Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Terapia Ocupacional  Voltar

Terapia Ocupacional

O que é?

É caracterizada como uma profissão da área da saúde que promove o desenvolvimento, tratamento e a reabilitação de indivíduos ou grupos que necessitam de cuidados físicos (adaptações, órteses, deficiência física, etc.), sensoriais (audição, visão, memória, etc.), psicoemocional (doença mental, deficiência mental, problemas emocionais, etc.) e/ou sociais (crianças, adolescentes, adultos, idosos, trabalhadores, portadores de HIV, usuários de drogas, etc.), de modo a ampliar seu desempenho e participação social, através de procedimentos que envolvam a Atividade Humana, onde a interação entre o terapeuta e o paciente resulte na melhoria do problema em questão.

É a área que procura promover a saúde e/ou reabilitar pessoas utilizando a ação através de atividades lúdicas, artísticas, artesanais, vocacionais e de automanutenção como instrumento terapêutico

Terapia Ocupacional

Terapia Ocupacional é uma área da saúde que tem como principal objetivo auxiliar pessoas com dificuldades de adaptação à vida em sociedade devido a problemas físicos, sensoriais, psicológicos, mentais ou sociais, sejam elas temporárias ou definitivas.

O terapeuta ocupacional ensina o paciente a executar tarefas para desenvolver uma vida integrada à sociedade. Ele elabora, acompanha e avalia os tratamentos por meio de atividades de recreação, criativas e sociais no cotidiano do paciente.

Um exemplo é o tratamento realizado com crianças portadoras de problemas neurológicos que ficaram com sequelas motoras. O profissional desenvolve atividades sensoriais, como o desenho e a pintura, para estimular o raciocínio e a percepção, com o objetivo de tornar o paciente mais independente.

É importante para o profissional desenvolver um bom controle emocional, já que vai lidar com problemas sérios, nem sempre fáceis de serem encarados. Precisa ser comunicativo e ter facilidade de trabalhar em equipe, pois é bastante comum realizar projetos junto com outros profissionais de saúde.

A Profissão

O terapeuta ocupacional trata indivíduos com dificuldade de adaptação à vida em sociedade devido a problemas físicos, mentais e emocionais.

Elabora planos de recuperação e adaptação social, criando e aplicando exercícios físicos, brincadeiras, ensinando métodos e técnicas de trabalho a pacientes com dificuldades psicológicas, motoras e de aprendizagem, doentes, detentos e marginalizados em geral.

Trabalha em clínicas, asilos de idosos, penitenciárias e centros de saúde. É necessário o registro no Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

Características que ajudam na profissão

Concentração, criatividade, sensibilidade, paciência, interesse pelos problemas humanos, equilíbrio emocional, facilidade de lidar com pessoas.

O Profissional

Este profissional trata das pessoas que têem ou estejam com dificuldades de adaptação social, problemas mentais, emocionais e ou problemas físicos.

Através de exercícios físicos, jogos pedagógicos e lúdicos desenvolve exercícios físicos que auxiliem no tratamento. Desenvolve atividades sensoriais.

Terapeuta ocupacional é o profissional da área da saúde que trabalha a psicologia, juntamente com a fisioterapia e a fonoaudiologia, com o objetivo de promover qualidade de vida ao paciente.

Esse profissional trata pessoas com dificuldades de adaptação à vida em sociedade devido a problemas físicos, mentais e psicológicos. Ajuda na adaptação ou readaptação dos pacientes, ensinando-os a executar tarefas e desenvolver uma vida integrada à sociedade.

O Terapeuta elabora, acompanha e avalia os tratamentos, introduzindo atividades de recreação, criativas e sociais no cotidiano do paciente. Com crianças portadoras de problemas neurológicos que deixaram sequelas motoras, por exemplo, o terapeuta desenvolve atividades sensoriais, como o desenho e a pintura, com a intenção de estimular o raciocínio e a percepção, tornando-o mais independente.

O Terapeuta Ocupacional precisa ter controle emocional, já que está sempre lidando com problemas sérios, nem sempre fáceis de serem encarados. Precisa ser comunicativo e ter facilidade de trabalhar em equipe, pois é comum trabalhar com outros profissionais da saúde.

O Terapêuta Ocupacional

Avalia o paciente e elabora o diagnóstico terapêutico ocupacional (avaliação cinético - ocupacional) de pacientes que, por disfunções de origem física, mental e/ou social, ou pelo processo de envelhecimento, apresentam alterações de suas funções.

Ensina e dirige atividades especializadas como artes e ofícios, horticultura, biblioteca, teatro, dança, música, jogos, atividades de vida diária (vestuário, higiene etc.), com o objetivo de dar aos pacientes condições para que voltem a ser ativos, independentes e participantes no seu ambiente social, doméstica, trabalho e de lazer.

Pode atuar na área Pediátrica, coordenando trabalhos de estimulação precoce em crianças com problemas motores.

Na área de Deficiência Mental, atua com os pacientes no sentido de desenvolver e melhorar sua capacidade e seu estado físico e psicológico.

Com deficientes físicos, atua com a estimulação motora no sentido de ensinar pessoas que têm algum comprometimento físico tornando-os aptos a viver em sociedade.

Realiza orientação de pais e familiares dos pacientes, indicando a melhor maneira de ajudá-los.

Quem precisa de um Terapeuta Ocupacional?

Recém-nascidos, crianças, adolescentes, adultos e idosos, que apresentem desordens temporárias ou crônicas de origem psicoemocional, social, sensorial e/ou física; dificuldades em realizar as tarefas cotidianas (alimentação, higiene, vestuário e locomoção); pessoas em situação de risco social; portadores de necessidades especiais; programas de: saúde do profissional, saúde da mulher, saúde da criança; saúde do adulto e idoso; saúde mental; recuperação física, reintegração social; neonatologia; neurologia; oncologia; queimados.

Áreas de Atuação

Estuda a Atividade Humana em seus diversos aspectos e desdobramentos, utiliza como recurso terapêutico diferentes tipos de atividades (auto-expressivas, lúdicas, artesanais,laborais, etc), bem como utiliza órteses e tecnologia assistivapara prover adaptações em utensílios e no ambiente, afim de auxiliar o indivíduo a realizar as atividades que precisa ou queira fazer.

As áreas de atuação profissional são:

Ambulatórios;
Atenção domiciliar;
Centros de convivência;
Centros de saúde;
Centros de reabilitação;
Clínicas especializadas;
Consultórios e clínicas particulares;
Comunidades;
PSFs, creches;
Empresas;
Escolas;
Hospitais (dia, geral);
Instituições penais;
Instituições geriátricas;
Institutos de pesquisa científica.

O Mercado de Trabalho

O campo de atuação dos terapeutas ocupacionais está diretamente relacionado à política de saúde, de educação e outros programas sociais, que podem favorecer ou não o mercado para este profissional. As oportunidades serão melhores sempre que forem definidas ações de prevenção e tratamento de deficiências, bem como projetos visando a inclusão social de grupos sociais desfavorecidos.

O mercado de trabalho abrange hospitais, clínicas, centros de reabilitação, unidades básicas de saúde, escolas, presídios, creches, clubes, academias, consultórios e oficinas terapêuticas.

Há muitas vagas no setor público, mais os salários ainda são baixos. Hoje, as áreas que oferecem mais oportunidades são as de saúde mental, saúde do idoso e saúde do trabalhador, além do ensino em cursos superiores.

Até bem pouco tempo atrás, a área de atuação para o terapeuta ocupacional se concentrava nos grandes centros urbanos. Atualmente, a criação de projetos que são gerados e executados nos municípios tem permitido a descentralização das ofertas de trabalho.

O Curso

O curso de terapia ocupacional forma o profissional agente de mudanças, crítico e criativo, com fundamentação teórica e conhecimento sólido, apto a integrar equipes de saúde. A estrutura curricular abrangente inclui conteúdos das ciências psicossociológicas, biológicas e ocupacionais.

O terapeuta ocupacional dedica-se ao conhecimento das ocupações humanas, que não se resumem ao trabalho produtivo, compreendendo todas as atividades ligadas ao auto cuidado, trabalho e lazer. O profissional precisa conhecer as atividades realizadas pelo paciente, ou seu desempenho ocupacional, considerando as perspectivas individual e social, de acordo com sua faixa etária e o contexto sócio-econômico e cultural em que se insere.

O terapeuta ocupacional atua nos programas de saúde coletiva, mental, escolar, infanto-juvenil, do adulto, trabalhador, idoso e família. Os locais de atendimento são os hospitais gerais e especializados (pediatria, neurologia, traumatologia, oncologia dentre outros), centros de reabilitação, instituições psiquiátricas, centros de convivência, postos de saúde, clínicas de geriatria, escolas especializadas, centros de recuperação de dependência química, instituições asilares e penais, consultórios, domicílios e empresas.

Entre as disciplinas do currículo estão: anatomia, biologia, farmacologia, enfermagem, psicologia, pediatria, oftalmologia, terapia ocupacional aplicada à educação, à saúde mental e às condições sociais. No último ano, os estudantes estagiam em hospitais ou centros de saúde.

A formação do terapeuta inclui disciplinas práticas a partir do segundo ano e o estágio obrigatório em comunidades, hospitais, centros de saúde, asilos e centros de reabilitação no último ano.

A profissão é regulamentada pelo Decreto-lei 938, de 13/10/1969.

Duração média do curso: 04 anos.

Fonte: www.unifra.br/www.fumec.br/www.cfh.ufsc.br/www.gapsi.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal