Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Urano - Página 3  Voltar

Urano



Urano é o 7.º planeta a contar do Sol e o 3.º maior deles. Faz parte do grupo dos planetas exteriores, ocupando neste grupo a 3.ª posição.

Este planeta é designado com o nome da antiga deus grego dos céus, o mais velho deus supremo.

Úrano mede sensivelmente quatro vezes o tamanho da Terra. O tempo que leva a percorrer a órbita em torno do Sol corresponde a cerca de 84 anos terrestres. Um dia em Úrano tem a duração de 10 horas e 42 minutos.

A atmosfera de Úrano é composta por cerca de 85% de hidrogénio, 12% de hélio e 3% de metano. A temperatura média na atmosfera é de -210º C.

Como os outros planetas gasosos, Úrano tem um grupo de nuvens que se movem rapidamente, mas que neste planeta são pouco densas e não visíveis sem instrumentos próprios. A cor que caracteriza este planeta é o azulado. Este tom azulado de Úrano resulta da absorção da luz vermelha pelo metano na alta atmosfera. Outros grupos coloridos podem existir em Úrano, mas por agora não foram avistados visto poderem estar "escondidos" pela camada de metano.

Úrano é um planeta significativamente diferente dos restantes devido à sua acentuada inclinação. Pensa-se que esta posição invulgar tenha resultado de uma colisão com um corpo celeste do tamanho de um planeta, logo no princípio da formação do Sistema Solar.

Urano
Urano visto pelo Hubble com os seus anéis

O planeta Úrano foi visitado apenas uma vez em Janeiro de 1986 pela sonda espacial Voyager 2, a qual permitiu que se observassem inúmeras características deste astro. Tal como os outros planetas gasosos, Úrano também tem um sistema de anéis. São muito escuros e compostos por partículas grandes e regulares, juntamente com alguma poeira. Os anéis de Úrano foram os primeiros a ser descobertos depois dos de Saturno, o que se revelou de grande importância, uma vez que permitiu avançar nas investigações de que os anéis são comuns entre os planetas e não exclusivos de Saturno.

Úrano encontra-se no limite da visibilidade a "olho nú", mas é perfeitamente visível da Terra com binóculos normais.

Este planeta percorre a sua rota orbital a uma velocidade aproximada de 6,8 km/s. Durante os 84 anos que demora a percorrer este longo caminho, Úrano atinge o seu afélio quando se encontra a cerca de 3004 milhões de quilómetros do Sol. Por outro lado, para atingir o seu periélio, Úrano tem que se encontrar a uma distância de aproximadamente 2735 milhões de quilómetros do Sol.

Os satélites de Úrano

Dos mais de 20 satélites de Úrano que se conhecem até hoje todos são gelados e na sua maioria encontram-se mais afastados do que os anéis. Do total de satélites, 10 estão situados na zona interior dos anéis, sendo pequenos e escuros. As restantes cinco luas têm maiores dimensões, bem como uma grande variedade no relevo superficial.

Fonte: oficina.cienciaviva.pt
Urano

Urano é o sétimo planeta a contar do Sol, em torno do qual efectua a sua translação em 84 anos, a uma distância de 19,2 UA. Com 60 vezes o volume da Terra e 14 vezes a sua massa, é o terceiro maior do Sistema Solar.

Urano

Tal como os outros planetas gigantes, não tem superfície sólida e a sua atmosfera é composta principalmente por hidrogénio e hélio. A sua cor azulada revela a presença de metano acima das camadas de nuvens. Apesar de, da terra, não se notarem detalhes nesta atmosfera, a sonda Voyager 2 descobriu algumas nuvens ténues que se deslocavam para oeste a velocidades entre os 100 e os 600 quilómetros por hora.

Este planeta tem, no entanto, algo de peculiar. O seu eixo de rotação faz com o plano da sua órbita um ângulo de 97 graus. Assim o planeta parece rolar como uma bola ao longo da órbita, em contraste com os restantes que giram como piões. Isto poderá ter sido provocado por uma colisão com um corpo celeste de dimensão planetária, ainda na juventude do Sistema Solar.

Urano

Urano foi o primeiro planeta a ser descoberto através de observação telescópica, em 1781 por William Herschel, e foi inicialmente confundido com um cometa.

Em 1977, ao observar a passagem de Urano em frente de uma estrela (ocultação), verificou-se que esta desaparecia e reaparecia quando o planeta se aproximava da localização aparente da estrela. Isto só seria possível se Urano estivesse rodeado de um sistema de anéis, como foi posteriormente confirmado. O número de anéis conhecidos, que começou por ser 6, aumentou para 11 aquando da passagem pelo planeta da sonda Voyager 2,em 1986.

Urano

Conhecem-se 17 satélites em torno deste planeta, dos quais os maiores têm menos de metade do tamanho da nossa Lua.

Fonte: www.astrosoft.mocho.pt
Urano

Planeta Úrano

Úrano é o sétimo planeta a contar do Sol. Sua distância média ao Sol é de cerca 2.870 milhões de km. É o terceiro maior planeta do Sistema Solar com um pouco mais de 51.000 km de diâmetro no equador. Úrano, tal como Júpiter, Saturno e Neptuno, é um planeta gasoso. Sua atmosfera é constituída principalmente por hidrogénio e hélio; existe também uma quantidade significativa de metano, fazendo com que este planeta apresente uma coloração azulada.

Úrano demora menos de 18 horas a dar uma volta sobre si próprio, porém essa rotação é feita no sentido retrógrado (tal como Vénus). Em termos de translação, Úrano demora cerca de 84 anos a completar uma volta ao redor do Sol.

Este planeta também possui um sistema de anéis, apesar destes serem ténues. Os primeiros anéis foram descobertos em 1977.

Este foi o primeiro planeta a ser descoberto com recurso ao telescópio, a 13 de Março de 1781 pelo astrónomo inglês de origem alemã William Herschel. O brilho de Úrano a partir da Terra está no limite daquilo que é possível ser visto a olho nú, pelo que antes dessa data já fora visto por outros astrónomos, mas estes pensaram que se tratava de uma estrela, como é o caso do astrónomo inglês John Flamsteed que em 1690 o catalogou como sendo a estrela 34 Tauri.

Até à data apenas uma sonda espacial passou por Úrano, revelando muito sobre este planeta. Foi Voyager 2 que 1986 passou a menos de 81.500 km do topo das nuvens. Esta sonda enviou para a Terra 7.000 fotografias de Úrano e de seus satélites.

Úrano possui actualmente 27 satélites naturais conhecidos.

Fonte: www.astro.110mb.com

Urano

Urano

Urano (também referido como Úrano) é um planeta do Sistema Solar situado entre Saturno e Neptuno. Descoberto em 1781, recebeu o nome de Georgium Sidus, em homenagem ao rei Jorge III do Reino Unido. Por muitos anos ficou conhecido como Georgian, finalmente em 1850, ele foi rebatizado de Urano, de acordo com a tradição de dar o nome de deuses a planetas. É o 7.o na ordem das distâncias ao Sol. Tem 15 satélites ao seu redor e um fino anel de poeira. O seu diâmetro é de cerca de 51 000 km, isto é, 4 vezes superior ao da Terra.

Uma curiosidade deste planeta que é digna de nota, diz respeito a sua inclinação axial próxima de 90º, ou seja, Urano praticamente gira "deitado", estando suas regiões equatoriais muito fracamente expostas a luz e energia solar. O que ainda permanece incógnito e sem resposta clara, é o fato de a temperatura destas regiões não serem menores do que as temperaturas registradas nos pólos, estes, em função da inclinação axial, mais expostos a radiação solar. É provável que haja algum tipo de geração de calor e que a dinâmica atmosférica deste planeta promova de alguma forma, o aquecimento das regiões equatoriais, mas até o momento não há consenso entre os cientistas.

Urano é o sétimo planeta em distância a partir do Sol e o terceiro em tamanho, com um diâmetro de 51 000 km.

Parece constituir-se de uma densa mistura de diferentes tipos de gelo e gás ao redor de um núcleo sólido. Sua atmosfera compõe-se de traços de metano, que dá ao planeta uma coloração azul-esverdeada, e sua temperatura no topo das nuvens é de cerca de -210ºC. Urano é, entre os planetas que foram observados de perto, o que apresenta menos estruturas: até agora foram vistas apenas algumas nuvens de metado congeladas. Urano é o único dos planetas que tem o eixo de rotação no plano orbital. Como conseqüência do seu eixo de rotação fortemente inclinado, Urano gira de lado ao longo de sua trajetória orbital ao redor do Sol, ao passo que os outros planetas giram mais ou menos em pé.

Urano é rodeado por onze anéis que são compostos de rochas entremeadas com faixas de poeira. Os anéis contém a matéria mais escura do Sistema Solar e são extremamente estreitos, e pór isso é difícil detectá-los; nove deles têm menos de 10 km de largura, ao contrário da maior parte dos anéis de saturno, cuja largura é de milhares de quilômetros.

Existem quinze luas uranianas conhecidas, todas de gelo, e a maior parte delas está fora dos anéis. As dez luas mais internas são pequenas e escuras, com diâmetros inferiores a 160 km e as cindo mais externas têm diâmetros entre 470 e 1 600 km. As luas mais externas apresentam uma grande variedade de características em sua superfície. Miranda tem a superfície mais diversificada, com regiões cheias de crateras nas quais se elevam enormes espinhaços e penhascos com 20 km de altura.

Urano na Mitologia

Na mitologia grega, Uranus representava o céu. Era filho e marido de Gaea, a Terra, com quem gerou os gigantes e ciclopes, dos quais baniu da família a Tartarus, e mais tarde os titans. Gaea estava brava por seus filhos terem sido presos por Uranus, e mandou os Titans contra ele. Cronus, seu guia, castrou Uranus e o sucedeu como regulador do Universo. Segundo a Theogonia de Hesiod, Afrodite nasceu da espuma dos genitais descartados de Uranus quando caíram no mar.

Satélites

Urano tem cinco satélites maiores: Miranda, descoberto por Gerard Kuiper em 1948; Ariel e Umbriel, descobertos por William Lassell em 1851; e Titania e Oberon, descobertos por William Herschel em 1787. Mais 10 pequenos satélites foram descobertos em fotografias da Voyager 2, todos orbitando em órbitam bem dentro da de Miranda. Os cinco maiores satélites - e pelo que parece os menores - parecem estar numa órbita sincrônica; isto é, eles estão sempre com a mesma face voltada para Urano durante suas órbitas. Como as partículas nos anéis de Uranos, os satélites têm a superfície negra como carvão. Alguns dos satélites maiores parecem ter algum brilho, refletindo desde 19% (Umbriel) a 40% (Ariel) da luz solar que cai neles.

Além de ser o satélite maior mais escuro, Umbriel é o que tem menos marcas geológicas. Os outros quatro satélites têm complexas evidências geológicas.

Oberon e Tiânia são similares em tamanho, cor e reflectibilidade. Porém Titania tem uma maior fração de pequenas crateras e fissuras na superfície, indicando que tem uma superfície geológica mais recente. Oberon tem como marca uma montanha que atinge cerca de 20 km acima da superfície.

Fonte: pt.wikipedia.org

Urano

raio equatorial = 26320 km
massa = 8,70E25 kg = 14,56 massas terrestres = 1/22869 massas solares
densidade = 1,1 g/cm^3
período de rotação = 17 h 14 min
inclinação do equador = 97,9°
achatamento = 0,023
temperatura = 65 K
albedo geométrico = 0,51
magnitude absoluta = -7,19
número de satélites conhecidos = 15

Urano foi descoberto em 1781 pelo astrônomo amador William Herschel, que pensou inicialmente que se tratava de um cometa. O movimento lento indicava que o corpo estava além da órbita de Saturno. Baseado nas primeiras observações, o astrônomo Anders Lexell calculou a órbita do corpo como sendo circular. Quem sugeriu o nome Urano ao planeta foi Johann Bode, mas passaram cinco décadas até que o nome fosse completamente aceito.

Urano se encontra a uma distância média de 19 UA do Sol e leva 84 anos para completar uma revolução em torno do Sol. A inclinação de seu eixo de rotação é de 98°, o que faz com que um dos polos fique iluminado e o outro não por décadas. Seu período de rotação é 17.3 horas.

Quando visto através de telescópio, o planeta apresenta uma coloração esverdeada, esta cor se deve a existência de metano em sua atmosfera.

A estrutura interna de Urano é prevista como sendo diferente dos outros planetas gasosos. Há um núcleo rochoso e ao redor deste há uma camada de água, esta por sua vez fica envolta por um manto formado por hidrogênio e hélio. Urano possui campo magnético, a existência deste é devido a existência da mistura de água, metano e amônia no interior do planeta, que devido a alta pressão se dissociam em íons, fazendo com que o meio se torne um eletrólito; as correntes de convecção existentes neste meio são as geradoras do campo magnético. A intensidade do campo magnético no topo das nuvens é similar ao terrestre, mas como Urano é maior que a Terra, a força de seu campo magnético é maior. O campo magnético de Urano está inclinado 60° com relação ao eixo de rotação, sendo o planeta onde esta inclinação é máxima.

Urano possui anéis, estes foram descobertos em 1977 durante uma ocultação estelar. Hoje conhecemos 10 aneis ao redor do planeta, 9 descoberdos da Terra e um pela sonda Voyager2. Todos anéis são escuros e pequenos, com metros ou alguns kilometros de espessura. A sonda Voyager2 mostrou que estes são constituidos de poeira muito fina, assim como os de Júpter e Saturno. A poeira é mais escura que qualquer material conhecido e a origem de sua coloração é desconhecida.

Urano possui 15 satélites naturais, sendo que 10 foram descobertos pela sonda Voyager2. A composição dos satélites é similar a dos planetas gasosos e sua densidade média é próxima a da água. Miranda ocupa a órbita mais interna dos maiores satélites de Urano, possui formações geológicas em forma de 'V', é possivel que isto indique que estas formações resultem de uma colisão com outro corpo. Umbriel é outra lua, que apresenta uma coloração escura, sua superfície é coberta por crateras sem sinais de atividade geológica.

São os satélites de Urano: Ariel, Umbriel, Titania, Oberon, Miranda, Cordelia, Ophelia, Bianca, Cressida, Desdemona, Juliet, Portia, Rosalind, Belinda e Puck.

Fonte: www.geocities.com

voltar 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal