eta name="robot" content="All"/>
Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Pernambuco  Voltar

Pernambuco

 

 

Lutas e conquistas

Pernambuco foi uma das primeiras áreas brasileiras ocupadas pelos portugueses. Em 1535, Duarte Coelho torna-se o donatário da Capitania, fundando a vila de Olinda e espalhando os primeiros engenhos da região.

Pernambuco

No período colonial, Pernambuco torna-se um grande produtor de açúcar e durante muitos anos é responsável por mais da metade das exportações brasileiras. Essa riqueza atrai novos colonos europeus que constroem no estado um dos mais ricos patrimônios arquitetônicos da América Colonial.

Pernambuco

A riqueza de Pernambuco foi alvo do interesse de outras nações. No século XVII, os holandeses se estabelecem no estado. Entre 1630 e 1654, Pernambuco é administrado pela Companhia das Índias Ocidentais. Um dos seus representantes, o príncipe João Maurício de Nassau, traz para Pernambuco uma forma de administrar renovadora e tolerante. Realiza inúmeras obras de urbanização no Recife, amplia a lavoura da cana, assegura a liberdade de culto.

No período holandês, é fundada no Recife a primeira sinagoga das Américas. Amante das artes, Nassau tem na sua equipe inúmeros artistas, como Frans Post e Albert Eckhrout, pioneiros na documentação visual da paisagem brasileira e do cotidiano dos seus habitantes.

Pernambuco

Os pernambucanos se orgulham de sua participação altiva na História do Brasil, sempre mantendo altos ideais libertários, como na Guerra dos Mascates, entre 1710 e 1712; a Revolução Pernambucana, em 1817; a Confederação do Equador, em 1824; a Revolta Praieira, em 1848.

Com o advento da República, Pernambuco procura ampliar sua rede industrial, mas continua marcado pela tradicional exploração do açúcar. O Estado moderniza suas relações trabalhistas e lidera movimentos para o desenvolvimento do Nordeste, como no momento da criação da Sudene. A partir de meados da década de 60, Pernambuco começa a reestruturar sua economia, ampliando a rede rodoviária até o sertão e investindo em pólos de investimento no interior do estado. Na última década, consolidam-se os setores de ponta da economia pernambucana, sobretudos aqueles atrelados ao setor de serviços (turismo, informática, medicina) e estabelece-se uma tendência constante de modernização da administração pública.

Dados

Localização geográfica:

Centro-leste da região Nordeste do Brasil

Área do estado:

98.938 km2

Relevo:

Planície litorânea, Planalto Central, Depressões à Oeste e à Leste

Principais bacias hidrográficas:

São Francisco, Capibaribe, Ipojuca, Una, Pajeú, Jaboatão

Vegetação característica:

Mangue (litoral), Floresta tropical (zona da mata), Caatinga (agreste e sertão)

Clima:

Tropical atlântico (litoral), semi-árido (agreste e sertão)

Número de municípios:

184 e o território de Fernando de Noronha

Capital:

Recife

Principais produtos agrícolas:

Mandioca, feijão, cana-de-açúcar e milho

Principais produtos minerais:

Calcário e gipsita

Maiores indústrias:

Transformação de minerais não metálicos, confecções, mobiliário e curtume

Setores de ponta:

Pólo médico, pólo gesseiro, pólo de informática e pólo turístico

Bandeira de Pernambuco

Pernambuco

Nossa bandeira foi idealizada pelos revolucionários de 1817 e oficializada, anos depois, pelo governador Manoel Antonio Pereira Borba.

A cor azul do retângulo superior simboliza a grandeza do céu pernambucano; a cor branca representa a paz; o arco-íris em três cores (verde, amarelo, vermelho) representa a união de todos os pernambucanos; a estrela caracteriza o nosso estado no conjunto da Federação; o sol é a força e a energia de Pernambuco; finalmente, a cruz representa a fé na justiça e no entendimento.

Brasão de Pernambuco

Pernambuco

O brasão de Pernambuco foi oficializado pelo governador Alexandre Barbosa Lima, em 1895.

O leão representa a bravura do povo pernambucano; os ramos de algodão e de cana-de-açúcar simbolizam nossas riquezas; o sol é a luz cintilante do equador; as estrelas são os municípios. Ainda estão no brasão o mar e o farol de Olinda. Na faixa, aparecem as datas históricas mais importantes do estado: 1710 (guerra dos Mascates), 1817 (Revolução Pernambucana), 1824 (Confederação do Equador) e 1889

Hino do Estado de Pernambuco

O hino pernambucano é uma poesia acompanhada de música em honra aos bravos guerreiros do nosso estado.

A letra foi escrita por Oscar Brandão e a música é de autoria de Nicolino Milano.

"Salve! Oh terra dos altos coqueiros!
De belezas soberbo estendal!
Nova Roma de bravos guerreiros
Pernambuco, imortal! Imortal!

Coração do Brasil! em teu seio
Corre o sangue de heróis - rubro veio
Que há de sempre o valor traduzir
És a fonte da vida e da história
Desse povo coberto de glória,
O primeiro, talvez, no porvir.

Esses montes e vales e rios,
Proclamando o valor de teus brios,
Reproduzem batalhas cruéis.
No presente és a guarda avançada,
Sentinela indormida e sagrada
Que defende da Pátria os lauréis.

Do futuro és a crença, a esperança,
Desse povo que altivo descansa
Como o atleta depois de lutar...
No passado o teu nome era um mito,
Era o sol a brilhar no infinito
Era a glória na terra a brilhar!

A República é filha de Olinda,
Alva estrela que fulge e não finda
De esplender com seus raios de luz.
Liberdade! Um teu filho proclama!
Dos escravos o peito se inflama
Ante o Sol dessa terra da Cruz!"

 

Fonte: www.pe.gov.br

Pernambuco

Formação Histórica

A origem do Estado de Pernambuco encontra-se nas terras doadas como capitania hereditária pelo Rei de Portugal a Duarte Coelho, que chegou a Pernambuco, então denominado Nova Luzitânia, em 1535, estabelecendo-se em Olinda. Em 1537 foram fundadas as vilas de Igarassu e de Olinda, a primeira capital do Estado. A prosperidade de Pernambuco, que teve início com o cultivo da cana-de-açúcar e do algodão, atraiu grande número de europeus para a região. Entre 1630 e 1654 a região foi ocupada pelos holandeses, que incendiaram Olinda e fizeram de Recife a capital de seu domínio brasileiro. Durante esse período, o Conde Maurício de Nassau governou o Brasil holandês, administração que foi marcada por mudanças de natureza econômica, social e cultural. A forte resistência dos portugueses e brasileiros de origem luzitana, africana e índia, já cristianizados, acabou resultando na expulsão dos holandeses.

A história do Estado de Pernambuco é permeada por conflitos e revoltas de vários tipos. Em 1710 explodiu a Guerra dos Mascates, conflito que opôs os comerciantes portugueses instalados em Recife aos senhores de engenho de Olinda, muito influentes na capitania, uma vez que em Olinda encontrava-se a sede do poder público na época. A partir desse episódio a região passou por uma fase de declínio que durou quase um século.

Em 1811, ocorreram várias revoltas de cunho separatistas. Em 1817, o descontentamento com a administração portuguesa provocou a chamada Revolução Pernambucana, que resultou no surgimento da Confederação do Equador, movimento separatista de inspiração republicana. Vinte anos mais tarde, explode a Rebelião Praieira, trazendo de volta os ideais republicanos. O movimento foi sufocado quatro anos mais tarde, em 1848.

Origem do nome

Pernambuco

Do tupi, para'nã, rio caudaloso, e pu'ka, gerúndio de pug., rebentar, estourar. Relativo ao furo ou entrada formado pela junção dos rios Beberibe e Capibaribe.

Localização:

Situado na parte centro-leste da Região Nordeste brasileira.

Limites:

Norte :Estados da Paraíba e do Ceará
Leste :Oceano Atlântico
Sul :Estados de Alagoas e Bahia
Oeste :Estado do Piauí.

Clima / Temperatura

O clima é tropical e úmido na região litorânea, tornando-se menos quente à medida que se avança para o interior, na direção do Planalto Brasileiro. A temperatura média na maior parte do Estado varia de 26º a 31º C.

Relevo

Seu relevo caracteriza-se pela existência de uma planície costeira, de origem sedimentar, com praias e manguezais, e planalto no restante do Estado.

Hidrografia

O principal rio que banha o Estado de Pernambuco é o São Francisco, que corta a região sudoeste do Estado e recebe muitos afluentes, como o Pajeú e o Moxotó.

Em sua parte oriental o Estado é banhado pelos rios Capibaribe, Ipojuca e Una.

Vegetação

Podem ainda ser observadas três paisagens botânicas distintas no Estado: (1) a Zona da Mata, na região litorânea e úmida, onde são abundantes os coqueirais; (2) o Agreste, área de transição para a região semi-árida do interior; e (3) o Sertão, onde predomina a vegetação de caatingas.
 

Fonte: www.citybrasil.com.br

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal