Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Corpos Estranhos e Asfixia  Voltar

Corpos Estranhos e Asfixia

 

Corpo estranho nos olhos

É a introdução acidental de poeiras, grãos diversos, etc. Na cavidade dos glóbulos oculares.

Sinais e sintomas

Dor.
Ardência.
Vermelhidão.
Lacrimejamento.

Primeiros socorros

Não esfregar os olhos.
Lavar o olho com água limpa.
Não remover o corpo estranho manualmente.
Se o corpo estranho não sair com a lavagem, cobrir os dois olhos com pano limpo.
Encaminhar para atendimento hospitalar.

Intoxicações e envenenamentos

O envenenamento ou intoxicação resulta da penetração de substância tóxica/nociva no organismo através da pele, aspiração e ingestão.

Sinais e sintomas

Dor e sensação de queimação nas vias de penetração e sistemas correspondentes.
Hálito com odor estranho.
Sonolência, confusão mental, alucinações e delírios, estado de coma.
Lesões cutâneas.
Náuseas e vômitos.
Alterações da respiração e do pulso.

Primeiros socorros

Pele

Retirar a roupa impregnada.
Lavar a região atingida com água em abundância.
Substâncias sólidas devem ser retiradas antes de lavar com água.
Agasalhar a vítima.
Encaminhar para atendimento hospitalar.

Aspiração

Proporcionar a ventilação.
Abrir as vias áreas respiratórias.
Encaminhar para atendimento hospitalar.

Ingestão

Identificar o tipo de veneno ingerido.
Provocar vômito somente quando a vítima apresentar-se consciente, oferecendo água.
Não provocar vômitos nos casos de inconsciência, ingestão de soda cáustica, ácidos ou produtos derivados de petróleo.
Encaminhar para atendimento hospitalar.

Fonte: www.fundacentro.gov.br

Corpos Estranhos e Asfixia

CORPOS ESTRANHOS NO ORGANISMO

Alguns ferimentos têm como agente causador corpos estranhos que atingem partes do corpo:

Olhos,
Pele,
Ouvidos,
Nariz
Garganta.

O que é um corpo estranho?

O que são:

Pequenas partículas de vidro, madeira, poeira, carvão, areia ou limalha, grãos diversos, sementes insetos mosquitos, formigas, moscas, besouros, etc. que podem penetrar nos olhos, nariz e ouvidos.

Crianças pequenas podem, acidentalmente, introduzir objetos nas cavidades do corpo, em especial no nariz, boca e ouvidos. Estes objetos são, na maioria das vezes, peças de brinquedos, sementes, moedas, bolinhas de papel e grampos.

Se houver asfixia, a vítima apresentará pele azulada e respiração difícil ou ausente.

É qualquer material, que entrando em contato com algum local do organismo (olhos, nariz, garganta, pele) pode causar desconforto, ferimento ou prejuízo de alguma função.

Por exemplo, são chamados de corpos estranhos todas as pequenas partículas de poeira, carvão, madeira, areia, ossos, grãos, insetos, e espinhos de peixe, quando em contato com o organismo na situação acima.

Quando há a presença de um corpo estranho, é de fundamental importância conhecer técnicas apropriadas para cada caso e agir de acordo com elas.

Nos olhos

Os olhos são muito delicados e, se atingidos por poeira, areia, insetos ou outros pequenos corpos estranhos, podem sofrer irritação, inflamações e ferimentos mais sérios e até perda de visão.

Corpos estranhos nos olhos. O que fazer?

Quando um corpo estranho atingir o olho de uma pessoa, deve-se segurar os cílios superiores e puxar a pálpebra superior por cima da pálpebra inferior, para deslocar a partícula ou objeto que estiver incomodando. Faça, então, a vítima fechar os olhos, para permitir que as lágrimas lavem e removam o corpo estranho.

Medidas para corpos estranhos nos olhos.

Corpos Estranhos e Asfixia

Se o processo anterior falhar, deve-se lavar o olho afetado com água limpa, de preferência usando conta–gotas. Se isso não resolver o problema, deve-se virar a pálpebra superior para cima, ou a inferior para baixo, e, com muito cuidado, retirar o corpo estranho com a ajuda de um pano limpo ou de um cotonete umedecido com água.

Todo ferimento no olho deve ser considerado perigoso, pois pode causar cegueira. Mesmo pequenos cortes e arranhões podem infeccionar e prejudicar a visão, se não forem bem cuidados.

Corpo estranho encravado no globo ocular

NUNCA TENTAR RETIRÁ-LO.

Basta colocar uma compressa ou pano limpo sobre o olho (um curativo macio, de preferência) cobrindo também o olho não atingido para evitar o movimento do olho afetado.

Encaminhar a vítima para socorro médico imediatamente. Não se deve, de forma alguma, deixar que a vítima esfregue o olho, pois isso pode causar um ferimento ainda maior.

Além de corpos estranhos, os olhos podem sofrer queimaduras causadas por irradiações, fachos de luz de luminosidade intensa (banhos de luz), luz artificial (bronzeamento artificial) ou luz produzida por solda elétrica.

Esta luminosidade intensa pode afetar gravemente o olho, podendo levar a vítima à cegueira.

Esse tipo de queimadura se manifesta somente através da ardência e sensação de irritação (como se fosse areia nos olhos). Nesse caso, a única medida é procurar um especialista.

Os olhos também podem sofres lesões como pancadas.

O que fazer:

A primeira coisa a fazer em qualquer tipo de lesão é solicitar à vítima que não esfregue os olhos. Antes de auxilia-la , lave suas mãos.

O que fazer com:

Objetos flutuantes: (ciscos, areia, cílios)
Lave o olho com colírio, soro ou água limpa corrente,
Não melhorando procure ajuda médica.
Objetos entranhados: (fixos e perfurantes)
Cubra os 2 olhos com gaze ou pano limpo sem comprimir, procurando imobilizar o objeto,
Procure ajuda médica urgente.

Produtos químicos nos olhos:

Lave o olho por 5 minutos
Procure ajuda médica
Leve o produto ou a embalagem junto para avaliação

Cortes, contusões e hematomas:

Cubra os 2 olhos com compressas úmidas e frias
Procure ajuda médica

O que NÃO fazer :

Não permita que a vítima esfregue os olhos
Não utilize colírio anestésico.
Não coloque pomadas, isto dificultará a avaliação médica.
Os olhos também podem ser atingidos por substâncias químicas, como ácidos, cal, gasolina, etc.
O socorrista deve agir com a máxima urgência, praticando, de imediato, a lavagem do olho ou olhos afetados.

Na lavagem, deve-se tomar cuidado para não prejudicar o olho não afetado. Quanto mais água se usar e quanto mais depressa se agir, melhor. Não se deve dar tempo para que a substância química exerça sua ação.

Feita a lavagem do olho, encaminhe a vítima, imediatamente, ao médico.

Na pele

Quando corpos estranhos ficam encravados na pele, podem causar ferimentos e infecções.
Deve-se remover o corpo estranho com uma pinça limpa ou agulha flambada (aquecida em uma chama até ficar em brasa).
Nunca use canivete ou faca.
Se o corpo estranho estiver muito encravado e difícil de retirar, encaminhe a vítima ao pronto-socorro.
Não esqueça, mesmo em casos leves, é melhor encaminhar o paciente ao serviço médico, do que agravar a lesão, principalmente porque não configura uma emergência.

Acidentes com anzóis.

Caso a pele seja atingida por um anzol de pesca devemos empurrá-lo até que a fisga fique exteriorizada.
Depois cortar a ponta do anzol com um alicate, pois se o puxarmos a pele ficará ainda mais ferida.
Em seguida puxamos o anzol pelo mesmo orifício por onde ele entrou.
Em qualquer caso de ferimento da pele (anzol ou outros corpos estranhos) faça uma limpeza com água e sabão e adote as medidas apropriadas aos casos de ferimento.

No ouvido externo

A presença de um corpo estranho no ouvido, geralmente, não se constitui num problema de urgência, e, por isso, não há necessidade de afobação ou desespero.
Caso o objeto introduzido esteja obstruindo totalmente o ouvido, a vítima sentirá um pequeno mal-estar por ouvir menos.
A ida ao médico poderá ser providenciada com calma.

Insetos no ouvido externo

Quando o objeto estranho for um inseto provocará um ruído que desespera a vítima, podendo gerar estado de inquietação e irritabilidade.
Deve-se fazer alguma coisa para aliviar de imediato a vítima.
Se o inseto estiver se movimentando dentro do ouvido, podemos utilizar um facho de luz. Deve-se puxar a orelha para trás e dirigir o facho de luz para o canal auditivo. O inseto atraído pela luminosidade, saíra com certa facilidade

Grãos ou fragmentos metálicos no ouvido externo

No caso de grãos de cereais ou fragmentos metálicos existe outra alternativa:

Tente removê-los inclinando a cabeça para baixo e para o lado do ouvido atingido. Com o punho, a vítima ou o socorrista deve dar leves pancadas na cabeça, no lado do ouvido atingido.
Não tente retirar corpo estranho do ouvido com cotonete, pinça ou outro instrumento qualquer, pois corre-se o risco de empurrá-lo ainda mais para dentro. Ele pode antingir o tímpano, perfurando-o, podendo provocar até surdez.

No nariz

Quando o órgão em que se encontra um corpo estranho for o nariz, deve-se comprimir a narina que esteja livre e pedir que a vítima mantenha a boca fechada e tente expelir ar pela narina tampada.
É necessário avisar a vítima para que não assoe o nariz com muita violência. Isto poderia ferir a cavidade nasal.

Corpo estranho no nariz

Em nenhuma hipótese devemos introduzir algum instrumento na narina atingida. Isso pode provocar outras complicações.
É comum crianças muito pequenas introduzirem corpos estranhos no nariz. Se a pequena vítima não souber assoar o nariz sozinha, o que fazer?

O socorrista deverá colocar a própria boca sobre o nariz da vítima e tentar aspirar o corpo estranho. Se não conseguir, deve encaminhar a vítima ao pronto–socorro, rapidamente.

Na garganta

Corpos estranhos na garganta (como espinhas de peixe ou moedas) podem obstruí-la, provocar lesões e/ou asfixia, por impedir a entrada de ar nos pulmões.

Às vezes, quando ocorre o engasgo com a alimentação ou bebida, o simples reflexo da tosse pode eliminar o corpo estranho que esteja impossibilitando a passagem do ar.

No caso de corpos estranhos na garganta, devemos passar nossos braços acima da cintura da vítima, que estará em pé e de costas, e pressionar com força a região entre as costelas (manobra de Heimlich).

A saída do ar expulsa o que estiver na garganta. Se a vítima estiver inconsciente, deite-a de costas e comprima a região do estômago para baixo e para frente, com as duas mãos.

Quando acontece com criança é mais difícil, porque ela nem sempre consegue se livrar do objeto. Nesse caso, pode-se colocar a criança de cabeça para baixo ou com o corpo curvado para frente e, em seguida, aplicar palmadas secas em suas costas.

Se, com as manobras anteriores, não conseguir retirar o corpo estranho, introduza o dedo indicador junto às paredes da boca para alcançar o objeto por trás e assim trazê–lo para fora. É preciso ter cuidado para não empurrar ainda mais o objeto, piorando a situação.

Se o corpo estranho na garganta levar a asfixia ?

De qualquer maneira, sempre é importante observar a respiração da vítima, verificando se ela não está asfixiada. Se isso acontecer, aplique rapidamente a respiração boca- a- boca e leve a vítima para o socorro médico.

Espinha de peixe na garganta

Caso o corpo estranho seja uma espinha de peixe e esteja encravada, não devemos tentar retirá-la, pois correríamos o risco de ferir ainda mais a garganta, provocando inchaço e obstrução das vias respiratórias. A única atitude do socorrista, nessa situação, é levar a vítima, com urgência, para o médico.

Como transportar a vítima com corpo estranho na garganta ?

Ao transportar a vítima, devemos ter o cuidado de manter sua cabeça abaixada, para impedir a descida do objeto para os pulmões.

E se não conseguirmos retirar o corpo estranho ?

Em todos os casos de corpos estranhos no organismo, quando não conseguirmos retirá-los, devemos acalmar a vítima e encaminhá-la ao socorro médico.

Fonte: www.td.utfpr.edu.br

Corpos Estranhos e Asfixia

Asfixia

Asfixia pode ser definida como sendo parada respiratória, com o coração ainda funcionando.

É causado por certos tipos de traumatismos como aqueles que atingem a cabeça, a boca, o pescoço, o tórax; por fumaça no decurso de um incêndio; por afogamento; em soterramentos, dentre outros acidentes, ocasionando dificuldade respiratória, levando à parada respiratória.

Nesse caso, a identificação da dificuldade respiratória pela respiração arquejante nas vitimas inconscientes, pela falta de ar de que se queixam os conscientes, ou ainda, pela cianose acentuada do rosto, dos lábios e das extremidades (dedos), servirá de guia para o socorro à vítima.

Principais causas

A. Bloqueio da passagem de ar. Pode acontecer nos casos de afogamento, secreções e espasmos da laringe, estrangulamento, soterramento e bloqueio do ar causado por ossos, alimentos ou qualquer corpo estranho na garganta.
B
. Insuficiência de oxigênio no ar. Pode ocorrer em altitudes onde o oxigênio é insuficiente, em compartimentos não ventilados, nos incêndios em compartimentos fechados e por contaminação do ar por gases tóxicos (principalmente emanações de motores, fumaça densa).
C.
Impossibilidade do sangue em transportar oxigênio.
D.
Paralisia do centro respiratório no cérebro. Pode ser causada por choque elétrico, venenos, doenças, (AVC), ferimentos na cabeça ou no aparelho respiratório, por ingestão de grande quantidade de álcool, ou de substâncias anestésicas, psicotrópicos e tranqüilizantes.
E
. Compressão do corpo. Pode ser causado por forte pressão externa (por exemplo, traumatismo torácico), nos músculos respiratórios. O sinal mais importante dessa situação é a dilatação das pupilas.

Primeiros socorros

A primeira conduta é favorecer a passagem do ar através da boca e das narinas
Afastar a causa.
Verificar se o acidentado está consciente.
Desapertar as roupas do acidentado, principalmente em volta do pescoço, peito e cintura.
Retirar qualquer objeto da boca ou da garganta do acidentado, para abrir e manter desobstruída a passagem de ar.
Para assegurar que o acidentado inconsciente continue respirando, coloque-a na posição lateral de segurança.
Iniciar a respiração de socorro (conforme relatado a frente), tão logo tenha sido o acidentado colocado na posição orreta. Lembrar que cada segundo é importante para a vida do acidentado.
Repetir a respiração de socorro tantas vezes quanto necessário, até que o acidentado de entrada em local onde possa receber assistência adequada.
Manter o acidentado aquecido, para prevenir o choque.
Não dar líquidos enquanto o acidentado estiver inconsciente.
Não deixar o acidentado sentar ou levantar. O acidentado deve permanecer deitado, mesmo depois de ter recuperado a respiração.
Não dar bebidas alcoólicas ao acidentado. Dar chá ou café para beber, logo que volte a si.
Continuar observando cuidadosamente o acidentado, para evitar que a respiração cesse novamente.
Não deslocar o acidentado até que sua respiração volte ao normal.
Remover o acidentado, somente deitado, mas só em caso de extrema necessidade.
Solicitar socorro especializado mesmo que o acidentado esteja recuperado.

Fonte: www.anvisa.gov.br

Corpos Estranhos e Asfixia

O que acontece?

Crianças pequenas podem, acidentalmente, introduzir objetos nas cavidades do corpo, em especial no nariz, boca e ouvidos. Estes objetos são, na maioria das vezes, peças de brinquedos, sementes, moedas, bolinhas de papel e grampos. Se houver asfixia, a vítima apresentará pele azulada e respiração difícil ou ausente.

No ouvido

Não tente retirar objetos profundamente introduzidos, nem coloque nenhum instrumento no canal auditivo.
Não bata na cabeça para que o objeto saia, a não ser que se trate de um inseto vivo.
Pingue algumas gotas de óleo mineral morno (vire a cabeça para que o óleo e o objeto possam escorrer para fora), e procure ajuda médica especializada imediatamente.

Nos olhos

Não deixe a vítima esfregar ou apertar os olhos, pingue algumas gotas de soro fisiológico ou de água morna no olho atingido. Se isso não resolver, cubra os 2 olhos com compressas de gaze, sem apertar, e procure um médico.

Se o objeto estiver cravado no olho, não tente retirá-lo, cubra-os e procure ajuda médica. Se não for possível fechar os olhos, cubra-os com um cone de papel grosso (por exemplo, um copo) e procure ajuda médica imediata.

No nariz

Instrua a vítima para respirar somente pela boca, orientando-a para assoar o nariz.

Não introduza nenhum instrumento nas narinas para retirar o objeto. Se ele não sair, procure auxílio médico.

Objetos engolidos

Nunca tente puxar os objetos da garganta ou abrir a boca para examinar o seu interior. Deixe a pessoa tossir com força, este é o recurso mais eficiente quando não há asfixia.

Se o objeto tem arestas ou pontas e a pessoa reclamar de dor, procure um médico.

Se a pessoa não consegue tossir com força, falar ou chorar, é sinal de que o objeto está obstruindo as vias respiratórias, o que significa que há asfixia.

ASFIXIA

O que fazer?

Aplique a chamada "manobra de Heimlich". Fique de pé ao lado e ligeiramente atrás da vítima.

A cabeça da pessoa deve estar mais baixa que o peito. Em seguida, dê 4 pancadas fortes no meio das costas, rapidamente com a mão fechada. A sua outra mão deve apoiar o peito do paciente.

Se o paciente continuar asfixiado, fique de pé, atrás, com seus braços ao redor da cintura da pessoa. Coloque a sua mão fechada com o polegar para dentro, contra o abdômen da vítima, ligeiramente acima do umbigo e abaixo do limite das costelas. Agarre firmemente o pulso com a outra mão e exerça um rápido puxão para cima. Repita, se necessário, 4 vezes numa seqüência rápida.

Se a vítima for um bebê ou criança pequena, deite-a de bruços apoiando no seu braço. Dê 4 pancadas fortes, mas sem machucá-lo.

Mantenha o bebê apoiado no seu braço, virado de costas, com a cabeça mais baixa que o resto do corpo, e apóie 2 ou 3 dedos no seu abdômen, ligeiramente acima do umbigo e abaixo da caixa torácica. Pressione as pontas dos dedos com um ligeiro alongamento ascendente. Se necessário, repetir 4 vezes.

Fonte: www.bombeirosemergencia.com.br

Corpos Estranhos e Asfixia

Crianças pequenas podem acidentalmente introduzir objetos nas cavidades do corpo, em especial no nariz, na boca e nos ouvidos. São na maioria das vezes, peças de brinquedos, sementes, bolinhas de papel, moedas e grampos.

Em caso de asfixia, a vítima apresentará a pele azulada e respiração difícil, ou até mesmo ausente.

Engasgo

O engasgamento é ocasionado pela introdução de corpos sólidos que podem se localizar na laringe, impedindo total ou parcialmente a passagem de ar.

As pessoas geralmente engasgam com pedaços de alimentos que não foram bem mastigados, ou quando tomam muita bebida alcóolica.

Pedaços de carne não muito bem triturados pelos dentes são os principais causadores de engasgamento em adultos.

Uma obstrução da garganta costuma ocorrer ainda com pessoas que usam dentadura, principalmente quando esta se solta na hora de comer.

Se você não socorrer uma vítima de engasgo, ela pode perder a consciência e até morrer.

A pessoa engasgada apresenta três sinais clássicos: ela não fala, não tosse e não respira. Além do mais, ela sempre prende a garganta com as mãos. Essa reação é conhecida como"sinal de engasgo". Ao socorrer, você pode deparar com a vítima consciente e inconsciente.

Como proceder quando objetos forem engolidos?

Aplique a chamada "Manobra de Heimlich" - Fique de pé ligeiramente atrás da vítima. A cabeça da pessoa deve estar mais baixa que o peito. Portanto, o tórax é inclinado para frente e a cabeça mais para baixo.

Aplique quatro pancadas fortes no meio das costas, com a mão fechada. A sua outra mão deve estar apoiando o peito do paciente.

Se a vítima continuar asfixiada, fique de pé, atrás, com seus braços ao redor da cintura da pessoa, ligeiramente acima do umbigo e abaixo do limite das costelas. Agarre firme o pulso com a outra mão e faça um rápido puxão para cima. Repita quatro vezes numa sequência rápida.

Atenção: Não faça respiração boca a boca nos casos de engasgos com vítimas inconscientes. Você poderá empurrar ainda mais o objeto. Caso tenha insucesso com as manobras tentadas você está diante de uma vítima asfixiada. Resta agora a respiração
boca a boca, como única alternativa para salvar a vida.

Nunca dê água ao asfixiado, na esperança de fazê-lo engolir o corpo estranho.

Engasgo do Bebê

Em caso de engasgo de um bebê, segure-o com o abdome para baixo apoiado no seu braço e com a cabeça em posição mais baixa.
Mantenha firme a sua cabeça segurando-o o queixo com a mão.
Dê quatro ou cinco tapas nas costas do bebê.
Se a manobra não surtir efeito, vire o bebê para frente e com dois dedos faça quatro compressões firmes no tórax, logo abaixo dos mamilos.
Em seguida aconselha-se fazer boca a boca (no caso do bebê, pelas dimensões, se faz boca a boca-nariz), repetindo as manobras anteriores e voltando à respiração artificial.
Assim, boca a sucessivamente, até que a criança volte ao normal ou chegue socorro médico.

É importante não esquecer das manobras de respiração artificial, para manter a oxigenação mínima do bebê.

Como Proceder Com Corpos Estranhos No Ouvido?

Não tente retirar objetos profundamente introduzidos nem coloque nenhum instrumento no canal auditivo.
Não bata na cabeça para que o objeto saia. Essa manobra pode dar certo quando se trata de um inseto vivo.
Pingue algumas gotas de óleo mineral. Para que o óleo e o objeto saiam, vire a cabeça da vítima.

Procure ajuda médica especializada.

Como Proceder Com Corpos Estranhos No Nariz?

Não introduza nenhum instrumento nas narina para retirar o objeto.
Oriente a vítima manter-se respirando somente pela boca.
Instrua a vítima a assoar o nariz.

Se o corpo estranho não sair, procure auxílio médico.

Como Proceder Com Corpos Estranhos Nos Olhos?

Não deixe a vítima esfregar ou apertar os olhos.
Pingue algumas gotas de soro fisiológico ou água morna no olho atingido.
Se isso não resolver, cubra os dois olhos com compressas de gaze ou pano limpo, sem apertar. Procure um médico.
Se o corpo estranho estiver cravado no olho, não tente retira-lo. Cubra os olhos e procure ajuda médica.

Se não for possível fechar os olhos, cubra-os com um cone de papel grosso ou um copo e procure ajuda médica imediata. É possível fixar um copo plástico, protegendo o olho atingido.

Fonte: www.clinicadeckers.com.br

Corpos Estranhos e Asfixia

Como Atuar?

Corpos Estranhos

Corpos estranhos são corpos que penetram no organismo através de qualquer orifício ou após uma lesão de causa variável.

Ao corpos estranhos podem encontrar-se mais frequentemente nos olhos, ouvidos ou vias respiratórias.

1.No olho, os mais frequentes são:

Grãos de areia, insetos e limalhas.

Sinais e Sintomas:

Dor ou picada local.
Lágrimas.
Dificuldade em manter as pálpebras abertas.

O que deve fazer:

Abrir as pálpebras do olho lesionado com muito cuidado.
Fazer correr água sobre o olho, do lado de dentro, junto ao nariz, para fora.
Repetir a operação duas ou três vezes.
Se não obtiver resultado fazer um penso oclusivo, isto é, colocar uma gase e adesivo e dirigir-se ao Hospital.

O que não deve fazer:

Esfregar o olho.
Tentar remover o corpo estranho com lenço, papel, algodão ou qualquer outro objeto.

2.No ouvido

Os corpos estranhos mais frquentes são os insetos.

Sinais e Sintomas:

Pode existir surdez, zumbidos e dor, sobretudo se o inseto estiver vivo.

O que deve fazer:

Se se tratar de um inseto, deitar uma gota de azeite e depois deslocar-se para o Hospital.

O que não deve fazer:

Tentar remover o objeto.

3.Nas vias respiratórias

Os corpos estranhos nas vias respiratórias podem causar perturbações de variável natureza, de acordo com a sua localização.

Sinais e Sintomas:

São também variáveis. Pode existir dificuldade respiratória, dor, vómitos e nos casos mais graves asfixia que pode conduzir à morte.

4.No nariz

Os mais frequentes, na criança, são os feijões ou objetos de pequenas dimensões.

O que deve fazer:

Pedir à criança para se assoar com força, comprimindo com o dedo a narina contrária, tentando assim que o corpo seja expelido.
Se não obtiver resultado deve deslocar-se ao Hospital.

5.Na garganta

Os corpos estranhos entalados na garganta podem ser pedaços de alimentos mal mastigados, ossos ou pequenos objetos. Estes corpos estranhos impedindo a respiração podem provocar asfixia.

Fonte: www.hsc.min-saude.pt

Corpos Estranhos e Asfixia

Os casos de asfixia são mais comuns do que se imagina.

A falta de ar é o sintoma principal da asfixia, mas, além disso, as batidas do coração se aceleram e a pele em volta da boca e em baixo das unhas fica arroxeada. Conforme o caso, podem ocorrer também convulsões, contrações musculares e desmaios.

O que pode causar a Asfixia:

Afogamento.
Grande traumatismo do tórax.
Envenenamento por drogas ou gases.
Enforcamento.
Choque elétrico.
Qualquer bloqueio da vias respiratórias.

Se não tiver socorro imediato, a pessoa asfixiada morre. Por isso, é importante que você saiba que medidas tomar até que seja possível conseguir o atendimento médico.

As crianças são as principais vítimas de asfixia. Em geral, a asfixia infantil é decorrência de brincadeiras inocentes e desconhecimento ou falta de controle da situação.

Veja como socorrer uma criança asfixiada:

Identifique a causa da asfixia.
Aja com rapidez. Você tem no máximo 5 minutos para fazer com que a criança volte a respirar.

Engasgo

Segure a criança por trás, pela cintura. Suspenda-a no ar, de forma que o tronco, os braços e a cabeça fiquem curvados para baixo.
Com uma das mãos, mantenha-a nesta posição. Coloque a outra mão acima do umbigo da criança e aperte rapidamente o punho contra o estômago dela.
Repita o movimento até que o corpo estranho seja expelido pela boca.

Corpos Estranhos no Nariz

Tente fazer a criança respirar pela boca e segurar o ar nos pulmões.
Aperte a narina desobstruída e peça para a criança assoar. Esta manobra requer a colaboração da criança, o que nem sempre é possível.
Se o objeto não for expelido ou se a criança não colaborar, não insista. Leva-a imediatamente ao pronto-socorro mais próximo.

Aspiração de Vômito

Ao vomitar, a criança pode aspirar o próprio vômito, que vai para os pulmões.
Deite a criança de lado. A cabeça deve ficar mais baixa que o corpo.
Com os dedos, tape as duas narinas da criança. Coloque a sua boca na dela e aspire forte até retirar o máximo de vômito dos pulmões.
Não deixe a criança deitar de costas. Leve-a ao pronto-socorro mais próximo.
É natural que esta manobra provoque nojo em algumas pessoas. Mas lembre-se de que você está salvando uma vida, portanto, controle-se.

Aspiração de Pó

Faça a criança tossir bastante. Estimule a tosse com leves tapas nas costas.

Deite a criança de lado.

Saco Plástico

É comum as crianças enfiarem a cabeça em sacos plásticos por brincadeira, muitas vezes provocando sua própria asfixia.

Retire o saco rapidamente, rasgando-o com as mãos. Cuidado para não machucar a criança.
Deite a criança de costas, coloque uma da mãos sob o pescoço e outra sobre a testa, levando a cabeça para trás.
Inicie a respiração boca a boca. Com os dedos da mão que está sobre a testa, tape as narinas da criança, coloque sua boca aberta sobre a dela e sopre com força.

Ao perceber que o peito da criança se expande, tire a boca para que o ar seja expelido. Repita a manobra até a respiração se normalizar.

Lembre-se

Você é responsável pela segurança de seus filhos.

Vigie permanentemente os bebês e as crianças menores para que não se engasguem ou sufoquem.
Alerte as crianças maiores sobre o perigo de determinadas brincadeiras, que podem provocar asfixia.
Não perca seus filhos de vista quando estiverem na piscina, na praia, na represa, etc., mesmo se eles já souberem nadas.

Vale o velho ditado:

É melhor prevenir do que remediar.

Dois Conselhos Úteis

Se notar vazamento de gás em sua casa, evite respirar até conseguir ventilar o ambiente. O gás pode provocar a asfixia.

Não ligue o motor do carro num local fechado, sem ventilação. O monóxido de carbono expelido pelo carro é tóxico e pode matar.

Fonte: www.bombeirosvoluntarios.com.br

Corpos Estranhos e Asfixia

Asfixia

É o bloqueio ou a dificuldade de respiração por qualquer forma de impedimento da entrada de ar nos pulmões; pode ser também a impossibilidade de troca gasosa (oxigênio por gás carbônico) eficiente.

Este impedimento pode ser causado por afogamento, inalação de fumaça ou produtos tóxicos, objetos (sacos plásticos, objetos inalados), compressão do pescoço (enforcamento, esmagamento) ou ausência da respiração por problemas orgânicos.

Sinais e sintomas

Como ajudar?

Engasgamento de lactentes
Engasgamento de crianças

Sinais e sintomas

Dificuldade respiratória;
Ruídos durante a respiração;
Agitação ou prostração;
Palidez ou arroxeamento da pele;
Perda da consciência;
Parada cárdio-respiratória.

Como ajudar?

Coloque a vítima em um ambiente arejado. Caso você saiba que a pessoa se engasgou com alguma coisa, proceda as manobras devidas para este caso (descritas abaixo).

Se tiver havido afogamento ou inalação de fumaça e o acidentado não responder aos estímulos ou apresentar parada das respirações, inicie as manobras de reanimação cárdio-respiratória. Não perca tempo — leve o acidentado ao hospital mais próximo o mais rápido possível.

Engasgamento de lactentes

Em caso de asfixia em bebês, proceda da seguinte forma:

Coloque a criança no colo ou deitada de costas, e posicione os dedos indicador e médio de ambas as mãos no final do osso esterno (do tórax), próximo ao abdômen;
Empurre o abdômen contra o diafragma, comprimindo-o de maneira súbita e vigorosa;
posicione a vítima "à cavaleiro" (com as pernas encaixadas no braço do socorrista), estendida, com a cabeça mais baixa que o tronco.
A cabeça deve ser sustentada com a mão, em torno do queixo e tórax. O ideal é que o socorrista descanse o braço sobre sua própria coxa;
Golpeie 4 vezes, rapidamente, com a outra mão, entre as omoplatas (ossos protuberantes das costas, próximos aos ombros);
Em seguida, ponha a mão livre nas costas da criança, de modo que fique "ensanduichada" entre as duas mãos — uma sustentando o tórax, pescoço e queixo, e a outra apoiando o dorso;
Então vire a criança de uma vez e coloque-a sobre a coxa com a cabeça mais baixa que o tronco;
faça 4 compressões seguidas no tórax (esterno).

Corpos Estranhos e Asfixia

 

É recomendável que estas manobras sejam feitas já a caminho do hospital ou pronto-socorro, para que todos os procedimentos necessários sejam tomados o quanto antes.

Engasgamento de crianças

Para proceder o socorro às crianças maiores, siga estes passos:

Posicione-se atrás da criança e coloque os braços em torno de sua cintura. Deixe que a cabeça, os braços e parte do tronco fiquem pendentes para frente;
Aperte o punho de uma mão com a outra, e coloque sobre o estômago da criança, bem acima do umbigo, na linha da cintura (abaixo das costelas);
Comprima rapidamente o punho contra o estômago, como um golpe. Repita 4 vezes este procedimento, ou até que o corpo estranho seja expelido. Complete com 4 compressões torácicas (sob o esterno);

Corpos Estranhos e Asfixia

Se a criança for muito grande para esta manobra, deite-a de costas, ajoelhe-se sobre ela e faça pressão com as mãos cruzadas, bruscamente, logo acima da linha da cintura.

Peça que outra pessoa fique atenta para remover o corpo estranho da boca. Se a criança vomitar, gire todo o corpo para o lado, a fim de evitar asfixia.

Corpos Estranhos e Asfixia

Fonte: www.hospitalgeral.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal