Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Telecomunicações  Voltar

Telecomunicações

As telecomunicações no Brasil cresceram e se popularizaram nos últimos anos. O número de computadores e telefones celulares, a perspectiva gerada pela TV digital e o desenvolvimento tecnológico de dispositivos e equipamentos permitem vislumbrar um mercado promissor para os profissionais dessa área.

A condição emergente do mercado de trabalho e a falta de profissionais de mão-de-obra qualificada motivaram o CESET a criar em 2004 o Curso Superior de Tecnologia em Telecomunicações, em período integral e com duração de seis semestres. Este curso, portanto, visa suprir a demanda de profissionais qualificados para execução de serviços e projetos em sistemas de telecomunicações.

O profissional

O tecnólogo em Telecomunicações é um profissional preparado para atuar em diferentes funções ligadas às telecomunicações. Dentre elas, o planejamento, a implantação, a manutenção e o gerenciamento de projetos de sistemas de comunicações, abrangendo os principais segmentos como telefonia, transmissão, comunicação de dados, serviços celulares, tv a cabo, tv digital, serviços de telemática e outros sistemas emergentes, além de ensino e pesquisa.

O curso objetiva também a formação de um profissional empreendedor, capaz de interagir com a estrutura administrativa, assumindo a responsabilidade por sua gestão, controle e tomadas de decisões, sua vinculação com os fenômenos econômicos, sociais e tendências internacionais.

O Curso

O curso tem grupos de disciplinas voltadas às aéreas: Básica, Computação, Eletrônica, Telecomunicações e Administração. A parte Básica enfoca disciplinas de Matemática e Física, como cálculos I e II, álgebra linear, geometria analítica, estatística, cálculo numérico e físicas I e II. A parte de Computação engloba programação de computadores, sistemas operacionais e redes de telecomunicações. A Eletrônica básica também é um suporte fundamental neste curso e envolve estudos de circuitos elétricos, eletrônica analógica e digital e microcontroladores. O grupo de disciplinas de Telecomunicações fornece subsídios para o entendimento dos sistemas de telecomunicações em geral e inclui estudos de dispositivos ópticos, antenas, guias de ondas e dos equipamentos em evidência atualmente nas áreas de telefonia, redes ópticas e comunicação digital. As disciplinas da parte de Administração completam o currículo e abrangem temas como espírito empreendedor e gerenciamento de empresas.

Fonte: www.comvest.unicamp.br

Telecomunicações

O Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Telecomunicações, criado em setembro de 1999, ofereceu sua primeira turma no primeiro semestre do ano 2000.

A proposta do Curso está fundamentada pela comprovação de que toda a atividade intelectual, incluindo entre outras a produção científica, planejamento e administração de processos, assim como o projeto e a produção em escala industrial, tem hoje no uso da informática um elemento essencial de sucesso, mas que por si só não resolve os problemas que surgem a cada momento, se não existirem condições técnicas de integração entre as partes concorrentes de qualquer formulação produtiva.

É o setor de telecomunicações que possibilita esse interagir entre os indivíduos que se necessitam mutuamente para complementação de seus saberes e para a inovação nos processos de criação, proporcionando grandes modificações na vida das pessoas.

Onde atua?

O Tecnólogo em Sistemas de Telecomunicações é o profissional que está apto para trabalhar nas empresas que produzem ou vendem equipamentos e serviços de telecomunicações, tendo um grande campo de atuação nas empresas públicas e privadas que utilizam sistemas de radiotransmissão, telemática, telefonia fixa e celular, televisão aberta e a cabo, internet etc.

O que faz?

O Tecnólogo em Sistemas de Telecomunicações é o profissional de grau superior legalmente habilitado para dedicar-se ao desenvolvimento, operação e manutenção dos sistemas de telecomunicações.

Pode elaborar planejamento de implantação ou reformulação da infra-estrutura de telecomunicações, analisar sistemas operacionais e realizar pesquisa em laboratórios de eletrônica.

Juntamente com engenheiros, colabora em projetos de sistemas de transmissão de sinais via cabo, rádio e satélites. Pode contribuir para estudos de orçamento das empresas e para os programas de controle de qualidade.

Os requisitos pessoais que facilitam o desempenho profissional são: habilidade em cálculos, capacidade de raciocínio, objetividade e iniciativa.

Características pessoais úteis para o curso

Os requisitos pessoais que facilitam o desempenho profissional são: habilidade em cálculos, capacidade de raciocínio, objetividade e iniciativa.

Fonte: www2.cefetrs.tche.br

Telecomunicações

O Curso Superior de Tecnologia em Telecomunicações leva em conta as mais recentes atualizações da Lei de Diretrizes Básicas da Educação (L.D.B.) e a preocupação com a realidade que se defronta hoje o profissional em um mundo globalizado, em constantes mudanças, que obriga as instituições educacionais a tornarem seus currículos flexíveis, de modo a formarem profissionais com visão empreendedora, crítica e criativa e que, embora adquiram uma especialização, necessitam também de uma formação que possibilite uma atuação generalista.

Desta forma o profissional estará apto a discutir os problemas atuais e prestar serviços de interesse à comunidade, estimulando-o a uma permanente vontade de aperfeiçoamento.

O Profissional de Telecomunicações

O Tecnólogo em Telecomunicações deve ser um profissional preparado para atuar em diferentes funções ligadas às telecomunicações. Dentre essas funções incluem-se o planejamento, a implantação, a manutenção e o gerenciamento de projetos de diferentes sistemas de telecomunicações, abrangendo os principais segmentos como telefonia, transmissão, comunicação de dados, serviços celulares, tv a cabo, tv digital, serviços telemáticos e outros sistemas emergentes, ensino e pesquisa. Como exemplos da empregabilidade desses profissionais pode-se citar o enorme mercado de trabalho surgido com a Internet, o telefone celular e os canais de tv por assinatura os quais, só recentemente, tem contado com profissionais especializados.

O objetivo é a formação de um profissional empreendedor, capaz de interagir com a estrutura administrativa e financeira das organizações, assumindo a responsabilidade por sua gestão, controle e tomada de decisão, sua vinculação com os fenômenos econômicos, sociais e tendências internacionais. Dessa forma, são definidas disciplinas de gestão organizacional com ênfase no empreendedorismo. O profissional deve, portanto, reunir condições técnicas para avaliação sistêmica das condições de implantação de um empreendimento e sua viabilidade técnica e econômica, possuindo, inclusive, atributos para a interpretação dos textos legais que regem o setor e que definem direitos e obrigações técnicas e fiscais. Deverá possuir a capacidade de definir os recursos de gestão necessários para implantação de um empreendimento, tendo como base a expectativa de absorção do produto/serviço pelo mercado, a expectativa de ganhos em função do preço praticado, dos custos de produção/concepção e do nível de tributos incidentes sobre sua atividade econômica.

Reconhecimento

Reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação, processos CEE 309/2005 e 404/2005, publicado no DOE em 24/11/2005 - Seção I - pgs.14,15. Res. SE 28/11/2005, DOE 29/11/2005 - Seção I - pg. 12. Port. CEE 395/2005 de 29/11/2005, DOE 30/11/2005 - S. I. - pg. 20.

Fonte: www.ceset.unicamp.br

Telecomunicações

Tecnólogo

Esse tecnólogo desenvolve e implanta sistemas de transmissão de sinais digitais e analógicos por meio de satélites, cabos metálicos, fibras ópticas e microondas. Aprimora o padrão de qualidade dos sinais e controla os equipamentos de difusão de emissoras AM e FM, TVs por assinatura e de serviços de comunicação via rádio. Também atua nas redes de telefonia fixa e móvel, gerencia a operação, estuda a viabilidade de sistemas e acompanha o cabeamento e a conexão de telefones, o teleprocessamento e a comunicação de dados a distância. Planeja, ainda, a utilização de redes LAN, WAN, internet e intranet. Pode analisar projetos de telecomunicações, dar suporte técnico e operar sistemas que envolvam fibras ópticas, antenas e satélites.

O mercado de trabalho

No final de 2007, o Brasil atingiu a marca de 112 milhões de aparelhos celulares, um crescimento de 22% em relação ao ano anterior. Tanto operadoras de telefonia celular e fixa, como empresas fornecedoras de redes de telecomunicações, estão sempre em busca de profissionais qualificados. As ofertas estão espalhadas por todo o país, mas o maior número de vagas concentra-se em São Paulo e no Rio de Janeiro, sedes das principais empresas do setor. A chegada da TV digital e a popularização da telefonia via internet também aquecem o mercado. Há procura pelo profissional ainda, nos estados que pretendem sediar jogos na Copa do Mundo de Futebol, em 2014, os quais se preparam para garantir a qualidade das transmissões em alta definição para o mundo inteiro. Pólos tecnológicos localizados na Paraíba, na Bahia, em Pernambuco, no Paraná, em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul também requisitam o tecnólogo.

O curso

Como os aparelhos de telecomunicações dependem muita da informática, os cursos dão ênfase cada vez maior às disciplinas que integram telefonia e redes de computadores. Desde o primeiro ano você encara eletrônica, elétrica, banco de dados e programação de computadores. Do segundo ano em diante predominam matérias práticas, como transmissão de dados, sistemas irradiantes, novas tecnologias e teleprocessamento. Os laboratórios de informática, redes de computadores, circuitos elétricos, propagação de sinais e telecomunicações ocupam cerca de 50% das aulas. O estágio costuma ser obrigatório, mas nem toda escola exige trabalho de conclusão. No geral, o aluno desenvolve um projeto a cada semestre.

Duração média

Três anos.

Fonte: guiadoestudante.abril.com.br

Telecomunicações

Profissões ligadas às telecomunicações têm grande potencial de emprego, em especial no Brasil, que está investindo como nunca no setor. Com a recente privatização do sistema de telefonia, o número de linhas fixas duplicou e o de celulares será multiplicado por quatro. E isso é só uma fatia desse mercado, que também engloba TV a cabo, transmissões por satélite, rádio, internet, fibras ópticas e microondas. É nesse segmento que o tecnólogo formado em telecomunicações atua. O curso é parecido com o de engenharia de telecomunicações: muita física, matemática, elétrica e eletrônica e disciplinas específicas. O profissional trabalha com transmissão, recepção e codificação de sinais digitais, dados, imagem ou som. Cabe a ele planejar, controlar, supervisionar e gerenciar redes, sistemas de sinais, ondas e linhas; sistemas de comunicação digital e sistemas telefônicos. Esse tecnólogo ainda elabora e supervisiona projetos de implantação ou reformulação de equipamentos de telecomunicações. Pode fazer monitoramento e rastreamento de tráfego aéreo, naval ou terrestre. Outra possibilidade é monitorar satélites meteorológicos. Há oportunidades em pesquisa, serviços e empresas fabricantes de software. Esse tecnólogo pode empregar-se em empresas operadoras de telefonia fixa e móvel, fabricantes de equipamentos para redes, informática e telefonia, instaladoras de redes internas e externas, telecomunicação por satélite ou cabo e várias outras indústrias ligadas ao setor, além de emissoras de rádio e televisão.

A profissão

O tecnólogo em Telecomunicações desenvolve projetos e implanta sistemas de transmissão de sinais digitais e analógicos por meio de satélites, cabos metálicos, fibras ópticas e microondas. Ele aprimora o padrão de qualidade dos sinais e controla os equipamentos de difusão de emissoras AM e FM, TVs por assinatura e serviços de comunicação via rádio. Também atua nas redes de telefonia fixa e móvel, gerenciando sua operação, estudando a viabilidade de sistemas e acompanhando o cabeamento e a conexão de telefones, o teleprocessamento e a comunicação de dados à distância, planejando a utilização de redes LAM, VAM, internet e intranet. Pode, ainda, analisar projetos de telecomunicações, dar suporte e operar sistemas que envolvem fibras ópticas, antenas e satélites. É preciso obter o registro no Crea para trabalhar.

Duração média do curso

Quatro anos.

Fonte: www1.uol.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal