Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Pêssego  Voltar

Pêssego

Classificação é a separação do produto por cor, tamanho, formato e qualidade.

Utilizar a classificação do PÊSSEGO é unificar a linguagem do mercado.

Produtores, industriais, atacadistas, varejistas e consumidores devem ter os mesmos padrões para determinar a qualidade do produto. Só assim, obteremos transparência na comercialização, melhores preços para os produtores e consumidores, menores perdas e melhor qualidade.

Grupos:

De acordo com a cor predominante da polpa do fruto

Pêssego
Polpa Amarela

Pêssego
Polpa Branca

Classe ou Calibre

De acordo com o maior diâmetro transversal do fruto

0

Pêssego

>= 2,5 a <3,5

1

Pêssego

>= 3,5 a <4,5

2

Pêssego

>= 4,5 a <5,1

3

Pêssego

>= 5,1 a <5,6

4

Pêssego

>= 5,6 a <6,1

5

Pêssego

>= 6,1 a <6,7

6

Pêssego

>= 6,7 a <7,3

7

Pêssego

>= 7,3 a <8

8

Pêssego

>= a 8

Defeitos Graves

São aqueles que inviabilizam o consumo ou a comercialização do produto

Podridão

Pêssego

(Dano patológico que implique em qualquer grau de decomposição, desintegração ou fermentação dos tecidos)

Dano profundo

Pêssego

(Dano de origem diversa. Considera-se defeito quando área afetada supere 1 cm² na forma individual ou dez por cento (10 %) da superfície do fruto em conjunto, e/ou, ao remover a epiderme 3 mm de profundidade prossegue afetando a polpa)

Queimado de sol

Pêssego

(Alteração na cor da epiderme e da polpa causada pela ação do sol. Considera-se defeito quando ao se remover 3 mm da epiderme prossegue afetando a polpa)

Caroço partido

Pêssego

(Separação do caroço, com presença ou não de gomosidade, que se evidencia com a deformação do fruto, e/ou, abertura peduncular. Considera-se defeito quando os frutos evidenciam a abertura na zona de inserção do pedúnculo)

Passado

Pêssego

(Fruto que apresenta um avançado estágio de maturação ou senescência. Considera-se sobremaduro quando a consistência da polpa da fruta medida com penetrômetro de ponta 5/16 for inferior a 7 (sete) libras de força, equivalente a três quilos, cento e setenta e cinco gramas (3,175 Kg).)

Lesão cicatrizada

Pêssego

(Dano de origem diversa. Considera-se defeito quando a área afetada supere 1cm² na forma individual ou 10% da superfície do fruto, e/ou, ao remover a epiderme a 3mm de profundidade segue afetando a polpa)

Desidratação

Pêssego

(Perda de água dos tecido da fruta visualizada por evidente enrugamento da epiderme)

Manchas

Pêssego

(Perda de água dos tecido da fruta visualizada por evidente enrugamento da epiderme)

Injuria mecânica

Pêssego

(Lesão com deformação superficial sem ruptura da epiderme provocada por ação mecânica)

Congelamento

Pêssego

(Escurecimento (pardo) e/ou vitrificação por congelamento da polpa e/ou da pele)

Imaturo

Pêssego

(Considera-se imaturo a consistência da polpa de fruta, medida com penetrômetro de pontas 5/16”, que seja superior a 15 libras de força e com teor de açúcar inferior ou igual a 8º Brix, com a correspondente correção da temperatura)

Alteração da polpa pelo frio

Pêssego

(Escurecimento (pardo), farinosidade, translucidez e/ou sangramento da polpa que se irradia desde o caroço até a periferia do fruto. Causada pelo efeito de baixas temperaturas na etapa de pós-colheita, perdendo o sabor característico da fruta. O sangramento para aqueles cultivares que possuem essa característica varietal não será considerado como defeito)

Defeitos Leves

Danos e defeitos superficiais que não inviabilizam o consumo e/ou a comercialização mas prejudicam a aparência e a qualidade do produto

Manchas

Pêssego

(Alteração na coloração da epiderme da fruta, qualquer que seja sua origem. Considera-se defeito quando a área afetada superar 0,5 cm²)

Deformação

Pêssego

(Desvio da forma característica do cultivar)

Lesão Cicatrizada

Pêssego

(Dano de origem diversa. Considera-se defeito quando a área afetada superar 0,5 cm² ou com um comprimento menor que um 1,0 cm, com até 3 mm de profundidade ao remover a epiderme)

Tipo ou Categoria

De acordo com a qualidade do fruto

O quadro abaixo estabelece os limites de tolerância de defeitos graves e leves para cada categoria de qualidade e permite a
classificação em: Extra, Categoria I e Categoria II.

 

Defeitos Graves (%) Extra Cat I Cat II
Imaturo 1 2 4
Desidratação 1 2 4
Congelamento 1 2 4
Alteração interna pelo frio 1 2 4
Dano profundo 1 2 4
Podridão 1 3 5
Queimado de sol 1 3 6
Lesão cicatrizada 1 3 6
Manchas Graves 1 3 6
Passado 1 4 6
Caroço partido 2 2 3
Injúria mecânica 2 4 8
Total graves 3 6 10
Total leves 5 10 15
Total geral 5 12 20

 

Lesão cicatrizada e mancha serão considerados defeitos leves quando a área afetada estiver entre 0,5 cm 2 e 1,0 cm 2. E serão considerados defeito graves quando quando a área afetada for superior a 1,0 cm2 na forma individual ou 10% da superfície do fruto em conjunto

Fonte: www.faep.com.br

Pêssego

Uma fruta saudável

Pêssego

O pessegueiro é uma árvore da família das Rosáceas, sendo uma fruta apreciada por muitos.

Uso Medicinal

O pêssego é muito indicado na debilidade pulmonar, nas enfermidades dos pulmões, nas afecções do fígado, na prisão de ventre, nas úlceras cancerosas, herpes, dores reumáticas, hipertensão arterial, anemia.

Tem indicação, também, como colagogo, diurético, depurativo do sangue, desintoxicante.

O macerado do caroço triturado regulariza o fluxo menstrual. O caroço moído, misturado com uma gema de ovo, é eficaz para estancar hemorragias provocadas por ferimentos. Produz bons efeitos, também, contra a hemofilia, segundo se afirma.

Externamente aplicadas, as folhas amassadas exercem efeitos sedativos.

As flores em infusão, com água ou leite, ou preparadas em forma de xarope, constituem um bom laxante infantil. O infuso é igualmente recomendado como diurético, vermífugo e útil contra a coqueluche.

As folhas frescas, amassadas, ou as secas, moídas, têm aplicação externa nas chagas gangrenosas e em toda espécie de erupções cutâneas.

A goma do pessegueiro, durante o verão, dá bons resultados contra as tosses mais rebeldes. Emprega-se somente meia colher das de café em uma xícara de leite quente.

Afirma-se que tanto as folhas do pessegueiro como a amêndoa contida no caroço do pêssego, são tóxicas.

Pêssego

Valor Alimentício

O pêssego só deve ser colhido maduro e consumido logo depois de apanhado. Comido em excesso ou quando não bem maduro, o pêssego torna-se indigesto, especialmente para os estômagos delicados.

Devemos evitar comer pêssego como sobremesa, especialmente após uma refeição em que tenha havido uma mistura de pratos.

Para podermos aproveitar ao máximo as suas qualidades medicinais e nutritivas, devemos comê-lo ao natural.

O pêssego é muito bom para a confecção de conservas, doces e compotas.

O pêssego é fonte razoável de pró-vitamina A e ferro.

Resumo das Utilidades Medicinais

Anemia: Embora não seja uma fruta rica em ferro, o é em vitamina C, pelo que pode ser vantajosamente utilizada juntamente com boas fontes de ferro, como o pão preto.

Câncer: Ver úlceras cancerosas.

Chagas: Folhas frescas amassadas, cataplasmas locais.

Colagogo: Proceder como indicado em hipertensão arterial.

Constipação intestinal: Fazer, em jejum, uma refeição só de pêssego.

Coqueluche: Infuso das flores.

Debilidade pulmonar: Proceder como indicado em tuberculose.

Depurativo: Proceder como indicado em hipertensão arterial.

Diabete melito: Recomenda-se a inclusão do pêssego na dieta. As proporções devem ser calculadas por um nutricionista.

Diurético: Proceder como indicado em hipertensão arterial. Infuso das flores.

Dores em geral: Aplicar no local cataplasmas das folhas trituradas.

Dores reumáticas: Proceder como indicado em úlceras cancerosas.

Erupções cutâneas em geral: Cataplasmas locais das folhas frescas amassadas; ou, do decoto concentrado das folhas secas moídas.

Feridas: Proceder como indicado em erupções cutâneas em geral.

Fígado, doenças do: Recomenda-se incluir o pêssego na dieta.

Gota: Recomenda-se incluir o pêssego na dieta. Podem-se substituir refeições por esta fruta, exclusivamente.

Hemofilia: Para auxiliar a estancar hemorragias, proceder como indicado em hemorragias. Os cuidados médicos são indispensáveis.

Hemorragias: Uso tópico do caroço bem moído misturado com uma gema de ovo. Remédio popular.

Herpes em geral: Proceder como indicado em úlceras cancerosas.

Hipertensão arterial: Fazer refeições exclusivas de pêssego.

Laxante infantil: Infuso das flores.

Menstruação, distúrbios da: Preparar um macerado do caroço triturado. Triturar os caroços e deixá-los de molho durante a noite. Filtrar. Ferver. Irrigações vaginais com este líquido, morno.

Pulmões, doenças dos: Proceder como indicado em tuberculose.

Reumatismo: Proceder como indicado em gota.

Tosse: Misturar mais colher de café da goma que sai do pessegueiro no verão com uma xícara de leite quente. Tomar aos goles.

Tuberculose: Recomenda-se incluir o pêssego na dieta.

Úlceras cancerosas: Além dos necessários cuidados médicos, recomenda-se ingerir pêssegos em abundância. Pode-se fazer refeições exclusivas de pêssego. Proceder também como indicado em chagas.

Verminoses: Infuso das flores em jejum.

Fonte: www.portalnatural.com.br

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal