Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Salvador Dali  Voltar

Salvador Dali

Dream Caused by a Bee Flight
Dream Caused by a Bee Flight

Pintor espanhol, representante do surrealismo, pintou algumas das obras clássicas dessa escola, empregando desenho refinado e técnica meticulosa para criar imagens provocativas e alucinadas que se chamava "sonhos fotográficos pintados à mão".

Salvador Dalí foi um grande artista que era também um grande promotor de si mesmo e showman. A combinação foi uma fórmula irresistível para o sucesso. Dalí, com os bigodes arrogantemente arrebitados, tornou-se uma figura familiar para milhões de pessoas que nunca tinham chegado perto de uma galeria de arte.

Dalí era espanhol, nascido em 11 de maio de 1904, na pequena cidade catalã de Figueras. De certo modo, o mundo interior de Dalí era Figueras, a planície de Ampurdán onde ela se localiza, a aldeia de pescadores, logo atrás das montanhas, e o vizinho Port Lligat onde ele construiu seu lar. Estes são os cenários da grande maioria de seus trabalhos, até mesmo quando o fundo é ocupado por uma crucificação ou por uma guerra civil.

Santiago El Grande, 1957
Santiago El Grande, 1957

Proveniente de uma família sólida de classe média, amigos ricos e cultos incentivavam o jovem Dalí e o mantinham extraordinariamente bem informado sobre os desenvolvimentos no mundo das artes. Ele já tinha uma bagagem artística muito boa quando foi estudar pintura em Madri (1921-6), e o período teve mais importância pelas amizades que fez com o poeta Lorca e o diretor de cinema Luis Buñuel, com quem filmou o famoso Un Chien Andalou (1929).

A partir de 1929, Dalí foi sendo cada vez mais atraído pelo Surrealismo. Este movimento sediado em Paris, influenciado pelas teorias relativamente novas de Sigmund Freud, criava obras ditadas pelo inconsciente através dos sonhos, com a escrita automática e outros procedimentos voltados para libertar o artista da tirania da racionalidade.

Em 1929, com a ajuda da mulher que seria sua amante, esposa, "zeladora" e musa, Gala Eluard, o pintor se estabeleceu como membro do grupo. Gala parece ter salvo Dalí de uma grave crise mental, e sem a sua ajuda e fé no gênio dele, talvez ele não tivesse tido tanto sucesso; por outro lado, foi Gala, cada vez mais gananciosa e extravagante, que o incentivou a comercializar e freqüentemente banalizar sua arte. O próprio Dalí promoveu um culto exagerado a Gala, cujos diversos aparecimentos em suas obras culminaram em imagens quase deificadas.


La Tentation de St. Antoine
La Tentation de St. Antoine

Dalí pintou suas obras mais famosas, e provavelmente as melhores, na década de 1929-39, usando um "método crítico-paranóico" que ele mesmo imaginou. Este método envolvia várias formas de associações irracionais, notadamente imagens que variavam conforme a percepção do observador, de tal maneira que um grupo de soldados guerreando pudesse de repente ser visto como o rosto de uma mulher. Uma característica distintiva da arte de Dalí é que, além de serem fantásticas, elas eram sempre pintadas com uma técnica "acadêmica" impecável e precisão "fotográfica" que a maioria dos artistas de vanguarda contemporâneos considerava fora de moda.

No final da década de 1930, Dalí estava começando a ser reconhecido nos Estados Unidos, onde as atitudes em relação às novidades artísticas eram menos conservadoras do que no Velho Mundo. O início da Segunda Guerra Mundial e a vitória dos alemães sobre a França, em 1940, levaram Dalí a fugir para os EUA, onde ficou oito anos. A América proporcionou inúmeras oportunidades para ele usar seu talento e também despertou deu lado exibicionista. Tornou-se uma supercelebridade, encenando happenings muito antes da invenção deste termo, e eventualmente até aparecendo em comerciais de TV.

Rose Meditative
Rose Meditative

Entretanto, Dalí também continuava trabalhando muito e com seriedade, mantendo-se prolífero como artista, projetista e escritor. Viveu o bastante para se tornar um ícone da geração hippie e criar um monumento pessoal fantástico na forma do Museu Dalí em Figueras, todo um ambiente repleto de objetos e murais bizarramente criativos.

Os últimos anos da Dalí foram obscurecidos por um distanciamento de Gala, embora ele se sentisse arrasado com sua morte em 1982. Subseqüentemente, crescia a preocupação com a quantidade de obras falsas circulando atribuídas a Dalí. Ele mesmo foi culpado disso, porque é claro que foi induzido a assinar centenas, talvez milhares, de folhas em branco que seriam obviamente usadas de forma ilícita. Perdurou virtualmente como um espectro vivo até sua morte, em 20 de janeiro de 1989. Está enterrado no Museu Dalí em sua terra natal.

Fonte: www.pintoresfamosos.com.br

Salvador Dali

Pintor, escultor, desenhista – 1904-1989

Dalí foi um dos principais representantes do surrealismo.

Estudou em Barcelona e depois em Madri, na Academia de San Fernando.

Nessa época teve oportunidade de conhecer Lorca e Buñuel.

Suas primeiras obras são influenciadas pelo cubismo de Gris e pela pintura metafísica de Giorgio de Chirico.

Finalmente aderiu ao surrealismo, junto com seu amigo Luis Buñuel, cineasta.

Em 1924 o pintor foi expulso da Academia e começou a se interessar pela psicanálise de Freud, de grande importância ao longo de toda a sua obra.

Sua primeira viagem a Paris em 1927 foi fundamental para sua carreira.

Fez amizade com Picasso e Breton e se entusiasmou com a obra de Tanguy e o maneirista Arcimboldo.

O filme O Cão Andaluz, que fez com Buñuel, data de 1929.

Publicou depois a obra A Mulher Invisível, na qual explicou seu método artístico, batizado por ele mesmo de "paranóico crítico", consistindo numa dicotomia de formas brandas e duras, que tão bem exemplifica sua obra A Persistência da Memória (1931).

A partir de então acentua-se a dissidência entre o pintor e Breton, e ele finalmente se afasta do surrealismo.

Realizou depois sua primeira viagem a Nova York.

No final dos anos 30 foi várias vezes para a Itália a fim de estudar os grandes mestres.

Instalou seu ateliê em Roma, embora continuasse viajando.

Depois de conhecer em Londres Sigmund Freud, fez uma viagem para a América, onde publicou sua biografia A Vida Secreta de Salvador Dali (1942).

Ao voltar, se estabeleceu definitivamente em Port Lligat com Gala, sua mulher, ex-mulher do poeta e amigo Paul Éluard.

Desde 1970 até sua morte dedicou-se ao desenho e à construção de seu museu.

Foi um artista incrivelmente prolífico.

Dominou todas as técnicas da pintura, e são igualmente importantes suas esculturas e desenho de jóias e móveis.

Referências bibliográficas

SURREALISMO, arte abstrata e arte pop. Barueri, SP: Videolar Multimídia, [2004]. 1 CD-ROM. (Enciclopédia Caras, 10).

Fonte: www.meusestudos.com

Salvador Dali

Salvador Felipe Jacinto Dalí
(1904 - 1989)

Famoso pintor espanhol nascido em Figueras, Catalunha, na Espanha, o mais famoso e polêmico artista da pintura surrealista.

Desde cedo revelou talento para o desenho e sua personalidade excêntrica.

O pai, um tabelião, mandou-o a Madri para estudar na Escola de Belas-Artes de San Fernando, da qual seria expulso anos depois.

Na capital espanhola fez muitas amizades no mundo intelectual e começou a desenhar suas primeiras obras, que já traziam sua marca: uma ambígua sensação de irrealidade, que se acentuaria com o tempo.

Orientado pelo pintor catalão Joan Miró, transferiu-se para Paris (1928) e aderiu ao movimento surrealista.

Foi por essa época que conheceu a mulher do poeta Paul Éluard, Gala, sua futura companheira e modelo, e ganhou fama internacional a partir de sua primeira exposição (1933).

Em função de uma vida social repleta de provocações e excentricidades e sua postura apolítica, foi expulso do grupo surrealista.

Durante a segunda guerra mundial, radicou-se nos Estados Unidos, perto de Hollywood, só regressando à Espanha após o término da guerra.

Exteriormente, alternou a pintura com o desenho de jóias e a ilustração de livros.

Em Figueras foi inaugurado o Museu Dalí (1974) e depois da morte de Gala (1982), sua atividade artística entrou em decadência progressiva até sua morte, na sua cidade natal.

Fonte: www.dec.ufcg.edu.br

Salvador Dali

Salvador Felipe Jacinto Dalí nasceu em Figueras, Catalunha, na Espanha, em 11 de maio de 1904. Desde cedo revelou talento para o desenho e o pai, um tabelião, mandou-o a Madri para estudar na Escola de Belas-Artes de San Fernando, da qual seria expulso anos depois.

Na capital espanhola conheceu o cineasta Luis Buñuel e o poeta Federico García Lorca. Suas primeiras obras, como "Moça à janela", enquadradas numa linha naturalista e minuciosa, já produziam uma ambígua sensação de irrealidade, que se acentuaria posteriormente.

Em 1928, persuadido pelo pintor catalão Joan Miró, transferiu-se para Paris e aderiu ao movimento surrealista. Foi por essa época que conheceu a mulher do poeta Paul Éluard, Gala, sua futura companheira e modelo.

Colaborou então com Buñuel em dois filmes célebres, Un chien andalou (1928; Um cão andaluz) e L'Âge d'or (1930; A idade de ouro) e pintou algumas de suas melhores obras: "A persistência da memória" e "O grande masturbador". Nelas exibia um estilo maduro que, embora mostrasse certas influências de De Chirico, atestava absoluta originalidade como representação de um mundo onírico, povoado de alegorias metafísicas e imagens sexuais, apoiadas numa técnica apurada.

Sua exposição de 1933 lhe deu fama internacional e Dalí lançou-se, então, a uma vida social repleta de provocações e excentricidades. Essa atitude, por alguns considerada mistificadora e venal, aliada a uma postura apolítica, provocou sua expulsão do grupo surrealista.

Durante esse período, adotou o "método de interpretação paranóico-crítico", baseado nas teorias da psicanálise, associando elementos delirantes e oníricos numa linguagem pictórica realista, com freqüentes imagens duplas e objetos do cotidiano, como em "Construção mole com ervilhas cozidas", "Praia com telefone", "Premonições da guerra civil", "Canibalismo de outono" e "O sono".

Durante a segunda guerra mundial, Dalí radicou-se nos Estados Unidos, perto de Hollywood, e colaborou em alguns filmes. No final da década de 1940 regressou à Espanha e deu início a uma fase inpirada em obras-primas de pintores do passado, como "A última ceia", de Leonardo da Vinci, "As meninas", de Velázquez, "Angelus", de Millet, "A batalha de Tetuan", de Meissonier, e "A rendeira", de Vermeer de Delft -- seu pintor favorito.

Posteriormente, alternou a pintura com o desenho de jóias e a ilustração de livros. Enquanto isso, sucediam-se as retrospectivas de sua obra (Nova York, 1966; Paris, 1979; Madri, 1982) e, à medida que diminuíam suas aparições públicas, a polêmica dava lugar à renovação do interesse por sua pintura.

Em 1974 foi inaugurado em Figueras o Museu Dalí. Oito anos depois morreu Gala, fato que incidiu negativamente sobre sua atividade artística.

Em 23 de janeiro de 1989, na mesma Figueras natal, morreu Salvador Dalí.

Fonte: www.arteducacao.pro.br

Salvador Dali

Salvador Dali

Salvador Felipe Jacinto Dali (1904 -1989)

Nasceu em Figueras, Catalunha, na Espanha, em 11 de maio de 1904. Desde cedo revelou talento para o desenho e o pai, um tabelião, mandou-o a Madri para estudar na Escola de Belas-Artes de San Fernando, da qual seria expulso anos depois.

Na capital espanhola conheceu o cineasta Luis Buñuel e o poeta Federico García Lorca. Suas primeiras obras, como "Moça à janela", enquadradas numa linha naturalista e minuciosa, já produziam uma ambígua sensação de irrealidade, que se acentuaria posteriormente.

Em 1928, persuadido pelo pintor catalão Joan Miró, transferiu-se para Paris e aderiu ao movimento surrealista. Foi por essa época que conheceu a mulher do poeta Paul Éluard, Gala, sua futura companheira e modelo.

Colaborou então com Buñuel em dois filmes célebres, Un chien andalou (1928 Um cão andaluz) e L'Âge d'or (1930 A idade de ouro) e pintou algumas de suas melhores obras: "A persistência da memória" e "O grande masturbador". Nelas exibia um estilo maduro que, embora mostrasse certas influências de De Chirico, atestava absoluta originalidade como representação de um mundo onírico, povoado de alegorias metafísicas e imagens sexuais, apoiadas numa técnica apurada.

Sua exposição de 1933 lhe deu fama internacional e Dalí lançou-se, então, a uma vida social repleta de provocações e excentricidades. Essa atitude, por alguns, considerada mistificadora e venal, aliada a uma postura apolítica, provocou sua expulsão do grupo surrealista.

Durante esse período, adotou o "método de interpretação paranóico-crítico", baseado nas teorias da psicanálise, associando elementos delirantes e oníricos numa linguagem pictórica realista, com freqüentes imagens duplas e objetos do cotidiano, como em "Construção mole com ervilhas cozidas", "Praia com telefone", "Premonições da guerra civil", "Canibalismo de outono" e "O sono".

Durante a segunda guerra mundial, Dalí radicou-se nos Estados Unidos, perto de Hollywood, e colaborou em alguns filmes. No final da década de 1940 regressou à Espanha e deu início a uma fase inspirada em obras-primas de pintores do passado, como "A última ceia", de Leonardo da Vinci, "As meninas", de Velázquez, "Angelus", de Millet, "A batalha de Tetuan", de Meissonier, e "A rendeira", de Vermeer de Delft seu pintor favorito.

Posteriormente, alternou a pintura com o desenho de jóias e a ilustração de livros. Enquanto isso se sucedia as retrospectivas de sua obra (Nova York, 1966 Paris, 1979 Madri, 1982) e, à medida que diminuíam suas aparições públicas, a polêmica dava lugar à renovação do interesse por sua pintura.

Em 1974 foi inaugurado em Figueras o Museu Dalí. Oito anos depois morreu Gala, fato que incidiu negativamente sobre sua atividade artística.
Em 23 de janeiro de 1989, na mesma Figueras natal, morreu Salvador Dali. As excentricidades e declarações provocadoras fizeram de Salvador Dalí uma das mais polêmicas figuras da arte contemporânea, mas não impediram que sua obra fosse reconhecida como uma das mais audaciosas e apuradas da pintura surrealista.

Fonte: www.artemmizrahi.com.br

Salvador Dali

Salvador Dali
Salvador Dali

Artista plástico catalão

11 de maio de 1904, Figueres (Catalunha, Espanha)
23 de janeiro de 1989, Figueres (Catalunha, Espanha)

Salvador Domingo Felipe Jacinto Dalí i Domènech, marquês de Púbol, mais conhecido como Salvador Dalí, foi pintor, escultor, desenhista, escritor e cineasta catalão. Nasceu em Figueres, na região autônoma da Catalunha (território espanhol), perto de Barcelona, em 11 de maio de 1904, e faleceu no mesmo local, no dia 23 de janeiro de 1989.

Aos cinco anos, Dalí foi levado pelos pais para visitar o túmulo de seu irmão, falecido três anos antes de ele nascer. Chegando ao local, os pais lhe disseram que ele era a reencarnação do irmão, fato no qual Dali acreditou durante muitos anos.

Mais tarde, referindo-se ao irmão e à visita ao cemitério, ele diria: "Eu vivi a morte antes de viver a vida. Meu irmão morreu por causa de uma meningite, com a idade de sete anos [...]. Éramos semelhantes a duas gotas de água, mas com reflexos diferentes".

Apesar do pai disciplinador e austero, Dalí foi apoiado pela mãe em sua carreira artística. Ele teria descoberto a pintura em 1916, durante uma viagem de férias à cidade litorânea de Cadaqués, com a família do pintor impressionista Ramón Pichot.

Em 1922, vai estudar em Madrid, na Real Academia de Belas Artes, iniciando sua obra sob a influência da pintura metafísica de Giorgio de Chirico e Carlo Carra. Expulso da Academia em 1926, depois de afirmar que ninguém ali era competente para julgar o valor de seus trabalhos, transferiu-se para Paris, onde se ligou ao grupo dos surrealistas.

Entre 1928 e 1931, participou de exposições, publicou livros e realizou dois filmes com Luis Buñuel: Um cão andaluz e A idade de ouro.

Paranóia crítica

Entre 1930 e 1935 pintou os seus quadros mais célebres, destacando-se a obra Persistência da memória. Torna-se, então, a figura mais célebre do surrealismo, por sua arte e por suas extravagâncias pessoais.

Como pintor, Dali defendia a representação realista estrita, a pintura como "uma fotografia à mão e em cores". Em compensação, ele se permitia todas as liberdades temáticas: a violência, o erotismo e a criação de um mundo onírico absoluto. Visões monstruosas e cruéis, metamorfoses, etc., tudo corresponde à sua teoria da "paranóia crítica" ou, como ele a definia, "método espontâneo de conhecimento irracional baseado na associação interpretativo-crítica dos fenômenos delirantes".

Depois da 2ª Guerra Mundial, a pintura de Dali se academizou, passando a imitar o classicismo renascentista. O artista passou, então, a expandir suas atividades, criando modas, influenciando a publicidade, inventando móveis, jóias, vestidos, unhas postiças, sapatos musicais para amenizar as caminhadas durante a primavera, etc.

Como artista e como homem, Dali foi uma figura controversa, aclamado por uns e negado por outros. Responsável pela revitalização do surrealismo, ele marcaria para sempre o imaginário mundial com seu extravagante bigode, cultivado sob a influência de um dos maiores mestres da pintura espanhola: Diego Velásquez.

Fonte: educacao.uol.com.br

Salvador Dali

Salvador Felipe Jacinto Dalí nasceu em Figueras, Catalunha, na Espanha, em 11 de maio de 1904. Desde cedo revelou talento para o desenho e o pai, um tabelião, mandou-o a Madri para estudar na Escola de Belas-Artes de San Fernando, da qual seria expulso anos depois.

Na capital espanhola conheceu o cineasta Luis Buñuel e o poeta Federico García Lorca. Suas primeiras obras, como "Moça à janela", enquadradas numa linha naturalista e minuciosa, já produziam uma ambígua sensação de irrealidade, que se acentuaria posteriormente.

Em 1928, persuadido pelo pintor catalão Joan Miró, transferiu-se para Paris e aderiu ao movimento surrealista. Foi por essa época que conheceu a mulher do poeta Paul Éluard, Gala, sua futura companheira e modelo.

Colaborou então com Buñuel em dois filmes célebres, Un chien andalou (1928; Um cão andaluz) e L'Âge d'or (1930; A idade de ouro) e pintou algumas de suas melhores obras: "A persistência da memória" e "O grande masturbador". Nelas exibia um estilo maduro que, embora mostrasse certas influências de De Chirico, atestava absoluta originalidade como representação de um mundo onírico, povoado de alegorias metafísicas e imagens sexuais, apoiadas numa técnica apurada.

Sua exposição de 1933 lhe deu fama internacional e Dalí lançou-se, então, a uma vida social repleta de provocações e excentricidades. Essa atitude, por alguns considerada mistificadora e venal, aliada a uma postura apolítica, provocou sua expulsão do grupo surrealista.

Durante esse período, adotou o "método de interpretação paranóico-crítico", baseado nas teorias da psicanálise, associando elementos delirantes e oníricos numa linguagem pictórica realista, com freqüentes imagens duplas e objetos do cotidiano, como em "Construção mole com ervilhas cozidas", "Praia com telefone", "Premonições da guerra civil", "Canibalismo de outono" e "O sono".

Durante a segunda guerra mundial, Dalí radicou-se nos Estados Unidos, perto de Hollywood, e colaborou em alguns filmes. No final da década de 1940 regressou à Espanha e deu início a uma fase inpirada em obras-primas de pintores do passado, como "A última ceia", de Leonardo da Vinci, "As meninas", de Velázquez, "Angelus", de Millet, "A batalha de Tetuan", de Meissonier, e "A rendeira", de Vermeer de Delft -- seu pintor favorito.

Posteriormente, alternou a pintura com o desenho de jóias e a ilustração de livros. Enquanto isso, sucediam-se as retrospectivas de sua obra (Nova York, 1966; Paris, 1979; Madri, 1982) e, à medida que diminuíam suas aparições públicas, a polêmica dava lugar à renovação do interesse por sua pintura.

Em 1974 foi inaugurado em Figueras o Museu Dalí. Oito anos depois morreu Gala, fato que incidiu negativamente sobre sua atividade artística.

Em 23 de janeiro de 1989, na mesma Figueras natal, morreu Salvador Dalí.

Fonte: www.pitoresco.com.br

voltar 1234avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal