Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Tensão Pré Menstrual, Página 3  Voltar

Tensão Pré-Menstrual

Também chamada de desordem disfórica pré-menstrual, ou carinhosamente TPM, atinge aproximadamente 75% das mulheres.

No entanto apenas 8% das mulheres tem sintomas muito intensos.

Sintomas da TPM

  1. depressão, sentimento de desesperança, pensamentos auto-depreciativos;
  2. ansiedade, tensão, nervosismo, excitação;
  3. fraqueza afetiva, tristeza repentina, choro fácil, sentimento de rejeição;
  4. raiva ou irritabilidade persistente, aumento dos conflitos interpessoais;
  5. diminuição do interesse pelas atividades habituais;
  6. sensação de dificuldade de concentração;
  7. cansaço, fadiga fácil, falta de energia;
  8. acentuada alteração do apetite;
  9. distúrbios do sono;
  10. sensação de estar fora do próprio controle;
  11. inchaço e/ou sensibilidade mamária aumentada;
  12. dor de cabeça;
  13. dores musculares;
  14. ganho de peso ou sensação de inchaço;

No entanto para ser considerada doença, e portanto sujeita a tratamento, é importante que estes sintomas de fato interfiram nas atividades habituais da mulher e que os mesmos ocorram na fase pré menstrual e não em todo o ciclo.

Causas da TPM

Muitas hipóteses tem sido feitas a respeito das causas desta doença mas, atualmente, o que parece prevalecer é que sejam influências hormonais normais do ciclo menstrual que interfiram no sistema nervoso central.

Parece haver uma íntima relação entre os hormônios sexuais femininos, as endorfinas (substâncias naturais ligadas a sensação de prazer) e os neurotransmissores tais como a serotonina.

É importante ressaltar que esta síndrome acompanha a menstruação normal da mulher.

Tratamento da TPM

Por se tratar de uma síndrome, não existem tratamentos específicos já que os sintomas variam muito de intensidade para cada mulher.

Resultados não cientificamente comprovados mostram que a vitamina B6 ( Piridoxina ), a vitamina E, o cálcio e o magnésio podem ser usados com melhora dos sintomas.

Outro medicamento é o ácido gama linoléico que é um ácido graxo essencial. Pode ser encontrado no óleo de prímula. Existem advertências sérias do FDA americano a respeito de medicações alternativas naturais e de possíveis efeitos colaterais graves, portanto este, como qualquer outro medicamento, mesmo "natural", só deve ser usado mediante prescrição médica.

Na verdade, este é o melhor caminho para o tratamento da TPM: Consultar um médico ginecologista e descrever para ele todos os sintomas que a mulher sente antes e depois da menstruação.

O melhor medicamento é o que, sozinho ou associado, reduza os sintomas. Como esta síndrome está ligada à ovulação, muitas mulheres podem se beneficiar do uso da pílula anticoncepcional que suspende a ovulação. Nos Estados Unidos, a FDA aprovou a pílula com Drosperinona e Etinilestradiol para mulheres que tem sintomas de TPM e desejam uma anticoncepção hormonal.

Leia também: Benefícios e usos terapêuticos da pílula anticoncepcional

Já nos casos graves de desordem disfórica pré-menstrual é necessária uma medicação mais específica sendo que a medicação usada com melhores resultados são os anti-depressivos. Estudos recentes mostram que esta medicação usada na menor dose possível e durante a fase de tensão pré-menstrual tem melhorado muito a qualidade de vida das mulheres que experimentam esta disfunção. Também nestes casos a pílula anticoncepcional com Drosperinona e Etinilestradiol pode ser usada.

O importante é que se entenda que esta não é uma doença mas sim uma alteração fisiológica do ciclo menstrual feminino e que pode ser resolvida com medidas simples por parte do seu médico assistente.

Fonte: www.gineco.com.br

Tensão Pré-Menstrual

Afetando a mulher não só na área ginecológica mas, também, nas áreas psicológica e social, a tensão pré-menstrual, conhecida pela sigla TPM, é uma série de sintomas bem desagradáveis que se manifestam antes da menstruação, começando por volta da metade do ciclo menstrual.

Esses sintomas pioram na véspera da menstruação e desaparecem quando ela termina. Se, por acaso, os sintomas continuam, é porque não trata de tensão pré-menstrual, indicando sintomas de outras patologias que podem piorar no período menstrual, como a depressão, o hipertireoidismo, a enxaqueca, a fadiga crônica ou a própria dor de cabeça.

CAUSAS

Hoje se acredita que a função fisiológica do ovário seja o gatilho que dispara os sintomas da TPM, alterando a atividade da serotonina, que é um neurotransmissor, no sistema nervoso central. Ou seja, o que parece prevalecer é que as causas sejam influências hormonais normais do ciclo menstrual que interfiram no sistema nervoso central. Parece haver uma íntima relação entre os hormônios sexuais femininos, as endorfinas (substâncias naturais ligadas a sensação de prazer) e os neurotransmissores como a serotonina.

SINTOMAS

São múltiplos, variando de mulher para mulher. Estão normalmente presentes irritabilidade (nevorsismo), depressão, insônia, dor nas mamas, dor de cabeça, desconforto abdominal, aumento de apetite, humor deprimido, dificuldade de concentração, acne (espinhas), palpitações, tonturas, choro fácil, “calorão”, inchaço ou dor nas pernas e alguns outros que, felizmente para as mulheres, não se apresentam simultaneamente.

PREVENÇÃO DA TPM

As medidas preventivas são muito importantes. Antes de tudo, é bom saber que a TPM não é grave e que os sintomas podem variar a cada ciclo. Nos hábitos alimentares, reduzir gordura, o sal, o açúcar e a cafeína, presente no café, no chá e nas bebidas à base de colas. Parar de fumar e reduzir drasticamente a ingestão de bebidas alcoólicas. Fazer exercícios físicos regulares ajuda muito, porque eles reduzem a tensão, a depressão e, ainda, melhoram a autoestima.

TRATAMENTO

Quando há irregularidade do ciclo menstrual, o médico deve fazer exame físico cuidadoso, pedir perfil bioquímico e hemograma, com o objetivo de excluir condições médicas que podem apresentar sintomas que simulem uma TPM. É importante, nos casos de exacerbação dos sintomas de comportamento, fazer um diagnóstico diferencial com outras condições.

O tratamento dever ser individualizado e contemplar o manejo específico de cada sintoma. Há notícias de bons resultados, ainda não cientificamente comprovados, que mostram que a vitamina B6 (piridoxina), a vitamina E, o cálcio e o magnésio podem ser usados com melhora dos sintomas. A TPM não é uma doença mas sim uma alteração fisiológica do ciclo menstrual.

Pode, com já se viu, ser resolvidas com medidas relativamente simples.

Fonte: www.assufemg.org.br

voltar 1 2 3 4 5 6 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal