Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Renascimento - Página 15  Voltar

Renascimento



O Renascimento foi o movimento cultural que se desenvolveu na Europa ao longo dos séculos XV e XVI, com reflexos nas artes, nas ciências e noutros ramos da actividade humana. As cidades italianas foram pioneiras neste movimento intelectual, que em alguns países se estendeu até ao século XVII.

O Renascimento teve um outro grande centro na região da Flandres.

No centro da transformação intelectual renascentista encontra-se a passagem de uma mentalidade teocêntrica (isto é, que colocava Deus no centro da reflexão humana) a uma mentalidade antropocêntrica (que tinha o homem como centro). Esta proposta correspondia a um reconhecimento e a uma crença optimista nas capacidades e no valor do ser humano, contrapondo-se à visão medieval do mundo.

Os factores que influenciaram o desenvolvimento do Renascimento nessa época

As decobertas marítimas dos Portugueses e dos Espanhóis e o contacto mercantil com a Ásia ampliaram o comércio e a diversificação dos produtos de consumo na Europa a partir do século XV. Com o aumento do comércio muitos comerciantes europeus fizeram riquezas e acumularam fortunas. Com essas fortunas os governantes europeus e o clero passaram a dar protecção e ajuda financeira aos artistas e intelectuais da época. Essa ajuda, conhecida como mecenato, tinha por objectivo fazer com que os mecenas se tornassem mais populares entre as populações das regiões onde actuavam.

As zonas de manifestação do Renascimento

Foi na Península Itálica e na Flandres que o comércio mais se desenvolveu neste período, dando origem a uma grande quantidade de locais de produção artística. Cidades como, por exemplo, Veneza, Florença e Génova tiveram um expressivo movimento artístico e intelectual. Devemos também salientar que a Itália possuía uma vigorosa tradição cultural e artística, herança da cultura greco-romana. Por este motivo Itália e Flandres passaram a ser as zonas em que o Renascimento mais se manifestou.

A Literatura no Renascimento

A Literatura no Renascimento considerou as obras clássicas como modelos a seguir, quer nos temas quer nos géneros literários. Fizeram, no entanto, uma imitação criativa e inovadora. O facto de se corresponderem em Latim e grego e de inicialmente escreverem as suas obras nessas línguas facilitou a divulgação das obras literárias dos humanistas pela Europa Culta. A partir do séc.XVI, passaram a expressar-se nas línguas nacionais. Para a difusão destas obras literárias também contribuiu a descoberta da imprensa (Gutemberg, meados do século XV).

Na Literatura distinguiram-se Erasmo de Roterdão, Nicolau Maquiavel, Cervantes, Shakespeare e Luís de Camões.

O desenvolvimento da Ciência no Renascimento

Não só o homem se encontrava no centro das preocupações renascentistas: também a natureza era objecto de conhecimento. O homem ideal seria aquele que procurasse a compreensão e o domínio do homem e da natureza através das artes, mas também das ciências, numa crença nas capacidades da razão humana para decifrar os enigmas do mundo. O saber renascentista assentava assim numa mentalidade racionalista, ou seja, só se considerava válido o conhecimento que, comprovado pela observação e pela experiência humana, pudesse ser explicado de forma racional e inteligível. Nesta época promoveu-se o desenvolvimento de vários domínios do saber como a Astronomia (Nicolau Copérnico - teoria Heliocêntrica), a Medicina (Anatomia do corpo humano), a Matemática (Pedro Nunes - O Tratado da Esfera), a Geografia (Duarte Pacheco Pereira - Esmeraldo de Situ Orbis),a Botânica (Garcia da Orta – Colóquio dos simples e Drogas das Cousas Medicinais da Índia) e outras.

Arte no Renascimento

ARQUITETURA

Na arquitectura renascentista, a ocupação do espaço pelo edifício baseia-se em relações matemáticas estabelecidas de tal forma que o observador possa compreender a lei que o organiza, de qualquer ponto em que se coloque. A arte renascentista inspirou-se nas obras greco-romanas-classismo.

Principais características

Abóbadas de Berço

Arcos de Volta-Perfeita

Frontões nas portas e nas janelas

Pilastras e colunas encimadas por capiteis clássicos (dóricos, jónicos ou coríntios)

Cúpulas

Ideal da simetria absoluta

Ponto de Fuga

O principais arquitectos renascentistas

Brunelleschi

É um exemplo de artista completo renascentista, pois foi pintor, escultor e arquitecto. Realizou importantes trabalhos de arquitectura, entre eles a cúpula da catedral de Florença e a Capela de Pazzi.

Giuliano de Sangallo

Foi um dos mais famosos arquitectos renascentistas. Realizou trabalhos importantes como a Igreja de Santa Maria delle Carceri e a Basílica de S. Pedro.

PINTURA

A pintura teve como objectivo fundamental a imitação da Natureza tal como os olhos a observam – naturalismo -, embora ,por vezes, os artistas procurassem embelezar eliminando um ou outro aspecto menos agradável, de forma a que as suas obras provocassem o extâse/fascínio dos seus admiradores.

Principais características

Perspectiva

Técnica do Sfumato

Retrato

A temática Clássica

O volume

A inserção na Natureza

Serenidade

Inicia-se o uso da tela e da tinta à óleo

Principais pintores do Renascimento

Botticelli

Van Eyck

Leonardo da Vinci

Miguel Ângelo

Rafael

Piero della Francesca

ESCULTURA

No campo artístico, o aprofundamento do conhecimento da anatomia, permitiram uma melhor representação do corpo humano, com o cálculo rigoroso das proporções. A perspectiva geométrica e o sistema das proporções, modificaram, completamente, o trabalho dos artistas. A escultura deixou de estar ao serviço do sagrado, adquirindo autonomia.

Principais Características

Deixa de ser apenas um ornamento de edifícios

Recupera a representação do nú

Estátuas equestres

Interesse pela figura humana

Conjunto marcado pela monumentalidade e pela proporção

Conjunto marcado pela sua concepção e geometria

Principais escultores do Renascimento

Miguel Ângelo

Donatello

Fonte: gouveiajm.googlepages.com

Renascimento

Renascimento Cultural

Durante os séculos XV e XVI intensificou-se, na Europa, a produção artística e científica. Esse período ficou conhecido como Renascimento ou Renascença.

As características principais deste período são as seguintes:

Valorização da cultura greco-romana. Para os artistas da época renascentista, os gregos e romanos possuíam uma visão completa e humana da natureza, ao contrário dos homens medievais

As qualidades mais valorizadas no ser humano passaram a ser a inteligência, o conhecimento e o dom artístico

Enquanto na Idade Média a vida do homem devia estar centrada em Deus ( teocentrismo ), nos séculos XV e XVI o homem passa a ser o principal personagem (antropocentrismo).

A razão e a natureza passam a ser valorizadas com grande intensidade. O homem renascentista, principalmente os cientistas, passam a utilizar métodos experimentais e de observação da natureza e universo.

Durante os séculos XIV e XV, as cidades italianas como, por exemplo, Gênova, Veneza e Florença, passaram a acumular grandes riquezas provenientes do comércio. Estes ricos comerciantes começaram a investir nas artes, aumentando assim o desenvolvimento artístico e cultural. Por isso, a Itália é conhecida como o berço do Renascentismo. Porém, este movimento cultural não se limitou à Península Itálica. Espalhou-se para outros países europeus como, por exemplo, Inglaterra, Espanha, Portugal, França e Países Baixos.

Principais representantes do Renascimento Italiano e suas principais obras:

Michelângelo Buonarroti (1475-1564)

Destacou-se em arquitetura, pintura e escultura.Obras principais: Davi, Pietá, Moisés, pinturas da Capela Sistina.

Rafael Sanzio (1483-1520)

Pintou várias madonas (representações da Virgem Maria com o menino Jesus).

Leonardo da Vinci (1452-1519)

Pintor, escultor, cientista, engenheiro, físico, escritor, etc. Obras principais :Mona Lisa, Última Ceia.

Na área científica podemos mencionar a importância dos estudos de astronomia do polonês Nicolau Copérnico. Este defendeu a revolucionária idéia do heliocentrismo (teoria que defendia que o Sol estava no centro do sistema solar).Copérnico também estudou os movimentos das estrelas.

Nesta mesma área, o italiano Galileu Galilei desenvolveu instrumentos ópticos, além de construir telescópios para aprimorar o estudo celeste. Este cientista também defendeu a idéia de que a Terra girava em torno do Sol. Este motivo fez com que Galilei fosse perseguido, preso e condenado pela Inquisição da Igreja Católica, que considerava esta idéia como sendo uma heresia. Galileu teve que desmentir suas idéias para fugir da fogueira.

Contexto Histórico

As conquistas marítimas e o contato mercantil com a Ásia ampliaram o comércio e a diversificação dos produtos de consumo na Europa a partir do século XV. Com o aumento do comércio, principalmente com o Oriente, muitos comerciantes europeus fizeram riquezas e acumularam fortunas. Com isso, eles dispunham de condições financeiras para investir na produção artística de escultores, pintores, músicos, arquitetos, escritores, etc.

Os governantes europeus e o clero passaram a dar proteção e ajuda financeira aos artistas e intelectuais da época. Essa ajuda, conhecida como mecenato, tinha por objetivo fazer com que esses mecenas (governantes e burgueses) se tornassem mais populares entre as populações das regiões onde atuavam. Neste período, era muito comum as famílias nobres encomendarem pinturas (retratos) e esculturas junto aos artistas.

Foi na Península Itálica que o comércio mais se desenvolveu neste período, dando origem a uma grande quantidade de locais de produção artística. Cidades como, por exemplo, Veneza, Florença e Gênova tiveram um expressivo movimento artístico e intelectual. Por este motivo, a Itália passou a ser conhecida como o berço do Renascimento.

Leonardo da Vinci

É considerado um dos maiores gênios da história da Humanidade, embora não tivesse nenhuma formação na maioria dessas áreas, como na engenharia e na arquitetura. Expressa melhor do que qualquer outro o espírito do renascimento.`

É impossível de se imaginar, é como um homem que viveu em cerca de quinhentos anos atrás, fosse desenvolver teorias e técnicas em tantas áreas, desde a pintura, até mesmo a ciências modernas. Provavelmente o seu perfeccionismo em cada pintura, é um dos motivos por este possuir autoria de tão poucas obras; outro possível motivo é que algumas de seus quadros se perderam com o tempo (sendo roubados ou até mesmo destruídos), devido a sua maneira polêmica de retratar, desde cenas religiosas, até mesmo retratos, sendo um deles a Mona Lisa.

A ciência do Renascimento

O racionalismo e o experimentalismo fez com que os Renascentistas pensassem sobre vários dogmas da Idade Média, dentre eles está o geocentrismo que foi questionado por vários cientistas do renascimento: Nicolau Copérnico afirmou que a Terra gira em torno do sol; temos também Galileu Galilei que afirmou a mesma coisa, porém foi abrigado a renegar essa teoria pela inquisição; outro astrônomo Johannes Kepler comprovou que a tragetória dos planetas em torno do sol era elíptica. Para os leigos Leonardo da Vinci foi somente um pintor, mas isso não é verdade, ele foi matemático, escultor, arquiteto, físico, escritor, engenheiro, poeta, botânico, músico e também teve um importante papel no Renascimento científico pois dentre seus projetos estava uma máquina equipada com hélice, que poderia manter um homem no ar. Esse projeto não realizou até o levantamento de um homem mas foi um símbolo da genialidade de Leonardo da Vinci.

Mona lisa

O sorriso misterioso de Mona Lisa, popularizado em pôsteres, cartões, camisetas a partir do quadro de 77 por 53 cm, pintado pelo renascentista Leonardo da Vinci no século XVI, tornou-se um ícone da cultura ocidental e completa 500 anos, ainda cercado de especulações sobre a dama. As especulações sobre a composição da obra são as mais variadas. Para alguns, Leonardo pintou a mulher ideal, ou a sua própria mãe; outros dizem que ela era sua amante ou de um de seus mecenas; os traços andróginos do rosto estimulam teorias de que por trás da identidade da Mona Lisa está um auto-retrato do pintor.

Valorização intelectual

Uma das principais características do movimento conhecido como Renascimento é o fato de que as qualidades mais valorizadas no ser humano passaram a ser a inteligência, o conhecimento e o dom artístico. Neste período os governantes europeus e o clero passaram a dar proteção e ajuda financeira aos intelectuais e artistas da época. Essa ajuda, conhecida como mecenato tinha como objetivo fazer com que os mecenas (governantes e burgueses) se tornassem mais populares entre as regiões onde atuavam.

O Renascimento : Pintura

Nomeou-se renascimento manifestações em virtude da "reissureição consciente" do passado. Neste período várias manifestações culturais, sociais, políticas, econômicas, etc, ocorreram, sempre baseando-se em ideais e características do "movimento". Entre essas características, as que mais se destacavam eram: a racionalidade, a dignidade do ser humano, o rigor científico, o ideal huanista e a reutilização das artes greco-romana. A pintura da época também se preocupou em caracterizar o renascimento. Entre os pintores, podemos citar Botticelli, Leonardo da Vinci, Michelângelo e Rafael. As pinturas geralmente apresentavam tons claro-escuro para representar o volume dos corpos; realismo, o homem com expressão grandiosa do próprio Deus; perspectiva, distâncias e proporções segundo os princípios da matemática e geometria. Neta época também iniciou-se o uso de tela e da tinta óleo, as manifestações se tornaram independentes e os pintores se caracterizaram com estilo pessoal e individualista.

Itália: centro do renascimento cultural

O Renascimento cultural manifestou-se primeiro na região italiana da Toscana, tendo como principais centros as cidades de Florença e Siena, de onde se difundiu para o resto da Itália e depois para praticamente todos os países da Europa Ocidental. A Itália permaneceu sempre como o local onde o movimento apresentou maior expressão.

Renascimento Científico

O Renascimento Científico começa a criar raízes no século XVI, quando ocorre o desenvolvimento de muitos ramos da ciência. O aprimoramento da observação e da experimentação foram a contribuição do renascimento, fazendo as práticas cientistas avançarem. Os destaques do renascimento científico foram para Leonardo da Vinci e Nicolau Copérnico. Da Vinci, com suas habilidades no campo da ciência, inventou e aprimorou muitos instrumentos, inclusive bélicos. Copérnico deu sua contribuição no aumento no conhecimento da matemática, mecânica e astronomia. As ciências naturais também progrediram. Na medicina, Miguel de Servet, e William Harvey, descobriram o funcionamento da circulação sanguínea. Ambroise Paré , defendeu a ligação das artérias, em vez da tradicional cauterização para estancar hemorragias, e André Vesálio , o "pai da anatomia" que publicou o primeiro livro sobre a anatomia humana. O renascimento tirou da igreja o poder e o direito de dar explicações sobre a criação e a vida. A experimentação era então o meio vigente para achar respostas e entender a realidade. Mesmo tendo a contra- reforma, esta não pode mais conter o avanço da ciência.

Ideais do Renascimento

O Renascimento tem como alguns de seus ideais defendidos o Antropocentrismo, o Hedonismo, o Individualismo ,o Otimismo e o Racionalismo. O Antropocentrismo é uma concepção que diz que a humanidade deve permanecer no centro do entendimento do homem; o Hedonismo é uma teoria que afirma que o prazer individual e imediato é o supremo bem da vida; o Individualismo é um conceito político, moral e social que exprime a afirmação e liberdade do indivíduo frente a um grupo, à sociedade e ao Estado; o Otimismo caracteriza-se por ser uma forma de pensamento (o pensamento positivo); e o Racionalismo é considerado a corrente filosófica que iniciou com a definição de raciocínio (operação mental, discursiva e lógica). O Renascimento, com seus ideais e valores, foi muito importante pois foi a principal influência dos pensadores iluministas do século XVII.

O renascimento foi um movimento cultural ocorrido primeiramente na Itália no século quatorze e espalhado por toda Europa nos séculos quinze e dezesseis. Atingiu as áreas de filosofia, artes, ciências e astronomia gerando transformações culturais, sociais, econômicas, políticas e religiosas. Os idéias do renascimento são: antropocentrismo, hedonismo, racionalismo, otimismo e o individualismo. O antropocentrismo visa o homem como centro do universo. O hedonismo prega o prazer individual e imediato como maior bem da vida humana. O individualismo depende da noção do individuo durante a historia humana e não se deve confundir com egoísmo. O otimismo é um sinônimo de pensamento positivo e significa para o renascimento o poder de fazer tudo sem restrição alguma. Já a definição do racionalismo é a operação mental, discursiva e lógica.

O homem de Vitrúvio

O Renascimento está associado ao humanismo,que normalmente refere-se genericamente a uma série de valores e ideais relacionados à celebração do ser humano. Neste contexto temos vários humanistas famosos, entre eles Leonardo Da Vinci que entre tantas obras famosas encontra-se o desenho "O homem Vitruviano" que foi feito por volta de 1490 em um de seus diários. Este desenho é interessante, este descreve uma figura masculina desnuda separadamente e simultaneamente em duas posições sobrepostas com os braços inscritos num círculo e num quadrado.

Às vezes, o desenho e o texto são chamados de Cânone das Proporções.Examinando o desenho, pode ser notado que a combinação das posições dos braços e pernas formam quatro posturas diferentes, porém, o umbigo ("centro de gravidade") premanece imóvel.O desenho recebe este nome pois Virtrúvio, um arquiteto romano em um de seus livros publicados, tenta descrever as proporções do corpo humano dentro de uma circunferência e um quadrado, porém suas tentativas foram imperfeitas.

O redescobrimento das proporções matemáticas do corpo humano no século XV por Leonardo e os outros é considerado uma das grandes realizações que conduzem ao Renascimento italiano.O desenho também é considerado freqüentemente como um símbolo da simetria básica do corpo humano e, para extensão, para o universo como um todo. Também temos a característica interessante que a área total do círculo é identica a área total do quadrado e este desenho pode ser considerado um algoritmo matemático para calcular o valor do número irracional phi (=1,618).

Divisões do Cristianismo

Em 1054 houve a primeira grande divisão do Cristianismo, conhecida como "O Grande Cisma do Oriente" com a divisão entre as igrejas Católica e Ortodoxa. Em 1517, Martinho Lutero deu início a Reforma Protestante que foi um movimento com uma série de tentativas de reformar a Igreja Católica Romana, e levou o estabelecimento do Protestantismo, que conseqüentemente deu origem a várias outras denominações cristãs posteriores a reforma religiosa. Para quem é cristão e acredita na bíblia olhem só o que Jesus disse nos evangelhos: (Lucas, 21:8) Jesus respondeu: Vede que não sejais enganados.

Muitos virão em meu nome, dizendo: Sou eu; e ainda: O tempo está próximo. Não sigais essa gente. (Marcos, 13:21-23) E se então alguém vos disser: Eis, aqui está o Cristo; ou: Ei-lo acolá, não creiais. Porque se levantarão falsos cristos e falsos profetas, que farão sinais e prodígios para seduzir, se possível, até os escolhidos. Ficai de sobreaviso. Eis que vos preveni de tudo. De acordo com os evangelhos, que foram escritos muito antes de todas as divisões do cristianismo, essas divisões não teriam mesmo que acontecer? Podemos refletir sobre isso.

Renascimento

Renascimento é o período da história européia caracterizado por um renovado interesse pelo passado greco-romano clássico, especialmente pela sua arte. O Renascimento começou na Itália, no século XIV onde o comércio mais se desenvolveu neste período, dando origem a uma grande quantidade de locais de produção artística. Cidades como, por exemplo, Veneza, Florença e Gênova tiveram um expressivo movimento artístico e intelectual. Por este motivo, a Itália passou a ser conhecida como o berço do Renascimento. e difundiu-se por toda a Europa, durante os séculos XV e XVI.

A passagem do feudalismo para o capitalismo é marcada por transformações sociais, econômicas, culturais, religiosas e políticas. Diz-se, então, que um novo modelo renasce, na esfera cultural, completamente desligado da estrutura medieval e com o nome de Renascimento. A partir do século XIV, esse movimento ganhou força na Itália e passou a ser difundido, de modo que a cultura clássica (greco-romana) fosse resgatada. Esse resgate trazia à tona valores como o antropocentrismo e o individualismo, e ainda contribuía para o declínio da era medieval. Nesse contexto, surge um gênio da história da humanidade: Leonardo da Vinci. Suas contribuições não estão restritas às obras escritas, mas também principalmente às artes, dentre elas, a pintura. A criatividade e interesse de Leonardo da Vinci influenciaram sobremaneira invenções, atualmente conhecidas por nós, como: pára-quedas, bicicleta, salva-vidas entre outras. As engenhosidades criadas por Leonardo fazem dele um homem cercado por uma aura de mistério.

A imprensa é um fenômeno recente com mais ou menos 300 anos de existência, e no principio a serviço da sociedade burguesa e suas atividades lucrativas. Até o século XV, vários tipos de matérias foram utilizados para a transmissão de informações, tais como o papiro, linho, algodão e o pergaminho, orem somente após o séc XV que a melhoria do papel fez a diferença na transmissão das informações. A partir de 1438, o Alemão Gutemberg, utiliza-se de um invento chinês a tipografia, e transforma os tipos de madeira para chumbo, o que torna as composições mais convincentes.

Fonte: www.geocities.com

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15

16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal