Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Partes de um rio  Voltar

Partes de um rio

Os rios são uma parte crucial da educação geografia e carregam consigo uma riqueza de fatos e informações, desde a nascente até à foz.

As crianças podem começar a construir um conhecimento aprofundado deste corpo de água por nomes de todas as partes de um rio e como eles foram formados de aprendizagem.

Fonte

Um rio começa com sua fonte. A fonte pode ser a água da superfície, causada pela chuva ou pelo derretimento da neve e do gelo, ou uma fonte subterrânea; esta fonte também é conhecido como o "nascente". Medida que a água acumula-se, forma-se uma poça, em seguida, um fio, em seguida, um pequeno rio conhecido como "fluxo", isto pode ser tão pequena quanto um centímetro de diâmetro. Outros nomes usados ??para esta pequena parte do rio é "creek", "riacho" e "riacho".

Frações de várias fontes unir-se para formar um rio maior.

Afluente

"Tributário" é o nome dado a um pequeno rio que flui para um maior. Pode haver muitos afluentes que contribuem para um rio maior, o Mississippi tem cerca de 250 afluentes. O ponto onde se junta a um afluente do rio maior é chamado de "confluência" ou "garfo". O oposto de um afluente é um "distributary", que é um riacho que corre para fora do rio principal, em vez de dentro dela.

Meandro

Rios fluir normalmente em um caminho de encurvamento, e estas curvas são chamados "meandros". Os meandros são causados ??como os cortes de água fluindo através de corrói ou mais suave do solo durante um longo período de tempo. A água flui mais rapidamente na aresta exterior do meandro como a erosão continua, e mais lento na borda interna, onde o material é depositado corroído. O rio muda de forma ao longo do tempo como meandros estão sendo criados. Às vezes, um meandro "U" é abandonado pelo rio que leva uma rota diferente. Esta área fica separado do rio principal e é conhecida como uma "lagoa marginal."

Boca

A boca do rio é onde termina e se junta a um lago ou do oceano, o que muitas vezes é ponto mais largo do rio. O rio cai um monte de sedimentos que vem realizando neste momento. A foz do Mississippi é o Golfo do México. Quando um rio deságua no mar, a água doce encontra água salgada, e esta área é conhecida como o "estuário". A mistura de água salgada e de água doce é chamado de "água salobra".

Fonte: www.ehow.co.uk

Partes de um rio

O leito de um rio é a superfície sobre a qual ela flui. Seus bancos são os lados que possuem em limites. Margem direita e margem esquerda são termos freqüentemente mal entendidas. A margem direita está à direita de um observador olhando a jusante (no sentido em que o fluxo do rio), na margem esquerda do observador que sobrou.

Um rio começa em sua fonte ou nascente geralmente em um lago, nascente, geleira, campo de neve, pântano, pântano ou-e fluxos para a sua boca. A boca é o ponto em que um rio entra e termina num corpo maior de água. O Mississippi, por exemplo, tem a sua fonte na de Minnesota Lago Itasca e sua foz no Golfo do México.

O curso de um rio é o seu caminho, que segue a linha de menor elevação entre a fonte e o final do fluxo.

Os cursos são muitas vezes divididas em três seções: o curso superior, ou que a mais próxima da fonte, o curso médio, eo curso inferior, que mais próximo da boca. O canal, dependendo de como a palavra é usada, seja leito do rio ou a linha de água mais profunda em todo o curso do rio.

Fonte: geography.howstuffworks.com

Partes de um rio

Cada rio tem três partes:

Alto curso

É a primeira parte do rio, normalmente nas montanhas. A água desce com força. A erosão é muito forte.

Curso médio

A inclinação é menor. As águas descem mais lentamente, transportando os materiais erodidos. O rio pode formar meandros adaptando-se aos obstáculos.

Baixo curso

É a parte final, onde o rio termina sua viagem. É geralmente termina no mar, sedimentando os materiais que foram arrastados.

A boca do rio pode ser de dois tipos:

Delta: terra formado pelo material acumulado por o rio em contato com o mar.

Estuário: o lugar onde o rio entra em contato com o mar, onde a água do mar entra na foz do rio. Ele é submetido a fortes marés.

Fonte: www.claseshistoria.com

Partes de um rio

Partes Constituintes de Um Rio

Nascente

Partes de um Rio
Nascente

Nascente, é o local do qual se inicia um se inicia um curso de água (rio,ribeiro, riacho), seja grande ou pequeno.

Leito

Partes de um Rio
Leito

Leito é o espaço que pode ser pode ser ocupado pelas águas.

Margem

Partes de um Rio
Margem

Margem é um termo que em geografia quer dizer o local onde a água se encontra com a terra. Costuma-se utilizar este termo para referir a beira da água de um rio, de uma lagoa, de um lago com terra.

Foz

Partes de um Rio
Foz

Foz é como é denominado o local onde uma corrente de água, como um rio, desagua. Sendo assim, um rio pode ter como foz um outro rio, um grande lago, uma lagoa, um mar ou mesmo o oceano.

Afluente

Afluente - é o nome dado aos rios rios menores que deságuam em rios principais.

Rio de Planalto

Rios que correm em terras altas, geralmente são caudalosos e apresentam quedas de água e podem ser aproveitados para geração de energia aproveitados para geração de energia elétrica.

Rio de Planície

Rios que correm em áreas planas, são bons para a navegação quando não há obstáculos.

Bacia Hidrográfica

É o conjunto de todos os elementos de um rio e as terras drenadas pelos curso d'água.

Eliene Aquino Lobo

Fonte: www.colegiomontecastelo.com.br

Partes de um rio

Nascente

Local onde nasce o rio.

Pode ser:

Pluvial - Formada pelo acúmulo de água da chuva.

Nival - Formada pelo derretimento do gelo ou da neve.

Mista - Formada pela água da chuva e pelo derretimento da neve e do gelo.

Leito

Canal escavado pelo próprio rio e que serve de escoadouro para sua águas.

Foz

Local onde o rio despeja suas águas no mar, em um lago ou em outro rio.

Pode ser:

1. Estuário – Completamente aberta, sem nenhum obstáculo. Típica de rios jovens.

2. Delta – Constituída por ilhas sedimentares separada por canais. Típica de rios velhos.

Fonte: www.rc.unesp.br

Partes de um rio

Essas são as partes um rio:

A foz é onde o rio desemboca e pode ser em estuario (sem ilhas) ou em delta (com ilha).

Curso baixo é o curso mais perto da foz.

Curso alto é o curso mais perto da nascente. meandros são os desvios do rio. Quanto mais baixo o curso menores e mais bem trabalhados os sedimentos.

Podemos encontrar seixos rolados no curso médio.

Além desses conceitos devemos saber:

Montante: é a porção de um rio em direção a nascente apartir de um determinado ponto.

Justante: é aporção de um rio em direção a foz apartir de um determinado ponto.

Leito: é a superficie banhada pelas águas.

Talvegue: é a parte mais profunda do leito.

Margem direita/ esquerda: em relação a foz.

Fonte: alexandrerjesus03.blogspot.com.br

Partes de um rio

Elementos de um rio

Afluente: É o nome dado aos rios menores que desaguam em rios principais.

convergência para um determinado ponto.

Confluência: Termo que define a junção de dois ou mais rios ou ainda a

Foz: É o local onde desagua um rio, podendo dar-se em outro rio, em um lago ou no oceano.

Jusante: É qualquer ponto ou seção do rio que se localize depois (isto é, em direção à foz) de outro ponto referencial fixado.

Leito: Local onde o rio corre. É o solo que fica entre as margens, por onde as águas do rio escorrem.

Margem: As laterais do curso do rio que delimitam sua largura. Virado para jusante tem-se à direita a margem direita e à esquerda a margem esquerda.

Montante: É qualquer ponto ou seção do rio que se localize antes (isto é, em direção à nascente) de outro ponto referencial fixado.

Nascente: É o ponto onde se originam as águas do rio.

Talvegue: É a linha que se encontra no meio da região mais profunda de um rio e onde a corrente é mais rápida.

Vau: Sitio onde corre a água

Formação

Um rio origina-se a partir do momento que as águas subterrâneas são expelidas ou afloram para a superfície, desse modo vão se acumulando e formam um olho-d’água. Esse possibilita o surgimento de um filete e, em razão das irregularidades do solo, começam a escoar suas águas por um extenso percurso até atingir e adquirir a condição de um riacho, depois vai encorpando e torna-se um córrego e, por fim, um regato. O regato, à medida que escoa suas águas, recebe contribuição de afluentes menores, assim, seu curso se torna mais caudaloso e isso o eleva à categoria de ribeirão. A partir do momento em que o ribeirão adquire certa largura, alcança áreas de topografia plana já na forma de rio.

Usos

Rios podem ser utilizados para transporte, chamado transporte fluvial. No seu curso, dependendo do tamanho e volume das águas, e profundidade, navegam navios, barcos e outras embarcações menores. Um Rio também pode ser à base de sustento para muitas pessoas desde a pesca até a irrigação, que nos tempos atuais é mais raro. Além de gerar energia, que é um uso muito importante nos dias de hoje.

Ameaças

As aguas dos rios hoje em dia estão ameaçadas por despejo de lixo, resíduos químicos, hidrelétricas, desmatamento da mata ciliar.

Desmatamento da mata ciliar: causam a erosão que acabam dando vários problemas para o comercio como criando bacias de areia dificultando a passagem de barcos, deixando a cor do rio mais escura dificultando a pesca e também a criação de plantas impedindo o desenvolvimento dos ovos dos peixes.

Despejo de lixo: matam peixes, prejudicam animais que vão beber agua ou se alimentar de peixes e causam doenças.

Hidrelétricas: causam alagamentos matando as arvores e habitantes dos arredores do rio terão que se mudar podendo desmatar mais arvores ajudando no efeito estufa, as migrações dos peixes ficam afetadas e matam muitos animais.

Soluções

Existem variadas soluções para limpar rios e acabar com outros problemas causados pelo homem como, por exemplo, uma maior Conscientização das pessoas e do governo em parar de poluir nossos rios e maiores campanhas para limpar os rios já poluídos.

Ao invés de usarmos os rios para jogar nosso lixo podemos usá-los como vias de transportes (hidrovias).

Temos que preservar, além disso, as matas que envolvem as bordas dos rios (matas ciliares) para evitar a erosão do solo.

Alem disso há algumas sugestões mais diferentes como, por exemplo, um fungo (Pleurotus ostreatus) que dissolve diversos corantes jogados em rios por empresas têxteis.

Outro problema que enfrentamos é a quantidade de água utilizada para se fazer nossas coisas do dia-a-dia (água virtual) como, por exemplo: uma maçã "consome" 20 litros de água para ser produzida, toda essa água para apenas uma maçã. Poderíamos pedir que as empresas alimentícias e plantações construíssem métodos melhores para plantar e produzir alimentos. Então se lembre de preservar seus rios para ter um futuro melhor!

Fonte: sites.google.com

Partes de um rio

Elementos de um rio

Nascente ou Cabeceira: local onde o rio nasce

Leito: local onde o rio “corre”

Margens: partes laterais de um rio

Montante: parte de um rio em direção à nascente

Jusante: parte de um rio em direção à foz

Talvegue: parte mais profunda do leito do rio

Foz

Delta: múltiplos canais em forma de leque, dificulta o acesso ao continente

Estuário : único canal, facilita acesso ao continente

Mista: Possui características de estuário e delta

Meandros: “curvas” de um rio

Alto Curso: Próximo à nascente

Médio Curso: Porção intermediária

Baixo Curso: Próximo à foz

Drenagem Exorréica: rios que deságuam “fora” dos continentes

Drenagem Endorréica: rios que deságuam dentro dos continentes

Arréica e Criptorréica

Bacia Hidrográfica: área banhada por um rio principal e seus afluentes

Divisor de Águas: Região elevada que separa duas ou mais bacias hidrográficas

Fonte: www.colegiosacramentinas.com.br

 

 

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal