anos 70, as empresas norte-americanas investiram e desenvolveram um equipamento mais moderno, o qual usamos até hoje. A partir disso, o pára-quedismo começou a evoluir mais rápido.
Nos anos 80 foi inventado o salto duplo e desenvolvido o método Accelerated Free Fall – AFF ou queda-livre acelerada, o que possibilitou a difusão do esporte.

Atualmente os velames são de formato retangular sendo totalmente dirigíveis. Isto permite pousá-los com segurança no alvo e sem impacto, pois dispõem de tecnologia com freio aerodinâmico.

Após anos de evolução, o pára-quedismo atingiu um nível de segurança que possibilita a qualquer pessoa, em bom estado de saúde, experimentá-lo.

O pára-quedismo acabou virando um esporte de competição. Existem várias modalidades, desde as mais tradicionais, como a Formação em Queda Livre e Precisão ao Freefly, Freestyle, Skysurf e outras que estão sendo praticadas e desenvolvidas o tempo todo.

Quem diria que o pára-quedismo, originalmente uma necessidade militar, com a proposta de trazer uma pessoa ao solo com segurança a partir do salto de uma aeronave em vôo, teria várias modalidades esportivas, sendo um esporte seguro que tem praticantes que podem ir dos 7 aos 80 anos de idade.

O pára-quedismo progrediu muito. A queda livre, momento em que o atleta salta até a abertura do pára-quedas foi muito aprimorada. Hoje em dia podemos dizer, sem sombra de dúvida, que os pára-quedistas aprenderam a “voar”.

Fonte: www.aerodinamicaparaquedismo.com.br

História Paraquedismo

Resumo cronológico do esporte...

1.100 ~ 1.300

Existem rumores de que chineses se divertiam saltando de lugares altos com estruturas rígidas que lembravam guarda-chuvas.

1495

História do Paraquedismo

LEONARDO DA VINCI escreve em suas notas:

"SE UM HOMEM DISPUSER DE UMA PEÇA DE PANO IMPERMEABILIZADA, TENDO SEUS POROS BEM TAPADOS COM MASSA DE AMIDO E QUE TENHA DEZ BRAÇAS DE LADOS E DOZE DE ALTO, PODE ATIRAR-SE DE QUALQUER ALTURA, SEM DANOS PARA SI".

O pára-quedas de Leonardo Da Vinci tinha forma piramidal e se mantinha aberto por meio de uma estrutura de madeira. Não há registro que algum protótipo tenha sido construído.

(Pelo menos não até o ano 2000, quando Adrian Nicholas resolve fazê-lo!!!)

1616 - 1617

O italiano FAUSTO DE VERANZIO, publicou um livro chamado "Machinae Nova", no qual aparecia um homem saltando de uma torre com um equipamento retangular, com 4 linhas presas a um suposto harnese.

O mesmo VERANZIO executa o primeiro salto da torre da Catedral de Veneza;

1766

O cientista Cavendish descobre que o hidrogênio é mais leve que o ar. É dado inicio ao desenvolvimento dos primeiros balões, que futuramente seriam utilizados para saltos.

1779 - 1783

História do Paraquedismo

O físico francês SEBASTIAN LE NORMAND, fica conhecido por ser o primeiro construtor de pára-quedas em série. Seus testes eram realizados com diversos animais, desde gatos até bois.

Patenteia então o pára-quedas como meio de escapar de um prédio em chamas.

1785

JEAN PIERRE BLANCHARD, balonista francês, inventou o primeiro modelo de pára-quedas dobrável de seda. Todos os modelos anteriores se mantinham abertos por meio de uma estrutura rígida.

1793

Após várias experiências utilizando balões e tendo como cobaia cães, o mesmo PIERRE BLANCHARD desenha e constrói o primeiro pára-quedas de seda que podia ser dobrado. Alguns dizem que o próprio BLANCHARD utilizando-o para um salto que lhe custou as duas pernas quebradas!

1797

História do Paraquedismo

Porém o primeiro pára-quedista foi ANDRÉ-JACQUES GARNERIN, pois realizou vários saltos. Saltando de balões em Paris (600 metros de altura) e em Londres de (2400 metros). Morreu saltando, devido à forte oscilação de seus pára-quedas.

Assistindo o salto, o astrônomo LÁ LANDE, sugeriu que se fizesse uma abertura na parte central superior do velame para escoar algum ar e diminuir a pressão no interior do mesmo.

1798

GENEVIEVE LABROSSE foi a primeira mulher que saltou de pára-quedas, em 1798. Assim como sua sobrinha ELISA, que saltou 40 vezes entre 1815 e 1836.

1808

JODAKI KUPARENTO, polonês, foi o primeiro a salvar a vida usando um pára-quedas, quando teve que abandonar o seu balão que se incendiava.

1837

Ocorreu o primeiro acidente fatal da história do pára-quedismo. ROBERTO COCKING saltou de 5.000 pés com seu pára-quedas de cone invertido, porém os planos não saíram como desejado.

1885

História do Paraquedismo

Em 1885 THOMAS BALWING inventou o harnese que foi incorporado ao equipamento e tornou os saltos mais seguros e confortáveis

1887

Ainda foi BALDWIN que aperfeiçoou o sistema para que ele fosse acondicionado dentro de uma mochila, até então o pára-quedista descia dentro de um cesto;

1906

o brasileiro ALBERTO SANTOS DUMONT realiza um vôo com um avião acionado por motor a explosão.

Com o progresso da industria aeronáutica, as velocidades dos aviões foram ficando cada vez maiores, porem as deficiências técnicas deste princípio de século, levou a morte centenas de pilotos. Mas agora os pára-quedistas tem ao seu dispor um meio de transporte para irem cada vez mais alto.

1908

o norte-americano LEO STEVENS desenhou um modelo de pára-quedas acionado manualmente por uma argola ligada a um cabo que, uma vez acionado, abria a mochila que o piloto levava às costas, liberando o pára-quedas

Nos próximos dois anos a história fica meio controversa sobre quem foi a primeira pessoa a saltar de um avião em vôo.

1911

Alguns dizem que foi na California, o acrobata GRANT NORTON, quem realizou pela primeira vez um salto de uma aeronave em vôo, passando para a asa de um Wright modelo B, sobre um ponto previamente escolhido, largou seu velame que inflou imediatamente extraindo-o do avião.

1912

Outros afirmam que foi ALBERT BERRY, do exército norte-americano quem fiz o primeiro salto com êxito em 1° de março de 1912.

1914

O pára-quedismo como esporte surge neste ano juntamente com a primeira queda livre.

1917

A maioria dos países adotou pára-quedas para os tripulantes de seus dirigíveis de observação e para as tripulações de aviões militares durante a Iª Guerra Mundial.

1919

O primeiro salto livre foi realizado em 1919, por LESLIE EIRVIN, de um avião a 1500 pés, no melhor estilo sai-comanda.


1922

HAROLD HARRIS foi o primeiro homem a realizar uma queda-livre quando teve que abandonar um avião em pane.

1924

O sargento norte-americano RANDAL BOSE acionou seu pára-quedas após uma queda-livre de 2000 pés desfazendo a crença que uma pessoa perderia a consciência.

Persistia ainda a crença que ao permanecer em queda-livre por um tempo muito longo a pessoa atingiria velocidades tão elevadas que impediriam a respiração causando perda da consciência e subseqüentemente a morte por asfixia.

1925

o norte-americano STEVEN BRUDEAU acabou com a polêmica saltando de um avião a 7000 pés (aproximadamente 2100m) com 25 segundos de retardo, atingindo pela primeira vez a velocidade terminal (aproximadamente 200 km/h).

1931

No Brasil , o pára-quedismo teve início em 1931 com CHARLES ASTOR em São Paulo.

1936

A Rússia usou pára-quedas para o lançamento de tropas militares.

1.939 - 1.945

Durante a II Guerra Mundial quase todos os países utilizaram-se de tropas pára-quedistas. Os alemães, na invasão de Creta, chegaram a lançar 14.000 soldados pára-quedistas na ilha.

1941

O primeiro salto coletivo da America do Sul foi realizado em outubro de 1941 no Campo dos Afonsos no Rio de Janeiro com a participação de 12 alunos de Charles Astor.

1949

As atividades regulares de saltos tiveram início em 1949.

1951

O Primeiro Campeonato de Pára-quedismo foi realizado na antiga Iugoslávia. Participaram 5 países europeus.

1960

Em 16 de Agosto de 1960, o capitão da força aérea norte-americana JOSEPH W. KINTTINGER realizou um salto de um balão no Novo México a 84.700 pés (aproximadamente 30.000 metros) atingindo uma vertiginosa velocidade terminal de 1.006 Km/h, velocidade marginalmente subsônica em 4min 50seg de queda livre. Esse feito está no Livro Guiness dos Recordes e se mantém imbatível até hoje.

1964

Foi patenteado o primeiro pára-quedas retangular. Estes são muito mais dirigíveis e seguros que os antigos redondos. Foi um grande impulso para o Pára-quedismo esportivo.

1965

Foi lograda a primeira formação de 8 pára-quedistas em queda-livre, uma "Estrela".

1991

O pára-quedista alemão OLAV ZIPSER inovou o pára-quedismo realizando diversas posições em queda-livre, que não as tradicionais barriga para baixo, surgia então o freefly, que propunha o vôo completo do corpo, daí em diante novas posições e manobras foram criadas e aprimoradas.

1995

Foi realizada em Dallas, no Texas (EUA), a primeira competição de freefly organizada pela SSI.

1996

O pára-quedista francês PATRICK DE GAYARDON desenvolveu um tipo de macacão que tem por objetivo aumentar o tempo de queda livre, assim como a velocidade horizontal atingida pelo pára-quedista.

Veja no filme "Os pára-quedistas estão chegando"

1999

Morre o francês PATRICK DE GAYARDON, criador do skysurf e do macacão “asas de morcego” (protótipo do wing suit), acidentando-se após a falha no equipamento especialmente alterado por ele próprio poucos dias atrás.

2000

O pára-quedas projetado por Leonardo da Vinci em 1483 funciona. A prova foi realizada pelo pára-quedista britânico ADRIAN NICHOLAS. O projeto de Da Vinci tem forma de pirâmide, é feito de madeira, cordas e tecido de algodão cru. NICHOLAS saltou de uma altura de 10.000 pés (aprox. 3.300m) com o equipamento, construído de acordo com as especificações de Da Vinci e usando somente materiais que estavam disponíveis na época do Renascimento.

2003

O pára-quedista austríaco FELIX BAUMGARTNER (www.felixbaumgartner.com) sobrevoou o Canal da Mancha em 31 de julho de 2003 sem auxilio de nenhum tipo de motor.

Fonte: www.pqdbrasil.com.br

História do Paraquedismo

Saiba como tudo começou...

Breve resenha histórica do Pára-Quedismo mundial:

História do Paraquedismo

1100 - Existem provas de que os chineses se divertiam saltando de lugares altos com estruturas rígidas que lembravam uma sombrinha.

1495 - O pára-quedas de Leonardo Da Vinci tinha forma piramidal e se mantinha aberto por meio de uma estrutura de madeira. Não se sabe se algum protótipo foi testado por ele. Apenas em junho de 2.000 um modelo quase idêntico foi testado pelo britânico Adrian Nicholas. Veja abaixo as fotos do feito e a reportagem.

1785 - Jean-Pierre Blanchard inventou o primeiro modelo de pára-quedas dobrável de seda. Todos os modelos anteriores se mantinham abertos por meio de uma estrutura rígida.

1797 - André-Jacques Garnerin realizou vários saltos. Saltou de balões em Paris (600 metros de altura) e em Londres de (2400 metros). Morreu saltando, devido à forte oscilação de seus pára-quedas. É considerado o primeiro pára-quedista.

1808 - Jodaki Kuparento, polonês, foi o primeiro a salvar a vida usando um pára-quedas, quando teve que abandonar o seu balão que se incendiava.

1890 - No Brasil, o norte americano Spencer Stanley saltou sobre a cidade de São Paulo. Depois dele - em 1931 veio Charles Astor, que iniciou a divulgação do esporte no país, dando cursos aos interessados.

1917 - Durante a I Guerra Mundial, a maioria dos países adotou pára-quedas para os tripulantes de seus dirigíveis de observação e para as tripulações de aviões militares.

1922 - Harold Harris foi o primeiro homem a realizar uma queda-livre, abandonando um avião em pane.

1939 -1945 - Durante a II Guerra Mundial quase todos os países utilizaram-se de tropas pára-quedistas. Os alemães, na invasão de Creta, chegaram a lançar 14.000 soldados pára-quedistas em uma ilha.

1951 - O Primeiro Campeonato de Pára-quedismo foi realizado na Iugoslávia. Participaram 5 países europeus.

1960 - J. Kittinger saltou de um balão a 31.000 metros, sendo este o recorde mundial até hoje.

1964 - Foi patentado o primeiro pára-quedas retangular. Estes são muito mais dirigíveis e seguros que os antigos redondos. Foi um grande impulso para o pára-quedismo esportivo.

1965 - Foi lograda a primeira formação de 8 pára-quedistas em queda-livre, uma "estrela".

2000 - O pára-quedas projetado por Leonardo da Vinci em 1483 funciona. A prova, feita mais de quinhentos anos depois que o sábio renascentista elaborou seus desenhos, foi realizada pelo pára-quedista britânico Adrian Nicholas. O projeto de Da Vinci tem forma de pirâmide, é feito de madeira, cordas e tecido de algodão cru. Nicholas saltou de uma altura de 10.000 pés (aprox. 3.300m) com o equipamento, construído de acordo com as especificações de Da Vinci e usando somente materiais que estavam disponíveis na época do Renascimento.

O pára-quedas se revelou ágil e eficaz. “Não houve ondulações ou quedas repentinas, e o pára-quedas se moveu facilmente pelo ar”, disse Nicholas. Depois de descer 6.000 pés (aprox. 2.000m) com o projeto de Da Vinci, Nicholas desconectou-se da pirâmide de algodão e completou o salto com um pára-quedas convencional, pois o pára-quedas de Da Vinci, pesando 85 quilos, que desceu sozinho, suavemente e a poucos metros de distância, poderia machucá-lo no pouso. Para isso Nicholas utilizou-se de um Sistema Três Argolas duplo com dois desconectores, um para a pirâmide e outro para o velame principal.

Durante meses, Nicholas e sua mulher, a arquiteta Katarina Olliaken, trabalharam sobre o projeto de Da Vinci. Apenas duas inovações foram acrescentadas: o uso do algodão, em vez de linho, e uma mudança no respiro de ar.

Fonte: www.skullparaquedismo.com.br

História do Paraquedismo

Um paraquedas (pré-AO 1990: pára-quedas) é um aparelho normalmente de tecido com um formato semiesférico destinado a diminuir a velocidade da queda de pessoas (por exemplos soldados) ou objectos despenhados de grande altura.

Existem evidências de que Leonardo da Vinci fez projetos de um paraquedas um pouco rudimentar mas que funcionou em testes recentes. O paraquedas de da Vinci consistia em um quadrado com quatro pirâmides de pano espesso e em cujo centro (onde se cruzam as diagonais) se prendiam cordas que seguravam o corpo do paraquedista.

Em 22 de Outubro de 1797, André-Jacques Garnerin foi o primeiro homem a saltar de paraquedas.
Com a formação de unidades especializadas em salto (paraquedistas) a Força Aérea de quase todos os países dispõe assim de uma possibilidade de colocar tropas no solo a partir do céu, possibilitando-as de serem transportadas mais rapidamente.

História do Paraquedismo

Com novas opções de utilização do paraquedismo, começaram a aparecer várias modalidades desportivas, e o paraquedas evoluiu em vários sentidos: de abertura automática (tipicamente para uso militar)

Este tipo de paraquedas está preparado para ser engatilhado por um gancho que, amarrado a um cabo resistente, irá abrir o paraquedas depois do salto com a tensão no cabo resultante do afastamento do paraquedista em relação ao avião. Este tipo de paraquedas permite, assim, saltos de baixa altitude, já que o paraquedas é aberto quase instantaneamente.

Este tipo não é muito manobrável e é utilizado especialmente para a largada de militares em alvos cirurgicamente estudados.

Parapente

O parapente é um planador ultra ligeiro flexível que evoluiu do paraquedas. Apesar dessa ideia ter pertencido inicialmente ao americano Barish foram três paraquedistas franceses que iniciaram a modalidade em Mieussy. Parapente é a junção de “Pára” de Paraquedistas com o termo “pente” que em francês significa encosta.

Evoluindo do paraquedismo, o parapente passou a integrar os desportos aéreos de voo livre conjuntamente com a asa delta e o planador.

Para uma maior segurança do paraquedista, existe um dispositivo de abertura automática do paraquedas (DAA ou Automatic Activation Device – AAD em inglês), existindo em diversos modelos (Cypress, FXC e Vigil entre outros) de diferentes fabricantes.

É um altímetro digital e velocímetro que, em queda livre, estabelece uma relação entre altitude e velocidade e estipula uma altura mínima para abertura do paraquedas, ou seja, se por acaso o paraquedista enfrentar problemas no salto, tal como desmaios ou um Twist muito intenso, ao chegar a altitude pré-determinada ele aciona o paraquedas reserva automaticamente.

Fonte: www.quedalivre.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal