Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home   Voltar

Sinusite

 

A sinusite é a inflamação (inchaço) da mucosa dos seios da face, causadas por uma infecção bacteriana ou viral.

Os seios são pequenos, cavidades cheias de ar por trás de suas maçãs do rosto e na testa.

A Sinusite geralmente provoca febre alta, dor e sensibilidade no rosto, e um nariz entupido ou corrimento nasal.

É uma condição comum e pode afetar pessoas de qualquer idade.

Os seios da face

Você tem quatro pares de seios em sua cabeça:

Dois seios por trás de sua testa

Dois em cada lado da ponte de seu nariz

Dois atrás de seus olhos

Dois por trás de suas maçãs do rosto

Seus seios se abrir para dentro da cavidade do nariz e ajudar a controlar a temperatura ea umidade do ar de chegar aos pulmões.

Normalmente, o muco produzido naturalmente por seus seios drena para o nariz através de pequenos canais. Estes canais podem ficar bloqueados quando os seios são infectado e inflamado.

São os seios por trás das maçãs do rosto (os maiores), que são mais comumente afetadas.

A sinusite aguda e crônica

A sinusite é classificada tanto como:

Aguda, quando se desenvolve rapidamente (durante alguns dias), após um resfriado ou gripe e apura-se dentro de 12 semanas, ou

Crônica, quando os sintomas duram mais de 12 semanas.

A sinusite crônica é menos comum e, por vezes, pode durar muitos meses.

Perspectiva

Sinusite muitas vezes desaparece por si.

Em média, sinusite leva cerca de duas semanas e meia para limpar.

Analgésicos e descongestionantes sem receita podem ser usados para aliviar a dor facial e um nariz entupido. Os antibióticos não são susceptíveis de ajudar a menos que a sinusite se torna persistente.

Sintomas

Os sintomas mais comuns de sinusite incluem:

Um nariz entupido ou corrimento nasal. Se o seu nariz produz muco verde ou amarelo, você provavelmente tem uma infecção bacteriana.

Dor e sensibilidade no rosto (perto dos seios infectados). Você pode experimentar uma dor latejante que é pior quando você mover a cabeça e dor de dente ou dor no maxilar quando você come.

Uma temperatura elevada.

Outros sintomas possíveis são:

cansaço

uma dor de cabeça do seio

tosse

mau hálito (halitose)

pressão em seus ouvidos

perda do paladar e do olfato

uma sensação de estar mal-estar geral

Fonte: www.nhs.uk

Sinusite

A sinusite é uma inflamação dos seios da face causados por uma alergia ou por uma infecção viral, bacteriana ou fúngica.

A sinusite pode ocorrer em qualquer um dos quatro grupos de seios: maxilares, etmoidais, frontais ou esfenóides.

Localização dos Seios

Os seios são cavidades ocas localizadas nos ossos situados em torno do nariz. Os dois seios frontais estão localizados logo acima das sobrancelhas; os dois seios maxilares, nos maxilares; e os dois grupos de seios etmoidais, em ambos os lados da cavidade nasal. Os dois seios esfenoidais (não mostrados na ilustração) localizam-se atrás dos seios etmoidais.

Causas

A sinusite pode ser aguda (de curta duração) ou crônica (de longa duração). A sinusite aguda pode ser causada por uma variedade de bactérias e ocorre freqüentemente após uma infecção viral das vias respiratórias superiores (p.ex., resfriado comum). Ocasionalmente, a sinusite crônica do seio maxilar é decorrente de uma infecção dentária.

Durante um resfriado, a membrana mucosa inflamada da cavidade nasal tende a obstruir as aberturas dos seios. Quando isto ocorre, o ar no interior dos seios é absorvido pela corrente sangüínea e a pressão em seu interior diminui, produzindo uma pressão negativa que é dolorosa, uma condição denominada sinusite por vácuo. Quando o vácuo permanece, ocorre a entrada de líquido no interior do seio, criando um ambiente propício para a proliferação bacteriana. Os leucócitos (glóbulos brancos) e uma maior quantidade de líquido entram nos seios para combater as bactérias e este fluxo aumenta a pressão e causa mais dor.

Sinusite
Sinusite - Imagem Ilustrativa

Sintomas e Diagnóstico

A sinusite aguda e a sinusite crônica causam sintomas similares como, por exemplo, dor e edema sobre o seio afetado, mas os sintomas precisos dependem de qual deles foi afetado. Por exemplo, a sinusite maxilar causa dor nas bochechas logo abaixo dos olhos, dor de dentes e cefaléia (dor de cabeça). A sinusite frontal causa cefaléia frontal. A sinusite etmoidal causa dor atrás dos olhos e entre os mesmos, além de uma cefaléia frontal freqüentemente descrita como aguda e de forte intensidade. A dor causada pela sinusite esfenoidal não se localiza em áreas bem definidas e pode ser sentida tanto na parte frontal quanto na parte posterior da cabeça.

O indivíduo também pode sentir um mal-estar geral. A febre e os calafrios sugerem que a infecção se disseminou além dos seios. A membrana mucosa nasal encontra-se hiperemiada (vermelha) e edemaciada e pode ocorrer uma secreção purulena amarelada ou esverdeada através do nariz.

Na sinusite, os seios aparecem opacos em uma radiografia e, por essa razão, uma tomografia computadorizada (TC) pode ser utilizada para se determinar a extensão e a gravidade da sinusite. Quando um indivíduo apresenta uma sinusite maxilar, os dentes são radiografados para se verificar a existência de abcessos dentários.

Tratamento

O tratamento da sinusite aguda visa melhorar a drenagem do seio e curar a infecção. A inalação com vapor aquecido ajuda os vasos sangüíneos da membrana mucosa a contraírem e melhora a drenagem dos seios. Os medicamentos que provocam a constrição dos vasos sangüíneos (p.ex., fenilefrina) podem ser utilizados sob a forma de spray, mas apenas durante um tempo limitado. Os medicamentos similares (p.ex., pseudoefedrina) administrados pela via oral não são tão eficazes.

Para tratar tanto a sintusite aguda quanto a crônica, são administrados antibióticos (p.ex., amoxicilina), mas os indivíduos que apresentam sinusite crônica os utilizam por um tempo mais prolongado. Quando os antibióticos não são eficazes, a cirurgia pode ser realizada para melhorar a drenagem do seio e remover o material infectado.

SINUSITE E COMPROMETIMENTO DO SISTEMA IMUNE

Nos indivíduos com diabetes mal controlado ou com um sistema imune comprometido, os fungos podem causar uma sinusite grave e mesmo fatal.

A mucormicose (ficomicose) é uma infecção fúngica que pode ocorrer em indivíduos com diabetes mal controlado. Ela produz a morte do tecido da cavidade nasal, o qual torna-se preto e obstrui o fluxo sangüíneo ao cérebro, acarretando sintomas neurológicos (p.ex., cefaléia e cegueira). O médico estabelece o diagnóstico removendo o tecido infectado e examinando uma amostra ao microscópio. O tratamento consiste no controle do diabetes e na administração intravenosa de anfotericina B, uma droga antifúngica.

A aspergilose e a candidíase são infecções fúngicas freqüentemente fatais, as quais podem desenvolver-se nos seios de indivíduos com depressão dos sistema imune devido a um tratamento antineoplásico ou por doenças como a leucemia, o linfoma, o mieloma múltiplo ou a AIDS. Na aspergilose, ocorre a formação de pólipos no nariz e nos seios da face. O médico estabelece o diagnóstico removendo e analisando os pólipos. As tentativas para controlar essas infecções incluem a realização de uma cirurgia do seio e a administração intravenosa de anfotericina B.

Fonte: www.msd-brazil.com

Sinusite

Sinusite é uma inflamação dos seios paranasais, geralmente associada a um processo infeccioso. Os seios paranasais são formados por um grupo de cavidades aeradas que se abrem dentro do nariz e se desenvolvem nos ossos da face.

Fatores predisponentes

Estados gripais, rinite alérgica, alterações da anatomia do nariz (por exemplo, desvio de septo nasal), pólipos nasais, mergulhos, hipertrofia de tecido adenoidiano, doenças mucociliares, fístula dentária, deficiência imunológica, entre outros podem gerar a doença.

Além desses fatores, o desenvolvimento da doença depende da resistência da pessoa, da virulência do agente infeccioso e o número de germes a que o hospedeiro foi exposto.

Faixa etária

A sinusite acomete todas as faixas etárias, inclusive crianças, principalmente aquelas que convivem em grupos (como creches), onde entram em contato com várias pessoas.

Classificação

Há uma classificação para se diferenciar os tipos de sinusite para melhor tratamento. A sinusite é classificada como aguda quando apresenta em média menos de 3 semanas de evolução, subaguda quando o tempo é entre 3 semanas e 3 meses e crônica quando o período é maior que 3 meses.

Agentes etiológicos mais comuns

Os germes são as bactérias, vírus e os fungos.

Quadro clínico

Sinusite aguda

Na sinusite aguda os sintomas mais freqüentes são a dor localizada na fronte, nos olhos ou na face, com acentuação da intensidade ao abaixar a cabeça, secreção nasal purulenta, congestão nasal, com ou sem febre, dores no corpo, falta de apetite, mal-estar, tosse seca, às vezes com secreção, sensação de secreção descendo do nariz em direção à garganta e irritação desta.

Nas crianças, os sintomas podem se confundir com um resfriado mais prolongado, febre baixa, irritabilidade, secreção nasal, tosse diária com piora à noite, sensação de pressão na cabeça ou na face.

Sinusite crônica

O quadro clínico é geralmente pobre e pode se confundir com outras doenças nasais, mas os sintomas mais freqüentes são a secreção nasal purulenta, sensação de secreção descendo do nariz para a garganta, dor de garganta, tosse crônica com ou sem rouquidão, congestão nasal, mau hálito e dificuldade para sentir odores.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo médico, através da história clínica e exame físico e se necessário, solicita-se exames como o raio-x, a tomografia computadorizada ou a nasofibroscopia.

Tratamento

O tratamento é feito com antibióticos, anti-inflamatórios, descongestionantes em alguns casos e medidas gerais importantes como a hidratação oral abundante, a vaporização e a limpeza nasal.

A sinusite tratada corretamente evolui para a cura na maioria dos casos, porém existem casos de complicação e cronificação, necessitando de um acompanhamento médico rigoroso e às vezes com uma intervenção cirúrgica.

Somente o médico poderá esclarecer se os sintomas do paciente correspondem ou não a um quadro de sinusite, sugerindo o melhor tratamento para cada caso.

Fonte: www.unifesp.br

Sinusite

Conceito

A sinusite é um processo inflamatório infeccioso da mucosa que reveste os seios da face, que são cavidades localizadas ao lado das fossas nasais.

Ocorre com maior freqüência no inverno, como conseqüência de mudanças climáticas, poluição e complicações de gripe e resfriados.

Pessoas com rinite, desvio de septo nasal, tumores nasais, traumatismos da face, hipertrofia de adenóides (crianças), são mais propensas a contrair a sinusite.

Sintomas

A sinusite aguda apresenta os seguintes sintomas:

Dor facial na fronte e/ou região maxilar. Às vezes o paciente não apresenta dor;

Obstrução nasal que pode provocar respiração pela boca, boca seca e voz "fanhosa";

Escorrimento nasal que pode escoar em direção à faringe provocando mau hálito, gosto ruim e tosse;

Alteração do olfato;

Febre, cansaço, fadiga, indisposição e mal-estar.

Existem também quadros de sinusite crônica com evolução maior de 3 meses, e complicações desta doença que necessitam diagnóstico de um especialista.

Tratamento

Medidas gerais importantes para o tratamento são a ingestão abundante de líquidos, higiene nasal com soro fisiológico e vaporização.

A obstrução nasal que acompanha a sinusite pode ser tratada com descongestionantes orais ou tópicos que serão receitados pelo médico, assim como os antibióticos e outros medicamentos apropriados.

Recomenda-se que a duração do tratamento seja de 10 a 14 dias.

Prevenção

A sinusite aguda ocorre principalmente no inverno após resfriado ou gripe.

Esses processos devem ser tratados imediatamente para que não compliquem com sinusite.

A rinite deve ser tratada adequadamente para evitar sua complicação.

Fonte: www.pulmonar.org.br

Sinusite

Os seios da face são cavidades cheias de ar que ficam dentro dos ossos da face. Estas cavidades estão revestidas por uma membrana mucosa. A sinusite é a condição na qual essas membranas incham e ficam inflamadas ou quando as cavidades ficam preenchida com material infectado.

Como ela ocorre?

Um grande número de agentes irritantes pode causar sinusite. A sinusite geralmente ocorre após um resfriado, mas nem sempre. Bactérias, vírus, alergias, e mesmo fungos podem causar sinusites. Se os ossos do nariz sofreram traumatismo ou estão deformados, causando bloqueio parcial das aberturas dos seios da face, você está mais propenso a ter sinusites.

Quais são os sintomas?

Os sintomas incluem:

Sensação de congestão ou "peso" na cabeça

Uma dor de cabeça que dói mais quando você acorda de manhã, e quando você abaixa a cabeça (ou a leva para a frente)

Dor ao apertar as regiões acima, atrás ou abaixo dos olhos

Dor nas "maçãs do rosto", às vezes parecendo uma dor de dentes

Congestão ou secreção nasal crônica

Tosse, especialmente à noite

Uma sensação de corrimento de líquido por trás da garganta (secreção retro-nasal)

Dor de garganta matinal e/ou noturna.

Como é diagnosticada?

O médico fará um exame físico e às vezes poderá solicitar raios-x para ver a extensão da inchação da membrana ou do líquido nas cavidades sinusais.

Como é tratada?

O tratamento mais simples e mais barato para os sintomas brandos de sinusite são os descongestionantes. Cuidado para não usar certos tipos de "sprays" ou gotas nasais por mais de 3 dias.

Se os descongestionantes não são suficientes, ou se os sintomas forem intensos, geralmente se precisa de antibióticos.

Ocasionalmente será preciso fazer um uso prolongado de descongestionantes e antibióticos, podendo ir de 2 a 6 semanas.

Em casos de infecções sinusais crônicas (recorrentes), a causa pode estar numa alergia. Pode-se, nesse caso, tentar o uso de anti-histamínicos ou "sprays" de corticóides ou cromoglicato.

Pode ser necessário um exame radiológico dos seios da face para se confirmar uma infecção ou procurar causas tais como um crescimento benigno (pólipo).

Nos casos de sinusite crônica e intensa (que não responde ao tratamento usual), pode ser necessário fazer-se uma drenagem cirúrgica. Nesse tipo de cirurgia, o cirurgião cria uma passagem extra ou mais alargada na parede da cavidade sinusal, para que a drenagem ao nariz fique facilitada.

Quanto tempo duram os sintomas?

Os sintomas vão melhorando gradualmente em 3 a 10 dias. O tempo de recuperação depende da causa e da gravidade da sinusite. A recuperação de uma sinusite é muito parecida à recuperação de uma gripe.

Como posso me ajudar?

Evite o cigarro ou outros irritantes e alergenos inalados, como a caspa de animais de estimação.

Umidifique o ar com um umidificador ou um vaporizador, a menos que você tenha alergia a fungos do ar (eles podem crescer no seu vaporizador).

Inale vapor de uma bacia (ou de um chuveiro) de água quente, para aliviar a dor.

Tome os antibióticos do modo prescrito na receita. Use tudo o que foi receitado, mesmo que você se sinta melhor. É difícil que se consiga atingir boas concentrações de antibióticos nos seios da face, e geralmente os sintomas desaparecem antes que todas as bactérias tenham sido eliminadas.

Use os descongestionantes orais como prescritos.

Evite usar descongestionantes nasais em "spray" por mais de 3 dias, pois eles podem acabar provocando piora dos sintomas.

O que posso fazer para me prevenir das sinusites?

Para se prevenir de uma sinusitre, precisa-se prevenir das causas da sinusite. Trate suas gripes e resfriados prontamente, assim como suas alergias. Se você tem frequentemente congestão nasal, o uso precoce de descongestionantes pode minimizar seu desconforto e prevenir infecções.

Umidifique sua casa se o ar estiver muito seco.

Se você tem episódios frequentes e repetidos de infecções sinusais, considere uma ida ao alergista. Se os sintomas persistem apesar do tratamento para alergia, você pode precisar ir a um otorrinolaringologista para descartar uma obstrução física devido a um pólipo ou osso deformado.

Fonte: www.alergias.med.br

Sinusite

Cefaléia (dor de cabeça) é um sintoma muito comum

Ao contrário do que a maioria das pessoas pode supor, o diagnóstico de sinusite nestes casos não é muito freqüente.

Os sintomas sintomas mais comuns da sinusite crônica são: tosse, geralmente noturna; secreção mucopurulenta saindo pelo nariz e/ou garganta; alteração ou ausência de olfato; sensação de peso na face e obstrução nasal.

A cefaléia é mais comum em pessoas com sinusite aguda.

Os quadros descritos abaixo são bem conhecidos

1-A pessoa, adulto ou criança, depois de 2 ou 3 dias de uma gripe ou resfriado, começa a apresentar dor de cabeça e face que piora ao se abaixar e febre. O nariz fica cada vez mais congestionado e a coriza (secreção nasal) vai se tornando mais opaca e mais viscosa.

Trata-se provavelmente de sinusite aguda. Um tratamento adequado pode resolver o problema rapidamente.

2-A pessoa, adulto ou criança, depois de uma gripe ou resfriado que não "sara", vai apresentando continuamente coriza (em geral mucopurulenta), obstrução nasal e tosse, principalmente de noite, permanecendo além de umas 2 ou 3 semanas.

Trata-se provavelmente de sinusite crônica. Neste caso, principalmente se não se institui um tratamento correto, os sintomas podem perdurar por meses ou anos, sem solução.

Sinusite: inflamação dos seios da face (seios paranasais)

Seios da face são cavidades presentes em vários ossos do crânio, conforme esquema abaixo, contíguas ao nariz e revestidas internamente pelo mesmo tipo de tecido do nariz, denominado de mucosa respiratória.

Sinusite

Cortes esquemáticos, de frente e perfil, de crânios humanos

Classificação

De acordo com o tempo de evolução:

Aguda (curto tempo, em geral menos de 4 semanas)

Crônica (longo tempo, em geral mais de 4 semanas)

De acordo com a localização:

Maxilar (seio maxilar)

Frontal (seio frontal)

Etmoidal (células etmoidais)

Esfenoidal (seio esfenoidal)

Complicações

A sinusite crônica costuma afetar a respiração. Pessoas que respiram mal em geral apresentam problemas para dormir, às vezes se viciam em gotas descongestionantes nasais que podem afetar a saúde geral, principalmente o sistema cárdio-circulatório. Podem ter sonolência diurna, dificuldade de concentração, cansaço fácil, etc. Têm também mais propensão a desenvolver infecções de ouvido e de garganta, doenças pulmonares, além de outras infecções à distância, mau hálito, etc.

Uma sinusite aguda, ou uma reagudização de uma sinusite crônica, pode ser porta de entrada de vírus e bactérias no organismo, principalmente no sistema nervoso central, podendo levar, embora não freqüentemente, ao aparecimento de meningites e encefalites, por exemplo.

Em crianças, uma sinusite crônica pode levar ao aumento das amígdalas e das vegetações adenóides.

Tomografia Computadorizada (CT) normal de seios da face

Tratamento

Normalmente se utilizam antibióticos e anti-inflamatórios. Higiene nasal com soro fisiológico costuma ser muito útil. Raramente se necessita de descongestionantes ou antialérgicos sistêmicos por via oral.

Deve ser feito durante o tempo necessário até que se resolva o problema. Geralmente nas sinusites agudas o tratamento é curto e nas sinusites crônicas é longo.

A solução definitiva deve ser comprovada por radiografias dos seios da face.

Algumas vezes a solução é cirúrgica.

Fonte: www.pavan.med.br

Sinusite

Sinusite é uma inflamação dos seios paranasais, geralmente associada a um processo infeccioso.

Os seios paranasais são formados por um grupo de cavidades aeradas que se abrem dentro do nariz e se desenvolvem nos ossos da face.

Fatores predisponentes

Estados gripais, rinite alérgica, alterações da anatomia do nariz (por exemplo, desvio de septo nasal), pólipos nasais, mergulhos, hipertrofia de tecido adenoidiano, doenças mucociliares, fístula dentária, deficiência imunológica, entre outros podem gerar a doença.

Além desses fatores, o desenvolvimento da doença depende da resistência da pessoa, da virulência do agente infeccioso e o número de germes a que o hospedeiro foi exposto.

Faixa etária

A sinusite acomete todas as faixas etárias, inclusive crianças, principalmente aquelas que convivem em grupos (como creches), onde entram em contato com várias pessoas.

Classificação da sinusite

Há uma classificação para se diferenciar os tipos de sinusite para melhor tratamento. A sinusite é classificada como aguda quando apresenta em média menos de 3 semanas de evolução, subaguda quando o tempo é entre 3 semanas e 3 meses e crônica quando o período é maior que 3 meses.

Agentes etiológicos mais comuns: Os germes são as bactérias, vírus e os fungos.

Quadro clínico:

Sinusite aguda

Na sinusite aguda os sintomas mais freqüentes são a dor localizada na fronte, nos olhos ou na face, com acentuação da intensidade ao abaixar a cabeça, secreção nasal purulenta, congestão nasal, com ou sem febre, dores no corpo, falta de apetite, mal-estar, tosse seca, às vezes com secreção, sensação de secreção descendo do nariz em direção à garganta e irritação desta.

Nas crianças, os sintomas podem se confundir com um resfriado mais prolongado, febre baixa, irritabilidade, secreção nasal, tosse diária com piora à noite, sensação de pressão na cabeça ou na face.

Sinusite crônica

O quadro clínico é geralmente pobre e pode se confundir com outras doenças nasais, mas os sintomas mais freqüentes são a secreção nasal purulenta, sensação de secreção descendo do nariz para a garganta, dor de garganta, tosse crônica com ou sem rouquidão, congestão nasal, mau hálito e dificuldade para sentir odores.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito pelo médico, através da história clínica e exame físico e se necessário, solicita-se exames como o raio-x, a tomografia computadorizada ou a nasofibroscopia.

Tratamento

O tratamento é feito com antibióticos, anti-inflamatórios, descongestionantes em alguns casos e medidas gerais importantes como a hidratação oral abundante, a vaporização e a limpeza nasal.

A sinusite tratada corretamente evolui para a cura na maioria dos casos, porém existem casos de complicação e cronificação, necessitando de um acompanhamento médico rigoroso e às vezes com uma intervenção cirúrgica.

Somente o médico poderá esclarecer se os sintomas do paciente correspondem ou não a um quadro de sinusite, sugerindo o melhor tratamento para cada caso.

Fonte: tuiuiu.epm.br

Sinusite

Sinus são quatro pares de cavidades, ou espaços, localizados nos dois lados de seu rosto. Um par está localizado em sua testa, acima dos olhos, um segundo par entre os olhos, outro está em cada um dos lados do rosto, no alto do nariz e o quarto par encontra-se nas bochechas, abaixo dos olhos.

Os sinus paranasais, que ligam seu nariz e garganta diretamente ao ar externo, são revestidos com membranas quentes e úmidas que produzem muco e anticorpos, que ajudam a combater infecções do trato respiratório superior e umidificar e filtrar o ar da respiração. Sinus saudáveis são abertos, permitindo que o muco seja drenado nas cavidades nasais.

Quando o revestimento dos sinus se inflama devido a uma reação alérgica ou infecção, a drenagem normal é reduzida ou inteiramente bloqueada, causando pressão interna.Como resultado, você pode sentir uma dor intensa, como se estivesse com uma dor de dente na mandíbula superior.

Sinus bloqueados são um ambiente ideal para vírus e bactérias se estabelecerem e crescerem. A infecção dos sinus recebe o nome de Sinusite.

Fonte: www.bayerscheringpharma.com.br

Sinusite

O que é a sinusite?

Sinusite é a inflamação da mucosa do nariz e dos seios peri nasais (cavidades situadas junto ao nariz onde se acumula o muco nasal que, em condições normais, é claro, fluido e escorre para o exterior através das fossas nasais). Quando uma pessoa se constipa ou sofre de alergia os seios peri nasais inflamam-se, interferindo com a drenagem natural do muco, que se torna espesso e infectado.

A sinusite é uma doença frequente?

"Sim, a sinusite é frequente, calculando-se que afete anualmente mais de trinta milhões de pessoas.

Por interferir com o bem estar, a qualidade de vida e com o desempenho social e profissional, a sinusite é um dos motivos frequentes de consulta médica e uma das causas mais frequentes de uso de antibióticos."

Que tipos de sinusite existem?

"A classificação das sinusites pode ser feita quanto à sua localização ou quanto à sua evolução ao longo do tempo.

Quanto à localização a sinusite recebe o nome dos seios peri nasais que se apresentam inflamados: sinusite maxilar, frontal ou etmoidal.

Em relação á sua evolução no tempo podemos considerar a sinusite como aguda ou crónica.

A sinusite aguda caracteriza-se pelo seu início rápido e uma duração entre uma a quatro semanas, com desaparecimento total dos sintomas no fim desse período. Algumas pessoas sofrem de episódios recurrentes de sinusite aguda.

A sinusite crónica é aquela em que os sintomas se mantém durante mais de três meses consecutivos. Os sintomas na sinusite crónica podem ser menos intensos que na sinusite aguda, mas a persistência da inflamação dos seios peri nasais pode destruír a estrutura óssea das cavidades.

Quando os sintomas duram mais de quatro semanas mas desaparecem antes dos três meses estamos perante uma sinusite sub aguda."

O que é que causa a sinusite?

"A causa principal da sinusite aguda são as infecções respiratórias virais que inflamam a mucosa do nariz e dos seios peri nasais e que , em geral, resolvem espontâneamente ao fim de uma semana.

Quando os sintoma se agravam ao fim da primeira semana em vez de desaparecerem, é porque uma bactéria infectou secundáriamente o muco, causando uma sinusite bacteriana.

Sendo os vírus e as bactérias as causas diretas da sinusite, há no entanto fatores que predispõem à inflamação da mucosa nasal e dos seios peri nasais, como as alergias,os polipos nasais, os desvios do septo nasal que dificultam a drenagem do muco , assim como a poluição atmosférica e outras substãncias irritantes para a mucosa, como o fumo do tabaco ou o pó."

Quais são os sintomas de sinusite?

"Os sintomas mais importantes no diagnóstico de sinusite são o corrimento nasal purulento ( cor amarela esverdeada e consistência espessa), o entupimento do nariz dificultando a respiração, a dor em alguns pontos da face, sensação de peso na cabeça e nos olhos, diminuição do olfato e a febre.

Outros sintomas menos frequentes mas que podem acompanhar um episódio de sinusite são o mau hálito, cansaço, tosse, dor de ouvidos, sensação de ouvido cheio e dor dos dentes do maxilar superior."

A sinusite é uma doença grave?

"A sinusite é uma doença incómoda que interfere na qualidade de vida e no desmpenho social e profissional, mas as suas complicações graves, embora existam, são raras. As complicações mais graves são a meningite, a celulite da face e a septicémia, ou seja , a extensão da infecção para fora dos seios peri nasais.

No entanto, na maioria das situações , a sinusite cura ao fim de alguns dias , mesmo sem tratamento."

Como se faz o diagnóstico de sinusite?

"O diagnóstico de sinusite é essencialmente clínico , ou seja, o médico diagnostica a doença pela história que o doente refere (os sintomas) complementada por alguns achados da observação, não sendo em geral necessários exames laboratoriais ou radiológicos para confirmar o diagnóstico.

As radiografias e as tomografias computorizadas (TAC) dos seios peri nasais não têm indicação no diagnóstioco de um episódio não complicado de sinusite, porque há um número significativo de pessoas sem sintomas que apresentam alterações radiológicas dos seios peri nasais (espessamento da mucosa) enquanto outras com sintomas clínicos de infecção têm exames normais.

Assim, já que o diagnóstico radiológico de sinusite é caro e pouco preciso , estes exames devem ser reservados para os casos em que o diagnóstico é duvidoso ou quando surgem complicações, quando a infecção não cede ao tratamento convencional ou quando há indicação para tratamento cirúrgico."

Como se trata a sinusite?

"O tratamento da sinusite tem como objetivo controlar a inflamação e a infecção , reduzir a congestão das mucosas e reverter a obstrução nasal de forma a permitir a drenagem do muco. Para atingir esses objetivos é importante manter a hidratação bebendo líquidos com frequência , fazer a lavagem nasal com sprays de água do mar esterlizada e, se necessário, usar descongestionantes nasais e mucolíticos (medicamentos para aumentar a fluidez das secreções) em comprimidos ou xarope.

Quando há indícios de que a sinusite é bacteriana (agravamento dos sintomas após uma semana de evolução, secreções nasais espessas de cor amarela esverdeada), pode ser ponderado o uso de antibióticos, cuja prescrição deve ser feita exclusivamente pelo médico. O tratamento com antibióticos deve ser mantido durante sete a catorze dias na sinusite aguda e deve ser mais intensivo e prolongado nas sinusites crónicas.

Quando há doenças associadas à sinusite como, por exemplo, rinite alérgica ou polipos nasais , o tratamento tem de incidir também no controle da doença de base.

Nalgumas situações o tratamento com medicamentos não é suficiente para resolver o problema e pode haver indicação para uma intervenção cirúrgica."

Quais são as indicações cirúrgicas num doente que sofre de sinusite?

Um doente com sinusite tem indicação para cirurgia se a infecção se espalha para fora dos seios peri nasais apesar do tratamento com antibióticos, se há um mucocelo ou um piocelo (espécie de “quisto” de muco ou pus no interior dos seios peri nasais) ou se tem polipos nasais volumosos ou um desvio do septo nasal que impeçam a drenagem do muco. A sinusite crónica que não melhora com tratamento adequado pode também ser uma indicação para cirurgia.

O tratamento cirúrgico leva sempre à cura definitiva da sinusite?

Não. O sucesso da cirurgia na sinusite depende, entre outros fatores, da presença ou não de doenças associadas, como a alergia, que não são alteradas pela cirurgia, podendo causar recaídas.

Pode prevenir-se a sinusite?

A sinusite é uma infecção dos seios peri nasais durante uma constipação ou associada à rinite alérgica. Para a evitar, quando alguém se constipa ou tem alergia deve usar substancias salinas para lavagem do nariz, descongestionantes nasais (por períodos curtos, não superiores a cinco dias ) para manter a drenagem do muco, beber líquidos frequentemente para manter as secreções fluidas, assoar-se regularmente com suavidade (bloqueando uma narina de cada vez para o fazer), evitar o contato com substâncias causadoras de alergia se possível, e tratar as crises de alergia com medicação adequada prescrita pelo médico para o efeito.

Quando é que uma pessoa com sintomas de sinusite deve procurar o médico?

A sinusite bacteriana deve sempre ser tratada sob orientação médica. No entanto, os seus sintomas podem confundir-se com uma constipação ou uma crise de alergia, cujo tratamento não exige uma consulta médica se o doente sabe como medicar-se. O médico deve ser contactado se as queixas duram mais que dez dias, se há corrimento nasal espesso de cor amarela esverdeada e se há mais alguns outros sintomas associados , como tosse, mau hálito, febre, dor de cabeça, etc. porque é provável tratar-se de uma sinusite bacteriana que exige tratamento adequado para prevenir o aparecimento de complicações.

As crianças podem ter crises de sinusite?

As crianças não têm os seios peri nasais completamente desenvolvidos ( o que só acontece por volta dos vinte anos) apresentando no seu lugar pequenas cavidades que se infectam com menos frequência que nos adultos. No entanto uma criança pode ter sinusite aguda a partir dos cinco seis anos de idade, devendo ponderar-se esta hipótese se uma constipação dura mais de quinze dias, com muco nasal espesso de cor amarela esverdeada, dor de cabeça, irritabilidade, fadiga, mau hálito e tosse.

Fonte: www.medicoassistente.com

Sinusite

A sinusite (sinus = seios + ite = inflamação) é uma inflamação dos seios peri nasais ou seja dos seios que existem há volta do nariz.

Os seios peri nasais são cavidades situadas junto ao nariz onde se acumula muco que em condições normais deve ser claro e fluido e que escorre normalmente para o nariz (fossas nasais) sem criar quaisquer problemas.

Existem quatro tipos de seios; os seios maxilares que se situação nas maxilas da face, os seios frontais que se situam na testa por cima do nariz e os seios etmoidais (do etmóide) que estão atrás do nariz e juntos à testa e cabeça e o seio do esfenóide.

Em situações normais estas cavidades escoam o seu liquido para as fossas nasais e tudo funciona bem.

Mas em algumas pessoas esse líquido pode ficar acumulado provocando uma inflamação, situação em que a pessoa passa a sofrer de sinusite.

A sinusite é frequente quando a pessoa se constipa ou quando sofre de alergias, situações em que o seu sistema imunológico está mais debilitado e em que a produção de fluidos é maior.

A drenagem destes fluidos acaba muitas das vezes por ser afetada e por provocar inflamações dos seios paranasais (frontais, etmoidais e maxilares) provocando aquilo a que se chama sinusite.

A sinusite pode ser aguda ou crónica sendo que a sinusite aguda pode ter uma duração de uma a quatro semanas e a sinusite crónica pode durar mais de três meses consecutivos.

Sintomas

Quando a sinusite atinge os seios maxilares podem surgir dores a nível das maxilas, dentes, etc. devido à infecção e inflamação dos seios maxilares.

Quando a sinusite atinge os seios frontais e ou etmoidais as dores de cabeça podem ser demasiado fortes e incapacitantes o que requer uma atenção urgente devido ao desconforto que existe.

Causas

Muitas das causas da sinusite advém das infecções respiratórias que inflamam as mucosas do nariz e consequentemente os seios peri nasais.

Alergias, desvios do septo nasal, etc. podem dificultar a drenagem do muco ou provocar reações inflamatórias que produzem muco "em excesso" que leva a uma maior acumulação e por consequência inflamação.

Tratamento

Por vezes a sinusite é apenas um desconforto temporário que passa ao fim de alguns dias sem cuidados de maior.

No entanto muitas das vezes há que fazer um tratamento médico para controlar a infecção e permitir a drenagem dos seios peri nasais.

Nesta ultima situação pode ser necessário recorrer a antibióticos como forma de controlar a infecção e impedir maiores desconfortos e problemas.

Tratamentos não médicos

Como vimos acima, a sinusite é uma acumulação de líquidos nos seios peri nasais e inflamação desses seios e desses líquidos.

A abordagem consiste em manter os canais de drenagem abertos para que o muco e os líquidos dos seios possa escorrer para as fossas nasais e dessa forma não permaneça nos seios para que o risco de infecção e inflamação seja reduzida ao mínimo.

Os ossos da cabeça movem-se e articulam uns com os outros.

As tensões do dia a dia, o stress e muitos outros fatores muitas das vezes comprimem os ossos faciais e da cabeça uns contra os outros, bloqueando os canais de drenagem dos seios peri nasais, criando assim as condições para que a sinusite se instale e permaneça.

O que há a fazer é libertar as compressões existentes nos ossos faciais e cranianos permitindo dessa forma que a drenagem dos seios se faça normalmente e dessa maneira não se crie o ambiente propício à sinusite.

Libertar as influências que afetam os ossos faciais e cranianos e libertar estes ossos é a chave para se manter sempre uma boa drenagem dos seios peri nasais e dessa forma impedir que a sinusite se manifeste ou para que ela desapareça de vez.

Esta abordagem é muitas das vezes uma ajuda fundamental em alergias, rinites e outros problemas que existem ao nível do nariz e das vias respiratórias.

É desta forma que muitos destes problemas podem ser resolvidos ou melhorados significativamente.

Fonte: www.jcsantiago.info

Sinusite

A sinusite é uma inflamação não-contagiosa da parte interna dos seios da face, e que, em geral, se repete de forma recorrente.

Sintomas

Nariz congestinado, dor de cabeça, febre, tontura e mal estar.

Agentes

A sinusite pode ser provocada por reações alérgicas, por viroses ou por infecções bacterianas.

Prevenção

Em primeiro lugar, evitar o contato com os causadores de alergias. Mas também é preciso tratar de sintomas como a coriza quando estes ainda estão começando, para evitar a crise.

Complicações

Agravemento do problema (sinusite crõnica) e infecções respiratórias mais graves.

Tratamentos

O tratamento da sinusite depende da causa e da gravidade do problema. Deve ser recomendado pelo médico, e pode incluir descongestinantes, analgésicos, anti-térmicos, antibióticos e até cirurgias, dependendo da gravidade do caso..

Fonte: saude.terra.com.br

Sinusite

Entre várias doenças que afetam as vias respiratórias, a sinusite é uma das mais freqüentes. É a inflamação da mucosa dos seios paranasais e das cavidades que existem no interior dos ossos da face.

A sinusite pode classificar-se quanto à sua duração em aguda com até quatro semanas de evolução, subaguda de quatro semanas a três meses e a crônica com evolução superior a três meses. Qualquer alteração que leve à obstrução do óstio (orifício que comunica o seio da face com o nariz) ou então que altere a composição do muco (secreção que existe dentro do seio) pode desencadear sinusite.

As causas mais comuns são a rinite viral aguda (gripe), alergia (moradia inadequada, mudanças de clima, ar condicionado, poluição e fumo), desvio de septo, hipertrofia adenóide, irritantes locais (abuso de medicamentos tópicos com vasoconstritor, cocaína) e a natação e mergulho. A sinusite pode trazer complicações como bronquite, pneumonia, otite média, otite serosa, meningite, abscesso cerebral e perda de visão.

O diagnóstico de sinusite nem sempre é fácil, devido à variedade de sintomas e sinais. Na sinusite aguda na maioria das vezes, há queixa de gripe de sete a vinte dias de evolução com aparecimento de secreção amarelada ou esverdeada, com mau cheiro, obstrução nasal e dor na face, que piora pela manhã e quando o paciente abaixa a cabeça para adiante. É também comum dor nos dentes da arcada superior. Na sinusite crônica o sintoma mais freqüente é a drenagem de secreção amarelada ou esverdeada posterior, a dor e peso na região periocular e a presença de faringites de repetição.

Em crianças, a presença de secreção nasal de qualquer tipo, tosse (especialmente noturna), respiração bucal, otites médias de repetição levam a suspeitar de sinusite crônica.

Existem vários métodos para o diagnóstico de sinusite: radiografia simples dos seios da face, tomografia computadorizada, nasofaringoscopia por fibra ótica e ressonância nuclear magnética.

Tratamento

O tratamento baseia-se na tentativa de combater a infecção e restabelecer as funções de drenagem, ventilação, bem como corrigir possíveis fatores predisponentes. É indicado o uso de antibióticos, geralmente de 10 a 14 dias, antiinflamatórios, descongestionantes nasais.

Nos casos rebeldes ao tratamento clínico está indicada a punção do seio para permitir a lavagem e instilação de medicamentos.

Atualmente a cirurgia funcional dos seios da face, seja por via endoscópica ou por microscopia, tem como objetivo principal restabelecer a ventilação e drenagem adequada dos seios paranasais, ao contrário de toda mucosa doente. A cirurgia está indicada quando todos os tratamentos falham, nas complicações oculares e intracranianas sem resultado com tratamento medicamentoso.

Fonte: boasaude.uol.com.br

Sinusite

O que é Sinusite?

A sinusite é um quadro inflamatório da mucosa que reveste a cavidade nasal e os seios paranasais, ocorrendo, geralmente, após gripes e resfriados. Devemos suspeitar de sinusite quando os sintomas do resfriado comum (obstrução nasal, secreção nasal purulenta e tosse) persistem por mais de 10 dias ou quando houver piora dos sintomas após o quinto dia.

O paciente se queixa de obstrução/congestão nasal; dor/pressão nos seios paranasais; secreção nasal purulenta ou gotejamento posterior; diminuição do olfato; tosse e febre. Pode também apresentar dor de cabeça; mau hálito e dor em arcadas dentárias. De acordo com sua evolução, a sinusite pode ser classificada em aguda (duração dos sintomas por até 04 semanas) ou crônica (persistência dos sintomas por mais de 12 semanas).

Em qualquer estágio de sua evolução, a doença pode extrapolar os limites anatômicos dos seios paranasais e causar complicações orbitárias e intracranianas, que são graves e, às vezes, fatais.

São sinais de alerta falta de melhora após 72h de tratamento com antibiótico adequado, surgimento de edema/eritema palpebral, alterações visuais, cefaléia intensa, toxemia e sinais de irritação meníngea.  O diagnóstico da sinusite é clínico.

Devemos realizar um exame físico completo, incluindo a endoscopia nasal. Nos casos crônicos e recorrentes, bem como nas suspeitas de complicações, podemos realizar a tomografia computadorizada e a ressonância magnética.

O tratamento consiste no uso de antibióticos; lavagem nasal com solução salina; vasoconstrictor oral ou nasal e corticosteróide em alguns casos. O tratamento cirúrgico é indicado nos casos de complicações, falhas no tratamento clínico, recidivas freqüentes e para a correção de fatores predisponentes, como desvios septais, conchas bolhosas...etc.

Atualmente, ele é realizado através de modernas técnicas de instrumentação cirúrgica, utilizando fibras ópticas e pinças especiais, com todo o acesso realizado por dentro do nariz, sem a necessidade de cortes externos.

A Sinusite tem cura?

Por sinusite entende-se a inflamação infecciosa (ou não) dos seios da face. Caso a sinusite tenha sido causada por bactérias, o uso de antibióticos consegue, na maior parte das vezes, eliminar o processo infeccioso e "curar" o paciente.

Contudo, o que ocorre na maioria das vezes é que alterações extra-seios da face (desvios de septo, por exemplo) causam problemas na drenagem das secreções produzidas nos seios.

Essas secreções represadas se infetam com muita facilidade, tornando os episódios de sinusite muito recorrentes. Então, quando o paciente tem uma infecção, faz uso de antibióticos, fica curado e, pouco tempo depois, tem outra sinusite. Não adianta ficar tratando o paciente seguidamente com antibióticos sem saber o que vem causando a recorrência dos quadros. Em grande parte das vezes, a cirurgia dos seios da face, ou simplesmente a cirurgia do septo, é capaz de solucionar este problema.

Fonte: www.ericthuler.com

Sinusite

Sinusite é a inflamação da mucosa do nariz e dos seios peri-nasais (cavidades situadas junto ao nariz onde se acumula o muco nasal que, em condições normais, é claro, fluido e escorre para o exterior através das fossas nasais).

Quando uma pessoa se constipa ou sofre de alergia, os seios peri-nasais inflamam, interferindo com a drenagem natural do muco, que se torna espesso e infectado.

Classificação

A classificação das sinusites pode ser feita quanto à sua localização ou quanto à sua evolução ao longo do tempo.

Quanto à localização a sinusite recebe o nome dos seios peri nasais que se apresentam inflamados: sinusite maxilar, frontal ou etmoidal.

Em relação à sua evolução no tempo podemos considerar a sinusite como aguda ou crónica.

A sinusite aguda caracteriza-se pelo seu início rápido e uma duração entre uma a quatro semanas, com desaparecimento total dos sintomas no fim desse período. Algumas pessoas sofrem de episódios recorrentes de sinusite aguda.

A sinusite crónica é aquela em que os sintomas se mantém durante mais de três meses consecutivos. Os sintomas na sinusite crónica podem ser menos intensos que na sinusite aguda, mas a persistência da inflamação dos seios peri-nasais pode destruir a estrutura óssea das cavidades.

Quando os sintomas duram mais de quatro semanas mas desaparecem antes dos três meses estamos perante uma sinusite sub aguda.

Causas

A causa principal da sinusite aguda são as infecções respiratórias virais que inflamam a mucosa do nariz e dos seios peri-nasais e que , em geral, resolvem espontâneamente ao fim de uma semana. Quando os sintoma se agravam ao fim da primeira semana em vez de desaparecerem, é porque uma bactéria infectou secundariamente o muco, causando uma sinusite bacteriana.

Sendo os vírus e as bactérias as causas diretas da sinusite, há no entanto fatores que predispõem à inflamação da mucosa nasal e dos seios peri-nasais, como as alergias,os pólipos nasais, os desvios do septo nasal que dificultam a drenagem do muco , assim como a poluição atmosférica e outras substâncias irritantes para a mucosa, como o fumo do tabaco ou o pó.

Sintomas

Os sintomas mais importantes no diagnóstico de sinusite são o corrimento nasal purulento ( cor amarela esverdeada e consistência espessa), o entupimento do nariz dificultando a respiração, a dor em alguns pontos da face, sensação de peso na cabeça e nos olhos, diminuição do olfato e a febre.

Outros sintomas menos frequentes mas que podem acompanhar um episódio de sinusite são o mau hálito, cansaço, tosse, dor de ouvidos, sensação de ouvido cheio e dor dos dentes do maxilar superior.

Tratamento

O tratamento da sinusite tem como objetivo controlar a inflamação e a infecção , reduzir a congestão das mucosas e reverter a obstrução nasal de forma a permitir a drenagem do muco. Para atingir esses objetivos é importante manter a hidratação bebendo líquidos com frequência , fazer a lavagem nasal com sprays de água do mar esterilizada e, se necessário, usar descongestionantes nasais e mucolíticos (medicamentos para aumentar a fluidez das secreções) em comprimidos ou xarope.

Quando há indícios de que a sinusite é bacteriana (agravamento dos sintomas após uma semana de evolução, secreções nasais espessas de cor amarela esverdeada), pode ser ponderado o uso de antibióticos. O tratamento com antibióticos deve ser mantido durante sete a catorze dias na sinusite aguda e deve ser mais intensivo e prolongado nas sinusites crónicas.

Quando há doenças associadas à sinusite como, por exemplo, rinite alérgica ou polipos nasais , o tratamento tem de incidir também no controle da doença de base.

Nalgumas situações o tratamento com medicamentos não é suficiente para resolver o problema e pode haver indicação para uma intervenção cirúrgica

Prevenção

A sinusite é uma infecção dos seios peri-nasais durante uma constipação ou associada à rinite alérgica. Para a evitar, quando alguém se constipa ou tem alergia deve usar substancias salinas para lavagem do nariz, descongestionantes nasais (por períodos curtos, não superiores a cinco dias ) para manter a drenagem do muco, beber líquidos frequentemente para manter as secreções fluídas, assoar-se regularmente com suavidade (bloqueando uma narina de cada vez para o fazer), evitar o contato com substâncias causadoras de alergia se possível, e tratar as crises de alergia com medicação adequada prescrita pelo médico para o efeito.

Fonte: www.gosaude.com

Sinusite

Sinusite é a inflamação das mucosas dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos.

Os seios da face dão ressonância à voz, aquecem o ar inspirado e diminuem o peso do crânio, o que facilita sua sustentação. São revestidos por uma mucosa semelhante à do nariz, rica em glândulas produtoras de muco e coberta por cílios dotados de movimentos vibráteis que conduzem o material estranho retido no muco para a parte posterior do nariz com a finalidade de eliminá-lo.

O fluxo da secreção mucosa dos seios da face é permanente e imperceptível. Alterações anatômicas, que impedem a drenagem da secreção, e processos infecciosos ou alérgicos, que provocam inflamação das mucosas e facilitam a instalação de germes oportunistas, são fatores que predispõem à sinusite.

Sintomas

As sinusites podem ser divididas em agudas e crônicas.

Na sinusite aguda, costuma ocorrer dor de cabeça na área do seio da face mais comprometido (seio frontal, maxilar, etmoidal e esfenoidal). A dor pode ser forte, em pontada, pulsátil ou sensação de pressão ou peso na cabeça. Na grande maioria dos casos, surge obstrução nasal com presença de secreção amarela ou esverdeada, sanguinolenta, que dificulta a respiração. Febre, cansaço, coriza, tosse, dores musculares e perda de apetite costumam estar presentes.

Na sinusite crônica, os sintomas são os mesmos, porém variam muito de intensidade. A dor nos seios da face e a febre podem estar ausentes. A tosse costuma ser o sintoma preponderante. É geralmente noturna e aumenta de intensidade quando a pessoa se deita porque a secreção escorre pela parte posterior das fossas nasais e irrita as vias aéreas disparando o mecanismo de tosse. Acessos de tosse são particularmente freqüentes pela manhã, ao levantar, e diminuem de intensidade, chegando mesmo a desaparecer, no decorrer do dia.

Recomendações

O mais importante é diluir a secreção para que seja eliminada mais facilmente;

Na vigência de gripes, resfriados e processos alérgicos que facilitem o aparecimento de sinusite, beba bastante líquido (pelo menos 2 litros de água por dia) e goteje de duas a três gotas de solução salina nas narinas, muitas vezes por dia. A solução salina pode ser preparada em casa. Para cada litro d'água fervida, acrescente uma colher de chá (09 gramas) de açúcar e outra de sal. Espere esfriar antes de pingá-la no nariz;

Inalações com solução salina, soro fisiológico ou vapor de água quente ajudam a eliminar as secreções;

Evite o ar condicionado. Além de ressecar as mucosas e dificultar a drenagem de secreção, pode disseminar agentes infecciosos (especialmente fungos) que contaminam os seios da face;

Procure um médico se os sintomas persistirem. O tratamento inadequado da sinusite pode torná-la crônica

Fonte: www.drauziovarella.com.br

Sinusite

"Doutor, eu tenho sinusite!" Uma das frases que mais se escuta em um consultório médico é esta. Geralmente este diagnóstico é feito pelo próprio paciente baseado em alguns sintomas como dor de cabeça ou secreção nasal. Porém, não é incomum em atendimentos de urgência em Prontos-socorros, pacientes com estado gripal serem submetidos à exame radiológico (Raio-X) e erroneamente serem tratados como portadores de sinusite, inclusive com uso de antibióticos desnecessariamente. Freqüentemente este "diagnóstico" rotula o paciente que, se não devidamente esclarecido, continuará a cada consulta repetindo a mesma frase: "Doutor, eu tenho sinusite!"

A rinossinusite como preferimos chamar atualmente, é definida como um processo inflamatório da membrana mucosa que reveste a cavidade do nariz e dos seios paranasais. O diagnóstico das rinossinusites é feito através da história clínica (anamnese) e exame físico, principalmente através da endoscopia nasal, procedimento indolor, realizado sob anestesia local no próprio consultório Otorrinolaringológico.

Os sinais e sintomas percebidos na rinossinusite aguda são dor na arcada dentária superior e pressão facial, congestão e obstrução nasal, secreção espessa pelo nariz e pela garganta, diminuição do olfato, febre, dor de cabeça, mau hálito, fadiga, dor de ouvido, tosse e irritação na garganta. Obviamente os sintomas variam de pessoa para pessoa, podendo apresentar um ou mais sintomas associados. Porém é importante lembrar que nem toda dor de cabeça é sinal de sinusite!

A dor não é comum na rinossinusite crônica, mas pode aparecer na reagudização do quadro.

A determinação exata do diagnóstico de rinossinusite bacteriana é difícil mas essencial, pois a rinossinusite viral é pelo menos 20 vezes mais freqüente do que a infecção bacteriana dos seios paranasais. As infecções virais geralmente são autolimitadas e evoluem para cura espontânea. A importância deste diagnóstico, ou seja, diferenciar um quadro infeccioso bacteriano de um quadro viral, está no tipo de tratamento que será escolhido para cada caso. Nas infecções bacterianas deverão ser utilizados antibióticos escolhidos pelo médico, baseados na sua experiência clínica e estudos epidemiológicos. É importante lembrar que o farmacêutico não é o profissional mais indicado para diagnosticar ou mesmo receitar qualquer tipo de medicação.

Deve-se suspeitar de rinossinusite aguda bacteriana quando os sintomas de uma "Gripe" ou "Resfriado" pioram após o 5º dia ou persistem por mais de 10 dias.

Quanto a pergunta: Sinusite tem cura? A grande maioria das rinossinusites tem cura. Algumas pessoas tem uma predisposição à rinossinusites de repetição, ou por alterações anatômicas ou por alterações do funcionamento da mucosa nasal e dos seios paranasais. Indivíduos com rinite alérgica, desvios do septo nasal ou estreitamento dos canais que comunicam o nariz com os seios paranasais tem uma chance maior de desenvolver processos inflamatórios desta região. Estes pacientes devem ser cuidadosamente investigados através de exame endoscópico e tomografia computadorizada.

As rinossinusites são classificadas em 5 tipos, de acordo com o "I Consenso Brasileiro Sobre Rinossinusite" realizado pela Sociedade Brasileira de Otorrinolaringologia:

Aguda: Duração dos sintomas até 4 semanas

Subaguda: Duração dos sintomas de 4 a 12 semanas

Crônica: Duração dos sintomas por mais de 12 semanas

Recorrente: Mais de 4 episódios por ano com duração de 7 a 10 dias e resolução completa nos intervalos

Complicada: Complicação local ou sistêmica em qualquer fase

O tratamento das rinossinusites deve ser individualizado e feito de acordo com o tipo de sinusite. A maioria das rinossinusites são tratadas clinicamente, com o uso de medicação escolhida à critério médico.

O tratamento cirúrgico fica reservado para os casos de rinossinusite crônica ou rinossinusites recorrentes, onde existem alterações anatômicas que dificultam a drenagem e a ventilação dos seios paranasais. O papel da cirurgia visa restabelecer a entrada do ar e a saída de secreções dos seios.

A cirurgia para o tratamento dos seios paranasais evoluiu muito nos últimos anos com o uso da Vídeo-Endoscopia, no qual o cirurgião realiza o procedimento guiando-se por um monitor e visualizando o interior dos seios, sem a necessidade de se realizar qualquer tipo de corte externo.

O melhor entendimento da anatomia e do funcionamento da cavidade nasal e dos seios paranasais através das técnicas endoscópicas tem nos ajudado muito a melhorar o tratamento, tanto clínico quanto cirúrgico das rinossinusites de uma forma geral.

Fonte: www.lincx.com.br

Sinusite

Sinusite: saiba o que é e como tratar

Nariz entupido e com secreção espessa, diminuição do olfato, tosse, febre, dor de cabeça ou na face. Sem dúvida você está com sinusite, certo? Nem sempre.

Esses sintomas também são muito comuns nos casos de gripes e resfriados. A diferença está na sua intensidade e duração.

O resfriado costuma ter sintomas mais leves que duram em torno de 5 dias. Já na gripe, a intensidade e duração são mais longas (de 7 a 10 dias). Na maioria das vezes, a sinusite aparece após uma gripe ou um resfriado. Quando os sintomas deveriam estar diminuindo, eles persistem ou mesmo aumentam. A sinusite pode ser viral ou bacteriana, sendo que a bacteriana pode durar mais que 10 dias e apresentar secreção nasal amarelada ou esverdeada e também prostração.

Mas, afinal o que é a sinusite?

Sinusite é a inflamação da mucosa dos seios da face, que são cavidades ósseas que se comunicam com o nariz e se localizam em diversos pontos da face e atrás dos olhos. A inflamação obstrui os seios da face e impede a renovação do ar e a eliminação das secreções, propiciando a multiplicação de microorganismos. As secreções que antes ajudavam a lubrificar o nariz e a garganta, agora infectadas, podem dirigir-se ao pulmão e motivar outras doenças, como a pneumonia.

Tratamento

A sinusite pode ser aguda ou crônica. Pode ser causada por vírus, fungos ou bactérias.

O tratamento da sinusite varia de acordo com a sua classificação, que só pode ser diagnosticada por um médico.

Se causada por vírus, a lavagem nasal com soro fisiológico, várias vezes ao dia, associada ao uso de analgésicos ou anti-inflamatórios costuma promover alívio dos sintomas em poucos dias. No caso de sinusites agudas bacterianas, é recomendado o uso de antibióticos por período a ser determinado pelo médico. Em alguns casos de sinusite crônica, pode ser indicada cirurgia.

No caso de gripes, resfriados e processos alérgicos, algumas dicas podem evitar o surgimento de sinusite:

Beba bastante líquido - pelo menos 2 litros por dia

Lave o nariz com soro fisiológico, várias vezes ao dia

Evite o ar condicionado que, além de ressecar as mucosas e dificultar a saída da secreção, pode disse¬minar agentes infecciosos que contaminam os seios da face

Evite ambientes empoeirados, com muita umidade, mofo e sem sol, assim como carpetes, tapetes, livros, cortinas, bichos de pelúcia, ventiladores sujos e fumaça de cigarro.

Fonte: ams.petrobras.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal