Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ressonância Magnética  Voltar

Ressonância Magnética

 

Ressonância Magnética

A Ressonância Magnética é um dos mais significativos avanços do século no que diz respeito a diagnósticos médicos por imagem. Permite imagens em duas ou três dimensões, de qualquer parte do corpo.

Sob efeito de um potente campo magnético, prótons do corpo humano são sensibilizados de maneira uniforme, principalmente os presentes nos átomos de Hidrogênio (a água perfaz 69% do volume corporal).

Em seguida um campo magnético oscilatório (rádio frequência) é emitido, obedecendo o ritmo desses prótons (em ressonância com esses) que, uma vez cessado, "devolve" a energia absorvida nesse processo, permitindo a formação da imagem através da decodofocação de sinais por computadores. As imagens produzidas são de alta resolução.

Além de não irradiar o paciente, pois não utiliza o Raio X, método disponível e mais difundido até há pouco, a Ressonância Magnética na medicina contemporânea, tornou-se um dos métodos mais estudados nos grandes centro médicos mundiais.

Não causa qualquer desconforto ao paciente, sendo necessário apenas que se permaneça imóvel durante o exame. Não apresenta contra indicações, exceto a portadores de marca-passos cardíacos e materiais metálicos (clips metálicos e outros) que possam sofrer indução eletromagnética.

Fonte: www.prontocormg.com.br

Ressonância Magnética

O que significa "Ressonância Magnética"?

Ressonância Magnética (RM) é uma ferramenta médica moderna e precisa disponível aos médicos para a imagem seccional do interior do corpo. Esta "visão magnética" fornece aos médicos uma quantidade de informações detalhadas sobre a localização, tamanho e composição do tecido corporal a ser examinado. Este conhecimento pode ser decisivo no estabelecimento de um diagnóstico rápido e preciso.

A RM é um método de investigar o corpo tão complicado quanto parece. A RM não usa raio-X. De fato, como o nome indica, o procedimento é baseado nas propriedades magnéticas dos átomos que constituem todas as substâncias - incluindo o corpo humano. Em um campo magnético forte, como o produzido pelo scanner da RM, sinais elétricos são emitidos pelo núcleo atômico do tecido corporal. Esses sinais são interceptados por uma antena circular ao redor do paciente.

A intensidade do sinal varia de acordo com o tipo de tecido. Um computador designa os sinais aos pontos correspondentes das áreas corporais em exame e transforma-as em imagem na tela.

Preparação para o exame

Não é necessário remover as roupas, como é o caso em muitos exames de raio-X, porém, os pacientes são solicitados a retirar todos os objetos que possam interferir no processo de imagem, principalmente aqueles contendo metal. Isto inclui não somente brincos, broches, colares, relógios de pulso, mas também canetas esferográficas e chaves.

Os pacientes devem também retirar placas dentárias removíveis e informar o médico se houver qualquer implante metálico ou objeto estranho, incluindo:

Marca-passo
Válvula cardíaca artificial
Prótese vascular ("Stent")
Membro artificial
Unha ou placa metálica
Estilhaço ou tala de metal
Dispositivo intra-uterino (para contracepção)

O médico deve ser informado se você está grávida.

Para o exame, os pacientes são conduzidos a um recosto almofadado no centro do scanner da RM. É importante que o paciente sinta-se confortável para o início e permaneça calmo e quieto o quanto possível durante o exame, já que qualquer movimento físico pode interferir com a precisão das medidas ou alterar os resultados dos testes.

Os pacientes podem ajudar:

Não beber café ou chá no dia do exame.
Não utilizar maquiagem ou spray de cabelo, já que podem interferir na imagem.
Vestir roupas frouxas e adequadas sem zíper ou fechos de metal.

Uma palavra sobre segurança

Uma vez que a ressonância magnética não envolve o uso de raio-X, não é necessário tomar as mesmas medidas de precaução para exames de raio-X. Pelo conhecimento científico atual, a força do campo magnético necessária para obter resultados precisos (até 2 Tesla = 20.000 vezes o campo magnético da Terra), não possui efeito prejudicial. Nos últimos anos, milhões de exames foram realizados sem quaisquer efeitos colaterais conhecidos - durante ou após o exame. Os exames de RM geralmente não podem ser realizados em pacientes com marca-passo cardíaco.

O que acontece durante o exame?

Durante o exame o paciente deita-se no centro de uma abertura tipo túnel do scanner da RM, o que não é perigoso nem doloroso. Porém, se o paciente não gosta da sensação de se sentir preso ou sofrem de claustrofobia, tomar um sedativo leve, com consulta do médico, pode ajudar.

Cada imagem da RM leva de 5 a 15 minutos para ser obtida. Durante o exame, o paciente ouvirá um som de batida leve. Não há com que se preocupar. Esse é o funcionamento normal do scanner da RM.

Quando é necessário obter várias imagens, o recosto irá mover-se automaticamente à posição apropriada. O paciente deve continuar o mais tranqüilo possível.

Dependendo do tipo do exame, o tempo total do procedimento pode ser de até 60 minutos.

Utilizando um meio de contraste

Em alguns casos um meio de contraste específico para RM é injetado para melhorar a qualidade da imagem e melhorar a segurança do diagnóstico. Esses agentes de contraste são extremamente bem tolerados pelos pacientes. Eles são diferentes dos agentes de contraste à base de iodo utilizados nos exames de raio-X e são, freqüentemente, seguros o suficiente para serem administrados aos pacientes alérgicos ao meio de contraste do raio-X.

Para esclarecer dúvidas ou obter mais informações, não hesite em consultar o seu médico.

Fonte: www.schering.com.br

Ressonância Magnética

O exame de Ressonância Magnética é um método de diagnóstico por imagem que não utiliza radiação e permite retratar imagens de alta definição dos órgãos de seu corpo.

O equipamento que realiza o exame trabalha com campo magnético, e, por isso, algumas precauções devem ser tomadas para realização do exame, como não utilizar jóias e maquilagem, entre outros.

Veja como se preparar e o que acontece durante o exame:

Exame de Ressonância Magnética

Ressonância Magnética

O exame de Ressonância magnética, também é chamado de Ressonância Nuclear Magnética

Cada clínica e hospital dispõem de seus próprios procedimentos, entretanto, todos os exames de RM têm características comuns:

Pede-se que você use roupas confortáveis, sem botões metálicos ou zíper, porque objetos metálicos afetam a qualidade das imagens. Em alguns casos, você será orientado para trocar sua roupa por um avental hospitalar.

Pede-se que você retire qualquer jóia, maquilagem, prótese metálica ou cartões magnéticos.

Você deverá informar, ao médico ou técnico que opera o equipamento, se usa marcapasso, placa de metal, pino ou qualquer outro implante metálico, válvula cardíaca artificial, grampo de aneurisma ou se já foi ferido durante o serviço militar ou se já trabalhou diretamente em contato com metais. Qualquer peça metálica no corpo pode causar desconforto ou lesão quando em contato com o forte campo magnético do equipamento.

Informe também ao seu médico se você estiver grávida.

Os preparativos do exame

Alguns exames de Ressonância Magnética (RM) exigem a administração de um contraste - um líquido que acentua as imagens dos seus órgãos e/ou vasos sanguíneos. Depois do exame, o contraste será eliminado do seu corpo através da urina.

Ressonância Magnética

Um especialista o colocará na posição adequada na mesa de RM e um dispositivo chamado de Bobina de RF será colocado ao lado ou em volta da área de interesse do exame, como, por exemplo, o ombro, cabeça ou joelho. Esta bobina é usada para receber as imagens do seu corpo . A seguir, o operador vai colocá-lo dentro do magneto, movimentando a mesa para dentro. Este magneto contém um altíssimo campo magnético que ajuda a produzir as imagens do exame.

Durante o exame

A mesa da RM na qual você está deitado deslizará suavemente para dentro do magneto, onde permanecerá durante todo o exame. O técnico sairá da sala, mas ficará em constante contato com você através de um aparelho de comunicação interna. Relaxe e permaneça o mais imóvel possível. Em caso de qualquer desconforto haverá uma campainha para você fazer contato com a equipe.

Ressonância Magnética

As imagens captadas através da RM variam de acordo com o exame. Cada parte do exame de RM pode durar até 10 minutos e a duração do exame completo pode levar de 15 a 40 minutos. Durante este período dúzias de imagens são produzidas.

Durante o exame você ouvirá um barulho parecido com batidas em intervalos regulares. Isto significa que as imagens estão sendo tomadas e principalmente durante o barulho você deverá permanecer bem imóvel. Geralmente, antes do início do exame, o técnico lhe dará protetores para o ouvido ou um fone especial para reduzir o barulho. Em alguns equipamentos é possível até mesmo tocar sua musica predileta para ouvir durante o exame.

Ressonância Magnética

Quando acabar o exame, as imagens da RM serão revistas, seja em filme ou em um monitor, pelo radiologista, que então emitirá um laudo.

Como se preparar?

Geralmente, a maioria dos hospitais entrega ao paciente um questionário que deverá ser preenchido antes do exame. É muito importante que isto seja feito com a maior precisão possível. Na maioria das vezes, você o preencherá junto com o seu médico ou especialista.

A necessidade de precisão nas respostas é vital, porque existem vários aspectos do seu corpo que podem impossibilitá-lo de realizar o exame de RM, como, por exemplo, implantes de cirurgias prévias, placas de metal, marcapasso etc. Após o questionário, você pode discutir todo o procedimento do exame com o técnico e mais uma vez confirmar todas as informações do formulário.

Para se fazer um exame de RM é necessária pouca preparação. Evitar comer e beber aproximadamente 4 horas antes será útil se você for fazer o exame na região abdominal ou pélvica. Também é aconselhável ir ao banheiro antes, para que não haja a necessidade de interromper o exame.

Ressonância Magnética

Não é preciso interromper qualquer medicação que tenha sido prescrita anteriormente.

Sempre é útil fornecer qualquer exame diagnóstico prévio (por exemplo, tomografias computadorizadas (CT), exames de ressonâncias magnéticas anteriores, ultra-som, radiografias, etc).

Se desejar pode trazer um membro da família ou amigo para acompanhar o exame. Entretanto, ambos não poderão entrar na sala de exame carregando objetos de metal.

O ponto principal nos preparativos para um exame de RM é não se preocupar. Ele dura pouco tempo, é indolor e é um excelente método diagnóstico.

Exame de Ressonância Magnética para Crianças

Ressonância Magnética

Em primeiro lugar, o que o equipamento faz e por que precisamos dele?

O equipamento de ressonância magnética é uma máquina que ajuda os médicos a tirar fotos de todas as partes do seu corpo.

Aponta onde e como estão todas as coisas dentro de você e permite ter certeza que você está forte e saudável. E o mais importante, não dói nem faz mal.

O exame é muito rápido e tira fotos do seu corpo, por exemplo: sua cabeça, seus joelhos, pernas e também seus órgãos internos, como de seu coração e pulmões. Portanto, é uma ótima maneira de ver se está tudo bem com seu corpo!

Como funciona?

Normalmente a máquina de Ressonância Magnética é parecida com um grande biscoito branco furado no meio. Ligada a ela está uma mesa que pode mover-se para cima e para baixo, para frente e para trás, entrando em um pequeno túnel iluminado. A mesa desliza por ali como uma espaçonave. E quando entrarmos na sala de exame, você ira se deitar na mesa e aí você vai deslizar para dentro do túnel e o exame vai começar.

Ressonância Magnética

Em volta do túnel há um grande ímã, que torna possível tirar as fotos. Este ímã vai enviar uma mensagem para os seus órgãos internos, e eles enviarão uma mensagem de volta. O computador, do lado de fora da sala, lê e interpreta esta mensagem e a transforma em uma fotografia. Ao final do exame teremos uma extraordinária foto de seu corpo!

O que vai acontecer durante o exame?

Enquanto você está sobre a mesa, este grande biscoito branco irá fazer barulhos engraçados, mas não se assuste, o barulho está apenas indicando que a máquina está funcionando bem. Enquanto ele estiver fazendo estes barulhos, é porque está ocupado enviando e recebendo informações emitidas pelo seu corpo.

O exame leva cerca de 20 minutos e você tem de ficar absolutamente imóvel. Se você se mexer, a fotografia não sairá boa e é importante tirar a melhor fotografia possível. Todas as informações que chegam de seu corpo são enviadas ao computador. Quando a informação chega é transformada em uma fotografia e aparece na tela do meu computador.

Ressonância Magnética

Assim, os médicos poderão examinar o seu corpo e explicar para você tudo o que está ocorrendo.

Fonte: www.siemens.com.br

Ressonância Magnética

Ressonância Nuclear Magnética

Guarda alguma semelhança com a tomografia computadorizada, uma vez que também realiza cortes das estruturas corporais, porém com maior nível de detalhamento e nitidez.

Com exceção dos pacientes portadores de marca-passo cardíaco, é um exame totalmente isento de riscos.

Não há emissão de radiação. A Ressonância Magnética é conhecida desde 1940, inventada por Purcell e Bloch, laureados com o Prêmio Nobel de Física em 1952.

Ressonância Magnética
Eduard Mills Purcell (1912–1997)

Ressonância Magnética
Felix Bloch (1905–1983)

A Ressonância Magnética é um método de imagem que aproveita as propriedades naturais dos átomos existentes no corpo humano para criar uma imagem.

Tomando por base a possibilidade de exposição à radiação ionizada, a Ressonância Magnética, por não utilizá-la, é um método mais inócuo que os Raios X tradicionais ou que a Tomografia Computadorizada.

Com esse método é possível avaliar áreas específicas de importância na doença de Alzheimer como o hipocampo. Esse método é útil na aproximação do diagnóstico clínico, se bem que a perda volumétrica da área hipocampal não seja exclusiva da doença de Alzheimer.

O termo hipocampo que define essa região do cérebro, recebe essa denominação pela semelhança com a forma de um cavalo-marinho.

A Tomografia Computadorizada e a Ressonância Magnética mostram apenas as estruturas anatômicas do cérebro. Como o cérebro é um órgão estático, não se move como o coração ou pulmão, os Raios X tem escasso valor para avaliação da função.

O valor dos tomógrafos de PET ou SPECT está relacionado ao estudo das funções cerebrais, das partes ativas ou não-ativas do cérebro. Com esses exames é possível avaliar como as diferentes regiões do cérebro funcionam ao desenvolvermos as mais diversas atividades mentais, como por exemplo, pensar, lembrar, ouvir, ver, falar, etc.

Fonte: www.alzheimermed.com.br

Ressonância Magnética

Ressonância Magnética

A Ressonância Magnética é conhecida desde 1940, inventada por Purcell and Bloch, os quais, receberam o Prêmio Nobel de Medicina em 1953, tanto quanto posteriormente, também receberam esse prêmio os inventores da Tomografia Computadorizada.

A Ressonância Magnética é um método de imagem que aproveita as propriedades naturais dos átomos existentes no corpo humano para criar uma imagem de diagnóstico. Tomando por base a possibilidade de exposição à radiação ionizada, a Ressonância Magnética, por não utilizá-la, é um método mais inócuo que os Raios X tradicionais ou que a Tomografia Computadorizada. A imagem por Ressonância Magnética explora a mini-magnetização natural do átomo de hidrogênio, o mais abundante do corpo humano.

Os átomos de hidrogênio podem ser considerados como pequenos imãs (pequenos dipolos magnéticos) e, quando o corpo do paciente é colocado sob a influência de um forte campo magnético, esses átomos ficarão alinhados na direção das linhas de força desse forte campo magnético. Eles também girarão em torno dessas linhas de força com uma certa freqüência, movimento este chamado de precessão. Se esses átomos são bombardeados com ondas eletromagnéticas na freqüência da precessão, eles absorverão energia.

Após o desligamento do campo magnético (da radiofreqüência), os prótons do hidrogênio voltam à posição anterior devolvendo a energia que ganharam na forma, também, de ondas eletromagnéticas. O contraste entre os diversos tecidos do corpo humano e entre os tecidos normais e patológicos é decorrente também da diferença entre o número de átomos de hidrogênio existentes nesses tecidos, conseqüentemente será diferente também as ondas eletromagnéticas emitidas por esses tecidos e captadas pelo aparelho. A energia das ondas eletromagnéticas é medida pelo aparelho, que as amplia e usa para gerar as imagens.

Realmente, um processo muito científico.

A Ressonância Magnética é o método mais recente de diagnóstico por imagem, diferenciado-se dos demais pela não utilização de radiação. Utilizando-se de ondas eletromagnéticas para formação de imagens, tem sido um dos melhores exames no campo da ortopedia, neurociências e neurocirurgia. São hoje muito diversas as aplicações clinicas da Ressonância Magnética destacando-se entre as mais importantes o estudo do crânio, coluna e do sistema músculo-esquelético.

Fonte: virtualpsy.locaweb.com.br

Ressonância Magnética

Ressonância Magnética
Imagem de ressonância magnética, a técnica do efeito nuclear

Com a ajuda da ressonância magnética imagens finas e em camadas, chamadas de tomogramas são geradas de qualquer parte do corpo de qualquer ângulo sem penetrar no corpo.

O procedimento do diagnóstico sem estresse que tem sido aplicado desde o início dos anos 80 trabalha com campos magnéticos fortes e impulsos curtos de rádio. Ele é baseado no chamado efeito nuclear. Este termo descreve a propriedade de um núcleo anatômico para ligar o seu próprio eixo como um pião, transformando-o em um pequeno ímã. O núcleo anatômico de hidrogênio que é apresentado no corpo em grande número se comporta exatamente da mesma forma.

Na ressonância magnética, o corpo é submetido ao campo magnético que é aproximadamente 30.000 vezes mais forte do que aquele da terra. Esse campo magnético artificial faz com que os átomos de hidrogênio do corpo se alinhem em uma direção ao invés de uma bússola em um campo magnético na terra.

Quando o impulso é cessado, os átomos retornam à sua posição original. Durante este relaxamento, os átomos de hidrogênio emitem sinais ressonantes que são medidos.

Os sinais recebidos servem como base para gerar imagens de dentro do corpo com a ajuda de processos de computador como os desenvolvidos para radiografia e tomografia. Os tecidos aparecem na tela em diferentes níveis de iluminação. Os tecidos que são ricos em água são bastante brilhosos, tecidos com pouca água são escuros. Os ossos quase não são vistos enquanto tecidos como os músculos, ligamentos, tendões e órgãos podem ser reconhecidos claramente em tons de cinza.

Fonte: www.discoverybrasil.com

Ressonância Magnética

A Ressonância Magnética (R.M.) é um método diagnóstico que se utiliza de um forte campo magnético e ondas de rádio-freqüência para a obtenção de imagens.

O fenômeno da ressonância magnética foi descoberto na década de 40, mas só na década de 80 passou a ser utilizado como ferramenta diagnóstica na medicina.

É um método não invasivo que fornece imagens, com ótimo contraste entre os tecidos e com aquisições multiplanares, ou seja, as imagens podem ser obtidas em diferentes planos.

No sistema nervoso central, houve um grande avanço no diagnóstico de patologias após a introdução deste método, pois ele permite ótima caracterização da anatomia, bem como a identificação e localização precisa de patologias neste sistema.

Por isso, a Ressonância Magnética é um dos mais significativos avanços do século no que diz respeito a diagnósticos médicos por imagem, permitindo imagens em duas ou três dimensões, de qualquer parte do corpo, além de não irradiar o paciente, pois não utiliza o Raio X (método disponível e mais difundido até há pouco).

Também não causa qualquer desconforto ao paciente, sendo necessário apenas que se permaneça imóvel durante o exame. Não apresenta contra indicações, exceto a portadores de marca-passos cardíacos e materiais metálicos (clipes metálicos e outros) que possam sofrer indução eletromagnética.

O que é ressonância magnética?

O exame de Ressonância Magnética é um método de diagnóstico por imagem que não utiliza radiação e permite retratar imagens de alta definição dos órgãos de seu corpo.

O equipamento, que realiza o exame, trabalha com campo magnético, e, por isso, algumas precauções devem ser tomadas para realização do exame, como não utilizar jóias e maquilagem, entre outros.

Como é obtida a imagem de Ressonância Magnética?

Na técnica de Ressonância Magnética (RM) aplicada à medicina trabalha-se principalmente com as propriedades magnéticas do núcleo de hidrogênio (1H), que é o menor núcleo que existe e consta de um próton. No corpo humano temos milhões e milhões de prótons. Quando os prótons não se encontram sob a influência de nenhum campo magnético exterior, o spin magnético de cada um deles esta apontando para uma direção diferente, de maneira que a soma vetorial de todos eles é igual a zero. Fala-se que a magnetização total é igual a zero. Para podermos obter um sinal de RM precisamos colocar o paciente a ser examinado dentro de um campo magnético alto, o qual pode variar de 0,2 a 3,0 T (1 T = 104 Gauss) dependendo do aparelho. Este campo magnético, chamado de campo magnético externo (B0), é gerado pela corrente elétrica circulando por um supercondutor que precisa ser continuamente refrigerado até uma temperatura de 4K (Kelvin), por meio de hélio líquido, a fim de manter as características supercondutoras do magneto.

Após o paciente ser posicionado no centro do magneto, os spins começam a sentir o efeito do campo magnético externo B0 e orientam-se em paralelo ou anti-paralelo ao B0. Só existem estas duas possibilidades e cada uma destas orientações corresponde a um nível energético diferente.

O resultado é que a soma vetorial de todos os spins já não é zero: temos uma magnetização total em paralelo ao B0.

Embora tenhamos já uma magnetização diferente de zero, esta ainda não pode ser medida, para isso precisamos deslocar a magnetização para um eixo perpendicular ao B0, ao qual chamamos de eixo transversal. Para passar a magnetização do eixo longitudinal ao transversal precisamos emitir uma onda eletromagnética da mesma freqüência que a anterior, o que chamamos de onda de rádio–freqüência.

Uma vez a magnetização estando sobre o eixo transversal a 2º onda é desligada e podemos começar a medir a magnetização com o receptor no eixo transversal.

O que nosso receptor registra é uma voltagem induzida pelo movimento de precessão da magnetização transversal em torno ao B0. Este sinal é o que se chama de Free Induction Decay (FID) ou Decaimento de Indução Livre (DIL). A amplitude do FID diminui com o tempo por causa do processo de relaxamento, que é o mecanismo pelo qual a magnetização vai voltar lentamente ao estado inicial de equilíbrio. Na realidade, a rapidez com que o conjunto de spins volta ao estado de equilíbrio depende do tipo de tecido ao que eles pertençam. Simplificando, a variação do tempo de volta da indução magnética é que forma a imagem.

Fonte: www.famerp.br

Ressonância Magnética

O que é a Ressonância Magnética?

A Ressonância Magnética Nuclear (RMN) é um tubo largo envolto por um campo magnético circular, que utiliza dois fundamentos físicos, o magnetismo e as ondas de radiofrequência.

Para efetuar este exame, o paciente deverá ser deitado numa marquesa movível que o leva para dentro do tubo magnético potente, que alinha os núcleos de hidrogénio da água do seu corpo. São então enviados curtos pulsos de radiofrequência fazendo com que o seu corpo emita sinais que são transformados em imagens por um computador.

Para que serve a Ressonância Magnética Nuclear (RMN)?

A RMN pode ser utilizada como uma técnica de diagnóstico de grande sensibilidade para detectar alterações específicas do corpo – ex: estrutura das articulações e ossos; informação sobre a morfologia dos orgãos abdominais; aneurismas, tumores cerebrais e medula óssea; acidentes cerebro-vasculares; problemas a nível dos discos intervertebrais; estrutura do coração e aorta. A RMN permite também aos neurocirurgiões definir a anatomia do cérebro e avaliar a integridade do sistema nervoso central após um traumatismo.

Como me devo preparar?

Geralmente a realização de um exame RMN não requer qualquer dieta, pelo que pode comer o que quiser.

Antes de entrar na sala ser-lhe-á pedido que retire: carteiras e moedas; ganchos de cabelo, jóias, relógios, chaves, cartões de crédito e outros cartões magnéticos, piercings e próteses metálicas. Ser-lhe-á ainda pedido que vista uma bata para evitar qualquer interferência provocadas por fechos metálicos, colchetos, etç…

Aqueles doentes que possuem pacemakers, implantes ou chips metálicos não podem realizar este exame, devido ao risco do campo magnético gerado dentro corpo poder deslocar as estruturas metálicas.

Onde se realiza o exame?

O exame é efetuado numa sala especialmente protegida contra ondas de radiofrequência exteriores. Será deitado numa marquesa confortável que desliza para a posição do exame. Apenas necessita permanecer quieto e descontraído. Pode ser administrado um tranquilizante ligeiro antes do exame para aqueles pacientes que sofrem de claustrofobia.

Durante o exame que durará de 20 a 40 minutos, não sentirá qualquer desconforto, apenas ouvirá alguns ruídos (fortes estalidos) que correspondem ao normal funcionamento do aparelho.

Para evitar interferências estará sozinho na sala de exames mas existe um intercomunicador para a sala onde se encontra o pessoal técnico e médico.

Terei que levar uma injeção?

Para examinar certas zonas do corpo, o médico poderá decidir administrar um líquido (meio de contraste) administrado através veia do braço para melhorar a imagem e evidenciar alguns pormenores.

Qual é a diferença entre TAC e RMN?

Estes dois meios de diagnóstico de imagem correspondem a técnicas completamente diferentes: enquanto a Tomografia Axial Computorizada (TAC) é um exame com radiações que mostra cortes horizontais, isto é “cortes em fatias” de determinado elemento do corpo, a RMN tem a vantagem de fornecer imagens em três planos do espaço sem radiações. Cada um dos exames – TAC e RMN – têm as suas próprias indicações e podem ser complementares.

Mário Santos

Fonte: www.medicoassistente.com

Ressonância Magnética

A ressonância magnética (RM) é uma técnica radiológica que nos possibilita tomar imagens do interior do nosso corpo de maneira não invasiva.

Diferentemente da radiologia convencional e da tomografia computadorizada, a RM não usa radiação, mas poderosos magnetos (imãs) e ondas de rádio para obter estas imagens. O campo magnético produzido pelo aparelho de RM é 10.000 vezes maior que o campo magnético da Terra.

As forças do campo magnético criadas pelo equipamento de RM forçam os átomos do corpo a se alinharem de uma maneira semelhante à agulha de uma bussola quando ela é colocada próxima a um imã. Quando ondas de rádio são enviadas em direção aos átomos de hidrogênio realinhados, elas são rechaçadas e um computador registra este evento. Diferentes tipos de tecidos enviam diferentes tipos de sinais.

Imagens isoladas de RM são chamadas de cortes (slices). As imagens podem ser armazenadas em um computador ou impressas em filme. Um único exame pode produzir centenas de imagens.

Outos nomes dados à ressonância magnética: ressonância magnética nuclear, imagem de ressonância magnética.

O uso da RM juntamente com outros métodos de imagem ajudam o clínico a chegar ao diagnóstico definitivo de uma doença que esteja investigando.

As imagens de RM podem ser intensificadas ou melhoradas com o uso de contrastes especiais, como o gadolíneo, que servem, também para fornecer informações adicionais sobre os vasos sanguíneos. Uma angiografia por ressonância (ARM) cria imagens tri-dimensionais dos vasos sanguíneos. Ela é utilizada quando a angiografia tradicional não pose ser realizada.

Para realizar o exame o paciente algumas vezes tem que usar uma bata hospitalar sem prendedores de metais. Algumas roupas de uso diário contêm metais, que podem interferir nas imagens da RM.

O paciente deita na maca do equipamento que é empurrada para dentro do equipamento de RM. Se o paciente tiver claustrofobia, ele deve avisar ao médico.

Nestes casos um sedativo pode auxiliar e acalmar o paciente. Nos casos mais graves de claustrofobia, recomenda-se que o exame seja realizado em um sistema aberto de RM.

Ressonância Magnética

Ressonância Magnética
Ressonância Magnética fechada

Ressonância Magnética
Ressonância Magnética aberta

Muitas vezes, dispositivos chamados de bobinas são colocados em volta da cabeça, braços ou pernas do paciente. Estes dispositivos ajudam na recepção e transmissão das ondas de rádio, melhorando assim a qualidade da imagem.

Alguns exames exigem a administração de contrastes, que via de regra são administrados antes do início do exame, por via intra-venosa em um vaso da mão ou ante-braço. O contraste ajuda o radiologista a ver as imagens com mais clareza.

Durante todo o exame o técnico responsável pela operação do equipamento de RM fica observando o paciente em outra sala atavés de uma janela envidraçada. Vários grupos de imagem são tomados, cada um deles durando entre 5 e 15 minutos. Dependendo da área a ser estudada, um exame de RM pode demorar até uma hora.

O paciente pode ser solicitado a fazer um jejum de 4-6 horas em alguns casos.

O forte campo magnético criado pela RM pode interferir com certos implantes, especialmente marca-passos. Portanto, os pacientes com este dispositivo não podem fazer este exame ou até mesmo ficar próximo ao equipamento.

O paciente não pode fazer exames de RM se tiver em seu corpo um dos seguintes dispositivos:

Clipes de aneurisma cerebral
Algumas válvulas cardíacas artificiais
Marcapasso cardíaco
Implantes auditivos cocleares
Implantes e aparelhos oculares (exceto lentes intraoculares para catarata)
Fixadores ortopédicos externos

Os dispositivos seguintes não constituem contraindicação para a Ressonância:

Clipes utilizados em cirurgias de vesícula biliar
Próteses valvares cardíacas (mesmo as metálicas)
Implantes ortopédicos, como próteses, pinos, parafusos e hastes (exceto os fixadores externos)
Derivação ventriculoperitoneal
Dispositivo intrauterino (DIU)
Stents intravasculares (como stent coronariano, por exemplo) são permitidos para a realização da ressonância somente após 6 semanas de sua colocação.

As grávidas com menos de 12 semanas de gestação não devem ser submetidas à Ressonância (contraindicação relativa).

Informe ao seu médico a existência de um destes dispositivos ao marcar o exame, de modo que o tipo de metal de que ele é feito possa ser determinado.

Trabalhadores metalúrgicos e pessoas que sejam expostas a pequenos fragmentos de metal, deveriam ser submetidas a uma radoografia do crânio para verificar a presença de metal nos olhos.

Objetos de metal não são permitidos na sala de exame, pois eles são atraídos pelo magneto do equipamento com tremenda força.

Outros objetos metálicos que não são permitidos na área de exame:

Jóias
Relógios
Cartões de crédito
Aparelhos de escuta

Alfinetes, grampos de cabelo, zipper de metal podem distorcer as imagens de RM.

Aparelhos ortopédicos móveis devem ser retirados antes do exame.

O exame de RM é totalmente indolor.

Alguns pacientes ficam ansiosos quando estão dentro do equipamento e, nestes casos um leve sedativo ajuda a superar a ansiedade.

O paciente deve ficar o mais imóvel possível durante o exame, pois movimento excessivo pode fazer com que as imagens fiquem borradas e indistintas.

Durante o exame o equipamente pode emitir altos sons, que podem ser minimizados com um fone de ouvido.

Dentro da sala de exame existe um interfone que possibilita a comunicação do paciente com o técnico. Algumas salas de exame possuem televisão e fones de ouvido especiais, para ajudar a passar o tempo.

Depois do exame o paciente pode retomar suas atividades normais.

O equipamento de ressonância não emite radiação ionizante. Não existe efeito colateral documentado sobre o uso do campo magnético e as ondas de rádio no corpo humano.

O contraste utilizado na RM, o gadolíneo, é muito seguro e reações alérgicas ao seu uso são muito raras.

O técnico na sala ao lado pode monitorar a respiração e batimentos cardíacos do paciente durante todo o exame, se necessário.

Os exames de RM não são recomendados para pacientes com trauma agudo, porque o equipamento de tração e suporte à vida não podem entrar na sala de exame, além do que este procedimento é muito demorado para estes doentes emergenciais.

Procedimentos de Ressonância Magnética realizados na Diagnose:

Ressonâcia magnética do abdome superior  (Fígado , vesícula biliar e vias biliares , dos rins , adrenais , baço , retroperitôneo) .
Colangioressonância magnética .
Angioressonância da aorta abdominal e ilíacas .
Angiorressonancia de veia porta.
Ressonância magnética da parede abdominal e pelve .
Ressonância magnética do fígado para hemocromatose .
Ressonância magnética da pelve feminina e masculina .
RM do encéfalo .
RM encéfalo com espectroscopia de prótons.
RM encéfalo com perfusão e difusão.
RM do encéfalo com fluxo liquórico.
Ressonancia magnetica da sela túrcica.
Ressonancia magnetica mastóides.
Angioressonância magnética da aorta torácica , vasos supra aóticos
Angioressonância dos vasos cervicais.
Angioressonância dos vasos cerebrais.
Angioressonância magnética venosa do crânio.
RM das órbitas.
RM dos seios da face .
Ressonancia magnetica do pescoço.
RM das articulações têmporo-madibulares ( ATM ).
RM das colunas cervical, dorsal, lombo-sacra.
Ressonância magnética quadril , articulações coxo-femorais .
Ressonancia magnetica articulacao sacro-iliaca.
Ressonância magnética, crâniovertebral ou crâniocervical.
Ressonância magnética do  tornozelo e pé.
Ressonância magnética do  joelho .
Ressonância magnética da coxa e perna .
Ressonância magnética do  ombro.
Ressonância magnética do  cotovelo .
Ressonância magnética do  punho e mão .
Ressonância magnética do  braço e antebraço.
Ressonância magnética do  tórax e mediastino.
Ressonancia magnetica dos plexos braquiais .
Angioressonância magnética  dos membros inferiores.

Fonte: www.diagnose.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal