Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Tensão Pré Menstrual, Página 5  Voltar

Tensão Pré-Menstrual

A tensão pré menstrual é um conjunto de sintomas físicos e comportamentais que causa sofrimento em grande parte das mulheres (DAUGHERTY, 1998; THYS-JACOBS, 2000).

Sendo assim, ela pode ser conceituada como a ocorrência repetitiva de uma série de alterações físicas, do humor, cognitivas e comportamentais tendo a presença de queixas de desconforto, irritabilidade, depressão ou fadiga, normalmente acompanhadas de intumescimento e sensação dolorosa dos seios, abdome, extremidades, além de cefaléia (dor de cabeça) e compulsão por alimentos ricos em carboidratos (VALADARES et al., 2006, MARVAN; CORTES-INIESTRA; 2001).

A tensão pré menstrual pode ser dividida em quatro categorias:

1) Ansiedade pré menstrual: que é caracterizada pela elevação dos estrogênios e baixa da progesterona no sangue, sendo os sintomas, ansiedade, irritabilidade, insônia e depressão.

2) Desejos alimentares pré menstruais: são caracterizadas por uma evidência de hipoglicemia reativa, sendo os sintomas, desejo de comer doces, aumento do apetite, cefaléia, palpitações e cansaço ou sensação de desfalecimento.

3) Depressão pré menstrual: é caracterizada pelo aumento dos níveis de progesterona mais tarde no ciclo menstrual e possível aumento dos hormônios masculinos (andrógenos). Os sintomas são depressão, esquecimento, confusão e letargia.

4) Retenção hídrica pré menstrual: caracterizada pela retenção de sódio e possivelmente elevação da aldosterona (hormônio que afeta a retenção de líquido). Os sintomas relacionados são ganho de peso acima de 1,4 kg, congestão de mamas, distensão abdominal e edema da face e extremidades.

Muitas condutas nutricionais são discutidas e estudadas com o objetivo de minimizar os sintomas da TPM. Um deles parece estar relacionado aos níveis de cálcio sérico. Supõe-se que uma ingestão aumentada de cálcio poderia prevenir as alterações no humor e após o período menstrual. Assim, um copo de leite magro extra por dia parece ajudar na prevenção destas alterações de humor (THYS-JACOBS, 2000).

Um estudo recente feito na Inglaterra demonstrou que mulheres que ingeriam alimentos contendo soja apresentavam uma melhora em alguns sintomas da TPM, como, dor de cabeça, dores nas mamas e diminuição do inchaço (BRYANT et al, 2005).

Outros alimentos são estudados para a recomendação nutricional deste período, como se segue:

Vitamina B6 - Contra enjôo, cefaléia e irritabilidade. Boas fontes: arroz integral, germe de trigo, aveia, amendoim, nozes, batata, banana, salmão, atum, fígado de boi.

Proteína de soja – Parece diminuir sintomas como cefaléia, dores nas mamas e diminuição do inchaço. Boas fontes: alimentos enriquecidos com a proteína de soja como, sucos, bolachas, pães e barra de cereais.

Vitamina E - Evita cefaléia, dores nas mamas e cólicas. Boas fontes: cereais integrais, noz, castanhas, azeite de oliva, azeitona, óleo de soja e de girassol, milho, gema de ovo, agrião.

Cálcio – Alivia as cólicas e nervosismo. Boas fontes: leite e derivados, vegetais e folhas verde escuro, como couve e brócolis.

Magnésio - Este mineral tem função complementar às funções do cálcio. São boas fontes de magnésio as folhas verdes escuras.

Ácidos graxos - Reduz irritabilidade e dores nas mamas. Boas fontes: óleo de peixe marinho e frutos do mar (ricos em ômega 6 e ômega 3). Excelentes fontes são salmão e atum.

Vale ressaltar que tais alimentos são indicados para amenizar os sintomas neste período, porém é importante também evitar o consumo de alimentos ricos em gordura, sal, (embutidos e conservas), açúcares e alimentos com alto teor de cafeína (café, chá preto e mate, coca-cola e guaraná), pois são agravantes do quadro (SAMPAIO, 2002).

Referências Bibliográficas:

BRYANT, M, CASSIDY, A, HILL, C, POWELL, J, TALBOT, D, DYE, L. Effect of consumption of soy isoflavone on behavioural, somatic and affective symptoms in women with premenstrual syndrome. British Journal of Nutrition v 93, p 731-739, 2005.

DAUGHERTY, J.E. Treatment strategies for premenstrual syndrome. American Family Physician, Kansas City, v.58, n.1, p.197-198, 1998.

MARVAN, M.L., CORTES-INIESTRA, S. Women’s beliefs about the prevalence of premenstrual of premenstrual syndrome and biases in recall of premenstrual changes. Health Psychol v 20, n 4, p 276-80, 2001.

SAMPAIO, H.A.C. Aspectos nutricionais relacionados ao ciclo menstrual. Rev Nutr , v 15, n 3, p 309-317, 2002.

THYS-JACOBS, S. Micronutrients and the premenstrual syndrome: the case for calcium. Journal of the American College of Nutrition, v.19, n.2, p.220-227, 2000.

VALADARES, G.C., FERREIRA, L.V., FILHO, H.C., ROMANO-SILVA, M.A. Transtorno disfórico pré menstrual revisão – conceito, história, epidemiologia e etiologia. Rev Psiq Clín, v 33, n3, p 117-123, 2006.

Fonte: www.rgnutri.com.br

Tensão Pré-Menstrual

TPM - Tensão Pré-Menstrual (entrevista)

A TPM ou Tensão Pré-Menstrual é uma desordem hormonal e nutricional, cientificamente comprovada, que acontece todo mês após a ovulação e cessa com a chegada do fluxo menstrual.

Ela é tão comum, que está presente em, aproximadamente, 75% das mulheres. A TPM é dividida em 4 tipos e seus sintomas podem ser físicos (retenção hídrica dor de cabeça, etc.) e emocionais (depressão, irritabilidade, etc.).

1 – É comum as mulheres apresentarem sintomas dos 4 tipos de TPM (A,C,D e H) num ciclo só?

Existem mais de 150 sintomas relacionados à TPM e esta foi a maneira que os especialistas encontraram para classificá-la de acordo com a predominância de um ou mais sintomas. O que não quer dizer que, se a TPM de uma mulher for classificada como tipo A, onde os principais sintomas são a ansiedade, agressividade, irritabilidade e tensão nervosa que, a cefaléia estará descartada, assim como uma sensação desconfortável de inchaço nas pernas. É importante sabermos que os sintomas podem ocorrer isoladamente ou em combinação uns com os outros. Isto pode variar de uma mulher para outra.

2 – Dos 4 tipos de TPM, existe uma que mereça cuidados especiais?

Todos os sintomas relacionados à TPM merecem atenção. Obviamente alguns afetam a vida cotidiana de forma drástica, como por exemplo, um quadro de depressão ou cefaléia intensa que impeçam a mulher de desempenhar funções no trabalho ou mesmo em casa. No entanto, não devemos subestimar os outros sintomas, como retenção de líquidos, que causam um tremendo desconforto e cansaço físico ou ainda aquela famosa compulsão por doces.

3 – Quais os indícios que devem levar a mulher a procurar tratamento médico?

Quando os sintomas da TPM se manifestarem e estiverem trazendo qualquer tipo de transtorno nas atividades comuns do dia a dia.

Algumas mulheres acreditam que cuidados caseiros podem resolver o problema, mas somente o médico poderá avaliar um quadro geral da paciente e indicar-lhe o medicamento mais adequado.

4 – Atualmente, quais as novidades no tratamento de TPM?

Antigamente os tratamentos mais recomendados valiam-se de medicamentos convencionais como analgésicos, contraceptivos e outros medicamentos hormonais que acabavam por não satisfazer todas as expectativas de melhorias, além da paciente sofrer com os efeitos colaterais.

Hoje, existem tratamentos naturais para amenizar os sintomas da TPM. Um dos produtos que apresenta melhores resultados é o Óleo da Borragem. Este Óleo contém um ácido graxo – o Ácido Gamalinolênico que não é fabricado pelo organismo e é indicado para todos os sintomas da TPM. Ele age diretamente na causa do problema, não se atendo apenas aos sintomas, como a maioria dos medicamentos que existem no mercado.

5 – A alimentação influencia no agravamento dos sintomas da TPM?

Com certeza. Uma dieta alimentar onde a presença de carboidratos é intensa e pobre em gorduras, ajuda a diminuir os sintomas. Além disso, o sal deve ser reduzido, principalmente para as mulheres que apresentam retenção de líquidos, dores nas mamas e de cabeça. Os carboidratos estão presentes no pão integral, arroz, batatas, leguminosas como feijões, ervilhas, lentilhas, cereais integrais e as frutas. Óleos vegetais como girassol, canola também podem ser úteis. Além disso, aumente o consumo de líquidos.

6 – O uso de anticoncepcional ameniza os sintomas da TPM?

Os sintomas da TPM estão ligados ao processo ovulatório. Em função disso, alguns médicos indicam para suas pacientes contraceptivos orais (pílula) com o objetivo de suspender a ovulação e com isso evitar a TPM. Mas existem muitas controvérsias sobre esta terapia, que merece uma boa avaliação.

7 – Qual o comportamento que a família ou as pessoas próximas devem ter com a mulher que sofre com a TPM?

Muitas mulheres são prejudicadas profissional e socialmente por culpa dos sintomas da TPM. As alterações de humor, as dores que surgem no período e muitas vezes o cansaço provocado pela retenção de líquidos, podem levar a um quadro crítico. Alguns podem achar que é uma desculpa qualquer ou “frescura de mulher”, mas não é bem assim. Neste caso, a família e as pessoas próximas tem um papel importante. Primeiro ajudando a mulher a perceber que precisa de ajuda e tratamento. Muita paciência e compreensão facilitam também.

Fonte: www.herbarium.net

 

voltar 1 2 3 4 5 6 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal