Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Rússia  Voltar

Rússia

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Para visitar Rússia e Ucrânia é necessário apresentar o Passaporte em vigor, com uma validez mínima de 6 meses após a data de regresso da viagem, contar com um visto turístico e um seguro de viagens.

No momento de chegar na Rússia, por avião, há que passar o controle de Passaportes e vistos. Deve ter paciência pois este controle costuma ser muito demorado. Uma vez finalizado este trâmite deve recolher a bagagem para passar o controle de alfândegas. Aqui é necessário carimbar as declarações de alfândega préviamente preenchidas (podem-se obter à chegada do aeroporto). Estas declarações de alfândega serão preenchidas só por aquelas pessoas que levarem mais de 500 dólares norte-americanos ou equivalente em outra divisa convertível.

Aquelas pessoas que levarem menos da referida qantidade, não precisan preencher declaração. Se vai conhecer Kiev através de um tour turístico, fixado por uma agência de viagens, não terá nenhum problema, mas se vai fazê-lo de carro lembre-se que deve passar antes por uma agência turística para pesquisar as fronteiras de entrada e saída do país que vai visitar e o percurso previsto.

Não terá problemas para alugar um carro, pois existem empresas de aluguel, tanto no aeroporto como nos principais hotéis. Lembre-se que deve fazer a reserva do carro com antecipação

Se não tiver nenhuma declaração à fazer, poderá sair diretamente pelo corredor verde. Atualmente, em nenhum caso, precisa declarar câmeras de vídeo, fotos, jóias, salvo objetos de extremo valor.

No momento de abandonar a Rússia, só aquelas pessoas que fizeram carimbar sua declaração de alfândega ao entrar, deverão rechear outra declaração de alfândega. Ambas declarações deverão ser entregues no control alfandegário.

Não podem-se introduzir drogas, armas ou imprensa pornográfica. Está proibido sacar do país mais de 250 gramos de caviar e mais de 2 garrafas de vodka, assim como antigüidades, iconos e quadros de valor, que no caso de serem descobertos pela alfândega ficarão confiscados. Em algumas lojas oferecem um papel para poder sacar do país a antigüidade ou o icono que se pensa comprar. Este papel, a maioria das vezes não serve para nada.

CLIMA

Nestas cidades só se desfrutam dois meses de verão, junho e julho, nos que a temperatura é suave, entre 15 e 20 graus centígrados.

A partir de agosto as temperaturas começam a descer consideravelmente, chegando a atingir em pleno inverno 17 graus centígrados embaixo de zero.

Na primavera se produz o degelo que costuma vir acompanhado por frequentes chuvas.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Se se viaja no verão, junho e julho, é aconselhável levar roupas cômodas apropriadas para temperaturas de entre 15 e 20 graus centígrados. Não esqueça o guardachuvas e uma capa para a chuva. A partir de meados de agosto deverá proteger-se do frio com grossos casacos, sobretudo de tarde e no inverno. Deve levar roupa de muito abrigo com especial ênfase em médias de lã, calçado forrado, abrigo muito grosso e um gorro. Não esqueça algúm medicamento contra a gripe ou amígdalas.

IDIOMA

O idioma oficial é o russo. Alfabeto é o cirílico pelo que, a menos que o conheça, irá resultar-lhe impossível ler. Como curiosidade há que assinalar que nas repúblicas da Comunidade de Estados independentes falam-se mais de 160 línguas. Em Kiev o idioma oficial é o ucraniano.

RELIGIÃO

Uma vez acabado o ateísmo imposto pelo regime comunista, a religião que tem emergido maioritariamente é a cristã, ortodoxos a maioria, embora também existem muçulmanos, judeus, budistas e outros cultos minoritários.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica oscila desde os 127 volts até os 220 volts (o mais habitual). Tomadas costumam ser de cavilha redonda mas não está de mais levar algúm adatador porque, de vez em quando, pode-se encontrar um de toma plana.

MOEDA E CÂMBIO

Em Moscou e São Petersburgo a moeda oficial é o Novo Rublo. Em Ucrânia a moeda oficial é o Griven. Pode-se cambiar moeda ou cheques de viagem em hotéis, casas de câmbio e armazéns que encontram-se em todas as cidades. Se ao abandonar o país ainda tem alguns rublos, estos podem cambiar-se por dólares em qualquer lugar de câmbio somente apresentando o Passaporte. O mercado negro já não existe mais e embora algiem ofereça cambiar dólares, o melhor é fazê-lo em centros renconhecidos. Se aconselha viajar com dólares norte americanos ou euros.

Todos os pagos em comércios, lojas, supermercados, bares, restaurantes, devem realizar-se em rublos tal e como estabelece a lei. Os pagos em dólares podem-se fazer nos mercadinhos e nos postos que vendem souvenirs.

Apesar que em muitos estabelecimentos aceitam cartões (Visa, Diner´s Club e Master Card), as operações com as mesmas são dificeis.

CORREIOS E TELEFONIA

Em todos os hotéis existe um serviço de correios onde podem adquirir-se os selos. Costumam dispõr de serviço de telégrafos. Para telefonar pode fazê-lo desde o centro de negócios do hotel que normalmente tem serviço direto; é preferível fazê-lo assim embora resulte um pouco mais caro que desde os locutórios internacionais. Na maioria das recepções de hotéis há telefones que funcionam com cartões (que se adquerem na mesma recepção). Não existem as chamadas a cobrar em Rússia. Em algumas estações de metro há cabinas que funcionam com cartões (telefonnaya kartchaka) e que se adquerem nas cabinas do metrô. Para chamar a Rússia deverá marcar o 00-7, prefixo da cidade e número do assinante (prefixo de Moscou 095).

FOTOGRAFIA

É preferível levar os filmes de fotos ou o filme de video pois o sistema que lá é empregado é diferente e se não resta alternativa procure revelar antes de sair do país. É imprescindível viajar com suficientes baterias para os flashes pois é difícil encontrá-las. Podem-se fazer todo tipo de fotografías ou filmes de video em qualquer lugar sempre que não esteja proibido através de letreiros. Não podem-se fotografar ou filmar indústrias e lugares militares. Se deseja tomar fotos no interior de um estabelecimento público ou a pessoas desconhecidas peça licença antes. Seguro que concordarão.

HORÁRIO COMERCIAL

Os estabelecimentos comerciais costumam ter o mesmo horário que os europeus (de 9.00 às 19.00 h. Sábados até as 18.00 h) e, exceto algumas lojas de alimentação, todos fecham o domingo. A maioria de estabelecimentos fecham para comer entre as 13.00 e 14.00 h. Ou entre as 14.00 e 15.00 h. As lojas nas que podem-se encontrar os artigos para turistas não fecham a meio dia nem os finais de semana.

GORJETAS

Proibidas durante o regime comunista, tornaram a instaurar-se desde a criação da CEI. Considera-se de bom gusto deixar uma gorjeta que pode ir entre o 5 e o 10 por cento do total das faturas. Os moços de hotel costumam ver com bons olhos umas quantas moedas por mala e é costume dar gorjeta também às camareras do hotel.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa de aeroporto.

COMPRAS

Pensar na Rússia e Ucrânia e querer comprar ali, é certo que lhe vem à cabeça três coisas: vodka, caviar e matrioskas. Efetivamente, em qualquer ponto poderá encontrar estes três produtos.

As matrioskas formam parte do artesanato tradicional do talhado de madeira tão típico do centro da planície européia da CEI. Pintados com alegres cores, entre os que primam o vermelho e o amarelo, tirar umas de dentro de outras e coloca-las por tamanho é um bom entretenimento para os crianças, além de um formoso adorno para qualquer casa.

Se comprar caviar, seja vermelho ou negro, assegure-se de sua qualidade e lembre-se que só poderá passar pela alfândega 400 gramas apresentando as faturas.

Com respeito a vodka informe-se das marcas pois no mercado encontra-se desde a de maior qualidade até autênticas "matarratas". Também se oferecem aromatizados com distintas ervas, limão e inclusive pimentas.

O artesanato da Rússia e Ucrânia oferece uma mostra realmente impressionante, esplêndidos lacados sobre madeira, em móveis como mesas e escritórios ou em pequenas caixas de desenhos realmente bonitos, esmaltes de grande qualidade, miniaturas maravilhosas, peças de imexorável vidro, os famosos relógios russos de grande tamanho, delicadas porcelanas de acabado perfeito.

Menção a parte valem as balalaikas, instrumentos musicais de forma triangular, os preciosos xadrez de madeira, os chales bordados de alegres cores, as encantadoras camisas ucrânianas com bordados e ribetes, os produtos realizados em pasta de papel entre os que se podem encontrar broches, piteiras, etc, adornadas com a temática dos contos russos tradicionais e todos os artigos de pele e couro, abrigos de vison, gorros de raposa ártica, cintos e sapatos de excelente qualidade. Também pode-se adquirir aromáticos perfumes de embriagadores aromas.

Rússia e Ucrânia destacam-se pela sua maravilhosa joalheria. Pode-se adquirir delicadas figuras de malaquita, colares em prata ou em ouro com brilhantes e pedras preciosas, braceletes de âmbar, broches de selenita e todo tipo de marfins.

A cerâmica costuma estar adornada em cores branca e azul, as mais conhecidas são as de Gzel. Também pode-se encontrar livros antigos, discos de música clássica dos melhores compositores russos, selos, gravados e como não, preciosos íconos. Lembre-se que não pode exportar obras de arte anteriores a 1975, sem permissão especial outorgado pelo Ministério da Cultura.

Os horários costumam ser os mesmos que no resto da Europa. Alguns comércios costumam abrir aos domingos. Não esqueça de guardar todas as faturas pois as autoridades aduaneiras podem solicitá-las.

POPULAÇÃO E COSTUMES

Os habitantes da Comunidade da Rússia e Ucrânia são pessoas acolhedoras, hospitaleiras e risonhas apesar dos duros históricos que tem sofrido este povo é de talanto nobre e sabe encarar os maus tratos, com um impressionante otimismo.

O clima, tão frio no inverno, tem reforçado o caráter familiar da sociedade. Quando as grandes nevadas tornam muito difícil o trânsito por ruas e estradas, tanto os russos como os Ucrânianos, se ficam em casa com as conversações, a rádio e a televisão, como entretenimentos. A leitura também ocupa um lugar importante em suas preferências, de feitio, este povo está considerado desde há tempo, como um povo culto.

Porém, as cidades não se vêm completamente vazias, sempre há movimento de pessoas envolvidas em pesados abrigos e calçados forrados que vão de um lado a outro e não duvidam um instante antes de manter uma conversação com um conhecido apesar do frio. Os lugares de lazer, encontram-se repletos de gente com vantagens de passar bem. Com a mudança política, a noite tem vida própria. Nesta sociedade se madruga muito e se vai à cama muito tarde, assim é certo de que dormirá muito pouco se decidir seguir o ritmo.

É necessário ter em conta que um turista ou viajante sempre é considerado como uma boa fonte de informação sobre política exterior, costumes distintos e nível de vida. Curiosamente o estrangeiro não é o que mais observa nesta sociedade, a curiosidade é outro componente essencial do caráter deste povo.

Apesar de sua amabilidade e simpatia, talvez influenciados pelo clima e as transformações políticas, os habitantes da CEI são reservados, não lhe contarão facilmente sua vida, mas responderão as perguntas de um modo correto, com uma hábil troca de conversação. Também têm fama de ser teimosos e é melhor não discutir com eles. As mulheres e os homems estão plenamente equiparados.

O regime comunista não admitia diferenças e com a mudança política esta característica se tem mantido. Os jovens têm um grande sentido de humor e é fácil relacionar-se com eles. De feitio, "paquerar" é um dos alicientes da movida noturna destas cidades, isso sempre de uma maneira sana e correta. As mulheres neste aspeto também têm se igualado aos homens.

A difícil situação econômica que atravessam tem levado a algumas pessoas ao desespero mais absoluto. O álcool tem sido a única resposta a seus problemas pelo que não é estranho ver algumas pessoas embriagadas na rua. Recorde que está muito mal visto fotografá-los. Também é muito frequente ver longas filas nos comércios, embora os turistas não as padecem porque existem lojas destinadas a eles. Os habitantes da CEI passam muitas horas nelas mas em lugar de desesperar-se aproveitam para relacionar-se e conversar com outras pessoas. São realmente pacientes.

Também são muito respeituosos com os costumes alheios, talvez, porque desde tempos remotos têm convivido com homems e mulheres de distintas culturas.

É importante respeitar os seus: nas igrejas os homems devem tirar os chapéus e gorros, as mulheres devem levar cobertos os ombros e nas ortodoxas, as senhoras não podem usar calças compridas. Nos transportes públicos é habitual ceder o assento aos anciãos, crianças e mulheres. Por último recorde que ninguém se senta nas escadas, umbrais, valas e sobretudo, na relva.

Respetando as normas encontrará pessoas realmente encantadoras, bem humoradas e de extremada gentileça quem farão sentir ao visitante em casa.

ENTRETENIMENTO

Moscou, São Pertersburgo e Kiev são as três cidades mais importantes da parte européia da Comunidade dos Estados Independentes. Como grande urbanização que é, oferece uma ampla e variada oferta de atividades das que desfrutar plenamente.

Se gosta de caminhar, as amplas avenidas e as formosas praças são um marco incomparável para respirar o verdadeiro movimento desta cidade e, observar o comportamento de seus moradores. Também os espaços verdes oferecem um entorno muito agradável e cuidado para dar um bonito passeio.

Em Kiev pode-se desfrutar bastante com o parque aquático Dneprovskj e as exóticas variedades do Jardim Botânico da Academia Fomin. Em todos eles pode-se ver as duplas de concentrados jogadores de xadrez, inclinados sobre o tabuleiro. Se você gosta deste jogo, não deixe de praticá-lo.

Além do xadrez pode-se desfrutar com esportes como o futebol, o basquete, o atletismo ou a natação. As três cidades contam com instalações esportivas adecuadas tanto para praticar esporte como para desfrutá-lo, assistinto a jogos de times tão famosos como o Spartak de Moscou.

Os cafés têm merecida fama. Costumam estar decorados com um gusto excelente e na maioria deles pode-se comer algo ligeiro enquanto se escuta a música mais variada. Os bares também são um centro de reunião habitual para os habitantes destas cidades.

Quando a noite aparece, a "movida" noturna resurge do coração das cidades. Discotecas parecidas às europeas, clubes, pubs e cassinos iluminam seus letreiros e vestem com suus melhores galas para receber a nacionais e estrangeiros com um mesmo objetivo, a diversão.

Moscou, São Petersburgo e Kiev mantém durante todo o ano uma ampla oferta cultural que tem melhorado notávelmente desde o câmbio de régime político.

Exposições de todo tipo, conferências, bibliotecas lotadas de livros interessantes, concertos de música clássica ou contemporânea, formosos balets, cinemas com passes de filmes nacionais e estrangeiros ou representações teatrais de qualidade, todos eles em entornos espetaculares como o Teatro Bolshoi em Moscou, o Pushkim em São Petersburgo e o Teatro Académico Estatal de Ópera e o Balet Taras Sevcenko em Kiev. Não perca a oportunidade de ver uma mágica função do circo russo, é realmente fabuloso.

FESTIVIDADES

A primeira celebração importante que celebram os habitantes de Rússia, Ucrânia e Kiev cavalga entre a última noite do ano, que se acaba e, o primeiro do recém estreiado. A Noite Velha, o dia 31 de dezembro, igual que na Espanha, se reunem família e amigos em copiosas ceias e alegres bailes. No dia seguinte todas as casas despertam com as risadas e a ilusão das crianças. Por fim tem chegado a festividade da Ika, o Ano Novo, denominado assim, porque em todas as praças de todas as cidades assim como em todos os domicílios particulares há um precioso abeto (elka) repleto de adornos e luzes de cores.

É o dia dos presentes. O Ded Moroz (Avó Gelo) e Snegurocka (Copo de Neve), deixam os presentes para todos os membros das famílias com especial atenção às crianças. Conta a lenda que Copo de Neve foi enviada ao bosque, para que fora devorada pelos lobos pela sua malvada madrastra. Seus pérfidos desejos se viram desbaratados pelo Avó Gelo que salvou à jovem que, desde então, vive feliz em sua companhia.

O dia 8 de março celebra-se o dia da mulher trabalhadora. Neste dia as flores aparecem em todas as ruas e praças em homenagem a mães, esposas, noivas, filhas e amigas que nesse dia são tratadas com toda carinho e cheias de atenções pelos varões em reconhecimento a seu labor e valor.

Nos dias 1 e 2 de maio os habitantes da CEI saem às ruas, para comemorar a Festividade do Trabalho. Igual que em outros muitos países, incluido Espanha, se convocam manifestações populares nas que os trabalhadores são os protagonistas. Este mesmo mês, no dia 9, celebra-se o Dia da Vitória, com impressionantes desfiles do exército russo que constituem todo um espetáculo.

Em dezembro, o dia 12, comemora-se o Dia da Constitução. Fecham todas as instituições públicas e também as empresas privadas, indústrias, comércios e bares. Porém tem trabalho extra os meios de transporte pois produz-se muito movimento de pessoas que não querem perder-se os eventos.

Como festas próprias da República Ru sa a população celebra o Dia da Independencia o 6 de junho saindo à rua para contemplar desfiles militares e sobretudo, para reunir-se com famíliares, vizinhos e amigos. A festa da independência da Ucrânia é o 24 de agosto.

O 7 de novembro celebra-se o Dia da Reconciliação Nacional (antiguo dia do Aniversário da Revolução Russa). Os nostálgicos de tempos passados saim à rua para lembrar o triunfo do regime comunista. Nos últimos anos também se manifiestam pessoas sem nenhuma ideologia definida que pedem uma melhora da difícil situação econômica destes países.

O 23 de fevereiro é o Dia dos defesores da Patria (antes era o Dia do Exército Vermelho).

As festividades religiosas são muito importantes e existe um amplo leque delas pois variam dependendo de cada credo. Por exemplo, os ortodoxos se reunem para celebrar o Ano Novo no dia 7 de janeiro, enquanto que os mulçumanos, o fazem em meados de agosto e, os católicos comemoram o nascimento de Cristo nos dias 24 e 25 de dezembro. Porém, existem muitas mais festividades religiosas, armênios, georgianos e hebreus, entre outros, têm suas próprias celebrações.

Cada grupo religioso segue seu calendário pelo que não é estranho encontrar festividades durante todo o ano. Todas elas são muito atrativas para pessoas de uma cultura diferente e lembre-se que é muito importante mostrar um enorme respeito, por estas celebrações que despertam em seus fiéis sentimentos muito profundos.

TRANSPORTES

Avião

Tanto Moscou como São Petersburgo e Kiev contam com aeroportos internacionais. Desde eles pode-se ligar, através das linhas nacionais, com outras cidades.

Devido à grande distância entre Espanha e a República Russa e da Ucrânia, este é o melhor modo para chegar a toda a Comunidade de Estados Independentes.

Aeroportos de Moscou

O Aeroporto Internacional de Sheremetevo de Moscou encontra-se a 40 quilômetros do centro da cidade. Está bem comunicado através de ônibus e táxis.

O aeroporto mais antigo de Moscou é o Vnúkovo; desde aqui podem-se tomar vôos a Vogogrado, Uliánovsk, Krasnodar, Rostov do Dom e Minerálnie Vodi.

Como curiosidade pode-se contemplar um TU-104, o primeiro avião a reação para pasageiros.

Desde o Aeroporto de Domodédovo, o aeroporto de maior tamanho da cidade, se viaja a Sibéria, ao Longuíquo Oriente e Ásia Central. O Aeroporto de Bikovo, de pequeno tamanho, é utilizado únicamente para vôos de curta distância.

Aeroporto de São Petersburgo

Em São Petersburgo, o Aeroporto Pulkovo, mantém comunicação regular direta com mais de 20 cidades da Europa e América. Este aeroporto acha-se a 15 quilômetros do centro da cidade e, igual que em Moscou, também conta com meios de transporte públicos para chegar ao centro da cidade.

Aeroporto de Kiev

O Aeroporto de Borispol encontra-se a 28 quilômetros do centro da cidade. Igual que os anteriores, encontra-se muito bem comunicado.

Carro

Se vai conhecer estas três cidades através de um tour turístico, fixado por uma agência de viagens, não terá nenhum problema, mas se decidir fazê-lo em automóvel lembre-se, que deve passar antes por uma agência turística, para indagar as fronteiras de entrada e saída do país que vai utilizar e, qual é o percurso previsto.

Não terá problemas para alugar um carro, pois existem empresas de aluguél, tanto no aeroporto como nos principais hotéis. Lembre-se que deve fazer a reserva do carro com antecipação, levar a carteira de motorista internacional e um seguro.

Barco

Podem-se percorrer estas três cidades de barco durante os mêses que vão de maio a outubro. Em Moscou o percurso costuma durar algo menos de hora e meia e va desde a terminal de Kiev até a ponte Novospasskij. São Petersburgo e Kiev também contam com este serviço.

Transporte Público

No interior das cidades não terá ningúm problema para utilizar o transporte público. Os horários vão desde as 5.30 h. da manhã até a uma da madrugada.

Embora os indicadores das estações, percursos e linhas estão escritos em alfabeto cirílico a verdade é que não resulta muito difícil, sobre todo, no metro.

As estações do metropolitano estão asinaladas com uma "M" e a passagem é muito econômica (3 rublos em Moscou e 2,5 em São Petersburgo). Há que comprar umas fichas nas cabinas que encontram-se em cada estação.

Cada ficha serve para uma viagem e pode-se cambiar de linhas quantas vezes quiser. Existem bonos de 5, 10 e 20 viagens, assim como de um mês. Infelizmente todos os letreiros estão escritos em cirílico pelo que se aconselha viajar com um mapa do metrô e põr muita atenção para saber onde se está exatamente.

O metrô destas cidades é uma verdadeira maravilha tanto em sua construção e decoração como na técnica empregada para seu funcionamento. Pode passear pelos corredores admirando obras de arte e formosas lâmpadas enquanto acede à doca. Encontra-se a muita profundidade, porém as escadas mecánicas farão o esforço por você. Todas as estações têm um sistema de ventilação muito avanzado que elimina cheiros e mantém o ar em excelentes condições. Também existe um sistema para controlar o grau de umidade e detectar a presença de poeira. A temperatura é constante, no verão 20 graus centígrados e no inverno entre 12 e 14 graus.

Não pode fumar no interior. Uma vez na doca, os trens se seguem com uma impressionante puntualidade. Em horas ponta a frequência é de 90 segundos exatos e quando a afluência de público é menor varia entre dos e dos minutos e medio. A megafonia anuncia quándo vão ser fechadas as portas e o nome da seguinte estação. É um transporte realmente cômodo, barato e muito rápido.

Se prefere utilizar o ônibus, o tranvía ou os trolebuses leve em conta que não existe cobrador e que em geral são muito lentos. As passagens são adquiridas nos quiosques ou nas estações do metrô. As revisões são frequentes.

Táxi

Os táxis são de várias cores, pretos, verdes e amarelos (privados), todos eles com uma linha branca e preta nas portas que imita a um tabuleiro de xedrez, assim como uma luz verde no lado direito, por cima do parabrisas. Funcionam as 24 horas do dia e embora a maioria levam taxímetro o certo é que utiliza-se pouco.

O habitual é acordar primeiro o preço da corrida e em muitos casos os motoristass preferem ser pagos com moeda estrangeira. A precária economia da república empurra alguns taxistas a quererem abusar dos turistas pelo que deve-se ter cuidado. É aconselhável evitar os táxis piratas.

História

Os restos arqueológicos encontrados na zona datam do Paleolítico. Desde a pré -história, a Comunidade dos Estados Independentes tem sido um terreno habitual de passagem entre oriente e ocidente. Têm encontrado restos de escitas, sármatas do século VII aC godos e hunos no III dC e membros de tribos eslavas que, no século VII, consiguem fazer, com o território que hoje ocupa o centro de Rússia e embora tem mantido até nossos dias, tiveram que lutar com czares e vikings, que também obtiveram sua parte do terreno.

Os Eslovenos

Perante a chegada dos vikings, os eslovenos se uniram criando, no século IX, seu próprio domínio desde o que se extenderam a Kiev, ocupando as atuais Bielorrusia, Ucrânia e parte de Rússia. A Rus de Kiev foi adquirindo cada vez mais poder vencendo os czares, chegando inclusive a ameaçar o Império Bizantino.

No ano 988, a Rússia se converte ao cristianismo, propiciando o aproximamento com os estados europeus e a criação de uma autêntica cultura russa, herdeira da eslava, do alfabeto cirílico, que segue funcionando em nossos dias e das influências de Bizâncio, que decai ostenssivelmente, a partir de 1054, quando se rompem as relações entre Roma e o Império Bizantino. Esta ruptura consiguiu que o isolamento fosse maior potenciando as relações interiores entre Igreja e Estado durante o governo de Yaroslav o Sábio. Depois do seu falecimento, se produziu uma fragmentação do poder e do território.

A Presença dos Tártaros e os Czares

Outras cidades tomam o relevo sendo Vladimir a mais importante e, desde a que se empreende a união do território russo. O príncipe governante em Vladimir, Yuri Dolgoruki, é o fundador de Moscou, no ano de 1156. As lutas entre os russos favoreceram a invasão dos tártaros, que se instalaram em Saraj. Moscou foi um fiel aliado dos invasores, pelo que consiguiu aumentar seu poder, além de que sua situação geográfica influiu, pois se encontrava no centro pelo que passavam todas as rotas comerciais com Ásia. Este apoio finalizou no século XV em que Moscou derrota às forças tártaras, se anexa Novgorod, deixa de pagar o tributo ao Kam e reconquista os terrenos ocupados pelos lituanos. Uma vez consolidado o território, era necessário consolidar a economia, assim os camponenses tinham que pagar cada vez mais impostos e em troca obtinham leis que concediam cada vez menos direitos em favor de seus senhores, chegando a converter-se em servos da gleba. Por outra parte, os governantes deixaram de lado à antiga aristocracia, para outorgar a propriedade das terras aqueles homems que não duvidaram em combater a seu lado, acabando assim com as heranças. Ivam III se autoproclamou Czar no século XVI, convertendo seu reinado no último bastão ortodoxo do mundo. Seu sucessor Ivam IV, conhecido mundialmente como O Terrível, consiguiu consolidar o poder autocrático dos Czares de maneira indiscutível através de contínuas guerras e de um acaso contra os boyardos, membros da antiga aristocracia. Com sua morte, Moscou se encontrava seriamente debilitada, em todos os aspectos.

A sucessão de Ivam o Terrível deu lugar a numerosos conflitos internos que não se resolveram até 1613, com o nomeamento de Mijail Romanov, cujos descendentes governaram Rússia até 1917. Durante este período os camponenses empenharam ainda mais sua condição, se conquistou Sibéria, anexaram parte de Ucrânia e Kiev, se produziram múltiplos conflitos bélicos e religiosos e se incrementou a abertura para ocidente da mão de Pedro I o Grande de uma maneira absolutamente sanguinária. No interior do país se promulgaram leis, que condenavam com a morte aquelas pessoas, que não vistissem roupas ocidentais ou não aparassem suas barbas e desapropiaram a maior parte dos bens da Igreja ortodoxa. Transladou a capital do estado a uma cidade recentemente criada, São Petersburgo. Com a morte do Czar em 1725 chegou o conhecido como reinado das czarina s, que supôs uma volta às tradições e a consolidação da Rússia como potência mundial.

O século XIX

O século XIX se inicia com o nomeamento de Alexandre I como Czar. Foi ele quem consiguiu vencer a invasão das tropas de Napoleão, em 1812, graças ao duro inverno russo. Seus sucessores continuaram com as guerras expansionistas, enquanto no interior, além de uma tentativa de abolir a servidão da gleba, por parte de Alexandre II que morreu assassinado, a situação se deteriorava cada vez mais. A princípios do século XX se sucedem as lutas revolucionárias que obrigam a Nicolás II a outorgar uma constituição em 1906. Ao estourar a Primera Guerra Mundial, Rússia se alia com Inglaterra e França, desde o primeiro momento, sofrendo a invasão de Polônia pelas tropas alemãs.

O Comunismo e a Segunda Guerra Mundial

Em 1917 se inicia a Revolução Russa que acabou, com o poder dos czares e a transformação do país na União de Repúblicas Socialistas Soviéticas. Com a morte de Lenim em 1924, a economia sofre um forte retrocesso, enquanto que o governo passa a manos da troika, Kamenev, Zinoviev e Stalin. Este último consegue fazer-se com o poder, expulsando os outros dois membros da troika. Durante este período a economia russa se revitaliza através de uma forte industrialização, posta em marcha do primeiro plano quinquenal e a estabilização da relações diplomáticas que culminaram com sua entrada na Sociedade de Nações em 1934.

De 1936 a 1938 Stalim realiza uma minuciosa depuração do regime, acabando com qualquer mostra de dissidência para seu labor, leva a cabo o II plano quinquenal e põe em marcha o III que é interrompido pela invasão alemã na Segunda Guerra Mundial que ao finalizar divide o poder político mundial em dois bandos: Estados Unidos e Rússia, iniciando-se a Guerra Fria.

Depois da morte de Stalin

Com a morte de Stalim em 1953 a diplomacia russa adquire uma importância enorme, cujo objetivo é conseguir a coexistência pacífica das potências. Não foi fácil, entre outros incidentes o muro de Berlim em 1961 e a crise de Cuba, em 1962, estiveram a ponto de ocasionar uma guerra que teria efeitos catastróficos.

Com a chegada de Brezhnev, em 1964, se inicia uma intensificação de relações com outros países do Leste, seguindo a linha marxista mais pura. A situação mundial se tensiona cada vez mais, China começa um processo de abertura para o capitalismo que não gosta nada à URSS, a invasão do Afganistão provoca uma séria crise com Estados Unidos que se agrava ainda mais com a instalação em 1983 dos primeiros mísseis em solo europeu, para potenciar a política de força comandada pelo Presidente Reagan. Andropov e Chernenko continuam na mesma linha, mas com a chegada ao governo russo de Gorvachov em 1985, tudo começa a mudar.

O princípio da mudança

Os presidentes russo e norte americano, Gorvachov e Reagan, se reunem por primeira vez em Genebra em novembro de 1985. Os frutos se percebem claramente, no interior da União Soviética se produz uma clara abertura assim como uma menor pressão para o resto dos países do Leste. No exterior as relações diplomáticas com ocidente melhoram notavelmente, culminando com a assinatura da eliminação dos euromísseis e a retirada das tropas russas do Afganistão. Porém, esta abertura não foi fácil para Gorvachov, múltiplas críticas do setor mais reacionário, movimentos independentistas em distintas repúblicas e o Golpe de Estado falido de 1991, que acabou com a proibição do Partido Comunista da União Soviética, diminuiu notavelmente sua credibilidade no interior do país, a favor de Boris Yeltsin, atual presidente russo. Gorvachov demitiu-se no dia 15 dezembro de 1991, criando-se o dia 21 desse mesmo mês a Comunidade dos Estados independentes.

A CEI está composta por 11 repúblicas da antiga URSS: Armênia, Azerbaiyão, Bielorrusia, Kazajstán, Kirguizistán, Moldavia, Rússia, Tadzhikistán, Turkmenistán, Ucrânia e Uzbekistán. Nos acordos de constituição todas elas cediaram a Rússia o controle do armamento nuclear estratégico e Bielorrusia e Ucrânia assinaram o Tratado de Não Proliferação Nuclear comprometendo-se a eliminar as armas nucleares de seu território.

A Consolidação da Rússia

O 1 de abril de 1992 o Parlamento Ruso celebra sua primeira sessão após a disolução da URSS. Dois mêses mais tarde o Fundo Monetário Internacional admite à Federação Russa como membro de pleno direito. Nesse mesmo mês de junho o Presidente Russo, Boris Yelstin e o norte americano, George Bush chegam a um acordo em Washington sobre o Tratado de Redução de Armas Estratégicas. Um ano mais tarde é assinado em Moscou o Segundo Tratado de Reducção de Armas Estratégicas.

O 21 de setembro de 1993 Yeltsin dissolve o Parlamento russo e convoca eleições para o 11-12 de dezembro com objeto de constituir uma nova assembléia legislativa. Horas depois desta dissolução o Parlamento declara esta ação como um golpe de estado do Presidente russo e o depõe do cargo tomando juramento a Aleksandr. V. Rutskoi como presidente atuante. Tanto os integrantes do governo como o Presidente norte americano Bill Clinton e todas as Repúblicas que compõem a CEI expressam seu apoio a Boris Yelstin. O 4 de outubro as forças armadas tomam o edifício do Parlamento após vários dias de graves enfrentamentos. O 8 de novembro Yelstin assina o projeto para uma nova Constitução russa que agranda os poderes do ejecutivo e restringe o período presidencial a quatro anos; esta constituição deve ser ratificada pelo menos pelo 50 % do povo russo nas eleições do 10 dezembro. Nestas eleições se aprova a nova constituição que entra em vigor o 21 de dezembro enquanto que atinge a maioria no Parlamento o Partido Liberal Democrático, chefiado por Vladimir Zhirinovski com um 24 % dos votos.

O 28 de janeiro de 1994 a Rússia e a OTAN assinam um programa de cooperação. Nas eleições de 1996 apesar de seu delicado estado de saúde consegue de novo a vitória Boris Yelstim, quem continuara como Chefe do Estado e do Governo russo até o mês de julho do ano 2000.

Na atualidade o presidente de Ucrânia é Leonid Kuchma, sendo o primeiro ministro Pavlo Lazarenko.

Cultura do País

Rússia, Arte e Cultura

A arte e a cultura da Comunidade dos Estados Independentes está fortemente marcada pelo regime comunista que manteve unificados os critérios em todo o território (no fim deste apartado, encontrará uma lista sugestiva de museus para apreciar a arte da região).

Até o desaparecimento da URSS, pode-se diferenciar os seguintes períodos:

Da pré-história ao bizâncio

Neste período destacam os restos dos escitas e dos gregos que encontram-se na Península de Crimea.

Arte bizantina

A partir do século X a influência bizantina deixa-se sentir em toda a rua de Kiev e Novgorod. Começa a literatura e a arquitetura propriamente russas. As construções substituem a madeira como elemento fundamental, pelo concreto.

As edificações religiosas seguem o exemplo de Santa Sofia de Constantinopla, de grande tamanho com preciosas cúpulas e fortes pilares para sustentar o peso e, com uma preferência especial pela verticalidade imposta, talvez pelo clima, pois as grandes nevadas necesitavam eixos verticais para sustentar o peso. Com o passar dos anos se tende a uma maior simplicidade nas formas. As influências ocidentais se misturam com as orientais. Aparecem os afrescos, mosaicos e os magníficos íconos que pretendem descobrir o misticismo frente à realidade palpável.

Moscou

A importância desta cidade durante os séculos do XV ao XVIII ficou plasmada na arte dessa época. Voltam à madeira como principal suporte, pois sua utilização procedia tradicionalmente da Rússia Central. As construções são realizadas para deixar constância do poder dos governantes, seguindo as linhas mais tradicionais da arquitetura russa. Uma boa mostra são as igrejas votivas. Percebe-se as influências do Renascimento italiano e do barroco francês.

São Petersburgo

Com o translado da capital a esta cidade também o epicentro artístico varia durante o século XVIII. As duas chaves da arquitetura deste período seriam simples e funcional em uma primeira parte, deixando passagem à morte de Pedro I, à grandiosidade e a decoração abundante com claras influências barrocas e rococós.

A Academia das Artes

Catalina II decide criar a Academia das Artes na que os jovens russos com talento, podiam desenvolver plenamente sua educação. Os frutos não tardariam em chegar. Pintores da talha de Rokotov, Levicki e Briullov, entre outros, sairam dela. Ao longo do século XIX a pintura russa consegue sair dos moldes rígidos da Academia e, embora não fosse fácil, começariam a desenvolver outros temas, como as cenas campesinas de Venecianov. Os intelectuais e artistas se unem para acabar com o monopólio artístico da Academia criando a Assossiação de Exposições Itinerantes que leva a arte a todo o país. A este grupo pertencem talentos como os de Perov, Kramskoi, Miasoedov, Savrasov, Dostoievski, e Tolstoi, entre outros.

Arte "Soviética"

A arte soviética junta os critérios artísticos em serviço da funcionalidade. O metrô, uma estação de trens ou uma indústria pode ser uma autêntica obra de arte.

Em pintura foram reprimidos em um primeiro momento, os movimentos abstratos, como o praticado por Maevich, dando passagem, ao realismo puro de Nesterov, Mashcov ou Guerasimov em pintura ou a Merkurovou Komenkov em escultura.

Literatura

A literatura russa é conhecida mundialmente, por autores da talha de Pushkin, Godol, Turguénievou Benediktov e Tiuchev em poesia. Especial importância tem tido o realismo de Tolstoi e Dostoievski a finais do século XIX. Em nosso século Chejov, Bunim e Gorki, em novela, Briusov, Ivamov e Block em poesia, Comboiosiov, Zamjatim e Ivamov em teatro e Evreinov, Stanislavski e Tairov nas vanguardas. Durante o governo de Stalim se produziu um sério retrocesso devido à censura existente que finalizou, com sua morte e pouco a pouco foram aparecendo novas vozes dessidentes com o sistema soviético, Ehrenburg, Nekrasov, Kazakov e Amalrik, entre outros.

Música, Teatro e Cinema

A música russa tem tido excelentes compositores nos seus bens. Balakirev, Cui, Musorgski, Borodim e Korsakov, como seguidores dos regras mais tradicionais.

influênciados pelo ocidente destacam Rubinstein, Chaikovski, Rajmaninov e Liapunov. Revolucionários e originais Stravinski, Prokofiev, Kabalievski e Jachaturiam entre outros. Não podemos esquecer a bailarinos, tão maravilhosos como Nureyev saidos da escola do Teatro do Bolshoi ou filmes tão importantes para a história do cinema como "O Acorazado Potenkim".

Os artistas russos que pretendiam sair-se da norma foram censurados continuamente. Muitos deles decidiram exilar-se a países ocidentais, sobretudo os Estados Unidos, onde podiam desenvolver sem dificuldades o imenso caudal criativo, que levavam em seu interior, hoje em dia ressurgem timidamente novos movimentos embora ainda sem muita força.

Museos em Moscou

Museu Histórico do Estado

Praça Vermelha. Impressionante coleição com 44.000 peças de archivo e 4 milhões de objetos de todas as épocas históricas.

Museu Central das Artes Decorativas

Gosudarstvennaya Oruzheinaya palata (A Armaria). recolhe uma impressionante coleção de tesouros desde os Czares até nossos dias. Jóias da coroa, vestes, carroças, armas, etc, para um museu que parece salido de um fabuloso encantamento das Mil e uma Noites.

Muzei Drevnerusskogo Iskusstua imeni Andreja Rubleva

Andronikov monastyr. Estupenda mostra de arte russa entre a que destacam maravilhosos iconos de diferentes épocas.

Tretjakovskaya Galereia

10 Lavrushinskji pereulok. Esta Galeria está considerada como a pinacoteca mais importante da Rússia com fundos de 55.000 quadros entre os que destacam os iconos de Ostrouchov e os retratos de Vasili Perov e Ivam Kramskoj.

Muzei Izobrazitelnyh Iskusstv imeni A. S. Pushkina

12 Ulitsa Volhonka. O Museu de Belas Artes conta com uma estupenda mostra de arte egicia, bizantina e, sobretudo, pintura europeia.

Museos em São Petersburgo

Ermitage. Dvorcovaya nabereznaya. O maior museu do mundo expõe sua coleção em vários palácios de grande beleza. As obras têm um valor incalculável; procedem de todos os lugares do mundo e de todas as épocas históricas. Conta com 2.700.000 peças repartidas em 420 salas e para percorré-lo na sua totalidade há que caminhar 24 quilômetros.

Gosudarstvenniy Russkiiyj muzei

O Museu Russo Estatal conta com uma importante mostra de arte russa entre a que destacam os iconos, pinturas de mestres tão apreciados como Nikitinou Usakov, esculturas de Rastrelli e Gogov e móveis de Carlo Rossi.

Museu Pushkin. 12 Canal Mojka

Reproduz a casa do poeta assim como documentos e objetos pessoais.

Museu Histórico de Leningrado

Reconstrui a história da cidade desde a revolução de 1917.

Museu de Etnografía

Praça das Artes. Fiel reflexo dos modos de vida dos povos e raças das diferentes repúblicas.

Museus em Kiev

Museu Estadual da Arte Russa de Kiev

9 Ulica Repina. Possui uma interessantíssima mostra de arte entre a que destacam os íconos das melhores escolas, retratos dos séculos XVIII e XIX, obras dezembristas, paisagens russas do XIX e o melhor dos pintores contemporâneos russos.

Museu Estadual de Arte Ocidental e Oriental de Kiev

15 Ulica Repina. Esta coleção possui antigüidades ocidentais, sobretudo gregas, romanas e bizantinas, e peças orientais de grande qualidade como sedas do XIX e jades da China.

Museu Estadual de Arte Figurativa Ucrâniana

6 Ulica Kirova. Conta com uma importante coleção de iconos dos séculos XII ao XVII e estupendos retratos do XVII ao XIX, junto à obra de pintores ucranianos contemporâneos.

Museu ao ar livre de Arquitetura da Madeira

Márgem oriental do Dniéper a 5 quilômetos do centro. 500 construções de madeira de todas as regiões ucranianas. Realmente interessante.

Localização Geográfica

A criação da Comunidade de Estados independentes (CEI) em 1991 supôs a reorganização tanto geográfica como política da antiga União Soviética. A CEI extende-se atualmente ao longo de 22.100.900 quilômetros quadrados dos que 5.269.100 são europeus e o resto asiáticos. A parte europea, deixando de um lado as repúblicas caucásicas, está formada por Bielorrusia com 207.600 quilômetros quadrados, Ucrânia com 603.700 e Rússia com 4.238.000.

Rússsia é o país de maior extensão do mundo com 17.075.000 quilômetros quadrados que compreendem a região histórica do mesmo nome, a Sibéria e uma grande região na Ásia oriental. Este vasto território extende-se desde o Océano Glacial Artico até Kazajistão e desde o Mar Báltico até o Oceano Pacífico com os mares de Bering, Okhotsk e Japão.

Moscou, capital da república russa, levanta-se à beira do rio Moskva em pleno coração da república. Ao norte da mesma ergue-se São Petersburgo em pleno Golfo de Finlândia, no Mar Báltico. Ao sudoeste da Rússia encontra-se Ucrânia, com sua capital, Kiev, como cidade mais importante e na ribeira dereita do rio Dniéper.

A maior parte do território russo está conformado por uma extensa planície, cuja origem procede das glaciações quaternárias, que não ultrapassa os 300 metros de altura e que inclui a famosa planície rusa que se prolonga por Sibéria até o rio Lena. Está interrumpida transversalmente pelos montes Urais. Bordeando esta extensa planície se levantam ao sul o Cáucaso, na fronteira com o Kazajistão e a Mongólia, os montes Altai e, no extremo oriental, os arcos montanhosos do noroeste asiático com altitudes que superam os 3.000 metros situadas no Maziço de Kamchatka. Além disso, a Rússia conta com as planícies de Trasbaikalia, a bazia superior do Amur e a cadena montanhosa de Sijote Alín.

As ilhas da Rússia encontram-se no Artico, os arquipélagos de Severnaya Zemlya, Nova Sibéria, Nova Zemlia, Terra de Francisco José, as Ilhas de Vaigach, Kolguyev e Wrangel. No Mar de Bering estão as Comandante, entre Japão e a Península de Kamchatka as Kuriles, no Mar de Okhotsk as Shantar, no Báltico Kronstadt, Hiiumaa e Saaremaa e separada do Continente pelo Estreito de Tartária a maior de todas, Sajalín.

A bazia fluvial russa está composta por rios longos de curso lento que gelam no inverno e desaguam principalmente no Ártico. Os mais importantes são o Volga, que é o mais comprido de toda Europa, o Ural com 2.430 quilômetros, o Don, o Duina Setentrional, o Pechora, o Obi, o Yenisei, o Amur e o Lena. Também existem numerosos lagos entre os quais encontram-se o Mar Cáspio, com 371.000 quilômetros quadrados, o maior do mundo, o Ladoga e o Onega, os maiores da Europa com 31.500 quilômetros quadrados e 17.702 quilômetros quadrados respectivamente, e o Baikal, o mais fundo do globo.

Flora e Fauna

Dentro da zona européia da Comunidade dos Estados Independentes pode-se encontrar distintos tipos de vegetação e de fauna, devido aos distintos climas que encontram-se na região.

Ao norte, desde o golfo de Finlândia até os Urais, se desprega a famosa taiga com extensos bosques de pinhos, abetos, larício, freixos, álamos tembladores e bétulas. As temperaturas são quentes no verão, 16 graus centígrados e extremas no inverno com abundantes chuvas, alcançando os 15 graus centígrados a baixo de zero. A fauna desta zona é rica e variada com o urso, o lince, o lobo, a marta, a raposa comum e a cibelina como máximos representantes, junto a um inacreditável leque de espécies de aves.

Mais ao norte, na zona banhada pelo Glacial Ártico, a taiga deixa passo à tundra com seus permanentes gelos, nos quais o solo pode crescer, quando o verão está em seu apogeu, com uns 6 graus centígrados, musgos, líquens e árvores anãs, como as bétulas. No inverno as temperaturas extremas que atingem inclusive os 40 graus a baixo de zero tornam muito difícil a sobrevivência que, sem dúvida, conseguem alguns roedores como o leming, a lebre polar, a raposa cibelina, o glotão, algumas aves e animais domésticos como a rena.

Ao sul da taiga encontramos as terras negras. É a zona mais fértil do país e está considerada como o graneiro da Rússia, pois embora os invernos continuem sendo duros, os verões são mais quentes, com frequentes precipitações. É zona de cereais e de espécies herbáceas e halófilas. Esta zona contrasta com o sul, onde é necessário a irrigação artificial para conseguir alguma colheita e que se intensifica ainda mais a beira do mar Cáspio, onde os terrenos se convertem em semi desertos.

Para desfrutar plenamente com a fauna e a flora da CEI pode-se visitar alguns dos 140 zapoved-niki, parques e reservas de interesse nacional que nasceram em tempos da União Soviética, perante a necessidade de preservar as espécies em extinção, que tinham sobrevivido ao ataque incontrolado dos caçadores. Os mais famosos são o Prioksko-Terrasniy, ao sul do Moscou e o de Berezina e os jardins botânicos de Nikitskiy perto de Yalta.

LOCAIS TURÍSTICOS

Moscou

São Petersburgo

O Anel de Ouro

Moscou, São Petersburgo e Kiev são as três cidades mais importantes da planície europeia da Comunidade de Estados independentes.

Ao longo de sua história as três ocuparam um lugar predominante: embora a Russia de Kiev foi a primeira cidade que como tal se erigiu nesta zona. Foi um importante centro social, político, religioso e cultural com importantes influências do Império Bizantino, muito mais adiantado naquila época, o que repercutiu favoravelmente na cidade e seus habitantes que, por sua vez, o transmitiam ao resto de povoações importantes.

São Petersburgo, fundada por Pedro I, alcançou durante o reinado deste zar, a capitalidade da Rússia e foi onde Pedro o Grande qui europeizar seu reino pelo que esta cidade (que mudou de nome três vezes), introdusse importantes modificações em todos os âmbitos da vida da sociedade russa.

Moscou, capital da Rússia, foi o coração da vida do país durante muitas décadas. Como centro da atividade e política da União Soviética converteu-se no emblema mundial do regime comunista, em clara concorrença com Washington. As duas cidades sofreram graves danos durante a Segunda Guerra Mundial, mas a guerra não conseguiu acabar com seus encantos.

Moscou, São Petersburgo e Kiev são cidades realmente formosas e percorré-las é todo um prazer. O contraste com as cidades do resto da Europa é fundamental pois nelas mistura-se oriente e ocidente, conferindo-as um aspecto e um ambiente muito especial.

Iniciaremos o nosso percurso por Moscou, para depois viajar à sempre enigmática e monumental São Petersburgo. Seguidamente realizaremos um percurso pelo circuito conhecido como "Cidades Medievais Russas", conhecidas também como "O Anel de Ouro", para terminar a nossa viagem pela desconhecida cidade de Kiev, capital da Ucrânia.

Fonte: www.rumbo.com.br

Rússia

Capital: Moscou

Idioma: russo

Moeda: rublo

Clima: continental úmido, tundra, subártico e polar de altitude

Fuso horário (UTC)

+2 – zona um (+3)

+4 – zonas dois (+5) e três (+5)

+5 – zona quatro (+6)

+6 – zona cinco (+7)

+7 – zona seis (+8)

+8 – zona sete (+9)

+9 – zona oito (+10)

+10 – zona nove (+11)

+11 – zona dez (+12)

+12 – zona onze (+13)

Pontos turísticos

São Petersburgo

Conhecida como a capital dos czares, seus edifícios elegantes são ligados por avenidas largas, com catedrais de cores suaves e cúpulas douradas. Construída em 1793 por Pedro, o Grande, possui um dos museus mais importantes do mundo, o Hermitage, instalado nos palácios e palacetes imperiais junto ao Neva, e a Igreja da Ressurreição de Cristo, como exemplares de arquitetura fabulosa.

Novgorod

Criada no século IX, por muito tempo foi considerada o centro artístico e polítco do país. Apesar de ter sido muito destruída por sucessivas guerras, vários locais turísticos ainda estão preservados, como a catedral bizantina de Sta. Sofia, o monumento Milênio da Rússia, a Praça de Yaroslav, que inclui o mercado medieval, igrejas, arcadas e palácios, e a igreja Nosso Salvador de Ilino.

Ferrovia Trans-Siberiana

O melhor jeito de se conhecer o país. A jornada de 9446km, que dura 6 dias, vai de Moscou à Vladivostok. A rota passa pelo Lago Baikal, pela cidade multicultural Irkutsk, por Ulan Ude, a centro do budismo do país. É considerada uma das melhores experiências dos viajantes que não se importam em deixar o conforto para trás.

Vyborg

Uma das cidades mais antigas da Europa, possui um imponente castelo medieval em sua baía. A cidade pertenceu à Suécia, à Finlândia e à Rússia. Em conseqüência disso, a cidade possui uma forte influência finlandesa, embora tenha mantido edifícios de todos os períodos.

Fonte: www.geomade.com.br

Rússia

Cultura

Abrigo de grande variedade de grupos étnicos, a Rússia vive uma intensa agitação de culturas, no seio das quais convivem novos e velhos costumes, estes últimos preservados, em grande parte, pela Igreja Ortodoxa.

Os russos cultivam a hospitalidade e ser recebido por um deles é algo extremamente prazeroso.

O visitante é habitualmente acolhido com brindes de boa wodka, estórias interessantes e, sobretudo, um abraço que toca o corpo e o espírito. Quando convidado para jantar na casa de alguém, não esqueça de levar uma garrafa de vinho, flores ou um bolo.

Se optar por flores, lembre-se de oferece-las em número ímpar: números pares são próprios para funeral.Se houver crianças na casa, ofereça um brinquedo, doces ou chocolates.

É bem acolhida também uma lembrança do seu país de origem. Um visitante sem um presente é considerado um desrespeito para o russo. Nunca deixe comida no prato.

Os russos não ficarão ofendidos se você recusar uma bebida alcoólica, mas é delicado tomar pelo menos um gole. Não se surpreenda se tiver que tirar os sapatos para entrar na casa de alguém; sem dúvida lhe será oferecido um par de chinelos.

O caráter hospitaleiro e cordial desse povo se torna ainda mais verdadeiro longe das grandes cidades, onde há sempre um nativo disposto a dividir tudo com você, ainda que não disponha de muito.

Nessas ocasiões, recusar uma bebida ou alimento oferecido é sempre uma ofensa grave. Ao dividir um comportamento com alguém, seja num trem, num restaurante ou equivalente, o russo espera que se tenha com ele o mesmo comportamento; assim, ao sentar junto de um deles, nunca se deve esquecer de oferecer e dividir aquilo que se tem para comer, beber, ou fumar.

As "dachas" fazem parte da alma do povo. Pelo menos 30% dos russos possuem uma dessas pequenas chácaras, com jardins bem cuidados e pomares produtivos, longe da vida agitada das cidades. Basta um final de semana ensolarado para que os centros urbanos se esvaziem e os russos busquem refúgio na tranqüilidade de suas "dachas" campesinas.

As tradicionais gentilezas, próprias do cavalheirismo masculino, são não somente apreciadas pelas mulheres como esperadas. Cabe sempre ao homem pagar as contas do restaurante; se sentirá ofendido se isto não acontecer ou se lhe for oferecido dividir os gastos com uma mulher.

É possível ver senhoras de pé, frente a portas fechadas, aguardando a iniciativa de um cavalheiro. A Rússia é um celeiro de belas mulheres, mas não assobie para nenhuma delas, exceto se forem prostitutas.

O povo russo também cultiva algumas superstições. O cumprimento com um aperto de mão ou um beijo nunca deve ter lugar na soleira da porta; traz má sorte.

O mesmo acontece quando se assobia dentro de casa ou se acende o cigarro na chama de uma vela. Se as mulheres pretendem casar, não devem se sentar nas cabeceiras das mesas.

História do País

Desdobrando-se por dois continentes, Europa e Ásia, a Federação Russa surge como a maior nação do mundo, marcada por ambigüidades e contrastes.

Berço de exaltada espiritualidade e de profundo teismo, quando Moscou assumiu a herança de Constantinopla e se fez Terceira Roma, o país também viveu um entranhado ateísmo estatal quando cenário da primeira Revolução Socialista da história; à paisagem predominantemente plana - ¾ do território é constituído de planícies e vales - conjuga-se a elevação majestosa dos Urais, com altitudes que ultrapassam os cinco mil metros; a centros urbanos e reluzentes como Moscou e São Petersburgo associam-se as regiões inóspitas e as planícies geladas da Sibéria, " casa dos mortos" das recordações de Dostoievski; aos cerca de 120 mil rios que cortam a vastidão territorial junta-se a carência de saída para águas navegáveis; à longa costa regelada nos mares Glacial Ártico e de Bhering vinculam-se praias de sol e águas cristalinas na costa do Mar Negro; à contemplação passiva e silenciosa da Igreja Ortodoxa emparelha-se o ativismo revolucionário dos partidos operários.

Assim é a Rússia: desertos e taigás, dachas e metrópoles, amor e militância, guerra e paz convivem na imensidão de seu território, provocando e convocando ao desvelamento de seus mistérios e encantos . Sua história tem início com o estabelecimento, no território, por volta do século IX, de guerreiros e comerciantes da Escandinávia, os chamados Väringer, conhecidos como Vikings.

Estes combatiam o povo local - os rus - e utilizavam os vencidos como escravos, slavs. Atribuem-se a esses invasores escandinavos a cunhagem e adaptação dos termos russo e eslavo.

O primeiro estado eslavo na região foi o Rus de Kiev, que se estendia do Dnieper até os grandes lagos. No século XI,o principado de Kiev foi dividido em vários estados, surgindo, então, outros centros urbanos importantes, como Novgorod, Souzdal e Galícia Volynia. No século XIII, a Rússia foi invadida pelos mongóis, bandos de invasores nômades, liderados por Gêngis Khan. Depois de esmagarem a resistência das cidades separadas, as hordas invasoras promoveram enorme devastação, arruinando o fruto de séculos de trabalho, e exerceram um domínio de mais de dois séculos sobre a vida política e cultural do povo. Batu Khan, neto de Gêngis Khan, foi o responsável pela consolidação do império mongol na Rússia. Seu avô divididiu o império em quatro partes e coube a ele a parte norte; em 1242 ele estabeleceu a famosa Horda de Ouro, estado mongol formado pelo sul e leste russos. Há quem diga que a invasão mongólica foi "a experiência mais traumática do povo russo".

De 1240 a 1242, Daniel, filho do príncipe Alexandre Iaroslavitch Nevski, deteve as tentativas de invasão de Novgorod por parte dos germânicos; mas, com a derrota ante os lituanos, a hegemonia do principado de Novgorod chegou ao fim em 1370. Moscou passou a ser o centro da nação russa. Para isso contribuem as lutas sucessórias da Horda de Ouro e a tomada de Constantinopla pelos turcos. Este último acontecimento fez de Moscou a capital do cristianismo ortodoxo.

No século XVI, Ivan IV, o Terrível, casado com Anastácia, dos Romanov, consolidou o absolutismo na Rússia e implantou uma política expansionista. Assumiu o título de Czar ou Tzar, organizou um exército regular, submeteu os boiardos à centralização do estado e expandiu o domínio de Moscou. Boris Godunov, seu cunhado e sucessor, apoiado na igreja, deu continuidade a sua política. Com a morte de Godunov, instalou-se uma crise sucessória. Os boiardos, se aproveitando da situação vigente, estimularam rebeliões no campo e apoiaram a invasão polonesa. Em 1612 os poloneses foram expulsos e uma assembléia elegeu o Czar Mikhail Romanov (1596-1645). Essa dinastia permaneceu no trono russo até o final do regime monárquico em 1917. Com os Romanov teve início um período de crescimento que culminou com a elevação da Rússia ao estatuto de grande potência sob o domínio de Pedro, O Grande.

Pedro promoveu um amplo programa de modernização e fundou São Petersburgo que, em 1712 se tornou a capital do império. Estimulou a indústria, o comércio, a colonização e a vinda de artesãos, artistas e literatos.

Em 1762, assumiu o poder Catarina II. Ela reforçou ainda mais o absolutismo do poder russo e promoveu a anexação de várias regiões. Com o apoio da Igreja Ortodoxa, governou com poder absoluto. No seu reinado, juntamente com a Áustria e a Prússia, a Rússia participou da partilha da Polônia, transformando-se na maior potência da Europa Oriental. Embora amiga de vários expoentes do iluminismo, Catarina era adversária da Revolução Francesa. Após a sua morte, seu filho, Paulo, sucedeu-a. Foi, entretanto, assassinado em 1801 e substituído pelo filho, Alexandre I, que recusou aliar-se ao império napoleônico.

Em 1812, a Rússia foi invadida pelas forças militares do imperador corso. Os russos incendiaram Smolensk, destruindo tudo que fosse de utilidade para os invasores. Depois da Batalha de Borodino, Napoleão ocupou Moscou e se alojou no Kremlin. os russos, então, atearam fogo na cidade, destruindo tudo e obrigando as tropas francesas a bater em retirada. Durante cinco dias Moscou ardeu em chamas. Sucumbindo à neve, ao frio intenso, a falta de alimentos e aos constantes ataques dos russos, os franceses protagonizaram uma das retiradas mais dramáticas da história universal. Cadáveres de soldados povoaram as desérticas estepes da Russia, e os que conseguiam atravessar as fronteiras alemãs chegavam em condições sub-humanas, maltrapilhos , exaustos e famintos.

No final do século XIX a industrialização provocou o surgimento dos centros urbanos e dos grupos de inspiração marxista, como o Partido Operário Social Democrata Russo.

No início do século seguinte, em março de 1917, uma revolução, liderada por um grupo moderado do partido, os mencheviques, derrubou Nicolau II e instaurou uma república parlamentar. Formarm-se os sovietes, assembléias de operários camponeses influenciados pelos bolcheviques, ala radical do Partido Operário que vai dar origem ao Partido Comunista. O desprestígio dos mencheviques por insistirem na participação da Rússia na I Guerra os faz perder o apoio popular, fato que dá a Lênin, líder bolchevique, a oportunidade de comandar uma insurreição e instaurar um governo revolucionário.

Depois de quatro anos de Guerra Civil, Lênin assume o domínio sobre o País, auxiliado pelo Exército Vermelho, criado por Trotsky. Morre em 1924 e é Stalin que vai assumir o controle do PC e do governo soviético. Durante 31 anos o stalinismo vigorou na Rússia, estabelecendo um período de terror e de arbitrariedades. Milhares de pessoas foram dizimadas em campos de trabalho e morte, antigos dirigentes bolcheviques foram condenados à deportação ou ao fuzilamento sumário; perseguições e forte repressão atingiram os presumidos opositores do regime. Em 1943, entretanto, Stalin impede o avanço das tropas alemãs em território russo, na famosa Batalha de Stalingrado. Em 1945, a Rússia emerge como a maior potência do mundo, submetendo o Leste europeu. Os Estados Unidos reagiram ao poder soviético, o que dividiu o mundo em dois blocos rivais. Esta reação desencadeou a chamada Guerra Fria. Esse confronto quase levou o mundo a uma guerra nuclear em 1962, quando, no governo de Kruchev, que sucedeu Stalin, a Rússia pretendeu instalar mísseis em Cuba.

Kruchev promoveu uma moderada abertura política e denunciou os crimes do período stalinista. Um golpe, levado a efeito em 1964, coloca no poder Leonid Brejnev. Brejnev reprime o processo de democratização da Tchecoslováquia, conhecido como Primavera de Praga. E em 1978 invade o Afganistão, decidido a intervir militarmente onde houvesse qualquer ameaça ao modelo soviético. Sucederam Brejnev, que morreu em 1982, Yuri Andropov e Konstantin Tchernenko, que também morrem após pouco tempo de governo.

Em 1985, assumiu o poder russo Mikhail Gorbachev, que deu início 'as reformas que levariam ao fim da União Soviética: a Glasnost ( transparência) e a Perestroika ( reestruturação).

Em agosto de 1991, Boris Ieltsin sufoca um golpe ensaiado contra Gorbachev por forças conservadoras. Sai fortalecido, mas contribui para o desgaste da autoridade de Gorbachev, que renunciou em dezembro de 1991. Ieltsin é eleito presidente e reeleito em 1996. Em agosto desse ano, Ieltsin nomeia Putin , egresso do serviço secreto russo, para a chefia do governo. Em setembro, Putin ordena a segunda invasão da Chechênia e se torna forte candidato a sucessão.

Em março de 2000, com 52, 94% dos votos, Putin vence as eleições presidenciais na Rússia.

Fonte: www.ayasofya.com.br

voltar 1234567avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal