Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Região Sudeste do Brasil  Voltar

Região Sudeste do Brasil

 

 

A região Sudeste é composta por quatro estados:

- Espírito Santo
- Minas Gerais
- Rio de Janeiro
- São Paulo

Área total: 927.286 km²

População (2000): 72.297.351 habitantes

Densidade demográfica (2000): 77,96 hab/km²

Maiores cidades (Habitantes/2000): São Paulo (10.405.867); Rio de Janeiro (5.851.914); Belo Horizonte (2.232.747); Guarulhos-SP (1.071.268); Campinas-SP (968.172); Nova Iguaçú-RJ (915.366); São Gonçalo-RJ (889.828); Duque de Caxias-RJ (770.865); São Bernardo do Campo-SP (701.289); Osasco (650.993); Santo André-SP (648.443); São José dos Campos-SP(538.909); Contagem-MG (537.806); Ribeirão Preto-SP (505.053); Uberlândia-MG (500.488); Sorocaba-SP (494.649); Niterói-RJ (458.465); Juiz de Fora-MG (456.432). Vitória, capital do Espírito Santo, possui 291.941habitantes (961.682 habitantes na área metropolitana que engloba Vila Velha e Cariacica).

Relevo e clima

A Região Sudeste - a mais evoluída economicamente do país -, é formada pelos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. Situa-se na parte mais elevada do Planalto Atlântico, onde estão as serras da Mantiqueira, do Mar e do Espinhaço.

Sua paisagem típica, apresenta formações de montanhas arredondadas, chamadas "mares de morros", e os "pães de açúcar", que são montanhas de agulhas graníticas. O clima predominante no litoral é o tropical atlântico e nos planaltos, o tropical de altitude, com geadas ocasionais.

A mata tropical que existia no litoral foi devastada durante o povoamento, em especial nos séculos XVIII e XIX, no período de expansão do cultivo do café. Na serra do Mar, a dificuldade de acesso contribui para a preservação de parte dessa mata.

No estado de Minas Gerais - o mais montanhoso dos estados brasileiros -, predomina a vegetação de cerrado, com arbustos e gramas, sendo que no vale do rio São Francisco e no norte do estado, encontra-se a caatinga, típica do Nordeste.

O relevo planáltico do Sudeste fornece grande potencial hidrelétrico à região. A maior usina é a de Urubupungá, localizada no rio Paraná, divisa dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Mas existem outras grandes usinas hidrelétricas como São Simão, Três Marias, etc., pois o potencial da região é grande para esse tipo de aproveitamento energético.

Encontram-se ainda no Sudeste, em Minas Gerais, as nascentes de duas bacias hidrográficas: a do rio Paraná, que se origina da união dos rios Paranaíba e Grande, e a do rio São Francisco, que nasce na serra da Canastra. Existem rios de boa dimensão e grande volume d' água, alguns deles em parte poluídos, como o rio Tietê, aliás o único que corre em sentido contrário (leste-oeste).

Economia

Sua economia é a mais desenvolvida e industrializada dentre as economias das cinco regiões brasileiras, nela se concentrando mais da metade da produção nacional.

Movimentada pelas maiores montadoras e siderúrgicas do país, a produção industrial é diversificada. São Paulo concentra o maior parque industrial e participa com 36,5% do PIB (referência: 1999). Embora os ramos de calçados e têxtil se mostrem os mais aquecidos, percebe-se, no final dos anos 90, relativa queda de investimentos no setor industrial, em virtude, principalmente, dos incentivos fiscais adotados por outras regiões.

Ainda assim, o Sudeste consegue manter elevada sua participação no PIB industrial. O interior paulista desponta, no decorrer da década, como um dos principaos pólos de atração de investimentos.

A agricultura demonstra elevado padrão técnico e boa produtividade. A produção de café, laranja, cana-de-açúcar e frutas está entre as mais importantes do país. Na pecuária, a participação do PIB agropecuário cai de 38,9% em 1985 para 36,3% em 1998. Em Minas Gerais, destaca-se a exploração de numerosa variedade de minérios - em especial as reservas de ferro e manganês na serra do Espinhaço -, e da bacia de Campos, no Rio de Janeiro, sai a maior parte do petróleo brasileiro.

Abrigando 42,5% da população brasileira e responsável por 58,7% do PIB nacional (327,5 bilhões de dólares em 1999), o Sudeste apresenta grandes contrastes. Ao mesmo tempo que concentra a maior parcela da riqueza nacional, é a região que mais sofre com o desemprego e o crescimento da violência.

Ainda assim, seus indicadores sociais mostram-se os melhores do país: o analfabetismo na região é de 8,1%, a água tratada beneficia 95,9% das casas e o esgoto é recolhido em 83,8% das moradias. No Brasil, esses índices ficam em 14,7%, 78,8% e 63,9%, respectivamente.

Turismo

Um dos segmentos que mais se desenvolve nos últimos anos é o do turismo. No Rio de Janeiro destacam-se as praias e o carnaval. Em São Paulo, as atrações vão desde Campos do Jordão, estância de inverno, até as praias do litoral norte, como São Sebastião e Ubatuba. No Espírito Santo, Itaúnas, famosa pelas dunas de areia, que chegam a 30 metros de altura, também recebe visitantes. Em Minas Gerais, são muito visitadas as cidades históricas, principalmente Ouro Preto e Mariana.

Região Sudeste do Brasil

População

A região Sudeste é a de maior população e a expectativa de vida é de 69,2 anos. É também a região com a maior densidade demográfica (76,31 hab./km²) e o mais alto índice de urbanização: 89,3%. Abriga as três mais importantes metrópoles nacionais, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Imigrantes

A expansão cafeeira é uma das razões para que a região tenha recebido muitos imigrantes europeus e japoneses no fim do século XIX e no começo do século XX. Eles se concentram principalmente em São Paulo e no Espírito Santo e transmitem enorme influência cultural para vários setores, como política, artes plásticas e culinária.

Desde o século passado, o Sudeste é a região que mais atrai imigrantes também dos outros estados brasileiros. Nas últimas décadas, contudo, o aumento do desemprego estimula o retorno de muitas famílias aos estados de origem.

Transportes

Essa região é privilegiada nesse setor. Existem boas rodovias, principalmente no estado de São Paulo - muitas delas auto-estradas em pistas duplas -, boa conservação geral e grande movimento de veículos leves e pesados. Existe ainda entre o Rio de Janeiro e Niterói, a famosa Ponte Rio-Niterói sobre o mar - um marco da engenharia brasileira.

O transporte marítmo é grande, destacando-se os portos de Tubarão (Vitória), Rio de Janeiro e Santos - o maior da América Latina. O transporte fluvial apesar de existir é menor, em razão das topografia irregular, entretanto no rio São Francisco, há um grande percurso navegável.

O transporte aéreo é volumoso, possui modernos aeroportos (Cumbica em São Paulo, Galeão - Tom Jobim - no Rio de Janeiro e Confins em Belo Horizonte). A ponte aérea Rio-São Paulo é a mais movimentada do mundo em número de vôos e utiliza principalmente os aeroportos centrais de Congonhas (São Paulo) e Santos Dumont (Rio de Janeiro).

Há uma ponte aérea com razoável movimento também no aeroporto da Pampulha (Belo Horizonte). São Paulo hoje está entre as 30 mais movimentadas cidades do mundo em transporte aéreo (número de vôos, passageiros e carga transportada).

A sede da maioria das empresas aéreas brasileiras também está na Região Sudeste. Destaque também para o movimento de transporte executivo - a 2ª maior frota do mundo - e das empresas de táxi-aéreo (Líder, em Belo Horizonte e TAM, em São Paulo - entre as mais modernas e maiores do planeta).

Fonte: www.portalbrasil.net

Região Sudeste do Brasil

Formada pelos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo.

Ocupa 10,85% do território brasileiro, com área de 927.286,2 km2. Situa-se na parte mais elevada do planalto Atlântico de sudeste, onde se encontram as serras da Mantiqueira, do Mar e do Espinhaço. Sua paisagem típica apresenta formações de montanhas arredondadas, chamadas "mares de morros" e os "pães de açúcar", que são montanhas de agulhas graníticas.

O clima predominante no litoral é o tropical atlântico e nos planaltos o tropical de altitude, com geadas ocasionais. A mata tropical que existia originalmente no litoral foi devastada no período de ocupação do território, dando lugar a plantações de café. No estado de Minas Gerais predomina a vegetação de cerrado, com arbustos e gramas, sendo que no vale do rio São Francisco e norte do estado encontra-se a caatinga.

O relevo planáltico do Sudeste fornece grande potencial hidrelétrico à região, quase todo aproveitado. A maior usina existente é a de Urubupungá, localizada no rio Paraná, divisa dos estados de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Encontram-se ainda na região Sudeste as nascentes de duas importantes bacias hidrográficas do país: a bacia do rio Paraná, que se origina da união dos rios Paranaíba e Grande, próxima à região conhecida como Triângulo Mineiro, no estado de Minas Gerais, e a do rio São Francisco, que nasce na serra da Canastra, também no estado de Minas Gerais.

A região Sudeste é a de maior população no país, somando 72.412.411 habitantes, o que corresponde a 42,63% do total. É também a região com maior densidade demográfica (78,09 habitantes por km2) e mais alto índice de urbanização: 90,5%.

Abriga as duas mais importantes metrópoles nacionais, as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, localizadas em estados que levam os mesmos nomes. A cidade de Belo Horizonte, capital do estado de Minas Gerais, é considerada importante metrópole regional.

Região Sudeste do Brasil

A economia da região Sudeste é a mais desenvolvida e industrializada entre as economias de todas as regiões, nela se concentrando mais da metade da produção do país. Possui ainda os maiores rebanhos bovinos, além de significativa produção agrícola, que inclui o cultivo de cana-de-açúcar, laranja e café em lavouras que apresentam bom padrão técnico e alta produtividade. Possui ainda reservas de ferro e manganês na serra do Espinhaço, estado de Minas Gerais, e petróleo em quantidade razoável na bacia de Campos, estado do Rio de Janeiro.

Fonte: www.brasilrepublica.com

Região Sudeste do Brasil

Estados e capitais da Região Sudeste

Região Sudeste do Brasil

A Região Sudeste é a mais rica e populosa do Brasil. Seus estados são: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo. A região faz divisa com a região Nordeste ao norte, com o oceano Atlântico ao leste, ao sul com a região Sul, e a oeste com a região Centro-Oeste. Apesar de ser a região mais populosa do país, possui densidade demográfica de 84,21 hab./km² e ocupa apenas 11% do território nacional.

Relevo da Região Sudeste

O relevo do Sudeste pode ser dividido em cinco partes:

Planícies e terras baixas costeiras: podem variar entre grandes baixadas e partes mais estreitas favorecem a formação de costas altas, que entram em contato direto com o oceano Atlântico. Formam muitas praias, restingas, lagoas costeiras e baías;

Serras e Planaltos do Leste e do Sudeste: são conhecidas também como planalto Atlântico, é a parte mais acidentada da Região Sudeste. Sua característica é a formação de muitas serras cristalinas muito antigas, principalmente em áreas erodidas. Essas serras constituem a Serra do Mar. No oeste está localizado o Vale do Rio Paraíba do Sul, que separa a Serra do Mar da Serra da Mantiqueira. Ao norte as serras se afastam do litoral e dão origem a Serra do Espinhaço.

Ao norte de São Paulo e a oeste de Minas Gerais encontra-se a Serra da Canastra. Atrás da serra do Espinhaço, no noroeste da região é possível encontrar as chapadas sedimentares.

Na transição com a região Centro-Oeste destaca-se o Espigão Mestre, que é uma extensão aplainada de rochas antigas e trabalhada pela erosão;

Planalto Meridional: constituído por rochas sedimentares ocupa o centro-oeste de São Paulo e o oeste de Minas Gerais. É dividido em duas partes:

Planalto Arenito-basáltico: é constituído de rochas pouco resistentes como o arenito, e outras muito resistentes, como o basalto que é de origem vulcânica. Esses tipos de rochas favorecem o aparecimento de ''cuestas'', que são conhecidas popularmente como serras. Um exemplo é a serra de Botucatu;

Depressão Periférica: encontra-se entre as serras e os planaltos do Leste e do Sudeste. São regiões baixas e planas;

Clima da Região Sudeste

A Região Sudeste apresenta vários tipos de clima: tropical, tropical de altitude, subtropical, litorâneo úmido e semi-árido. O clima tropical predomina nas baixadas litorâneas do Rio de Janeiro, Espírito Santo, norte de Minas Gerais e oeste de São Paulo. Apresenta temperaturas altas, com média de 22ºC, e duas estações bem marcadas: o verão que é marcado pelas chuvas, e o inverno que é seco.

O tropical de altitude predomina as partes mais altas do relevo e mantém temperatura média amena, em torno dos 18ºC. O clima Subtropical é marcado por chuvas bem distribuídas durante todo o ano, com temperatura média de 17ºC, predomina na região sul do estado de São Paulo.

No norte de Minas Gerais predomina o clima semi-árido, com estação seca bem destacada que pode durar até mais de cinco meses. As menores temperaturas registradas na região da Serra da Mantiqueira, que está localizada na divisa de Minas Gerais com os estados de Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro.

Vegetação da Região Sudeste

A vegetação da Região Sudeste varia de acordo com o clima e encontrar-se bastante devastada por causa da expansão agrícola. A Floresta Tropical é predominante na Região Sudeste. Nas encostas próximas do oceano, a Mata Atlântica é bastante rica em árvores altas, cipós, etc. Na medida em que ela adentra o continente, devido ao clima seco, a mata fica menos densa.

Em algumas áreas do interior é possível encontrar matas ciliares na beira dos rios, e nas áreas onde o solo predominante é impermeável, a vegetação encontrada é o cerrado com suas árvores baixas, vegetação rasteira e arbustos.

No norte de Minas Gerais a vegetação é a caatinga por causa do seu clima semi-árido. Nas áreas mais altas da Região Sudeste, aparece a mata de araucária. No planalto encontram-se os campos limpos, no de São Paulo e os campos serranos no sul de Minas Gerais. No litoral da Região Sudeste a vegetação predominante é a litorânea, típicas de praias.

Hidrografia da Região Sudeste

A hidrografia da Região Sudeste varia de acordo com o relevo, onde a predominância é de rios de planaltos e bacias, onde podemos destacar algumas:

Bacia do Paraná: é formada principalmente, pelos rios Paranaíba e Grande;

Bacia do São Francisco: seu principal rio é o São Francisco, que nasce em Minas Gerais;

Bacias do Leste: é um conjunto de bacias de diversos rios que descem das serras litorâneas e chegam ao oceano Atlântico. Algumas dessas bacias: Pardo, Rio Doce e Jequitinhonha, em Minas Gerais, Paraíba do Sul, em São Paulo e Rio de Janeiro.

Bacias do Sudeste-Sul: nessa bacia o destaque é o rio Ribeira do Iguape, em São Paulo;

População da Região Sudeste

A população da Região Sudeste é predominantemente urbana. Suas principais cidades são: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Guarulhos, Campinas, entre outras.

Fonte: www.estadosecapitaisdobrasil.com

Região Sudeste do Brasil

A região sudeste do Brasil é a mais populosa do país: são aproximadamente 924.511.292 habitantes. Aliás, se fosse um país, seria o décimo quinto mais populosos do mundo. A região é composta por quatro estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo.

Isso nos leva a um número aproximado de 927,286,2 Km (em torno de 10,85 % do território nacional) e uma densidade demográfica de 78,09 pessoas por Km quadrados. Principalmente as cidades de Rio e São Paulo, também as mais industrializadas, são bastante populosas o que tráz alguns problemas típicos de cidades desenvolvidas: grandes e frequentes engarrafamentos, enchentes, por conta do excesso de lixo e outros. Um dado que mostra a importância do sudeste para Brasil é que, em torno de, 43% da população brasileira se encontra nesses quatro estados.

É a região mais rica do país: seu PIB é em torno de 1.698.590.000.000,00 segundo o IBGE (no ano de 2009). Só para se ter uma ideia, só São Paulo, que é o estado de maior circulação de dinheiro do Brasil, tem um PIB em torno de um trilhão e com uma participação de 33% no Produto Interno Bruto nacional.

A cidade, aliás, é o único local brasileiro considerada uma megalópole (cidade com níveis acima de uma metrópole). A sua economia se espelha na taxa de área urbana nos estados que compõem a região: em torno de 90,5%. A alta circulação de renda em contraponto com a enorme população do local resulta num Índice de Desenvolvimento Humano alto: 0,824 - o segundo maior do Brasil, perdendo apenas para a região sul.

Essa região foi parte importante do país desde cedo: o estado do Rio de Janeiro já foi capital nacional (depois da Bahia e antes de Brasília). Sua importância política continua firme: é a região de maior colégio eleitoral do Brasil (maior número de pessoas que votam), sendo que São Paulo é o maior do Brasil, seguido de Minas Gerais.

Além disso, numa fase econômica do Brasil conhecida como “café com leite” (período em que esses dois produtos eram os mais produzidos e os mais exportados. Significavam a maior parte das atividades econômicas na época) os quatro estados do sudeste eram os principais produtores dos produtos.

O bom solo da região ajudou na época e continua ajudando a atividade nessa área. Para se ter uma ideia, o principal produtor de cana-de-açúcar, (produto cada vez mais valorizado pelos seus novos usos como combustível, é a região sudeste).

Além dos aspectos econômicos, a cultura também é um ponto forte do sudeste. Lá, estão grandes símbolos do país: o monumento do Cristo Redentor( uma das sete maravilhas do mundo moderno), o Maracanã (símbolo do futebol brasileiro, o mais vitorioso do mundo em copas) as cidades históricas de Minas Gerais (guarda marcas de eventos importantes como a Inconfidência Mineira), a praias de todo o litoral do sudeste (que mostram as belezas naturais do país) e muitas outras belezas.

É no sudeste que se realiza um dos carnavais mais famosos do Brasil. O do Rio, por exemplo, movimenta, por ano, em torno de R$ 1 bilhão, segundo a RioTur.O turismo é mais um fator que acrescenta à economia e uma consequência da riqueza cultural da área.

Não há como negar a importância do sudeste brasileiro. Seja qual o ponto a ser analisado, a região tem número impressionantes e de grandeza nacional.

Economia Região Sudeste

A economia da região sudeste é a mais forte do Brasil. Aliás, ela é a mais forte desde o tempo do Brasil “café com leite”, em que essas duas mercadorias eram as mais importantes para a capitalização brasileira. Tendo São Paulo como principal estado nesse quesito, essa região deste ainda conta com o forte turismo do Rio de Janeiro, a pecuária de Minas Gerais e o estruturado ramo de exploração de petróleo no Espírito Santo (sendo esse o segundo maior explorador do Brasil).

A herança econômica da época do “café com leite” é a força da agricultura dessa região. A produção de cana-de-açúcar (produto cada vez mais usado para consumo e para fabricar combustíveis) do sudeste é a maior do país.

A razão para esse ramo ser tão lucrativo nessa parte do país é o ótimo solo (terra roxa) para plantio. As culturas de plantio mais comuns nessa região são a soja, cana-de-açúcar, milho, arroz, mandioca, feijão e café, sendo que esse último ocorre em menos áreas do que era no passado. A agricultura é uma atividade econômica presente em todos os quatro estados da região.

É o local mais industrializado do Brasil e o ramo industrial é diversificado e forte. Alguns dos mais importantes ramos industriais da região são: as automobilista (com mais força em São Paulo), siderúrgica (em toda a região), petroquímica (RJ, SP, MG), navais (RJ) petrolífera ( RJ, ES).

Na área de industrialização, São Paulo está muito à frente da região e do restante do país. Ela é detentora de um dos 10 maiores PIBs do mundo. Em 2005, segundo estudos do IBGE, só São Paulo contribuiu com 12,26% do PIB nacional, o que significa um PIB de R$ 263 177 148 000,00.

O estado, além de contar com uma fortíssima atividade econômica, vem crescendo no setor terciário da economia (setor do comércio de mercadorias diversas, oferecimento de serviços comerciais e pessoais a terceiros ou comunitários). É a única cidade brasileira considerada uma megalópole (cidade mais industrializada que uma metrópole) e está entre as mais importantes do mundo.

A produção científica dessa região também é notável. As cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas são grande polos de pesquisa do Brasil. Ligada ás pesquisas está a parte tecnológica, chamada “vale do silício” brasileira. É uma região que engloba São Paulo, Campinas, São Carlos e São José dos Campos.

As indústrias siderúrgicas e metalúrgicas têm presença principalmente nos estado de Minas e Espirito santo. Em Minas, está a Usiminas ( maior produtora de aço bruto do Brasil). Já em Vitória, capital do Espírito Santo, está a companhia siderúrgica de Tubarão, que é a terceira maior siderúrgica do Brasil. Destaca-se também a cidade de Volta Redonda, cidade com umas das maiores capacidades de produção de aço bruto da América Latina.

A questão petrolífera também é bastante presente nessa região. A bacia de Campos, localizada no Rio de Janeiro é responsável pela maior parte do petróleo consumido no país. No segundo lugar de produção petrolífera está o estado do Espírito Santo.

O Espírito Santo tem sua economia basicamente voltada para o oferecimento de serviços e para atividade industrial: siderurgia e petrolífera. O estado é um grande exportador de ferro, granito e na indústria petrolífera, é o segundo maior produtor de petróleo e gás natural e sua produção só tende a crescer depois que foram descobertas grandes quantidades de petróleo em 2002 e, recentemente com a descoberta do pré-sal.

O Rio de Janeiro segue a linha dos outros estados da região e também tem grande parte de seu PIB relacionado às prestações de serviços. No caso do Rio de Janeiro, as áreas de serviços como em telecomunicações, tecnologia da informação, vendas de mercadorias diversas e ecoturismo são muito presentes.

Prova disso é que 62,1% do seu PIB estão relacionados com a prestação de serviços; em segundo lugar, vem o ramo industrial com 37,5%. No ramo industrial, as siderúrgicas (como a CSN em Volta Redonda) e a exploração de petróleo ( 80% do petrólio brasileiro é retirado desse estado) são as mais marcantes.

O estado de Minas Gerais é o terceiro estado mais rico da região e do Brasil (só perde para São Paulo e Rio de Janeiro) assim como o maior parque industrial do país (ficando atrás dos mesmos estados). Tem a economia equilibrada entre serviços e indústrias, sendo que, além dessas duas áreas, ainda existe a da agricultura.

Na parte industrial, a de energia é a que recebe maior destaque: a produção de energia de Minas Gerais é de, aproximadamente, 17% da produção nacional. Outra parte importante da economia mineira é a de produção tecnológica, tendo participação no chamado “vale do silício brasileiro”.

Turismo Região Sudeste

O turismo na região sudeste é altamente interligado com as áreas econômicas e culturais. É responsável por grande parte das atividades econômicas da região. O Rio de Janeiro, com o carnaval mundialmente famoso; São Paulo, pelo grande potencial urbano de hotéis e entretenimento que tem; Minas, pelo valor histórico de suas cidades e Espírito Santo, com suas praias e belezas naturais formam uma região quase imbatível no turismo brasileiro.

No Rio de Janeiro, as praias, como a de Copacabana, são reconhecidas no mundo todo. Tema do hit mundial “Garota de Ipanema”, essa é o principal destino turístico da região. Outras praias de destaque são as de Angra dos Reis, Búzios e a de Paraty.

Além das praias, outras belezas naturais como o Pão de Açúcar e o grande monumento “Cristo Redentor” são pontos certos no roteiro turístico do estado. Uma curiosidade é que a estátua do Cristo Redentor, uma das sete maravilhas do mundo moderno, foi idealizada pela primeira vez em 1859, mas a ideia só foi virar realmente projeto em 1921, quando se faziam os preparativos para a festa do centenário da independência.

Outro grande responsável pela força do turismo carioca é o carnaval. Os desfiles das escolas de samba na Marquês de Sapucaí são eventos que atraem pessoas de outros estados e de outros países todos os anos.

Mesmo sendo apenas três dias de festa, arrecada-se, a cada carnaval, R$ 1 bilhão, segundo o RioTur. Prova de tamanha fama é o longa metragem “Rio-O filme”, uma animação da 20th Century Fox e Blue Sky Studios que tem como cenário o Rio de Janeiro nos dias de Carnaval no Brasil.

São Paulo é uma cidade mundial: pelas muitas empresas multinacionais que abriga e por abrgarpessoas de muitos países dentro de si. Sendo assim, a variedade de possibilidades de diversão que há em São Paulo é gigantesca.

Grandes empresas voltadas para esse ramo, como o Hopi Hari (grande parque de diversões), por exemplo, fazem de São Paulo um destino badalado para o turismo. Além de eventos de magnitude mundial, ligado a uma das melhores redes hoteleiras do país, os centros de convenções, restaurantes com diferentes especialidades e tudo que uma megalópole pode oferecer.

Apesar do gigantesco potencial urbano, São Paulo também tem belezas naturais para atrair viajantes: tem todo um litoral com as reconhecidas praias do Rio de Janeiro, Espírito Santo e São Paulo, como a de Ilhabela, no litoral norte do estado. Campos de Jordão oferece uma região montanhosa procurada por muitos turistas e Brotas é um local onde a prática de esportes radicais é muito frequente.

Minas Gerais oferece, além da famosa culinária, uma riqueza histórica que poucas cidades no Brasil têm. Cidades históricas como Tiradentes (nome dado em homenagem ao inconfidente mineiro),Ouro Preto (primeira cidade brasileira a ser reconhecida como patrimônio histórico da humanidade) e Diamantina (nome dado pela grande quantidade de diamantes achados na cidade) são um atrativo para milhares de pessoas todos os anos. Os restaurantes e bares da capital, Minas Gerais, somam a capacidade turística do estado.

Já no Espírito Santo o forte do turismo é motivado pelas belezas naturais encontradas lá. São quase 20 áreas de preservação ambiental, com incontáveis belezas, como o manguezal urbano situado na capital Vitória: o manguezal é uma dos maiores manguezais urbanos do mundo. Outro exemplo dessa riqueza ecológica é a Estação Ecológica Municipal Ilha do Lameirão, que tem mais 5,052 metros quadrados de preservação da fauna e flora locais.

Folclore Região Sudeste

O folclore da região sudeste do Brasil, assim como sua parte econômica, é bastante rica. Apesar de conter vários mitos e lendas que são comuns em outras regiões brasileiras e até em outros países (como é o caso do lobisomem) a cultura popular também tem mitos regionais. Os costumes folclóricos da região incluem dança, seres misteriosos e festas marcantes.

O maior exemplo de festa símbolo da região é o carnaval, que tem forte presença no Rio de Janeiro e em São Paulo. Minas Gerais e Espírito Santo também são focos culturais, com danças e mitos característicos da região.

Um ponto a ser destacado é que há uma forte influência da cultura afro no folclore dessa região. Isso se deve ao fato de que, na época da escravidão, os centros comerciais e as grandes plantações das fazendas que os negros trabalhavam se situavam nesse local. Os seus costumes e ritos acabaram sendo incorporados pela cultura popular.

DANÇAS

Começando pela dança, de uma forma geral, a dança da cana-verde, a quadrilha e o fandango são as praticadas em toda região. A quadrilha tem destaque por estar vinculada à festa nacional de São João. A origem da quadrilha é inglesa, no século XVIII.

No Brasil, a dança é puxada por um animador e os casais vão agindo segundo as instruções dadas pelo animador. Uma curiosidade dessa dança é que, em alguns históricos, a quadrilha é uma dança em que pessoas tipicamente urbanas se vestem e agem de forma a ridicularizar pessoas residentes do campo.

Ainda há outras danças são típicas da região, com mais presença em alguns estados isoladamente. É o caso do batuque (SP, MG e ES), catira (SP e MG), caxambu (MG, RJ), ciranda (RJ), dança de São Gonçalo (MG, SP), dança do tamanduá (ES), fandango (SP), jongo (MG, SP) e Mineiro-pau (MG, RJ). Vale destacar também a grande quantidade de danças típicas do Espírito Santo que, entre muitas, estão: a dança alemã, bate flechas, dança açoriana, congo e a tradicional capoeira.

FESTAS

Muitas são as festas características da região sudeste. Dentre elas, o carnaval é a mais famosa. Assim como a quadrilha, ela é uma festa de caráter nacional. O sudeste, no entanto, tem grande tradição nessa festa, sendo que, nos desfiles das escolas de samba, Rio de Janeiro e São Paulo são destaques nacionais.

Também em Minas Gerais e no Espírito Santo se fazem grandes carnavais, só que mais voltados para os de rua. Ele nasceu na Grécia, entre os anos 600 e 520 a.C. Mas tomou uma forma mais parecida com a que conhecemos em Roma. Apesar de muitas controvérsias que existem sobre a origem dessa festa, o que já se sabe é que o Brasil, hoje, é país com o carnaval mais famosos do mundo.

Ainda há outras festas que são tipicamente do sudeste brasileiro: as festas juninas (quando são dançadas a quadrilha, os rodeios, a folia de reis (festa realizada do 24 de dezembro até 6 de janeiro), a festa do divino Espírito Santo (em Diamantina-MG) e ainda outras festas que são mais regionais nos quatro estados.

RITOS

Os ritos da região sudeste são uma mistura de duas culturas dominantes na região: a tradição da religião católica e a cultura trazida pelos escravos no período de escravidão. Um exemplo clássico de cada uma dessas linhas , começando pela cultura afro, é a tradicional homenagem á iemanjá (orixá considerada rainha das águas), que acontece na passagem de ano, praticado principalmente no Rio de Janeiro. Nesse ritual, são jogadas flores, presentes e oferendas no mar, dedicados para ao orixá. Além disso, existe a tradição de “pular sete ondas” como forma de pedir sorte para ela.

Já o exemplo católico de rito muito difundido no sudeste brasileiro é também um exemplo de festa tradicional: a folia de reis. Nessa ocasião, pessoas saem em festa pelas ruas, com o proposito de imitar o três reis magos que saíram ao encontro de Jesus quando esse nasceu. O grupo de pessoas vai cantando com os tocadores que acompanham a festa e saem de casa em casa recebendo bebidas e comidas, pois, segundo a lenda, quem recebesse essas pessoas seriam abençoadas.

MITOS

Quanto aos mitos, alguns deles são comuns em todo o Brasil, outros já têm mais caráter regional e não são tão populares assim. Exemplos como a mula-sem-cabeça, o lobisomem e a Iara são de fama nacional. Já outras como o cavalo invisível, lenda de Chico Rei ou a chamada missa dos mortos são menos conhecidos, mas tão presentes na cultura popular da região como os outros.

O lobisomem, apesar de ser típico dessa região é um mito de origem europeia, com raízes na mitologia grega. A lenda conta que um homem, nas noites de sexta-feira de lua cheia, se transforma num ser meio homem, meio lobo e, ao nascer do Sol, ele volta a ser homem. Para que isso aconteça, é necessário que um casal tenha sete filhas e que o oitavo seja homem, sendo que esse último será o lobisomem.

Culinária Região Sudeste

A culinária da região sudeste é bastante rica. Tanto as culturas de doces como comidas salgadas são bastante variadas e apreciadas no país inteiro. Sendo o sudeste uma das primeiras regiões brasileiras a se tornar populosa, e tendo em seu início, no mínimo, três culturas diferentes (índios, portugueses e negros) a formação cultural e também da culinária pôde contar com diferentes influências e se tornou bem heterogênia.

O Rio de Janeiro, por exemplo, tem como prato marcante a feijoada. O prato é um símbolo nacional, mas é bastante consumido no estado, o que o leva a ter uma forma própria de desenvolve-la. A receita carioca inclui carnes salgadas (como carne-de-sol), folhas de louro, várias partes de porco, cebola e uma laranja (para ajudar a deixar a feijoada menos salgada).

Como cidade de grande população e variados gostos, ligado ao fato de, assim como São Paulo, ser muito industrializada, o Rio de Janeiro tem dentro do estado estabelecimentos que oferecem os mais variados tipos de comida.

São Paulo, como foi dito anteriormente, é bastante industrializado, abrigando vários gostos para comida. Existem diversos lugares no estado que disponibilizam diversos tipos de alimentação, sendo apelidado, por alguns, de “capital gastronômica mundial”. Por ser uma típica “cidade grande”, tem grande quantidade de redes de “fast-food” que são muito usadas pelos habitantes.

Típico na cozinha paulista estão três pratos principais: galinha d'Angola à paulista, empadinhas de Cananeia e o cuscuz paulista, sendo esse último o de maior visibilidade nacional. O ponto forte da parte gastronômica em São Paulo é resultado da influencia italiana: pizzas e massas são um gosto bastante comum no estado.

Espírito Santo tem tradição na área gastronômica porcausa dos pratos como as tortas capixabas de vários sabores, o pirão, mas, principalmente, pela moqueca. Esse último é apontado como o prato símbolo da cozinha capixaba. Pode ser feita com siri, peixes, camarão e ainda outros frutos do mar. O prato é herança da culinária indígena e faz muito sucesso entre os habitantes do estado.

De todos os estados que compõem a região sudeste, o de mais tradição na gastronomia é Minas Gerais. A culinária mineira é nacionalmente famosa, tendo vários pratos típicos e que caíram no gosto popular. O pão de queijo mineiro, por exemplo, é apreciado em todo o Brasil.

Além desse, o tutu de feijão, feijão tropeiro (outro prato de expressividade nacional), galinha ao molho pardo, leitoa à pururuca, frango com quiabo e muitos outros. Além dos pratos, o queijo mineiro é muito apreciado no Brasil, servindo de referência quando se trata desse de derivado do leite.

Relevo - Clima da Região Sudeste

O relevo da região sudeste é marcado pela variedade; não há uma uniformidade nos quatro estados que compõem a região. Há planícies, planaltos, algumas depressões, mas é marcado pelas serras e cadeias montanhosas.

Exemplo disso é a Serra do Espinhaço e a da Mantiqueira. Esse relevo favorece a geração de energia hidrelétrica, principal fonte de abastecimento energético do país. Aproveitando esse potencial existem usinas como a Urubupungá (SP), maior da região sudeste.

São, basicamente, quatro os tipos de relevo que podem ser achados nessa região: planície e terras baixas costeiras, serras e planaltos do leste e do sudeste, planalto meridional e a depressão periférica.

A planície e terra baixa costeira estão, como o próprio nome diz, na região costeira. Vai do litoral do nordeste até o Rio Grane do Sul. É caracterizado por formar larguras variáveis, indo de grandes baixadas até estreitos. Essas características facilitam a formação de costas altas. Parte das praias do sudeste está dentro dessa classificação.

As serras e planaltos do leste e sudeste (também conhecido como planalto Atlântico ou oriental) é o tipo de relevo mais marcante no sudeste: têm as características das grandes serras e paredões de pedras. Muito comum em Minas Gerais.

O planalto meridional é conhecido pela variação de pedras menos resistentes e outras mais duras, possibilitando várias falhas no relevo. Está presente principalmente no centro-oeste de São Paulo e no oeste de Minas Gerais.

Por último, temos a depressão periférica que é um tipo de solo baixo e plano, e está geralmente no meio das serras, tomando uma forma parecida com uma canoa.

Assim como o relevo, o clima do sudeste também é variado. Somente nessa região, podem ser notados os climas tropical, tropical de altitude, subtropical e litorâneo úmido.

O clima tropical está presente nas baixadas litorâneas do Rio de Janeiro, norte de Minas Gerais, oeste paulista e no litoral do Espírito Santo. É caracterizado por ter altas temperaturas, chuva no verão e seca no inverno. O estado de Minas Gerais ainda tem o clima semiárido (clima mais quente e seco, o que leva a uma seca que varia em tempo próximo de cinco meses todos os anos).

O clima tropical de altitude tem temperaturas mais frescas, mas está presente apenas em regiões mais altas do relevo.

Já o subtropical, presente no sul do estado de São Paulo, é marcado por ter uma boa distribuição de chuvas e por grande amplitudes térmicas (grande variação de temperatura).

Fonte: regiao-sudeste.info

Região Sudeste do Brasil

Turismo na Região Sudeste

É na região Sudeste - formada pelos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo - que reside a maior parte da população brasileira. Essa parte do Brasil é rica em lazer
São Paulo

O estado de São Paulo oferece muitas opções de turismo. Praias dos mais diversos tipos e tamanhos, além de vários parques de diversão que atraem turistas da região e do Brasil todo. Se você mora na capital, São Paulo, temos cinco dicas.

A primeira é o Playcenter, uma opção para quem procura emoções fortes. São mais de 30 atrações, como trenzinho, montanha-russa, autopista com carrinhos movidos por motores, simulador de vôo, roda-gigante, teleférico e muito mais.

A segunda é para quem adora um lugar cheio de brinquedos, a Casa dos Sonhos. Uma brinquedoteca com mais de 300 brinquedos e um pequeno museu. Lá existe um auditório onde ocorrem gincanas, peças e shows. Além disso, ainda tem um autorama. Ficou com vontade de ir?

É só entrar no site e se informar melhor. Em São Paulo, recomendamos também o Museu da Língua Portuguesa. Em vez de paredes, o museu é recheado de vozes; no lugar de livros, existem espaços interativos que mais parecem uma estação de trem. Fora tudo isso, ainda existe um superjogo de montar palavras. Vale a pena mergulhar na nossa língua e literatura!

Outro programa interessante que muita gente se esquece de visitar é o Instituto Butantan.

Já imaginou ver 50 mil cobras e conhecer duas mil diferentes espécies de serpentes?

Uau! Não perca a chance de dar um pulo lá, combinado?

Na cidade de Santos, dá para visitar o Aquário Municipal de Santos. Lá você poderá ver peixes de todos os jeitos e tamanhos; além de tartaruga, pingüim e lobo-marinho. Poderá ainda tocar em animais como ouriços, anêmonas e estrelas-do-mar. Ui, que chique! E por falar em animais marinhos, na cidade do Guarujá, você pode encontrar o Acqua Mundo, o maior aquário da América do Sul, com 700 espécies de animais. Não perca!

Já na cidade de Embu, você pode visitar o parque Cidade das Abelhas. Lá vai aprender como é fabricado o mel, ver uma abelha gigante feita de fibra de vidro e ainda andar por trilhas na mata até chegar em pontos de extração do mel. Interessante, não é mesmo?

E para quem está cansado do calor, temos uma opção divertidíssima! Em São Roque, o parque Ski Mountain Park tem atraído bastante gente. É uma pista artificial de esqui com tobogã e teleférico. Se nunca escorregou sobre a neve, chame seus pais e boa descida!

Rio de Janeiro

A bela capital do estado do Rio de Janeiro é uma cidade bastante visitada por pessoas do mundo todo. A alegria contagiante de seus moradores contribui para criar uma imagem muito especial, principalmente no reveillon e no carnaval. Suas praias são apreciadas durante todo o ano. Na cidade carioca há sempre algo acontecendo, desde show de dança e música até eventos ligados ao esporte. O Cristo Redentor e o Bondinho do Pão de Açúcar são alguns dos pontos turísticos mais visitados do País. Na Floresta da Tijuca e no Jardim Botânico, o programa é caminhar vendo plantas e animais.

Além disso, programas como o pedalinho na Lagoa Rodrigo de Freitas também agradam muita gente. Na orla da Lagoa há um serviço de aluguel de patins e bicicletas; e as praias de Ipanema e Copacabana contam com escolinhas de vôlei de praia, futebol e de surfe abertas o ano todo.

Mas, se a vontade é ir a um parque superdivertido, temos dicas também! Quem é fã do Cebolinha, Cascão, Mônica e Magali não pode deixar de visitar o Parque da Mônica. Ele reserva 30 atrações, dentre elas o trem do Penadinho, o brinquedão aquático do Cascão e a Vila da Mônica. Também há cinema, teatro e shows infantis.

Outro parque bastante interessante é o Terra Encantada. Suas atrações mostram as influências das culturas africana, indígena e européia na formação do povo brasileiro. São 23 brinquedos, além de shows, lojas e restaurantes. A montanha russa do Castelo das Águas é imperdível!

Quem está sempre de olho no céu e adora ver estrelas, planetas e saber mais sobre a formação das galáxias não pode deixar de visitar o Espaço Museu do Universo, também chamado de Planetário. Lá existe um belo cinema, espaço com exposições, lanchonete e restaurante.

Na cidade de Mangaratiba, na região de Angra dos Reis (litoral sul do Rio de Janeiro), um pedacinho da África foi montado com 400 animais de 50 espécies, que podem ser vistos e alguns até acariciados durante um passeio de jipe. Os visitantes são levados a um safári com macacos, tucanos, araras, emas, marrecos, anta, zebras, búfalos e até avestruzes. Que tal se aventurar?

Minas Gerais

Na Capital do Estado, em Belo Horizonte, a programação infantil que faz sucesso é o Jardim Botânico e o Jardim Zoológico da cidade, que é considerado um dos melhores da América Latina. São cerca de 900 animais, de 200 espécies, do Brasil e de várias partes do mundo, além do primeiro borboletário da América do Sul. Que tal conhecer?

No interior do Estado, na menor cidade brasileira, chamada de Águas de São Pedro, você pode se hospedar no famoso hotel-escola e curtir reservas de água mineral, nadar, brincar e se divertir nas piscinas e toboáguas do parque Thermas Water Park.

Também destacam-se em Minas as famosas Cidades Históricas: Congonhas, Mariana, Tiradentes, Sabará, São João del-Rei, Ouro Preto e Parque Natural do Caraça. Essas cidades, formadas por ladeiras de pedras, igrejas, museus e chafarizes, contam uma boa parte da história do nosso País. Assim você passeia e ainda aprende a valer!

Em Tiradentes, não deixe de passear na Maria-Fumaça. Já no Parque Natural do Caraça, fique de olhos atentos porque algumas espécies de lobo-guará costumam aparecer ao anoitecer para receber comida dos padres. É imperdível!

Se não gostou das opções acima, não se preocupe! Ainda tem o passeio no Trem da Vale que liga as cidades de Ouro Preto a Mariana. A tradicional Maria-Fumaça voltou aos trilhos, puxando uma composição móvel, que inclui um vagão panorâmico, e como é transparente, permite uma ótima visão da paisagem. Vale a pena!

Espírito Santo

O Espírito Santo é formado por 78 cidades. Possui um litoral recheado de praias como Guarapari, Marataízes, Vila Velha, Vitória, e muitas outras. No Estado ainda pode ser visto o Pico da Bandeira, com 2.890 metros de altura, o terceiro mais alto do País

A nossa dica fica na cidade de Itaúnas. São dunas (montes de areia formados pelo vento e pelo mar) de até 30 metros no parque estadual. Lá é possível passear de bugue pelas dunas, de canoa pelo rio e a cavalo até a praia. Superdivertido!

Fonte: www.turismobrasileiro.hdfree.com.br

Região Sudeste do Brasil

Minas une barroco e moderno

É verdade quando dizem que Minas sGerais ão muitas. Além da diversidade de destinos turísticos históricos existe ainda uma infinidade de lugares pequenos e belos que conservam uma identidade cultural ainda autêntica, com usos e costumes bem específicos, manifestações culturais típicas e atividades artísticas nas mais diversas áreas. Desde a moderna capital Belo Horizonte até a arquitetura barroca de Ouro Preto.

Minas Gerais reúne o mais importante acervo arquitetônico e artístico do período colonial brasileiro, preservado em cidades de fama internacional como Ouro Preto, Diamantina e Congonhas do Campo, conhecidas pela imensidão de obras-primas do estilo barroco, nas quais se destacam o trabalho de Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, e Mestre Athaíde.

Belo Horizonte

Conhecida também como Belô ou Beagá, Belo Horizonte foi considerada a metrópole com melhor qualidade de vida da América Latina pelo Population Crisis Commitee da ONU e a 45ª entre as cem melhores do mundo. A capital oferece interessantes áreas de visitação, casas de espetáculos com intensa produção artístico-cultural, boa e diversificada gastronomia, rico artesanato disponível em suas feiras e lojas especializadas.

Entre os principais pontos turísticos da cidade destaca-se a Praça da Liberdade, o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, planejado por Oscar Niemeyer, o Museu Histórico Abílio Barreto e a feira de artesanato que acontece aos domingos na Av. Afonso Pena, onde o turista pode se deliciar com a típica culinária mineira como o pão de queijo e os doces de compota.

Os dois grandes parques, Mangabeiras e Municipal, são duas importantes áreas verdes de Belo Horizonte e centros de lazer dos moradores. Cada habitante na cidade tem o dobro da área verde recomendada pela Organização Mundial de Saúde. Hoje a cidade tem mais de dois milhões de árvores!

Circuito da Trilha dos Inconfidentes

A região é considerada atualmente um importante pólo cultural e turístico, sediando eventos de cunho internacional. Além disso, o turista tem a oportunidade de conhecer um pequeno trecho da famosa Estrada de Ferro Oeste de Minas, inaugurada por D.Pedro II em 1881 e que conserva em funcionamento uma antiga locomotiva a vapor do início do século XX, a famosa Maria Fumaça.

Uma boa dica é fazer a caminhada ecológica pela Serra de São José, a visita ao arraial de Bichinhos e à cidade de Prados. Outra escolha é um passeio pela antiga Vila de São José, às margens do Rio das Mortes, berço da Inconfidência Mineira.

Circuito das Águas

Além do poder medicinal de suas águas, do clima e das opções de passeios, as cidades do Circuito Turístico das Águas são famosas por constituírem destinos certos para os turistas em busca de alternativas para melhorar ou manter a saúde.

É um destino para os que almejam livrar-se do stress e desejam tranqüilidade, relaxamento e muita paz. As fontes de água, verdadeiras fontes de vida, provêm da Serra da Mantiqueira, que preservam boa parte da Mata Atlântica de Minas, privilegiando esses municípios com belíssimas paisagens.

Circuito da Canastra

Os municípios deste circuito caracterizam-se pelo clima ameno, bela paisagem e a tranqüilidade que o turista pode usufruir. No Parque Nacional da Serra da Canastra, o grande atrativo do Circuito Turístico está nas várias espécies de animais silvestres e uma exuberante flora característica dos campos e do cerrado.

O relevo é constituído por chapadões de até 1.496 metros. O parque abriga também inúmeras nascentes, corredeiras, cachoeiras de águas límpidas e cristalinas, além de lagos, grutas e cavernas que ainda escondem insondáveis segredos. E é na Serra da Canastra que está a nascente e a primeira queda do Rio São Francisco.

Circuito dos Diamantes

Este circuito possui um Patrimônio da Humanidade, a magnífica Diamantina, que ganhou o título devido ao esplendor da arquitetura e de suas universais manifestações culturais. Além da riqueza arquitetônica e cultural um ótimo artesanato é oferecido aos visitantes.

Todos os meses a cidade vem recebendo centenas deles para assistir ao espetáculo da Vesperata. O turista pode aproveitar para conhecer o caminho dos escravos assim como a estória da escrava Chica, que virou rainha em Diamantina.

Circuito Guimarães Rosa

Primeiro circuito turístico baseado em literatura, o circuito Guimarães Rosa é destinado àqueles que querem ver com os próprios olhos, no sertão mineiro, os cenários da obra e vida do escritor que tem como livro mais conhecido o “Grande Sertão Veredas”. Assim como todas as histórias, cada município tem a sua para contar.

Umas que começaram seu aldeamento às margens de rios como o São Francisco e seus afluentes, outras onde os tropeiros paravam para descansar surgindo alguns ranchos, bem como ao longo da Estrada de Ferro, que corta a região.

Circuito das Grutas

Das centenas de grutas que se encontram em Minas Gerais um grande número se concentra nesse Circuito. Visitar uma gruta mineira é desvendar os segredos do subsolo deste Estado, que revela rios, cachoeiras, formações de estalactites, ossadas humanas e de grandes animais extintos, materiais líticos trabalhados com artes ancestrais, raridades de formações calcárias, inscrições rupestres, entre tantas outras surpresas que aguardam os turistas.

Circuito do Ouro

O Circuito Turístico do Ouro é sinônimo de história. Dono de um fabuloso acervo histórico e artístico, possui dois patrimônios da humanidade: Ouro Preto e o Santuário do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas. Assim, em decorrência da história da mineração do ouro, os diversos municípios deste circuito guardam verdadeiras relíquias culturais.

São museus, igrejas, centros culturais, sítios arqueológicos, fazendas, santuários, casarões, memoriais, trechos da Estrada Real e ricas manifestações da cultura popular. São destaques também dessa região o Parque Estadual do Itacolomi e o Parque Natural do Caraça.

Circuito Parque Nacional da Serra do Cipó

Privilegiada para a prática de ecoturismo, a Serra do Cipó constitui um patrimônio natural considerado um dos mais importantes do país, tal a sua biodiversidade. A área do Parque ocupa 33.800 hectares, onde a flora e fauna são bastante ricas. Pesquisadores catalogaram 1.600 espécies de flores por espalhados por aqui. O paisagista Burle Marx conferiu-lhe a titularidade de ser mais rico que a Amazônia.

Circuito Serras de Minas

Além da natureza exuberante, que conta com serras e montanhas, cachoeiras, rios, lagos e vales, o Circuito Serras de Minas conta também com um artesanato riquíssimo, tendo como exemplo as bordadeiras, gastronomia tipicamente mineira, folclore e tradições de manifestações religiosas e profanas.

No contexto Ecoturístico a grande atração da região é o Parque Estadual Serra do Brigadeiro, criado em 1996 e que possui uma área de 13.210 hectares. Ali concentram-se interessantes lugares como a Pedra Redonda, a Pedra Campestre, o Pico do Soares, o Pico do Boné e as cachoeiras da Cidade.

Circuito Trilhas do Rio Doce

Compreende hoje 14 municípios: Aimoré, Conselheiro Pena, Coroaci, Galileia, Governador Valadares, Guanhães, Peçanha, Resplendor, Santa Efigênia de Minas, Santa Maria do Suaçuí, São José da Safira, São João Evangelista, São Pedro do Suaçuí e Virginopólis.

O clima, a vegetação, o relevo, a posição geográfica e outros aspectos fazem da região um palco perfeito para inúmeras aventuras, sejam elas na terra, no ar ou na água. A riqueza da região é representada por rios com corredeiras, cachoeiras, lagoas, pedras para a prática de escaladas, rapel, vôo livre e paraglider.

Circuito Villas de Fazendas de Minas

Este circuito turístico conta a história do Brasil através das suas antigas vilas e fazendas do Brasil Colônia, do Império e do Brasil até os dias de hoje. Os visitantes encontram as marcas de personagens ilustres e fatos históricos como a arte colonial mineira, Tiradentes e a Inconfidência Mineira, a Guerra dos Emboabas e a Revolução Liberal, a Estrada Real e o Ciclo do Ouro. Também poderá visitar dezenas de igrejas, museus e fazendas, onde se pode saborear a deliciosa comida preparada no fogão à lenha, comprar boas peças artesanais e conhecer a arquitetura, a música, a religiosidade e as festas típicas.

Circuitos Integrados

O Estado de Minas Gerais ainda tem mais três Circuitos Integrados que trabalham a Estrada Real como seu principal produto turístico. Vale a pena conferir!

RIO DE JANEIRO

O Rio de Janeiro e suas mil facetas

Com uma área de 43.798 quilômetros quadrados, que representa 0,5% do território nacional, o Rio de Janeiro é um dos menores Estados da federação. É também o que concentra um dos mais ricos acervos culturais e alguns dos mais belos patrimônios naturais, e o que mais recebe turistas estrangeiros em todo o país.

Nesse estreito território, banhado em toda a sua extensão pelo Oceano Atlântico, a natureza formou um litoral repleto de detalhes e recortes, angras e baías, recobertas de areias claras. E, próximo a esse mar que alterna tons azulados e esverdeados, águas calmas e ondas perfeitas, a natureza caprichou na construção de curiosas formas geométricas, criando picos arrojados, escarpas, montanhas e pedras pontiagudas para tornar ainda mais impressionante a beleza estampada em suas praias.

Depois cobriu quase tudo com um espesso manto verde, de onde brotam olhos d´água que vão se juntando aos poucos e de repente se transformam em borbulhantes cachoeiras e corredeiras pelos vales e colinas.

Ainda hoje diversos municípios guardam seus tesouros de arquitetura, de igrejas e monumentos, de sua ciência, da arte de seus artistas e poetas, da música, de sua rica história que é em grande parte a melhor história que o país escreveu, para repartir tudo com o Brasil.

Além de toda a exuberante natureza e de todo o seu riquíssimo passado, o Estado também dispõe de uma das populações mais gentis, simpáticas, animadas e hospitaleiras entre os maiores destinos turísticos do mundo. Não poderia ser diferente em uma terra cujo símbolo maior é o Cristo Redentor de braços abertos.

Costa Verde

A Região da Costa Verde, no litoral sul, reúne alguns dos mais deslumbrantes cenários marinhos do Estado. Numa caprichosa paisagem aparecem dezenas de ilhas paradisíacas, praias, enseadas e montanhas formando imensos paredões recobertos de vegetação da Mata Atlântica. Em Angra localizam-se hotéis e resorts de elevado padrão. Paraty, patrimônio histórico, oferece aos visitantes o passado bem conservado em seu Centro Histórico e a exuberante natureza nas trilhas da Estrada Real. Outro destaque vai para a Ilha Grande, um pequeno paraíso aquático ideal para os esportes náuticos, pesca submarina e agradáveis passeios de barco.

Agulhas Negras

Situada no Médio Vale do Rio Paraíba, a Região das Agulhas Negras combina vegetação exuberante, cachoeiras e recantos paradisíacos com um grandioso conjunto de formações rochosas na Serra da Mantiqueira que corta toda a área. Entre elas, sobressai o acidente geográfico que dá nome à região, o Pico das Agulhas Negras, com 2.787 metros de altitude - ponto culminante do Estado do Rio de Janeiro, e as Prateleiras.

Localizado no coração do Parque Nacional do Itatiaia, esse conjunto de montanhas integra um circuito muito procurado por montanhistas e adeptos do turismo ecológico. Pela riqueza de sua flora e fauna, com espécies que só aparecem por lá, a região é considerada um dos mais preciosos santuários ecológicos do país. Destaque também para Penedo e Visconde de Mauá, que apresentam excelentes hotéis, pousadas e restaurantes em um belo cenário cercado de verde por todos os lados.

Serra Verde Imperial

A Serra Verde Imperial conjuga a beleza de sua vegetação e escarpas com o charme de uma gastronomia requintada, atrativos culturais e oportunidade de compras. A natureza convida o turista a visitar as límpidas cachoeiras, trilhas e matas. Petrópolis, única cidade imperial das Américas, conserva o charme de seu passado, com belas construções da segunda metade do século XIX e início do século XX, muitas das quais ajudam a contar importantes fatos da história brasileira.

Subir a serra é agradável em qualquer época do ano: o clima convida aos prazeres da boa mesa nos arredores de Petrópolis (Itaipava, Nogueira e Corrêas) e em Teresópolis e Nova Friburgo, que são famosas pelos seus excelentes restaurantes, hotéis e pousadas aconchegantes. Os festivais de inverno ou das colônias européias na Serra Verde Imperial são sempre um grande acontecimento, atraindo visitantes de todo o país.

Costa do Sol

Sol, sal, céu azul e uma imensidão de mar. Uma das mais belas regiões da costa brasileira é conhecida por ser ensolarada durante os 360 dias por ano. A magia da Costa do Sol, formada por cidades como Búzios, Cabo Firo, São Pedro da Aldeia e Araruama, começa a ser sentida quando se vêem os primeiros moinhos de vento, marca registrada da região.

Depois se chega a centenas de praias e lagoas belíssimas, uma após a outra. Um roteiro perfeito para quem gosta de sol, mar, vento, esportes aquáticos, gente bonita, vida noturna agitada e excelente gastronomia. Com a movimentação gerada pela indústria petrolífera surgem os grandes centros de convenções e chegam as grandes bandeiras hoteleiras internacionais, resultando em uma nova vocação para a região: a do turismo de negócios e eventos.

Vale do Café

A nobreza das fazendas e casarões coloniais criam um cenário de clima acolhedor no Vale do Café. Além da exuberância da Floresta Atlântica, a região oferece aos seus visitantes um verdadeiro passeio pela história do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil, com sua imponente arquitetura rural da época em que o café dominava a economia.

As fazendas e suas senzalas são uma herança cultural riquíssima e essa combinação de história e natureza propicia enorme quantidade de alternativas para descanso, passeios ecológicos e aventura em um rico meio rural e cultural. Os destinos mais procurados e que valem uma visita são os do Vale do Paraíba como Conservatória e Rio das Flores.

Rio de Janeiro e Niterói

Em qualquer época do ano, a cidade do Rio de Janeiro encanta os turistas do mundo todo com sua beleza indescritível e uma infinidade de atrações para todos os gostos. O termo “Cidade Maravilhosa” é o mínimo que se pode dizer de um local cheio de praias, pontos turísticos, arquitetura arrojada, museus, festas, shows, gastronomia variada, concertos, moda e natureza verdadeiramente abençoada pelo Cristo Redentor, cuja estátua de braços abertos pode ser vista dos quatro cantos da cidade.

A pouco mais de treze quilômetros de distância da Cidade Maravilhosa encontra-se Niterói, que também oferece grande quantidade de opções de entretenimento, esportes, cultura e belezas naturais para seus visitantes. A travessia pode ser feita de carro, pela famosa Ponte Rio-Niterói, ou de barcas e catamarãs, pelas águas da Baía de Guanabara.

SÃO PAULO

Diversidade e atrações de alto padrão em São Paulo

Maior centro industrial e de serviços da América Latina, grande representante do turismo nacional, o Estado oferece diversidade de atrações para os turistas. Além disso, possui a maior reserva de Mata Atlântica do país, a maior concentração de cavernas da América do Sul, praias, estâncias climáticas e hidrominerais, cidades com alto valor histórico, forte identidade cultural e a mais estruturada rede de aeroportos e estradas do Brasil. Motivo de sobra para pensar em uma viagem até a região.

Vale do Ribeira

Patrimônio Natural da Humanidade tombado pela UNESCO, a região se localiza no coração do maior remanescente contínuo da Mata Atlântica brasileira. Destaca-se pela diversidade biológica e de ecossistemas e pelos parques estaduais de Jacupiranga e do Alto Ribeira, onde é forte a presença do ecoturismo.

Dentro desta região há diferentes circuitos, para os gostos mais variados: O Circuito Turístico de Aventura e Lazer (que conta com o Parque Estadual turístico do Alto do Ribeira), O Circuito Turístico de Cavernas da Mata Atlântica (com a concentração de cavernas conhecida como Caverna do Diabo) e o Roteiro Turístico da Imigração Japonesa (com os templos budistas e Memoriais da Imigração Japonesa).

Vale do Paraíba

É cercado pelas serras da Mantiqueira e do Mar, caracterizando-se por ser um elo entre os Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Possui atrativos diversos como trilhas, cachoeiras, picos, parques estaduais e áreas de proteção ambiental que estão presentes nos seus circuitos como o Circuito turístico da Mantiqueira, o Caminhos do Rio Paraíba, o do Litoral Norte Paulista e o do Vale Histórico, que traz um retorno aos séculos XVIII e XIX, época das fazendas dos Barões do Café.

Região de Campinas

A região, que agrega grandes cidades do Estado como Campinas, Jundiaí, Americana e outras, está dividida em três circuitos diferenciados: o Circuito das Frutas, o de Ciência e Tecnologia, e o Circuito das Águas Paulistas.

Região da Baixada Santista

Na região destaca-se o Circuito dos Fortes, que reúne reservas de Mata Atlântica, vistas privilegiadas e patrimônios culturais e históricos que remontam a várias fases dos 500 anos de história do Brasil. O turista pode conferir a edificação usada para o armazenamento de armas e munições e de sete fortalezas construídas entre os séculos XVI e XX.

Os fortes podem ser visitados por via terrestre ou náutica e cada um deles guarda um retrato resumido dos aspectos construtivos, tecnológicos, estratégicos, históricos, culturais e geográficos do Brasil.

Também conhecida pelo Parque Estadual da Serra do Mar, é privilegiado por sua localização entre duas importantes regiões metropolitanas: a da Baixada Santista e a de São Paulo, abrigando inestimável patrimônio ambiental, histórico e cultural.

É caracterizado por Mata Atlântica de exuberante beleza cênica e por possuir um importante acervo histórico cultural, além de arrojadas obras de engenharia datadas da primeira metade do século XX. Graças à grande riqueza natural e histórica, a área foi declarada pela UNESCO como Reserva da Biosfera da Mata Atlântica. Na década de 70 os monumentos foram tombados.

Região das Cuestas

Adornada pela cuesta, é um cenário exótico que revela formações rochosas, fauna e flora exuberantese proporciona um cenário ideal para a prática de esportes de aventura e lazer, ecoturismo e turismo rural. Cortada pelos rios Tietê, Paranapanema e seus afluentes, a região é propícia para pesca e esporte náutico. A cultura regional é valorizada em festas tradicionais e religiosas preservando o modo de vida caipira.

Região Metropolitana de São Paulo

São Paulo é a maior cidade da América Latina é e responsável pelo maior Produto Interno Bruto do País. Além de ser sinônimo de bons negócios, oferece ao visitante uma experiência inesquecível de cultura, lazer e entretenimento.

A cidade conta com uma grande quantidade de salas de cinema, teatros, centros culturais, livrarias, museus e casas noturnas, além de ser mundialmente conhecida por sua gastronomia: são mais de 12 mil estabelecimentos, com cerca de 52 tipos de cozinha, de todas as partes do mundo. Outro atrativo está nas compras. Existem mais de 50 shopping centers e a cidade ainda oferece um grande diferencial: as ruas de comércio especializado. São mais de 40 opções, que concentram pontos de venda de produtos específicos.

Região Noroeste

Essa região reúne os circuitos dos Lagos e o sertanejo. Com paisagem receptiva de cerrado, relevo suave recortado pelas águas da bacia do Rio Grande, o Circuito dos Lagos apresenta-se como uma das regiões de melhor índice de qualidade de vida do país. É bastante propício para a prática de ecoturismo. Já o Circuito Sertanejo reúne rios, parques, termas, culinária, arte, artesanato e muita história.

ESPÍRITO SANTO

Espírito Santo: união da serra e do mar

Banho de mar, trilhas ecológicas, descanso nas regiões montanhosas, centros de estudos e pesquisas - Projeto Tamar e Reserva Florestal da Vale do Rio Doce, além da moqueca feita na panela de barro, ajudam a compor o cenário do Espírito Santo. Sua capital, Vitória, guarda preciosidades do Brasil Império, muita delas perto do balneário, possibilitando um passeio em 500 anos de história nos conjuntos arquitetônicos marcados por palácios, fortes, igrejas e casarios seculares.

Além disso o Espírito Santo possui locais ideais para a prática de esportes radicais como o raffting, rapel e vôo livre. Também são famosas as festas regionais como o Festival Internacional de Inverno de Domingos Martins, o Festival Internacional dos Amigos do Vinho, a Festa da Polenta, o Circuito Nacional de Forró de Itaúnas e outros eventos.

Festas religiosas como a Festa da Penha e os Passos de Anchieta contrapõem-se às festas profanas como o Vital, carnaval fora de época, e o Forró de Itaúnas, que atraem turistas de todas as regiões do Brasil e de outros países. O Estado foi dividido nas seguintes Regiões Turísticas: Litoral Sul, Litoral Norte e Região Serrana, cada uma delas com suas características e belezas específicas.

Litoral Sul

Também conhecida por Rota do Sol e da Moqueca, é formada pelas cidades de Vitória, Serra, Anchieta, Vila Velha e Guarapari. São cerca de cem quilômetros de praias com bares, restaurantes, hotéis, parques e estrutura voltada para receber pessoas de todas as idades e lugares. Nesse trecho do litoral sul do Espírito Santo destacas-se Guarapari, que ficou famosa por causa de suas praias com areias medicinais, de cores preta e amarela.

Com praias agitadas a semidesertas, esse litoral ainda conta com reservas ecológicas, parque aquático e passagem histórica importante para o país como a representativa cidade de Anchieta. Fundada em 1565 pelo Padre José de Anchieta, essa pequena cidade abriga a igreja onde o jesuíta viveu seus últimos anos, hoje transformada em santuário.

Litoral Norte

Chamada também por Rota do Verde e das Águas, a área dessa região começa pela capital Vitória e segue pelo litoral norte, até a divisa com a Bahia. Integram essa rota os municípios de Aracruz, Linhares, São Mateus e Conceição da Barra, além da aapital, ponto de partida para quem chega pelo Aeroporto ou da região Sudeste, Sul e Centro-Oeste do País. O litoral norte do Espírito Santo oferece praias paradisíacas, lagoas, reservas ecológicas e festividades culturais e folclóricas.

Destaque para as Dunas de Itaúnas, no parque estadual com mesmo nome, com seus recantos, falésias, praias calmas e até uma praia de naturismo. A lagoa Juparanã, segunda maior em volume d´água do país e o projeto Tamar são alguns dos atrativos da região. Em Aracruz, pequena cidade vizinha às instalações da Companhia Aracruz Celulose, existe o artesanato indígena dos índios Guaranis, que vivem por ali e que falam entre si a língua nativa

Região Serrana

Ideal para quem procura tranqüilidade e ao mesmo tempo valoriza um bom banho de mar. Também conhecida como Rota do Mar e das Montanhas, abrange quatro municípios: Venda Nova do Imigrante, Domingos Martins, Santa Teresa e Vitória. O turista encontra à sua disposição uma região diversificada e próxima.

Com uma distância curta entre as cidades, o visitante pode aproveitar a tranqüilidade das montanhas durante o dia e curtir boates e danceterias à noite. A região também é agradável para quem gosta de esportes radicais. Atividades como rapel, rafting, trekking, pára-pente e visitas a cachoeiras são oferecidas em diversas propriedades.

Fique Ligado

Como diz na brincadeira que “moqueca tem que ser capixaba, o resto é peixada”, não deixe de conhecer esse prato, que aqui tem uma forma toda especial de ser preparado.

A cidade de Búzios que está localizada na Costa do Sol, aparece sempre como um dos cinco destinos mais visitados do país. Como está a poucos minutos da capital Rio de Janeiro, vale a pena uma visita.

As cidades históricas de Minas Gerais são muito concorridas no mês de julho devido aos vários festivais de inverno que acontecem na região. Durante a Semana Santa a procura também é grande. Nestes dois períodos é preciso fazer reserva de hospedagem com antecedência.

Não perca no próximo roteiro da seqüência de Roteiros do Brasil as melhores dicas e atrações guardadas na Região Centro-Oeste do país.

Fonte: www.brasilviagem.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal