Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  História da Peteca  Voltar

História da Peteca

História da Peteca

A peteca como recreação

Registros no passado mostraram que a peteca, como recreação, era praticada pelos nativos brasileiros, mesmo antes da chegada dos portugueses. Consequentemente, nossos antepassados, através de sucessivas gerações, também a praticaram, fazendo chegar essa recreação indígena a todo o território brasileiro.

O aprimoramento dessa recreação deu-se em 1920, e é atribuída aos nadadores olímpicos da delegação brasileira que participavam da V Olimpíada, na chamada "peteca esticada ou rebatida", utilizada, principalmente, como aquecimento dos nadadores.

A peteca como competição / esporte

Da rua, da grama ou da areia para as quadras, transformando essa recreação em competição, só aconteceu em Minas Gerais na cidade de Belo Horizonte, na década de 40, porém muito timidamente. Felizmente, na década de 70, milhares de homens e mulheres, velhos e moços, passaram a praticá-la, diuturnamente, seguindo as suas regras devidamente regulamentadas.

Finalmente, em 27 de agosto de 1985, o Conselho Nacional de Desporto - CDN, reconheceu o jogo de peteca como esporte, por solicitação da Federação Mineira de Peteca - Federação Mineira de Peteca.

Definição sumária do jogo de peteca

Colocados os jogadores na quadra, um deles inicía o jogo com um saque, ou seja, postado atrás da linha de fundo ele segura a peteca com uma mão, batendo nela com a outra, a fim de jogá-la, por cima da rede, para o campo adversário.

O adversário deve, então, rebater a peteca, devolvendo-a, também, por cima da rede mas, com apenas um toque, como no jogo de tênis de campo ou mesa. Resumindo: posta a peteca em jogo, através do saque, ela vai sendo jogada de um adversário para outro até que seja marcado um ponto. Este é conseguido quando a peteca cair no chão, dentro dos limites da quadra, ou quando o adversário que recebeu o saque, a rebate na rede ou fora dos limites da quadra ou quando o adversário comete alguma falta técnica.

O jogador consegue o ponto quando não deixa a peteca cair em seu campo, ou não aconteceu nenhuma falta técnica (toque na rede, invasão da linha central, condução, etc...), ou ainda, quando o adversário não consegue rebate-la, ou se consegue, não a devolve dentro dos limites do campo adversário, porque bateu na rede ou foi fora dos limites da quadra. Para disputa do ponto seguinte, o jogador que conseguiu o ponto, inicia nova disputa de ponto através de um novo saque.

Tipos de rebatidas (toques)

Batida básica ou batida por cima com os pés no chão;

Batida por baixo (quando a peteca vem muito baixa ou muito próxima da rede);

Batida saltando (mais agressivo com maior poder ofensivo, porém, exige grande esforço físico).

Tática do jogo

Não errar;

Preparar o ponto sem precipitação, criando a oportunidade adequada;

Antecipar a jogada;

Explorar o lado fraco do adversário;

Usar seus pontos fortes (aquelas jogadas que executa bem);

Dosar o esforço físico;

Não jogar a peteca na mão dos adversários (peteca a meia altura).

Oficialização e codificação das regras

Finalmente, sendo o jogo praticado em todos os estados da união, fazia-se necessário oficializá-lo e, em seguida codificar suas regras, de modo a evitar as dúvidas na interpretação do jogo. Aqui cabe exaltar os esforços do benemérito Outorgantino Magalhães Dias, o Tote, que depois de uma luta incessante, viu-se aprovada a oficialização de esporte, na sessão do plenário, do Conselho Nacional de Desportos - CDN, conforme deliberação n° 15/85, daquele Órgão, de 27 de agosto de 1985, em Brasília - DF, para a alegria de vários milhares de aficionados, cabendo à Confederação Brasileira de Desportos Terrestres - CBDT, o dever de codificar e estruturar o desporto como determina a lei.

Fonte: www.fempemg.hpg.ig.com.br

História da Peteca

Segundo os registros do passado, mesmo antes da chegada dos portugueses no Brasil, os nativos já jogavam peteca como forma de recreação, paralelamente, aos seus cantos, suas danças e suas alegrias.

Consequentemente, nossos antepassados, através das sucessivas gerações, foram-nos transmitindo essa salutar atividade. Atualmente, milhares de aficionados, na faixa de 07 a 80 anos, ou mais, dedicam, prazerosamente, horários diários, para jogar peteca, que em clubes, escolas, nas praias, nos bosques ou em quadras residenciais.

História da Peteca

Quis o destino que, nos jogos da V Olimpíada, realizados na Antuérpia, capital da Bélgica, em 1920, a título de recreação, os brasileiros que pela primeira vez participavam de uma Olimpíada, levassem petecas, atraindo numerosos atletas de outros países, interessados na sua prática. Revela-nos o registro da época, que o Dr. José Maria Castelo Branco, chefe da Delegação Brasileira, viu-se, momentaneamente, embaraçado pelos insistentes pedidos de regras formulados por técnicos e atletas finlandeses que , evidentemente, demonstravam interesse pela nova atividade desportiva. Coube a Minas Gerais a primazia de dar-lhe sentido competitivo, realizando jogos internos nos clubes pioneiros de Belo Horizonte.

Em 1973, surgiram as regras da peteca, dando margem para a fundação da Federação Mineira de Peteca - FEMPE, em 1975, confirmando, assim, o pioneirismo de um esporte nascido e desenvolvido entre nós. Como positivo respaldo, há muitas publicações como livros, revistas, informativos, panfletos e reportagens que enfatizam as vantagens da prática desse esporte e que pode ser jogado por crianças e adultos sem limite de idade, sendo sadio e atraente para os dois sexos, sem choques, sem acidentes cuja velocidade é decorrente da homogeneidade dos contendores. Assim, em 1978, o Mobral, editou o livreto "Vamos Jogar Peteca", admirável publicação dos técnicos do Centro Cultural e do Grupo Executivo da Campanha "Esporte Para Todos" - GECET, do Ministério da Educação, sob a supervisão da Profª. Maria Luíza Gonçalves Cavalcanti. Posteriormente, também a Secretaria de Educação Física e Desporto do MEC, teve uma parcela de marcante colaboração, divulgando essa prática em todo o território nacional, com sucesso.

Oficialização e Codificação das Regras

Finalmente, fazia-se necessário oficializar o jogo e, em seguida, codificar sua regras, de modo a evitar as dúvidas na interpretação. Aqui cabe exaltar, mais uma vez, os esforços do benemérito Outorgantino Magalhães Dias, o Tote, que depois de uma luta incessante, viu aprovada a oficialização do esporte, na Segunda Sessão do Plenário, do Conselho Nacional de Desporto - CND, conforme Deliberação n° 15/85 de 17 de agosto de 1985, em Brasília, cabendo à Confederação Brasileira de Desporto Terrestres - CBDT, o dever de codificar e estruturar o desporto como determina a lei.

Consequentemente, em 01 de abril de 1986, a CBDT nomeou o desportista Walter José dos Santos, para dirigir seu Departamento de Peteca, codificar as regras e regulamentos para possibilitar em 1987, a realização do Primeiro Campeonato Brasileiro de Peteca. No dia 06 de novembro de 1986, realizou-se, em Belo Horizonte, a primeira reunião especialmente convocada para o estudo das providências, decorrido o tempo para consultas e estudos, a 23 de fevereiro de 1987, foi realizada a reunião final para definir o texto das Regras, também em Belo Horizonte, sob a direção do Diretor da CBDT, participando da mesma o Presidente da Federação Brasiliense de Peteca, Luiz Astolfo de Andrade Tiburcio e o Presidente Paulista de Peteca, Mário Meirelles. Em 1995, sob a direção do Presidente da Confederação Brasileira de Desporto Terrestres, Nilton Seixas Necchi, e do Diretor do Departamento de Peteca da CBDT, Antônio José Magnavacca, do Presidente da Federação Mineira de Peteca, Inimá Rodrigues de Souza, e do Presidente da Federação Brasiliense de Peteca Luiz Astolfo A. Tiburcio, foram introduzidas alterações visando tornar o jogo mais competitivo e atraente. Entre essas alterações destaca-se a tomada de saque com a fixação de tempo para a conquista do ponto.

Fonte: petecabrasil.vilabol.uol.com.br

História da Peteca

Peteca é o nome dado tanto a um esporte quanto ao artefato esportivo utilizado em sua prática, sendo ambos de origem indígena-brasileira.

O Artefato Esportivo

A Peteca é de uma base que concentra a maior parte de seu peso geralmente feito de borracha, e uma extensão mais leve, geralmente feita de penas naturais ou sintéticas, com o objetivo de dar equilibrio ou orientar sua trajetória no ar quando arremessada. A Peteca era muito utilizada pelos índios como atividade esportiva para ganho de aquecimento corporal durante o inverno.

O Esporte

O jogo de Peteca guarda certas semelhanças com o voleibol e o Badminton, pelo fato de jogar-se, como estes, em um campo dividido por uma rede. O elemento principal do jogo é a peteca, que se golpeia com mão. A popularidade da peteca como jogo de tempo livre tem crescido constantemente em alguns países europeus, como a Alemanha, onde, para o esporte, existem três federações diferentes.

O jogo consiste em dois ou mais participantes, utilizando-se as mãos, onde a peteca é arremessada ao ar de um jogador para o outro, evitando que ela toque o solo numa área definida. É um esporte praticado em várias regiões do Brasil, e tem como origem o estado de Minas Gerais, proveniente dos índios que habitavam aquela região, que utilizavam tocos de madeira e palha amarrados a penas de aves, arremessando o artefato entre si como forma de diversão.

História

Segundo os registros do passado, mesmo antes da chegada dos portugueses ao Brasil, os nativos já jogavam peteca como forma de recreação, paralelamente, aos seus cantos, suas danças e suas alegrias. Conseqüentemente, nossos antepassados foram-nos transmitindo essa salutar atividade. Atualmente, milhares de aficionados, de qualquer idade, dedicam horários diários, para jogar peteca, em clubes, escolas, nas praias, nos bosques, em quadras residenciais e nos igapós. Quis o destino que, nos jogos da V Olimpíada, realizados na Antuérpia, capital da Bélgica, em 1920, a título de recreação, os brasileiros que pela primeira vez participavam de uma Olimpíada, levassem petecas, atraindo numerosos atletas de outros países, interessados na sua prática. Revela-nos o registro da época, que o Dr. José Maria Castelo Branco, chefe da Delegação Brasileira, viu-se, momentaneamente, embaraçado pelos insistentes pedidos de regras formulados por finlandeses que, evidentemente, demonstravam interesse pela nova atividade desportiva. Coube a Minas Gerais a primazia de dar-lhe sentido competitivo, realizando jogos internos nos clubes pioneiros de BH. Em 1973, surgiram as regras da peteca, dando margem para a fundação da Federação Mineira de Peteca.

Como positivo respaldo, há muitas publicações como livros, revistas, informativos, panfletos e reportagens que enfatizam as vantagens da prática desse esporte e que pode ser jogado por crianças e adultos sem limite de idade, sendo sadio e atraente para os dois sexos, sem choques, sem acidentes cuja velocidade é decorrente da homogeneidade dos contendores. Em 1978, o Mobral, editou o livreto "Vamos Jogar Peteca", admirável publicação dos técnicos do Centro Cultural e do Grupo Executivo da Campanha "Esporte Para Todos" - GECET, do Ministério da Educação. Posteriormente, também a Secretaria de Educação Física e Desporto do MEC tiveram uma parcela de marcante colaboração.

Olimpíada

Os Jogos Olímpicos de 1920, realizados na Antuérpia, foram os primeiros que tiveram a participação de uma delegação brasileira. Alguns dos atletas que representavam o Brasil, carregaram consigo petecas, para fins recreativos. A atividade atraiu a atenção de competidores de outros países, que demonstravam interesse nas regras, ainda inexistentes, desse esporte...

A Peteca na Alemanha

Em 1936, o professor de esportes alemão Karlhans Krohn, durante um passeio por Copacabana, observou os jovens jogando Peteca e a introduziu em seu país. Posteriormente Heinz Karl Kraus tratou de juntar os inúmeros clubes alemães dentro de uma só federação, a Liga Alemã de Esportes (DTB).

Institucionalização no Brasil

Apesar de já ser comum a prática da Peteca , apenas em 1973 começaram a ser fomentadas regras sobre o esporte, com a criação da Federação Mineira de Peteca - FEMPE, em 1975. A oficialização veio através de uma resolução do Conselho Nacional de Desporto - CND Finalmente, em 1986, a CBDT (Confederação Brasileira de Desportos Terrestres) criou seu departamento de Peteca, nomeando para a sua direção o desportista Walter José dos Santos, responsável pela codificação e oficialização das regras. Em 1987 aconteceu o primeiro Campeonato Brasileiro de Peteca, fruto do esforço das federações regionais espalhadas pelo país.

No mundo

Em 26 de maio de 2000 foi fundada uma federação mundial em Berlim, que recebeu o nome de [[International Indiaca Association|IIA - International Indiaca Association (Associação Internacional de Indiaca, nome internacional da Peteca). Esta federação se propôs como objetivo regulamentar as diferentes formas do jogo e promover torneios internacionais da modalidade. As maiores federações nacionais do esporte se encontram na Alemanha e Japão, mas também são membros da IAA: Suíça, Estônia, Eslováquia, Brasil e Luxemburgo. Em agosto de 2001 foi realizado na Estônia o primeiro campeonato mundial de Peteca, sendo neste mesmo país-sede o segundo campeonato em 2006. A Federação Francesa de Peteca (FFP) foi criada em fevereiro de 1999 por Jean-François Impinna, um jogador de rugby.

Regras

Os jogos podem ser de simples ou duplas, nos moldes de uma partida de tênis. A quadra apresenta dimensões de 15,0m x 7,5m para duplas e 15,0m x 4,0m para individual, dividido em duas metades, cada uma para o uso de uma das equipes rivais. A altura da rede é variável e depende da idade e do sexo dos participantes. Para jogos da categoria masculino, a rede deverá apresentar uma altura de 2,43m e 2,24m para o feminino e categoria até 12 anos.

Detalhes como as dimensões dos quadrados da malha também são especificados: aproximadamente 4 cm por 4 cm. A peteca é posta em jogo através de um saque, no qual o jogador golpeia com a mão ou com a raquete a peteca para que passe por cima da rede. A peteca deve ser jogada para a outra metade da quadra com um único toque, sem que tenha tocado o solo. Atualmente utiliza-se o sistema de vantagens para contagem de pontos.

Cada partida é disputada em sets, que chegará ao fim quando uma das equipes alcançar 12 pontos ou após 20 minutos de jogo. O componente que ganhar dois sets primeiro, ganha a partida. Outro detalhe importante é que após o saque, o ponto deverá ser finalizado em 30 segundos, ou senão a vantagem será revertida. As regras completas são muito mais específicas e podem ser encontradas nos sítios das federações de peteca (algumas são listadas na última seção).

Jogadores Famosos

• Brasil: Tiago Velasco, Luiz Carlos Hortense, Joaquim Rolla.

• França: Jeff Impinna (Sannois), Vincent Vannostal (Sannois), Yannis Kokotakis (Sannois), Stéphane Manka (Sannois), Benoît Pertuc (Sannois), Thomas Derrien (Sannois), Caroline Martin (Laxou), Marie-France Thyrard (Laxou), Laura Bureau (Sannois), Clémence Laperche (Sannois), Elodie Laudren (Sannois), Alix Leblanc (Sannois), Kathleen Ventura (Sannois).

• Reino Unido: Peter Cheek (Greenwich), Nick Trumble (Greenwich), Daniel Ousdine (Greenwich), Joseph Ludkin (Greenwich), Chris Wall (Greenwich), Matt Harfield (Greenwich), Luis Olmos (Greenwich), Isaac Loftus-Cheek (Greenwich Juniors), Tom Chapman (Greenwich Juniors).

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal