Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Sinais de Trânsito  Voltar

Sinais de Trânsito

A sinalização de trânsito é a forma pela qual se regula, adverte, orienta, informa, controla a circulação de veículos e pedestres nas vias terrestres. Sempre que for necessário será colocado ao longo da via sinais de trânsito previsto no Código de trânsito ou em legislação complementa. 

Os sinais de trânsito classificam-se em:

Sinais Exemplos
Verticais placas de sinalização
Horizontais marcas viárias (faixa de pedestres)
Dispositivos de sinalização auxiliar tachas, tachões, cones, cavaletes
Luminosos semáforo
Sonoros silvos de apito
Gestos do agente de trânsito e do condutor sinais com os braços do PM e condutor

1) As placas de sinalização classificam-se em:

Regulamentação - são de formato circular (exceto a de PARE e DÊ a PREFERÊNCIA) com fundo branco, letras e símbolos na cor preta e orla (borda) na cor vermelha, assim como uma tarja que corta a placa, na cor vermelha, indica proibição. Essas placas regulamentam o uso da via, definindo suas proibições, permissões, restrições, devendo ser obedecidas pelos condutores e pedestres, sob pena de cometerem infração de trânsito. Ex: placa de proibido estacionar.

Sinais de Trânsito
Dê a preferência

Sinais de Trânsito
Pare

Sinais de Trânsito
Velocidade máxima

Sinais de Trânsito
Sentido proibido

Sinais de Trânsito
Proibido virar a esquerda

Sinais de Trânsito
Sentido obrigatório

Sinais de Trânsito
Siga em frente

Sinais de Trânsito
Proibido ultrapassar

Advertência

São de formato retangular (grande maioria), com o fundo na cor amarela e letras e símbolos na cor preta, orla externa amarela e interna preta. Como o nome já diz, essas placas têm a função de alertar, orientar e advertir o condutor sobre uma situação que ele vai encontrar mais a frente, normalmente situações em que deva ter mais atenção e cuidado.

A não obediência dessas placas não implicam em infração de trânsito, mas no caso de um acidente, por exemplo, a sua não obediência pode transformar-se em agravante.

Sinais de Trânsito
curva acentuada a esquerda

Sinais de Trânsito
curva a esquerda

Sinais de Trânsito
curva a direita

Sinais de Trânsito
curva acentuada em "S" a esquerda

Sinais de Trânsito
curva em "S" a direita

Indicação

Essas placas possuem diversos formatos e cores, mas todas tem a finalidade de indicar, orientar e dar localização ao condutor. Indicam o caminho a ser tomado para um determinado destino, a kilometragem a ser percorrida, a kilometragem da via naquele local, proximidade de cidades, praias, restaurantes e postos de gasolina, o nome ou prefixo da rodovia, etc.

Sinais de Trânsito
Área de Estacionamento

Sinais de Trânsito
Serviço Telefônico

Sinais de Trânsito
Serviço Mecânico

Sinais de Trânsito
Abastecimento

2) As marcas viárias são marcas pintadas no leito da via sendo as mais comuns e conhecidas, entre outras, a faixa de pedestre e as linhas contínuas e tracejadas.

A característica da faixa de pedestre é que ela é o local apropriado para a travessia de pedestre, devendo os condutores pararem seus veículos ao perceberem a intenção do pedestre em atravessar a via. Essa parada deve ser feita até uma linha branca que vai de uma extremidade a outra do bordo da pista (meio-fio), se o condutor parar após ela, poderá ser autuado por infração de trânsito.

Sinais de Trânsito

As faixas contínuas e tracejadas servem para delimitar o espaço por onde os veículos podem ou não circularem, e possuem algumas características: a primeira é em relação à cor, a cor amarela indica que a via possui duplo sentido, enquanto a cor branca indica que a via só possui um sentido (existe ainda a azul, preta e vermelha).

A segunda, é que a faixa contínua indica que o veículo não pode ultrapassar ela, consequentemente não pode realizar uma ultrapassagem ou realizar uma operação de retorno por exemplo, enquanto a faixa tracejada permite que o veículo pode ultrapassar ela, podendo assim, realizar uma ultrapassagem ou operação de retorno (se as condições da via ou demais sinalizações permitirem). A combinação de mais de uma linha pode ser usada, e sinaliza diferentemente para cada sentido.

Sinais de Trânsito
Tracejada

Sinais de Trânsito
Tracejada/Contínua

Sinais de Trânsito
Contínua

Sinais de Trânsito
Contínua dupla

3) O semáforo pode ter três funções: controlar o fluxo de pedestre, controlar o fluxo de veículos e controlar o fluxo de veículos e pedestres ao mesmo tempo. Ele pode ter de duas a três cores, sendo mais comum possuir três cores, a vermelha, a amarela e a verde.

Um comentário importante a ser feito é que muitas pessoas pensam que o semáforo na luz amarela, permite ainda passar pelo sinal.

Na verdade, esse pensamento não está errado, mas o que acontece é que só é permitido passar pelo sinal na luz amarela ,aqueles veículos que já estejam na iminência de passar e que a sua parada venha a colocar em risco a segurança, e não aqueles que a uma certa distância vêem a luz amarela acender e mesmo assim não param seus veículo, às vezes até ao contrário, aceleram o veículo para passar pelo sinal, mas acontece que, muitas vezes, o sinal transforma para o vermelho, e, o condutor ao passar pelo semáforo, passou no sinal vermelho, cometendo a infração de invadir o sinal (gravíssima), fato comum nos semáforos onde existe equipamento eletrônico ou agente de trânsito.

4) Os sinais sonoros são emitidos pelos agentes de trânsito, através de silvos de apito e devem ser obedecidos pelos condutores e pedestres.

Silvo de apito Significado Emprego
um silvo breve atenção siga ordem de seguir a frente ou mudar de direcao
dois silvos breves para ordem de parada para aquele veículo
três silvos breves acenda a lanterna ordem para acender as luzes do veículo
um silvo longo diminua a marcha ordem para diminuir a marcha
um silvo longo e um breve trânsito impedido em todas as direções ordem de parada para os veículos em todas as vias
três silvos longos motoristas a postos condutores fiquem preparados para se deslocarem

 

5) Os gestos dos agentes da Autoridade de Trânsito (PM ou Agentes Municipais) são formas de sinalização regulamentar, que possuem um significado, e devem ser obedecidos, é importante que sejam executados de forma correta, são eles:

Sinais de Trânsito


Ordem de parada obrigatória para todos os veículos. Quando executadas em interseções, os veículos que já se encontrem nela, não são obrigados a parar.

Sinais de Trânsito

Ordem de parada para todos os veículos que venham de direções que cortem ortogonalmente a direção indicada pelos braços estendidos qualquer que seja o sentido de seu deslocamento.

Sinais de Trânsito

Ordem de parada para todos os veículos que venham de direções que cortem ortogonalmente a direção indicada pelo braço estendido, qualquer que seja o sentido de seu deslocamento.

Sinais de Trânsito

Ordem de parada para todos os veículos que venham de direções que cortem ortogonalmente a direção indicada pelo braço estendido, qualquer que seja o sentido de seu deslocamento

Estes são o s gestos regulamentares dos condutores, mas à noite é obrigatório o uso dos indicadores de mudança de direção (pisca)

Nenhum condutor poderá ser punido por infração de trânsito de não obedecer a sinalização, se esta, estiver insuficiente, incorreta ou faltando.

A ordem de prevalência da sinalização é a seguinte:

Gestos de Condutores

Sinais de Trânsito
Dobrar à Esquerda

Sinais de Trânsito
Dobrar à Direita

Sinais de Trânsito
Diminuir a Marcha ou Parar

I - as ordens emanadas pelo agente de trânsito sobre as normas de circulação e outros sinais;

II - as indicações do semáforo sobre os demais sinais;

III - as indicações dos sinais sobre as demais normas de trânsito

Sinais de Trânsito

Respeitando os sinais de trânsito, você estará respeitando a VIDA

Fonte: www.geocities.com

Sinais de Trânsito

Sinalização é um conjunto de sinais de trânsito e dispositivos de segurança colocados na via pública com objetivo de garantir sua utilização adequada, possibilitando melhor fluidez no trânsito e maior segurança dos veículos e pedestres que nela circulam.

Tipos de Sinalização:

A sinalização é um dos dispositivos utilizados para a segurança do trânsito, onde são considerados os seguintes tipos:

Horizontal; Vertical; Semafórica; Por Gestos; Sonora; Dispositivos e Sinalização Auxiliares.

1) Sinalização Vertical:

A sinalização vertical é feita com dispositivos diversos, dimensionados em função da velocidade diretriz da rodovia. Caracteriza-se por ser implantada à margem de uma rodovia, lado direito do sentido do tráfego ou, excepcionalmente, suspensa sobre ela, através da utilização de placas ou painéis.

2) Sinalização Horizontal:

A sinalização horizontal é constituída por faixa de sinalização e por marcas no pavimento e tem funções definidas e importantes no controle do trânsito na rodovia.

3) Dispositivos e Sinalização Auxiliares:

São aqueles constituídos de materiais de composições, de formas, de cores e de refletividade diversos, aplicados em obstáculos, no pavimento da via ou adjacente à mesma.

4) Sinalização Semafórica:

A sinalização semafórica é um subsistema da sinalização viária que se compõe de luzes acionadas alternada ou intermitentemente através de sistema elétrico/eletrônico, cuja função é controlar os deslocamentos.

5) Sinalização por Gestos:

Gestos de condutores de veículos, de agentes de autoridade de trânsito e dos chamados homens-bandeira.

6) Sinalização Sonora:

Consiste nos sinais de apito usados pelos agentes de autoridade de trânsito.

Sinalização Vertical

São elementos colocados na posição vertical, fixados ao lado direito do sentido do tráfego que se deve orientar ou suspensos sobre a pista, transmitindo mensagens de caráter permanente e, eventualmente, variáveis, mediante símbolo ou legenda pré-reconhecidas e legalmente instituídas como sinais de trânsito. É recomendável que as placas de sinalização sejam montadas individualmente, utilizando-se postes distintos.

A sinalização vertical é feita com materiais refletivos, para garantir visibilidade noturna aos usuários das vias.

Para sustentação de sinais, com painéis refletivos ou eletrônicos sobre a pista de rolamento, são empregados dois tipos de estruturas metálicas: os pórticos (com duas bases de sustentação) e as bandeiras (com uma base de sustentação).

Sinalização Horizontal

É um sistema da sinalização viária que utiliza linhas, marcações, símbolos e legendas, pintados ou apostos sobre o pavimento das vias. É empregada para complementar regulamentação, advertências e indicações e em alguns casos é usada independentemente. É traduzida através da pintura de faixas e marcas no pavimento, utilizando-se as cores branca e amarela. A sinalização horizontal é composta da marcas viárias tais como: setas, palavras, números, símbolos, tachas, catadióptricos e faixas.

Traçado da sinalização horizontal : Seu padrão de traçado pode ser:

Contínua;

Tracejada ou Seccionada;

Símbolos ou Legendas;

Cores da sinalização horizontal : A sinalização horizontal se apresenta em cinco cores:

Amarela;

Vermelha;

Branca;

Azul;

Preta;

Utilização das cores na sinalização horizontal:

Amarela:

Utilizada na regulação de fluxos de sentidos opostos, na delimitação de espaços proibidos para estacionamento e/ou parada e na marcação de obstáculos.

Vermelha:

Utilizada na regulação de espaço destinado ao deslocamento de bicicletas leves (ciclovias); símbolos (hospitais/farmácias/cruz).

Branca:

Utilizada na regulação de fluxos de mesmo sentido; na delimitação de espaços especiais, de trechos de vias, destinados ao estacionamento regulamentado de veículos em condições especiais; na marcação de faixas de travessias de pedestres; na pintura de símbolos e legendas.

Azul:

Utilizada nas pinturas de símbolos em áreas especiais de estacionamento ou de parada para embarque e desembarque.

Preto:

Utilizada para proporcionar contraste entre o pavimento e a pintura.

Classificação da sinalização horizontal: A sinalização horizontal é classificada em:

Marcas longitudinais;

Marcas transversais;

Marcas de canalização;

Marcas de delimitação e controle de estacionamento e/ou parada;

Inscrições no pavimento.

Marcas Longitudinais:

De acordo com a sua função, as marcas longitudinais são subdivididas nos seguintes tipos:

Linhas de divisão de fluxos opostos (cor amarela);

Linhas de divisão de fluxos de mesmo sentido (cor branca);

Linhas de bordo (cor branca, exceto em vias com canteiro central muito estreito, quando então são amarelas separando fluxos opostos);

Linhas de continuidade (cor branca para quando dá continuidade a linhas brancas; cor amarela quando dá continuidade a linhas amarelas).

Marcas transversais:

De acordo com a sua função, são subdivididas nos seguintes tipos:

Linhas de retenção (cor branca);

Linhas de estímulo a redução de velocidade, transversais à via (cor branca);

Faixas de travessia de pedestres (cor branca);

Marcação de cruzamentos rodocicloviários (cor vermelha.).

Marcas de canalização :

Também chamadas de “Zebrado ou Sargento”, orientam o fluxo de tráfego em uma via, direcionando a circulação de veículos pela marcação de áreas de pavimento não utilizáveis.

Podem ser na cor branca quando direcionam fluxos de mesmo sentido e na cor amarela quando direcionam fluxos de sentidos opostos.

Marcas de delimitação e controle de estacionamento e/ou parada :

De acordo com a sua função podem ser:

Linhas de indicação de proibição de estacionamento e ou/parada (cor amarela);

Marcação de área reservada para veículos específicos (cor amarela)

Marcação de áreas de estacionamento regulamentado ao longo da via (cor amarela);

Marcação de estacionamento em áreas isoladas (cor branca);

Inscrições no pavimento :

São subdivididas nos seguintes tipos:

Setas direcionais (cor branca);

Símbolos (cor branca);

Legendas (cor branca);

Dispositivos e Sinalização Auxiliares

Sua função básica é incrementar a visibilidade da sinalização ou de obstáculos à sinalização, alertando os condutores quanto a situações de perigo potencial ou que requeiram maior atenção de forma a tornar mais eficiente e segura a operação da via.

Os dispositivos, de acordo com as suas funções, são inseridos em um dos seguintes grupos:

Dispositivos Delimitadores

Dispositivos de Canalização

Dispositivos e Sinalização de Alerta

Alterações nas Características do Pavimento

Dispositivos de Proteção Contínua

Dispositivos de Uso Temporário

Painéis Eletrônicos.

Dispositivos Delimitadores :

São elementos refletores ou que contenham unidades refletoras, apostos em série, fora ou sobre a superfície pavimentada, com objetivo de melhorar a percepção do condutor quanto aos limites do espaço destinado ao rolamento e a sua separação em faixas.

Tipos de dispositivos delimitadores:

Balizadores: unidades refletoras mono ou bidirecionais afixadas em suportes

Balizamento refletivo de pontes e viadutos: unidades refletoras afixadas ao longo do guarda corpo e/ou mureta de proteção de pontes e viadutos.

Tachas e Tachões: elementos de forma quadrada ou retangular contendo unidade refletora, que devem ser aplicados diretamente no pavimento, sobre ou adjacente às marcas longitudinais.

Dispositivos de Canalização :

São elementos, geralmente não refletorizados, apostos em série sobre a superfície pavimentada em substituição às guias quando não for possível a construção imediata das mesmas ou para evitar que veículos transponham determinado local ou faixa de tráfego.

Tipo de dispositivos de canalização:

Prisma de concreto

Dispositivos e Sinalização de Alerta :

Conjunto de elementos colocados ou aplicados junto ou nos obstáculos e ao longo de curvas horizontais, com objetivo de melhorar a percepção do condutor de veículo quanto a um possível empecilho ao seu deslocamento, a mudanças bruscas no alinhamento horizontal da via, ou em situação de perigo potencial. Utilizam usualmente as cores amarela e preta em faixas inclinadas e alternadas.

Tipos de dispositivos e sinalização de alerta:

Marcação de obstáculos

Marcadores de perigo

Marcadores de alinhamento.

Alterações nas Características do Pavimento :

São recursos que alteram as condições normais da pista de rolamento, quer pela sua elevação com a utilização de dispositivos físicos colocados sobre a mesma, quer pela mudança nítida de características de rugosidade do próprio pavimento. São utilizados para estimular a redução de velocidade.

Tipos de alterações nas características do pavimento:

Pavimentos rugosos;

Pavimentos fresados;

Ondulação transversal à via.

Dispositivos de Proteção Contínua :

São elementos colocados de forma contínua e permanente ao longo da via, feitos de material flexível ou rígido que têm como objetivo evitar que veículos e/ou pedestres transponham determinado local.

Tipos de dispositivos de proteção contínua:

Defensas;

Barreiras de concreto;

Gradis;

Dispositivos de Uso Temporário :

São elementos diversos utilizados em situações especiais e temporários como obras e situações de emergência ou perigo, com o objetivo de alertar os condutores para estas situações, bloquear e/ou canalizar o trânsito, proteger pedestres, trabalhadores, etc.

Tipos de dispositivos de uso temporário:

Cones;

Cavaletes;

Tapumes;

Elementos luminosos (baldes)

Painel Eletrônico :

São dispositivos eletrônicos dispostos verticalmente à via que fornecem informações diversas ao motorista e ao passageiro, que se referem principalmente à:

Advertência de situação inesperada à frente, tais como: obras na pista; interdição parcial da via; desvios.

Mensagens educativas ao comportamento dos usuários da via, tais como: “motociclista use capacete”, “use o cinto de segurança”.

Placas de regulamentação de velocidade.

Mensagens sobre pátios públicos de estacionamento

Mensagens sobre volume do tráfego das vias principais orientando o trânsito para a utilização de outras vias alternativas.

Sinalização Semafórica

A sinalização semafórica é um dos elementos da sinalização viária que se compõe de luzes acionadas alternada ou intermitentemente através de sistema elétrico/eletrônico, cuja função é controlar os deslocamentos.

Existem dois tipos:

1- A sinalização semafórica de regulamentação;

2- A sinalização semafórica de advertência.

Sinalização Semafórica de Regulamentação

Para controle do fluxo de pedestres:

Vermelha:

Indica que os pedestres não podem passar;

Vermelha intermitente:

Assinala que a fase durante a qual podem passar os pedestres está a ponto de terminar. Isto indica que os pedestres não poderão começar a cruzar a via e os pedestres que hajam iniciado a travessia na fase verde se desloquem o mais breve possível para o refúgio seguro mais próximo;

Verde:

Assinala que os pedestres podem passar.

Para controle do fluxo de veículos:

Vermelha:

Indica a obrigatoriedade de parar;

Amarela:

Indica “atenção”, devendo o condutor parar o veículo, salvo se isto resultar em situação de perigo para os veículos que vêm atrás.

Verde:

Indica permissão de prosseguir na marcha, efetuando, o condutor, a operação indicada pelo sinal luminoso.

Sinalização Semafórica de Advertência

Compõe-se de uma ou duas luzes de cor amarela, cujo funcionamento é intermitente ou piscante, no caso de duas luzes.

Tipos:

Para veículos: são compostos de duas ou três luzes de formato circular;

Para pedestres: são compostos de duas luzes de formato quadrado.

Sinalização por Gestos

As ordens emanadas por gestos de agentes de trânsito prevalecem sobre as regras de circulação e as normas definidas por outros sinais de trânsito.

Gestos de Agentes da Autoridade de Trânsito: são movimentos convencionais de braços, adotados para orientar, indicar o direito de passagem dos veículos e pedestres ou emitir ordens, sobrepondo-se ou completando outra sinalização ou norma constante do CTB.

Gestos de Condutores de Veículos: são movimentos convencionais de braço, adotados pelos condutores de veículos, pata orientar ou indicar que vão efetuar uma manobra de mudança de direção, redução de velocidade ou parada enquanto o trânsito estiver fluindo normalmente.

Por analogia deduz-se que "Gestos do homem-bandeira ou bandeirinha" são movimentos convencionais de braço empunhando uma bandeira vermelha adotados para orientar os motoristas sobre a interdição parcial total da pista de rolamento causada por um dos seguintes motivos: obras; quedas de árvores/barreiras; veículos com pane ou acidentados sobre a via. O “bandeirinha” é um elemento fixo devendo permanecer a uma distância aproximada de 100 metros do local onde se encontra o obstáculo efetuando a devida sinalização enquanto o trânsito estiver fluindo normalmente .

A partir do momento em que se iniciar um congestionamento deverá passar a exercer a função de “final de fila”, isto é, deverá se manter a uma distância aproximada de 100 metros do último veículo, sempre atento, até que o trânsito volte a fluir normalmente, quando então, retornará à posição inicial com a função de “homem-bandeira”. O homem-bandeira é necessário sempre que houver interdição de qualquer uma das faixas de rolamento.

Sinalização Sonora

A sinalização sonora consiste nos sons por apito que são emitidos exclusivamente pelos agentes de autoridade de trânsito nas vias, para orientar ou indicar o direito de passagem dos veículos ou pedestres, sobrepondo-se ou completando sinalização existente no local ou norma estabelecida no CTB. A seguir, vamos ver a relação dos sinais de apito com os seus respectivos significado e emprego.

Um silvo breve: Atenção siga (No ato do guarda sinaleiro mudar a direção do trânsito).

Dois silvos breves: Pare (Para fiscalização de documentos/equipamentos ou outro fim).

Três silvos breves: Acenda as lanternas (Sinal de advertência. O condutor deve obedecer à intimação).

Um silvo longo: Diminua a marcha (Quando for necessário fazer diminuir a marcha dos veículos).

Um silvo longo e um breve: Trânsito impedido em todas as direções (À aproximação do Corpo de Bombeiros, Ambulância, Veículos de Polícia ou de Tropa, ou de Representação Oficial).

Três silvos longos: Motoristas a postos (Nos estacionamentos à porta de teatros, campos desportivos etc).

Sinalização de uso temporário

Em situações emergenciais como obras, acidentes de trânsito e veículos com pane, a pista de rolamento, às vezes, pode ficar total ou parcialmente obstruída oferecendo perigo aos usuários.

O meio mais eficaz de alertar os condutores sobres estas situações é através da sinalização emergencial, que pode bloquear ou canalizar o trânsito com objetivo de proteger com segurança aqueles que de formas mais diversas, utilizam as vias públicas.

São vários os elementos usados nesse tipo de sinalização, por exemplo: cavaletes, tapumes, baldes com lâmpadas, cones refletivos que podem ser em propileno ou em plástico nos tamanhos 50, 75 e 100 cm, de cores branco e vermelho e a fita que é um elemento usado quando há necessidade de se isolar a área da ocorrência e que se apresenta nas cores amarelo e preto, com largura mínima de 70 mm.

A ação imediata dos responsáveis pela sinalização emergencial é de vital importância para a segurança de todos, pois significa um tipo de tarefa que exige boa vontade, total dedicação, bom senso e principalmente amor ao próximo. Vale lembrar que nos centros urbanos, à distância entre os cones não será a mesma que a usada nas rodovias. Para estas situações usa-se o bom senso.

Procedimentos básicos para realização da “sinalização emergencial no acostamento”, em via de traçado tangente e de perfil em nível.

1. Estacionar a viatura de serviço, com “giroflex” aceso, atrás do veículo a ser socorrido, distante 25 m aproximadamente;

2. Comunicar de imediato à “Central de Operações” a situação no local fornecendo todos os dados possíveis, tais como: marca, tipo, espécie e placa do veículo e solicitar apoio se necessário.

3. Descer da viatura, se possível, pelo lado do carona (para sua segurança) e junto ao meio-fio se dirigir ao veículo para verificação do tipo da ocorrência;

4. Iniciar a sinalização usando cinco cones colocando o primeiro junto ao meio-fio a uma distância aproximada de 100 m do veículo. Continuar essa operação no sentido e de frente para o tráfego, colocando os demais distantes entre si em 25m. O quinto e ultimo cone deverá ser colocado sobre a linha de bordo da pista, na direção da traseira esquerda do veículo socorrido. A retirada da sinalização, deverá ser feita de maneira inversa, ou seja, do quinto para o primeiro cone.

Lembretes importantes

Para maior segurança no desempenho dessas tarefas e para garantir a tranqüilidade aos envolvidos em ocorrências, mostraremos abaixo, algumas sugestões consideradas essenciais e que devem ser atentamente observadas.

Atenda o usuário sempre que possível, pelo lado do carona quando seu veículo estiver no acostamento.

Nunca fique entre o veículo do usuário e a faixa de rolamento livre à circulação;

Os cones usados na sinalização devem ser colocados no sentido do tráfego e retirados no sentido contrário;

Fique sempre de frente para o tráfego;

Oriente o usuário para aguardar auxílio fora do veículo, de preferência na lateral da via.

Procure transmitir calma, controle e conhecimento da situação ao usuário para que ele possa se sentir seguro com a sua presença;

A remoção de veículos, acidentados ou com pane sobre a pista de rolamento, deverá ser efetuada o mais rápido possível e com total segurança.

Procure ficar fora da viatura enquanto esta estiver sobre a pista de rolamento complementando a sinalização;

Posicione-se sempre procurando garantir a sua segurança, pois a segurança do usuário depende de você;

Trabalhe sempre em equipe;

A presença do homem-bandeira é fundamental na pista de rolamento sempre que alguma faixa de trânsito ficar impedida à circulação normal de veículos;

Ao tomar conhecimento de qualquer obstáculo à livre circulação, quer seja acidente de trânsito, veículo com pane ou outra qualquer, aja preventivamente realizando a sinalização emergencial do local, com eficiência, para evitar conseqüências desagradáveis;

Só acenda ou mantenha o “Giroflex” aceso, em situações emergências e nunca nos deslocamentos normais;

Ao canalizar ou bloquear o trânsito, recomenda-se sinalizar a faixa de rolamento em toda sua largura e nunca em apenas uma parte. No acostamento a sinalização deverá ter o mesmo critério.

Trabalhe com amor.

Fonte: atividadesrodoviarias.pro.br

Sinais de Trânsito

No trânsito é muito importante praticarmos atitudes certas, conhecendo as leis e os sinais, e também cuidando do meio ambiente no qual vivemos.

A sinalização de trânsito informa e orienta os usuários das vias. O respeito à sinalização garante um trânsito mais organizado e seguro para os condutores e pedestres.

Placas, inscrições nas vias, sinais luminosos, gestos e sons compõem o código da sinalização de trânsito. Essas informações que regulamentam o trânsito, advertem os usuários das vias, indicam serviços, sentidos e distâncias, sendo classificadas pelo CTB em sinalização vertical, sinalização horizontal, dispositivos de sinalização auxiliar, sinalização semafórica, sinais sonoros e gestos.

O Código de Trânsito Brasileiro - Lei n° 9.503, de 23 de setembro de 1997 - determina no seu art. 90, §1°: "O órgão ou entidade de trânsito com circunscrição sobre a via é responsável pela implantação da sinalização, respondendo pela sua falta, insuficiência ou incorreta colocação".

Sinalização Vertical

As placas de regulamentação têm a finalidade de comunicar aos usuários as condições, proibições, restrições ou obrigações no uso da via. Suas mensagens são imperativas, e o desrespeito a ela constitui infração.

A forma padrão do sinal de regulamentação é a circular, nas seguintes cores:

Fundo: Branco
Tarja: Vermelha
Orla: Vermelha
Símbolo: Preto
Letras: Pretas

Sinais de Trânsito
Obrigação

Sinais de Trânsito
Proibição

Constituem exceção quanto a forma, os sinais:

R-1 (Parada Obrigatória)

Fundo: Vermelho
Letras: Brancas
Orla Interna: Branca
Orla Externa: Vermelha

R-2 (Dê a Preferência)

Fundo: Branco
Letras: Vermelha

Sinais de Trânsito
R-1 Parada Obrigatória

Sinais de Trânsito
R-2 Dê a Preferência

Informações complementares

Sendo necessário acrescentar informações tais como: período de validade, características e uso do veículo, condições de estacionamento, etc. deve-se anexar uma placa adicional abaixo da sinalização ou incorporar à principal, formando uma só placa.

Fundo: Branco
Tarja: Vermelha
Orla Interna: Vermelha
Orla Externa: Branca
Símbolo: Preto
Legendas: Pretas

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito
Velocidade máxima permitida

2. Sentidos de Circulação

Sinais de Trânsito
R-3
Sentido proibido
Sinais de Trânsito
R-4a
Proibido virar à esquerda
Sinais de Trânsito
R-4b
Proibido virar à direita
Sinais de Trânsito
R-5a
Proibido retornar à esquerda
Sinais de Trânsito
R-5b
Proibido retornar à direita
Sinais de Trânsito
R-24a
Sentido de circulação da via/pista
Sinais de Trânsito
R-24b
Passagem obrigatória
Sinais de Trânsito
R-25a
Vire à esquerda
Sinais de Trânsito
R-25b Vire à direita
Sinais de Trânsito
R-25c
Siga em frente ou à esquerda
Sinais de Trânsito
R-25d
Siga em frente ou à direita
Sinais de Trânsito
R-26
Siga em frente
Sinais de Trânsito
R-28
Duplo sentido de circulação

2. Sentidos de Circulação

Sinais de Trânsito
R-6a
Proibido estacionar
Sinais de Trânsito
R-6b
Estacionamento regulamentado
Sinais de Trânsito
R-6c
Proibido parar e estacionar
Sinais de Trânsito
R-7 Proibido ultrapassar
Sinais de Trânsito
R-8a
Proibido mudar de faixa ou pista de trânsito da esquerda para direita
Sinais de Trânsito
R-8b
Proibido mudar de faixa ou pista de trânsito da direita para esquerda
Sinais de Trânsito
R-9
Proibido trânsito de caminhões
Sinais de Trânsito
R-10
Proibido trânsito de veículos automotores
Sinais de Trânsito
R-11
Proibido trânsito de veículos de tração animal
Sinais de Trânsito
R-12 Proibido trânsito de bicicletas
Sinais de Trânsito
R-13 Proibido trânsito de máquinas agrícolas
Sinais de Trânsito
R-14 Peso bruto total permitido
Sinais de Trânsito
R-15 Altura máxima permitida
Sinais de Trânsito
R-16 Largura máxima permitida
Sinais de Trânsito
R-17 Peso máximo permitido por eixo
Sinais de Trânsito
R-18 Comprimento máximo permitido
Sinais de Trânsito
R-20 Proibido acionar buzina ou sinal sonoro
Sinais de Trânsito
R-21 Alfândega
Sinais de Trânsito
R-29 Proibido trânsito de pedestres
Sinais de Trânsito
R-30 Pedestre, ande pela esquerda
Sinais de Trânsito
R-31 Pedestre, ande pela direita
Sinais de Trânsito
R-32 Circulação exclusiva de ônibus
Sinais de Trânsito
R-33
Sentido circular obrigatório
Sinais de Trânsito
R-34
Circulação exclusiva de bicicletas
Sinais de Trânsito
R-35a
Ciclista, transite à esquerda
Sinais de Trânsito
R-35b
Ciclista, transite à direita
Sinais de Trânsito
R-36a
Ciclistas à esquerda, pedestres à direita
Sinais de Trânsito
R-36b Pedestres à esquerda, ciclistas à direita
Sinais de Trânsito
R-37
Proibido trânsito de motocicletas, motonetas e ciclomotores
Sinais de Trânsito
R-38
VProibido trânsito de ônibus
Sinais de Trânsito
R-39
Circulação exclusiva de caminhão
Sinais de Trânsito
R-40
Trânsito proibido a carros de mão

As placas de advertência têm por finalidade alertar aos usuários da via as condições potencialmente perigosas, indicando sua natureza.

A forma padrão do sinal de advertência e quadrada, devendo uma das diagonais ficar na posição vertical, nas seguintes cores:

Fundo: Amarelo.
Orla Interna: Preta.
Orla Externa: Amarela.
Símbolo e/ou Legenda: Pretos.

Sinais de Trânsito

Constituem exceção quanto à cor, os sinais:

A-24 (Obras) - fundo e orla externa laranja.

A-14 (Semáforo à frente) - símbolo nas cores preta, vermelha, amarela e verde; quando empregado em Obras o fundo é laranja.

Constituem exceção quanto à forma, os sinais:

A--26a (Sentido Único) e A--26b (Sentido Duplo)

Fundo: Amarelo.

Orla Interna: Preta.

Orla Externa: Amarela.

Seta: Preta.

A--41 (Cruz de Santo André)

Fundo: Amarelo.

Orlas: Preta.

Sinais de Trânsito
A-26a Sentido Único

Sinais de Trânsito
A-26b Sentido Duplo

Sinais de Trânsito
A-41 Cruz de Santo André

Informações complementares

Sendo necessário acrescentar informações complementares, deve-se anexar uma placa retangular adicional abaixo da advertência ou incorporar à principal, formando uma só placa.

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Conjunto de sinais de advertência

Sinais de Trânsito
A-1a Curva acentuada à esquerda
Sinais de Trânsito
A-1b
Curva acentuada à direita
Sinais de Trânsito
A-2a
Curva à esquerda
Sinais de Trânsito
A-2b
Curva à direita
Sinais de Trânsito
A-3a
Pista sinuosa à esquerda
Sinais de Trânsito
A-3b
Pista sinuosa à direita
Sinais de Trânsito
A-4a
Curva acentuada em S à esquerda
Sinais de Trânsito
A-4b
Curva acentuada em S à direita
Sinais de Trânsito
A-5a
Curva em S à esquerda
Sinais de Trânsito
A-5b
Curva em S à direita
Sinais de Trânsito
A-6
Cruzamento de Vias
Sinais de Trânsito
A-7a
Via lateral à esquerda
Sinais de Trânsito
A- 7b
Via lateral à direita
Sinais de Trânsito
A-8
Interseção em T
Sinais de Trânsito
A-9
Bifurcação em Y
Sinais de Trânsito
A-10a
Entrocamento oblíquo à esquerda
Sinais de Trânsito
A-10b
Entrocamento oblíquo à direita
Sinais de Trânsito
A-11a
Junções sucessivas contrárias primeira à esquerda
Sinais de Trânsito
A-11b
Junções sucessivas contrárias primeira à direita
Sinais de Trânsito
A-12
Interseção em círculo
Sinais de Trânsito
A-13a
Confluência à esquerda
Sinais de Trânsito
A-13b
Confluência à direita
Sinais de Trânsito
A-14
Semáforo à frente
Sinais de Trânsito
A-15
Parada obrigatória à frente
Sinais de Trânsito
A-16
Bonde
Sinais de Trânsito
A-17
Pista irregular
Sinais de Trânsito
A-18
Saliência ou lomb
Sinais de Trânsito
A-19
Depressão
Sinais de Trânsito
A-20a
Declive acentuado
Sinais de Trânsito
A-20b
Aclive acentuado
Sinais de Trânsito
A-21a
Estreitamento de pista ao centro
Sinais de Trânsito
A-21b
Estreitamento de pista à esquerda
Sinais de Trânsito
A-21c
Estreitamento de pista à direita
Sinais de Trânsito
A-21d
Alargamento de pista à esquerda
Sinais de Trânsito
A-21e
Alargamento de pista à direita
Sinais de Trânsito
A-22
Ponte estreita
Sinais de Trânsito
A-23 Ponte móvel
Sinais de Trânsito
A-24 Obras
Sinais de Trânsito
A-25 Mão dupla adiante
Sinais de Trânsito
A-26a Sentido único
Sinais de Trânsito
A-26b Sentido duplo
Sinais de Trânsito
A-27 Área com desmoronamento
Sinais de Trânsito
A-28 Pista escorregadia
Sinais de Trânsito
A-29 Projeção de Cascalho
Sinais de Trânsito
A-30a Trânsito de ciclistas
Sinais de Trânsito
A-30b Passagem sinalizada de ciclistas
Sinais de Trânsito
A-30c Trânsito compartilhado por ciclistas e pedestres
Sinais de Trânsito
A-31 Maquinária agrícola
Sinais de Trânsito
A-32a Passagem de pedestres
Sinais de Trânsito
A-32 b
Passagem sinalizada de pedestres
Sinais de Trânsito
A-33a
Área escolar
Sinais de Trânsito
A-33b Passagem sinalizada de escolares
Sinais de Trânsito
A-34 Crianças
Sinais de Trânsito
A-35
Animais
Sinais de Trânsito
A-36
Animais selvagens
Sinais de Trânsito
A-37
Altura limitada
Sinais de Trânsito
A-38
Largura limitada
Sinais de Trânsito
A-39
Passagem de nível sem barreira
Sinais de Trânsito
A-40
Passagem de nível com barreira
Sinais de Trânsito
A-41
Cruz de Santo André
Sinais de Trânsito
A-42a
Início de pista dupla
Sinais de Trânsito
A-42b
Fim de pista dupla
Sinais de Trânsito
A-42c
Pista dividida
Sinais de Trânsito
A-43
Aeroporto
Sinais de Trânsito
A-44
Vento lateral
Sinais de Trânsito
A-45
Rua sem saída
Sinais de Trânsito
A-46
Peso bruto total limitado
Sinais de Trânsito
A-47
Peso limitado por eixo
Sinais de Trânsito
A-48
Comprimento limitado

Sinalização Especial de Advertência

Fundo: Amarelo.

Orla Interna: Preta.

Orla Externa: Amarela.

Tarja e Legenda - Preta.

Símbolo: Preto.

Exemplos de placas especiais para faixas ou pistas exclusivas de ônibus

Sinalização especial para faixas ou pistas exclusivas de ônibus.

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Exemplo de placas especiais para pedestres

Sinais de Trânsito

Exemplo de placas especiais de advertência somente para rodovias, estradas e vias de trânsito rápido

Sinais de Trânsito

As placas de indicação têm por finalidade identificar as vias, os destinos e os locais de interesse; orientar condutores de veículos quanto aos percursos, destinos, distâncias e serviços auxiliares, podendo também educar o usuário. Suas mensagens são informativas ou educativas.

1. PLACAS DE IDENTIFICAÇÃO

Fundo - Azul.

Orla Interna - Branca.

Orla Externa - Azul.

Tarja, Seta e Legendas - Brancas.

Forma: retangular, com lado maior na horizontal

Exceção - Placas de Identificação de Rodovias e Estradas Pan-Americanas, Federais e Estaduais:

Fundo - Branco.

Orlas Internas Pretas

Orla Externa - Branca.

Legendas - Pretas.

Forma: retangular, com lado maior na horizontal

Exemplos:

a) Placas de Identificação de Rodovias e Estradas Pan-Americanas, Federais e Estaduais

Sinais de Trânsito
Pan-Americana

Sinais de Trânsito
Federal

Sinais de Trânsito
Estadual

b) Placas de Identifica ção de Municípios

Sinais de Trânsito

c) Placas de Identificação de Regiões de Interesse de Tráfego e Logradouros

Sinais de Trânsito

d) Placas de Identificação Nominal de Pontes, Viadutos, Túneis e Passarelas

Sinais de Trânsito

e) Placas de Identificação Quilométrica

Sinais de Trânsito

f) Placas de Identificação de Limite de Município/Divisa de Estados/Fronteiras/Perímetro Urbano

Sinais de Trânsito

g) Placas de Pedágio

Sinais de Trânsito

2. PLACAS DE ORIENTAÇÃO DE DESTINO

Mensagem de Localidades

Fundo - Verde.

Orla Interna - Branca.

Orla Externa - Verde.

Tarja, Legendas e Setas - Brancas.

Mensagem de nomes de Rodovias /Estradas ou associadas aos símbolos

Fundo - Azul.

Orla Interna - Branca.

Orla Externa - Azul.

Tarja, Legendas e Setas - Brancas.

Símbolos - De acordo com a rodovia.

Exemplos:

a) Placas Indicativas de Sentido (Direção)

Sinais de Trânsito

b) Placas Indicativas de Distância

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

c) Placas Diagramadas

Sinais de Trânsito

3. PLACAS EDUCATIVAS

Fundo - Branco.

Orla Interna - Preta.

Orla Externa - Branca.

Tarja, Legendas e Pictogramas - Pretas

Forma: Retangular, lado maior na horizontal.

Exemplos:

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

4. PLACAS DE SERVIÇOS AUXILIARES

Fundo - Azul.

Quadro Interno - Branco.

Seta e Legenda: Branca.

Pictograma: Preto.

Constitui exceção a placa indicativa de Pronto Socorro (I-15) onde o Símbolo deve ser vermelho e a placa de orientação para pedestres cuja forma é retangular, mas com lado maior na horizontal.

Exemplos:

a) Placas para condutores

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

5. PLACAS DE ATRATIVOS TURÍSTICOS

Fundo: Azul

Quadro Interno: Branco

Seta: Branca.Legenda: Branca

Símbolo: Preto

Constitui exceção a placa de orientação para pedestres cuja forma é retangular, mas com lado maior na horizontal.

Exemplos de pictogramas:

Atrativos Turistícos Naturais

Sinais de Trânsito
Praia

Sinais de Trânsito 
Cachoeira e 
Quedas d'água

Sinais de Trânsito 
Patrimônio Natural

Sinais de Trânsito 
Estância 
Hidromineral

Atrativos Históricos e Culturais

Sinais de Trânsito
Templo

Sinais de Trânsito
Arquitetura Histórica

Sinais de Trânsito
Museu

Área para prática de Esportes

Sinais de Trânsito
Aeroclube

Sinais de Trânsito
Marina

Sinais de Trânsito
Área para esportes náuticos

Área de Recreação

Sinais de Trânsito
Área de descanso

Sinais de Trânsito
Barco de passeio

Sinais de Trânsito
Parque

Locais para Atividades de Interessse Turístico

Sinais de Trânsito
Festas populares

Sinais de Trânsito
Teatro

Sinais de Trânsito
Convenções

Sinais de Trânsito
Artesanato

Sinais de Trânsito
Planetário

Sinais de Trânsito
Feira típica

Sinais de Trânsito
Exposição agropecuária

Sinais de Trânsito
Rodeio

Sinais de Trânsito
Pavilhão de feiras e exposições

Fundo - Marrom.

Orla Interna - Branca.

Orla Externa - Marrom.

Legendas - Branca.

Pictograma - Preto.

a) Placas de Identificação de Atrativo Turístico

Sinais de Trânsito

b) Placas Indicativas Sentido de Atrativo Turístico

Sinais de Trânsito

c) Placas Indicativas de Distância de Atrativo Turístico

Sinais de Trânsito

Sinalização Horizontal

"A sinalização horizontal tem a finalidade de transmitir e orientar os usuários sobre as condições de utilização adequada da via, compreendendo as proibições, restrições e informações que lhes permitam adotar comportamento adequado, de forma a aumentar a segurança e ordenar os fluxos de tráfego". (Resolução nº 236/07 do Contran)

É um subsistema da sinalização viária que se utiliza de linhas, marcações, símbolos e legendas, pintados ou apostos sobre o pavimento das vias. Têm como função: organizar o fluxo de veículos e pedestres; controlar e orientar os deslocamentos em situações com problemas de geometria, topografia ou frente a obstáculos; complementar os sinais verticais de regulamentação, advertência ou indicação. Em casos específicos, têm poder de regulamentação.

Padrão de formas

Contínua: são linhas sem interrupção pelo trecho da via onde estão demarcando; podem estar longitudinalmente ou transversalmente apostas à via.

Tracejada ou Seccionada: são linhas interrompidas, com espaçamentos respectivamente de extensão igual ou maior que o traço.

Setas, S ímbolos e Legendas: são informações escritas ou desenhadas no pavimento, indicando uma situação ou complementando sinalização vertical existente.

Cores

Amarela: utilizada na regulação de fluxos de sentidos opostos, regulamentar ultrapassagem e deslocamento lateral, na delimitação de espaços proibidos para estacionamento e/ou parada e na demarcação de obstáculos.

Branca: utilizada na regulação de fluxos de mesmo sentido; na delimitação de áreas de circulação, trechos de pistas destinados ao estacionamento regulamentado de veículos em condições especiais; na marcação de faixas de travessias de pedestres, na pintura de símbolos e legendas, demarcar linha de retenção, regulamentar linha de trasposição e ultrapassagem.

Vermelha: demarcar ciclofaixas e/ou ciclovias, nos símbolos de hospitais e farmácias (cruz);

Azul: utilizada nas pinturas de símbolos em áreas especiais de estacionamento ou de parada para embarque e desembarque, para pessoas portadoras de deficiência física.

Preto: utilizada para proporcionar contraste entre o pavimento e a pintura.

1. MARCAS LONGITUDINAIS

"A sinalização horizontal tem a finalidade de transmitir e orientar os usuários sobre as condições de utilização adequada da via, compreendendo as proibições, restrições e informações que lhes permitam adotar comportamento adequado, de forma a aumentar a segurança e ordenar os fluxos de tráfego". (Resolução nº 236/07 do Contran)

É um subsistema da sinalização viária que se utiliza de linhas, marcações, símbolos e legendas, pintados ou apostos sobre o pavimento das vias. Têm como função: organizar o fluxo de veículos e pedestres; controlar e orientar os deslocamentos em situações com problemas de geometria, topografia ou frente a obstáculos; complementar os sinais verticais de regulamentação, advertência ou indicação. Em casos específicos, têm poder de regulamentação.

Padrão de formas

Contínua: são linhas sem interrupção pelo trecho da via onde estão demarcando; podem estar longitudinalmente ou transversalmente apostas à via.

Tracejada ou Seccionada: são linhas interrompidas, com espaçamentos respectivamente de extensão igual ou maior que o traço.

Setas, S ímbolos e Legendas: são informações escritas ou desenhadas no pavimento, indicando uma situação ou complementando sinalização vertical existente.

Cores

Amarela: utilizada na regulação de fluxos de sentidos opostos, regulamentar ultrapassagem e deslocamento lateral, na delimitação de espaços proibidos para estacionamento e/ou parada e na demarcação de obstáculos.

Branca: utilizada na regulação de fluxos de mesmo sentido; na delimitação de áreas de circulação, trechos de pistas destinados ao estacionamento regulamentado de veículos em condições especiais; na marcação de faixas de travessias de pedestres, na pintura de símbolos e legendas, demarcar linha de retenção, regulamentar linha de trasposição e ultrapassagem.

Vermelha: demarcar ciclofaixas e/ou ciclovias, nos símbolos de hospitais e farmácias (cruz);

Azul: utilizada nas pinturas de símbolos em áreas especiais de estacionamento ou de parada para embarque e desembarque, para pessoas portadoras de deficiência física.

Preto: utilizada para proporcionar contraste entre o pavimento e a pintura.

1. MARCAS LONGITUDINAIS

a) Linhas de divisão de fluxos opostos (AMARELA)

Simples Contínua:

Sinais de Trânsito
Não permite ultrapassagem e deslocamentos laterais

Simples Seccionada:

Sinais de Trânsito
Permite ultrapassagem e deslocamentos laterais

Dupla Contínua:

Sinais de Trânsito
Não permite ultrapassagem e deslocamentos laterais

Contínua/Seccionada

Sinais de Trânsito
Permite a ultrapassagem para um único sentido

Dupla Seccionada

Sinais de Trânsito 
Permite ultrapassagem

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito
Ultrapassagem permitida somente no sentido "B"

b) Linhas de divisão de fluxos de mesmo sentido (BRANCA)

Contínua

Sinais de Trânsito
Não permite ultrapassagem e transposição de faixa de trânsito

Seccionada

Sinais de Trânsito 
Permite ultrapassagem e transposição de faixa de trânsito

Exemplo de aplicação: Proibida a mudança de faixa entre A-B-C. Permitida ultrapassagem e mudança de faixa entre D-E-F.

Sinais de Trânsito

c) Linhas de bordo (BRANCA)

Sinais de Trânsito
Delimita, através da linha contínua, a parte da pista destinada ao deslocamento dos veículos

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

d) Linhas de continuidade (AMARELA ou BRANCA)

Sinais de Trânsito
Dá continuidade visual às marcações longitudinais (cor branca, quando dá continuidade a linhas brancas; cor amarela, quando dá continuidade a linhas amarelas)

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

2. MARCAS TRANVERSAIS

a) Linhas de retenção (BRANCA)

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

b) Linhas de estímulo à redução de velocidade (BRANCA)

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

c) Linha de "Dê a preferência"

Sinais de Trânsito
Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

d) Faixa de travessia de pedestres (BRANCA)

Tipo Zebrada

Sinais de Trânsito
Tipo Paralela

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

e) Marcação de cruzamentos rodocicloviários (BRANCA)

Ciclovia

Sinais de Trânsito

Ciclofaixa

Sinais de Trânsito

f) Marcação de Área de Conflito (AMARELA)

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

g) Marcação de Área de Cruzamento com Faixa Exclusiva (AMARELA ou BRANCA)

Sinais de Trânsito
Cor amarela - para faixas exclusivas no contra-fluxo.

Sinais de Trânsito
Cor branca - para faixas exclusivas no fluxo.

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

h) Marcação de cruzamento rodoferroviário (BRANCA)

Sinais de Trânsito

3. MARCAS DE CANALIZAÇÃO

Separação de fluxo de tráfego de sentidos opostos

Sinais de Trânsito

Separação de fluxo de tráfego de mesmo sentido

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

4. MARCAS DE DELIMITAÇÃO E CONTROLE DE ESTACIONAMENTO E/OU PARADA

a) Linhas de Indicação de Proibição de Estacionamento e/ou Parada (AMARELA)

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

b) Marca Delimitadora de Parada de Veículos Específicos (AMARELA)

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

c) Marca Delimitadora de Estacionamento Regulamentado (BRANCA)

Em ângulo

Sinais de Trânsito

Paralelo ao meio-fio (simples contínua ou tracejada)

Sinais de Trânsito

Sinais de Trânsito

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

5. INSCRIÇÕES NO PAVIMENTO

a) Setas indicativas de posicionamento na pista para a execução de movimentos (BRANCA)

Sinais de Trânsito
Siga em frente

Sinais de Trânsito
Vire à esquerda

Sinais de Trânsito
Vire à direita

Sinais de Trânsito
Siga em frente ou vire à esquerda

Sinais de Trânsito
Siga em frente ou vire à direita

Sinais de Trânsito
Retorno à esquerda

Sinais de Trânsito
Retorno à direita

Exemplo de aplicação:

Sinais de Trânsito

b) Símbolos

Exemplos:

Sinais de Trânsito
Dê a preferência

Sinais de Trânsito
Cruz de Santo André

Sinais de Trânsito
Serviços de Saúde

Sinais de Trânsito
Bicicleta

Sinais de Trânsito
Deficiente Físico

c) Legendas (BRANCA)

Sinais de Trânsito

Fonte: www.perkons.com

Sinais de Trânsito

Semáforo

Semáforo (também conhecido popularmente como sinal, sinaleira e farol) é um instrumento utilizado para controlar o tráfego de veículos e de pedestre (português brasileiro) ou peão (português europeu) nas grandes cidades em quase todo o mundo. Utiliza uma linguagem simples e por isso de fácil assimilação. É composto geralmente por três círculos de luzes coloridas. O controle semafórico permite alternar o direito de passagem na zona de conflito de uma interseção.

O cálculo dos tempos no controle são gerados a partir das limitações físicas das vias que se interceptam e dos tempos perdidos no controle. Tempos perdidos no controle são aqueles que efetivamente não são utilizados pelos veículos ou pedestres para cruzar a interseção, tal como os tempos de amarelo ou de vermelho de segurança (todos os grupos focais permanecem indicando a cor vermelha), por exemplo.

História

Em 10 de Dezembro de 1868 foi colocado o primeiro semáfaro no exterior do parlamento britânico em Westminster, Londres[1]. Foi concebido por J. P. Knight, engenheiro especialista em assuntos ferroviários. Este semáfaro tinha dois braços móveis que se accionavam movendo cabos a partir de uma torre. O sistema era parecido com o dos sinais que regulavam o trânsito ferroviário. Continha duas lâmpadas de gás com uma luz vermelha e outra verde.

Não teve uma existência longa, já que em 2 de Janeiro de 1869, por causa de um acidente, explodiu provocando a morte de um agente policial. Foi retirado e até Agosto de 1914 não se voltou a instalar um semáforo, o que aconteceu em Cleveland, no que é considerado o primeiro semáfaro com o aspecto actual. A invenção do semáfaro bicolor eléctrico é atribuída a Lester Wire, um polícial e inventor de Salt Lake City. Deve-se constar que Garret Morgan, um afro-americano (nascido em Kentucky, EUA, em 4 de março de 1877), inventou o sistema automático de sinais de trânsito em 1923, e depois vendeu os direitos à corporação GE (General Electric).

As três cores

A razão das três cores universalmente aceites é muito simples.

O vermelho representa na natureza uma cor de aviso, alarme ou perigo da qual se servem muitos animais para afugentar os seus inimigos; esta cor tem o mesmo significado para os seres humanos. O maior contraste com o vermelho é a sua cor oposta, o verde. A teoria das cores enuncia que ambos, vermelho e verde, são complementares pois num disco de cores estão diametralmente dispostos.

O amarelo foi uma cor que se incorporou mais tarde nos semáforos; depois do vermelho e do laranja é a cor de maior comprimento de onda, e com a sua ajuda pode-se proporcionar ao tráfego uma maior informação que a simples ordem de passar ou parar. Além disso, em todos os países a luz vermelha está acima, ou à esquerda, para que a possam interpretar os que têm alguma afecção na visão para o vermelho e o verde (daltonismo).

Verde - indica que o cruzamento está livre para passagem;

Amarela - indica que a passagem está prestes a ser fechada (em geral só se usa para tráfego de veículos)

Vermelha - indica que a passagem pelo cruzamento está momentaneamente impedida.

Os semafaros sempre vão do verde ao amarelo depois para o vermelho, nunca do vermelho para o amarelo.

Fonte: cpsimoes.net

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal