Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Pérsia  Voltar

Pérsia

A Pérsia está situada entre a Mesopotâmia, o Golfo Pérsico e o Oceano Índico, a Índia e o Turquestão, na Ásia Central. Seu clima é seco e quente. Quase não chove ali. O solo é árido, com pequenas faixas férteis nos vales, onde se formam oásis.

Os povos medos e os persas , habitantes do planalto iraniano, pertenciam ao grupo dos indo-europeus que viviam nas estepes orientais do Mar Cáspio e denominavam-se ários, que quer dizer nobres. Os medos (povos) estabeleceram-se na parte setentrional dos Montes Zagros, próximos da Assíria , por volta do século IX a.C. .

Eram altos, bons cavaleiros, valentes. Dedicavam-se à agricultura e ao pastoreio. Trabalhavam o cobre, o bronze e o ouro.

História Política

As origens

No século VIII a.C. os assírios, no apogeu do seu militarismo, dominaram os medos. As tribos, distintas e vencidas, uniram-se na luta contra o invasor. No século seguinte estavam formando o Reino Medo, com a capital em Rebátana.

Os reis medos

Segundo a tradição, Déjoces foi o primeiro rei medo . Ciáxares (625 a 585 a.C.), com um exercito bem armado e disciplinado, impôs o seu domínio aos persas e tentou aniquilar o poderio assírio. Auxiliado pelos caldeus e pelos citas, apoderou-se de Nínive, destruindo o Império Sargônida. Astíages (585 a 548 a.C.) continuou a política expansionista do seu pai Ciáxares. Foi destronado por Ciro.

Império Persa

Ciro o grande (560 a 529 a.C.). Segundo a tradição, Ciro o fundador do Império Persa, era neto de Astíages e filho da princesa Mandane, casada com Combises, príncipe persa. Educado por pastores, tornou-se posteriormente guerreiro.

Notável administrador, recebeu o titulo de "rei do mundo" Fundou Pasárgada. Estabeleceu um sistema de correios. Tratou bem os vencidos, respeitando sua religião e seus costumes.

Suas conquistas militares mais notáveis foram:

a) Reino da Média;
b) Reino da Lídia, onde se apoderou da fabulosa riqueza do rei Creso. nomeado seu conselheiro;
c) Babilônia, onde foi auxiliado pelos aristocratas, sacerdotes e mercadores babilônicos, que lhe abriram as portas da cidade. Os hebreus cativos foram libertados;
d) Cidades gregas do litoral do Mar Egeu.

Ciro morreu em 529 a.C., combatendo os massagetas, nômades da Asia Central.

Cambises

Era filho de Ciro - auxiliado pelos fenícios, cipriotas e semianos, conquistou o Egito, em 525 a.C. na batalha da Pelusa. Saqueou túmulos, surrou a múmia de um faraó e matou o Boi Ápis. Tentou conquistar a Etiópia cujas riquezas eram lendárias .

Cambises morreu em 523 a.C. a caminho da Média em circunstância misteriosas.

Dario I, o Grande (521 a 485 a.C.) Filho de Histaspes, conselheiro de Ciro, foi notável administrador e guerreiro. Venceu a Trácia e a Macedônia. Formou uma satrapia na região ocidental do Rio Indo. Combateu os gregos na primeira guerra média.

Realizou grandes obras administrativas, entre as quais:

a) pacificou e reorganizou o Imperio, dividindo-se em satrapias para facilitar a administração;
b) cunhou moedas de ouro e prata chamadas "dáricas",
c) construiu estradas que ligavam as satrapias as cidades onde residia o soberano. A "estrada real" entre Sarde e Susa tinha 2500Km;
d) aperfeiçoou o sistema de correios.

Decadência

As causas da decadência do Imperio Persa foram:

a) as guerras continuas;
b) a grande extensão do Império;
c) a incapacidade dos sucessores de Dario I;
d) as intrigas palacianas.

O dominio macedônico

No reinado de Dario III (336 a 330) , o império Persa caiu sob o domínio de Alexandre Magno, rei macedônio.

ORGANIZAÇÃO POLÍTICA

Monarquia absoluta

O governo Pérsico era estruturado na monarquia até o surgimento de Dario I. Com os seus sucessores o poder real decaiu, passando o monarca a dividi-lo como os nobres.

O rei persa

Era chamado "rei dos reis" , residia alternadamente em ecbátana, Susa, Pasárgata e Persépolis, Sua corte era deslumbrante.

Satrapas

Eram os governadores de satrapias, eram representantes do rei com poderes para recrutar soldados, praticar justiça, cobrar impostos e realizar obras públicas.

O general

Comandava as tropas de ocupação e seu poder contrabalançava com o do sátrapa.

Secretário Real

Era o delegado pessoal do rei junto ao sátrapa.

Visão do Rei

Eram inspetores reais, que fiscalizavam as satrapias.

ORGANIZAÇÃO SOCIAL

Os nobres

Os nobres eram privilegiados, donos de vasta propriedades, exerciam grande influência na direção dos negócios políticos e sobre os camponeses.

Os sacerdotes eram chamados de magos , tinham grande influência social, Não só pela função que desempenhavam mas também pelas suas riquezas e sabedoria.

Os camponeses

Os camponeses eram fortes , rústicos, constituíam a maioria da população. Viviam simplesmente como agricultores ou nômades nas planícies e montes da meseta do Irã.

RELIGIÃO

MASDEÍSMO

Organizado por Zoroastro ou Zaratustra.

Com excelentes normas de moral, tem seus fundamentos fixados no "Avesta" livro sagrado.

Admite a existência de duas divindades independentes, hostis e opostas: ORMUZ-MAZDA e ARIMÃ.

Ormuz-Mazda - criador de tudo que é bom na terra:

O direito, a justiça, a felicidade dos homens, o sol, a água, as árvores, os animais domésticos, os pássaros, porque vivem na luz, e o gato, que anuncia o dia.

Concedia favores aos que : não mentissem, não contraíssem dividas, não concebessem maus pensamentos, cultivassem a terra, fossem chefes de família.

ARIMÃ

Fonte de todo o mal: escuridão, doenças, vícios, crimes, miséria, secas, serpentes, parasitas, aves de rapina.

A luta entre o Bem e o Mal

Na luta entre o bem e o mal o espirito do Bem, auxiliado pelos "gênios benéficos" , devia sustentar luta contra o espirito do Mal, ajudado pelos "demônios infernais". Esta luta terminaria com a vitória de Ormuz-Mazda.

As características do Masdeísmo são:

Dualismo;
Crença na imortalidade da alma, na vinda de um messias, na ressurreição dos mortos, no juízo final;
Condenação da cobiça, calúnia, usura, ascetismo, jejum;
Divindades não representadas em escultura;
Inexistência de templos

ECONOMIA

A agricultura ocupou o primeiro lugar entre as atividades econômicas dos persas. Cultivaram grandes variedades de frutos, cereais e flores.

Na industria, fabricavam tecidos de luxo, jóias, armas, mosaicos esmaltados, móveis finos.

O comércio persa estendeu-se por terra, até a Fenícia, Egito e Índia. Por mar, pelo Golfo Pérsico e mares da Índia, reduzindo-se as operações ao intercâmbio com produtos naturais e manufaturados.

ARTES

Nas artes os persas não foram originais. Receberam influência dos assírios, dos hititas, dos babilônios e dos egípcios.

Na arquitetura foi a mais importante arte dos persas. Construíram palácios, com egípcias, porém mais leves.

As principais construções foram:

Palácios de Ciro, em Pasárgata;
Palácio de Dario, em Persépolis.

Os Persas também foram ótimos escultores - as estátuas de touros alados dos persas lembraram as da Assíria.

CIÊNCIAS E AS LETRAS

Os persas não foram bons em ciências.

A literatura era pobre e de caráter religioso. Deixaram apenas algumas inscrições lacônicas.

A escrita - receberam a escrita cuneiforme dos sumerianos e adaptaram-na à sua própria língua.

CONTRIBUIÇÕES

Forma despótica de governo

E uma religião mais coerente e de bons valores moral.

Resumo

Povos do Irã: medos e persas.
Reis medos: Déjoces, Ciáxares e Astiages.
Reis persas: Ciro, Cambises, Dario I e Dario III.
Governo: rei absoluto, sátrapa, general, secretario real, inspetor real.
Sociedade: nobres, sacerdotes, camponeses.
Religião: Masdeísmo ou Zoroastrismo; dualista, imortalidade da alma, juizo final, vinda do Messias.
Economia: agricultura: atividade basica.
Artes, letras e ciências: sem importancia.

Fonte: www.consulteme.com.br

Pérsia

A História do Império Persa começa em 549 a.C. graças a Ciro “o Grande” e se estende até 330 a.C., apesar do curto tempo o Império Persa é conhecido como o maior Império de sua época, no seu auge o Império se estendia nos países que conhecemos hoje: Irã, Iraque, Líbano, Líbia, Grécia, Afeganistão, Jordânia, Israel, Egito, Turquia, Kuwait, Palestina, Geórgia, Chipre, Cazaquistão, Turcomenistão, Azerbaijão e Paquistão.

O surgimento do Império Pérsia se deve a junção de dois povos, os meados que tem origem da Ásia Central e os persas do sul da Rússia, estes dois povos se encontram no lesta da Mesopotâmia, tendo com grande personagem deste evento Ciro “o Grande”.

Ciro fica no poder do Império durante 25 anos, se consagrando por muitas vitorias e conquista de novos povos. O fator que mais se desta sem suas conquista, é manter os hábitos, costumes, liberdade e a religião dos povos dominados, proporcionando a estes povos uma vida bem normal e sem grandes diferenças, Ciro sempre respeitou a religiosidade dos povos, chegando a proibir que seus soldados prestassem qualquer ato contra com os templos e imagens religiosas. Atitudes que estão ligada a religião persa que guia o homem a fazer coisa boas. Porém os povos dominados eram obrigados a pagar tributos altos, e servi o exército, o seu governo foi bastante central e não era adepto a ideias vindas de fora. Passou anos organizando uma estratégia para invadir o Egito, mas morre ante de isto acontecer. A sua morte em 529 a.C. é marcada por um batalha contra povos nômades que invadiam a Pérsia ao norte,

O sucessor de Ciro é o seu filho que é oposto do pai no sentido de respeitos os outros povos, ele é conhecido por Cambises. O grande feito de Cambises foi dominar o Egito, a sua morte é dada de foram misteriosa.

Para ficar a frente do Império Pérsia Dario I assume o poder em 521 a.C. considerado o mais importante rei Pérsia, foi à frente do seu comando que o Império tem seu auge, Dario I amplia as terras dominadas, e sua morte é em uma batalha contra os atenienses. A grande contribuição que ele deixou foi o complexo aparelhamento político-administrativa do Império. Ao longo de sua trajetória Dario I sempre teve de seu exército, mais sempre foi uma pessoa com bastante bondade sobre os povos dominados.

Por conta de o Império Pérsia ter um enorme território, Dario I dividiu a Pérsia em províncias para facilitar a administração publica, desta forma ele dividiu a Pérsia em 20 províncias, colocando para governa cada província um membro da nobreza. Estes governadores tinham a responsabilidade de manter a justiças e a ordem, fiscalizar os tributos pagos e administrar a organização e construções publicas.

Apesar de o rei ter cedido à província para o nobre governa, o rei também direcionava um general e um secretario para fiscalizar o governo na província, sendo esta um forma de manter o nobreza com boas atitudes e fazer seu trabalho.

O rei Pérsia se preocupava com a ordem nas províncias, pois ainda não satisfeito com o nobre, general e o secretario, era mandado com frequência fiscais às províncias para vê a ordem pública esta sendo mantida.

Dario com preocupação em deixar as transações comercias mais simples e fáceis criou a moeda, que era feita de ouro ou prata, válida para todo o Império, esta moeda foi batizada pelo nome de dárico, e somente o rei detinha do poder de mantar fazer estas moedas.

Devido as importante estradas construídas pelo persas, o transporte e a comunicação entre as cidade eram feitas de forma inteligente e rápidas devido a “logística” que as estradas forneciam. Nas estradas do Império a cada 20 quilômetros eram fornecidos áreas de descanso para os viajantes, os mensageiros do rei poderiam troca de cavalo para que suas viajem fossem mais rápidas. Distancias de 2500 km, eram feitas em menos de duas semanas.

A base da riqueza Pérsia era a agricultura, pois esta atividade econômica proporcionava ao Império grandes fortunas, mantendo comercio com Egito, índia e Fenícia. A classe social responsável em promover a agricultura era o povo o camponês, que viviam em extrema miséria, porque não eram os donos das terras e eram obrigados a entregar quase toda a sua produção para o dono da terra. Além de ter que trabalhar de graça para as obras públicas como nas construções de estradas, palácios e outra qualquer obra do rei.

Desta forma o Império Pérsia explorava seu povo, e mantinha o exército e a grandeza do Estado.

A religião persa tem como fundador o profeta Zoroastro. Porém tem seu fortalecimento com o sacerdote Magi, que adotou o dualismo com forma de representação divina, para os persas existia dois deus o do bem que foi o Mazda e do mal representado por Arimã. Para um melhor entendimento da religião persa, era foi muito parecida com o cristianismo e islamismo, devido à composição de suas fés, representatividade divina e do mundo, também a forma que o homem deveria agir sendo sempre bom honesto e justo com o próximo. Lembrando que o zoroastrismo foi o criador do dualismo, sendo à base das crenças como o cristianismo, judaísmo e islamismo.

Além da sua religião fica de grande legado do Império Pérsia a arquitetura dos palácios, a originalidade de seus trabalhos em tijolos esmaltados e a escultura.

Maykon Santos da Silva

Fonte: sites.google.com

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal