Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  entendendo a tpm tensão pré-mentrusal  Voltar

Entendendo a TPM

Dias de fúria: entenda a TPM

Na hora de escolher suas vítimas, a TPM não escolhe cor, religião, classe social ou profissão.

O que se sabe é que a média de idade de início da TPM é por volta dos 26 anos de idade, e a tendência é que ela vá se agravando ao longo dos anos.

As mulheres mais sujeitas a este problema são aquelas que sofrem de algum episódio depressivo ou possuem algum parente com problemas de humor, assim como aquelas que tiveram depressão pós-parto.

Outras causas médicas apontadas como agravantes da TPM são anemia, distúrbio autoimune, hipotireoidismo, diabetes, epilepsia, endometriose, síndrome da fadiga crônica e doenças do colágeno.

A causa da TPM, em si, não é conhecida, mas pelas características está intimamente relacionada à elevação do estrogênio na fase pré-menstrual ou a queda da progesterona.

Contudo, esses dois fatores não são os únicos envolvidos: esses hormônios podem afetar as neurotransmissões e aí então causar os sintomas psiquiátricos.

Pode também afetar os receptores fora do Sistema Nervoso Central, provocando os diversos outros sintomas.

Um dos aspectos que mais instigam os cientistas é justamente esse: a identificação das causas desse turbilhão.

Não há uma única alteração que explique as modificações, afirma a ginecologista Mara Diegoli, coordenadora do Centro de Apoio à Mulher com TPM do Hospital das Clínicas de São Paulo.

O que se sabe até agora é que a síndrome é causada por vários fatores.

A oscilação hormonal do ciclo menstrual é um deles. Ao longo do mês, os níveis de estrógeno e progesterona - hormônios femininos - se alteram. Durante a menstruação, os dois estão em baixa concentração.

Logo depois, o nível de estrógeno sobe até atingir níveis máximos por volta do 14º e 15º dias do ciclo.

É nesta fase que ocorre a ovulação. A partir daí, sua produção diminui até níveis muito baixos cerca de dois dias antes da menstruação. Mas é quando o estrógeno cai que se eleva a fabricação da progesterona.

E é exatamente pelo fato de que a TPM se manifesta a partir do 14º, 15º dia do ciclo que se crê que a progesterona esteja relacionada à síndrome.

Quais os tipos de TPM?

Existe mais de um tipo de TPM. No total, são quatro variações.

É importante salientar que os sintomas podem manifestar-se isoladamente ou em combinação variável.

TPM do Tipo A: o sintoma principal é a ansiedade. Porém, podem aparecer a agressividade, irritabilidade, tensão nervosa e aquela sensação de estar no limite.

TPM do Tipo H: prepondera à retenção hídrica. Neste tipo, são comuns alterações físicas, como o inchaço, volume no abdômen, dores mamárias e ganho de peso.

TPM do Tipo C: a cefaléia (dor de cabeça) destaca-se entre os demais sintomas. Pode também, apresentar a fadiga e o aumento de apetite (principalmente os doces).

TPM do Tipo D: a depressão é o principal sintoma. Está associada à insônia, ao choro fácil, ao desânimo e ao esquecimento.

Como se identifica a TPM?

Para caracterizá-la, durante o intervalo de 12 meses, a mulher deverá ter apresentado na maioria dos ciclos pelo menos cinco dos sintomas abaixo:

Fonte: www.sitemedico.com.br

Entendendo a TPM

O que é TPM (Tensão Pré-Menstrual)?

Entenda o que acontece com as mulheres nessa fase do ciclo.

Descrição

Perigo! Ansiedade, depressão, agressividade, insônia, perda de concentração, retenção de líquidos, dores na região pélvica e nos seios, enxaqueca, gases, alterações de humor e cansaço. A mulher que nunca sentiu nada disso às vésperas da menstruação pode considerar-se uma eleita. A maioria, porém, já viveu em algum momento os horrores da tensão pré-menstrual, a fatídica TPM.

Vista com ironia por muitos homens, temida por quase todas as mulheres, a TPM já foi até motivo de piada na televisão, num humorístico em que a atriz Andréa Beltrão vivia a “garota TPM”, uma personagem que estava sempre de mal com a vida e disposta a arrumar confusão por onde passasse. Ironias e brincadeiras de mau gosto à parte, a TPM é assunto sério e motivo de muitos estudos médicos. A síndrome foi definida nos anos 50, pela médica britânica Katharina Dalton, mas começara a ser objeto de estudo na década de 30.

Causas

Calcula-se que, no mundo, 40% das mulheres sofram de TPM, mas os sintomas e a intensidade deles variam acentuadamente. Ao longo dos últimos anos, pesquisadores continuam tentando compreender este conjunto de sintomas que atinge as mulheres de sete a 14 dias antes da menstruação e só costumam desaparecer 24 horas depois do seu início.

A causa da TPM ainda não foi descoberta. Embora os sintomas estejam claramente ligados às taxas de hormônios, não foi diagnosticado nas mulheres com TPM um nível de hormônios diferente daquelas que não sofrem do mal.

Tratamentos

Normalmente, as mulheres com TPM convivem com os sintomas durante anos até pensarem em se tratar. A primeira fase do tratamento consiste basicamente em adquirir hábitos mais saudáveis – capazes de reduzir drasticamente os desagradáveis efeitos de alguns sintomas.

Entre estes hábitos estão praticar exercícios regularmente, eliminar a cafeína – estimulante que pode aumentar a sensação de cansaço –, largar o cigarro, evitar excesso de bebidas alcoólicas (que podem acentuar sintomas como depressão e enxaqueca), e buscar formas de reduzir o estresse. Medidas saudáveis, e não só para as mulheres, aliás.

Embora nada possa ainda ser anunciado para a cura total da TPM, alguns alimentos parecem piorar os sintomas, enquanto outros podem aliviá-los. Uma dieta rica em potássio e carboidratos ajuda a eliminar o inchaço. Diminuir o sal e aumentar a ingestão de líquidos também contribui para aliviar este sintoma.

Alguns estudos mostraram que uma dieta rica em cálcio e vitamina B6 durante a TPM pode também ajudar a reduzir a retenção de líquidos e aliviar as crises de mau humor. Alguns pesquisadores sugerem ainda a ingestão de suplementos de vitaminas e minerais para combater os gases e a depressão.

Se bater aquele desejo irresistível de comer doces durante a TPM, encha seu prato de carboidratos, os que são ricos em fibras, como o pão integral, que ajudam a eliminar do organismo o excesso de estrógeno. Em altas doses, o estrógeno piora os sintomas da TPM. Também está comprovado que alimentos com carboidratos aliviam a tensão, a ansiedade e as crises de mau humor tão comuns às vítimas da TPM.

Alguns medicamentos são também indicados, mas nenhum é capaz de eliminar completamente os sintomas. Contraceptivos orais aliviam os sintomas de algumas mulheres, mas pioram os de tantas outras. Analgésicos, diuréticos, antidepressivos e sedativos também podem ser indicados em alguns casos. Suplementos de progesterona podem ajudar a eliminar problemas como retenção de líquidos, gases e cansaço.

Entretanto, os efeitos duram apenas cerca de seis meses. Depois disso, a progesterona pode acabar agravando alguns dos sintomas e causando irritabilidade. Alguns antidepressivos também mostraram-se capazes de controlar parcialmente certos sintomas. Estudos atuais tentam verificar se é eficaz a ingestão destes medicamentos apenas na semana anterior à menstruação, em vez de a mulher ter que tomá-los diariamente. De qualquer forma, converse com seu médico sobre as vantagens e desvantagens do uso destes remédios.

Fonte: www.saudenarede.com.br

Entendendo a TPM

TPM (Tensão Pré-Menstrual)

A tensão pré-menstrual (TPM) é um conjunto de sintomas físicos, psicológicos e emocionais que muitas mulheres sentem no período que antecede a vinda da menstruação, geralmente uma a duas semanas antes do início do ciclo menstrual. Normalmente os sintomas desaparecem logo depois que ocorre a menstruação.

Durante o ciclo menstrual, muitas mudanças ocorrem no corpo da mulher e elas podem provocar alterações de humor, câimbras e vários outros sintomas. A tensão pré-menstrual (TPM) ainda é uma complexa condição não completamente entendida. Acredita-se que é provocada pelas mudanças nos níveis de progesterona e estrogênio.

A tensão pré-menstrual (TPM) é uma condição comum para mulheres em seus anos reprodutivos. Estima-se que três em cada quatro mulheres que menstruam apresentam a TPM de alguma forma. Esses problemas aparecem com mais frequencia nas mulheres entre 25 e 40 anos a tendem a ocorrer em um padrão previsível. No entanto, os sintomas sentidos na TPM podem ser mais ou menos intensos em cada ciclo menstrual.

Sintomas

Para muitas mulheres os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM) são uma parte desagradável comum de seus ciclos menstruais.

Os sintomas mais comuns associados a TPM são:

Embora a lista de sintomas seja longa, a maioria das mulheres sente apenas alguns destes problemas acima. Para algumas mulheres as dores físicas e o estresse emocional podem ser severos a ponto de afetar suas rotinas e atividades.

Causas

Estudos ligam os sintomas da TPM com altos níveis de estrogênio no corpo da mulher antes e depois da menstruação. As mulheres em pré-menopausa com altos níveis de estrogênio sentem a TPM de forma mais frequente e severa.

Exatamente o que causa a TPM ainda não é completamente entendido mas já se sabe que muitos fatores contribuem para essa condição. Mudanças cíclicas nos hormônios parecem ser uma importante causa porque os sintomas da TPM variam de acordo com flutuações hormonais e também desaparecem que a gravidez e menopausa.

Mudanças químicas no cérebro também parecem estar envolvidas. Isto porque estudos apontam que a causa está ligada também a flutuações de serotonina, um neurotransmissor do cérebro que desempenha um papel crucial no humor, especialmente na depressão. Quantidades insuficientes de serotonina podem contribuir ainda para outros sintomas da TPM como: cansaço, desejos por comida e problemas de sono.

As vezes, algumas mulheres com TPM severa apresentam depressão não diagnosticada, o que indica que a depressão é um fator agravante. Da mesma forma, o estresse também agrava os sintomas.

Alguns sintomas da TPM foram correlacionados a baixos níveis de vitaminas e minerais. Outros fatores que podem contribuir negativamente para TPM são: comer muito sal (que provoca retenção de fluídos) e beber álcool e bebidas com cafeína (que provoca alterações no humor e níveis de energia).

Como se livrar da TPM?

Você não precisa deixar que os problemas da TPM controlem a sua vida. Nos anos recentes, muito se descobriu sobre esta condição. Tratamentos e ajustes no estilo de vida podem ajudar a reduzir e controlar.

Como cada mulher é diferente, nenhum tratamento acaba com todos os sintomas da TPM em todas as mulheres. Por isso uma combinação das soluções abaixo pode ser o ideal para você.

Dieta e Estilo de Vida

Os sintomas parecem ser mais problemáticos para mulheres que fumam, levam uma vida estressante, raramente se exercitam, dormem pouco ou que a dieta tenha altos níveis de cafeína, álcool, sal, carne vermelha ou açúcar.

Vários estudos sugerem que dietas com baixos níveis de gordura e altos níveis de fibras podem ajudar a reduzir os sintomas da TPM.

Mulheres com TPM que correram em média 20 km por semana por 6 meses reduziram os sintomas da TPM incluindo redução na sensibilidade dos seios, retenção de líquidos, depressão e estresse. Os médicos frequentemente recomendam que mulher com TPM se exercitem regularmente para reduzir os sintomas.

Entenda seu corpo. Mantenha um diário para anotar mudanças físicas e emocionais que você tiver e quando elas acontecem no ciclo. Dessa forma você poderá compreender os sintomas, quando acontecem, avaliar a melhora nos sintomas e melhor conversar com seu médico.

Suplementos que podem ajudar

Vitamina B6

Muitos estudos mostraram que tomar 50 a 400 mg de vitamina B6 por dia por vários meses ajuda a aliviar os sintomas da TPM Uma analise dos mais controlados experimentos mostrou que a vitamina B6 é mais de duas vezes eficaz que placebo na redução dos sintomas da TPM. Muitos médicos sugerem 100 a 400 mg por dia por pelo menos três meses.

Vitex

Estudos mostraram que o fitoterápico Vitex ajuda a restabelecer o equilíbrio normal entre o estrogênio e a progesterona durante o ciclo menstrual. Vitex também bloqueia a secreção de prolactina em mulheres com níveis excessivos desse hormônio. Níveis excessivos de prolactina podem levar a sensibilidade dos seios e incapacidade de ovular. Um estudo duplo-cego confirmou que vitex reduz os níveis elevados de prolactina antes do inicio do ciclo menstrual. Estudos mostram que tomar vitex uma vez toda manhã por um período de alguns meses ajuda a normalizar o equilíbrio hormonal e assim aliviar os sintomas da TPM. Outros estudos duplo-cego mostraram que mulheres que tomaram 20 mg de extrato concentrado de vitex por dia durante três ciclos menstruais tiveram uma redução significativa nos sintomas da TPM. Duas pesquisas examinaram 1542 mulheres com TPM que tomaram um líquido de extrato de vitex para seus sintomas de TPM por até 16 anos. Tomando em média 42 gotas por dia, 92% das mulheres pesquisas relataram a eficacia de vitex como "muito bom", "bom" ou "satisfatório". Muitos médicos recomendam 40 gotas de concentrado de vitex por dia ou o equivalente em cápsulas pela manhã com algum líquido. Vitex deve ser tomado por pelo menos quatro ciclos para avaliar sua eficácia.

Cálcio

Mulheres que consomem mais cálcio são menos propensas a sofrer de TPM severa. Um amplo estudo duplo-cego descobriu que mulheres que tomaram 1200 mg de cálcio por dia durante três ciclos menstruais tiveram uma redução de 48% nos sintomas da TPM. Outros experimentos duplo-cego mostraram que suplementar com 1000 mg de cálcio por dia alivia os sintomas pré-menstruais.

GLA / Óleo de Prímula

Estudos mostram que mulheres que sofrem com TPM tem um problema na conversão de ácido linoleico (uma ácido graxo essencial) em ácido gama linoleico (GLA). Como a deficiência de GLA parece ser uma causa da TPM, pesquisadores afirmam que a suplementação com GLA ou óleo de prímula (muito rico em GLA) pode reduzir de forma significativa os sintomas da TPM. Em vários estudos duplo-cegos, o óleo de prímula mostrou ser muito benéfico. Muitos médicos recomendam óleo de prímula no tratamento da TPM. A quantidade normalmente recomendada é de 3 a 4 gramas por dia. Estudos indicam que o óleo de prímula funciona melhor após o uso por vários cíclos menstruais.

Magnésio

Mulheres com TPM tem uma tendência maior de serem deficientes de magnésio. A suplementação com magnésio pode ajudar a reduzir os sintomas. Em um estudo duplo-cego usando 200 mg de magnésio por dia durante dois meses foi relatado uma redução significativa nos sintomas relacionados a TPM (retenção de líquidos, ganho de peso, inchaço nas extremidades, sensibilidade nos seis e inchaço abdominal). Estudos indicam que magnésio é eficaz também na redução de sintomas de dores de cabeça relacionadas a TPM. A quantidade de magnésio ideal ainda está para ser determinada. No entanto, muitos médicos recomendam 400 mg por dia. Os efeitos do magnésio podem começar a aparece depois de dois a três meses.

Ginkgo Biloba

Um estudo duplo-cego mostrou que extrato de ginkgo biloba quando tomado diariamente desde o dia 16 de um ciclo menstrual até o dia 5 do próximo ciclo menstrual alivia os sintomas congestivos e psicológicos da TPM. O experimento usou 80 mg de extrato de ginkgo biloba duas vezes por dia.

Proteína de Soja

Estudos mostram que a soja é uma grande aliada da saúde menstrual por alterar favoravelmente os níveis de estrogênio e o metabolismo de estrogênio. Outros estudos mostram que a soja aumenta o tempo entre cada ciclo menstrual em 1 a 3 dias, assim criando menos oportunidades para a TPM ocorrer. Além disso, a soja pode causar um impacto positivo no metabolismo de estrogênio ao fazer o corpo produzir quantidades menores de metabolitos de estrogênio não-saudáveis. [42] Ou seja, o consumo de soja pode naturalmente equilibrar os níveis de estrogênio do corpo para ajudar a regularizar os níveis hormonais. Dois novos estudos da Inglaterra e Japão sugerem que as isoflavonas da soja são realmente eficazes contra a TPM. Os pesquisadores japoneses concluíram que os sintomas físicos da TPM melhoraram significativamente nas mulheres que consumiram isoflavonas de soja diariamente. O consumo de soja por vários meses pode ser necessário para começar a sentir os efeitos benéficos no equilíbrio dos níveis de estrogênio.

Isoflavonas Isoladas

Esta é uma forma de obter as isoflavonas isoladamente (sem proteínas ou outros nutrientes). Como você viu acima, as isoflavonas desempenham um papel no alívio dos sintomas da TPM.

Cimicifuga

O fitoterápico cimicifuga é amplamente usado na Alemanha por mulheres com TPM. Seu uso no mundo se popularizou em mulheres em menopausa mas também é muito usado por mulheres com TPM como antiespasmódico e anti-câimbras.

Vitamina E

Embora mulhers com TPM não pareçam ser deficientes em vitamina E um estudo duplo-cego mostrou que 300 IU de vitamina E por dia pode diminuir os sintomas da TPM.

Multivitaminicos

Diversos estudos com mutlivitaminicos (complexos de vitaminas e minerais) mostraram a capacidade destes em reduzir os sintomas da TPM. Um estudo especifico com um suplemento diário de vitamina B6 (600 mg), magnésio (500 mg), vitamina E (200 IU), vitamina A (25000 IU), vitaminas do complexo B e varias outras vitaminas e minerais mostrou bons resultados.

Fonte: www.corpoperfeito.com.br

Entendendo A TPM

TPM (Tensão Pré-Menstrual)

Segundo estatísticas, cerca de 85% das mulheres sofrem deste transtorno. As pessoas que convivem e se relacionam com estas mulheres também são afetadas.

O ciclo menstrual se divide em duas fases, a primeira que deve ser contada do 1º dia da menstruação até a ovulação, é a fase em que o corpo se prepara para uma possível fecundação, onde o hormônio estrógeno propicia bom humor, disposição, predisposição ao sexo, sedução e alegria. E a outra fase, regida pelo hormônio progesterona que mesmo que não haja uma gravidez, propicia introspecção, sensibilidade, sonolência, melancolia e invariavelmente inchaços. Hábitos alimentares, estresse e ansiedade, aliados a alterações hormonais desencadeiam sintomas desagradáveis que comprometem a qualidade de vida.

Existem 04 tipos de TPM

Tipo A

Sintomas - ansiedade, irritabilidade e oscilação de humor.

Inimigos - café, refrigerantes, laticínios e seus derivados, chocolate e bebidas alcoólicas.

Aliados - castanha do Pará, salmão, banana, ameixa, aveia, linhaça, azeite, pão integral, inhame e leite de soja.

Atividades - alongamento, exercícios respiratórios, yôga e massagem.

Tipo C

Sintomas - desejo de doce, dor de cabeça e fadiga.

Inimigos - açúcar, frutas muito doce, álcool e chocolate.

Aliados - pão integral, iogurte, figo, germe de trigo, tomate, saladas verdes, carne branca e leite de soja.

Atividades - caminhadas, natação, hidroginástica e massagem.

Tipo H

Sintomas - inchaço e dores nos seios e cansaço nas pernas.

Inimigos - laticínios e seus derivados e sal.

Aliados - água, tangerina, melão, melancia, água de côco, castanha do Pará, pão integral e leite de soja.

Atividades - caminhadas, natação, hidroginástica e massagem.

Tipo D

Sintomas - insônia, melancolia, depressão, perda de memória e confusão mental.

Inimigos - laticínios e seus derivados e álcool. Aliados - café (com moderação, de preferência no período da manhâ), castanha do Pará, pão integral, ovo, salmão, melão, tomate, germe de trigo e leite de soja.

Atividades - aulas de aeróbica, danças, caminhadas acompanhadas, hidroginástica e massagem.

Fonte: www.medchinesa.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal