Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Ucrânia  Voltar

Ucrânia

Ucrânia, o tesouro dos Czares

Na época imperial que os Czares dominavam Rússia, resplandece em nossa memória graças aos luxos da corte russa. Kiev tem sido, ao longo da história e até nossos dias, uma das cidade mais importantes da recém nascida Comunidade dos Estados Independentes (CEI).

Kiev foi a primeira que se converteu em uma verdadeira cidade. Com uma forte influência do Império Bizantino, tanto na arte como na cultura, Kiev supôs unir estas influências, com as características próprias do povo russo. Por aquela época começam a levantar-se enormes edifícios coroados por formosas cúpulas de distintas cores e formas que seguem sendo na atualidade a imágem mais conhecida da CEI no resto do mundo. Moscou tomou o relevo de Kiev e somente o perdeu nos anos em que São Petersburgo foi fundada e nomeada capital da corte por Pedro I "O Grande". Este Czar melhorou notavelmente, as relações da Rússia com a Europa adotando modelos ocidentais.

Esta mistura entre oriente e ocidente é, o maior atrativo de Ucrânia. Respira-se um ambiente exótico. Passear pelas suas ruas é como entrar no interior de um país de lendas, onde a mais original das fantasias, tem-se convertido em realidade. Talvez um dos personagens, próprios da imaginação, utilizou todos seus poderes para inspirar sua criação aos Czares e eles, depois, colocariam essa magia nas mãos dos homems para construir majestosas cidades, cheias de encanto.

Encantamento que se plasma em edifícios de enormes dimensões, com uma decoração tão formosa que conseguem parecer sumamente leves museus com coleções únicas no mundo, parques de beleza excepcional, uma rede de metrô que é uma autêntica obra de arte e, sobretudo um povo formado por pessoas de distintas raças que não perdem jamais o sorriso.

Se gosta da boa comida, os espetáculos de qualidade, os esportes, a vodka, as paisagens de extremada beleza e, como elemento indispensável, a boa companhia, não duvide, em Kiev encontrará tudo isto e muito mais.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

A criação da Comunidade dos Estados Independentes (CEI), em 1991 supôs a reorganização tanto geográfica, como política da antiga União Soviética. A CEI extende-se atualmente ao longo de 22, 100, 900 quilômetros quadrados, dos quais 5, 269, 100 são europeus e o resto asiáticos. A parte européia, deixando de um lado as repúblicas caucásicas, está formada por Bielorrusia com 207.600 quilômetros quadrados, Ucrânia com 603.700 e Rússia com 4.238.000.

Ao sudoeste de Rússia encontra-se Ucrânia, com sua capital, Kiev, como cidade mais importante e situada na ribeira direita do rio Dniéper.

A CEI européia está separada da asiática pelos Urais, cadeia montanhosa de mais de 2.000 quilômetros quadrados, que extende-se desde o mar de Kara até a depressão carcásica. O nível de erosão desta cadeia montanhosa é muito avançado, pois sua antigüidade se remonta em algumas zonas até o Paleolítico.

Dividem-se em Polares, Setentrionais nos que encontra-se a montanha mais alta do sistema, a Narodnaja com 1, 895 mt. Centrais e Meridionais. Ao oeste dos Urais encontramos uma enorme planície, cuja origem procede das glaciações quaternárias e que conforma o território natural de Rússia e Ucrânia. Também podemos encontrar outras montanhas nos Cárpatos Orientais, na república Ucrâniana, cujo pico mais alto é o Goverla, com 2061 mt. e, dividindo o Mar de Azov do Mar Cáspio, o Cáucaso.

A bacia fluvial é muito abundante e costuma ser navegável. Habitualmente os distintos rios se comunicam através de canais. Os mais importantes são o rio Dniéster, 1, 350 km., o Dinéper, 2, 200 km., o Volga, 3, 530 km., e o Ural com 2, 430 km. Também são abundantes os lagos como o Ladoga com 18, 400 quilômetros quadrados, o Onega com 9, 610, o Rybins com 4, 100 e o Peipus com 3, 550 km.

FLORA E FAUNA

Dentro da zona européia da Comunidade dos Estados Independentes Pode-se encontrar distintos tipos de vegetação e de fauna, devido aos distintos climas que encontram-se na região.

Ao norte, desde o golfo de Finlândia até os Urais, se desprega a famosa taiga com extensos bosques de pinhos, abetos, larício, freixos, álamos tembladores e bétulas. As temperaturas são quentes no verão, 16 graus centígrados e extremas no inverno com abundantes chuvas, alcançando os 15 graus centígrados a baixo de zero. A fauna desta zona é rica e variada com o urso, o lince, o lobo, a marta, a raposa comum e a cibelina como máximos representantes, junto a um inacreditável leque de espécies de aves.

Mais ao norte, na zona banhada pelo Glacial Ártico, a taiga deixa passo à tundra com seus permanentes gelos, nos quais o solo pode crescer, quando o verão está em seu apogeu, com uns 6 graus centígrados, musgos, líquens e árvores anãs, como as bétulas. No inverno as temperaturas extremas que atingem inclusive os 40 graus a baixo de zero tornam muito difícil a sobrevivência que, sem dúvida, conseguem alguns roedores como o leming, a lebre polar, a raposa cibelina, o glotão, algumas aves e animais domésticos como a rena.

Ao sul da taiga encontramos as terras negras. É a zona mais fértil do país e está considerada como o graneiro da Rússia, pois embora os invernos continuem sendo duros, os verões são mais quentes, com frequentes precipitações. É zona de cereais e de espécies herbáceas e halófilas. Esta zona contrasta com o sul, onde é necessário a irrigação artificial para conseguir alguma colheita e que se intensifica ainda mais a beira do mar Cáspio, onde os terrenos se convertem em semi desertos.

Para desfrutar plenamente com a fauna e a flora da CEI pode-se visitar alguns dos 140 zapoved-niki, parques e reservas de interesse nacional que nasceram em tempos da União Soviética, perante a necessidade de preservar as espécies em extinção, que tinham sobrevivido ao ataque incontrolado dos caçadores.

História

Os restos arqueológicos encontrados na zona datam do Paleolítico. Desde a pré -história, a Comunidade dos Estados Independentes tem sido um terreno habitual de passagem entre oriente e ocidente. Têm encontrado restos de escitas, sármatas do século VII aC. godos e hunos no III dC. e membros de tribos eslavas que, no século VII, consiguem fazer, com o território que hoje ocupa, o centro de Rússia e embora tem mantido até nossos dias, tiveram que lutar com czares e vikings, que também obtiveram sua parte do terreno.

Os Eslovenos

Perante a chegada dos vikings, os eslovenos se uniram criando, no século IX, seu próprio domínio desde o que se extenderam a Kiev, ocupando as atuais Bielorrusia, Ucrânia e parte de Rússia. A Rus de Kiev foi adquirindo cada vez mais poder vencendo os czares, chegando inclusive a ameaçar o Império Bizantino.

No ano 988, a Rússia se converte ao cristianismo, propiciando o aproximamento com os estados europeus e a criação de uma autêntica cultura russa, herdeira da eslava, do alfabeto cirílico, que segue funcionando em nossos dias e das influências de Bizâncio, que decai ostenssivelmente, a partir de 1054, quando se rompem as relações entre Roma e o Império Bizantino. Esta ruptura consiguiu que o isolamento fosse maior potenciando as relações interiores entre Igreja e Estado, durante o governo de Yaroslav o Sábio. Depois do seu falecimento, se produziu uma fragmentação do poder e do território.

A Presença dos Tártaros e os Czares

Outras cidades tomam o relevo sendo Vladimir a mais importante e, desde a que se empreende a união do território russo. O príncipe governante em Vladimir, Yuri Dolgoruki, é o fundador de Moscou, no ano de 1156. As lutas entre os russos favoreceram a invasão dos tártaros, que se instalaram em Saraj. Moscou foi um fiel aliado dos invasores, pelo que consiguiu aumentar seu poder, além de que sua situação geográfica influiu, pois se encontrava no centro, pelo que passavam todas as rotas comerciais com Ásia. Este apoio finalizou no século XV, em que Moscou derrota às forças tártaras, se anexa Novgorod, deixa de pagar o tributo ao Kam e reconquista os terrenos ocupados pelos lituanos. Uma vez consolidado o território, era necessário consolidar a economia, assim os camponenses tinham que pagar cada vez mais impostos e em troca obtinham leis, que concediam cada vez menos direitos, em favor de seus senhores, chegando a converter-se em servos da gleba. Por outra parte, os governantes deixaram de lado à antiga aristocracia, para outorgar a propriedade das terras aqueles homems, que não duvidaram em combater a seu lado, acabando assim, com as heranças. Ivan III se autoproclamou Czar no século XVI, convertendo seu reinado no último bastão ortodoxo do mundo. Seu sucessor Ivan IV, conhecido mundialmente como O Terrível, consiguiu consolidar o poder autocrático dos Czares de maneira indiscutível através de contínuas guerras e de um acaso, contra os boyardos, membros da antiga aristocracia. Com sua morte, Moscou se encontrava seriamente debilitada, em todos os aspectos.

A sucessão de Ivam o Terrível deu lugar a numerosos conflitos internos, que não se resolveram até 1613, com o nomeamento de Mijail Romanov, cujos descendentes governaram Rússia, até 1917. Durante este período os camponenses empenharam ainda mais sua condição, se conquistou Sibéria, anexaram parte de Ucrânia e Kiev, se produziram múltiplos conflitos bélicos e religiosos e se incrementou a abertura para ocidente da mão de Pedro I o Grande, de uma maneira absolutamente sanguinária. No interior do país se promulgaram leis, que condenavam com a morte aquelas pessoas, que não vistissem roupas ocidentais ou não aparassem suas barbas e, desapropiaram a maior parte dos bens da Igreja ortodoxa. Transladou a capital do estado a uma cidade recentemente criada, São Petersburgo. Com a morte do Czar em 1725, chegou o conhecido, como reinado das Czarinas, que supôs, uma volta às tradições, supôs a consolidação da Rússia, como potência mundial.

O século XIX

O século XIX se inicia com o nomeamento de Alexandre I como Czar. Foi ele, quem consiguiu vencer a invasão das tropas de Napoleão, em 1812, graças ao duro inverno russo. Seus sucessores continuaram com as guerras expansionistas, enquanto no interior, a parte de uma tentativa de abolir a servidão da gleba, por parte de Alexandre II que morreu assassinado, a situação se deteriorava cada vez mais. A princípios do século XX se sucedem as lutas revolucionárias, que obrigam a Nicolás II a outorgar uma constituição, em 1906. Ao estourar a Primera Guerra Mundial, Rússia se alia com Inglaterra e França, desde o primeiro momento, sofrendo a invasão de Polônia pelas tropas alemãs.

O Comunismo e a Segunda Guerra Mundial

Em 1917 se inicia a Revolução Russa que acabou, com o poder dos czares e a transformação do país na União de Repúblicas Socialistas Soviéticas. Com a morte de Lenim em 1924, a economia sofre um forte retrocesso, enquanto que o governo passa a manos da troika, Kamenev, Zinoviev e Stalin. Este último consegue fazer-se com o poder, expulsando os outros dois membros da troika. Durante este período a economia russa se revitaliza através de uma forte industrialização, posta em marcha do primeiro plano quinquenal e a estabilização da relações diplomáticas, que culminaram com sua entrada na Sociedade de Nações, em 1934.

De 1936 a 1938 Stalim realiza uma minuciosa depuração do regime, acabando com qualquer mostra de dissidência para seu labor, leva a cabo o II plano quinquenal e põe em marcha o III, que é interrompido pela invasão alemã na Segunda Guerra Mundial, que ao finalizar divide o poder político mundial em dois bandos: Estados Unidos e Rússia, iniciando-se a Guerra Fria.

Depois da morte de Stalin

Com a morte de Stalim em 1953 a diplomacia russa adquire uma importância enorme, cujo objetivo é conseguir a coexistência pacífica das potências. Não foi fácil, entre outros incidentes o muro de Berlim, em 1961 e a crise de Cuba, em 1962, estiveram a ponto de ocasionar uma guerra que teria efeitos catastróficos.

Com a chegada de Brezhnev, em 1964, se inicia uma intensificação de relações com outros países do Leste, seguindo a linha marxista mais pura. A situação mundial se tensiona cada vez mais, China começa um processo de abertura para o capitalismo que não gosta nada à URSS, a invasão do Afganistão, provoca uma séria crise com Estados Unidos, que se agrava ainda mais, com a instalação em 1983 dos primeiros mísseis em solo europeu, para potenciar a política de força comandada pelo Presidente Reagan. Andropov e Chernenko continuam na mesma linha, mas com a chegada ao governo russo de Gorvachov em 1985, tudo começa a mudar.

O princípio da mudança

Os presidentes russo e norte americano, Gorvachov e Reagan, se reunem por primeira vez, em Genebra, em novembro de 1985. Os frutos se percebem claramente, no interior da União Soviética se produz uma clara abertura, assim como, uma menor pressão, para o resto dos países do Leste, no exterior as relações diplomáticas com ocidente melhoram notavelmente, culminando com a assinatura da eliminação dos euromísseis e a retirada das tropas russas do Afganistão. Porém, esta abertura não foi fácil para Gorvachov, múltiplas críticas do setor mais reacionário, movimentos independentistas em distintas repúblicas e o Golpe de Estado falido de 1991, que acabou com a proibição do Partido Comunista da União Soviética, diminuiu notavelmente, sua credibilidade no interior do país, a favor de Boris Yeltsin, atual presidente russo. Gorvachov demitiu-se no dia 15 dezembro de 1991, criando-se o dia 21 desse mesmo mês a Comunidade dos Estados independentes.

A CEI está composta por 11 repúblicas da antiga URSS: Armênia, Azerbaiyão, Bielorrusia, Kazajstán, Kirguizistán, Moldavia, Rússia, Tadzhikistán, Turkmenistán, Ucrânia e Uzbekistán. Nos acordos de constituição todas elas cediaram a Rússia o controle do armamento nuclear estratégico e Bielorrusia e Ucrânia assinaram o Tratado de Não Proliferação Nuclear, comprometendo-se a eliminar as armas nucleares de seu território. A situação da CEI não está ainda claramente definida, com uma economia francamente deteriorada e problemas políticos sérios na Rússia, tudo está ainda no ar.

Arte e Cultura

A arte e a cultura da Comunidade dos Estados Independentes está fortemente marcada pelo regime comunista, que manteve unificados os critérios em todo o território (no fim deste apartado, encontrará uma lista sugestiva de museus para apreciar a arte da região).

Até o desaparecimento da URSS, pode-se diferenciar os seguintes períodos:

Da pré-história ao bizâncio

Neste período destacam os restos dos escitas e dos gregos que encontram-se na Península de Crimea.

Arte bizantina

A partir do século X a influência bizantina deixa-se sentir, em toda a rua de Kiev e Novgorod. Começa a literatura e a arquitetura propriamente russas. As construções substituem a madeira como elemento fundamental, pelo concreto. As edificações religiosas seguem o exemplo de Santa Sofia de Constantinopla, de grande tamanho com preciosas cúpulas e fortes pilares para sustentar o peso e, com uma preferência especial pela verticalidade imposta, talvez pelo clima, pois as grandes nevadas necesitavam serem verticais para sustentar o peso. Com o passar dos anos se tende a uma maior simplicidade nas formas. As influências ocidentais se misturam com as orientais. Aparecem os afrescos, mosaicos e os magníficos íconos, que pretendem descobrir o misticismo frente à realidade palpável.

Moscou

A importância desta cidade durante os séculos do XV ao XVIII, ficou plasmada na arte dessa época. Voltam à madeira, como principal suporte, pois sua utilização procedia tradicionalmente da Rússia Central. As construções são realizadas para deixar constância do poder dos governantes, seguindo as linhas mais tradicionais da arquitetura russa. Uma boa mostra são as igrejas votivas. Percebe-se as influências do Renascimento italiano e do barroco francês.

São Petersburgo

Com o translado da capital a esta cidade, também o epicentro artístico varia durante o século XVIII. As duas chaves da arquitetura deste período seriam simples e funcional em uma primeira parte, deixando passagem à morte de Pedro I, à grandiosidade e a decoração abundante com claras influências barrocas e rococós.

A Academia das Artes

Catalina II decide criar a Academia das Artes, na que os jovens russos com talento, podiam desenvolver plenamente sua educação. Os frutos não tardariam em chegar. Pintores da talha de Rokotov, Levicki e Briullov, entre outros, sairam dela. Ao longo do século XIX a pintura russa consegue sair dos moldes rígidos da Academia e, embora não fosse fácil, começariam a desenvolver outros temas, como as cenas campesinas de Venecianov. Os intelectuais e artistas se unem para acabar com o monopólio artístico da Academia, criando a Assossiação de Exposições Itinerantes que leva a arte a todo o país. A este grupo pertencem talentos como os de Perov, Kramskoi, Miasoedov, Savrasov, Dostoievski, e Tolstoi, entre outros.

A arte soviética junta os critérios artísticos em serviço da funcionalidade. O metrô, uma estação de trens ou uma indústria pode ser uma autêntica obra de arte.

Em pintura foram reprimidos em um primeiro momento, os movimentos abstratos, como o praticado por Maevich, dando passagem, ao realismo puro de Nesterov, Mashcovou Guerasimov, em pintura ou a Merkurovou Komenkov, em escultura.

A literatura russa é conhecida mundialmente, por autores da talha de Pushkin, Godol, Turguénievou Benediktov e Tiuchev, em poesia. Especial importância tem tido o realismo de Tolstoi e Dostoievski a finais do século XIX. Em nosso século Chejov, Bunim e Gorki, em novela, Briusov, Ivanov e Block, em poesia, Comboiosiov, Zamjatim e Ivanov, em teatro e Evreinov, Stanislavski e Tairov nas vanguardas. Durante o governo de Stalim se produziu um sério retrocesso, devido à censura existente que finalizou, com sua morte e pouco a pouco foram aparecendo novas vozes dessidentes, com o sistema soviético, Ehrenburg, Nekrasov, Kazakov e Amalrik, entre outros.

A música russa tem tido excelentes compositores nos seus bens. Balakirev, Cui, Musorgski, Borodim e Korsakov, como seguidores dos regras mais tradicionais, influênciados pelo ocidente destacam Rubinstein, Chaikovski, Rajmaninov e Liapunov. Revolucionários e originais Stravinski, Prokofiev, Kabalievski e Jachaturiam entre outros. Não podemos esquecer a bailarinos, tão maravilhosos, como Nureyev saidos da escola do Teatro do Bolshoi ou filmes tão importantes para a história do cinema, como "O Acorazado Potenkim".

Os artistas russos que pretendiam sair-se da norma foram censurados continuamente. Muitos deles decidiram exilar-se a países ocidentais, sobretudo, os Estados Unidos, onde podiam desenvolver sem dificuldades o imenso caudal criativo, que levavam em seu interior, hoje em dia ressurgem timidamente novos movimentos, embora ainda sem muita força.

MUSEUS DE KIEV

Museu Estadual da Arte Russa de Kiev. 9 Ulica Repina

Possui uma interessantíssima mostra de arte entre a que destacam os íconos das melhores escolas, retratos dos séculos XVIII e XIX, obras decembristas, paisagens russas do XIX e o melhor dos pintores contemporâneos russos.

Museu Estadual de Arte Ocidental e Oriental de Kiev. 15 Ulica Repina

Esta coleção possui antigüidades ocidentais, A, gregas, romanas e bizantinas, e peças orientais de grande qualidade, como sedas do XIX e jades da China.

Museu Estadual de Arte Figurativa Ucrâniana 6 Ulica Kirova

Conta com uma importante coleção de íconos dos séculos XII ao XVII e estupendos retratos do XVII ao XIX, junto à obra de pintores Ucrânianos contemporâneos.

Museu ao ar livre de Arquitetura da Madeira

Orilla oriental do Dniéper a 5 km. do centro. 500 construções de madeira de todas as regiões Ucrânianas. Realmente interessante.

Gastronomia

A gastronomia da Comunidade dos Estados Independentes é realmente maravilhosa, com uma grande variedade de ingredientes e sabores e uma preparação muito cuidada. Atualmente, devido ao grave problema econômico que sofrem os restaurantes, têm problemas para abastecerem-se das matérias primas para cozinhar, mas ainda assim, podem desfrutar de uma boa comida em um ambiente acolhedor.

A gastronomia da CEI sabe misturar o melhor da cozinha oriental e ocidental. Não costumam oferecer pratos de digestão pesada, nem de sabor picante, mas a mistura de sabores agridoces é realmente magistral.

Os habitantes da CEI costumam comer copiosos desjejuns, nos que junto à tradicional papilla de sémola, kasa e o delicioso iogurte, pode-se encontrar carne, peixe e ovos; para beber café, chá e leite. Dependendo do trabalho, a comida principal pode ser feita ao meio dia ou pela noite, porém, em qualquer caso, pode considerar-se um autêntico banquete. Para começar, as famosas entradas entre os que não faltarão o caviar e os blimis, tortas de milho, com arenques em uma molho de nata azeda, estes por si só, já poderiam servir de comida completa para um europeu, mas para um russo, um ucrâniano é, simplesmente um aperitivo.

Depois se servem as densas sopas, prove a de beterraba e a de verduras, são deliciosas. Na continuação os pratos fortes. Em relação a carnes pode-se desfrutar de bovino, novilho, vitela, enquanto que a caça tem uma preparação excelente com molhos maravilhosos de sabores suaves, que compensam perfeitamente o sabor das perdizes e faisões. Em respeito aos peixes, o salmão e o esturião são os mais conhecidos, mas também encontram-se variedades de peixes de água doce de sabor maravilhoso. Como pratos típicos de peixe destacam o relheno, ao papilloteou em gelatina, embora seja comido assado, não se sentirá defraudado. Como sobremesa pode comer queijos, como o tvorog, uma espécie de requeijão ou o zelenyisyr, queijo verde muito picante, cremosos iogurtes, tortas, mousses gelados elaborados artesanalmente que destacam-se pela sua variedade.

Bebidas

Para acompanhar esta abundante comida se costuma beber vodka muito fria, kvas, uma espécie de cerveja doce feita de malta de cevada, centeio e muito açúcar. Se você prefere o vinho encontrará excelentes na Ucrânia, Moldaviaou Geórgia e várias espumosas, conhecida como sampanskoe. Também pode-se beber a cerveja local. Como licores destacam o conhaque armênio, a nevoduja, aguardente envelhecida com álcool e vodkas de ervas, limão ou vinhos antigos.

O café russo é de boa qualidade e pode –se comer, como o irlandês, somente que em lugar de whisk se acrescenta vodka. O chá é feito com uma colherada de geléia de framboesa, que lhe dá um sabor muito especial.

O que Comer

Se decidir ir jantar em um restaurante, é necessário que tenha em conta o seguinte: há que fazer reserva para poder desfrutar da mesa tanto tempo que deseje e ter muita paciência, pois pode esperar bastante tempo até conseguir sentar-se para desfrutar dos estupendos manjares. Em troca receberá um excelente serviço, enquanto saboreia a comida que estará amenizada na maioria dos restaurantes, por uma orquestra de qualidade. Lembre-se que costumam fechar às 24 horas e, não esqueça de deixar uma gorjeta de 5% a 10% do total da fatura, se ficou plenamente satisfeito. Não é obrigatório, mas é habitual.

Restaurantes em Kiev

Os mais conhecidos pela qualidade dos pratos da cozinha Ucrâniana, pelo preparo e pelo seu ambiente acolhedor são o Chata Karasja e o Mlyn.

Compras

Pensar na Comunidade dos Estados Independentes e querer comprar ali, é certo que lhe vem à cabeça três coisas: vodka, caviar e matrioskas.

Efetivamente, em qualquer ponto poderá encontrar estes três produtos. As matrioskas formam parte do artesanato tradicional do talhado de madeira tão típico do centro da planície européia da CEI. Pintados com alegres cores, entre os que primam o vermelho e o amarelo, tirar umas de dentro de outras e coloca-las por tamanho é um bom entretenimento para os crianças, além de um formoso adorno para qualquer casa. Se comprar caviar, seja vermelho ou negro, assegure-se de sua qualidade e lembre-se que só poderá passar pela alfândega 400 gramas, apresentando as faturas. Com respeito a vodka informe-se das marcas, pois no mercado encontra-se desde a de maior qualidade até autênticas "matarratas". Também se oferecem aromatizados com distintas ervas, limão e inclusive pimentas.

O artesanato do CEI oferece uma mostra realmente impressionante, esplêndidos lacados sobre madeira, em móveis como mesas e escritórios ou em pequenas caixas de desenhos realmente bonitos, esmaltes de grande qualidade, miniaturas maravilhosas, peças de imexorável vidro, os famosos relógios russos de grande tamanho, delicadas porcelanas de acabado perfeito.

Menção a parte valem as balalaikas, instrumentos musicais de forma triangular, os preciosos xadrez de madeira, os chales bordados de alegres cores, as encantadoras camisas ucrânianas com bordados e ribetes, os produtos realizados em pasta de papel entre os que se podem encontrar broches, piteiras, etc, adornadas com a temática dos contos russos tradicionais e todos os artigos de pele e couro, abrigos de vison, gorros de raposa ártica, cintos e sapatos de excelente qualidade. Também pode-se adquirir aromáticos perfumes de embriagadores aromas.

As repúblicas da CEI destacam-se pela sua maravilhosa joalheria. Pode-se adquirir delicadas figuras de malaquita, colares em prata ou em ouro, com brilhantes e pedras preciosas, braceletes de âmbar, broches de selenita e todo tipo de marfins.

A cerâmica costuma estar adornada em cores branca e azul, as mais conhecidas são as de Gzel. Também pode-se encontrar livros antigos, discos de música clássica dos melhores compositores russos, selos, gravados e como não, preciosos íconos. Lembre-se que não pode exportar obras de arte anteriores a 1975, sem permissão especial outorgado pelo Ministério da Cultura.

As compras podem ser feitas em lojas nas que se paga em rublosou nas Berioska, lojas que só admitem moeda estrangeira e que estão especializadas em oferecer aos turistas qualquer produto artesanal. Os horários costumam ser os mesmos que no resto da Europa. Alguns comércios costumam abrir aos domingos.

Não esqueça de guardar todas as faturas, pois as autoridades aduaneiras podem solicitá-las.

População e Costumes

Os habitantes da Comunidade dos Estados Independentes são pessoas acolhedoras, hospitaleiras e risonhas, apesar dos duros históricos, que tem sofrido, este povo é de talanto nobre e sabe encarar os maus tratos, com um impressionante otimismo.

O clima, tão frio no inverno, tem reforçado o caráter familiar da sociedade. Quando as grandes nevadas tornam muito difícil o trânsito por ruas e estradas, tanto os russos como os Ucrânianos, se ficam em casa com as conversações, a rádio e a televisão, como entretenimentos. A leitura também ocupa um lugar importante em suas preferências, de feitio, este povo está considerado desde há tempo, como um povo culto. Porém, as cidades não se vêm completamente vazias, sempre há movimento de pessoas envolvidas em pesados abrigos e calçados forrados que vão de um lado a outro e não duvidam um instante antes de manter uma conversação com um conhecido apesar do frio. Os lugares de lazer, encontram-se repletos de gente com vantagens de passar bem. Com a mudança política, a noite tem vida própria. Nesta sociedade se madruga muito e se vai à cama muito tarde, assim, é certo de que dormirá muito pouco, se decidir seguir o ritmo.

É necessário ter em conta que um turista ou viajante sempre é considerado como uma boa fonte de informação sobre política exterior, costumes distintos e nível de vida. Curiosamente o estrangeiro não é o que mais observa nesta sociedade, a curiosidade é outro componente essencial do caráter deste povo.

Apesar de sua amabilidade e simpatia, talvez influenciados pelo clima e as transformações políticas, os habitantes da CEI são reservados, não lhe contarão facilmente sua vida, mas responderão as perguntas de um modo correto, com uma hábil troca de conversação. Também têm fama de ser teimosos e é melhor não discutir com eles. As mulheres e os homems estão plenamente equiparados. O regime comunista não admitia diferenças e com a mudança política esta característica se tem mantido. Os jovens têm um grande sentido de humor e é fácil relacionar-se com eles. De feitio, "paquerar" é um dos alicientes da movida noturna destas cidades, isso sempre de uma maneira sana e correta. As mulheres neste aspeto também, têm se igualado aos homens.

A difícil situação econômica que atravessam tem levado a algumas pessoas ao desespero mais absoluto. O álcool tem sido a única resposta a seus problemas, pelo que não é estranho ver algumas pessoas embriagadas na rua. Recorde que está muito mal visto fotografá-los. Também é muito frequente ver longas filas nos comércios, embora os turistas não as padecem, porque existem lojas destinadas a eles. Os habitantes da CEI, passam muitas horas nelas, mas em lugar de desesperar-se aproveitam para relacionar-se e conversar com outras pessoas. São realmente pacientes.

Também são muito respeituosos com os costumes alheios, talvez, porque desde tempos remotos têm convivido, com homems e mulheres de distintas culturas.

É importante respeitar os seus: nas igrejas os homems devem tirar os chapéus e gorros, as mulheres devem levar cobertos os ombros e nas ortodoxas, as senhoras não podem usar calças compridas. Nos transportes públicos é habitual ceder o assento aos anciãos, crianças e mulheres. Por último recorde que ninguém se senta nas escadas, umbrais, valas e sobretudo, na relva.

ENTRETENIMENTO

Kiev é uma das três cidades mais importantes da parte européia da Comunidade dos Estados Independentes. Como grande urbanização que é, oferece uma ampla e variada oferta de atividades das que desfrutar plenamente.

Se gosta de caminhar, as amplas avenidas e as formosas praças são um marco incomparável para respirar o verdadeiro movimento desta cidade e, observar o comportamento de seus moradores. Também os espaços verdes oferecem um entorno muito agradável e cuidado para dar um bonito passeio. Em Kiev pode-se desfrutar bastante com o parque aquático Dneprovskj e as exóticas variedades do Jardim Botânico da Academia Fomin. Em todos eles pode-se ver as duplas de concentrados jogadores de xadrez, inclinados sobre o tabuleiro. Se você gosta deste jogo, não deixe de praticá-lo.

Além do xadrez pode-se desfrutar com esportes como o futebol, o basquete, o atletismo ou a natação. Kiev conta com instalações esportivas adequadas, tanto para praticar esporte, como para desfrutá-lo desde as grades, vendo partidas de equipes tão famosas como o Dínamo de Kiev.

Os cafés têm merecida fama. Costumam estar decorados com um gosto excelente e na maioria deles pode-se comer algo ligeiro, enquanto se escuta música variada. Os bares também são um centro de reunião habitual para os habitantes de Kiev.

Quando a noite chega, a "movimentação" noturna ressurge no coração da cidade. Discotecas parecidas às européias, clubes, pubs e cassinos iluminam seus letreiros e se vestem com suas melhores galas para receber nacionais e estrangeiros, com um mesmo objetivo, a diversão.

Kiev mantém durante todo o ano uma ampla oferta cultural, que tem melhorado notavelmente desde a troca de regime político. Exposições de todo tipo, conferências, bibliotecas repletas de livros interessantes, concertos de música clássica ou contemporânea, formosos balés, cinemas com projeções de filmes nacionais e estrangeiros ou representações teatrais de qualidade, todos eles em entornos espetaculares, como o Teatro Acadêmico Estadual de Ópera e Balé Taras Sevcenko, em Kiev.

FESTIVIDADES

A primeira celebração importante que celebram os habitantes da Comunidade dos Estados Independentes cavalga entre a última noite do ano, que se acaba e, o primeiro do recém estreiado. A Noite Velha, o dia 31 de dezembro, igual que na Espanha, se reunem família e amigos em copiosas ceias e alegres bailes. No dia seguinte todas as casas despertam com as risadas e a ilusão das crianças. Por fim tem chegado a festividade da Ika, o Ano Novo, denominado assim, porque em todas as praças de todas as cidades, assim como, em todos os domicílios particulares há um precioso abeto (elka) repleto de adornos e luzes de cores. É o dia dos presentes. O Ded Moroz (Avó Gelo) e Snegurocka (Copo de Neve), deixam os presentes para todos os membros das famílias com especial atenção às crianças. Conta a lenda que Copo de Neve foi enviada ao bosque, para que fora devorada pelos lobos, pela sua malvada madrastra. Seus pérfidos desejos se viram desbaratados pelo Avó Gelo, que salvou à jovem que, desde então, vive feliz em sua companhia.

O dia 8 de março celebra-se o dia da mulher trabalhadora. Neste dia as flores aparecem em todas as ruas e praças em homenagem a mães, esposas, noivas, filhas e amigas que nesse dia são tratadas com toda carinho e cheias de atenções pelos varões em reconhecimento a seu labor e valor.

Nos dias 1 e 2 de maio os habitantes da CEI saem às ruas, para comemorar a Festividade do Trabalho. Igual que em outros muitos países, incluido Espanha, se convocam manifestações populares, nas que os trabalhadores são os protagonistas. Este mesmo mês, no dia 9, celebra-se o Dia da Vitória, com impressionantes desfiles do exército russo, que constituem todo um espetáculo. Em outubro, no dia 7, se comemora o Dia da Constituição. Estas festividades oficiais celebram-se em toda a Comunidade dos Estados Independentes. Fecham-se todas as instituições públicas e também as empresas privadas, indústrias, comércios e bares.

Porém, têm trabalho extra os meios de transporte, pois se produz muito movimento de pessoas que não querem perder os eventos.

Também celebram-se festas próprias de cada república componente da CEI. Os russos celebram o Dia de sua Independência, o dia 12 de junho saindo à rua para contemplar desfiles militares e sobretudo, para reunir-se com familiares, vizinhos e amigos.

As festividades religiosas são muito importantes e existe um amplo leque delas, pois variam dependendo de cada credo. Por exemplo, os ortodoxos se reunem para celebrar o Ano Novo no dia 7 de janeiro, enquanto que os mulçumanos, o fazem em meados de agosto e, os católicos comemoram o nascimento de Cristo nos dias 24 e 25 de dezembro. Porém, existem muitas mais festividades religiosas, armênios, georgianos e hebreus, entre outros, têm suas próprias celebrações.

Cada grupo religioso segue seu calendário pelo que não é estranho encontrar festividades durante todo o ano. Todas elas são muito atrativas, para pessoas de uma cultura diferente e lembre-se que é muito importante mostrar um enorme respeito, por estas celebrações que despertam em seus fiéis sentimentos muito profundos.

O dia 7 de novembro celebra-se o Aniversário da Revolução Russa. Os nostálgicos de tempos passados saem às ruas, para lembrar o triunfo do regime comunista. Nos últimos anos, também se manifistam pessoas sem nenhuma ideologia definida, que pedem uma melhora da difícil situação econômica destes países.

Transportes

Avião

Tanto Moscou como São Petersburgo e Kiev contam com aeroportos, embora apenas o de Moscou receba vôos internacionais. Dali pode ligar-se, através das linhas nacionais, para as outras duas cidades. Devido à grande distância entre Espanha e a CEI, este é o melhor modo para chegar à Comunidade dos Estados Independentes. O Sheremetevo é o aeroporto internacional de Moscou que encontra-se a 40 km. do centro da cidade. Está bem comunicado através de ônibus e táxis. Em Kiev o aeroporto está a 38 km.

Carro

Se vai conhecer Kiev através de um tour turístico, fixado por uma agência de viagens, não terá nenhum problema, mas se decidir fazê-lo em automóvel lembre-se, que deve passar antes por uma agência turística, para indagar as fronteiras de entrada e saída do país que vai utilizar e, qual é o percurso previsto. Não terá problemas para alugar um carro, pois existem empresas de aluguél, tanto no aeroporto como nos principais hotéis. Lembre-se que deve fazer a reserva do carro com antecipação.

Transporte Público

No interior das cidades não terá nenhum problema para utilizar o transporte público. Os horários vão desde às 5.30 horas da manhã, até a uma da madrugada.

Embora os indicadores das estações, percursos e linhas estão escritos em alfabeto cirílico a verdade é que não resulta muito difícil manejar-se, sobretudo, no metrô.

As estações do metropolitano estão assinaladas com um M e a passagem é muito econômica. Na entrada encontram-se as máquinas que por uns escassos kopeks lhe permitirão o acesso a um mundo que não deve perder-se.

Se você preferir utilizar o ônibus, o transvia ou os trólebus tenha em conta, que não existe cobrador. As passagens se adquirem em umas máquinas automáticas, que estão instaladas no interior dos veículos ou bem, comprando um talão com o condutor, que perfurará um em cada viagem.

Os táxis são de várias cores; negros, verdes e amarelos, todos eles com uma linha branca e negra nas portas que imita um tabuleiro de xadrez, assim como, uma luz verde no lado direito, por cima do parabrisas. Funcionam 24 horas do dia e, embora a maioria levam taxímetro o certo é que utiliza-se pouco. O habitual é acordar o preço da corrida antes de empreende-la e, se costuma pagar em dólares. A precária economia das repúblicas da CEI, empurra alguns taxistas a quererem abusar dos turistas pelo que se deve ter cuidado.

Fonte: www.rumbo.com.br

Ucrânia

Nome Oficial: Ucrânia

Área: 603.700 km2

Localização geográfica: Centro - Leste de Europa

Limites: Ao norte a Ucrânia faz fronteira com a Bielorússia; a nordeste e leste com a Federação Russa; a sudoeste com Romênia, Moldávia e Hungria; a oeste com a Eslováquia e a Polônia. Ao sul a Ucrânia é banhada pelo Mar Negro e pelo Mar de Azov.

A extensão de suas fronteiras é de 6.500 km, incluindo 1.050 km de fronteiras marítimas.

População: 46,8 milhões (estimativa de agosto de 2005)

Capital: Kyiv (2,6 milhões)

Cidades principais:

Kharkiv (1,6 milhões)
Dnipropetrovsk (1,2 milhões)
Odessa (1,2 milhões)
Donetsk (1,1 milhões)
Lviv (0,8 milhões)

Sistema de Governo: República Parlamentarista e Presidencial

Sistema Legislativo: Parlamento (“Verkhovna Rada”) com 450 membros eleitos pelo voto direto.

Língua oficial: Ucraniana

Moeda: Hryvnya (UAH)

Taxa de câmbio: US$/UAH 5,05 (novembro de 2006)

PIB: US$ 84 bilhões (de 2006)

PIB agropecuária: 23%

PIB indústrias: 42%

PIB serviços: 35%

Exportação: US$ 34,9 bilhões (11 meses de 2006)

Importação: US$ 39,8 bilhões ( 11 meses de 2006)

Taxa de desemprego: 3,4% (estimativa 2006)

Chefe de Estado: Presidente - S.E.SR. Viktor Yuschenko, eleito pelo voto direto para 5 anos em dezembro de 2004

Chefe de Governo: Primeiro-ministro - S.E.SR. Viktor Yanukovych (julho de 2006)

Presidente do Parlamento: S.E.SR. Oleksander Moroz (maio de 2006)

Divisão Administrativa:

24 províncias (óblast) as quais são subdivididas em municípios (raión) e a República Autônoma da Criméia.

As cidades de Kyiv (capital) e Sebastópol (porto no Mar Negro) são subordinadas diretamente ao governo central.

Religião: Cristianismo (ortodoxos – maioria, católicos), Judaísmo e Islâmico (minoria)

Constituição: A nova constituição da Ucrânia foi promulgada em 28 de junho de 1996

Ucrânia - Características e Potencialidades

As mudanças democráticas da Ucrânia coincidem com aquelas do mapa geopolítico da Europa. No dia 24 de agosto de 1991, a Ucrânia proclamou a sua Independência. É de se ressaltar que a Ucrânia conseguiu a Independência pela terceira vez na sua longa história. Há mais de mil anos, formou-se o primeiro Estado Ucraniano, com o seu centro na cidade de Kyiv. Foi considerável sua contribuição à cultura mundial. Mas as invasões tartaromongóis no século XIII, fizeram com que o Estado Ucraniano fosse dividido em vários estados. Nos séculos XVI e XVII, renasceu, como a República dos Kossacos, o país mais democrático da Europa daquela época. Seria suficiente frisar que o seu Presidente, o Hétman P. ORLYK serviu de modelo ao redigir-se a carta magna dos Estados Unidos da América .

Na República dos Kossacos a alfabetização era geral, sendo obrigatória e gratuita. Publicavam-se livros, florescia a arte, organizavam-se teatros e museus. Em 1632 foi fundada a Universidade na capital da República, esta logo tornou-se importante centro de educação na Europa daqueles tempos. A Ucrânia dispunha de um magnífico exército, cuja tática de combate era reconhecida por toda a Europa. Não é nada casual que o Hétman da Ucrânia tenha sido nomeado o comandante-em-chefe das tropas unificadas de todos os exércitos da Europa, na luta com antigo Estado Turco. Como outrora, Kyiv que arcou com o peso do golpe destruidor dos tártaros-mongóis, banindo seu avanço, salvando a Europa da invasão da Idade Média, a República dos Kossacos resistiu aos ataques dos turcos à Europa.

Em geral, a história da Ucrânia é marcada pela luta em favor de sua Independência que foi conseguida só em 1918 que durou até 1920.

E, pela terceira vez, como conseqüência dos acontecimentos políticos em Moscou, onde fracassou a tentativa do golpe de Estado, o Parlamento da Ucrânia proclamou, no dia 24 de agosto de 1991, a plena Independência do País, que foi confirmada por plebiscito, no dia 1o de dezembro do mesmo ano.

Qual é a importância da Ucrânia independente?

Primeiro, deve-se mencionar que, numa situação geográfica muito favorável, localizada no centro da Europa, com magníficas condições climáticas, com uma população atual de cerca de 47 milhões e com um território superior a 600 mil quilômetros quadrados, a Ucrânia possui as fabulosas terras negras com o húmus natural mais fértil do planeta (quase 25 % das reservas mundiais), grandes reservas de carvão, minério de ferro, níquel, titânio, manganêsio, urânio, etc. Com o seu potencial econômico e técnico-científico, a Ucrânia é um dos países mais desenvolvidos da Europa .

As estatísticas da UNESCO revelam que o complexo técnico - científico ucraniano constitui 6,5% do mundial, enquanto que a sua população corresponde a 0,1% do mundo. Na ciência, ocupa as primeiras linhas no desenvolvimento da tecnologia de construção de aviões e navios, na solda elétrica, cibernética e em outras áreas. Possui bem formada infraestrutura moderna. Nas costas do Mar Negro e do Mar de Azov encontram-se os complexos portuários de Odessa, Ilichivsk, Mykolayiv, Khersón, Mariupol, etc, que asseguraram aproximadamente 20% de todas as exportações da ex-URSS. Pelo território da Ucrânia passam vias fluviais e férreas, assim como estradas internacionais, 5 oleodutos e gasodutos transeuropeus, linhas de transmissão elétrica de alta tensão, o que dá ao País a possibilidade de ser considerado como uma espécie de ponte de ligação entre o Leste e o Ocidente da Europa.

Na ex-URSS, a Ucrânia produzia cerca de 40% de todo o volume do ferro fundido, do minério de ferro, do manganêsio e do carvão, 30 % de toda a construção de maquinaria pesada (mísseis, aviões de carga de grande porte, navios, locomotivas, tratores e retroescavadeiras etc), uma parte considerável do equipamento metalúrgico e energético (turbinas) e aproximadamente 50 milhões de toneladas de grãos anualmente. Produzia ainda 25% de todo o material bélico da ex-URSS. É por isso que hoje, é de suma importância para a Ucrânia solucionar o problema da conversão e reorientação de sua indústria militar para suprir as necessidades do seu povo.

Todo o exposto demonstra que a Ucrânia é um parceiro atraente para a cooperação econômica, sendo também um mercado de grandes possibilidades para os produtos estrangeiros. A economia nacional está em condições de satisfazer aproximadamente 80% de suas necessidades, com produção e reservas próprias, mas depende da importação de petróleo e gás (atualmente consome até 45 milhões de toneladas de petróleo, sendo a produção nacional de aproximadamente 8 milhões de toneladas). Em seu território, que constituiu 3% da ex-URSS, eram produzidos mais de 40 % de todos os produtos do Estado soviético.

Exportações: maquinária pesada, manufaturados de metal, produtos petroquímicos, minério de ferro, ferrogusa, laminados, tubos de aço, adubos minerais, concreto, locomotivas, carvão, alimentos, açúcar, bens de consumo.

Importações: computadores, instrumentos de alta precisão, café, gás, petróleo, madeira, algodão, bauxitas, soja, herbicidas.

A Imigração Ucraniana no Brasil

Há mais de 100 anos, em 1891, os primeiros imigrantes ucranianos vieram ao Brasil, onde se fixaram no Paraná. Perfaziam ao todo, de 25 a 30 famílias vindas da Galícia (Ucrânia Ocidental). Esses primeiros imigrantes foram atraídos por alqueires de terra fértil que o Império do Brasil oferecia para quem quisesse se estabelecer na província do Paraná. Em 1895-1896, devido a intensa propaganda, cerca de 5 mil famílias abandonaram a Ucrânia Ocidental e vieram povoar o Paraná, sobretudo por aquele estado ter um clima semelhante ao europeu.

A partir de 1908, ocorreu a segunda etapa da colonização ucraniana, durante a construção da Estrada de ferro Paraná - Rio Grande do Sul - Santa Catarina. O Governo brasileiro, no intuito de atrair os interessados para essa grande obra, pagava as passagens de navio e as despesas com mantimentos. Milhares de eslavos foram se instalando nas margens da ferrovia que construíram, em Iratí, Ponta Grossa, Mallet, Dorizon, Paulo Frontin, União da Vitória, etc. Essa segunda etapa se prolongou até a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais. Muitos ucranianos emigraram, motivados principalmente por já ter parentes no Paraná. Atualmente no Brasil, há cerca de 400 000 ucranianos e seus descendentes, dos quis, 90% estão no Paraná.

Turismo

Com a recente abertura das fronteiras ucranianas, cada vez mais turistas procuram aquele destino, que até pouco tempo era desconhecido e pouco divulgado.

Agências de viagens de todo o mundo começam a colocar a Ucrânia em seus roteiros, pois são muitas as atrações desse país; seja pela paisagem maravilhosa dos campos de girassóis ou pelo cruzeiro pelo rio Dnipró até a Criméia (Mar Negro) e também pela encantadora paisagem dos Montes Cárpatos, tudo é lembrado com muito carinho pelos turistas, que não imaginavam encontrar tantas atrações num só país.

Lembramos que é imperdível um passeio pelas estações do metrô de Kyiv, que são as mais profundas do mundo (uma delas atinge 200 metros de profundidade) e também, que não se pode deixar de mencionar o brilho das numerosas cúpulas que existem na milenar capital. Considerada capital mais verde do mundo, Kyiv possui uma variedade de parques e canteiros de flores que deixam o ar da cidade com um suave perfume.

A navegação fluvial pelo rio Dnipró pode ser considerada um modelo de tecnologia, pois, no percurso de Kyiv até Odessa existem várias eclusas, algumas delas, as mais altas do mundo.

A operadora ucraniana no Brasil, a Dnipró Gold e a Verhovyna, organizam excursões àquele país com um aumento cada vez maior de interessados em desfrutar de um dos mais lindos países europeus.

Fonte: www.ucrania.org.br

Ucrânia

Nome oficial: República da Ucrânia (Ukrayina).

Nacionalidade: ucraniana.

Data nacional: 24 de agosto (Independência).

Capital: Kiev.

Cidades principais: Kiev (2.635.000), Kharkov (1.576.000), Dnipropetrovs'k (1.162.000), Donets'k (1.102.000), Odessa (1.060.000) (1995).

Idioma: ucraniano (oficial), russo.

Religião: cristianismo (maioria ortodoxa).

GEOGRAFIA

Localização: centro-leste da Europa.
Hora local:
+5h.
Área:
603.700 km2.
Clima:
temperado continental.
Área de floresta:
2 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 50,5 milhões (2000), sendo ucranianos 73%, russos 22%, outros 5% (1996).
Densidade:
83,65 hab./km2.
População urbana:
68% (1998).
População rural:
32% (1998).
Crescimento demográfico:
-0,4% ao ano (1995-2000).
Fecundidade:
1,38 filho por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F:
64/74 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil:
19 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo:
0% (2000).
IDH (0-1):
0,744 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: República com forma mista de governo.
Divisão administrativa:
24 províncias, 1 república autônoma (Criméia) e 2 áreas metropolitanas (Kiev e Sebastopol).
Principais partidos:
Comunista da Ucrânia (PC), Movimento Popular da Ucrânia (Rukh), Socialista da Ucrânia (SoPU), dos Camponeses da Ucrânia (SelPU), Popular Democrata da Ucrânia.
Legislativo:
unicameral - Conselho Supremo, com 450 membros eleitos por voto direto para mandato de 4 anos.
Constituição em vigor:
1996.

ECONOMIA

Moeda: hryvna.
PIB:
US$ 43,6 bilhões (1998).
PIB agropecuária:
14% (1998).
PIB indústria:
34% (1998).
PIB serviços:
52% (1998).
Crescimento do PIB:
-11,9% ao ano (1990-1998).
Renda per capita:
US$ 980 (1998).
Força de trabalho:
25 milhões (1998).
Agricultura:
trigo, cevada, outros cereais, beterraba, batata.
Pecuária:
bovinos, suínos, ovinos, aves.
Pesca:
403 mil t (1997).
Mineração:
minério de ferro, manganês, petróleo, gás natural, carvão, turfa.
Indústria:
metalúrgica, máquinas, química, engenharia mecânica.
Exportações:
US$ 12,6 bilhões (1998).
Importações:
US$ 14,7 bilhões (1998).
Principais parceiros comerciais:
Federação Russa, China, Belarus, Turcomenistão, Alemanha.

DEFESA

Efetivo total: 346,4 mil (1998).
Gastos: US$ 1,4 bilhão (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

voltar 12345avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal