Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Urano  Voltar

Urano

Urano é um dos gigantes azuis e rodeados de anéis. A peculiaridade que o caracteriza é que se translada "inclinado" em torno do Sol. Durante sua formação, um objeto do tamanho da Terra o golpeou. Como conseqüência, durante uma das metades do recorrido orbital, um pólo localiza-se em frente ao Sol, e durante a outra metade o outro pólo assume esta localização. Possui 15 luas, 11 anéis e um poderoso campo gravitacional.

DADOS TÉCNICOS

DIÂMETRO EQUATORIAL: 51.800 km

DISTÂNCIA MÉDIA DO SOL: 2.871.000.000 km

PERÍODO DE TRANSLAÇÃO (ANO): 84 anos terrestres

PERÍODO DE ROTAÇÃO (DIA): 17 horas e 12 minutos.

PRINCIPAIS COMPONENTES ATMOSFÉRICOS: hidrogênio, hélio e metano

TEMPERATURA SUPERFICIAL: -212° C

GRAVIDADE: 0,93 g (1 g = 9,8 m/s2)

Fonte: educar.sc.usp.br

Urano

Urano é o sétimo planeta a partir do Sol e é o terceiro maior no sistema solar. Foi descoberto por William Herschel em 1781. Tem um diâmetro equatorial de 51,800 quilómetros (32,190 milhas) e orbita o Sol a cada 84.01 anos terrestres. A distância média ao Sol é 2.87 biliões de quilómetros (1.78 biliões de milhas). A duração de uma dia em Urano é 17 horas e 14 minutos. Urano tem pelo menos 15 luas. As duas maiores luas, Titânia e Oberon, foram descobertas por William Herschel em 1787.

A atmosfera de Urano é composta por 83% de hidrogénio, 15% de hélio, 2% de metano e pequenas porções de acetileno e outros hidrocarbonetos. O metano na alta atmosfera absorve a luz vermelha, dando a Urano a sua cor azul-esverdeada. A atmosfera está organizada em nuvens que se mantêm em altitudes constantes, semelhantes à orientação das faixas latitudinais vistas em Júpiter e Saturno. Os ventos a meia-latitude em Urano sopram na direção da rotação do planeta. Estes ventos sopram a velocidades de 40 a 160 metros por segundo (90 a 360 milhas por hora). Experiência com sinais de rádio registaram ventos de cerca de 100 metros por segundo soprando na direção oposta no equador.

Urano distingue-se pelo fato de estar inclinado para um lado. Pensa-se que a sua posição invulgar é resultado da colisão com um corpo do tamanho de um planeta no início da história do sistema solar. A Voyager 2 descobriu que uma das influências mais notáveis desta posição inclinada é o seu efeito na cauda do campo magnético, que por sua vez está inclinado 60 graus em relação ao eixo de rotação. A cauda magnética mostrou-se torcida pela rotação do planeta numa forma espiralada atrás do planeta. A origem do campo magnético é desconhecida; O oceano de água e amónia eletricamente condutivo e super-pressurizado que se pensava estar entre o núcleo e a atmosfera, vê-se agora que não existe. Crê-se que os campos magnéticos da Terra e de outros planetas provêm de correntes elétricas produzidas pelos seus núcleos fundidos.

Os Anéis de Urano

Em 1977, foram descobertos os primeiros nove anéis de Urano. Durante os encontros da Voyager, estes anéis foram fotografados e medidos, tal como outros dois anéis. Os anéis de Urano são muito diferentes dos de Júpiter e Saturno. O anel épsilon exterior é composto principalmente por blocos de gelo com vários pés de diâmetro. Uma distribuição muito ténue de poeira fina também parece estar dispersa pelo sistema de anéis.

Pode existir um grande número de anéis estreitos, ou possivelmente anéis incompletos ou arcos de anéis, tão pequenos quanto 50 metros (160 pés) de largura. Descobriu-se que as partículas individuais dos anéis são de baixa refletividade. Descobriu-se que pelo menos um anel, o épsilon, tem a cor cinzenta. As luas Cordelia e Ofélia agem como satélites pastores para o anel épsilon.

Estatísticas de Úrano
Descoberto por William Herschel
Data da descoberta 1781
Massa (kg) 8.686e+25
Massa (Terra = 1) 1.4535e+01
Raio equatorial (km) 25,559
Raio equatorial (Terra = 1) 4.0074
Densidade média (gm/cm^3) 1.29
Distância média ao Sol (km) 2,870,990,000
Distância média ao Sol (Terra = 1) 19.1914
Período de rotação (horas) -17.9
Período orbital (anos) 84.01
Velocidade orbital média (km/seg) 6.81
Excentricidade orbital 0.0461
Inclinação do eixo (graus) 97.86
Inclinação orbital (graus) 0.774
Gravidade à superfície no equador (m/seg^2) 7.77
Velocidade de escape no equador (km/seg) 21.30
Albedo geométrico visual 0.51
Magnitude (Vo) 5.52
Temperatura média das nuvens -193°C
Pressão atmosférica (bars) 1.2
Composição atmosférica
Hidrogénio 83%
Hélio 15%
Metano 2%

Vistas de Urano

Urano

Esta vista de Urano foi obtida pela Voyager 2 em Janeiro de 1986. O tom verde da atmosfera é devido ao metano e ao fumo fotoquímico de grande altitude. (Crédito: Calvin J. Hamilton)

Urano em Cor Verdadeira e Falsa

Urano

Estas duas imagens de Urano, uma em cor verdadeira (esquerda) e a outra em cor falsa, foram compiladas de imagens obtidas em 17 de Janeiro de 1986 pela câmara de pequena angular da Voyager 2. A sonda estava a 9.1 milhões de quilómetros (5.7 milhões de milhas) do planeta, a vários dias da maior aproximação. A figura da esquerda foi processada para mostrar Urano tal como os olhos humanos o veriam do ponto vantajoso da sonda. A fotografia é uma composição de imagens obtidas com filtros azul, verde e laranja. A sombra mais escura na parte superior direita do disco corresponde ao limite entre o dia e a noite no planeta. Para além deste limite está o hemisfério norte escondido de Urano, que permanece na total escuridão enquanto o planeta roda. A cor azul-esverdeada resulta da absorção da luz vermelha pelo gás metano na atmosfera profunda, fria e notavelmente clara de Urano. A fotografia da direita usa cor falsa com aumento extremo do contraste para salientar detalhes subtis na região polar de Urano. Imagens obtidas com filtros ultravioleta, violeta e laranja foram respectivamente convertidas para as mesmas cores azul, verde e vermelha usadas para produzir a fotografia da esquerda. Os ligeiros contrastes observados na foto de cor verdadeira estão muito exagerados nesta. Nesta foto em falsa cor, Urano revela uma calota polar escura rodeada por uma série de faixas concêntricas progressivamente mais claras. Uma explicação possível é que uma névoa ou fumo castanho, concentrado acima do polo, é disposta em faixas pelos movimentos locais da atmosfera superior. A faixa brilhante laranja e amarela no limite inferior do planeta é um resultado do melhoramento da imagem. De fato, o limite é escuro e uniforme em cor à volta do planeta. (Cortesia NASA/JPL)

Imagem de Despedida da Voyager

Urano

Esta vista de Urano foi registada pela Voyager 2 em 25 de Janeiro de l986, quando a sonda deixou o planeta para trás e prosseguiu a sua viagem em direção a Neptuno. A Voyager esta a 1 milhão de quilómetros (620,000 milhas) de Urano quando obteve esta foto em grande angular. A fotografia, uma composição colorida de imagens azul, verde e laranja, tem uma resolução de 140 quilómetros (90 milhas). Este fino crescente de Urano é visto de um ângulo de 153 graus entre a sonda, o planeta e o Sol. Mesmo neste ângulo extremo, Urano mantém a cor azul-esverdeada pálida vista pelos astrónomos em Terra e registada pela Voyager durante o seu encontro histórico. Esta cor resulta da presença do metano na atmosfera de Úrano; o gás absorve a luz no comprimento de onda dos vermelhos, deixando a tonalidade predominante aqui mostrada. A tendência para o crescente se tornar branco no limite é causada pela presença de uma névoa a grande altitude. (Cortesia NASA/JPL)

Hubble Captura a Rotação de Urano

Urano

Esta vista de Urano foi obtida pelo Telescópio Espacial Hubble, da NASA e revela um par de nuvens brilhantes no hemisfério sul do planeta, e uma névoa a grande altitude que forma uma "calota" acima do polo sul do planeta. Esta é apenas uma vista da sequência de três que podem ser vistas seleccionando a imagem gif acima.

Esta nova vista do Hubble foi obtida em 14 de Agosto de 1994, quando Urano estava a 2.8 biliões de quilómetros (1.7 biliões de milhas) da Terra. Estes detalhes atmosféricos tinham sido previamente vistos pela sonda Voyager 2, que passou por Urano em 1986. Desde aí, não foram possíveis mais observações detalhadas das características atmosféricas de Urano porque o planeta está limite de resolução dos telescópios terrestres.

A Câmara Planetária 2 de Campo Aberto do Hubble observou Urano através de um filtro que é sensível à luz refletida por um par de nuvens de grande altitude. Isto torna uma névoa de grande altitude acima do polo sul de Urano claramente visível, bem como um par de nuvens ou formações tipo plumagem de grande altitude que têm entre 4,300 e 3,100 quilómetros (2,500 e 1,800 milhas) de comprimento, respectivamente. (Crédito Kenneth Seidelmann, Observatório Naval Norte-Americano, e NASA)

Satélites Pastores

Urano

A descoberta de dois satélites pastores fez avançar a nossa compreensão da estrutura dos anéis uranianos. As luas, Cordelia (1986U7) e Ofélia (1986U8), são vistas aqui nos dois lados do anel brilhante épsilon; todos os 9 anéis de Urano conhecidos são também visíveis. O anel épsilon aparece rodeado por um halo escuro como resultado do processamento da imagem; marcas ocasionais vistas no anel são também artefatos. Dentro do anel épsilon estão os anéis delta, gama e eta; os anéis beta e alfa; e finalmente os anéis 4, 5 e 6, pouco visíveis. Os anéis foram estudados desde a sua descoberta em 1977. (Cortesia NASA/JPL)

Pseudo-imagem dos Anéis de Urano

Urano

Esta pseudo-imagem dos anéis de Urano foi gerada usando o filtro FDS 26852.19 da Voyager 2. Esta imagem foi obtida em luz dispersa e mostra faixas de poeira ainda não vistas em qualquer outra imagem. Uma tira de 3 pixel de largura foi obtida da parte mais detalhada da imagem, transformada numa imagem de 1 pixel de largura, rodada de 360 graus e projetada em perspectiva. A cor real dos anéis é cinzento neutro e são tão escuros como carvão. (Cortesia A. Tayfun Oner)

Os Anéis de Urano

Urano

Os 9 anéis conhecidos de Urano são visíveis aqui. As linhas mais fracas, em pastel, vistas entre os anéis são resultado do tratamento por computador. Seis imagens de pequena angular foram usadas para extrair a informação da cor dos anéis extremamente escuros e fracos. A imagem final foi feita de três médias de cor e representam uma vista em cor falsa, melhorada. A imagem mostra que o anel mais brilhante no topo, épsilon, é de cor neutra com os restantes 8 anéis mais fracos mostrando diferenças nas respectivas cores. (Cortesia NASA/JPL)

A Família de Urano

Urano

Esta montagem de imagens do sistema uraniano foi preparada de um conjunto de imagens obtidas pela sonda Voyager 2 durante o seu encontro com Urano em Janeiro de 1986. A vista artística mostra Ariel em primeiro plano, Urano logo atrás, Umbriel à esquerda, Miranda em primeiro plano à direita, Titânia desaparecendo à distância ao longe à direita, e Oberon na sua órbita distante em cima. (Cortesia NASA/JPL)

Os Anéis de Úrano
Nome Distância* Largura Espessura Massa Albedo
1986U2R 38,000 km 2,500 km 0.1 km ? 0.03
6 41,840 km 1-3 km 0.1 km ? 0.03
5 42,230 km 2-3 km 0.1 km ? 0.03
4 42,580 km 2-3 km 0.1 km ? 0.03
Alpha 44,720 km 7-12 km 0.1 km ? 0.03
Beta 45,670 km 7-12 km 0.1 km ? 0.03
Eta 47,190 km 0-2 km 0.1 km ? 0.03
Gamma 47,630 km 1-4 km 0.1 km ? 0.03
Delta 48,290 km 3-9 km 0.1 km ? 0.03
1986U1R 50,020 km 1-2 km 0.1 km ? 0.03
Epsilon 51,140 km 20-100 km < 0.15 km ? 0.03

Resumo das Luas de Úrano

A tabela seguinte resume o raio, massa, distância ao centro do planeta, descobridor e data da descoberta de cada uma das luas de Úrano:

Lua # Raio
(km)
Massa
(kg)
Distância
(km)
Descobridor Data
Cordélia VI 13 ? 49,750 Voyager 2 1986
Ofélia VII 16 ? 53,760 Voyager 2 1986
Bianca VIII 22 ? 59,160 Voyager 2 1986
Cressida IX 33 ? 61,770 Voyager 2 1986
Desdemona X 29 ? 62,660 Voyager 2 1986
Julieta XI 42 ? 64,360 Voyager 2 1986
Portia XII 55 ? 66,100 Voyager 2 1986
Rosalinda XIII 27 ? 69,930 Voyager 2 1986
Belinda XIV 34 ? 75,260 Voyager 2 1986
1986U10
XVIII 20 ? 75,000 Karkoschka 1999
Puck XV 77 ? 86,010 Voyager 2 1985
Miranda V 235.8 6.33e+19 129,780 G. Kuiper 1948
Ariel I 578.9 1.27e+21 191,240 W. Lassell 1851
Umbriel II 584.7 1.27e+21 265,970 W. Lassell 1851
Titânia III 788.9 3.49e+21 435,840 W. Herschel 1787
Oberon IV 761.4 3.03e+21 582,600 W. Herschel 1787
Caliban XVI 30 ? 7,100,000 Gladman 1997
1999U1 XIX 20 ? 10,000,000 Kavelaars 1999
Sycorax XVII 60 ? 12,200,000 Nicholson 1997
1999U2 
XX 15 ? 25,000,000 Gladman 1999
1999U3 XXI 20 ?   Holman 1999

Fonte: www.if.ufrgs.br

Urano
Ficha de Urano
Rotação (dia): 17h52m
Translação (ano): 84 anos
Diâmetro (Km): 51.118
Temperatura: -193 ºC
Gravidade: 7.77 m/seg^2
Luas: 27(Confirmadas)
Composição atmosérica:
Hidrogênio
Hélio
Metano

 

Urano

Ao contrário dos planetas vistos até agora, Urano e Netuno e Plutão não possuem um passado místico, onde eram considerados deuses, pois estes não podiam ser vistos a olho nu. Porém, seus nomes seguiram a mesma tradição.

Histórico

Este planeta tem participação recente na história da astronomia. Urano só entrou para a astronomia como planeta em 13 de março de 1781, quando Willian Herschel (1738-1822), o avistou pela primeira vez sem confundí-lo com uma estrela, pois mesmo Galileu já o havia avistado antes, mas registrou-o como um estrela de sexta magnitude. Mesmo Herschel achava que este corpo era um cometa, porém cinco meses depois, Pierre Simon Laplace (1749-1827), calculando sua órbita provou assim tratar-se de um novo planeta e que sua órbita estava além da de Saturno.

Os Campos Magnéticos

Quando a Voyager II passou por Urano, detectou um campo magnético inclinado 58o com o eixo de rotação do planeta e que não passa pelo centro do mesmo. Os astronômos pensaram que se tratava de um caso único no Sistema Solar e que por coincidência a sonda passou pelo planeta num exato momento de inversão desse campo (a exemplo do que acontece com a Terra). Porém a chance de acontecer esse encontro no período da inversão do campo magnético é muito pequena. Quando a sonda Voyager II passou por Netuno, essa situação deixou de ser um mero acaso, como nós veremos mais adiante.

Provável Interior

Apesar de se enquadrar nas características de planetas jovianos, sua massa é pequena se comparada com a de Júpiter. No entanto, a análise das informações mostrou de seu núcleo é mais denso (relativos à pressão) e de composição bemn diferente quando comparados a Júpiter e Saturno. Apresenta maiores quantidades relativas de gelo, carbono, oxigênio, silício, nitrogênio e ferro, no lugar da predominância do hidrogênio e hélio nos dois planetas anteriores.

Atmosfera Superior

A astmosfera superior de Urano é muito calma, quando comparada com os demais planetas jovianos. A análise das imagens mostrou que as variações de tonalidade não excedem a 5% e ainda por cima na faixa verde do espectro da luz visível. A cor verde deve-se a absorção seletiva da luz solar por parte do metano atmosférico.

Órbita

No caso de Urano a inclinação do eixo de rotação chega a 82,5 . Por causa disso apenas uma parte do planeta é iluminada e a outra passa por períodos de até 42 anos na escuridão. Esse efeito é único no sistema solar e provoca no planeta profundas mudanças de circulação atmosférica alterando os fenômenos meteorológicos. Essa rotação tão inclinada com o plano de órbita pode ter sido provocada pelo choque com um corpo de massa próxima a da Terra, que se formou na mesma região de Urano. Esses choques também podem ter ocorridos com Júpiter e Saturno, mas como suas massas são bem maiores as consequências não foram tão extremas.

Anéis

Os anéis de Urano foram descobertos em 1977, por ocultação de uma estrela, numa série de fotos para análise sobre a atmosfera do planeta. Esses anéis estão no interior das órbitas dos satélites conhecidos, são opacos à luz, muito estreitos no sentido radial, com menos de cem quilômetros e com muitas divisões. Pelo que se sabe são constituidos de gelo e partículas escuras que não chegam a refletir 5% da luz incidente. A origem pode ser devido a choques de pequenos satélites, mas nada se pode afirmar. Nem mesmo uma hipótese é formulada por falta de dados conclusivos.

Satélites

Além dos onze existentes foram registrados muitos outros corpos nas proximidades de Urano o que elevou o número de satélites naturais a 21. Sabe-se que compõem um sistema regular como o de Júpiter e Saturno. Com órbitas que se aproximam da circular e pouco inclinadas em relação ao plano equatorial. 
Os quatro maiores tem diâmetros entre 1.100 e 1.600 km, que são Ariel, Umbriel, Titânia e Oberon. Sabe-se que não são constituídos de gelo sobre a superfície, por causa do baixo índice de reflexão. Alguns acreditam que o gelo esteja contaminado com uma substância escura, não indentificada.

O quinto satélite conhecido (Miranda), tem 400 km de diâmetro, e foi o satélite observado mais de perto pela Voyager II. O satélite apresenta uma superfície coberta de vales, crateras e montanhas, que mostram as atividades geológicas que lá existiram.

Fonte: www.cdcc.usp.br

Urano

Urano é o 7.º planeta a contar do Sol e o 3.º maior deles. Faz parte do grupo dos planetas exteriores, ocupando neste grupo a 3.ª posição.

Este planeta é designado com o nome da antiga deus grego dos céus, o mais velho deus supremo.

Úrano mede sensivelmente quatro vezes o tamanho da Terra. O tempo que leva a percorrer a órbita em torno do Sol corresponde a cerca de 84 anos terrestres. Um dia em Úrano tem a duração de 10 horas e 42 minutos.

A atmosfera de Úrano é composta por cerca de 85% de hidrogénio, 12% de hélio e 3% de metano. A temperatura média na atmosfera é de -210º C.

Como os outros planetas gasosos, Úrano tem um grupo de nuvens que se movem rapidamente, mas que neste planeta são pouco densas e não visíveis sem instrumentos próprios. A cor que caracteriza este planeta é o azulado. Este tom azulado de Úrano resulta da absorção da luz vermelha pelo metano na alta atmosfera. Outros grupos coloridos podem existir em Úrano, mas por agora não foram avistados visto poderem estar "escondidos" pela camada de metano.

Úrano é um planeta significativamente diferente dos restantes devido à sua acentuada inclinação. Pensa-se que esta posição invulgar tenha resultado de uma colisão com um corpo celeste do tamanho de um planeta, logo no princípio da formação do Sistema Solar.

Urano
Urano visto pelo Hubble com os seus anéis

O planeta Úrano foi visitado apenas uma vez em Janeiro de 1986 pela sonda espacial Voyager 2, a qual permitiu que se observassem inúmeras características deste astro. Tal como os outros planetas gasosos, Úrano também tem um sistema de anéis. São muito escuros e compostos por partículas grandes e regulares, juntamente com alguma poeira. Os anéis de Úrano foram os primeiros a ser descobertos depois dos de Saturno, o que se revelou de grande importância, uma vez que permitiu avançar nas investigações de que os anéis são comuns entre os planetas e não exclusivos de Saturno.

Úrano encontra-se no limite da visibilidade a "olho nú", mas é perfeitamente visível da Terra com binóculos normais.

Este planeta percorre a sua rota orbital a uma velocidade aproximada de 6,8 km/s. Durante os 84 anos que demora a percorrer este longo caminho, Úrano atinge o seu afélio quando se encontra a cerca de 3004 milhões de quilómetros do Sol. Por outro lado, para atingir o seu periélio, Úrano tem que se encontrar a uma distância de aproximadamente 2735 milhões de quilómetros do Sol.

Os satélites de Úrano

Dos mais de 20 satélites de Úrano que se conhecem até hoje todos são gelados e na sua maioria encontram-se mais afastados do que os anéis. Do total de satélites, 10 estão situados na zona interior dos anéis, sendo pequenos e escuros. As restantes cinco luas têm maiores dimensões, bem como uma grande variedade no relevo superficial.

Fonte: oficina.cienciaviva.pt

Urano

Úrano é o sétimo planeta a contar do Sol. Sua distância média ao Sol é de cerca 2.870 milhões de km. É o terceiro maior planeta do Sistema Solar com um pouco mais de 51.000 km de diâmetro no equador. Úrano, tal como Júpiter, Saturno e Neptuno, é um planeta gasoso. Sua atmosfera é constituída principalmente por hidrogénio e hélio; existe também uma quantidade significativa de metano, fazendo com que este planeta apresente uma coloração azulada.

Úrano demora menos de 18 horas a dar uma volta sobre si próprio, porém essa rotação é feita no sentido retrógrado (tal como Vénus). Em termos de translação, Úrano demora cerca de 84 anos a completar uma volta ao redor do Sol.

Este planeta também possui um sistema de anéis, apesar destes serem ténues. Os primeiros anéis foram descobertos em 1977.

Este foi o primeiro planeta a ser descoberto com recurso ao telescópio, a 13 de Março de 1781 pelo astrónomo inglês de origem alemã William Herschel. O brilho de Úrano a partir da Terra está no limite daquilo que é possível ser visto a olho nú, pelo que antes dessa data já fora visto por outros astrónomos, mas estes pensaram que se tratava de uma estrela, como é o caso do astrónomo inglês John Flamsteed que em 1690 o catalogou como sendo a estrela 34 Tauri.

Até à data apenas uma sonda espacial passou por Úrano, revelando muito sobre este planeta. Foi Voyager 2 que 1986 passou a menos de 81.500 km do topo das nuvens. Esta sonda enviou para a Terra 7.000 fotografias de Úrano e de seus satélites.

Úrano possui atualmente 27 satélites naturais conhecidos.

Fonte: www.astro.110mb.com

Urano

Urano (também referido como Úrano) é um planeta do Sistema Solar situado entre Saturno e Neptuno. Descoberto em 1781, recebeu o nome de Georgium Sidus, em homenagem ao rei Jorge III do Reino Unido. Por muitos anos ficou conhecido como Georgian, finalmente em 1850, ele foi rebatizado de Urano, de acordo com a tradição de dar o nome de deuses a planetas. É o 7.o na ordem das distâncias ao Sol. Tem 15 satélites ao seu redor e um fino anel de poeira. O seu diâmetro é de cerca de 51 000 km, isto é, 4 vezes superior ao da Terra.

Uma curiosidade deste planeta que é digna de nota, diz respeito a sua inclinação axial próxima de 90º, ou seja, Urano praticamente gira "deitado", estando suas regiões equatoriais muito fracamente expostas a luz e energia solar. O que ainda permanece incógnito e sem resposta clara, é o fato de a temperatura destas regiões não serem menores do que as temperaturas registradas nos pólos, estes, em função da inclinação axial, mais expostos a radiação solar. É provável que haja algum tipo de geração de calor e que a dinâmica atmosférica deste planeta promova de alguma forma, o aquecimento das regiões equatoriais, mas até o momento não há consenso entre os cientistas.

Urano é o sétimo planeta em distância a partir do Sol e o terceiro em tamanho, com um diâmetro de 51 000 km.

Parece constituir-se de uma densa mistura de diferentes tipos de gelo e gás ao redor de um núcleo sólido. Sua atmosfera compõe-se de traços de metano, que dá ao planeta uma coloração azul-esverdeada, e sua temperatura no topo das nuvens é de cerca de -210ºC. Urano é, entre os planetas que foram observados de perto, o que apresenta menos estruturas: até agora foram vistas apenas algumas nuvens de metado congeladas. Urano é o único dos planetas que tem o eixo de rotação no plano orbital. Como conseqüência do seu eixo de rotação fortemente inclinado, Urano gira de lado ao longo de sua trajetória orbital ao redor do Sol, ao passo que os outros planetas giram mais ou menos em pé.

Urano é rodeado por onze anéis que são compostos de rochas entremeadas com faixas de poeira. Os anéis contém a matéria mais escura do Sistema Solar e são extremamente estreitos, e pór isso é difícil detectá-los; nove deles têm menos de 10 km de largura, ao contrário da maior parte dos anéis de saturno, cuja largura é de milhares de quilômetros.

Existem quinze luas uranianas conhecidas, todas de gelo, e a maior parte delas está fora dos anéis. As dez luas mais internas são pequenas e escuras, com diâmetros inferiores a 160 km e as cindo mais externas têm diâmetros entre 470 e 1 600 km. As luas mais externas apresentam uma grande variedade de características em sua superfície. Miranda tem a superfície mais diversificada, com regiões cheias de crateras nas quais se elevam enormes espinhaços e penhascos com 20 km de altura.

Urano na Mitologia

Na mitologia grega, Uranus representava o céu. Era filho e marido de Gaea, a Terra, com quem gerou os gigantes e ciclopes, dos quais baniu da família a Tartarus, e mais tarde os titans. Gaea estava brava por seus filhos terem sido presos por Uranus, e mandou os Titans contra ele. Cronus, seu guia, castrou Uranus e o sucedeu como regulador do Universo. Segundo a Theogonia de Hesiod, Afrodite nasceu da espuma dos genitais descartados de Uranus quando caíram no mar.

Satélites

Urano tem cinco satélites maiores: Miranda, descoberto por Gerard Kuiper em 1948; Ariel e Umbriel, descobertos por William Lassell em 1851; e Titania e Oberon, descobertos por William Herschel em 1787. Mais 10 pequenos satélites foram descobertos em fotografias da Voyager 2, todos orbitando em órbitam bem dentro da de Miranda. Os cinco maiores satélites - e pelo que parece os menores - parecem estar numa órbita sincrônica; isto é, eles estão sempre com a mesma face voltada para Urano durante suas órbitas. Como as partículas nos anéis de Uranos, os satélites têm a superfície negra como carvão. Alguns dos satélites maiores parecem ter algum brilho, refletindo desde 19% (Umbriel) a 40% (Ariel) da luz solar que cai neles.

Além de ser o satélite maior mais escuro, Umbriel é o que tem menos marcas geológicas. Os outros quatro satélites têm complexas evidências geológicas.

Oberon e Tiânia são similares em tamanho, cor e refletibilidade. Porém Titania tem uma maior fração de pequenas crateras e fissuras na superfície, indicando que tem uma superfície geológica mais recente. Oberon tem como marca uma montanha que atinge cerca de 20 km acima da superfície.

Fonte: pt.wikipedia.org

Urano

raio equatorial = 26320 km
massa = 8,70E25 kg = 14,56 massas terrestres = 1/22869 massas solares
densidade = 1,1 g/cm^3
período de rotação = 17 h 14 min
inclinação do equador = 97,9°
achatamento = 0,023
temperatura = 65 K
albedo geométrico = 0,51
magnitude absoluta = -7,19
número de satélites conhecidos = 15

Urano foi descoberto em 1781 pelo astrônomo amador William Herschel, que pensou inicialmente que se tratava de um cometa. O movimento lento indicava que o corpo estava além da órbita de Saturno. Baseado nas primeiras observações, o astrônomo Anders Lexell calculou a órbita do corpo como sendo circular. Quem sugeriu o nome Urano ao planeta foi Johann Bode, mas passaram cinco décadas até que o nome fosse completamente aceito.

Urano se encontra a uma distância média de 19 UA do Sol e leva 84 anos para completar uma revolução em torno do Sol. A inclinação de seu eixo de rotação é de 98°, o que faz com que um dos polos fique iluminado e o outro não por décadas. Seu período de rotação é 17.3 horas.

Quando visto através de telescópio, o planeta apresenta uma coloração esverdeada, esta cor se deve a existência de metano em sua atmosfera.

A estrutura interna de Urano é prevista como sendo diferente dos outros planetas gasosos. Há um núcleo rochoso e ao redor deste há uma camada de água, esta por sua vez fica envolta por um manto formado por hidrogênio e hélio. Urano possui campo magnético, a existência deste é devido a existência da mistura de água, metano e amônia no interior do planeta, que devido a alta pressão se dissociam em íons, fazendo com que o meio se torne um eletrólito; as correntes de convecção existentes neste meio são as geradoras do campo magnético. A intensidade do campo magnético no topo das nuvens é similar ao terrestre, mas como Urano é maior que a Terra, a força de seu campo magnético é maior. O campo magnético de Urano está inclinado 60° com relação ao eixo de rotação, sendo o planeta onde esta inclinação é máxima.

Urano possui anéis, estes foram descobertos em 1977 durante uma ocultação estelar. Hoje conhecemos 10 aneis ao redor do planeta, 9 descoberdos da Terra e um pela sonda Voyager2. Todos anéis são escuros e pequenos, com metros ou alguns kilometros de espessura. A sonda Voyager2 mostrou que estes são constituidos de poeira muito fina, assim como os de Júpter e Saturno. A poeira é mais escura que qualquer material conhecido e a origem de sua coloração é desconhecida.

Urano possui 15 satélites naturais, sendo que 10 foram descobertos pela sonda Voyager2. A composição dos satélites é similar a dos planetas gasosos e sua densidade média é próxima a da água. Miranda ocupa a órbita mais interna dos maiores satélites de Urano, possui formações geológicas em forma de 'V', é possivel que isto indique que estas formações resultem de uma colisão com outro corpo. Umbriel é outra lua, que apresenta uma coloração escura, sua superfície é coberta por crateras sem sinais de atividade geológica.

São os satélites de Urano: Ariel, Umbriel, Titania, Oberon, Miranda, Cordelia, Ophelia, Bianca, Cressida, Desdemona, Juliet, Portia, Rosalind, Belinda e Puck.

Fonte: www.geocities.com

Urano

Urano é o sétimo planeta do Sistema Solar e o terceiro dos quatro gigantes gasosos. Seu núcleo rochoso está coberto por um manto de gases e gelo. Uma atmosfera com metano envolve esse manto. O metano dá a Urano a sua característica cor verde-azulada. Urano fica nas partes externas mais frias do Sistema Solar e a parte superior de suas nuvens tem temperatura de -210° C. Apesar de ter 15 satélites e um sistema de anéis, Urano possui poucos aspectos característicos. Os únicos observados pela sonda espacial Voyager 2, durante a visita de 1986, foram algumas nuvens de metano.

Urano

O Planeta de Rotação Lateral

O eixo de rotação de Urano tem uma inclinação de aproximadamente 98° com relação ao plano da órbita do planeta ao redor do Sol. Dessa forma, ao contrário dos outros planetas, Urano gira de lado. A extrema inclinação de Urano faz com que seus pólos passem 42 anos terrestres sob luz do Sol constante e 42 anos terrestres na escuridão durante um único período orbital de 84 anos terrestres. No entanto, Urano está tão longe do Sol que a diferença de temperatura entre verão e inverno nos pólos é de apenas 2° C.

Ilusão Orbital

Em condições excelentes, Urano é até visível a olho nu. Visto pelo telescópio, aparece como um pequeno disco verde-azulado. Até agora, foram descobertos 15 satélites. Suas órbitas ficam no plano equatorial de Urano e os satélites orbitam na mesma direção em que gira o planeta. Esse plano forma quase que um ângulo reto com o plano da eclíptica, pois Urano tem uma inclinação acentuada. Às vezes, quando Urano, ao ser visto da Terra, fica com um pólo voltado para ela, as órbitas de seus satélites podem ser vistas como circunferências quase perfeitas. Isso ocorreu em 1945 e 1987. Em outros períodos, como em 1966 e 2008, as órbitas dos satélites são vistas de lado e os satélites parecem oscilar para a frente e para trás ao longo de linhas retas.

Urano

Os Anéis de Urano

Não é fácil ver Os anéis de Urano. Eles são compostos de um dos materiais mais escuros do Sistema Solar. Foram detectados pela primeira vez da Terra em 1977, quando tamparam a luz de uma estrela. A Voyager 2 observou de perto o sistema, de 11 anéis, todos estreitos, em 1986. Eles são formados por rochas com cerca de 1 m de diâmetro. A largura do Anel Épsilon varia entre 20 e 100 km.

Urano

Comparações

Urano é quatro vezes maior do que a Terra e o terceiro planeta em tamanho do Sistema Solar. Seu período orbital de 84 anos terrestres é o terceiro em duração, depois dos de Netuno e Plutão.

Urano

Fonte: br.geocities.com

Urano

Nome ao sétimo planeta do sistema solar deve-se á proposta do astrônomo alemão Johann Elert Bode. Segundo ele deveria seguir o raciocínio de dar nomes aos deuses greco- romanos. Como o pai de Saturno era Urano, estaria seguindo a lógica adotada com os outros planetas. Urano ou Coelo, o céu na mitologia.Os principais filhos foram Titã, Saturno e Oceano, que se revoltaram contra o pai.

Cheio de mágoa em função de uma mutilação, Urano morreu. O que caracteriza as primeiras divindades mitológicas, é um brutal egoismo. Urano tomara aversão a todos os seus filhos: desde que nasciam, encerrava-os em um abismo e os não deixava ver o dia. Foi isto que motivou a revolta de Saturno, sucessor de Urano, foi tão cruel quanto o pai.

Conhecendo Urano.

Nome Urano

Massa 8,68 . 1025kg

Diâmetro 51.118km

Distância: Urano - Sol 2.870.972.200 km

Período de revolução (ano do planeta) 84 anos terrestres

Período de Rotação - duração do dia em Urano (comparado com a Terra) 17h 44min

Atmosfera (valores aproximados) 83% de Hidrogênio

15% de Hélio

2% de Metano

decoberta de Urano, é bastante recente comparado com os outros planetas. Embora exista relatos sobre a sua existência desde 1690 pelo astônomo John Flamsteed que o catalogu como estrela Tauri como muitos outros astônomos que o consideravam uma estrela. Porém a sua descoberta ocorreu no dia 13 de março de 1781 pelo astônomo inglês William Herschel e lhe deu o nome de "o Georgium Sidus" (o Planeta georgiano) em honra ao Rei George III de Inglaterra. Seguindo o critério que se adotava em dar nome aos planetas de acordo com os deuses da mitologia, o nome Urano foi inicialment proposto pelo astrônomo alemão Johann Elert Bode, que começou a ser adotado por volta de 1850.

Na maioria dos planetas do sistema solar, o seu eixo de rotação é aproximadamente perpendicular com o plano da sua órbita. No caso de Urano, além de possuir um movimento retrógrado, o seu eixo de rotação é praticamente paralelo ao plano da sua órbita, ou se quisermos o eixo de rotação forma um ângulo de 98º com o plano de sua órbita. 
A inclinação do eixo de rotação de Urano acaba provocando uma rotação de lado no planeta quando visto da Terra. Em períodos diferentes de sua órbita, podemos ver um dos pólos do planeta apontando para nós ou seja, diretamente apontados para o Sol. Isto acaba resultando em uma situação bastante estranha para nós, as regiões polares de Urano recebem mais energia do Sol do que as suas regiões equatoriais. 
Devido a grande distância de Urano ao Sol, o "ano" do planeta acaba sendo extremamente longo comparado ao nosso. O ano de Urano corresponde a 84 anos terrestres, o que acaba provacando uma longa duração nas estações do ano. Para termos uma idéia o inverno no hemisfério norte de Urano pode durar até 20 anos. 
NeSta imagem feita pelo telescópio espacial Hubble empregando técnicas de fotografias é possível analisar a composição da atmosfera. A cor azul indica condições atmosféricas claras, região a meia latitude (entre o pólo e o equador). A região com cor verde indica a presença de metano, a cor verde ocorre pelo fato de que a luz solar é refletida de volta sem ser abosrvida pela atmosfera. A cor verde ao redor do eixo de rotação indicado por um sinal "+" indica uma grande concentração de gás. A cor vermelha revela a presença de hidrogênio, o gás mais abundante na atmosfera de Urano. A seta branca indica na atmosfera de Urano uma núvem, que nos dá a idéia de ser pequena, porém é tão grande quanto a um continente do nosso planeta. Esta imagem é rara em Urano em virtude da sua atmosfera.

A composição do planeta Urano é de rochas e gelo, sendo aproximadamente 15% hidrogênio e um pouco hélio, uma certa digerença com Júpiter e Saturno que são constituídos principalmente de hidrogênio. O centro de Urano (e Netuno), ou o caroço como chamamos, é muito semelhante ao de Júpiter e Saturno, no entanto ao que tudo indica ele não possui uma camada hidrogênio metálico líquido envolvendo o caroço, como ocorre em Júpiter e Saturno. 
A cor azul de Urano é o resultado da absorção da luz vermelha que incide no metano que compõe o topo da atmosfera. Por ser um planeta gasoso provavelmente deve haver como em Jupiter faixas coloridas porém elas devem estar sendo ocultas pela camada de metano que reveste o planeta. 
Como os outros planetas de gás, Urano possui anéis. Como os de Júpiter, eles são muito escuros, porém lembram os de Saturno pois são compostos de partículas que vão desde milímetros até alguns metros. Conhecemos 11 anéis, são anéis são bastante finos e o mais luminoso é chamado de anel épsilon. Os anéis de Urano foram os primeiros a serem descobertos após os de Saturno. Esta descoberta foi importante porque mostrou que os anéis não eram uma particularidade de Saturno

Urano

Nesta imagem realizada pela nave Voyager 2, no dia 21 de Janeiro de 1986, podemos visualizar os nove anéis mais conhecidos de Urano. No total até o momento os cientistas consideram que Urano tenha 11 anéis, no entanto em futura observações nada impede que tenhamos um maior número de anéis. Através da técnica de realçar cores, podemos notar com maior clareza os anéis que passariam desapercebidos pela pouca luminosidade e espessura muito fina. 
O anel mais visível de todos, que vemos no topo da imagem, é chamado por Épsilon, em seguida vemos os outros oito anéis mais finos mostrados com cores diferenciadas entre eles. Épsilon é o mais afastado entre eles, em seguida temos o anel Delta, Gama, Eta, Beta e Alfa em tons um pouco mais claros. Em seguida, nos aproximando de Urano, temos um conjunto de três anéis conhecidos simplesmente como os anéis 4, 5 e 6.

Fonte: www.ciencia-cultura.com

Urano

Urano foi o primeiro planeta a ser descoberto, que não era conhecido desde a antiguidade. O descobridor foi Herschel, em 13 de Março de 1781 mas é claro que o planeta já havia sido visto e confundido com uma estrela. O catálogo de Flamsteed, de 1690, identifica-o como a estrela 34 da constelação do Touro. O nome Urano só entrou em uso comum em 1850, sob sugestão de Bode, depois de muitos lhe chamarem Herschel e de o próprio Herschel lhe ter chamado “Georgium Sidus” (o planeta de Jorge), em homenagem ao seu protetor, o monarca inglês Jorge III.

Urano
Urano, em cores quase reais. Imagem Voyager 2

Como todos os planetas trans-saturnianos, Urano é ainda mal conhecido. Foi aproximado (não orbitado) por uma única sonda, a Voyager 2, em 24 de Janeiro de 1986. Mesmo assim, esta curta visita permitiu avançar muito o nosso conhecimento do planeta, nomeadamente por ter revelado as estranhas características da rotação de Urano e a existência de um sistema de anéis.

A rotação de Urano é invulgar em todo o Sistema Solar, primeiro por o eixo de rotação se encontrar praticamente contido no plano orbital, com o pólo Sul voltado para o Sol, e depois por se fazer no sentido retrógado. Pensa-se que estes fatos se podem dever a um choque violento com outro planeta que Urano terá sofrido na sua história. Apesar disso, a região equatorial de Urano é a mais quente, tal como em todos os outros planetas o que, junto com o fato de Urano radiar mais energia que a que recebe do Sol, leva a crer que o planeta possui um núcleo “quente” possivelmente enriquecido em isótopos radioativos leves (Si? C?), sendo a condução térmica para a superfície feita por correntes de convecção.

Urano
Urano e os seus anéis, em cores falsas

O sistema de anéis de Urano é muito fino e difuso (Figura 2). Os anéis têm um albedo baixo, como os de Júpiter, mas são compostos por corpos com até 10 metros de diâmetro, tal como os de Saturno. De fato, os anéis de Urano foram descobertos mesmo antes dos de Júpiter, o que levou a que se procurassem – e encontrassem – anéis em todos os planetas gigantes. Pensa-se que possam existir anéis incompletos (arcos de anel) com cerca de 50 m de extensão.

A estrutura de Urano só se conhece por inferência a partir de dados da sua geofísica externa.

Urano
Modelo da estrutura interna de Urano

O núcleo de Urano deve ser composto de uma mistura de rocha e gelo, de massa provavelmente não superior à da Terra. A este núcleo seguir-se-á um “manto” composto por uma mistura de gelos de água, metano e amónia, possivelmente em estado sólido mas plástico. Daí até à superfície encontra-se uma atmosfera de hidrogénio, hélio e metano moleculares, que absorvem a luz no vermelho, o que confere ao planeta a sua característica cor azul.

Esta atmosfera é bandeada, como nos outros gigantes e atravessada por ventos fortíssimos, entre 40 e 160 m/s (entre 140 e 580 km/h), que sopram na direção da rotação do planeta.

Urano
Urano, em imagem de cores falsas muito processada, 
mostrando as bandas atmosféricas comuns aos outros gigantes. Imagem HST.

Encontraram-se ventos da ordem dos 100 m/s que sopram na direção oposta, nas zonas equatoriais, por análise de imagens recentes do Telescópio Espacial Hubble

Urano
A evolução no tempo da posição de duas nuvens (A e B), 
que permite determinar a velocidade e a direção dos ventos. Imagem HST.

Outro argumento em favor da existència de correntes de convecção no interior de Urano é o fato de ter um campo magnético dipolar, forte. Este campo está descentrado em relação ao planeta e o eixo magnético faz um ângulo de cerca de 60º com o eixo de rotação.

Fonte: www.uc.pt

Urano

Urano é um dos grandes planetas gasosos do Sistema solar; é o 7º a partir do Sol. A sua descoberta foi anunciada por William Herschel em 1781, apesar de, anteriormente, já ter sido assinalada a sua presença, tendo mesmo sido confundido como uma estrela.

Calcula-se que a fase final da formação de Urano iniciou-se há cerca de 4.000 milhões de anos tendo recebido, tal como o Lua, o impacto de milhares de asteróides, durante mais de 100 milhões de anos.

Composição de Urano

O planeta possui um núcleo rochoso envolvido por uma atmosfera super densa composta por gelo água, metano e amónia em estado líquido. Acima desta camada existe uma atmosfera de hidrogénio, hélio com nuvens de amónia e metano. O vento, à superfície, circula a velocidades que oscilam entre os 150 e 500 km por hora sendo a temperatura é de -214º .

Urano
Composição de Urano

Composição da atmosfera de Neptuno : Hidrogénio (83%) ; Hélio (15%); Metano e anónia(2%)

Temperatura média da atmosfera : -197 º

Anéis: URANO está rodeado por 11 (onze) anéis designados por:

1986U2R, a 38.000 Km, com 2500 km

6, a 41.837 Km, com 2 km ;

5, a 42.235 Km, com 2 a 3 km;

4, a 42.572 Km, com 2 a 3 km;

Alfa, a 44.718 km, com 4 a 13 km;

Beta, a 45.661 km, com 7 a 12 km;

Eta, a 47.176 km, com 1 a 2 km;

Gama, a 47.627 km, com 1 a 4 km;

Delta, a 48.300 km, com 3 a 7 km;

Lambda, a 50.024 km, com 2 a 3 km;

Epsilon, a 51.149 km. com 20 a 95 km.

A existência de anéis em Urano, só foi conhecida em 1977, através da observação telescópica do planeta quando este ocultava uma estrela.

Urano
Anéis de Urano

Urano
Terra Vista de Urano

NOMES 
atribuidos aos satélites
Diâmetro médio Ø
(Aproximado)
Titânia 1.578 Km
Oberon 1.523 Km
Umbriel 1.170 Km
Ariel 1.158 Km
Miranda 472 Km
Sycorax 190 Km
Puck 162 Km
Portia 136 Km
Caliban 96 Km
Juliet 94 Km
S/1986U10 80 Km
Belinda 80 Km
Cressida 80 Km
Rosalind 72 Km
Desdemona 64 Km
Bianca 54 Km
Ophelia 42 Km
Cordelia
40 Km
Mab (S/2003 U1) 
32 Km
Prospero
30 Km
Setebos 
30 Km
Cupido (S/2003 U2) 24 Km
Stephano
20 Km
Margaret (S/2003 U3) 
12 Km
S/2001 U2 
12 Km
S/2001 U3 
12 Km
Trinculo 10 Km

Satélites de Urano

TITANIA

Urano
Titania

Titania é o maior dos satélites de Urano.

Descoberto em 1787, tem um diâmetro de cerca de 1578 km.

Orbita em torno do planeta a uma distância média de 435.840 km durante aproximadamente 8,7 dias.

OBERON

Urano
Oberon

Oberon é o segundo maior dos satélites de Urano.

Descoberto em 1787, tem um diâmetro de cerca de 1523 km.

Orbita em torno do planeta a uma distância média de 582.600 km durante aproximadamente 13,46 dias.

UMBRIEL

Urano
Umbriel

Umbriel é o terceiro maior dos satélites de Urano.

Descoberto em 1851, tem um diâmetro de cerca de 1170 km.

Orbita em torno do planeta a uma distância média de 265.970 km durante aproximadamente 4,14 dias.

ARIEL

Urano
Ariel

Ariel é o quarto maior dos satélites de Urano.

Descoberto em 1851, tem um diâmetro de cerca de 1158 km.

Orbita em torno do planeta a uma distância média de 191.240 km durante aproximadamente 2,52 dias.

MIRANDA

Urano
Miranda

Miranda é o quinto maior dos satélites de Urano.

Descoberto em 1948, tem um diâmetro de cerca de 472 km.

Orbita em torno do planeta a uma distância média de 129.780 km durante aproximadamente 1,41 dias.

Urano
Um pormenor da superfície de Miranda

SYCORAX

Urano
Sycorax

Sycorax é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1997, tem um diâmetro de cerca de 190 km.

PUCK

Urano
Puck

Puck é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1997, tem um diâmetro de cerca de 162 km.

PORTIA

Urano
Portia

Portia é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 136 km.

CALIBAN

Urano
Caliban

Caliban é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1997, tem um diâmetro de cerca de 96 km.

JULIET

Urano
Juliet

Juliet é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 94 km.

S/1986 U10

Urano
S/1986 U10

S/1986 U10 é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 80 km.

BELINDA

Urano
Belinda

Belinda é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 80 km.

CRESSIDA

Urano
Cressida

Cressida é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 80 km.

ROSALIND

Urano
Rosalind

Rosalind é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 72 km.

DESDEMONA

Urano
Desdemona

Desdemona é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 64 km.

BIANCA

Urano
Bianca

Bianca é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 54 km.

OPHELIA

Urano
Ophelia

Ophelia é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 42 km.

CORDELIA

Urano
Cordelia

Cordelia é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 1986, tem um diâmetro de cerca de 42 km.

MARGARET

Urano
Margaret

Margaret (S/2003 U3) é um dos satélites menores de Urano.

Descoberto em 2003, tem um diâmetro de cerca de 12 km.

Urano
Localização de alguns dos satélites menores de URANO

Fonte: uranoort.no.sapo.pt

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal