Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Terra  Voltar

Terra

Terra

Raio equatorial = 6378 km

Massa = 5,97E24 kg = 1,0123 massas terrestres = 1/328900,5 massas solares

Densidade = 5,5 g/cm^3

Período de rotação = 23 h 56 min 04,1 s

Inclinação do equador = 23,44°

Achatamento = 0,003353

Temperatura = 300 K

Albedo geométrico = 0,367

Magnitude absoluta = -3,86

Número de satélites conhecidos = 1

A Terra é o terceiro planeta a partir do Sol, e forma com o seu satélite, a Lua, uma espécie de planeta duplo. Excetuando-se Caronte, satélite de Plutão, é o satélite que apresenta maior tamanho comparado ao planeta.

A Terra é o único planeta conhecido até agora que apresenta água no estado líquido, ou seja, a temperatura se encontra entre o ponto de congelamento e o de ebulição da água; esta água na forma líquida é fundamental para a existência de vida da forma que conhecemos atualmente.

O diâmetro da Terra é de 12000 km. No seu centro há um núcleo de ferro-níquel, a altas temperatura, pressão e densidade. Este núcleo é suposto líquido (devido a inexistência de ondas S abaixo de 3000 km, as ondas S não se propagam em líquidos), mas haveria um núcleo mais interno que seria sólido (já que as ondas P têm sua velocidade modificada a uma profundidade de 5000 km, isto indica que a onda passou de um meio para outro diferente).

Este núcleo é envolvido pelo manto, formado por silicatos, que a altas pressões se comporta como um líquido viscoso.

Exterior ao manto há a crosta, mais fina sob os oceanos e mais grossa nas montanhas (a espessura varia de 12 a 65 km) que flutua sobre este, permitindo o movimento de placas tectônicas. Há 200 milhões de anos atrás os continentes estavam unidos formando um protocontinente denominado Pangea. Hoje em dia o movimento destas placas continua, fazendo com que a América do Norte se afaste alguns centímetros por ano da Europa. Montanhas se formam nas regiões onde duas placas colidem, o movimento da placa onde está a Índia em relação a de onde se encontra o restante da Ásia faz com que o Himalaia aumente levemente de altura com o tempo. Na região onde há divisões de placas, uma pode sobrepor suas extremidades a de outra, gerando os terremotos, os terremotos ocorrem em regiões mais profundas nos continentes e em regiões mais próximas da superfície nos leitos marinhos, devido a diferença de espessura da crosta nestas regiões. A superfície solida também pode se deformar sob influência do clima (erosão) e pela ação humana.

A maior parte da superfície terrestre é coberta por água, que teve sua origem da condensação do vapor de água eliminado em erupções vulcânicas.

A atmosfera primordial da Terra não possuia oxigênio, mas este surgiu a partir de processos químicos orgâncos ocorridos nos oceanos, o dióxido de carbono existênte está agora concentrado principalmente em rochas. Atualmente a atmosfera é composta principalmente de nitrogênio (77%) e oxigênio (21%), ocorrem em menor proporção dióxido de carbono, argônio e vapor d'água. A camada mais baixa da atmosfera é a troposfera (0 até 8-10km), é onde ocorrem a maior parte dos fenômenos atmosféricos. Acima está a estratosfera (até 60km), onde a temperatura baixa em relação a camada anterior; é na estratosfera que se encontra a camada de ozônio que protege o planeta da radiação ultravioleta emitida pelo Sol. A fronteira entre as duas camadas citadas anteriormente é dita Tropopausa. Acima da estratosfera encontra-se a ionosfera, região onde ocorre a aurora; esta região é fundamental para a comunicação por rádio, já que reflete as ondas de volta à Terra. Acima está a exosfera.

O fenômeno atmosférico mais comum é o arco-íris, que é causado pela refração da luz em gotas d'água, onde a luz é decomposta em seu espectro.

O arco-íris sempre se encontra em direção oposta ao Sol,mas também pode ser causado pela luz refletida pela Lua. Quando a luz é refletida pelos cristais de gelo existentes na atmosfera ocorre um fenômeno conhecido por halo, que é um círculo ou partes de um em torno do Sol ou da Lua. A aurora é um fenômeno que ocorre próximo às regiões polares, e é causado pelo movimento de partículas carregadas emitidas pelo Sol, quando aprisionadas pelo campo magnético terrestre, que as força a se moverem em direção aos polos.

A Terra possui um campo magnético que é gerado por movimentos de seu núcleo, o campo é uma espécie de dipolo, inclinado 11° do eixo da Terra, ou seja, o polo magnético não coincide com o geográfico. A localização dos polos magnéticos é alterada com o tempo, os polos norte e sul já inverteram suas posições diversas vezes.

A Terra possui um satélite natural, a Lua.

Fonte: www.geocities.com

Terra

Terra

Sem dúvida, a característica distinta da Terra é sua capacidade de criar vida. A superfície deste planeta azul, cuja cor resulta de sua atmosfera essencialmente nitrogenada, está coberta 70% por água, que é o elemento fundamental para a matéria viva. A atmosfera protege os organismos de meteoritos e de radiações solares e extra-solares nocivas, fornece o ar adequado para a respiração e regula temperaturas confortáveis. Os velozes movimentos da Terra, assim como o funcionamento sincronizado e independente de todos os seus sistemas a convertem numa perfeita aeronave, com aspecto de bolha, que transporta a vida pelo espaço sideral.

A terra gera um importante campo gravitacional, não tem anéis e tem somente um satélite natural: a Lua.

DADOS TÉCNICOS

DIÂMETRO EQUATORIAL: 12.756 km

DISTÂNCIA MÉDIA DO SOL: 150.000.000 km

PERÍODO DE TRANSLAÇÃO (ANO): 365 dias e quase 6 horas

PERÍODO DE ROTAÇÃO (DIA): 23 horas e 56 minutos

PRINCIPAIS COMPONENTES ATMOSFÉRICOS: nitrogênio e oxigênio

TEMPERATURA SUPERFICIAL: máxima 56° C, mínima -88° C

DENSIDADE: 5,52 g/cm3

GRAVIDADE: 1g = 9,8 m/s2

SUPERFÍCIE

O pequeno planeta Terra apresenta 70% de sua superfície coberta por água.

Os 30% restantes é constituído pelos continentes, sendo o cenário da única civilização até agora conhecida: A humana.

A dinâmica tectônica é o movimento das grandes placas subjacentes e os agentes externos de erosão (os cursos de água, o vento e a dispersão mecância) modelam o relevo. Em conseqüência, o planeta está em constante evolução. Planícies, planaltos, montanhas e vales modificam-se com o tempo, de acordo com as forças internas do planeta, com a água e atmosfera. A superfície da Terra é parte da biosfera. A vida nos mares, rios e continentes, acompanha o processo.

ATMOSFERA

A terra possui uma atmosfera sumamente dinâmica, que interage com as terras e as águas superficiais.

Sua composição química perto da superfície, o ar que respiramos, inclui 78% de nitrogênio e 21% de oxigênio. O resto é vapor de água, pó em suspensão e gases raros (como néon, crípton, e xenônio).

A proporção de dióxido de carbono- mesmo pequena com somente 0,03%- causa o efeito estufa, que retém o calor solar fazendo-o circular novamente na atmosfera, na medida em que se torna adequado para a vida. A atividade industrial do homem ocasiona a vertiginosa incorporação na atmosfera de outros gases do efeito estufa, que por sua vez, geram, infelizmente, o famoso aquecimento global. Do mesmo modo, o uso do cloro-flúor-carbono (CFC) como ingrediente de aerossóis ou refrigerantes degrada a fina camada de ozônio, que protege a vida das radiações ultravioletas do Sol.

Na atmosfera ocorrem muitos fenômenos meteorológicos e também uma imensa quantidade de meteoritos que diariamente se precipitam e são destruídos por fricção.

CAMPO GRAVITACIONAL

A terra possui um núcleo ferroso que, junto com a rápida rotação do planeta, causa o efeito dínamo. Esse efeito se expressa na eração de um campo magnético, a chamada magnetosfera. A magnetosfera da Terra rodeia o planeta e o protege do vento solar, formado por partículas carregadas emitidas pelo Sol. O comportamento da agulha magnética de uma bússola, por exemplo, e a aparição de auroras polares em altas latitudes, são provas da existência da magnetosfera.

Fonte: bruno.rosenthal.vilabol.uol.com.br

voltar 12345678avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal